Você está na página 1de 6

A Historiografia e a questão açucareira na Madeira

ORGANIZAÇÃO de Alberto Vieira


avieira@avieira.net

1. Fase séculos XV a XVIII

As grandes questões deste período prendem-se com a importância da Madeira com a


expansão dos canaviais no espaço atlântico e da afirmação do açúcar no mercado
europeu.

Durante muito tempo o estudo que teve maior visibilidade internacional foi o de
Virgínia Rau e Borges Macedo sobre o livro dos estimos de 1494, em que a abordagem
fundamental é sobre a questão da propriedade. A este podemos juntar os textos de
Fernando Jasmins Pereira, que como Carlos Montenegro Miguel, Joel Serrão, Ernesto
Gonçalves, não tiveram muito divulgação.

A incidência temática foi quase só nos aspectos relacionados com o sistema de


propriedade e o comércio do açúcar no mercado europeu, ficando esquecidos aspectos
fundamentais como a tecnologia dos engenhos e fabrico do açúcar.

Nos últimos decénios do século XX, por força da realização de colóquios e da


existência de revistas, a temática açucareira voltou a motivar de novo o interesse dos
estudiosos. Aqui é de assinalar os estudos de David Ferreira Gouveia, que equaciona
alguma problemática de forma inovadora.

1. BRAGA, Paulo Drumond, "O açúcar da ilha da Madeira e o mosteiro de Guadalupe", in Islenha, 9,
1991, 43-49

2. EVERAERT, John G., "Marchands flamandes a Lisbonne et exportation du sucre de Madere (1480-
1530) ", in Actas do I Colóquio Internacional de História da Madeira, 1986, Funchal, 1989, pp.
442-480.

3. GODINHO, Vitorino Magalhães, "O açúcar dos arquipélagos atlânticos", in Os descobrimentos e a


economia mundial, vol. IV, Lisboa, pp. 69-93.

4. GONÇALVES, Ernesto. Dom Manuel 1 e a Madeira. Pelo Dr. Ernesto Gonçalves. In Das Artes
e da História da Madeira. Funchal, 1948-1949, p.185
5. - Funchal, 1470. Pelo Dr. Ernesto Gonçalves. In Das Artes e da História da Madeira. Funchal,
1948-1949, p. 9.
6. - João Gomes da Ilha e Duarte de Brito. Pelo Dr. -Ernesto Gonçalves. In Das Artes e da História
da Madeira. Funchal, 1948-1949, p, 105.
7. - João Afonso do Estreito Pelo Dr. -Ernesto Gonçalves. In Das Artes e da História da Madeira.
Funchal, Vol. III, N.° 17 e 18, 1954, pgs. 4 e 44.
8. - O Duque D. João, Terceiro Senhor da Madeira. Pelo Dr. Emesto Gonçalves. In Das Artes e da
História da Madeira. Funchal, Vol. V, n° 26, 1957, p. 1.
9. - João Gomes da Ilha. In Arquivo Histórico da Madeira. Funchal, Vol. XI, 1959, p. 9.

10. GOUVEIA, David Ferreira de, “O açúcar da Madeira. A manufactura açucareira madeirense (1420-
1550) ", Atlântico, nº 4, 1985, pp. 260-272.
11. -"A manufactura açucareira madeirense (1420-1450). Influencia madeirense na expansão e
transmissão da tecnologia açucareira, in Atlântico, nº 10, 1987, pp. 115-131
12. -"'O açúcar e a economia madeirense (1420-1550). Produção e acumulação”, in Atlântico, n.º 16,
1988, pp.262-283.
13. -“O açúcar e a economia madeirense (1420-1550). Consumo de excedentes", Islenha, nº. 8 (199l ),
pp. 11-22.
14. -"Gente d'engenho", in Islenha, nº.13, 1993, 81-95
15. -"Açúcar confeitado na Madeira", in Islenha, nº.11, 1992, pp. 35-52

16. GREENFIELD, Sidney M.,”Madeira and the beginings of sugar cane cultivation and plantation
slavery", in Comparative Perspectives on New Worid Plantation Societies, New York Annals of the
New York Academy of Sciences, vol. 292, New York, 1977, pp. 236-252.

17. MIGUEL, Carlos Montenegro, "Os estrangeiros na Madeira e a cultura da cana sacarina, in Das
Artes e da História da Madeira, vol. IV, nº. 22 (1956);
18. -"O açúcar. Sua origem e difusão", in Arquivo Histórico da Madeira, XII, Funchal, 1960-61, pp.
55-123.
19. - Provisões do Poder Central acerca do cultivo do açúcar na Madeira. In Das Artes e da História
da Madeira. Funchal, Vol. III, N.° 16, 1953, p. 39.
20. - Contribuição para a História da Madeira. In Das Artes e da História da Madeira. Funchal, Vol.
II, N.° 8, 1951, p. 22; N.° 9, 1951, p. 16; N.° 10, 1952, p. 32.
21. - 0 Açúcar e a sua importância na Economia Insular. In Das Artes e da História da Madeira.
Funchal, Vol. III, N.° 15, 1953, p. 33.
22. - O Comércio na Ilha da -Madeira. Nas Centúrias de 500 e 600. In Das Artes e da História da
Madeira. Funchal, Vol. V, N.° 28, 1953, p. 19.
23. - Um Cicio Económico - O Açúcar. In Das Artes e da História da Madeira. Funchal, Vol. IV,
N.° 19 e 20,1955, p. 13.
24. .
25. PARREIRA, H. G. de Amorim, "Historia do açúcar em Portugal" in Anais da Junta de Investigação
do Ultramar, Vol. VI, tomo I, 1952.

26. PEREIRA, Fernando Jasmins. O açúcar Madeirense de 1500 a 1537. Produção e preços.
Lisboa: Instituto Superior de Ciências sociais e Politica Ultramarina, [1970?]. Sep. de Estudos
políticos e Sociais, Vol. VII, nº' 1, 2 e 3, 1969.
27. -Estudos Sobre História da Madeira, Funchal, CEHA, 1991

28. RAU, Virgínia e MACEDO, Jorge, O açúcar na Madeira no século XV, Funchal, 1992.
29. - "The setlement of Madeira and the sugar cane plantation", in A.A.G. Bijdragen, II, Wageningen, 1
964, 3-12.

30. RIBEIRO, Emanuel, O Doce nunca amargou... Doçaria Portuguesa. História, Decoração,
Receituário, Coimbra, 1923.

31. RIBEIRO, João Adriano, "A casquinha na rota das navegações do Atlântico norte nos séculos XVI-
XVIII", in III CIHM, Funchal, 1993, pp. 345-352

32. IDEM, A Cana-de-açúcar na Madeira. Séculos XVIII-XIX, Funchal, 1992

33. RODRIGUES, Maria do Carmo Jasmins Pereira, O Açúcar na ilha da Madeira. Século XVI, Lisboa,
1964 (Dissertação de licenciatura, policopiada).
34. SALGADO, Anastacia M. e Abílio José, O Açúcar da Madeira e algumas instituições de
assistência na Península e Norte de Africa, durante a 1ª metade do século XV, Lisboa, 1986.

35. SARMENTO, Alberto Artur, História do Açúcar na Ilha da Madeira, Funchal, 1945.

36. SERRÃO, Joel, "Nota sobre o comércio de açúcar entre Viana do Castelo e o Funchal de 1561 a
1587 e sobre a decadência do açúcar madeirense a partir de finais do século XVI", in Revista de
Economia, vol. III? Lisboa, 1950.
37. -"O Rendimento da Alfandega do arquipélago da Madeira (1581-1587) " in DAHM, nº 56, Funchal,
1951.

38. SOUSA, João José Abreu de, "No ciclo do açúcar", in Islenha, nº 5 (1989), pp. 51-59.
39. -"A indústria de conservas na Madeira. Século XV-XIX, in Diário de Noticias, Funchal, 1 de Abril
de 1984.

40. Stegagno-Picchio, Luciana, O Sacro Colégio de Alfenim, in Actas do II Colóquio Internacional de


História da Madeira, Lisboa, 1990, pp.181-190.

41. VERLINDEN, Charles, "Les débuts de la production et l' éxportation du sucre a Madere. Quel role y
jouerent les italiens,, in Studi in memoria de Luigi del Pane, Bolonha, 1982, pp. 308-310.

42. VIEIRA, Alberto, O Comércio Inter-insular nos séculos XV e XVI, Funchal, CEHA, 1987.
43. -"Consequências do povoamento e o ciclo do açúcar na Madeira nos séculos XV e XVI, ‘, in
Portugal no Mundo, vol. I, Lisboa, 1989, pp. 212-224.
44. - O Regime de Propriedade na Madeira. O Caso do Açúcar (1500-1537), in Actas do I Colóquio
Internacional de História da Madeira.1986, Funchal, DRAC, 1989, pp.539-611.
45. -"O Açúcar na Madeira: produção e comércio nos séculos XV e XVI", in II Seminário
Internacional. Produccion y comercio del azucar de caña en epoca preindustrial, Motril, 1993.
46. -"O açúcar na Madeira. Séculos XVII e XVIII", in III CIHM, Funchal, 1993, pp.324-352.
47. - Água, Trabalho e Açúcar. O Caso da Madeira nos séculos XV e XVII, in Agua, Trabalho Y
Azúcar. Actas del Sexto Seminário Internacional sobre la Caña de Azúcar, Motril, 1996.
48. -(com Francisco Clode), A Rota do Açúcar na Madeira, Funchal, ARAP, 1996
49. -Escravos com e sem Açúcar na Madeira, in Escravos com e sem Açúcar. Actas de Seminário
Internacional, Funchal, CEHA, 1996, pp.93-102.
50. - A Madeira, a Expansão e História da Tecnologia do Açúcar, in, História e Tecnologia do Açúcar,
Funchal, CEHA, 2000, pp.7-27
51. -Les Juifs, l’île de Madère et l’expansion culturale et commerciale du Sucre dans L’antlantique, in E.
Eadie, La Route Du Sucre du VIIIe au XVIIIe siècle, Sloelcher, 2000, pp.89-100
52. -A Madeira e o mercado do Açúcar. Séculos XV-XVI, in História do Açúcar. Rotas e Mercados,
Funchal, 2002, pp.55-89.

53. WITTE, Charles-Martial de, "La production du sucre a Madere au XVeme siecle d'aprés un rapport
au capitaine de l'ille au Roi Manuel Ier", in Bulletin des Études Portugaises et Bresiliennes, nº 42-
43, Lisboa, 1981-1986.

2. fase. Séculos XIX- XX

O segundo momento de retorno da cultura foi marcado pela polémica em torno da


chamada “questão Hinton”. A política de proteccionismo sacarino (1895-1914)
conduziu ao quase monopólio da indústria açucareira na fábrica do Hinton, a única que
até 1986, altura do encerramento fabricou açúcar.

1. Uma acção civil contra o Sr. W. Hinton fabricante de assucar e aguardente na cidade do
Funchal (ilha da Madeira)..., Funchal, 1884.

2. AMARAL, Júlio do (Júlio Augusto do Amaral Teixeira de Sousa Pinto). A Questão Sacarina.
1918.
3. ARAÚJO, Juvenal Henriques de. A Questão Sacarina da Madeira. Análise ao decreto n.º 15.831
de 10 de Agosto de 1928. Série de artigos publicados no «Diário da Madeira». Lisboa: Tip. José
Mello Lda., 1929.

4. BRANCO, João Soares. A Nova Questão Hinton. Artigos publicados no Jornal «O Paiz» [por]
um amigo da Madeira. Lisboa: Typ. do Annuario Comercial, 1915.

5. CALÇADA, Visconde da (Diogo de Ornellas de França Carvalhal Frazão Figueiroa).


Justificação do Visconde da Calçada á arguição que ;lhe foi feita e apreciação do processo
crime instaurado na comarca occidental do Funchal promovido por Drogo Perestrello da
Camara por um amigo do accusado. Lisboa: Typ. Universal de Thomaz Quintino Antunes,
Impressor da Casa Real, 1873.

6. CAMACHO, Manuel de Brito. A caminho de África. Lisboa, 1923.

7. CÂMARA, Benedita, A Economia da Madeira (1850-1914), Lisboa, ICS, 2002


8. -A Concentração Industrial do Sector do Açúcar Madeirense. 1900-1918, in História e
Tecnologia do Açúcar, Funchal, CEHA, 2000, pp.419-422.
9. -A Madeira e o Proteccionismo Sacarino (1895-1918), in Análise Social, vol. XXXIII (145),
1998, pp.117-143.

10. CANNAVIAL, Conde do (Dr. João da Câmara Leme Homem de Vasconcellos). A Companhia
Fabril do Assucar Madeirense. Roberto Leal e o Or. Tarquino T. da C. Lomelino. Funchal: Typ.
Popular, 1879.

11. CANNAVIAL, Conde do (Dr. João da Câmara Leme Homem de Vasconce.los). Um privilegio
Industrial. Cartas a diversos jornaes pelo Visconde do Cannavial. Funchal: Typ. Funchalense,
1883.

12. CANNAVIAL, Conde do (Dr. João da Câmara Leme Homem de Vasconcellos). Uma acção
civil contra o Sr. 11 V. Hinton, fabricante de assucar e de aguardente rha Cidade do Funchal
(Ilha da Madeira) como contrafactor de um processo industrial de que tem patente de invento
Dr. João da Camara Leme de Vasconcellos, Visconde do Cannavial. Funchal: Typ. Popular,
1884.

13. Diplomas Principaes que interessam ao Regímen Saccharino da Madeira, S.l., sd.;

14. OS DONOS das fabricas não matriculados no Sul, 1.°' outorgantes; Wm Hinton & Sons e José
Julio de Lemos, donos das fabricas matriculadas, 2.°• outorgantes; os donos das fabricas não
matriculadas do Norte, 3.°' outorgantes. Funchal: Typ. Esperança, 1908.

15. EMPRESAS Assucareiras da África Portuguêsa. A nova Questão Hinton. Resposta das
Emprezas Assucareiras da África Portuguesa ao folheto da firma W. Hinton & Sons. Lisboa:
Typ. Universal, 1915.

16. FREITAS, António Aragão de , Madeira-investigação bibliográfica, Funchal, 1984,vol. II,


pp.229-233;

17. FREITAS, Luiz Alberto de. A Lei Hornung. Em Defesa da Madeira e de Hinton. Lisboa:
Germano da Silva, 1915 [imp.].

18. INÊS, Artur. Um bôdo Indecoroso. (A burla do açúcar). Lisboa: Editorial Republica, 1933.

19. JESUS, Quirino Avelino de. A questão sacharina da Madeira. Lisboa: Lisboa: Typ.de «A
Editora», 1910.

20. JESUS, Quirino Avelino de. A Nova Questão Hinton. Lisboa: Germano da Silva, 1915 [imp.].

21. JOÃO Augusto d'Ornellas e a Nova Fabrica do Assucar. Funchal: Typ. Variedades, 1871
22. A Nova Questão Hinton. Resposta das Empresas Açucareiras da África Portugueza ao folheto
da firma W. Hinton & Sons, Lisboa, 1915.

23. NUNES, Cesário. Política Sacarina. Funchal: ed. do A., 1940. (Cadernos Madeirenses; n.º 1).

24. ORNELLAS, João Augusto d'. A Companhia Fabril de Assucar Madeirense os seus credores e o
Sr. Dr. João da Camara Leme. Funchal: Typ. do Direito, 1879.

25. PESTANA JUNIOR, Manuel Gregório. O problema sacarino da Madeira. Subsídios para o
estudo e resolução da chamada «Questão Hinton». Funchal: Tip. 'Esperança, 1918.

26. A questão sacharina da Madeira. Lisboa: Typ. de «A Editora', 1910.

27. A questão sacarina da Madeira: Analise ao Decreto n.º15831 de 10 de Agosto de 1928. Série de
Artigos Publicados no Diario da Madeira. Lisboa: José de Melo, 1929.

28. Ramos Taborda, Regime Sacarino da Madeira, Diário de Notícias, 4 de Outubro de 1962

29. Regime Sacarino da Madeira, Lisboa, 1928

30. Rocha, Francisco Canais, Perfeito de Carvalho contra o monopólio Hinton, História, nº.144,
1991, pp.49-61

31. RODRIGUES, José Agostinho. As questões vinícola e sacarina da Madeira e os decretos n.°'
13.990, 14.167 e 14.168 respectivamente de 23 de Julho e 25 de Agosto 1927. Como foram e
como devem ser resolvidas estas questões a bem dos superiores e dos legítimos interesses do
Arquipélago da Madeira por José Agostinho Rodrigues Coronel-Médico. Lisboa: Tip. Portugal,
1928.

32. SILVA, F. A., “Hinton, questão”, in Elucidario Madeirense, vol. II, pp. 117-118

33. SILVEIRA, José Marciliano da. A Companhia Fabril de Assucar Madeirense os seus credores o
•Athleta• e o Snr. Dr. João da Camara Leme. Por J. M. S.. Funchal: Typ. da Voz do Povo, 1879.

34. TRINDADE E VASCONCELLOS, Joaquim Ricardo da. Resposta aos Fundamentes do Recurso
Interposto perante o Conselho de Estado por S. Majestade a Imperatriz D. Arrelia e outros do
despacho pelo qual o governador civil concedeo licença para a fundação duma fabrica de
assucar e de distiliação d'aguardente na Cidade cio Funchal. Pelo Recorrido o Bacharel
Joaquim Ricardo de Trindade e Vasconcellos. Funchal: Imprensa da Revista Judicial, 1867.

DOCUMENTAÇÃO FUNDAMENTAL

A documentação disponível sobre a temática dos engenhos e açúcar não


corresponde à dimensão que assumiram na História do arquipélago. A
documentação empresarial parece que se perdeu. Até mesmo do engenho do
Torreão ignora-se o paradeiro do acervo documental, tão importante para a
História contemporânea da Madeira. Felizmente tivemos oportunidade de ter
acesso ao arquivo particular de João Higino Ferraz, um homem que teve uma
vida inteira dedicada à indústria e que foi o gerente técnico do engenho do
Hinton. A correspondência e cadernos de apontamentos são fundamentais para
compreender a história do engenho, como da evolução da tecnologia, através das
múltiplas experiências no campo da química e da mecânica. A sua importância
obriga-nos a pensar para breve na sua publicação.
Livro de Armazém. Conhecimentos úteis do assucar e melaço,…, 1875/-, 58 fls
Copiador de cartas,1898-1905, 200fls
Livro de notas sobre a fabricação dassucar e álcool e tabellas de cálculos de
João Higino Ferraz, 1903-1910, 207fls.
Copiador de cartas, 1905-1913, 69 fls.
Copiador de cartas,, 1917-19, 100fls
Copiador de cartas,1919-1920, 49 fls
Copiador de cartas, 1927-1929, s.n.,
Agenda Portuguesa. 1928 e 1929(notas diárias da actividade)
Copiador de cartas,1929-1930, s.n.,
Copiador de cartas , 1930-1936, sem numeração

Publicação de documentos:

Costa, José Pereira da e Fernando Jasmins Pereira, Livros de Contas da


Ilha da Madeira. 1504-1537. I- Almoxarifados e Alfândegas, Coimbra,
1985
- Livros de Contas da Ilha da Madeira. 1504-1537.II. Registo da
Produção de Açúcar, Funchal, 1989

Melo, Luís Francisco de Sousa,Tombo 1º do Registo Geral da Câmara


Municipal do Funchal. 1ª parte, in Arquivo Histórico da Madeira, vols.
XV-XVIII, Funchal, 1972-1974

IDEM, Tombo 1º do Registo Geral da Câmara Municipal do Funchal. 2ª


parte, in Arquivo Histórico da Madeira, vols. XIX, Funchal, 1990

Você também pode gostar