Você está na página 1de 29

Mecânica e Ondas

Capítulo 2 – Grandezas, dimensões e unidades.

2.1 Introdução ................................................................................................................... 2


2.2 Grandezas e Dimensões das Grandezas Físicas ......................................................... 2
2.3 Regras da análise dimensional.................................................................................... 3
2.4 Unidades e Sistemas de Unidades .............................................................................. 5
2.5 Sistema Internacional de Unidades............................................................................. 5
2.6 Prefixos ....................................................................................................................... 6
2.7 Conversão de Unidades .............................................................................................. 7
2.8 Notação Científica ...................................................................................................... 8
2.9 Constantes Físicas Fundamentais ............................................................................... 9
Exercícios Resolvidos .................................................................................................... 10
Problemas Propostos I .................................................................................................... 14
Problemas Propostos II ................................................................................................... 15
Exercícios Avançados..................................................................................................... 16
Exercícios de Verdadeiro/Falso ...................................................................................... 16
Exercícios de Auto-Avaliação ........................................................................................ 17
Testes de Auto-Avaliação............................................................................................... 18
Teste de Auto-Avaliação A .................................................................................... 18
Teste de Auto-Avaliação B .................................................................................... 19
Anexo 2.A Constantes matemáticas, figuras no plano e sólidos no espaço. ............. 20
Anexo 2.B Trigonometria. ....................................................................................... 21
Anexo 2.C Medições e tratamento de erros ............................................................. 22
2.C.1 Algarismos significativos e ordem de grandeza .................................... 22
2.C.2 Questões Resolvidas .............................................................................. 23
Soluções dos Exercícios ................................................................................................. 25
Síntese do Capítulo 2 ...................................................................................................... 27
Formulário do Capítulo 2 Comentado ............................................................................ 28

Descrição: Estas folhas de apoio são uma compilação de aspectos teóricos com
exercícios com solução/resolução. Não dispensam aulas teóricas, nem aulas práticas.
Pretendem fazer a ponte entre as aulas e a bibliografia recomendada. Para iniciar a
resolução de exercícios é absolutamente necessário que o aluno tenha a teoria bem
estudada.

Agradece-se a indicação de sugestões, gralhas e/ou inconsistências:


Doutor Engº Joaquim Marques
E-mail: jmulht@gmail.com

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 1
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
2.1 Introdução
Ao longo dos capítulos seguintes vamos trabalhar com grandezas físicas (e.g. distâncias,
velocidades, etc.) que terão que ser quantificadas em termos de unidades. Dos diferentes
sistemas de unidades (sistema inglês, sistema CGS, etc.) aquele que usaremos em geral
é o Sistema Internacional de Unidades.

2.2 Grandezas e Dimensões das Grandezas Físicas


A soma de duas grandezas físicas só faz sentido se tiverem as mesmas dimensões (não
necessariamente as mesmas unidades). Devemos fazer sempre uma análise crítica
dimensional de todas as equações que encontremos durante a resolução de um problema.
Usaremos a nomenclatura [ A]  L2 para indicar que as dimensões da área A são as do
quadrado de um comprimento. Na tabela seguinte indica-se a dimensão de várias
grandezas importantes:

Grandeza Símbolo Dimensão


Distância d L
Tempo t T
Massa m M
Área A L2
Volume V L3
Velocidade (d/t) v L /T
Aceleração (v/t) a L /T 2
Força (m.a) F ML / T 2
Pressão (F/A) p M / LT 2
Densidade (m/V)  M / L3
Energia (Ec=0.5m v2) E ML2 / T 2
Potência (E/t) P ML2 / T 3

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 2
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
2.3 Regras da análise dimensional
Regra 1 – A dimensão da soma (ou da subtracção) de duas grandezas com a mesma
dimensão, é igual à dimensão de qualquer uma das grandezas físicas:

 A  B   A   B
Pelo que um caso particular desta regra é:   B    B  .

Regra 2 – A dimensão do produto (ou da razão) de duas grandezas físicas, corresponde


ao produto (ou à razão), das dimensões das grandezas físicas em separado:
 A   A
 A  B   A   B e  B    B
 

Como a potência é um caso particular do produto, um caso particular da regra 2 é:  B k    B  .


k

Regra 3 – As funções matemáticas (sin, cos, exp, log, …) são adimensionais, assim
como o respectivo argumento, e.g.: log  A   A  1 .

Definição: A massa específica de um corpo, define-se como o quociente entre a massa


( m ) e o volume ( V ) desse corpo. O símbolo para a massa específica é  (a letra grega
m
ró minúscula). Logo   .
V
m
Exemplo: Uma importante propriedade dos materiais é a sua massa específica   .
V
a) Indique quais as dimensões da massa especifica.
b) Indique qual a unidade do SI da massa específica.

Resolução: a) A partir da relação dada e das regras da análise dimensional, podemos


dizer que:      m / V   M / L3 .

b) a partir da alínea a) podemos deduzir que a unidade SI para a densidade é


quilogramas por metro cúbico (kg/m³).

A massa específica da água à pressão normal e à temperatura de 25 °C, é de 1.00


g/cm³, e a 4 °C, onde se atinge sua massa específica máxima, é de 1.03 g/cm³. O gelo ou,
água no estado sólido, possui uma massa volúmica inferior àquela apresentada pela
água em seu estado líquido (0.97 g/cm³).

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 3
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Exemplo: A massa específica da água à pressão normal e à temperatura de 25 °C, é de
1g/cm³.
a) 1 kg de água, nestas condições, que volume?
b) Qual a massa, de 5 litros de água, nestas condições?
c) Comente a afirmação: “A massa específica do gelo é superior à da água (líquida)”.

Nota: Factores de conversão a saber: 1 litro  1dm3  103 cm3

m m 1kg
Resolução: a)   V    1000cm3
V  1g / cm 3

m
b)    m  V  1g / cm3  5dm3  1g / cm3  5000cm3  5kg
V
c) Sabemos que quando colocamos uma garrafa de água do congelador cheia, ela
“rebenta”. Isso acontece porque o volume aumenta, como a massa se mantém, a massa
específica do gelo é inferior. A afirmação é falsa.

Exemplo: a) Mostre que é possível utilizar comprimento, massa específica e tempo


como três unidades fundamentais em vez de comprimento, massa e tempo.
b) O que poderia, no caso anterior, ser utilizado para unidade de massa?

Resolução: a) É comum utilizar-se como grandezas fundamentais comprimento L,


massa M e tempo T. Esta escolha não é, todavia única. É possível substituir a massa ( m )
pela massa específica (  ) porque existe uma relação entre elas, envolvendo o volume
m
( V ), que é uma grandeza derivada do comprimento):   .
V
b) Se utilizarmos, como sugerido, comprimento L, massa específica E e tempo T, então
a massa viria com dimensões E. L3 e a unidade de massa seria unidade de massa
específica × unidade de comprimento ao cubo.
F
Definição: A pressão é definida como a força exercida por unidade de área: p  .
A
A unidade SI de pressão é o Pascal  Pa  , que é equivalente a N m2 .

Exemplo: Qual a pressão que um objecto de 800N exerce numa superfície de 10cm por
20 cm.

Resolução: Temos para a área que A  10cm  20cm  200cm2 pelo que

800 N
p 2
 4 N / cm2 .
200cm

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 4
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
2.4 Unidades e Sistemas de Unidades
Todas as grandezas físicas podem ser expressas através de um pequeno número de
unidades fundamentais. Várias das grandezas que serão estudadas (e.g. velocidade,
energia, etc.) podem ser expressas em termos de três medidas fundamentais:
comprimento, tempo e massa. A escolha das unidades-padrão dessas grandezas
fundamentais determina o sistema de unidades. O sistema usado pela comunidade
científica internacional é o Sistema Internacional (SI) que é estudado de seguida em
maior detalhe. Nele a unidade fundamental para o comprimento é o metro (m), para o
tempo é o segundo (s) e para a massa o quilograma (kg).
O sistema inglês de unidades é um sistema baseado nas proporções do corpo
humano. Entre as suas unidades conta-se a jarda como unidade de comprimento, a libra
como unidade de força e o galão como unidade de volume. O aparecimento do SI
conduziu aos seguintes factores de conversão:

1 jarda = 0.9144 metro


1 libra = 0.453952 quilograma
1 galão = 4.45609 litro

É usado ainda o sistema CGS, com o centímetro como unidade de comprimento, o


grama como unidade de massa e o segundo como unidade de tempo. Analogamente a
esta sigla pode ainda encontra-se a denominação de MKS para o SI.

2.5 Sistema Internacional de Unidades


No SI existem dois tipos fundamentais de unidades: (i) unidades básicas, para as quais
existem um conjunto de padrões que podem ser facilmente reproduzidos; (ii) unidades
derivadas, que podem ser construídas a partir das unidades básicas. Estas unidades são
apresentadas de seguida em tabelas separadas. A tabela seguinte mostra a notação usual
das unidades básicas do SI.

Grandeza física Unidade Símbolo


Comprimentos metro m
Massa quilograma kg
Tempo segundo s

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 5
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Temperatura kelvin K
Corrente eléctrica ampere A
Quantidade de substância mole mol
Intensidade luminosa candela cd

A tabela seguinte indica algumas das unidades derivadas com nome próprio que podem
ser construídas a partir das unidades básicas, assim como a respectiva derivação:

Grandeza física Unidade Símbolo Derivação


Frequência hertz Hz s-1
Força newton N kg.m. s-2
Pressão pascal Pa N. m-2
Energia joule J N.m
Potência watt W J. s-1
Carga coulomb C A.s
Potencial eléctrico volt V
Resistência ohm  V. A-1

Embora a designação de algumas unidades coincida com o nome de um cientista, essa


designação nunca deverá ser representada em letra maiúscula, nem no plural. A
definição completa das unidades do SI pode ser encontrada no Apêndice B do Tipler,
pág. 729 ou em http://www.bipm.org/utils/common/pdf/si_brochure_8.pdf.

2.6 Prefixos
Além das unidades já apresentadas temos um conjunto de prefixos, cada um associado a
uma potência de 10, adequados em várias situações. Os prefixos mais usados são
indicados na tabela seguinte.

Múltiplo Prefixo Abreviatura Múltiplo Prefixo Abreviatura


1012 tera T 10-12 pico p
109 giga G 10-9 nano n
106 mega M 10-6 micro 
103 kilo k 10-3 mili m

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 6
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
102 hecto h 10-2 centi c
101 deca da 10-1 deci d

2.7 Conversão de Unidades


Todas as medidas de grandezas físicas são constituídas por um número e de uma
unidade. Quando tais grandezas são somadas ou multiplicadas, em uma equação
algébrica, as unidades são tratadas como qualquer grandeza algébrica.

Exemplo: Sabendo que v  d / t , i.e. que a distância ( d ) é igual ao produto da


velocidade (v) pelo tempo (t), qual a distância percorrida em 3 horas por um automóvel
que se desloca à velocidade constante de 90 quilómetros por hora (km/h)? Qual a
velocidade do automóvel no SI?
90km km  h
Resposta: d  v.t   3h  270  270km , pelo que no SI temos
h h
90km 90 1000m
v   25m / s .
h 60  60s

Exemplo: Converta as grandezas seguintes para unidades SI. Utilize notação científica.
Verifique cuidadosamente os passos intermédios que utilizar para a conversão.
a) 750 km b) 0.0612 μs c) 94 cm/ ms

Resolução:
a) A unidade de comprimento do SI é o metro logo:
750 km = 750× 103 m = 7.50× 102 × 103 m = 7.50× 105 m

b) A unidade de tempo do SI é o segundo logo:


0.0612 μs = 0.0612 × 106 s = 6.12 × 102 × 106 s = 6.12 × 108 s
c) Este exemplo serve para se chamar à atenção que se usa o m como abreviatura do
metro e como prefixo do mili. Neste exemplo a grandeza dada é uma velocidade, logo:
94 cm/ ms = 9.4 × 102 m/s

Questão: Dez polegadas (10 in) quantos centímetros são?

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 7
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Resposta: A conversão de unidades será sempre feita através de um factor de conversão
dado. Neste caso temos que 1 in = 2.540 cm (através da consulta de uma tabela de
factores de conversão), pelo que 10 in = 25.40 cm.

Questão: Dez metros quadrados quantos decímetros quadrados são?


Resposta: Neste caso temos que 1 m = 10 dm, logo 1 m2 = 102 dm2. Para perceber
melhor este factor, desenhe um quadrado de 1 m, divida cada lado em 10 partes iguais.
Quantos quadrados de 1 dm de lado obtém? Qual a área de cada um desses 100
quadrados? Assim podemos concluir que 10 m2= 103 dm2 = 1000 dm2.

1 hora = 60 minutos
1 minuto = 60 segundos
1 quarto de hora = 15 minutos = 0.25 hora

2.8 Notação Científica


A manipulação de números extremamente grandes ou extremamente pequenos é muito
mais simples quando se usa notação científica. Nessa notação o número é escrito como
o produto de um número real entre 1 e 10 e uma potência de 10. Quando os números em
notação científica são multiplicados (divididos), os expoentes são somados (subtraídos).

Exemplo: Exprima os seguintes números em notação científica.


a) 9827 b) 0.0000005500 c) 3200000
Resolução:
a) 9827 = 9.827 × 103
b) 0.0000005500 = 5.500 × 107
c) 3200000 = 3.200000 × 106 (estes zeros vão ser explicados quando se estudar os
algarismos significativos, A.S.).

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 8
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
2.9 Constantes Físicas Fundamentais
Na tabela seguinte apresentamos algumas das mais usadas constantes físicas:
Quantidade Símbolo Valor Unidade
Velocidade da luz no vácuo c 299 792 458 m s-1
Aceleração da gravidade g 10 m s-2
Constante de gravitação G 6.67428(67) × 1011 m3 kg-1 s-2
Massa do protão mp 1.6726× 1027 kg
Massa do neutrão mn 1.6749× 1027 kg
Número de Avogadro NA 6.02211023 -

Para uma lista completa pode consultar: http://physics.nist.gov/constants

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 9
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Exercícios Resolvidos
ER.1 Um metro cúbico de alumínio tem uma massa de 2.70×103 kg, e 1.00 m3 de ferro
tem uma massa de 7.86×103 kg.
M Alumínio 
3
a) Mostre que rAlumínio   Ferro  rFerro
3
.
M Ferro Alumínio
b) Determine o raio de uma esfera de alumínio que equilibrará uma esfera de ferro de
raio 2.00 cm numa balança de braços iguais.

Resolução: a) A massa da esfera é = volume × massa específica. Por outro lado o


4
volume de uma esfera é: V   r 3 . A razão das massas:
3
M Alumínio VAlumínio  Alumínio rAlumínio
3

  3  Alumínio .
M Ferro VFerro  Ferro rFerro Ferro

Então
M Alumínio 
3
rAlumínio   Ferro  rFerro
3

M Ferro Alumínio

b) Como M Alumínio  M Ferro , na situação de equilíbrio,

1/ 3
  7.86 103 
rAlumínio  3 Ferro  rFerro
3
  0.023  m  2.9 102 m  2.9cm
Alumínio  2.70 10
3

Nota - Faça um esquema da situação de equilíbrio.


Observação – Apesar de alguns autores misturarem os dois conceitos, nesta disciplina
massa específica e densidade são grandezas diferentes.

ER.2 Um pequeno cubo de ferro (densidade 7.86 103 kg/m3) é observado ao


microscópio. A aresta do cubo é 5.00×10−6 cm. Determine:
a) A massa do cubo.
b) Número de átomos de ferro nele contidos.
c) Uma estimativa para a dimensão de cada átomo.

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 10
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Resolução: a) Um átomo-grama de ferro (56 g) corresponde a NA = 6.0221× 1023

átomos. O volume do cubo é de  5.00 108 m   1.25 1022 m3 , de onde a massa de


3

ferro é
m  7.86 103 1.25 1022 kg=9.825 1019 kg .

b) Então o cubo contém 9.825 1019   6.02211023 / 0.056   1.0566 107 átomos.

c) Podemos ainda estimar a dimensão de cada átomo. O volume de cada átomo é


1.25 1022 / 1.0556 107  m3  1.183 1029 m3 . A dimensão de cada átomo será da

ordem de grandeza de 3 1.183 1029 m3 =2.2786 1010 m .

Observação – devemos usar um algarismo significativo “a mais” e devemos colocar as


unidades nos cálculos intermédios.

ER.3 O deslocamento s de uma partícula quando se move com aceleração constante é


uma função do tempo decorrido t e da aceleração a. Suponha que o deslocamento tem a
forma s  ka mt n , onde k é uma constante adimensional. Mostre por análise dimensional
que esta expressão é satisfeita se m = 1 e n = 2.

Resolução: Sabe-se que as dimensões de:


- deslocamento [ s]  L
- tempo [t ]  T
L
- aceleração [a]   LT 2
T2
Assim, a equação dada s  ka mt n assume a forma dimensional:

 s    a  t 
m n

 
m
 L  LT 2 T n  LT
1 0
 LmT 2 m n .

Como as dimensões dos dois membros de uma equação (em física) têm de ser as
mesmas, obtemos o sistema de duas equações a duas incógnitas:
1=m
0 = −2m + n
de onde m = 1 e n = 2 .
Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 11
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Observação: Esta análise não permite obter o valor de k.
ER.4 A lei de Newton da gravitação é dada por
Mm
F G
r2
onde F é a força da gravidade entre as massas M e m, e r é a distância entre as massas.
A unidade de força no SI é kg.m/s2.
a) Quais são as dimensões unidades da constante G ?
b) Quais as unidades no SI?
Mm
Resolução: A partir da equação F  G pode-se escrever
r2

 F  r 2 
G  
 M  m
MLT 2 L2
que conduz a G   2
 L3 M 1T 2 .
M

b) Consequentemente, as unidades SI de G são m3kg-1s-2.

ER.5 A nossa galáxia, a Via Láctea, tem a forma de um disco com um diâmetro de
cerca de 1.0 × 105 anos-luz. A distância da Via Láctea à Andrómeda, a galáxia mais
próxima, é de cerca de 2.0 milhões de anos-luz. Se representarmos a Via Láctea por um
prato de mesa com 25 cm de diâmetro, determine a que distância está o prato mais
próximo, representando a Andrómeda?
Resolução: A razão da distância da Via Láctea à Andrómeda pelo diâmetro da nossa
galáxia é
2.0 106 / 1.0 105   20 .

De onde o prato mais próximo estará a 20 × 0.25 m = 5.0 m.

Nota - Faça esquemas em que represente as distâncias envolvidas.


Observação - 1 ano-luz = 3 × 108 m s−1 × 3600 × 24 × 365 s = 9. 46 × 1015 m.

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 12
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
ER.6 Estime o número de bolas de ténis-de-mesa que caberiam numa sala de tamanho
médio, supondo que a sala tem 5 m de comprimento, 4 m de largura e 3 m de altura.
Resolução: Com as dimensões admitidas por hipótese, o volume da sala é 5 × 4 × 3 =
60.0 m3. Uma bola de ténis-de-mesa tem  3 cm de diâmetro ou um volume
V = 4/3π (1.5×10-2)3 m3=1. 4137 ×10-5 m3. O número de bolas de ténis-de-mesa que
caberão aproximadamente numa sala de tamanho médio é N = 60.0 /(1.5×10-5)=
4.0×106 bolas.

ER.7 Quando uma gota de óleo se espalha sobre uma superfície lisa de água, a camada
de óleo resultante tem uma espessura de aproximadamente uma molécula. Uma gota de
óleo de massa 9.00×10-7 kg e densidade 918 kg/m3 espalha-se formando um círculo de
41.8 cm de raio. Determine o diâmetro de uma molécula deste óleo.
Resolução: O volume de óleo é, a partir volume = massa / massa específica,
V=9.00×10-7/918 m3 = 9.80 × 10-10 m3. Este volume é igual à área do círculo de raio
41.8 cm × o diâmetro de uma molécula de óleo, ou d = 9.80×10-10/(π × 0.4182) m
= 1. 79 × 10-9 m.

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 13
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Problemas Propostos I
EPI.1 Uma milha são 1760 jardas, uma jarda são 3 pés, um pé são 12 polegadas e,
finalmente, uma polegada são 2.54 cm. Qual é o comprimento de uma milha em metros?

EPI.2 Considere que a velocidade da luz no vácuo é c  2.9979 108 m / s .


a) Converta este valor em quilómetros por hora.
b) Que distância percorrerá esse raio luminoso num ano?

EPI.3 Uma das missões Apolo colocou um reflector na superfície da Lua que permite
que a distância ao nosso satélite natural seja hoje medida com grande precisão em
qualquer ponto da sua órbita. A medição é feita enviando um feixe laser que se reflecte
nesse espelho e é depois captado na Terra. A distância é calculada depois a partir do
intervalo de tempo entre a emissão e a recepção do laser. Supondo que o menor
intervalo de tempo que se consegue medir com esta técnica é da ordem de 1.0 ns.
a) Organize os dados do problema (com as unidades adequadas).
b) Faça um esquema da situação física descrita.
c) Calcule o erro na determinação da distância Terra-Lua.

EPI.4 Considere que a Terra possui uma forma próxima de uma esfera, sendo o
respectivo raio médio de 6.37106 m. Determine, com base na hipótese referida:
a) a área da superfície em quilómetros quadrados.
b) o respectivo volume em quilómetros cúbicos.
c) o comprimento de um meridiano terrestre medido em quilómetros.

EPI.5 Os grãos de areia fina de uma praia, composta de SiO2, possuem um raio médio
de 50 μm e uma massa específica ρ= 2600 kg/m3. Determine:
a) a área do cubo com exactamente 1 m de aresta. b) a área da superfície de um grão.
c) número total de grãos cuja área é igual à de um cubo com exactamente 1 m de aresta.
d) a massa total dos grãos de areia.

EPI.6 Ao estudar-se vários tipos de movimentos rectilíneos chegaram-se às equações


indicadas nas alíneas em baixo. Nestas equações x representa a posição medida em
metros (m), v a velocidade em metros por segundo (m/s) e t o tempo em segundos
(s). Indique em cada caso as dimensões das constantes Ci ´s.

a) x  C1  C2t b) v  C1  C2 x c) x  C1  C2t  C3t 2 d) v 2  C1  C2 x

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 14
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Problemas Propostos II
EPII.1 Sabendo que  rad  180º .
a) Converta o valor de um ângulo de 40º em radianos.
b) Qual o factor de conversão de graus para radianos?
c) Qual o factor de conversão de radianos para graus?

EPII.2 Depois do Sol, a estrela mais próxima da Terra é Alfa de Centauro C ou


Próxima Centauri e está a uma distância de 4.0571013 km.
a) O ano-luz é uma unidade astronómica de distâncias que se define como a
distância percorrida pela luz no vazio durante um ano. Sabendo que a velocidade
da luz é c=3.0108 m/s, calcule o valor do ano-luz em unidades do SI.
b) Exprima a distância da Terra à estrela Alfa de Centauro em ano-luz.

EPII.3 O parsec (pc) é uma unidade astronómica de comprimento que se define como
a distância a que está uma estrela que é vista nos pontos extremos da órbita terrestre
com um ângulo de paralaxe de 1.00´´ (o ângulo de paralaxe mede-se em relação às
estrelas mais distantes, que se consideram fixas). Sabe-se ainda que o raio médio
da órbita terrestre é de 149106 km e que a velocidade da luz é de c = 3.00108 m/s.
a) Qual a distância em metros a que corresponde um parsec ?
b) Quantos anos-luz são um parsec ?
c) Consegue-se medir ângulos de paralaxe até 0.020´´. Qual a distância máxima que se
consegue medir por triangulação ?

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 15
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Exercícios Avançados

EA.1 A medida das distâncias entre planetas do sistema solar foi inicialmente feita por
triangulação, começando por ser inicialmente calculada a distância entre a Terra e Vénus.
Como esta distância não é excessivamente grande, é suficiente usar como vértices para
o triângulo dois vértices na Terra e não as posições extremas da órbita terrestre. Se os
dois observatórios estiverem separados por 1,0104 km e estiverem sobre uma linha
perpendicular à direcção de Vénus, a posição deste planeta em relação às estrelas fixas
no seu ponto de maior aproximação é de 49´´.
a) Faça um esquema adequado identificando triângulos rectângulos.
b) Converta o ângulo 24.5´´, de segundos para graus.
c) Calcule a distância da Terra a Vénus no ponto de maior aproximação.

EA.2 Considere um corpo sujeito a uma força de atrito proporcional ao módulo da


velocidade. Nestas condições, a constante de proporcionalidade tem que dimensões? E
que unidades do SI?

Exercícios de Verdadeiro/Falso

EVF.1 A força é uma grandeza física fundamental do SI.

EVF.2 O kg/L é a unidade do SI para a massa específica de um corpo.

EVF.3 A aceleração da gravidade pode ser expressa em unidades do S.I. por N/kg.

EVF.4 Considere um pára-quedista em queda. Imagine que depois de aberto o pára-


quedas fica sujeito a uma força de atrito proporcional ao quadrado da velocidade. Nestas
condições, a constante de proporcionalidade tem dimensões M/L2.

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 16
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Exercícios de Auto-Avaliação

EAA.1 Considere as seguintes equações:


y  A cos(kx   ) (1)

v  v0  2ax (2)

y  Ae x  (3)

y  A  B sinkx    (4)

y  Bx 2  A logkx    (5)
onde
v velocidade
a aceleração
x abcissa da posição
y ordenada da posição
 é um ângulo medido em radianos
[A]=L [k]=L-1 [B]=L-1.
Do ponto de vista dimensional, quais as equações que estão correctas?

EAA.2 Se um carro parte do repouso em x  0 com aceleração constante a, com


velocidade v dependente de a e da distância percorrida x. Qual das seguintes equações
tem as dimensões correctas e, portanto, poderia ser uma possível equação relacionado x,
a e v.
a) v  2ax b) v2  2a / x c) v  2ax 2 d) v 2  2ax

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 17
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Testes de Auto-Avaliação

Teste de Auto-Avaliação A

Parte I (15 valores)


A velocidade do som no ar é de 340 m/s. Qual a velocidade de um avião supersónico cuja velocidade é
Mach 2.0, i.e. que se desloca a duas vezes a velocidade do som?
a) No SI.
b) Em km/h.
c) Em nós. (Nota: 1 nó= 0.514 m/s)
Respostas:

(use o verso para concluir a sua resposta e/ou como rascunho)


Parte II (5 valores)
II.1. A soma de duas grandezas físicas só faz sentido se tiverem as mesmas unidades.
Verdadeira Falsa
Justificação:

II.2. Considere um pára-quedista em queda. Imagine que depois de aberto o pára-quedas fica sujeito a uma
força de atrito proporcional do quadrado da velocidade. Nestas condições, a constante de proporcionalidade
tem dimensões M/L2.
Verdadeira Falsa
Justificação:

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 18
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Teste de Auto-Avaliação B

Parte I (15 valores)


Depois do Sol, a estrela mais próxima da Terra é Alfa de Centauro C ou Próxima Centauri e está
14 8
a uma distância de 0.405710 km. Considere que a velocidade da luz é c=3.010 m/s.
a) Escreva a distância anterior no S.I. usando notação científica.
b) O ano-luz é uma unidade astronómica de distâncias que se define como a distância percorrida pela
luz no vazio durante um ano. Calcule o valor do ano-luz em unidades do S.I.
c) Exprima a distância da Terra à estrela Alfa de Centauro em ano-luz.
Respostas:

(use o verso para concluir a sua resposta e/ou como rascunho)


Parte II (5 valores)
II.1. No S.I. a unidade fundamental para o comprimento é o metro (m), para o tempo é o segundo (s) e para a
massa a grama (g).
Verdadeira Falsa
Justificação:

II.2. A área de uma região plana é 237 km2 que corresponde no SI a 2.37 × 1011 m 2
Verdadeira Falsa
Justificação:

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 19
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Anexo 2.A Constantes matemáticas, figuras no plano e
sólidos no espaço.

Das constantes matemáticas há uma que usaremos bastante e aparece em algumas


fórmulas geométricas que discutiremos de seguida. O   3.141516... é uma dizima
infinita não periódica.

Pc  2 r ; Ar  a  b ; At  b  h / 2 ; Ac   r 2 ;

Se  4 r 2 ; Ve  4 / 3. r 3 ; Vp  Abase  h

Em termos de geometria no plano e no espaço temos:

Pc  2 r - perímetro de uma circunferência de raio r


Ar  a  b - área de um rectângulo de lados a e b (para a  b  L temos um quadrado)
At  b  h / 2 - área de um triângulo de base b e altura h.
Ac   r 2 - área de um círculo de raio r

Se  4 r 2 - área da superfície (tridimensional) esférica


Ve  4 / 3. r 3 - volume de uma esfera.
Vp  Abase  h - volume de um prisma.

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 20
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Anexo 2.B Trigonometria.

O sin  
sin    cos   tan  
O A
; ; 
H H A cos 

sin 2    cos 2    1 ; sin2   2  sin cos  ; cos2   cos 2    sin 2  

Num triângulo rectângulo de catetos O (oposto) e A (adjacente) e H (hipotenusa –


lado oposto ao ângulo recto – 90º).
sin   
O
- definição do seno de um ângulo  - cateto oposto sobre hipotenusa
H
cos  
A
- definição do cosseno de um ângulo  - cateto adjacente sobre
H
hipotenusa
O sin  
tan    - definição da tangente de um ângulo  - cateto oposto sobre
A cos 
cateto adjacente.

Existem várias fórmulas trigonométricas:


sin 2    cos 2    1 - Fórmula Fundamental da Trigonometria (FFT)
sin  2   2sin   cos   - Relação entre o seno de 2 e o seno e cosseno de 
cos2   cos 2   sin 2  - Relação entre o cosseno de 2 e o seno e cosseno de 

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 21
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Anexo 2.C Medições e tratamento de erros

2.C.1 Algarismos significativos e ordem de grandeza

Muitos números em ciência são resultados de medições, sendo portanto conhecidos


levando-se em conta o grau de incerteza experimental. A magnitude da incerteza
depende do rigor do experimentalista e do aparelho de medição. Uma indicação da
incerteza de uma medição pode ser deduzida através do número de algarismos
significativos.

Regras de operações:

Regra 1: O número de algarismos significativos do resultado de uma multiplicação ou


divisão não pode ser maior do que o menor número de algarismos significativos de
qualquer dos factores.

Regra 2: O resultado da adição ou subtracção de dois números não pode ter algarismos
além da última casa decimal dos algarismos significativos dos números envolvidos.

Exemplo: Efectue os cálculos seguintes, apresentando o resultado com o número


correcto de algarismos significativos.
a) 33.3 × 25.5 b) 33.33 − 25.4 c) 33.3/45.1
d) 4.32 × 1.23 e) 5.31 − 5.1

Resolução:
a) 33.3 × 25.5 = 849 b) 33.33 − 25.4 = 7.9
c) 33.3/45.1 = 0.738 d) 4.32 × 1.23 = 5.31 e) 5.31 − 5.1 = 0.2

Um número arredondado à potência de 10 mais próxima é uma ordem de grandeza. A


ordem de grandeza de uma medida pode ser estimada, frequentemente, a partir de
hipóteses razoáveis e cálculos simples.

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 22
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Exemplo: Um pneu de automóvel é suposto durar 60000 km. Estime a ordem de
grandeza do número de revoluções que o pneu fará durante a sua vida. (Admita um raio
de 30 cm para o pneu).
Resolução: Considerando que o raio do pneu é 0.30 m, o seu perímetro (2πr) é cerca de
2 m. Então o número de revoluções durante a vida do pneu será cerca de 60000 km = 6×
107 m / 2m = 3× 107 revoluções 107 revoluções.

2.C.2 Questões Resolvidas


Q1. Efectue os cálculos seguintes, apresentando o resultado com o número correcto de
algarismos significativos.
a) 33.33 × 45.1 b) 4.32 × 1.23 − 5.1 c) 33.32 d) 33.3

Resolução:
a) 33.33 × 45.1 = 1.50× 103 (3 A.S.)
b) 4.32 × 1.23 = 5.31 e 5.31 − 5.1 = 0.2 (1 A.S.)
c) 33.32 = 1.11× 103 (3 A.S.)

d) 33.3  5.77 (3 A.S.)

Q2. Exprima os seguintes números e os resultados dos cálculos propostos em notação


científica, com o número correcto de algarismos significativos.
a) 32014 × 47 b) 0.059/2304 c) 320.0 × 0.050

Resolução:
a) 32014 × 47 = 1.5 × 106 (2 A.S.)
b) 0.059/2304 = 2.6 × 105 (2 A.S.)
c) 320.0 × 0.050 = 1.6 × 10. (2 A.S.)

Q3. Converta as grandezas seguintes para unidades SI (Sistema Internacional).


Verifique cuidadosamente os passos intermédios que utilizar para a conversão. Utilize
notação científica e apresente o resultado com o número correcto de algarismos
significativos.
a) 80 km/h b) 237 km3 c) 250 cm 2
Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 23
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Resolução:
a) 80 km/h = 2.2 × 10 m/s (2 A.S.) b) 237 km3 = 2.37 × 1011 m3 (3 A.S.)
c) 250 cm 2 = 2.50 × 102 m 2 . (3 A.S.)

Q4. Converta as grandezas seguintes para unidades SI (Sistema Internacional).


Verifique cuidadosamente os passos intermédios que utilizar para a conversão. Utilize
notação científica e apresente o resultado com o número correcto de algarismos
significativos.
a) 0.0912 μs b) 3420 km c) 44 cm/ ms
Resolução:
a) A unidade de tempo do SI é o segundo logo:
0.0912 μs = 0.0912 × 106 s = 9.12 × 102 × 106 s = 9.12 × 108 s (3 A.S.)
b) A unidade de comprimento do SI é o metro logo:
3420 km = 3420× 103 m = 3.420× 103 × 103 m = 3.420× 106 m (4 A.S.)
c) Neste exemplo a grandeza dada é uma velocidade, logo:
44 cm/ ms = 4.4 × 102 m/s (2 A.S.)

Para complementar, veja o vídeo:


http://www.youtube.com/watch?v=-3RHpdGgUzg&feature=related

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 24
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Soluções dos Exercícios

EPI.1 1 milha c) nº de grãos total


 1760  3.000 12.00  2.540 102 m  n  6 /  4  52 1010 
(4 A.S.) . Usando a calculadora obtém-
d) 2.6 101 kg (2 A.S.)
se: 1milha 1609 m  4 A.S.
calc .

EPI.2 EPI.6 a) C1 em m e C2 em m/s


a) c  3600  2.9979 105 km / h (5 A.S.) b) C1 em m/s e C2 em s-1
b)
c) C1 em m e C2 em m/s e C2 em m/s2
x  365.25  24  3600  2.9979 10 km 5

(5 A.S.). Usando a calculadora obtém-se d) C1 em m2/s2 e C2 em m/s2

c  1.0792 109 km / h (5 A.S.);   40º 2


EPII.1 a) x  rad  x 
180º 9
x  9.46065 1012 km 9.4607 1012 km
rad (2 A.S.).
(5 A.S.)
Usando a calculadora obtém-se:
EPI.3 a) Dados do problema:
c  3.0 108 m/s (2 A.S.) t  1.0 109 s
x 0.698 rad  x  0.70 rad  2.A.S.
(2 A.S.) 
b) 1º  rad
180
c) 15 cm (2 A.S.)
180
c) 1 rad  º

EPI.4 a) 4    6.372 106 km2 (3 A.S)
EPII.2 a) 9.51015 m (2 A.S.)
b) 4 / 3  3.1416  6.373 109 km3 (3 A.S)
b) 4.3 ano-luz (2 A.S.)
c) 3.1416  6.37 103 km (3 A.S)

Usando a calculadora obtém-se EPII.3 a) 1 pc = 3.071016 m

a) LM 2.00 104 km (3 A.S.) b) 1 pc = 3.25 anos-luz c) 50 pc


calc .

b) S calc. 5.10 108 km2 (3 A.S.)


EVF.1 Falso. As grandezas físicas
c) V calc.1.08 10 km (3 A.S.)12 3
fundamentais do SI incluem a massa, o
EPI.5 a) área do cubo: comprimento e o tempo. A força (pela
Acubo  6 1m 1m  6m2 segunda lei de Newton, é o produto da
massa pela aceleração) não é uma
b) a área da superfície de um grão:
grandeza fundamental, mas sim uma
S g  4 Rg2 = 4  52 1010 m2
grandeza derivada.
Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 25
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
b) 24.5º / 3600 (2 A.S.)
EVF.2 Falso. A unidade do SI para a  24.5º 
c) d  0.5 104 / tan   km (2 A.S.)
massa específica de um corpo é o  3600 
kg/m3.
EA.2  k   M / T , logo as unidades da
EVF.3 Verdadeiro. Pois aceleração =
constante de proporcionalidade, no SI,
força/massa.
são kg/s.

EVF.4 Falso. Pois a partir da equação


EAA.1 estão correctas as equações (1)
Fa  k  v , pode-se escrever que:
2
e (5).
L EAA.2 a) Falso. b) Falso.
 Fa   M . T 2
 a      
F  k .  v 2
  k  c) Falso. d) Verdadeiro.
v  L 
2 2

 
T 
M
 k  
L

EA.1

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 26
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Síntese do Capítulo 2

Regras da análise dimensional


Regra 1–  A  B   A   B caso particular   B   B .
Regra 2–  A  B   A   B  e   
 A  A
. Um caso particular:  B k    B  .
k

 B   B
Regra 3– As funções matemáticas (sin, cos, exp, log, …) são adimensionais, assim como o
respectivo argumento.

Unidades
# Todas as medidas de grandezas físicas são constituídas por um número e uma unidade. #
Quando tais grandezas são somadas ou multiplicadas, em uma equação algébrica, as unidades
são tratadas como qualquer grandeza algébrica.

Grandezas fundamentais: massa, tempo e comprimento.

SI
O sistema usado pela comunidade científica internacional é o SI. Nele a unidade fundamental
para o comprimento é o m, para o tempo é o s e para a massa o kg.

Notação Científica
A manipulação de números extremamente grandes ou extremamente pequenos é muito mais
simples quando se usa notação científica. Nessa notação, o número é escrito como o produto de
um real entre 1 e 10 e uma potência de 10.

Algarismos Significativos - Regras de operações:


Regra 1– O número de algarismos significativos do resultado de uma multiplicação ou divisão
não pode ser maior do que o menor número de algarismos significativos de qualquer dos
factores.
Regra 2– O resultado da adição ou subtracção de dois números não pode ter algarismos além da
última casa decimal dos algarismos significativos dos números envolvidos.

Ordem de Grandeza - Um número arredondado à potência de 10 mais próxima é uma ordem


de grandeza. A ordem de grandeza de uma medida pode ser estimada, frequentemente, a partir
de hipóteses razoáveis e cálculos simples.

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 27
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
Formulário do Capítulo 2 Comentado

Pc  2 r ; Ar  a  b ; At  b  h / 2 ; Ac   r 2 ;

Se  4 r 2 ; Ve  4 / 3. r 3 ; Vp  Abase  h

Neste “primeiro retângulo” temos fórmulas gerais usadas em todos os capítulos.

Em termos de geometria no plano e no espaço temos:

Pc  2 r - perímetro de uma circunferência de raio r


Ar  a  b - área de um retângulo de lados a e b (para a  b  L temos um quadrado)
At  b  h / 2 - área de um triângulo de base b e altura h.
Ac   r 2 - área de um círculo de raio r

Se  4 r 2 - área da superfície (tridimensional) esférica


Ve  4 / 3. r 3 - volume de uma esfera.
Vp  Abase  h - volume de um prisma.

O sin  
sin    cos   tan  
O A
; ;    3.14159266...
H H A cos 

sin 2    cos 2    1 ; sin2   2  sin cos  ; cos2   cos 2    sin 2  

No conjunto seguinte temos as principais fórmulas trigonométricas. Num triângulo retângulo de catetos
O (oposto) e A (adjacente) e H
(hipotenusa – lado oposto ao ângulo reto – 90º)

sin   
O
- Definição do seno de um ângulo  - cateto oposto sobre hipotenusa
H

cos  
A
- Definição do cosseno de um ângulo  - cateto adjacente sobre hipotenusa
H
O sin  
tan    - Definição da tangente de um ângulo  - cateto oposto sobre adjacente.
A cos 

  3.1415 - Pi - Constante matemática


Existem várias fórmulas trigonométricas:
sin 2    cos 2    1 - Fórmula Fundamental da Trigonometria (FFT)
sin  2   2sin   cos   - Relação entre o seno de 2 e o seno e cosseno de 
cos2   cos 2   sin 2  - Relação entre o cosseno de 2 e o seno e cosseno de 

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 28
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.
F d v m
p v a F  ma 
A t t V

Na linha final temos a:

F
p - Pressão definida como a razão entre a força e a superfície onde está aplicada.
A
F  ma - Força igual à massa vezes aceleração (2ª Lei de Newton)

d
v - Velocidade definida como a razão entre a distância e o intervalo de tempo.
t
m
 - Massa específica definida como a razão entre a massa e o volume que ocupa.
V
F  ma - Força igual à massa veze a aceleração.

Joaquim Marques – Doutorado em Engenharia Aeroespacial – jmulht@gmail.com – 96 545 94 13 – Docente Universitário desde 1998. 29
Explicações de Cálculo, Estatística, Física e Mecânica – Ensino Superior e Ensino Secundário – Maiores de 23 anos e Exames Nacionais.