Você está na página 1de 2

Marcos 1013-16/Mateus 19:14 - Como Criança!

Introdução: Bom dia a todos, é um prazer está aqui com vcs, agradeço a Deus por está aqui com vcs, povo
Santo do Senhor. Meus amigos a sociedade de hoje dá pouco valor à família. Tenho visto os pais em nossa igreja que
lutam neste mundo de tantos contra valores, em que o amor acaba sendo medido pelos bens materiais. A imagem de
família é mostrada de forma distorcida, os valores éticos e morais que os pais devem passar aos filhos também. O grande
problema é que não percebemos, porque tudo ocorre de forma velada. De imediato não conseguimos ter uma ideia
concreta sobre esta influência, ela vai acontecendo em doses homeopáticas, um pouquinho a cada dia. É em longo prazo,
mas o efeito fica. Quando a gente desperta, o estrago está feito e é difícil de reverter.

Uma palavra tem preocupado e muito: pais, professores e a igreja em relação as crianças, a palavra é:
Precoce (dicionário Aurelio) define como: prematuro. Antecipado.

No site https://www.psiconlinews.com/. Já há algum tempo vemos que as crianças estão se comportando bem diferente das
crianças do século XX… Mas isso é um problema? Muitos acreditam que não, dizem que os tempos mudaram e que as
crianças já “nascem diferentes” e mais inteligentes. Realmente são tempos diferentes, que influenciam no desenvolvimento
infantil desde a gestação. Porém, precisamos entender que o desenvolvimento infantil e suas fases não mudam. A ciência
cada vez mais tem conhecimento sobre como ocorre o desenvolvimento humano. E estranhamente às vezes tenho a
impressão que estamos voltando no tempo.
As crianças estão sendo adultizadas, e os pais muitas vezes acham até “bonitinho”. As meninas pedem para usar
maquiagem e pintar as unhas e os cabelos, e os pais acham uma fofura a filha querer ser “mocinha”. Especialistas afirmam
que pintar as unhas antes dos 12 anos não é  recomendável, mas vemos que isso não é seguido. Infelizmente não
conseguimos mensurar se o maior problema é o risco para a saúde física ou mental…

Vemos hoje crianças sem autonomia para arrumar o próprio material escolar, tomar banho, fazer as lições de casa.
Crianças essas que têm um celular de última geração, mas ainda chupam chupeta… São contradições gritantes!!! Hoje
crianças de 9 anos estão falando de namoro, só vão para a escola se estiverem maquiadas e perfumadas. E quando você
olha a mochila, não trouxeram o material do dia. Como as crianças aprendem? Não, não é apenas pelo nosso discurso. É
também e, principalmente, pelo nosso exemplo! Se demonstramos que as prioridades da vida são a aparência e o
consumismo, é bem provável que as crianças cresçam pensando dessa forma. Amadurecer no tempo certo é essencial
para uma vida adulta com a saúde mental preservada. A exposição ao consumismo exacerbado, à erotização precoce e a
uma agenda mais cheia que a de muitos adultos não permite que a criança viva sua infância como deve. São miniadultos
preocupados com a beleza, estética, namoros, redes sociais… E deixando de brincar, aprender, estudar. As crianças estão
com autonomia para coisas que não deveriam ter, e para o que deveriam os pais as deixam à vontade para fazer o que
quiserem. O mais impressionante é que os pais não percebem e não aceitam orientações acerca do tema. Quando você
alerta sobre as possibilidades ruins de uma infância adultizada, eles vêm com “eu oriento meus filhos”, “os filhos são
meus”… Depois se perguntam onde erraram
Cada um cria o filho como achar melhor, claro. Mas será que pessoas especialistas em áreas como educação e psicologia
não podem orientar a fazer o que seria o mais adequado? Não é uma receita, uma fórmula que serve para todos. São anos
de estudo e dedicação para entender como o ser humano e seu desenvolvimento funciona. Então com certeza esse
profissional tem algo a oferecer, ouça-o. Esses profissionais sempre respeitam a dinâmica familiar que está sendo avaliada
naquele momento. Por diversas vezes a orientação não é seguida, e no final das contas quem sofre é a criança. Os
familiares parecem não enxergar (ou fingem) o que está realmente acontecendo às crianças.
Crianças que crescem sem valores e princípios fortes e bem construídos serão adultos mais frágeis, que não saberão lidar
com o fracasso. Além disso, pode parecer contraditório, mas crianças adultizadas provavelmente serão adultos imaturos e
emocionalmente fracos.

Já ouvimos falar que a adolescência está se estendendo, com adultos jovens ainda morando com os pais, sem ajudar
financeiramente e nas tarefas de casa… Pois é. Não é estranho que as crianças ajam como adultas e os adultos ajam como
adolescentes? Essa é a inversão de valores por trás das mudanças na criação dos filhos do século XXI. Vários fatores
levam a essas mudanças, mas a precocidade infantil é algo que precisa ser debatido.
Se cada fase for aproveitada em seu máximo, não teremos esse tipo de situação tão frequente.
Criança tem que ser criança!!! Adolescente tem que ser adolescente!! E adulto é adulto!!
Cada fase tem suas alegrias e tristezas, fraquezas e forças, vantagens e desvantagens. E cada fase tem sua
responsabilidade! É importante cobrar isso desde criança. Dentro das possibilidades dela, mas que seja responsável por
algo e desenvolva autonomia. Isso é imprescindível para uma boa formação emocional.
.....E se tratando de precocidade intanfil temos

A). uso de eletrônicos precoce. O uso precoce e excessivo da tecnologia é um fenômeno recente no cenário da
infância, entretanto especialistas em Primeira Infância já começam a identificar  impactos e repercussões sobre a
dinâmica familiar, desenvolvimento, comportamento e aprendizado infantil. https://ciclovivo.com.br/vida-
sustentavel/equilibrio/consequencias-precoce-excessivo-tecnologia/

B). Alfabetização Precoce. USP. https://paineira.usp.br/aun/index.php/2017/09/28/alfabetizacao-precoce-na-


educacao-infantil-fere-direito-a-infancia/. A primeira infância é um período crucial para o desenvolvimento humano. É
nela que os pequenos interagem de forma lúdica com, natureza, a música e as tantas recreações que lhes agradam.

Entretanto, apesar desse entretenimento ser previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) como direito à

brincadeira, não é sempre que ele é posto em prática com qualidade e preparo pelas escolas brasileiras.

C). Puberdade Precoce. Puberdade é a fase da vida em que ocorrem modificações no corpo de uma criança fazendo com
que ela se torne um adulto. Em meninas, a puberdade ocorre entre 8-13 anos; e em meninos, entre 9-14 anos. Considera-
se como precoce a puberdade que surge antes dos 8 anos em meninas e dos 9 anos em meninos. CAUSAS. O começo da
puberdade é influenciado por fatores genéticos, psicológicos e ambientais (ex: condições socioeconômicas, estado de
saúde, nutrição). https://www.sbp.com.br SOCIEDADE Brasileira de Pediatria.

D). Erotização Precoce. Erotização precoce nada mais é do que a exposição prematura de conteúdos e estímulos a indivíduos que
ainda não têm maturidade suficiente para compreendê-los e elaborá-los. Em 2007, a Associação Norte-americana de
Psicologia (APA na sigla em inglês) publicou um documento em que denunciava a tendêncial
sexualizadora das crianças nas sociedades modernas. O documento apontava que o fenômeno abrange desde
roupa, brinquedos e videogames até séries de TV, inoculando de forma sutil o erotismo prematuro no universo das meninas.