Você está na página 1de 56

QUÍMICA GERAL

Licenciatura em Química
Prof. Gláucio
“Água fagedênica”, “pó de Algarotti”, “sal de
Alembroth”, “vitríolo azul”, “colcotar”,
“litargírio”, “galena”, “óleo de tártaro por
desfalecimento”, “óleo de tártaro pelo sino”,
“óleo de vitríolo”, “manteiga de antimônio”,
“manteiga de arsênico” “branco de Troyes” e
“flôres de zinco”.
Ácidos e Bases
Esse era o modo como os alquimistas da Idade
Média, considerados por muitos os precursores
dos químicos, denominavam as substâncias. No
entanto, esses nomes estranhos e complicados
não nos dizem nada, não é mesmo? Eles nada
revelam sobre a classe e os componentes de
cada substância.
Ácidos e Bases

"É necessário grande hábito e muita memória


para nos lembrarmos das substâncias que os
nomes exprimem e, sobretudo para reconhecer
a que gênero de combinações pertencem".
(A.L. Lavoisier, Traité Elémentaire de Chêmie)
Por que classificar?
Basta pensar no que seria dos estudantes, dos
professores e dos cientistas sem a Tabela
Periódica, que classifica mais de 100 elementos,
levando em consideração suas propriedades
químicas e físicas. Seria como chegar a uma
biblioteca e não encontrar os livros organizados
por assunto, autor e título. Nessas condições,
achar um livro seria uma tarefa quase
impossível!
Ácidos e Bases
As substâncias pertencentes a cada um dos
grupos mostrados na Figura anterior , possuem
propriedades químicas em comum. O que
confere às propriedades as substâncias
participantes de uma mesma função é sua
capacidade de reagir.
Ácidos e Bases
Desde os tempos primordiais da química
experimental, os cientistas identificam os ácidos
e bases por suas características:
• Ácidos: têm gosto azedo e fazem com que os
corantes mudem de cor.
• Bases: têm gosto amargo e são escorregadias.
Ácidos segundo Arrhenius
• Segundo o conceito de Arrhenius, ácidos são
substâncias que, em solução aquosa,
aumentam a concentração de íons hidrogênio,
H+(aq), na água.
Ácidos segundo Arrhenius
Na molécula de HCl, os átomos de hidrogênio e
de cloro estão unidos por uma ligação covalente
(H–Cl). Em solução aquosa, a ligação covalente é
rompida, com a consequente formação de íons
H+(aq) e Cl- (aq). Esse processo é chamado de
ionização. Como a ionização do HCl leva à
formação de íons H+(aq), ele é um ácido,
segundo o conceito de Arrhenius.
Ácidos
A fórmula HCl nos diz que esse ácido é formado
por um átomo de hidrogênio e um de cloro.
Logo, não há oxigênios em sua estrutura. Por
isso, o HCl é classificado como hidrácido.
Portanto:
Hidrácido é qualquer ácido que não possui
átomos de oxigênio em sua estrutura.
O nome ácido clorídrico é a combinação da
palavra ácido, seguida do nome do elemento
(nesse caso, o cloro), mais o sufixo ídrico. Os
nomes de todos os hidrácidos são obtidos desta
mesma forma:
Bases segundo Arrhenius
• Segundo o conceito de Arrhenius, bases são
substâncias que, em solução aquosa,
aumentam a concentração de íons hidróxidos,
OH-(aq), na água.
Bases segundo Arrhenius
O hidróxido de sódio, NaOH, é um sólido iônico.
Nele, a ligação não é entre átomos, mas entre os
íons Na+ e OH-. Ao contrário das moléculas de
HCl, que sofrem ionização em solução aquosa,
os íons do NaOH se dissociam.
Bases segundo Arrhenius
Bases
O nome hidróxido de sódio é a combinação das
palavras ‘hidróxido de’, seguidas pelo nome do
cátion, nesse caso, o sódio.
Bases
Que nome você daria para o Fe(OH)2? Hidróxido
de ferro? Poderia ser, mas o ferro também pode
formar o Fe(OH)3.
Nos exemplos listados na tabela anterior não há
esse problema, pois o potássio e o lítio são
metais alcalinos e, nesse caso, o único número
de oxidação possível é +1.
Bases
O magnésio e o cálcio são metais alcalinos
terrosos e sempre vão apresentar número de
oxidação +2. O ferro, por outro lado, pode
apresentar número de oxidação +2 ou +3.
Bases
Há duas maneiras de nomear o Fe(OH)2 e o
Fe(OH)3.
A primeira delas consiste em colocar o número
de oxidação do metal em algarismo romano.
Desse modo, esses compostos seriam chamados
de hidróxido de ferro(II) e hidróxido de ferro(III).
Bases
Outra possibilidade é usar os sufixos oso e ico.
Assim, teríamos:
hidróxido ferroso para o NOX menor: Fe(OH)2
hidróxido férrico para o NOX maior: Fe(OH)3
Praticando
Apresente o nome dos seguintes hidrácidos ou
bases:
a) HBr
b) Cu(OH)
c) Cu(OH)2
d) Mg(OH)2
e) HI
f) LiOH
Ácidos de BrØnsted-Lowry
• O conceito ácido-base de Arrhenius, embora
útil, tem limitações. Ele é restrito a soluções
aquosas.
• Em 1923 Johanes BrØnted e Yhomas Lowry
propuseram uma definição mais geral de ácidos e
bases.
• As reações ácido-base envolvem a transferência de
íons H+ de uma substância para outra.
O íon H+ em água
O íon H+(aq) é simplesmente um próton sem
elétrons. (O H tem um próton, um elétron e
nenhum nêutron.)
• Geralmente usamos H+(aq) e H3O+(aq) de
maneira intercambiável.
Reações de transferência de próton
HCl(aq) + H2O(l) → H3O+(aq) + Cl-(aq)
Reações de transferência de próton
• BrØnsted-Lowry propuseram definir ácidos e
bases em termos de suas habilidades de
transferir prótons.
• Ácido é uma substância (molécula ou íon) que
pode doar um próton para outra substância.
• Base é uma substância que pode receber um
próton.
Reações de transferência de próton
HCl(aq) + H2O(l) → H3O+(aq) + Cl-(aq)

O HCl doa um próton para a água.


Consequentemente, o HCl é um ácido.
A H2O recebe um próton do HCl.
Consequentemente, a H2O é
uma base.
Reações de transferência de próton
A água pode se comportar tanto como ácido
quanto como base.
• As substâncias anfóteras podem se comportar
tanto como ácidos quanto como bases.
Reações de transferência de próton
• Reação de HCl e NH3
Pares ácido-base conjugados
Todas as reações entre um ácido e uma base de
Bronsted envolvem a transferência de um
próton e tem dois pares ácido-base conjugados.
• O que quer que tenha sobrado do ácido após o
próton ter sido doado é chamado de sua base
conjugada.
• Similarmente, o que quer que tenha sobrado
da base após ela ter recebido o próton é
chamado de um ácido conjugado.
A reação entre o cloreto de hidrogênio e a
amônia pode ocorrer a ausência de solvente.
NH3 (g) + HCl(g) NH4Cl(s)
Segundo Brönsted – Lowry, o processo de
neutralização, éaquele em que ocorre uma
transferência de prótons entre dois pares
ácido/base conjugados
Forças relativas de ácidos e bases
As reações descritas anteriormente, ocorrem na
direção da formação das espécies mais fracas.
Em cada par conjugado, o ácido mais forte e a
base mais forte reagem para formar o ácido e a
base mais fracos.

HClO4 é um ácido mais forte que H3O+ e ClO4 –


é uma base mais fraca que a água.
Quanto mais forte é o ácido, mais fraca é a base
conjugada.
• H+ é o ácido mais forte que pode existir no
equilíbrio em solução aquosa.
• OH- é a base mais forte que pode existir no
equilíbrio em solução aquosa.
Ácidos de Bases de Lewis
Em 1923, no mesmo ano que Brönsted e Lowry
propuseram a definição protônica para ácidos e
bases, G. N. Lewis, químico americano propõe
uma definição ainda mais abrangente para
ácidos e bases, a definição eletrônica.
Ácidos de Bases de Lewis
Lewis definiu um ácido, como uma espécie
capaz de receber pares de elétrons e base, como
uma espécie capaz de doar pares de elétrons,
formando ligações químicas.
Ácidos de Bases de Lewis
O Conceito de Lewis de Ácidos e Bases baseia-se
no compartilhamento de pares de e- entre ácido
e base.
• Ácido de Lewis: substância capaz de aceitar
um par de elétrons de outro átomo para
formar uma nova ligação.
• Base de Lewis: substância capaz de “doar” um
par de elétrons a outro átomo para formar
uma nova ligação.
Ácidos de Bases de Lewis
A reação entre um ácido e uma base de Lewis
sempre dá origem a formação de uma ligação
covalente.
A definição de Lewis abrange todos os íons,
sejam cátions (bons receptores de elétrons) e
ânions (bons doadores de elétrons), ácidos e
bases, respectivamente.
Ácidos de Bases de Lewis
A definição de Lewis abrange, ou seja, explica os
casos das definições de Bronsted-Lowry e de
Arrhenius, sendo portanto, a mais aceita.
Entretanto, as definições de Arrhenius e de
Bronsted-Lowry também são utilizadas para
explicar alguns casos.
Ácidos de Bases de Lewis
Oxiácidos
A nomenclatura dos oxiácidos é relativamente
bem simples de se obter, como já vimos.
E o ácido sulfúrico, H2SO4? Como ele é
classificado? Como seu nome pode ser obtido?
Oxiácidos
Olhando apenas para o nome ‘ácido sulfúrico’ já
sabemos que não se trata de um hidrácido, pois,
nesse caso, o sufixo é ico e não ídrico. Olhando
agora apenas a fórmula, H2SO4, vemos que há
quatro átomos de oxigênio na estrutura, e
chegamos à mesma conclusão anterior, ou seja,
que não se trata de um hidráxido.
Oxiácidos
O ácido sulfúrico, assim como todos os outros
ácidos que possuem átomos de oxigênio em sua
estrutura, são classificados como oxiácidos.
Oxiácidos
Olhando atentamente a Tabela , percebemos
que nem todos os oxiácidos têm o nome
terminado em ico, como é o caso do ácido
sulfúrico. Alguns nomes terminam com o sufixo
oso. O que será que isso quer dizer? À primeira
vista, parece que tem a ver com o número de
átomos de oxigênios na estrutura.
Oxiácidos
Oxiácidos
E como ficaria, então, a nomenclatura dos
seguintes ácidos: HClO4, HClO3, HClO2 e HClO?
Uma forma comum de nomear os compostos
químicos é por meio da atribuição de diferentes
sufixos e prefixos. Veja, então, como ficam os
nomes desses quatro oxiácidos:
Oxiácidos
Oxiácidos
Observa-se novamente que a diferença entre os
quatro ácidos listados na Tabela é o número de
átomos de oxigênio. Mas não é só isso. Os
diferentes sufixos e prefixos indicam o estado de
oxidação (também chamado de número de
oxidação) do átomo central do ácido.
Oxiácidos
Oxiácidos
Observando esses exemplos, fica fácil perceber
que o sufixo ico é usado para os estados de
oxidação mais elevados, enquanto que o sufixo
oso é usado para os mais baixos. No caso de um
número maior de estados de oxidação possível,
usa-se o prefixo per para o maior deles e o
prefixo hipo para o menor, como foi o caso do
cloro.
Oxiácidos
• Resumidamente:
Outra maneira
Orto-: ácido pode gerar outro por desidratação, o prefixo pode
ser omitido.

Meta-: ácido proveniente da retirada de 1 molécula de água de 1


molécula do ácido orto-.

Piro-: ácido proveniente da retirada de 1 molécula de água de 2


moléculas do ácido orto-.

ácido fosfórico ácido fosfórico


(ou ortofosfórico) (ou ortofosfórico)

ácido metafosfórico ácido pirofosfórico

Você também pode gostar