Você está na página 1de 5

INTRODUÇÃO À MISSIOLOGIA

 A palavra missiologia é composta de duas outras palavras heterogêneas:


“missio” (latim) que significa "envio" e “s” (grego), que significa “estudo”.
É o ramo da teologia que estuda a Teologia de Missões.
 Missiologia é o estudo sistemático da ação evangelizadora da igreja e dos meios
para realizá-la.

Qual a finalidade do estudo da missiologia?

 Estudar os fundamentos bíblicos da missão;


 Repensar e renovar a missão da igreja,
 Corrigir as ações da igreja;
 Despertar o ardor missionário,
 Expandir a ação missionária da igreja;
 Treinar novos obreiros;
 Mobilizar a igreja para a evangelização.

_____________________________________

 A missiologia é uma disciplina jovem. O primeiro protestante a pensar missões


como entendemos atualmente foi Gustav Adolf Warneck (1834–1910), um
teólogo alemão que ocupou a primeira cadeira universitária em missiologia na
Universidade de Halle de 1896 a 1908.
 David Bosch descreve-o como "o pai da missiologia como uma disciplina
teológica"1.
 Segundo Gustav Warneck, os reformadores não tinham uma visão missionária.
Durante os dois primeiros séculos pós-reforma, não ocorreu nenhum
empreendimento missionário considerável, para dizer que não houve.
 Toda a energia foi consumida na reforma da igreja.

Vejamos os motivos que inibiram as ações missionária dos protestantes:

1- __________________________. Os protestantes concentraram todas as suas


forças na reforma da igreja, naturalmente isso impediu o avanço da obra
missionária.
2- _______________________________. Os protestantes não tinham contato
com os povos não-cristãos, enquanto outros países de confissão católica, como
Portugal e Espanha, expandiam o seu poder político e econômico colonizando
os povos e imprimindo a sua fé.
3- _______________________________. As igrejas lutavam para sobreviver à
guerra e somente depois da Paz da Westefália em 1648, os protestantes
conseguiram se organizar e planejar as suas ações.
4- _____________________________________. Os protestantes também
investiram suas energias em debates e lutas pelos dogmas e movimentos
1
BOSCH, David J. Missão Transformadora: Mudanças de Paradigma na Teologia da Missão. São
Leopoldo: RS, EST, Sinodal, 2002, p298.

1
políticos. Com tantas contendas e discussões não sobrou tempo e nem forças
para a ação missionária.

O paradigma missionário da _________________________________ (séculos I à V).

No início do II século, a igreja judaica-cristã adentra no mundo greco-romano aderindo


às mudanças para se “contextualizar” ao novo mundo, para não dizer se amoldar,
deixando de ser um movimento e se tornando uma instituição. Deixa para traz o seu
ardor evangelístico e acaba se assemelhando mais ao mundo que deseja conquistar.
Paulatinamente, abafou o seu kerigma apocalíptico e escatológico de uma parúsia
iminente e se acomodou ao mundo em que se inseriu. Com o passar do tempo os
pregadores itinerantes e os apóstolos são substituídos pelos monges peregrinos em
locais ainda não evangelizados e não há um projeto de expansão da igreja através da
obra missionária. Os milagres deixam de ser autenticação da liderança do pregador e a
vida exemplar passar a ser a única exigência para legitimar a sua autoridade para as
pessoas comuns do mundo antigo. A igreja se institucionaliza e torna-se a religião
oficial do mundo greco-romano com conversão de do Imperador Constantino. Aqueles
que desejavam ascender na sociedade deveriam se tornar cristão, os não cristianizados
eram considerados pagãos. Os pensadores Clemente de Alexandria e Orígines
inseriram a erudição cristã, sofisticada e capaz de debater e argumentar com principais
filósofos pagãos da época. O desinteresse pela escatologia da igreja primitiva e da
intervenção sobrenatural e futura de DEUS foi substituída pela ideia de que as pessoas
que faziam o bem e o que é correto ganhariam o céu como recompensa. O conteúdo
do kerigma da igreja oriental não tem o perdão dos pecados por meio da morte do
SALVADOR, mas sim a glória de JESUS nesta vida. Em síntese o paradigma missionário
da igreja oriental deixa de se preocupar com a parúsia (que as pessoas devem se
arrepender e confessar o CRISTO de DEUS como SALAVADOR porque Sua volta é
imediata) para se preocupar com a administração do REINO na terra.

O paradigma missionário __________________________________ (séculos VI à XV).

Esse período entre os séculos VI à XV é chamado de Idade Média. A partir do século


VI, o grego deixou de ser a língua dominante e o latim se torna a língua oficial. Houve
uma ruptura entre a igreja oriental e a ocidental, chamada de Grande Cisma.
Constantinopla sobreviveu ao colapso do Império Romano tornando-se mais forte no
oriente. Agostinho de Hipona surge na história para marcá-la para sempre.

Com o seu robusto arcabouço teológico ele responde a três grandes crises:

1. _______________________________________. Alarico e as suas hordas godas


conquistaram e saquearam Roma que representava ordem, civilização e
estabilidade.
2. _______________________________________. Liderados por Donato, bispo
de Numídia e posteriormente de Catargo, sustentavam que a igreja não deveria
aceitar os traidores que não resistiram a perseguição de Diocleciano.
3. ________________________________________. Pelágio de Bretanha foi
acusado de heresia por Agostinho por negar o pecado original, que a graça é

2
essencial para a salvação e que o homem tem livre-arbítrio para decidir sua
eternidade.

Agostinho de Hipona influenciou profundamente a teologia e compreensão de missão


nos séculos vindouros. Com a sua obra monumental Cidade de Deus, influencia todo o
pensamento da igreja e para refutar os donatistas formula a seguinte frase: “Não há
salvação fora da igreja”. O dever do missionário se reduziu a levar o recém-nascido até
a pia batismal assim que possível. O governante deveria ser um cristão e o Estado teria
que se submeter à autoridade da igreja, sobretudo do Pontífice. Aos não-cristãos eram
negados os direitos de cidadania como vender os seus produtos no mercado e os
direitos políticos. Qualquer pessoa que não fosse cristão era considerada herege ou
cismático. De acordo com Lucas 14.23, a igreja entendia que os pagãos deveriam ser
levados a força para CRISTO. A igreja não media esforços para converter os judeus,
mesmo que fosse a força. As cruzadas em busca da Terra Santa eram denominadas
“guerras missionárias” (a luta contra os mulçumanos). No período colonial, os povos
conquistados deveriam ser cristianizados. A fé era imposta pelos colonizadores. Em
1537, o papa autorizou a venda de escravos no mercado de Lisboa para fortalecer a
economia. O surgimento do monastério contribuiu para a civilização, com a construção
de escolas, hospitais, orfanatos e treinamento para vários tipos de profissões. Embora
o monastério não tenha contribuído para a evangelização dos povos, ajudou na
construção da sociedade.

O paradigma missionário da ________________________________________ (XV).

Os governantes católicos, perderam a liderança sobre certas partes da Europa, que


passaram a ser governadas pelos príncipes luteranos, reformados e anglicanos.

Vejamos 5 traços da teologia da missão protestante:

1. _______________________________________________ . Somente pela fé em


JESUS o indivíduo será salvo do castigo eterno.
2. ________________________________________________ . Os homens estão
perdidos e são incapazes de fazer qualquer coisa para serem salvos.
3. ________________________________________________ . A ênfase na
teontologia passou a ser substituída pela obra redentora de JESUS. Mais
importante que o conhecimento acadêmico de Teologia passou a ser o
conhecimento da morte e ressurreição de JESUS para obter a vida eterna.
4. _________________________________________________ . Lutero afirmou
que o sacerdócio dos crentes estava limitado ao alcance da paróquia.
Enquanto, os anabatistas apelavam para a Grande Comissão.
5. _________________________________________________ . O ensino da Bíblia
para todos os fiéis.

O avanço missionário ficou estagnado por causa do entendimento de que a salvação


era unicamente iniciativa de DEUS, então quaisquer esforços humanos na tentativa de

3
salvar as pessoas constituiria uma blasfêmia. Em outras palavras, se DEUS quiser salvar
os pagãos, ELE o fará, sem os esforços da igreja.

Os anabatistas desenvolveram um arrojado programa missionário. Radicalizaram a


ideia luterana do sacerdócio universal dos crentes mobilizando todos os fiéis para a
obra missionária. Os reformadores se posicionaram contra a ação missionária dos
anabatistas, não concordando com a vocação missionária de todos crentes.

O catolicismo e a fé protestante seria a religião oficial em seus territórios, somente os


anabatistas rompem as fronteiras para pregar o evangelho.
Os anabatistas insistiam na separação absoluta entre o Estado e a igreja.

A influência de ________________________________ (1556-1608).

1. A Grande Comissão foi cumprida pelos apóstolos de JESUS, não era mais
responsabilidade da igreja.
2. Nenhum ser humano poderia empreender a qualquer obra missionária, DEUS,
soberanamente, cuidaria dos pagãos.
3. A parúsia aconteceria por volta de 1670.
4. A obra missionária deveria acontecer somente entre o seu próprio povo (os
luteranos).
5. Ninguém pode se desculpar diante de DEUS alegando ignorância (cf. Rm 1.19-
21), por isso a igreja não seria responsável pela salvação dos pagãos.

O avanço _____________________________________.

1. Nikolaus von Zinzendorf (1700-1760), mobiliza os morávios para a


evangelização dos pagãos em todos os territórrios.
2. Para Zinzendorf, a missão não era uma atividade da igreja, mas do próprio
JESUS através dos crentes.

___________________________________________ (1588-1676).

Um teólogo calvinista holandês.

Sua teologia de missão se baseava em três objetivos:

1. ____________________________________.

2. ____________________________________.

3. ____________________________________.

Voetius considerava que:

1. A missão era primordialmente teológica (podemos classificá-lo como primeiro


expoente da missio Dei).

4
2. O papa e as ordens religiosas não tinham autoridade para a missão. Apenas a
igreja era revestida de tal autoridade.

O puritanismo de 1735 – Traços da teologia missionária:

1. Imersão na doutrina da predestinação.


2. Pregavam nas colônias e expulsavam os nativos (DEUS dava a vitória sobre os
índios).
3. A expansão missionária aconteceu num contexto colonialista.
4. Governo teocrático.

A influência do ________________________________ no protestantismo. (XVII).

 No século XVII inicia a era “Moderna” ou Iluminista.


 O Iluminismo exerceu grande influência no protestantismo.
 A fé é severamente questionada.
 A igreja não exerce mais influência na ciência, na educação, na política e na
arte.
 Todos os problemas são solucionados sem DEUS.
 A Razão é maior que a Fé.

Segundo Despertar

 O avivamento metodista com os irmãos Wesley.


 O início das missões modernas com William Carey.
 O William Carey é conhecido como o pai de Missões Modernas.
 Esses modelos permanecem até o dia de hoje.

Avaliação

1) Quais os motivos que estagnaram o avanço missionário no primeiro século da


reforma?

2) Houve mudança no kerigma da Igreja Oriental? Qual foi?

3) Quais foram as mudanças que ocorreram na missão da igreja por influência de


Agostinho de Hipona?

4) Quais os traços da teologia da missão protestante?

5) Discorra sobre a influência de Philip Nicolai para a missão:

6) Quais são os objetivos da missão segundo Gisbertus Voetius?

Você também pode gostar