Você está na página 1de 4

O Grimório de Zos – Austin Osman

Spare

A Fórmula de Zos Vel


Thanatos
A primeira Fórmula: Do Sabbath Branco – como
foi-me dito por uma Bruxa
O Argumento:
Atualmente, não há nem Sabbath Negro nem Branco: o critério ético de todos os atos é, de qualquer
forma, anti-social ou assim motivado. Onde 2 ou mais de um tipo, iguais em maturidade ou inclinação,
decretam à consumação, então, se causam danos, fazem isso somente a eles mesmos – o que eu duvido
– e muito mais prejudicial que as práticas daqueles que mutilam ou negam seus corpos em nome da
cultura ou religião. Os últimos são invariavelmente profetas ou propagadores da esterilidade, já que um
dos princípios externos da bruxaria é silenciar “aos desconhecidos”. O Sabbath é uma inversão-
reversão para auto-sedução, um ato de desfazer para conotações desviadas. O sexo é usado como a
técnica e meio do ato mágico. Não há somente satisfação erótica, a sensualidade é desligada e
controlada até a sublimação final. Seu completo treinamento é submisso e obediente até que, pela fria
paixão amoral, ele pode transmutar o controle e desviar-se – ou ela, onde desejar.

A Bruxa então convidada é velha, grotesca, mundana e libidinosamente instruída e é sexualmente


atraente como um cadáver. Contudo, ela torna-se o veículo completo da consumação. Isso é necessário
para transmutar os aspectos estéticos pessoais que a cultura impõe. A perversão é usada somente para
sobrepujar os prejuízos morais ou conformidades. A mente e o desejo devem tornar-se amoral, focados
e inteiramente reconhecidos, já que a força vital é livre de inibições prévias ao controle. Portanto, o
Sabbath torna-se uma orgia sexual deliberada, com o propósito de materialização: a Grande Realidade
do “como se” (pensamentos desejosos ): o sexo é completamente explorado, ele não prejudica
ninguém, ele mesmo não se prejudica. Finalmente, um conceito aceitável culturalmente tem destruído a
afinidade influenciável mais que qualquer outra crença, mas é ele que transmuta o feio em uma nova
estética, tem algo além do medo. Para o pragmatismo ético, eu posso assegurar que esta fórmula nunca
me causou danos. Pelo contrário, pela saúde melhorada e o auto-controle tornei-me mais tolerante,
compreensivo e compassivo. Inspira e indica muito mais possibilidades, e é a única coisa que tem
tornado a realidade mágica e a mágica, realidade. O prazer está em nós e ao nosso redor. Agora eu
aceno e ele vem até mim como um cometa.

A Fórmula:
Sempre é secreto, comunitário e periódico. Uma consumação forçada para a maioria dos ilimitados
objetivos de desejo, pela abstinência voluntária prolongada, repressão e sacrifício, até realizar pela
saturação sexual concentrada para um propósito: a exteriorização do desejo por uma grande economia e
um total esgotamento. O hiper-erotismo induzido por esta histeria em grande escala ou saturnalia, tem
uma base essencialmente sado-masoquista. Antes da cerimônia, cada celebrante tem sua cota, apesar de
que usualmente finaliza promíscua e caoticamente. Os iniciados são treinados em separado, em suas
próprias partes e na resposta que se espera deles. Eles atuam passivamente, para a promessa de um
êxtase não contado. As Bruxas têm participação ativa, do princípio ao fim: nesse caso, a levitação
simbólica pelo manuseio da vassoura. Existe um ponto de encontro e um elaborado ritual, no qual é
uma extensiva hipnose para desfazer-se completamente de todas as inibições. Portanto, o olfato, a
audição e a visão são seduzidos pelos incensos e mantras ( encantamentos e a cerimônia ritualística ),
enquanto o paladar e o tato são potencializados pelo estímulo do vinho e procedimentos orais. Após a
completa satisfação sexual por meios orais, anais ou uretrais, aparece uma alucinação exteriorizada dos
desejos predeterminados, a qual é mágica em sua realidade. Ninguém pode dizer precisamente se certas
coisas acontecem ou não, apesar de que cada pessoa tem experiências muito diferentes e igualmente
nítidas. Algumas formas de levitação parecem comuns a todos. Minha própria experiência em muitos
Sabbaths é que há uma exteriorização consumada e que as memórias subsequentes são da realidade.
Todos os atos sádicos excessivos são usualmente simbolizados por genuínas Bruxas, mas o que há na
simulação é comum a muitos dos privilégios eróticos. A cerimônia completa é baseada, principalmente,
nos serviços religiosos ortodoxos invertidos.

Doutrina e Credo
“Fornicatus Benedictus”. Todo-Poderoso Ashmodeus, vivente do Caos, ameaçador pelo vosso Nome,
vosso Reino venha diretamente a mim na Terra. Conduzi-me a todas as tentações da minha carne, a fim
de que eu possa transgredir amplamente em vossos caminhos, por meus desejos: para vossa Arte, toda
busca sexual singular, vossa poderosa genitália da criação, que não conhece satisfação – concedo a vós
meu desejo, para vossa Arte todo Poder, Êxtase e Existência. Amén! Um pequeno talismã em forma de
arabesco das zonas erógenas principais é passado ao redor e beijado por todos. Depois segue uma breve
comunhão perversa, depois um simpósio com exibicionismo sugerido, histórias libidinosas e ab-reação
das fantasias sexuais – desenvolvendo-se em coisas reais.

Sinopse do Sabbath
Teoria da Fórmula
A diferenciação é o estímulo da recreação, consequentemente, perversões e contra-práticas são usadas a
este fim. A Cerimônia e o Ritual são as matrizes da forma e da ordem, a tese, sendo que pelo ato do
“como se”, o desejo é encarnado quando magicamente ordenado. O ato de fluir dá-se pela transferência
ao poder do automatismo do elemento, como delegado pela mente obsessiva. Assim, deve obter
realismo e, por enquanto, serve a seus próprios propósitos. O momento de êxtase é usado como o
instante fecundo do dote do desejo. Para aquele período de realidade, a Vontade, o Desejo, e a
Confiança são alinhados e estão em harmonia. A crença é uma forma de auto-hipnose compulsória, na
qual deve ser erguida e introduzida a confiança. Os grandes crentes não tinham necessidade da fé – e
somos todos convencidos pelas coisas carnais.

O Credo de Afirmação
Eu acredito: Torno-me as potencialidades onde me esforço… o caminho do divertido andarilho, entre
êxtases: a aceitação de todas as coisas, de entrar em todas as portas e os desvios. A mim mesmo,
somente a Lei que faço – o bem e o mal, eu afirmo: a relatividade de todas as coisas do Ego, a apoteose
do Conhecimento em êxtase: nos Deuses e na carne eterna como toda a Verdade. Que meu caminho
seja o único rumo para mim, ainda que seja tortuoso: com o qual eu tenho me envolvido, deverá vir
adiante como um potente elemento em meu auxílio. E eu acredito, sem cautela, na preservação dos
meus conceitos como os meios do Ego, do qual todas as coisas vêm a ser no final. Amén.

Oração da Comunhão
Nós que estamos a compartilhar uns com os outros, devemos abandonar todas as tristezas e mortes
afetivas, Para nós que estamos inseridos no Equinócio Mágico Amén Nós que, orgulhosamente,
edificamos em nós mesmos cada imagem gravada, devemos ter grandes cópulas e sermos permitidos a
amar nossos Deuses Para nós que sabemos os Sagrados Alinhamentos Amén Nós que não crucificamos
– nada deve nos ferir, mesmo que seja da Natureza, nem mesmo nossas vindas e idas do ventre Para
nós que temos a Chave de toda Estética Amén Nesse momento sagrado ( aqui acontece o comer
simbólico da carne e do sangue ), nós esquecemos nossos inimigos, portanto, deixemos nossas crianças
mortas dormirem. E deixemos nosso amor morto surgir, para que eles possam ver regozijar nossos
êxtases. Deixas que tua animação seja poderosa às nossas lembranças e para que ressurja todo êxtase,
para que nesses dias não haja inibições. Amén Tua insaciável dança externa do sexo Amén

Oração de Adoração
Tu, espírito brilhante de Erh ! Tu que rapidamente incitas o fogo sagrado das cinzas mortas, para que
minha tocha ilumine toda escuridão. Tu que rapidamente torna-te o ponto de apoio da minha Vontade.
Para sempre em ti não conheço repouso: exceto no impacto sensual da carne, não existem propósitos.
Tu que rapidamente desperta-me nas eternidades. Tu que transformas todas as coisas belas em
grotescas A quem tu socorres sem esculpir esterilidades. Eu renasço e renasço em desejosas formas. Eu
tenho recriado minha Alma pelo nascimento prazeroso. Por teu intermédio, minha Vontade, desejo,
crença e palavra, tornam-se a Lei. Que arrasta-me ao Catastrófico além da Forma Tu que és o emissário
de Nenhum dos Dois ! Eterno Vigilante Silencioso ! Tu que rapidamente mostras-me as novas
sexualidades. E todos os mistérios do limiar ! Somente a ti eu adoro em minha Alma e em meu corpo
eterno. Alpha-Omega-Amen !

Invocação
Oh Poderoso Rehctaw ! Tu que existes em toda erogeneidade Nós te invocamos ! Pelo poder dos
pensamentos originados dessas formas que faço Nós te invocamos ! Pelos Talismãs que falam os
secretos temas do desejo Nós te invocamos ! Pelos sacrifícios, abstinências e avaliações que fazemos
Nós te invocamos ! Pelos sagrados conceitos embutidos Dai-nos a carne ! Nós, que devemos
experimentar todos os êxtases ! Dai-nos a Vontade ! Pela dança sexual Dai-nos o desejo invariante !
Pela conquista da fadiga Dai-nos a eterna ressurgência ! Pela mais sagrada Palavra Escrita Nós te
invocamos ! Amén !

Segunda Fórmula:
A Fórmula de Plotinus – como foi-me enviada através de uma Pitonisa de Delphos via Automatismo,
chamado “Dando Vida ao Autismo pela Virgem Terrena”. (até agora eu tinha copulado somente a
atmosfera ou percorrido prostitutas, limitado a velhas bruxas, feiticeiras e, de todos os tipos, poucas
foram as virgens). Do desejo auto-revelador à concepção hétero-reveladora, dá-se através da
consumação, usando uma urna de modelo e dimensão correta, e deve estar correlacionado próximo
daquele usado pelo lingam – portanto, há vácuo suficiente. No momento do orgasmo, o desejo deve ser
um estado imperativo. Após a ejaculação, lacre o vaso com seu sigilo e com a fórmula secreta do seu
desejo. Enterre à meia-noite, quando a Lua estiver ficando minguante. Quando a Lua minguar,
desenterre e despeje o conteúdo, como libação, na terra e com o encantamento adequado, e re-enterre.
Essa é a fórmula conhecida mais formidável, nunca falha e é perigosa – consequentemente, o que não
está escrito deve ser suposto. Dessa fórmula, derivou-se a Lenda do Gênio da Lâmpada, como relatado
por Salomão.

Publicado Originalmente por Austin Osman Spare no site Morte Súbita

Você também pode gostar