Você está na página 1de 46

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS

UNIDADE DE PETROLINA

Unidade 4 – Análise de Resposta em Frequência

Docente: Layse Ribeiro Mascarenhas


Disciplina: Análise de Sistemas Lineares
Turno: Matutino

PETROLINA – PE
2019 1
Unidade 3 – Tópicos a serem estudados

 Resposta de frequência de circuitos simples e suas funções de


transferência.

 Os gráficos de Bode, que são comumente adotados na prática


para a representação de resposta de frequência.

 Os circuitos ressonantes em série e em paralelo e


importantes conceitos como ressonância, fator de qualidade,
frequência de corte e largura de banda.

 Os tipos de filtros e fatores de escala para circuitos.


Unidade 3 – Conceitos inicias

 Resposta de frequência de um circuito é a variação em seu


comportamento em virtude da mudança na frequência dos
sinais.

 As respostas de frequência de circuitos são de significativa


importância em diversas aplicações, especialmente em
comunicações e sistemas de controle.

 Uma aplicação específica consiste nos filtros elétricos que


bloqueiam ou eliminam sinais com as frequências indesejadas
e deixam passar sinais com as frequências desejadas.

 Os filtros são usados em sistemas de rádio, TV e telefonia


para separar uma frequência de transmissão de outra.
Unidade 3 – Função de Transferência

 Função de transferência indica como um sinal é processado à


medida que ele passa por um circuito, ou seja, descreve como a
saída se comporta em relação a uma entrada.

 A função de transferência é uma ferramenta analítica útil para


encontrar a resposta de frequência de um circuito, para determinar
a estabilidade de sistemas e para a síntese de circuitos elétricos.

 A função de transferência H(s) é a razão entre a resposta de saída


Y(s) e a excitação de entrada X(s), supondo que todas as condições
iniciais sejam zero.

SAÍDA 𝑌(𝑠) 𝑋(𝑠)


𝐻 𝑠 = =
ENTRADA 𝑋(𝑠) → 𝐻(s) 𝑌(𝑠)
ENTRADA SAÍDA
OB: Assim, conhecendo-se a entrada e a saída de um sistema, podemos
determinar a função de transferência que o representa.
Unidade 3 – Função de Transferência

 A função de transferência pode ser escrita na forma de


polinômio numerador 𝑁(𝑠) e um polinômio denominador
𝐷(𝑠):

𝑁(𝑠)
𝐻 𝑠 =
𝐷(𝑠)

onde 𝑁(𝑠) e 𝐷(𝑠) não são necessariamente as mesmas


expressões para, respectivamente, as funções de entrada e de
saída. Visto que podem existir fatores comuns entre o
numerador e denominador que foram cancelados.
Unidade 3 – Função de Transferência

 ZEROS
Os zeros de 𝐻 𝑠 são as raízes do numerador 𝑁 𝑠 , ou seja:

𝑁 𝑠 =0

0
𝐻 𝑠 = →𝐻 𝑠 =0
𝐷(𝑠)

 POLOS
Os polos de 𝐻 𝑠 são as raízes do denominador 𝐷 𝑠 , ou seja:

𝐷 𝑠 =0

𝑁 𝑠
𝐻 𝑠 = →𝐻 𝑠 =∞
0
Unidade 3 – Função de Transferência

 EXEMPLO 1: A saída de um sistema linear é 𝑦 𝑡 =


10𝑒 −𝑡 cos 4𝑡 𝑢(𝑡) quando a entrada é 𝑥 𝑡 =
𝑒 −𝑡 𝑢(𝑡). Determine a função de transferência do sistema.
−𝑡
10(𝑠 + 1)
𝑦 𝑡 = 10𝑒 cos 4𝑡 𝑢 𝑡 ↔ 𝑌 𝑠 =
𝑠 + 1 2 + 4²

1
𝑥 𝑡 = 𝑒 −𝑡 𝑢(𝑡) ↔𝑋 𝑠 =
𝑠+1
10(𝑠 + 1)
𝑌 𝑠 𝑠 + 1 2 + 4² 10(𝑠 + 1)²
𝐻 𝑠 = = =
𝑋 𝑠 1 𝑠 + 1 2 + 4²
𝑠+1

10𝑠 2 + 20𝑠 + 10
𝐻 𝑠 =
𝑠 2 + 2𝑠 + 17
Unidade 3 – Resposta a excitações de entrada

 A resposta de um circuito a uma determinada entrada 𝑋 𝑠


equivale a sua saída 𝑌 𝑠 . Ou seja:

𝑌 𝑠 = 𝐻 𝑠 𝑋(𝑠)

OB: Conhecendo-se a função de transferência de um sistema,


podemos determinar o seu comportamento (resposta ou saída)
para qualquer valor de entrada 𝑿 𝒔 .
Unidade 3 – Resposta a excitações de entrada

 EXEMPLO 2: A função de transferência de um sistema linear é

2𝑠
𝐻 𝑠 =
𝑠+6

a) Determine a saída 𝑦 𝑡 em virtude da entrada 10𝑒 −3𝑡 .


10
𝑥 𝑡 = 10𝑒 −3𝑡 𝑢 𝑡 ↔𝑋 𝑠 =
𝑠+3

2𝑠 10 20𝑠
𝑌 𝑠 =𝐻 𝑠 𝑋 𝑠 = . =
𝑠 + 6 𝑠 + 3 (𝑠 + 3)(𝑠 + 6)

𝐴 𝐵 −20 40
𝑌 𝑠 = + = +
𝑠+3 𝑠+6 𝑠+3 𝑠+6

−20 40
𝑦 𝑡 = ℒ −1 +ℒ −1 = −20𝑒 −3𝑡 + 40𝑒 −6𝑡
𝑠+3 𝑠+6
Unidade 3 – Resposta a excitações de entrada

b) Determine a resposta ao impulso 𝜹(𝒕)

𝑥 𝑡 =𝛿 𝑡 ↔𝑋 𝑠 =1

2𝑠 2𝑠 𝐴
𝑌 𝑠 =𝐻 𝑠 𝑋 𝑠 = .1 = =
𝑠+6 𝑠+6 𝑠+6

2𝑠
𝐴 = 𝑠+6 . ȁ𝑠 = −6 → 𝐴 = −12
𝑠+6

−12 −1
−12
𝑌 𝑠 = →𝑦 𝑡 =ℒ = −12𝑒 −6𝑡
𝑠+6 𝑠+6

CONCLUSÃO: A resposta de um sistema ao impulso unitário 𝜹 𝒕 é a


própria função de transferência do sistema. Assim, conhecida a
resposta ao impulso, podemos obter a resposta do sistema a
qualquer sinal de entrada, visto que saberemos quem é 𝑯 𝒔 .
Unidade 3 – Resposta a excitações de entrada

c) Determine a resposta ao degrau unitário 𝒖 𝒕

2𝑠
𝐻 𝑠 =
𝑠+6
1
𝑥 𝑡 =𝑢 𝑡 ↔𝑋 𝑠 =
𝑠

2𝑠 1 2
𝑌 𝑠 =𝐻 𝑠 𝑋 𝑠 = . =
𝑠+6 𝑠 𝑠+6

2
𝑌 𝑠 =
𝑠+6

2
𝑦 𝑡 = ℒ −1 = 2𝑒 −6𝑡
𝑠+6
Unidade 3 – Resposta a excitações de entrada

d) Determine a resposta à rampa 𝒓 𝒕 → 𝒕

2𝑠
𝐻 𝑠 =
𝑠+6
1
𝑥 𝑡 =𝑡↔𝑋 𝑠 =
𝑠²

2𝑠 1 2 𝐴 𝐵
𝑌 𝑠 =𝐻 𝑠 𝑋 𝑠 = . = = +
𝑠 + 6 𝑠² 𝑠(𝑠 + 6) 𝑠 𝑠 + 6

11 1 1
𝑌 𝑠 = −
3𝑠 3𝑠 + 6

11 1 1 1 1 −6𝑡
𝑦 𝑡 = ℒ −1 −ℒ −1
= 𝑢 𝑡 − 𝑒
3𝑠 3𝑠 + 6 3 3
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 A resposta de frequência de um sistema é definida como a


resposta do sistema a um sinal senoidal de entrada.

 Senoide é um sinal que possui a forma de um seno ou cosseno.

 Por que nos interessamos em estudar as senoides?


 A própria natureza tem característica senoidal (movimento de
um pêndulo, vibração de uma corda, ondas do oceano,
resposta natural de circuitos de 2ª ordem...)
 A forma de tensão gerada e fornecida às residências, às
fábricas... é senoidal.
 Por meio da análise de Fourier, qualquer sinal periódico prático
pode ser representado por uma soma de senoides.
 Uma senoide é fácil de ser tratada matematicamente.
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 A resposta de um sistema linear um sinal de entrada senoidal é


um sinal de saída de mesma frequência que a do sinal de
entrada, contudo a magnitude e fase diferem.
magnitude
fase
𝑣(𝑡) = 𝑉𝑚 𝑐𝑜𝑠 𝜔𝑡 + 𝛼

frequência
𝑣(𝑡) = 𝑉𝑚 𝑠𝑒𝑛(𝜔𝑡 + 𝛼)
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 Número Complexo
𝑍 = 𝑎 + 𝑗𝑏 → 𝐅𝐎𝐑𝐌𝐀 𝐑𝐄𝐓𝐀𝐍𝐆𝐔𝐋𝐀𝐑

𝑍 = 𝑍 𝑐𝑜𝑠𝜙 + 𝑗𝑠𝑒𝑛𝜙 → 𝐅𝐎𝐑𝐌𝐀 𝐓𝐑𝐈𝐆𝐎𝐍𝐎𝐌É𝐓𝐑𝐈𝐂𝐀

𝑧 𝑡 = 𝑍 𝑐𝑜𝑠 𝜔𝑡 + 𝜙 → 𝒁ሶ = 𝑍 𝑒 𝑗𝜙 → 𝐅𝐎𝑹𝑴𝑨 𝐄𝐗𝐏𝐎𝐍𝐄𝐍𝐂𝐈𝐀𝐋

 Fasor: é um número complexo que representa a amplitude e a


fase de uma senoide.
DOMÍNIO DO FORMA POLAR MÓDULO ÂNGULO
TEMPO (FASOR)
𝑍 𝑐𝑜𝑠 𝜔𝑡 + 𝜙 𝒁ሶ = 𝑍 < 𝜙
𝑍 = 𝑎2 + 𝑏² 𝜙 = 𝑡𝑔−1 𝑏
𝑍 𝑠𝑒𝑛 𝜔𝑡 + 𝜙 𝒁ሶ = 𝑍 < 𝜙 − 90° 𝑎
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 Números Complexos em Frações

𝑍1 𝑎 + 𝑗𝑏
𝑍= =
𝑍2 𝑐 + 𝑗𝑑
• Módulo
ȁ𝑁𝑈𝑀𝐸𝑅𝐴𝐷𝑂𝑅ȁ ȁ𝑎 + 𝑗𝑏ȁ 𝑎2 + 𝑏²
𝑍 = = =
ȁ𝐷𝐸𝑁𝑂𝑀𝐼𝑁𝐴𝐷𝑂𝑅ȁ ȁ𝑐 + 𝑗𝑑ȁ 𝑐 2 + 𝑑²
• Ângulo
𝜙𝑁𝑈𝑀𝐸𝑅𝐴𝐷𝑂𝑅 −1
𝑏 −1
𝑑
𝜙= = 𝜙𝑁𝑈𝑀𝐸𝑅𝐴𝐷𝑂𝑅 − 𝜙𝐷𝐸𝑁𝑂𝑀𝐼𝑁𝐴𝐷𝑂𝑅 = 𝜙 = 𝑡𝑔 − 𝑡𝑔
𝜙𝐷𝐸𝑁𝑂𝑀𝐼𝑁𝐴𝐷𝑂𝑅 𝑎 𝑐

 Se o NUMERADOR for igual a 1:


1
NUMERADOR = 1 = 12 + 0² = 1 → 𝑍 =
ȁ𝐷𝐸𝑁𝑂𝑀𝐼𝑁𝐴𝐷𝑂𝑅ȁ

−1
0
𝜙𝑁𝑈𝑀𝐸𝑅𝐴𝐷𝑂𝑅 = 𝑡𝑔 = 0° → 𝜙 = 0° − 𝜙𝐷𝐸𝑁𝑂𝑀𝐼𝑁𝐴𝐷𝑂𝑅 → 𝜙 = −𝜙𝐷𝐸𝑁𝑂𝑀𝐼𝑁𝐴𝐷𝑂𝑅
1
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 Função Tangente
𝜙 𝒕𝒈(𝝓) 𝒕𝒈−𝟏 (𝝓)
0°/180° 0 0°/180°
90°/270° ∄ →∞

90°

II I
(−) (+)
180° 0°

III IV
(+) (−)

270°
Unidade 3 – Resposta em Frequência
 EXEMPLO 3: Determine o módulo e ângulo dos números
complexos abaixo:
1 ȁ1ȁ
• 𝑧= → 𝑍 =
2+𝑗2 ȁ2+𝑗2ȁ

1 = 𝑎2 + 𝑏² = 12 + 02 = 1 = 1 1 2
ൡ→ 𝑍 = =
2 + 𝑗2 = 𝑎2 + 𝑏² = 22 + 22 = 8 = 2 2 2 2 4

−1
0 −1
2
𝜙 = 𝑡𝑔 − 𝑡𝑔 = 0° − 45° = −45°
1 2

1 ȁ1ȁ
• 𝑧= → 𝑍 =
1+𝑗2𝑅𝐶 ȁ1+𝑗2𝑅𝐶ȁ
1 = 𝑎2 + 𝑏² = 12 + 02 = 1 = 1 1
ൡ→ 𝑍 =
1 + 𝑗2𝑅𝐶 = 𝑎2 + 𝑏² = 12 + (2𝑅𝐶)2 = 1+ 4𝑅2 𝐶² 1 + 4𝑅2 𝐶²

−1
0 −1
2𝑅𝐶
𝜙 = 𝑡𝑔 − 𝑡𝑔 = −𝑡𝑔−1 (2𝑅𝐶)
1 1
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 A função de transferência 𝐻 𝑠 é uma ferramenta analítica


útil para encontrar a resposta de frequência de um circuito ou
sistema.

 𝐻(𝑠) relaciona a saída e a entrada de um sistema no domínio


da frequência complexa.

 Para que possamos estabelecer a Resposta em Frequência de


um sistema é necessário substituir a variável complexa 𝑠 por
sua parte imaginária 𝑗𝜔 em 𝐻(𝑠).

 A resposta de frequência de um sistema é o gráfico da função


de transferência do circuito 𝐻 𝑗𝜔 versus 𝜔, com 𝜔 variando
de 𝜔 = 0 a 𝜔 = ∞.
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 Assim, a função de transferência 𝐻 𝑠 pode ser escrita em termos


de 𝑗𝜔:
𝑁(𝑗𝜔)
𝐻 𝑠 = 𝐻 𝑗𝜔 =
𝐷(𝑗𝜔)

 Por ser um número complexo, 𝐻 𝑗𝜔 tem uma magnitude 𝐻 𝑗𝜔


e uma fase 𝜙. Assim, pode ser escrito na forma polar como:

𝐻 𝑗𝜔 = 𝐻 𝑗𝜔 <𝜙

 Módulo de 𝑯 𝝎 → ganho de amplitude do sistema


ȁ𝑁 𝑗𝜔 ȁ
𝐻 𝑗𝜔 =
ȁ𝐷 𝑗𝜔 ȁ

 Ângulo de fase de 𝑯 𝝎 → indica a defasagem entre os sinais de


resposta e de entrada (ângulo de defasagem)
𝜙 = 𝜙𝑁 𝑗𝜔 − 𝜙𝐷 𝑗𝜔
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 Frequência de Corte
• Frequência de corte é a frequência na qual a função de
transferência 𝐻 𝜔 cai em módulo para 70,71% de seu valor
1
máximo. Ou seja, é o valor de 𝜔 para |𝐻 𝜔 | igual a :
2
1
𝜔𝑐 → |𝐻 𝜔 |=
2
• Ela também é considerada como a frequência na qual a potência
dissipada em um circuito é metade da potência de seu valor
máximo.
• Na frequência de corte, a magnitude da Resposta em Frequência
decai 3 dB na magnitude.
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 Frequência Central
A Frequência Central 𝜔𝑜 existe em circuitos que apresentam dois
valores distintos de 𝜔𝑐 .

• Filtro Passa-Faixa → 𝜔𝑜 pode ser a frequência na qual a função


de transferência 𝐻 𝜔 tem módulo no seu valor máximo. Ou
seja, é o valor de 𝜔 para |𝐻 𝜔 | igual a 1:

𝜔𝑜 → |𝐻 𝜔 | = 1
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 Frequência Central
A Frequência Central 𝜔𝑜 existe em circuitos que apresentam dois
valores distintos de 𝜔𝑐 .

• Filtro Rejeita-Faixa → 𝜔𝑜 pode ser a frequência na qual a


função de transferência 𝐻 𝜔 tem módulo igual a 0. Ou seja,
é o valor de 𝜔 para |𝐻 𝜔 | igual a 0:

𝜔𝑜 → |𝐻 𝜔 | = 0
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 Passos para determinar a resposta de frequência


1º) Transforma o sistema para o domínio 𝑠 e encontrar 𝐻(𝑠)
2º) Substitui 𝑠 por 𝑗𝜔
3º) Fazer 𝑁(𝑗𝜔) virar 1 e aparecer 1 no 𝐷(𝑗𝜔)
4º) Encontrar o módulo de 𝐻 𝑗𝜔 → 𝐻 𝑗𝜔
5º) Encontrar o ângulo de 𝐻 𝑗𝜔 → 𝜙
6º) Determinar 𝜔𝑐 e 𝜔𝑜 (se existir)
7º) Atribuir valores para 𝜔 igual 0, ∞, 𝜔𝑐 e 𝜔𝑜 e calcular os
respectivos valores de 𝐻 𝑗𝜔 e 𝜙
8º) Traçar o gráfico 𝐻 𝑗𝜔 versus 𝜔 e 𝜙 versus 𝜔
identificando 𝜔𝑐 e 𝜔𝑜 (quando existir)
Unidade 3 – Resposta em Frequência

 EXEMPLO 4: Para o circuito RC da Figura ao lado, obtenha a


𝑉𝑜
função de transferência e sua resposta de frequência.
𝑉𝑠

 SOLUÇÃO
1º) Transforma o sistema para o domínio 𝑠
𝑣𝑠 𝑡 → 𝑉𝑠
𝑣𝑜 𝑡 → 𝑉𝑜
𝑅→𝑅
1
𝐶→
𝑠𝐶
Unidade 3 – Resposta em Frequência

Encontra 𝐻 𝑠 → Por divisor de tensão


1
𝑉𝑜 = 𝑠𝐶 𝑉𝑠
1
𝑅+
𝑠𝐶
2º) Substitui 𝑠 por 𝑗𝜔
1
𝑉𝑜 𝑗𝜔𝐶
=
𝑉𝑠 𝑅 + 1
𝑗𝜔𝐶

3º) Fazer 𝑁(𝑗𝜔) virar 1 e aparecer 1 no 𝐷(𝑗𝜔)

1
. 𝑗𝜔𝐶 1
𝑗𝜔
𝐻(𝑗𝜔) = =
1
𝑅+ . 𝑗𝜔𝐶 1 + 𝑗𝜔𝑅𝐶
𝑗𝜔𝐶
Unidade 3 – Resposta em Frequência

4º) Encontrar o módulo de 𝐻 𝑗𝜔 → 𝐻 𝑗𝜔

1
𝐻(𝑗𝜔) =
1 + 𝑗𝜔𝑅𝐶

ȁ𝑁 𝑗𝜔 ȁ ȁ1ȁ
𝐻 𝑗𝜔 = =
ȁ𝐷 𝑗𝜔 ȁ ȁ1 + 𝑗𝜔𝑅𝐶ȁ

1
𝐻 𝑗𝜔 =
1 + (𝜔𝑅𝐶)²

5º) Encontrar o ângulo de 𝐻 𝑗𝜔 → 𝜙


0 𝜔𝑅𝐶
𝜙 = 𝜙𝑁 𝑗𝜔 − 𝜙𝐷 𝑗𝜔 = 𝑡𝑔−1 − 𝑡𝑔 −1
1 1

𝜙 = −𝑡𝑔−1 𝜔𝑅𝐶
Unidade 3 – Resposta em Frequência
1
6º) Determinar 𝜔𝑐 é o valor de 𝜔 para 𝐻 𝑗𝜔 =
2
1
𝐻 𝑗𝜔 =
1 + (𝜔𝑅𝐶)²

1 1
= → 1 + ( 𝜔𝑐 𝑅𝐶)² = 2
1 + ( 𝜔𝑐 𝑅𝐶)² 2
2
2
1 + ( 𝜔𝑐 𝑅𝐶)² = 2
1 + 𝜔𝑐 𝑅𝐶 2 = 2 → 𝜔𝑐 2 𝑅 2 𝐶 2 = 1

2
1 1
𝜔𝑐 = 2 2 → 𝜔𝑐 =
𝑅 𝐶 𝑅2 𝐶 2

1
𝜔𝑐 =
𝑅𝐶
Unidade 3 – Resposta em Frequência

7º) Atribuir valores para 𝜔 igual 0, ∞, 𝜔𝑐 e 𝜔𝑜 e calcular os


respectivos valores de 𝐻 𝑗𝜔 e 𝜙

1 1
𝐻 𝑗𝜔 = = =1
• 𝜔=0→ቐ 1+(𝜔𝑅𝐶)² 1+(0.𝑅𝐶)²
𝜙 = −𝑡𝑔−1 𝜔𝑅𝐶 = −𝑡𝑔 −1
0. 𝑅𝐶 = 0°

1 1 1
𝐻 𝑗𝜔 = = = =0
• 𝜔=∞→ቐ 1+(𝜔𝑅𝐶)² 1+(∞.𝑅𝐶)² ∞
𝜙 = −𝑡𝑔−1 𝜔𝑅𝐶 = −𝑡𝑔 −1
∞. 𝑅𝐶 = −90°

1 1 1 1
𝐻 𝑗𝜔 = = = =
1+(𝜔𝑅𝐶)² 1 1+1 2
1+( .𝑅𝐶)²
• 𝜔 = 𝜔𝑐 → 𝑅𝐶
1
𝜙 = −𝑡𝑔−1 𝜔𝑅𝐶 = −𝑡𝑔−1 . 𝑅𝐶 = −𝑡𝑔−1 1 = −45°
𝑅𝐶
Unidade 3 – Representação gráfica da Resposta em Frequência

8º) Traçar o gráfico 𝐻 𝑗𝜔 versus 𝜔 e 𝜙 versus 𝜔, identificando 𝜔𝑐 e 𝜔𝑜


Tabela dos pontos dos gráficos de Resposta em Frequência
𝝎 𝑯 𝒋𝝎 𝝓
0 1 0°
𝜔𝑐 0,7071 −45°
∞ 0 −90°
Unidade 3 – Filtros

 Filtro é um circuito projetado para deixar passar sinais com


frequências desejadas e rejeitar ou atenuar outros.

 O filtro é um dispositivo seletor de frequências.

 Um filtro pode ser usado para limitar o espectro de


frequências de um sinal para alguma faixa de frequências
especificada.

 Em receptores de rádio e TV, para possibilitar que


selecionemos um sinal desejado de uma grande gama de
sinais presentes no ambiente.
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Um circuito é um filtro passivo se for formado apenas pelos


elementos passivos R, L e C.

 Elementos passivos são aqueles que interagem com a energia


de alguma maneira, dissipando-a em forma de calor
(resistores) ou armazenando-a (capacitores e indutores).

 Diz-se que um filtro é ativo se ele for formado por elementos


ativos (como transistores e amplificadores operacionais),
além dos elementos passivos R, L e C.

 Elementos ativos são aqueles que fornecem energia ao


circuito.
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro passa-baixas
 Para uma frequência abaixo da frequência de corte, o ganho é
unitário (o módulo do sinal de entrada é igual ao de saída).
Para frequências acima da frequência de corte o ganho é zero
(o módulo do sinal de saída é atenuado até zero).
 Deixa passar frequências baixas e rejeita frequências altas.
 Podem ser implementados por um circuito RC ou RL.
1
 A frequência de corte 𝜔𝑐 → ȁH 𝑗𝜔 =
2
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro passa-baixas RL

• Função de transferência
𝑅
𝐻 𝑗𝜔 =
𝑅 + 𝑗𝜔𝐿
• Amplitude
1
𝐻 𝑗𝜔 =
2
𝜔𝐿
1+
𝑅
• Fase
𝜔𝐿
𝜙= −𝑡𝑔−1
𝑅

• Frequência de corte
𝑅
𝜔𝑐 =
𝐿
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro passa-baixas RC

• Função de transferência
1
𝑗𝜔𝐶
𝐻 𝑗𝜔 =
1
𝑅+
𝑗𝜔𝐶
• Amplitude
1
𝐻 𝑗𝜔 =
1 + (𝜔𝑅𝐶)²

• Fase
𝜙 = −𝑡𝑔−1 𝜔𝑅𝐶

• Frequência de corte
1
𝜔𝑐 =
𝑅𝐶
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro passa-altas
 Para sinais de frequência acima da frequência de corte o
ganho é unitário, ou seja, o sinal de saída é igual ao sinal de
entrada, e abaixo desse valor, o ganho é zero, ou seja, o sinal
de saída é atenuado até zero.
 Deixa passar frequências altas e rejeita frequências baixas.
 Podem ser implementados por um circuito RC ou RL.
1
 A frequência de corte 𝜔𝑐 → ȁH 𝑗𝜔 ȁ =
2
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro passa-altas RL

• Função de transferência
𝑗𝜔𝐿
𝐻 𝑗𝜔 =
𝑅 + 𝑗𝜔𝐿
• Amplitude
1
𝐻 𝑗𝜔 =
2
𝑅
1+
𝜔𝐿
• Fase
𝑅
𝜙= −𝑡𝑔−1
𝜔𝐿

• Frequência de corte
𝑅
𝜔𝑐 =
𝐿
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro passa-altas RC

• Função de transferência
𝑅
𝐻 𝑗𝜔 =
1
𝑅+
𝑗𝜔𝐶
• Amplitude
1
𝐻 𝑗𝜔 =
2
1
1+
𝜔𝑅𝐶
• Fase
1
𝜙= −𝑡𝑔−1
𝜔𝑅𝐶
• Frequência de corte
1
𝜔𝑐 =
𝑅𝐶
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro passa-faixas

 Deixa passar frequências dentro de uma faixa de frequências


e bloqueia ou atenua frequências fora da faixa.
 Podem ser implementados por um circuito RLC.
1
 A frequência de corte 𝜔𝑐 → ȁH 𝑗𝜔 ȁ =
2
 A frequência de central 𝜔𝑜 → ȁH 𝑗𝜔 ȁ = 1
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro passa-faixas

• Função de transferência
𝑅
𝐻 𝑗𝜔 =
1
1 + 𝑗 𝜔𝐿 −
𝜔𝐶
• Amplitude Fase
1 −1
1
𝐻 𝑗𝜔 = 𝜙 = −𝑡𝑔
𝜔𝐿 1 2 𝜔𝑅𝐶
1+ −
𝑅 𝜔𝑅𝐶

• Frequência de corte

𝑅𝐶+ 𝑅𝐶 2 +4𝐿𝐶 𝑅𝐶− 𝑅𝐶 2 +4𝐿𝐶


𝜔𝑐1 = ; 𝜔𝑐2 =
2𝐿𝐶 2𝐿𝐶

• Frequência central
1
𝜔𝑜 =
𝐿𝐶
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro rejeita-faixas

 Deixa passar frequências fora de uma faixa de frequências e


bloqueia ou atenua frequências dentro da faixa.
 Podem ser implementados por um circuito RLC.
1
 A frequência de corte 𝜔𝑐 → ȁH 𝑗𝜔 ȁ =
2
 A frequência de rejeição 𝜔𝑜 → ȁH 𝑗𝜔 ȁ = 0
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro rejeita-faixas

• Função de transferência
1
𝑗𝜔𝐿 +
𝑗𝜔𝐶
𝐻 𝑗𝜔 =
1
𝑅 + 𝑗𝜔𝐿 +
𝑗𝜔𝐶
• Amplitude Fase
1 𝜔𝑅𝐶
𝐻 𝑗𝜔 = 𝜙 = −𝑡𝑔−1
𝜔𝑅𝐶 2 1 − 𝜔 2 𝐿𝐶
1+
1 − 𝜔 2 𝐿𝐶

• Frequência de corte

−𝑅𝐶+ (𝑅𝐶)2 +4𝐿𝐶 −𝑅𝐶− (𝑅𝐶)2 +4𝐿𝐶


𝜔𝑐1 = ; 𝜔𝑐2 =
2𝐿𝐶 2𝐿𝐶

• Frequência central
1
𝜔𝑜 =
𝐿𝐶
Unidade 3 – Filtros Passivos

 Filtro rejeita-faixas

• Amplitude Fase
1 1
𝐻 𝑗𝜔 = 𝜙= −𝑡𝑔−1
1 2 𝜔𝑅𝐶
1+
𝜔𝑅𝐶

• Frequência de corte

𝑅𝐶+ (𝑅𝐶)2 +4𝐿𝐶 𝑅𝐶− (𝑅𝐶)2 +4𝐿𝐶


𝜔𝑐1 = ; 𝜔𝑐2 =
2𝐿𝐶 2𝐿𝐶

• Frequência central
1
𝜔𝑜 =
𝐿𝐶
Unidade 3 – Ressonância

 Ressonância é uma condição em um circuito RLC no qual as


reatâncias capacitiva e indutiva são iguais em módulo:

𝑋𝐿 = 𝑋𝐶

Ou seja, a ressonância resulta quando a parte imaginária da


função de transferência é zero:

1
𝜔𝑅 =
𝐿𝐶

Em que 𝜔𝑅 é a frequência de ressonância.


Unidade 3 – Frequência de meia potência e Largura de banda

 Frequência de meia potência é a frequência em que a


potência dissipada é a metade do valor máximo.
• Circuito Série

• Circuito Paralelo

 A largura de banda é a diferença entre as duas frequências de


corte:
𝐵 = 𝜔2 − 𝜔1
Unidade 3 – Fator de qualidade
 O fator de qualidade relaciona a energia máxima armazenada e a energia
dissipada no circuito.

 O fator de qualidade de um circuito ressonante é a razão entre sua


frequência ressonante e sua largura de banda:

𝜔𝑅 𝜔𝑅 𝐿 1
𝑄= = = → circuito série
𝐵 𝑅 𝜔𝑅 𝑅𝐶

𝜔𝑅 𝑅
𝑄= = 𝜔𝑅 𝑅𝐶 = → circuito paralelo
𝐵 𝜔𝑅 𝐿

 Diz-se que um circuito é de Q elevado quando seu fator de qualidade é


igual ou superior a 10.

 Quanto maior for o valor de Q, mais seletivo é o circuito, porém menor a


largura de banda. A seletividade de um circuito RLC é a capacidade do
circuito em responder a certa frequência e separar todas as demais
frequências.

Você também pode gostar