Você está na página 1de 63

SERVIÇO DE OTORRINOLARINGOLOGIA

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE SANTA MARIA - HUSM


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA – UFSM

GUIA DO RESIDENTE
ANO II
2016
Supervisor do Programa de Residência
Médica de Otorrinolaringologia
Prof. Dr. Fabrício Scapini

Médicos Colaboradores:
Dr. Bernardo Teixeira Fusaro
Dr. Élisson Krug Oliveira
Dra. Luciana Barros Augé
Dr. Luiz Henrique Schuch
Dr. Reinaldo Fernando Cóser Neto
Dr. Rodrigo Agne Ritzel

Nome:

2
Prezados Médicos-Residentes!

É com muita satisfação que damos boas-


vindas, para que sintam todo o entusiasmo que
dedicamos a este projeto. Será um novo desafio,
tanto para vocês quanto para nós. Esperamos
poder compartilhar excelentes experiências.
Assim, colocamo-nos a disposição,
primeiramente, como colegas médicos, como
preceptores dessa fascinante especialidade e,
finalmente, como colegas otorrinolaringologistas
em um futuro próximo.
Eis aqui um breve guia para
esclarecimentos e orientações iniciais.
Sintam-se em casa e sejam bem-vindos!

3
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO ........................................................................ 5
REGIMENTO DA RESIDÊNCIA MÉDICA ................................10
CURSO ....................................................................................................... 10
DIREITOS DOS RESIDENTES ......................................................................... 11
DEVERES DO RESIDENTE ............................................................................. 15
AVALIAÇÃO DOS RESIDENTES .................................................................... 19
NORMAS DISCIPLINARES ............................................................................ 23
ATIVIDADES ......................................................................... 27
SOBREAVISO................................................................................................34
ATIVIDADES TEÓRICAS ............................................................................... 38
CONTATOS ........................................................................... 46
TELEFONES ÚTEIS................................................................ 50
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA ................................................... 53
ANOTAÇÕES ........................................................................ 54
CID 10.................................................................................... 59

4
INTRODUÇÃO

A Universidade Federal de Santa Maria


(UFSM) é uma Instituição Federal de Ensino
Superior constituída como Autarquia Especial
vinculada ao Ministério da Educação. A atual
estrutura determinada pelo Estatuto da
Universidade, aprovado pela Portaria Ministerial
n. 801, de 27 de abril de 2001, e publicado no
Diário Oficial da União em 30 de abril do mesmo
ano, estabelece a constituição de oito Unidades
Universitárias e oito Pró-Reitorias.
O Instituto Regional de
Otorrinolaringologia (IRO) de Agudo-RS
constitui-se de uma empresa privada que presta
serviços médicos em Otorrinolaringologia,
exclusivamente para o SUS, desde 2011, no
hospital filantrópico Hospital Associação Agudo,
na cidade de Agudo-RS e em algumas outras
cidades do Rio Grande do Sul.
5
A Residência Médica da UFSM é
coordenada pela Comissão de Residência
Médica – COREME, que está vinculada a uma
Unidade Universitária, o Centro de Ciências da
Saúde, e integrada a Pró-Reitoria de Pós-
Graduação e Pesquisa.
A Residência Médica (RM) tal como é
conceituada até hoje, foi implantada nos
Estados Unidos por Halsted, Osler e Kelly ao
inaugurar-se em Baltimore, em 1889, o hospital
da Universidade Johns Hopkins. No Brasil, a RM
teve início em 1945/1946, no Hospital de Clínicas
da Universidade de São Paulo e, em 1947/1948,
no Hospital dos Servidores do Estado, no Rio de
Janeiro.
Em 1964 a RM foi normatizada pela
Associação Brasileira de Educação Médica
(ABEM), definida como uma forma de ensino
pós-graduado, pela qual o médico recém-
formado, no cumprimento de um programa

6
específico deveria aperfeiçoar-se no exercício da
profissão, em serviços hospitalares,
universitários ou não, sob a orientação de
professores ou de outros médicos de
reconhecida competência, de experiência
amadurecida e de elevado conceito do ponto de
vista ético.
A Regulamentação da RM, com normas
uniformes e credenciamento para todo o
território nacional, passou a ser desenvolvida
pela Comissão Nacional de Residência Médica,
criada em 1977.
A UFSM iniciou em 1968 o seu curso de
Especialização – Residência Médica com o
Programa de Anestesiologia, cujo treinamento
teve sua prática no Hospital de Caridade Dr.
Astrogildo de Azevedo.
A fundação do Hospital Universitário de
Santa Maria (HUSM) ocorreu em 1970,
constituindo-se em centro de ensino e pesquisa

7
no âmbito das ciências da saúde. Em 1972 foram
abertos os Programas de Obstetrícia e
Ginecologia, Pediatria e Gastroenterologia,
seguidos por Psiquiatria em 1978, Radiologia em
1981 e Clínica Médica e Cirurgia Geral em 1983.
A Residência Médica do Hospital da
Universidade Federal de Santa Maria
(HUSM/UFSM), curso de pós-graduação lato
sensu, é vinculada ao Centro de Ciências da
Saúde e integrada a Pró-Reitoria de Pós-
Graduação e Pesquisa. Segue as Resoluções da
Comissão Nacional de Residência Médica, tendo
no Hospital Universitário de Santa Maria o seu
campo de treinamento.
Em 2013 foram dados os primeiros
passos no intuito da organização deste
programa de RM em Otorrinolaringologia do
HUSM/UFSM através do Prof. Dr. Fabrício
Scapini e servidores médicos do HUSM, Dr.
Élisson Krug Oliveira e Dr. Rodrigo Ritzel. Em

8
2014 com a perspectiva potencial de
modernização do Serviço de
Otorrinolaringologia e contratação de novos
servidores especialistas em
Otorrinolaringologia, assim como apoio do IRO e
seus médicos colaboradores, foi efetivada a
abertura de edital com oferecimento de 02
vagas de acesso direto para o PRM em
Otorrinolaringologia.
Comissão de Residência Médica
Universidade Federal de Santa Maria
CPD/2004
http://coral.ufsm.br/coreme/

Texto organizado pelo Dr. Élisson Krug Oliveira

9
REGIMENTO DA RESIDÊNCIA MÉDICA

Na íntegra em: http://coral.ufsm.br/coreme/


(...)

CURSO

Art. 7° Os programas de Residência Médica (PRM)


cumprirão 60 (sessenta) horas semanais de
atividades, nelas incluídas 24 (vinte e quatro) horas
de plantão, no máximo.
§ único - De acordo com as normas da UFSM,
os programas terão matrícula anual e serão
realizados dentro do período exigido pela
comissão Nacional de Residência Médica
para cada Programa.
Art. 8° Os PRM terão de 10% (dez por cento) a 20%
(vinte por cento) de sua carga horária em atividades
teóricas sob a forma de sessões de atualização,
seminários, correlação clínico- patológico ou outras
de acordo com os programas pré-estabelecidos. O
restante de carga horária, 80 a 90 % (oitenta a
10
noventa por cento) será sob a forma de treinamento
em serviço com supervisão médica qualificada.
(...)
Art. 15° Ao Médico Residente que completar os
créditos exigidos para a área em que está
matriculado e tiver entregue o Trabalho Científico,
será conferido o Título de Especialista através de um
Certificado nos moldes estabelecidos pela CNRM.
(...)

DIREITOS DOS RESIDENTES

Art. 26° Ao Médico Residente será assegurada bolsa


de estudos de acordo com a legislação pertinente.
Art. 27° O Hospital Universitário de Santa Maria
fornecerá ao Médico Residente alimentação e
alojamento, este através do Programa de Moradia
Estudantil da Pós-Graduação da Pró-Reitoria de
Assuntos Estudantis, no decorrer do período de
Residência Médica.
Art. 28° Ao Médico Residente, filiado ao sistema
previdenciário na forma do artigo 16, são

11
assegurados os direitos previstos na lei 3807, 26 de
agosto de 1960, e suas alterações posteriores, bem
como os decorrentes de acidentes de trabalho.
Art. 29° Receber o certificado de conclusão de
Residência Médica após completar todo os crédito
do programa. O Médico Residente que não
completar o Programa de Residência Médica não
receberá o certificado, podendo receber um
documento em que conste o período em que
permaneceu no Programa e os estágios realizados.
Art. 30° À Médica Residente será assegurada a
continuidade da bolsa de estudo durante o período
de 4 (quatro) meses quando gestante devendo,
porém, o período de treinamento ser prorrogado por
igual tempo, para fins de cumprimento das
exigências constantes da carga horária total do
Programa.
Art. 31° Receber treinamento em serviço, ensino e
supervisão pelos componentes do corpo docente da
Residência Médica. A Residência Médica terá uma
programação didática complementar apresentada
pela disciplina ou área didática onde se realiza a

12
Residência. Essa Programação deverá receber a à
provação prévia do Colegiado da Residência e
Comissão Estadual e Nacional da Residência Médica.
Art. 32° Os médicos residentes terão férias anuais
com duração de 30 (trinta) dias e 1 (um ) dia de folga
semanal, determinadas mediante escala, de acordo
com as necessidades do setor, pelo supervisor do
respectivo programa.
Art. 33° Receber 5 ( cinco) dias de nojo e 7 (sete) dias
de gala.
Art. 34° Participar anualmente de Congressos
médicos e de Médicos Residentes, mediante
solicitação por escrito e respeitando as necessidades
dos Programas. Esse período não será descontado
das férias. A participação em mais de 2 ( dois)
eventos anuais dependerá de autorização do
Supervisor do Programa e do Coordenador da
Residência Médica.
Art. 35° Licença paternidade de 5 (cinco) dias.
Art. 36° A interrupção do programa de Residência
Médica por parte do Médico Residente, seja qual for
a causa, justificada ou não, não o exime da obrigação

13
de, posteriormente, completar a carga horária
mínima de atividades previstas para o aprendizado
afim de obter o certificado.
§ único – Os Residentes que necessitam
recuperar interrupções não justificadas,
durante as quais continuaram recebendo o
valor da bolsa de estudos, perderão o direito
a esta no respectivo período.
Art. 37° Os Médicos Residentes participarão no
Processo de seleção dos novos residentes, através de
seus representantes na comissão de seleção.
Art. 38° Um representante dos Médicos residentes
nomeados pela COREME, ou seu coordenador
integrará comissão de alto nível, constituída pelo
coordenador ou pelo Colegiado da Residência
Médica, sempre que envolverem a apreciação de
atos que poderão implicar em penalidades aos
Residentes.
Art. 39° Os Médicos Residentes participarão com um
representante do conselho de administração do
Hospital Universitário de Santa Maria órgão
deliberativo consultivo e normativo da Instituição.

14
Art. 40° Os Médicos Residentes terão representação
na Comissão de Residência Médica, segundo
dispositivo artigo 16.

DEVERES DO RESIDENTE

Art. 41° São deveres dos Médicos Residentes:


I – Conhecer e cumprir o regulamento da
Residência Médica, O regimento interno do
HUSM e o regimento do corpo Clínico do
HUSM;
II – Escolher seus representantes junto a
COREME. O processo eleitoral é de
atribuição exclusiva dos Residentes;
III- Cumprir a programação das disciplinas ou
serviços;
IV- Ser assíduo e pontual, executando com
dedicação as atividades que lhe forem
atribuídas, sendo co-responsável pelos
pacientes que lhe forem atribuídos;

15
V – Submeter-se a jornada de atividades
estabelecidas pelo programa da Residência e
pela lei 6932 de 7 de julho de 1981 ( DOU
09/07/81);
VI – Sujeitar-se aos horários que lhe forem
atribuídos, permanecendo em suas
atividades salvo quando devidamente
autorizado pelo supervisor do programa;
VII – Cumprir as escalas de plantões;
VIII- Quando se fizer necessário, atender
pessoalmente os chamados emergenciais
ocorridos fora de seu plantão, dentro do
horário de suas atividades no hospital;
IX – Preencher corretamente os prontuários
médicos e demais documentos hospitalares
agilizando sua tramitação dentro dos prazos
determinados;
X – Apresentar-se devidamente uniformizado
conforme normas estabelecidas pela direção
Clínica do Hospital Universitário de Santa
Maria e do serviço onde estiver
desempenhando suas funções;

16
XI – Zelar pela aparelhagem médica e
material que utilizar;
XII – Submeter-se as avaliações permanentes
do Programa;
XIII – Participar de comissões ou reuniões
sempre que for solicitados;
XIV – Obedecer as normas de segurança
estabelecidas pelo HUSM;
XV – Implementar as rotinas nos pacientes
internados, tomando imediatamente as
primeiras medidas terapêuticas sob a
orientação do Residente mais antigo ou do
preceptor executando os métodos
complementares de diagnóstico de acordo
com as normas estabelecidas pelas
disciplinas ou serviços;
XVI – Apresentar os prontuário dos pacientes
internados sob seu encargo durante as
visitas médicas dos serviços, discutindo as
condutas assumidas;

17
XVII – Selecionar e preparar os casos e
assuntos para reuniões clínicas e para
revisões bibliográficas;
XVIII – Verificar os óbitos ocorridos durante
seu plantão e assinar as declarações de óbito
quando necessário;
XIX – Participar das reuniões científicas do
HUSM, das reuniões específicas e atividades
didáticas do serviços;
XX – Assistir as necrópsias realizadas nos
óbitos ocorridos no hospital, especialmente
nos casos da clínica em que estiver fazendo
residência;
XI – Orientar os estagiários dos serviços,
participando do processo ensino-
aprendizagem, sob orientação permanente
do preceptor;
XII – Manter o respeito pela dignidade dos
pacientes, familiares e funcionário do HUSM;
XIII – Manter a conduta pessoal e
profissional, zelando pela dignidade da

18
profissão médica respeitando o Código de
Ética Médica

AVALIAÇÃO DOS RESIDENTES

Art. 42° A promoção dos Residentes está


condicionado ao aproveitamento obtido no âmbito
do Programa ou área didática, de acordo com os
seguintes critérios:
A) Avaliação periódica com frequência
mínima trimestral;
B) Desenvolvimento de projeto científico
com elaboração de artigo publicável
segundo normas definidas pela COREME e
homologadas pela Pró-Reitoria de
Graduação e Pesquisa, diferentes das
normas dos cursos de Pós-Graduação da
UFSM devido a características próprias da
Residência Médica.

19
§ 1° Nas avaliações periódicas,
podem ser utilizados instrumentos
como prova escrita, oral, prática ou
ainda de desempenho por escala de
atitudes em função do conteúdo e
das atividades peculiares à cada
Programa.

- A avaliação do
desempenho por escala de
atitudes deve considerar os
seguintes atributos:
a)RESPONSABILI-
DADE: incluindo
assiduidade e
pontualidade;
b) COMPETÊNCIA
TÉCNICA: incluindo
conhecimento e
qualidade das
funções e

20
atividades que
executa;
c)INVESTIMENTO
PESSOAL: incluindo
participação,
motivação, vontade
de fazer acontecer,
iniciativa,
envolvimento
pessoal,
d)ATITUDE MORAL
E ÉTICA: respeito e
adequação no trato
com colegas,
equipe de trabalho
e pacientes.

§ 2° Os graus atribuídos ao item A do


presente artigo serão aqueles
determinados pelo Regimento Geral
dos Programas/Cursos de Pós
Graduação, vigentes na UFSM.

21
§ 3° O conceito final do ano letivo
será obtido através da média
aritmética de todas as avaliações do
período.

§ 4° O Residente que obtiver grau


insuficiente no conceito final do ano,
poderá ter sua avaliação revisada
por uma comissão nomeada pela
COREME. A manutenção desse
conceito implicará na reprovação do
Residente.

§ 5° O Residente reprovado para não


ser excluído da Residência deverá
repetir o ano no qual foi reprovado.
Para completar os créditos e fazer
jus ao Certificado, o Residente
prolongará seu tempo de residência
pelo mesmo período. O Residente
perderá o direito a bolsa no ano que

22
exceder o Programa normal para o
qual inicialmente se matriculou na
Residência Médica.

§ 6° Uma segunda reprovação


implicará exclusão da Residência.

§ 7º A obtenção do Certificado de
Conclusão do PRM, fica
condicionada:
a)ao cumprimento integral
da carga horária do
Programa.
b)a aprovação nos
conceitos finais anuais.
c)a apresentação do
trabalho científico de que
trata o item B do presente
artigo.

NORMAS DISCIPLINARES

23
Art. 43° O Médico Residente que não cumprir as
normas e regulamento da Residência Médica, que
não apresentar desempenho satisfatório, que
infringir o Código do Ética Médica e o Regulamento
Interno do HUSM sofrerá as seguintes penalidades,
não necessariamente nesta ordem:
1 – Advertência verbal;
2 – Advertência escrita;
3 – Suspensão de atividades;
4 – Exclusão.
§ 1° A advertência verbal é da
atribuição do supervisor do
Programa e/ou do Diretor Clínico do
HUSM.
§ 2° - A advertência escrita é da
atribuição do Supervisor do
Programa e/ou do Diretor Clínico do
HUSM. Esta advertência deverá ser
informada a COREME para ser
anotada na ficha do Médico
Residente.

24
§ 3° - A pena de suspensão de
atividades será aplicada em caso de
falta grave ou reincidência e é da
competência conjunta do supervisor
do programa, do Coordenador da
COREME e do Diretor Clínico do
HUSM. Será anotada na ficha do
Médico Residente. Durante a
suspensão o Médico Residente
cumprirá atividades a critério do
Supervisor do Programa, durante
um período determinado por este.
§ 4° - A pena de exclusão será
aplicada por infração grave e é da
competência exclusiva da COREME.
Será exarada após criteriosa análise
e julgamento por Comissão
nomeada pela COREME.
§ 5° - Fica assegurado ao infrator,
punido por qualquer tipo de sanção,
amplo direito de defesa e
apresentação de recurso à COREME.

25
(...)

26
ATIVIDADES

As atividades da Residência Médica serão


realizadas oficialmente em três instituições conforme
convênio pré-estabelecido: Hospital Universitário de
Santa Maria na cidade de Santa Maria-RS, Hospital
Casa de Saúde em Santa Maria-RS e Associação
Hospital Agudo na cidade de Agudo-RS, exceto por
aulas teóricas eventualmente realizadas em outras
dependências da Universidade Federal de Santa
Maria conforme disponibilidade.

Os residentes serão divididos em rodízios:


R1 – Rodízio semanal*
R2 – Rodízio quinzenal*

*Não serão permitidas trocas entre os residentes,


independentemente de férias, congressos,
quantitativos cirúrgicos ou outros, exceto por
determinação do supervisor.

27
Programação em Março de 2016

SEGUNDA-FEIRA
07:00-12:00
IRO AGUDO – AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ OTOLOGIA – R1.2+R2.2 (DR. LUIZ
HENRIQUE SCHUCH)

13:00 -19:00
IRO AGUDO – BLOCO CIRÚRGICO – R1.1+R2.1 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)
IRO SANTA MARIA – AMBULATÓRIO GERAL – R2.2 (DR. REINALDO CÓSER)
HUSM – AMBULATÓRIO DE CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO – R1.2 (DR.
MARIA DA GRAÇA VIDAL)

TERÇA-FEIRA
07:00-12:00
IRO AGUDO - AMBULATÓRIO GERAL – R1.1 (DR. BERNARDO FUSARO)
IRO SANTA MARIA – AMBULATÓRIO GERAL – R1.2 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)
HUSM – BLOCO CIRÚRGICO 15/15 DIAS – R2.1 (DRA. LUCIANA BARROS) –
R2.1 IRO SM (FABRÍCIO) DE 15/15 DIAS
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ ORL PEDIATRIA – R2.2 (DR. RODRIGO
RITZEL)

13:00-19:00
IRO AGUDO – BLOCO CIRÚRGICO – R1.1 (DR. BERNARDO)
IRO SANTA MARIA – AMBULATÓRIO GERAL – R2.2 (DR. ELISSON)
SAF SANTA MARIA – R1.2 (FONOAUDIOLOGIA)
R2.1– LIVRE PARA PREPARAR REUNIÃO/ ESTUDOS

28
QUARTA-FEIRA
07:00-09:00
HUSM - REUNIÃO GERAL
R1 – AULA PREPARATÓRIA – 30 MINUTOS
PRECEPTOR/ CONVIDADO/ R1 ou 2 - AULA PRINCIPAL – 50
MINUTOS
R2 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO – 15 MINUTOS
DISCUSSÃO – 10 MINUTOS

09:00-13:00
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ ZUMBIDO E ELETROFISIOLOGIA – R1.1+R1.2
(DR. ELISSON KRUG)
HUSM – EXAMES DE PEATE – R2.1 (FONOAUDIOLOGIA)
HUSM – EXAMES DE VIDEOLOARINGOSCOPIA – R2.2 (DR. REINALDO
CÓSER)

14:00-19:00
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ MEDICINA DO SONO – R2.2 (DR. REINALDO
CÓSER)
IRO AGUDO – BLOCO CIRÚRGICO/AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR.
ELISSON KRUG)
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ ESTETICA DE FACIAL – R1.2 (DRA. LUCIANA)

QUINTA-FEIRA
07:00-12:00
HUSM – BLOCO CIRÚRGICO – R2.2 (DR. FABRÍCIO SCAPINI/ DR. RODRIGO
RITZEL)
IRO AGUDO – AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR ELISSON KRUG)
IRO SM – BLOCO CIRÚRGICO – R1.2 (DR. REINALDO CÓSER)

13:00-19:00

29
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ BASE CRANIO, RINOLOGIA E LARINGE –
R1.2+R2.2 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)
IRO AGUDO – BLOCO CIRÚRGICO/AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR.
ÉLISSON KRUG)

SEXTA-FEIRA
07:00-12:00
HUSM – BLOCO CIRÚRGICO – R1.2+R2.2 (DR. ELISSON KRUG/ DR. LUIZ
HENRIQUE SCHUCH)
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)

13:00-13:30
HUSM – SALA DE REUNIÕES – ESTUDOS PROVA DE TÍTULO/ MINI-AULAS –
R1+R1+R2+R2 (DR. ELISSON KRUG)

13:00-19:00
HUSM – BLOCO CIRÚRGICO – R1.2 (DR. CLAUDIO SILVEIRA)
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL – R2.2 (DR. REINALDO CÓSER)
IRO SM – BLOCO CIRÚRGICO – R1.1 + R2.1 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)

30
Programação a partir de Abril de 2016
SEGUNDA-FEIRA
07:00-12:00
IRO AGUDO – AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)
IRO SANTA MARIA – AMBULATÓRIO GERAL – R1.2 (DR. ÉLISSON KRUG)
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ OTOLOGIA – R2.2 (DR. LUIZ HENRIQUE
SCHUCH)

13:00 -19:00
IRO AGUDO – BLOCO CIRÚRGICO – R1.1+R2.2 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)
IRO SANTA MARIA – AMBULATÓRIO GERAL – R2.2 (DR. REINALDO CÓSER)
HUSM – AMBULATÓRIO DE CIR. DE CABEÇA E PESCOÇO – R1.2 (DR. MARIA
DA GRAÇA VIDAL)

TERÇA-FEIRA
07:00-12:00
IRO AGUDO - AMBULATÓRIO GERAL – R1.1 (DR. BERNARDO FUSARO)
IRO SANTA MARIA – AMBULATÓRIO GERAL – R1.2 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)
IRO SANTA MARIA – BLOCO CIRÚRGICO 15/15 DIAS– R2.1 (DR. ELISSON
KRUG)
HUSM – BLOCO CIRÚRGICO 15/15 DIAS – R2.1 (DRA. LUCIANA BARROS) – R2
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ ORL PEDIATRIA – R2.2 (DR. RODRIGO
RITZEL)

13:00-19:00
IRO AGUDO – BLOCO CIRÚRGICO – R1.1 (DR. BERNARDO)
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ ESTETICA DE FACIAL – R1.2+R2.2 (DRA.
LUCIANA)
R2.1 - LIVRE PARA PREPARAR REUNIÃO/ ESTUDOS

31
QUARTA-FEIRA
07:00-09:00
HUSM - REUNIÃO GERAL
R1 – AULA PREPARATÓRIA – 30 MINUTOS
PRECEPTOR/ CONVIDADO/ R1 ou 2 - AULA PRINCIPAL – 50
MINUTOS
R2 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO – 15 MINUTOS
DISCUSSÃO – 10 MINUTOS

09:00-13:00
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ ZUMBIDO E ELETROFISIOLOGIA – R1.1+R1.2
(DR. ELISSON KRUG)
HUSM – EXAMES DE PEATE – R2.1 (FONOAUDIOLOGIA)
HUSM – EXAMES DE VIDELOARINGOSCOPIA – R2.2 (DR. REINALDO CÓSER)

14:00-19:00
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ MEDICINA DO SONO – R1.2+R2.2 (DR.
REINALDO CÓSER)
IRO AGUDO – BLOCO CIRÚRGICO/ AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR.
ELISSON KRUG)

QUINTA-FEIRA
07:00-12:00
HUSM – BLOCO CIRÚRGICO – R2.2 (DR. FABRÍCIO SCAPINI/ DR. RODRIGO
RITZEL)
IRO AGUDO – AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR ELISSON KRUG)
IRO SM – BLOCO CIRÚRGICO – R1.2 (DR. REINALDO CÓSER)

13:00-19:00
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL/ BASE CRANIO, RINOLOGIA E LARINGE –
R1.2+R2.2 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)

32
IRO AGUDO – BLOCO CIRÚRGICO/ AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR.
ÉLISSON KRUG)

SEXTA-FEIRA
07:00-12:00
HUSM – BLOCO CIRÚRGICO – R1.2+R2.2 (DR. ELISSON KRUG/ DR. LUIZ
HENRIQUE SCHUCH)
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL – R1.1+R2.1 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)

12:30-13:30
HUSM – SALA DE REUNIÕES – ESTUDOS PROVA DE TÍTULO/ MINI-AULAS –
R1+R1+R2+R2 (DR. ELISSON KRUG)

13:00-19:00
HUSM – BLOCO CIRÚRGICO – R1.2 (DR. CLAUDIO SILVEIRA)
HUSM – AMBULATÓRIO GERAL – R2.2 (DR. REINALDO CÓSER)
IRO SM – BLOCO CIRÚRGICO – R1.1+R2.1 (DR. FABRÍCIO SCAPINI)

33
Sobreaviso Cirúrgico

O sobreaviso cirúrgico inclui:

- Intercorrências cirúrgicas de todas as


cirurgias realizadas no serviço;
- Internações nas quais o Serviço de
Otorrinolaringologia esteja realizando co-
manejo clínico ou cirúrgico, mesmo que não
internados para o serviço;
- Retaguarda do Pronto Atendimento dos
preceptores Dr. Élisson Krug Oliveira e Dr.
Rodrigo Ritzel (até segunda ordem), em
escala a ser entregue no mês anterior.

Nota 1: a retaguarda geralmente não inclui o sábados,


domingos e feriados. Dessa maneira, nos dias sem
cobertura, os residentes não deverão prestar
atendimentos sem autorização (deverão orientar o

34
solicitante a contatar a administração do hospital pela
falta de retaguarda em otorrinolaringologia no dia
solicitado, até segunda ordem)

Nota 2: as urgências consideradas para esse fim serão:


sangramentos nasais com tamponamento sem sucesso
pelo médico plantonista e corpos estranhos com risco
de aspiração pulmonar. Demais deverão ser manejados
pela emergência e, se necessário, programado retorno
ao ambulatório de otorrinolaringologia no dia
seguinte, sob consentimento do Serviço.

Regras:
- Os residentes do primeiro ano farão rodízio
semanal e serão os primeiros a serem
contatados através do celular do serviço (055
9902 4655);
- Os residentes do segundo ano farão rodízio
quinzenal e darão suporte aos residentes do
primeiro ano;

35
- Celular do sobreaviso deverá ser entregue ao
meio dia da sexta-feira ao próximo residente
do primeiro ano que estará no HUSM a tarde;
- A escala deverá ser fixa, ou seja, não
poderão haver trocas entre os residentes até
a entrada dos próximos residentes em 2017,
exceto em situações extremas a serem
justificadas com o supervisor do Programa,
que notificará os outros preceptores do
serviço. A ordem será definida de acordo com
a programação do serviço, ou seja, segue de
sobreaviso o residente do primeiro ano que
estará no HUSM na sexta-feira a tarde.
Sugerimos que os compromissos
extras, não relacionados a residência
médica, sejam organizados a partir
dessa escala, desde o início da

36
mesma, pois o contrário não
será permitido.
- Nos dias de sobreaviso o residente deverá
estar disponível exclusivamente ao serviço de
otorrinolaringologia.
- Independente da escala de sobreaviso
cirúrgico, poderão ocorrer durante o ano,
atividades nos finais de semana e feriados que
não terão relação com o sobreaviso e que
poderão necessitar da presença de todos os
residentes (exemplo: mutirões de cirurgia,
dissecções, cursos, jornadas, ambulatórios e
cirurgias eletivas, etc.)

37
ATIVIDADES TEÓRICAS
MARÇO

02/3
07:00-09:00 - APRESENTAÇÃO DOS NOVOS RESIDENTES AO SERVIÇO E
APRESENTAÇÃO DO SERVIÇO DE OTORRINOLARINGOLOGIA AOS NOVOS
RESIDENTES

09/3
07:00-07:30 - AULA R1 - ANEL DE WALDEYER - ANATOMIA E FISIOLOGIA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: TÉCNICA CIRÚRGICA EM ADENOTONSILECTOMIA
PRINCÍPIOS E INDICAÇÕES
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

16/3
07:00-07:30 – AULA R1 – ANATOMIA VASCULO-NERVOSA DO NARIZ
07:30-08:20 – SUGESTÃO: EPISTAXE- PROTOCOLO HUSM
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

23/3
07:00-07:30 – AULA R1 – ANATOMOFISIOLOGIA DA AUDIÇÃO
07:30-08:20 – SUGESTÃO : AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA BÁSICA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

30/3
07:00-07:30 – AULA R1 – ANATOMOFISIOLOGIA DOS SEIOS PARANASAIS
07:30-08:20 – SUGESTÃO: RINOSSINUSITE AGUDA - EPOS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

38
06/4
07:00-07:30 – AULA R1 – TRAQUEOSTOMIA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: EMERGÊNCIAS EM OTORRINOLARINGOLOGIA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

13/4
07:00-07:30 – AULA R1 – ANATOMIA DA ORELHA MÉDIA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: OTITE MÉDIA CRÔNICA E COMPLICAÇÕES
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

20\04
07:00-07:30 – AULA R1 - FISIOLOGIA NASAL
07:30-08:20 – RINITES
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

27/4
07:00-07:30 – AULA R1 – FISIOLOGIA DA VOZ
07:30-08:20 – SUGESTÃO: DISFONIAS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

04/5
07:00-07:30 – AULA R1 - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO LABIRINTO
POSTERIOR
07:30-08:20 – SUGESTÃO: DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL EM TONTURAS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

39
11/5
07:00-07:30 – AULA R1: MANOBRAS DE REPOSIÇÃO OTOLÍTICA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: MÉTODOS DE AVALIAÇÃO VESTIBULAR
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

18/5
07:00-07:30 – AULA R1: BIOFILMES NA RINOSSINUSITE
07:30-08:20 – SUGESTÃO: RINOSSINUSITE CRÔNICA COM E SEM POLIPOSE-
EPOS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

20-21/5
CONGRESSO GAÚCHO DE OTORRINOLARINGOLOGIA (GAUCHÃO)
Pelotas-RS

25/5
07:00-07:30 – AULA R1 - ANATOMIA E FISIOLOGIA DA DEGLUTIÇÃO
07:30-08:20 – SUGESTÃ: DISFAGIAS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

01/6
07:00-07:30 – AULA R1: ANATOMIA DA ORELHA INTERNA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: POTENCIAIS EVOCADOS AUDITIVOS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

08/6
07:00-07:30 – AULA R1: FARINGOTONSILITES
07:30-08:20 – SUGESTÃO: RESPIRAÇÃO ORAL
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

40
15/6
07:00-07:30 – AULA R1: ANATOMIA DO NERVO FACIAL
07:30-08:20 – SUGESTÃO: PARALISIA FACIAL PERIFÉRICA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

22/6
07:00-07:30 – AULA R1: ANATOMIA DA ORELHA EXTERNA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: OTITES EXTERNAS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

29\06
07:00-07:30 – AULA R1 – PRESBIACUSIA, TRAUMA ACÚSTICO E PAIR
07:30-08:20 – SUGESTÃO: SURDEZ E PRÓTESES AUDITIVAS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

06\07
07:00-07:30 – AULA R1 – SURDEZ CONGÊNITA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

13\07
07:00-07:30 – AULA R1 – ANATOMOFISIOLOGIA LARÍNGEA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: IMOBILIDADE LARÍNGEA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

20\07
07:00-07:30 – AULA R1: SURDEZ SÚBITA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: TUMORES DO ÂNGULO PONTO-CEREBELAR
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

41
27\07
07:00-07:30 – AULA R1: LEUCOPLASIA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: CÂNCER DE LARINGE
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

03\08
07:00-07:30 – AULA R1 – PAPILOMATOSE LARÍNGEA
07:30-08:20 – ESTRIDOR NA INFÂNCIA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

10\08
07:00-07:30 – AULA R1 - OTOTOXICIDADE
07:30-08:20 – SUGESTÃO: ZUMBIDO
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

17-20\08
CONGRESSO FUNDAÇÃO OTORRINOLARINGOLOGIA
São José dos Campos-SP

24\08
07:00-07:30 – AULA R1: LESÕES FONOTRAUMÁTICAS DA LARINGE
07:30-08:20 – SUGESTÃO: FONOMICROCIRURGIA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

31\08
07:00-07:30 - AULA R1: TRAUMA TEMPORAL
07:30-08:30 - ANATOMIA CIRÚRGICA E PRINCÍPIOS DA CIRURGIA DO OSSO
TEMPORAL
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

42
14\09
07:00-07:30 – AULA R1: OTOSCLEROSE
07:30-08:20 – SUGESTÃO: ANATOMIA RADIOLÓGICA DO OSSO TEMPORAL
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

21\09
07:00-07:30 – AULA R1: FISIOLOGIA DO SONO
07:30-08:20 - SUGESTÃO: RONCO E APNEIA DO SONO
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

28\09
07:00-07:30 – AULA R1: FARMACOLOGIA EM RINOLOGIA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: RINOSSINUSITE FÚNGICA E MUCOCELE
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

05\10
07:00-07:30 – AULA R1: AVALIAÇÃO OBJETIVA DA OBTRUÇÃO NASAL
07:30-08:20 –TÉCNICA CIRÚRGICA - SEPTOPLASTIA E CIRURGIA DOS
CORNETOS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

19\10
07:00-07:30 – AULA R1: OTITE MEDIA COM EFUSÃO
07:30-08:20 – SUGESTÃO: TIMPANOPLASTIA E TIMPANOMASTOIDECTOMIA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

26\10
07:00-07:30 – AULA R1: TRAUMA NASAL
07:30-08:20 – SUGESTÃO: RINOSSEPTOPLASTIA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

43
02-05/11
CONGRESSO BRASILEIRO DA ABORL
Goiânia-GO

09\11
07:00-07:00 – AULA R1: MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS NASAIS
07:30-08:20 – CIRURGIA FUNCIONAL DOS SEIOS PARANASAIS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

16\11
07:00-07:30 – AULA R1: ESPECTRO DA NEUROPATIA AUDITIVA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: IMPLANTE COCLEAR
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

23\11
07:00-07:30 – AULA R1: MALFORMAÇÕES DA ORELHA EXTERNA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: OTOPLASTIA
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

30\11
07:00-07:30 – AULA R1: ANATOMIA LARÍNGEA
07:30-08:20 – SUGESTÃO: TIREOPLASTIAS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

07\12
07:00—07:30 – AULA R1: ABSCESSOS CERVICAIS
07:30-08:20 – SUGESTÃO: IMAGEM DA REGIÃO CERVICAL
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

14\12

44
07:00-07:30 – AULA R1: ANATOMIA DA BASE DO CRANIO
07:30-08:20 – SUGESTÃO: TUMORES NASOSSINUSAIS
08:20-08:35 – ARTIGO OU CASO CLÍNICO
08:35-08:45 – DISCUSSÃO GERAL

45
CONTATOS
DR. BERNARDO FUSARO Médico Especialista em
Otorrinolaringologia (CEMA-SP)
Colaborador IRO
(55) 96124227
bernardofusaro@hotmail.com

DR. CLÁUDIO D. SILVEIRA Médico Especialista em Cirurgia de


Cabeça e Pescoço
Colaborador HUSM
(55) 99890250

DR. EDILSON L. M. MARTINS Cirurgião Dentista Especialista em


Cirurgia Bucomaxilofacial
Colaborador HUSM
(55)84276062

DR. ÉLISSON KRUG OLIVEIRA Médio Especialista em


Otorrinolaringologia (GHC-RS)
Preceptor IRO/HUSM
(55) 96400458
ekrug.orl@gmail.com

46
DR. FABRÍCIO SCAPINI Médico Especialista em
Otorrinolaringologia (Instituto
Felippu-SP)
Doutor em Ciências pela Faculdade
de Medicina da USP
Supervisor IRO/HUSM
(55) 81436600
fabricio@drfabricio.com

DR. JONAS BARATTO Médico Anestesiologista (HUSM)


Colaborador HUSM/IRO
(55) 99938142

DRA. LUCIANA BARROS AUGE Médica Especialista Em


Otorrinolaringologia (UERJ-RJ)
Preceptora HUSM
(55) 99814508
lubauge@hotmail.com

DR. LUIZ HENRIQUE SCHUCH Médico Especialista em


Otorrinolaringologia (UFP-PR)
Residência Médica R4 em Implante
Coclear pela Unicamp-SP
Preceptor HUSM
(55) 99608810
luizhschuch@gmail.com

47
DRA. MARIA DA GRAÇA VIDAL Médica Especialista em Cirurgia de
Cabeça e Pescoço
Mestre em Cirurgia de Cabeça e
Pescoço pela Escola Paulista de
Medicina – UNIFESP
Colaboradora HUSM
(55) 99728516
consultoriomg@terra.com.br

DR. REINALDO CÓSER NETO Médico Especialista em


Otorrinolaringologia (Instituto
Felippu-SP)
Preceptor IRO/ HUSM
(55) 81309612
reinaldocoser@clinicacoser.com

DR. RODRIGO AGNE RITZEL Médico Especialista em


Otorrinolaringologia (HCPA-RS)
Mestre Em Distúrbios Da
Comunicação Humana Pela UFSM
Preceptor HUSM
(55) 99646014
rodrigoritzel@ymail.com

DR. JADER F. C. OLIVEIRA Médico Residente em


Otorrinolaringologia HUSM – R2
(55) 8425 1809

48
jaderfcoliveira@hotmail.com

DRA. MARIANA Z. DE MORAES Médica Residente em


Otorrinolaringologia HUSM – R2
(55) 9729 7575
marianazagodemoraes@gmail.co
m

SOBREAVISO: (55) 9902 4655

49
TELEFONES ÚTEIS

HUSM (55) 3213 + ramais

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA (GEP) 1480


RECEPÇAO DO PRONTO SOCORRO 1840/1841
PA CIRÚRGICO 1858
PA CLÍNICO 1857
AMBULATÓRIO DE OTORRINOLARINGOLOGIA 1784/1786
SECRETARIA DO SERVIÇO DE PATOLOGIA 1582
TOMOGRAFIA 1509
SECRETARIA DO BLOCO CIRÚRGICO 1730/1740
CHEFIA DA ENFERMAGEM 1732
SALA DE RECUPERAÇÃO ANESTÉSICA 1737
SALA DE RECUPERAÇÃO INTERMEDIÁRIA 1738
ANESTESISTAS 1739
RESIDENTES DA CIRURGIA 8597
RESIDENTES DA CLÍNICA MÉDICA 8559
UTI ADULTO 1570/1571
UTI PEDIÁTRICA 1590
UTI NEONATAL 1580
PNEUMOLOGIA 1585
ESTAR MÉDICO – PS ADULTO 1849
ESTAR MÉDICO – PS PEDIÁTRICO 1848
TRAUMATOLOGIA OS 1846
INFORMÁTICA 1444

50
ASSOCIAÇÃO HOSPITAL AGUDO 55 9922 8173
55 3265 1798

IRO – Agudo 55 3265 1800

HOSPITAL DE CARIDADE AA. 55 3220 4444

HOSPITAL CASA DE SAÚDE 55 3028 9401

51
OUTROS TELEFONES

52
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Tratado de Otorrinolaringologia. Silvia Caldas


Neto, João Ferreira Mello Jr., Regina Helena
Garcia Martins, Sady Selaimen da Costa. São
Paulo - Roca, 2012

Otorrinolaringologia: princípios e práticas. Costa


SS, et al. 2ª ed. Porto Alegre - Artmed, 2006

Cummings Otolaryngology Head and Neck


Surgery. Flint PW, et al. Elsevier, 5ª Ed.

Otorrinolaringologia – Cirurgia de Cabeça e


Pescoço. Jonas T. Johnson, Byron J. Bailey. 4 ed.
Revinter – 2009.

53
ANOTAÇÕES

54
55
56
57
58
CID 10
Abscesso de ouvido................................................H60.0
Abscesso nasal.........................................................J34.0
Abscesso periamigdaliano..........................................J36
Adenoamigdalite.....................................................J35.0
Adenopatia..............................................................R59.9
Aftas bucais..............................................................K12.0
Alergia......................................................................T78.4
Amigdalite aguda.....................................................J03.9
Amigdalite crônica...................................................J35.0
Anemia....................................................................D64.9
Agenesia/atresia/estreitamento de CAE................Q16.1
Apnéia do sono (SAOS)...........................................G47.3
BCP..........................................................................J18.0
Bronquite.................................................................J20.9
Caxumba..................................................................K11.2
Cefaléia………...........................................................R51
Cerumen.................................................................H61.2
Cervicalgia.............................................................M54.2
Cisto de boca..........................................................K09.8
Coloboma de ouvido..............................................Q18.1
Corpo estranho de faringe......................................T17.2
Corpo estranho de laringe......................................T17.3
Corpo estranho de nariz.........................................T17.0
Corpo estranho de ouvido.........................................T16
Desvio de septo.......................................................J34.2

59
Diabetes..................................................................E14.0
Disacusia................................................................H93.2
Disfagia......................................................................R13
Disfonia...................................................................R49.0
Disfunção de ATM..................................................K07.6
Disfunção tubárea..................................................H83.2
Dislalia.....................................................................F80.0
DNV.........................................................................K07.5
Dor na garganta......................................................K07.0
Eczema....................................................................B00.0
Enxaqueca..............................................................G43.9
Epistaxe..................................................................R04.0
Estomatite..............................................................K12.1
Eutrofia...................................................................Z00.0
Faringite..................................................................J02.0
Faringite aguda........................................................J02.8
Faringite crônica......................................................J31.2
Febre......................................................................R50.9
Febre reumática.........................................................I00
Ferimento lingual................................................... S01.5
Fibromialgia.......................................................... M79.0
Fratura nasal.......................................................... S02.2
Freio de língua (anquiloglossia)............................ Q38.1
Gastrite..................................................................... K29
GECA………………………………...................… A04.9
Gengivite……………………………………….... K05.1
Glossite…………………………………………… K14.0
Gripe………………………………….……..……. J10.0

60
HAS…................................................................ I10
Halitose….......................................................... R19.6
Herpangina….................................................... B05.5
Hipertrofia adenoamigdaliana.......................... J35.3
Hipertrofia de amígdalas.................................. J35.1
Hipertrofia de adenoide.................................... J35.2
Hipertrofia de cornetos..................................... J34.4
IVAS................................................................. J11.1
Labirintite/labirintopatia................................... H83.0
Laringite aguda................................................ J04.0
Laringite crônica............................................... J37.0
Laringotraqueíte............................................... J04.2
Lesão de mucosa oral....................................... K13.7
Linfadenopatia................................................. R59.1
Lingua geográfica ............................................ K14.1
Mastoidite aguda ............................................ H70.0
Mastoidite crônica .......................................... H70.1
Nasofaringite .................................................... J31.1
Obstrução nasal ................................................ J34.8
Otalgia ............................................................. H92.0
Otite externa aguda (OEA) ........................... H60.5
Otite externa eczematosa ............................ H60.0
Otite média aguda ........................................ H65.0
Otite média crônica....................................... H65.3
Otite média serosa....................................... H65.0
Otomicose..................................................... H62.2
Otorréia......................................................... H92.1
Otosclerose..................................................... .H80.9

61
Outros transtornos da voz............................. .J38.3
Outros transtornos do ouvido........................ H61.8
Pan sinusite aguda........................................ J01.4
Pan sinusite crônica....................................... J32.4
Papilomatose..................................................B97.7
Paracoccidioidomicose..................................B41
Paralisia facial (Bell)....................................... G51.0
Parotidite (caxumba)..................................... K11.2
Perda do olfato............................................. R43.1
Perfuração de MT......................................... H72.1
Pericondrite................................................... H61.0
Pneumonia..................................................... J18.9
Pólipo das pragas vocais................................. J38.1
Pólipo nasal................................................... J33.0
Pólipo no ouvido........................................... H74.4
Pós-operatório............................................... Z54.0
Presbiacusia.................................................. H91.1
Prurido........................................................... L29.9
Rânula (mucocele).......................................... K11.6
Refluxo gástrico (RLF)...................................... K21.9
Resfriado......................................................... J00
Rinite alérgica................................................ J30.1
Rinite crônica................................................. J31.0
Rinofaringite................................................... J31.1
Roncos........................................................... R06.5
Sialoadenite................................................... D11.7
Sinusite aguda............................................... J01.9
Sinusite crônica.............................................. J31.0

62
Sinusite maxilar.............................................. J32.0
Submandibulite.............................................. K07.6
Surdez neurosenssorial................................... H90
Surdez não especificada.................................. H91.2
Tabagismo..................................................... T65.8
Timpanosclerose........................................... H74.0
Tinnitus.......................................................... H93.1
Tonturas........................................................... R42
Tosse................................................................ R05
Trauma de face............................................. S09.9
Trauma de palato.......................................... S36.2
Trauma de MT............................................... T06.3
Trauma nasal................................................ S00.3
Trauma de ouvido......................................... S09.9
Tumor da face............................................... D22.2
Tumor de laringe........................................... C32.9
Tumor de língua............................................ D10.1
Neurinoma..................................................... D33.3
Uvulite........................................................... K12.2
Verruga............................................................. B07
Vertigens....................................................... H81.3
Vestibulite ou S. vestibular............................ H83.0
Virose............................................................ B34.9
Vômitos............................................................ R11
Zumbido........................................................ H93.2
Doença de Ménière....................................... H81.0

63