Você está na página 1de 2

Ao Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia -SBC,

À Comissão Julgadora do Título de Especialista - CJTEC,

Prezados,
Sabe-se que uma das finalidades da CJTEC é estabelecer as diretrizes para
obtenção do Título de Especialista em Cardiologia (TEC) , de acordo com as normas da
Associação Médica Brasileira (AMB), devendo para isso definir o conteúdo, analisar e
participar da elaboração e aplicação da prova teórica.
O concurso para obtenção do TEC e das áreas de atuação deverá ter, conforme o
Regimento, a periodicidade mínima anual, sendo regulamentado pelas normas do
edital correspondente aprovado pela AMB. Verifica-se assim que há possibilidade de a
Sociedade Brasileira de Cardiologia organizar e realizar a prova de obtenção do TEC
por mais de uma vez ao ano sem precisar alterar o Regimento.
Os profissionais das áreas de atuação têm conhecimento pleno da importância da
prova de TEC para a prática das suas atividades profissionais. Sabem também que o
conhecimento específico exigirá do candidato dedicação e horas de estudo para se
alcançar a aprovação.
No entanto, a metodologia adotada para a aplicação da prova não permite que
muitos profissionais obtenham êxito. Inicialmente, parece que 5h30 para realizar uma
prova constituída de 120 questões é tempo suficiente para se testar o conhecimento. No
entanto, deve-se observar que são 120 questões de múltiplas escolhas elaboradas com
cinco alternativas cada, o que leva ao total de 600 itens analisados, o resulta em menos
de 1min de leitura e análise de cada item proposto.
Como se vê não me parece o método mais adequado para avaliar a capacidade
intelectual dos seus candidatos nem mesmo o desempenho individual nas áreas de
atuação, uma vez que o fator tempo tem prejudicado no resultado eficiente e eficaz
esperado. Não se questiona o mérito do certame e sim, a metodologia adotada para
aprovação.
Considerando que não é justo que tantas horas, dias e meses de estudo e
dedicação, envolvendo ainda diversos custos, com materiais, profissionais de ensino,
taxas de inscrição, não sejam relevadas no momento da elaboração das provas, as quais,
pela metodologia adotada versus fator tempo, não estão alcançando o resultado
esperado.
Assim, visando compreender e alcançar o objetivo proposto pela SBC, que é ter
profissionais de excelência nas áreas de atuação com a obtenção do TEC, solicita-se a
possibilidade de alterar a metodologia adotada para se realizar o certame.
Como sugestão, para se chegar ao objetivo comum proposto por todos
envolvidos nesta situação, apresentam-se as seguintes adaptações a serem apreciadas
pela CJTEC e aprovadas pelo Presidente da SBC, se assim concordar:
1º aplicação da prova em dois turnos, aumentando para 8h horas a realização das
120 questões de múltiplas escolhas. Sem objeção ao acréscimo de valores aos
candidatos, quando do pagamento da inscrição, uma vez que haverá prestação de
serviço adicional para quem elabora o exame e organiza o certame;
2º aplicação da prova com a periocidade de duas vezes ao ano, visando dar
oportunidade a todos os candidatos de obterem o TEC em um tempo mais curto, como
acontece com outras instituições que exigem a prova de conhecimento específico,
mesmo após a formação acadêmica, a exemplo da OAB.
Diante disso, pede-se deferimento.

Atenciosamente,

(Nome completo de cada um que comprar essa batalha.)

OBS.: Esses endereços eletrônicos abaixo são das sedes da SBC Rio de Janeiro e
São Paulo.

Rio de Janeiro:
E-mail: sbc@cardiol.br
São Paulo:
E-mail: funcor@cardiol.br