Você está na página 1de 5

Resumo da tarefa C.

O
GRH/ 4˚ano
Socialização organizacional

Após o recrutamento e selecção, as pessoas ingressam nas organizações. A partir daí elas são
admitidas como ocupantes de cargos ou posições. Antes de aplicá-las em seus cargos as
organizações procuram integrar as pessoas em seu contexto, climatizando-as e condicionando-as
através de cerimónias de iniciação e de aculturamento social as práticas preponderantes na
organização e, simultaneamente, de desligamento de antigos hábitos indesejados que devem ser
afastados do comportamento do recém-iniciado. É a maneira pela qual a organização recebe os
novos escolhidos e os integra a sua cultura, ao seu contexto, ao seu sistema para que eles possam
comportar-se de maneira adequada as expectativas da organizacional.
A socialização organizacional procura criar junto ao novo participante as bases e premissas através
das quais a organização deseja funcionar e como o novo participante poderá contribuir nesse
aspecto. Com a socialização, o novo funcionário ao ingressar na organização, renúncia a sua
liberdade de acção, concordando em obedecer ao horário de trabalho para desempenhar
determinadas actividades, a seguir a orientação do seu superior hierárquico e a atender
determinadas regras e regulamentos internos. Deste modo a organização procura induzir a
adaptação da pessoa as suas necessidades e objectivos. Por sua vez o novo participante busca
influenciar a organização para criar uma situação de trabalho que lhe proporcione satisfação e
alcance de seus objectivos pessoais. Muitas vezes, esse processo de personalização entra em
conflito com as tentativas de socialização feitas pela organização. Trata-se de um processo
bidireccional onde cada uma das partes procura influenciar e adaptar a outra aos seus propósitos.
Na verdade essa adaptação é mútua em busca de uma verdadeira simbiose entre as partes. Além
de bidireccional, há reciprocidade, entre as partes, cada parte actua sobre a outra.

Vantagens da socialização organizacional


A socialização organizacional constitui a fase crucial para o desenvolvimento de um
relacionamento saudável entre indivíduo e organização e apresenta as seguintes vantagens:
Melhora a imagem da organização; diminui a ansiedade dos membros principiantes; promove
relacionamento interpessoal; melhora o desempenho profissional do recém-iniciado; favorece a
disseminação da cultura organizacional, iguala as expectativas da organização e do novo
funcionário; permite que o novato entenda o seu papel na empresa, proporcionando lhe bases para
desenvolver as suas habilidades, competências e conhecimentos.
Métodos para promover socialização
As organizações utilizam variedades de métodos para promover a socialização de membros
novos e antigos. Em algumas organizações a socialização é feita de maneira agressiva,
como o trote de calouros nas escolas e universidades. A socialização organizacional é um
processo de aplicação que visa a criação de um ambiente de trabalho favorável durante o
período inicial do emprego.
Segundo (Chiavenato,2009) cinco métodos mais utilizados são:
• Processo selectivo
• Conteúdo inicial da tarefa
• Supervisor como tutor
• Grupo de trabalho
• Programa de integração

1.Planeamento do Processo selectivo; um esquema de entrevistas através das quais


o novo funcionário possa conhecer seu futuro ambiente de trabalho, a cultura
predominante na organização, os colegas de trabalho, as actividades desenvolvidas,
desafios e recompensas em vista, o gerente e o estilo de gestão existente, entre
outros aspectos. Permite que o candidato obtenha informações e sinta como
funciona a organização e como se comportam as pessoas que nela convivem.
2.Conteúdo inicial da tarefa; O gerente pode dar ao novo funcionário tarefas
desafiadoras e capazes de proporcionar-lhe sucesso no inicio de sua carreira na
organização para depois entregar tarefas mais complicadas e crescentemente
desafiadoras. Novos funcionários que recebem tarefas solicitadoras estão mais
preparados para desempenhar as tarefas posteriores com mais sucesso. O
funcionário principiante tende a internalizar altos padrões de desempenho e
expectativas positivas a respeito de recompensas resultantes de desempenho
excelente. Quando o principiante é colocado em tarefas fáceis, não tem a chance de
experimentar sucesso nem a motivação dele decorrente.

3. Supervisor Como tutor; Para o novo funcionário, o gerente representa a imagem


da organização, ele pode indicar um supervisor que cuide do novo funcionário
como um tutor que o acompanha e orienta durante o período inicial na organização.
Se o supervisor realiza um bom trabalho, a organização passa a ser vista de forma
positiva, mas se o supervisor é ineficiente no trabalho com o recém- chegado, a
organização será vista de forma negativa. Para que o tutor seja eficiente deve
realizar três funções básicas com o novo funcionário, nomeadamente:

a)Transmitir a ele uma descrição clara da tarefa a ser realizada.


b)Suprir todas as informações técnicas sobre como executar a tarefa.
c)Proporcionar a retroacção adequada sobre a qualidade de seu desempenho.
Para funcionar como verdadeiros tutores, os supervisores devem possuir alto grau
de segurança social de modo que não se sintam ameaçados pela falha ou pelo sucesso
dos novos funcionários, além de terem muita paciência para lidar com os novos e
inexperientes recrutas.
4. Grupos de trabalho; O gerente pode atribuir a integração do novo funcionário a
um grupo de trabalho que pode desempenhar um papel importante na socialização.
Os grupos de trabalho têm forte influência sobre as crenças e atitudes dos
indivíduos a respeito da organização e sobre como eles devem se comportar.
5. Programa de integração; São programas intensivos de treinamento inicial
destinado aos novos membros da organização para familiarizá-los com a linguagem
usual da organização, com o uso e costume interno (cultura organizacional), a
estrutura de organização, os principais produtos e serviços, a missão da organização
e a visão do futuro. Os programas de integração ou indução constituem o principal
método de aculturamento dos novos participantes as práticas correntes da
organização. Sua finalidade é fazer com que o novo participante apreenda e
incorpore valores e atitudes, normas e padrões de comportamento desejados pela
organização.

A organização como um sistema de papéis

As organizações são intencionalmente criadas para produzir serviços ou produtos.


Embora possuam coisas inanimadas como edifícios, equipamentos, instalações,
máquinas, etc., elas são constituídas por pessoas. As organizações somente podem
funcionar quando as pessoas estão em seus postos de trabalho e quando são capazes
de desempenhar adequadamente os papéis para as quais foram seleccionadas,
admitidas e preparadas. A divisão de trabalho e a especialização decorrente na
organização provocam enorme diferenciação de papéis dentro da organização, que
procura racionalizar a situação preestabelecendo rotinas para diminuir a
insegurança dos participantes, aumentar possibilidades de previsão e centralizar
funções e controles.
Papel é o conjunto de actividades e comportamentos solicitados a um indivíduo que
ocupa determinada posição em uma organização. Todas as pessoas ocupam papéis
em várias organizações por isso a organização é considerada como um conjunto de
papéis ou aglomerados de actividades esperados dos indivíduos.
A organização é um sistema de papéis porque somente começa a funcionar quando
as pessoas que devem cumprir papéis específicos e actividades solicitadas tenham
ocupado suas posições correspondentes.

Desenho de cargos e quem o faz dentro das organizações


Embora sejam diferentes as expressões papéis e cargo, é conveniente relacional os
conceitos de papel e de cargo ou seja falar de papéis é o mesmo que referir cargos ou posições
(chiavenato:2009) A administração de Recursos Humanos (ARH) trata os papéis como cargos.
Modernamente, os cargos estão sendo ajustados e adequados ao crescimento profissional das
pessoas, o que se chama enriquecimento ou ampliação dos cargos. No entanto, os cargos estão
deixando de ser individuais e confinados socialmente para se transformarem em equipes com
elevado teor social para melhorar a qualidade de vida no trabalho ou seja o elevado grau de
satisfação das pessoas com sua actividade e com sua organização.
Os cargos nem sempre são desenhados ou especificados pela ARH, mas por outros órgãos que
podem utilizar modelos de desenho de cargos, nomeadamente: director, gerente e líder da equipe/
supervisor. Estes por sua vez fazem o planeamento e programação do trabalho, atribuição das
tarefas do trabalho, treinamento do pessoal, avaliação do desempenho e controle de qualidade.
2˚ Trabalho individual de CO
Resolva todas as tarefas propostas.
Data de envio: 26/04/2020
Email: arietafilipe3@gmail.com
Docente: Arieta Domingas Bartolomeu Filipe
4º ano - GRH
NA unidade VI DINÂMICA DE GRUPO, pesquise sobre:

❖ Definição e classificação de grupos;


❖ Estrutura de grupos;
❖ Tomada de decisões grupais

N.B Façam a tarefa proposta no máximo 4 páginas e cumpram com a data de envio.
Não me responsabilizo pelo atraso.

BOM TRABALHO

Você também pode gostar