Você está na página 1de 13

Deslocamento,

velocidade média,
velocidade e
aceleração
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

O deslocamento de uma partícula, simbolizado por ∆𝑟, descreve a variação da sua


posição num dado intervalo de tempo. Se esta se mover de uma posição A para uma
posição B, o deslocamento será um vetor com origem em A e extremidade em B.

y
Traçando os vetores posição de A, 𝑟A , e

s de B, 𝑟B , a regra da soma de vetores


permitirá escrever 𝑟B = 𝑟A + ∆𝑟, que é
𝑟A ∆𝑟 equivalente a:

𝑟B ∆𝒓 = 𝒓𝐁 − 𝒓𝐀

x
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

y Verifica-se que o módulo deste vetor,


|∆𝑟|, não é igual à distância percorrida
s sobre a trajetória, s, entre A e B, dada
pelo comprimento do arco AB.
𝑟A ∆𝑟

𝑟B

Só quando a trajetória é retilínea e não há inversão de sentido do movimento é


que o módulo do deslocamento coincide com a distância percorrida.
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

A velocidade média de uma partícula, 𝑣m , é o quociente entre o seu deslocamento


entre duas posições e o correspondente intervalo de tempo:

∆𝒓
𝒗𝐦 =
∆𝒕

Esta grandeza indica se a partícula muda mais ou menos rapidamente de posição num
dado intervalo de tempo.

Como ∆𝑡 tem sempre um valor positivo, a direção e o sentido da velocidade média


são as do vetor deslocamento.
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

Como se obtém a velocidade num dado instante?

A velocidade é a derivada temporal do vetor posição.


𝐝𝒓
𝒗=
𝐝𝒕
A velocidade instantânea, ou simplesmente velocidade, é a derivada do vetor posição
em ordem à variável t.
y
A velocidade é um vetor tangente à trajetória, 𝑣
que aponta no sentido em que a partícula se
move.

O módulo da velocidade, 𝑣 = 𝑣 , indica a


rapidez da partícula.
x
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

Atendendo às regras de derivação da soma e do produto, e uma vez que os vetores


unitários 𝑒𝑥 , 𝑒𝑦 e 𝑒𝑧 são constantes no tempo, a derivada da posição num referencial
cartesiano, 𝑟(𝑡) = 𝑥(𝑡) 𝑒𝑥 + 𝑦(𝑡) 𝑒𝑦 + 𝑧(𝑡) 𝑒𝑧 , é dada por:

d𝑟 d𝑥 d𝑦 d𝑧
𝑣= = 𝑒𝑥 + 𝑒𝑦 + 𝑒𝑧 (m s −1 )
d𝑡 d𝑡 d𝑡 d𝑡

A velocidade é uma função do tempo e escreve-se na forma:

𝒗(𝒕) = 𝒗𝒙 𝒆𝒙 + 𝒗𝒚 𝒆𝒚 + 𝒗𝒛 𝒆𝒛 (𝐦 𝐬 −𝟏 )
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

As componentes escalares da velocidade são dadas por:

d𝑥 d𝑦 d𝑧
𝑣𝑥 = 𝑣𝑦 = 𝑣𝑧 =
d𝑡 d𝑡 d𝑡

Regras de derivação de funções polinomiais

𝑑𝑓
𝑓 𝑡 =𝑘 =0
𝑑𝑡
𝑑𝑓
𝑓 𝑡 = 𝑘t =𝑘
𝑑𝑡
𝑑𝑓
𝑓 𝑡 = 𝑘𝑡 2 = 2𝑘𝑡
𝑑𝑡
𝑑𝑓
𝑓 𝑡 = 𝑘𝑡 𝑛 = 𝑛𝑘𝑡 𝑛−1
𝑑𝑡
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

A variação da velocidade é descrita pela grandeza aceleração.

A aceleração média num dado intervalo de tempo é o quociente entre a variação de


velocidade e o respetivo intervalo de tempo:

∆𝒗
𝒂𝐦 =
∆𝒕
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

O vetor ∆𝑣 entre duas posições A e B pode ser obtido geometricamente por uma soma
de vetores , pois ∆𝑣 = 𝑣B − 𝑣A = 𝑣B + −𝑣A .

−𝑣A
B
𝑣B
∆𝑣
𝑣B

𝑣A
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

A direção e o sentido de 𝑎m são os mesmos que os de ∆𝑣, pois ∆𝑡 é sempre positivo.

∆𝑣 e, consequentemente, 𝑎m apontam para o interior (que pode não ser o seu centro)
da curva descrita pela partícula.

A aceleração instantânea, ou simplesmente aceleração, é derivada temporal do vetor


velocidade.
𝐝𝒗
𝒂=
𝐝𝒕
Indica a rapidez com que a partícula muda de velocidade num dado instante.

d𝑣 d𝑣𝑥 d𝑣𝑦 d𝑣𝑧


𝑎= = 𝑒𝑥 + 𝑒𝑦 + 𝑒𝑧 (m s −2 )
d𝑡 d𝑡 d𝑡 d𝑡
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

A aceleração, que é uma função do tempo, vem dada por:

𝒂 𝒕 = 𝒂𝒙 𝒆𝒙 + 𝒂𝒚 𝒆𝒚 + 𝒂𝒛 𝒆𝒛 (m s −2 )
As componentes escalares da aceleração são dadas por:

d𝑣𝑥 d𝑣𝑦 d𝑣𝑧


𝑎𝑥 = 𝑎𝑦 = 𝑎𝑧 =
d𝑡 d𝑡 d𝑡

Como a aceleração média aponta para o interior da trajetória curvilínea, também a


aceleração aponta sempre para dentro dessa trajetória.

Nas trajetórias retilíneas, a aceleração tem sempre a direção da velocidade, que é a


direção da trajetória.
Deslocamento, velocidade média, velocidade e aceleração

Representação estroboscópica dos vetores aceleração e velocidade do centro de


massa de um automóvel que segue uma trajetória curvilínea.

O aumento da distância percorrida em intervalos de tempo iguais e o aumento do


módulo da velocidade mostram que o movimento é acelerado.
Questões (Resolução)

1. O movimento de um corpo é descrito pela seguinte equação do movimento:


𝑟(𝑡) = (4𝑡 2 + 5𝑡) 𝑒𝑥 +(𝑡 3 + 2) 𝑒𝑦 (m)

1.1 Calcule a velocidade do corpo.


d𝑟 d(4𝑡 2 +5𝑡) d(𝑡 3 +2)
𝑣= d𝑡
= d𝑡
𝑒𝑥 + d𝑡
𝑒𝑦 = 8𝑡 + 5 𝑒𝑥 + 3𝑡 2 𝑒𝑦 (m s−1 )

1.2 Qual o módulo da velocidade no instante t = 3 s?


𝑣(𝑡 = 3) = 8 × 3 + 5 𝑒𝑥 + 3 × 32 𝑒𝑦 = 29 𝑒𝑥 + 27 𝑒𝑦

𝑣 = 292 + 272 = 1570 = 40 m s −1


1.3 Calcule a aceleração do corpo.

d𝑣 d(8 𝑡+5) d(3 𝑡 2 )


𝑎= = 𝑒𝑥 + 𝑒𝑦 = 8 𝑒𝑥 + 6𝑡 𝑒𝑦 m s −2
d𝑡 d𝑡 d𝑡