Você está na página 1de 5

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Campus Uruaçu- Departamento das Áreas Acadêmicas


Curso: Licenciatura em Química
Disciplina: Química Analítica Qualitativa
Tuma: 4º Período

Nome (s):

Efeito do íon comum, hidrólise e tampão

1. Introdução e Objetivos
Quando se dissolvem sais na água, nem sempre a solução se apresenta neutra, A
razão é que alguns sais reagem com água, ocorrendo hidrólise. Como consequência, íons
H+ ou OH- ficam em excesso na solução, tornando-a ácida ou básica, respectivamente.
Os sais derivados de ácidos e bases fortes quando dissolvidos em água, apresentam
pH neutro, pois nem os ânions e nem os cátions combinam-se com a água, não alterando
o seu equilíbrio de dissociação. Exemplo:
NaCl ( s ) + H 2 O → Na (+aq) + Cl (−aq)
Os sais derivados de ácidos fracos e bases fortes quando dissolvidos em água,
produzem uma solução de caráter alcalino, ou seja, pH maior que 7,0. Isso é decorrente do
fato do ânion combinar-se com os íons hidrogênio proveniente da dissociação da água,
formando um ácido fraco levemente dissociado e deixando íons hidroxila livres em solução.
Exemplo:
NaCH 3 COO( s ) + H 2 O → Na (+aq) + CH 3 COO(−aq)

CH 3 COO(−aq) + H 2 O → CH 3 COOH + OH (−aq)


Esta última equação é o equilíbrio global do ânion. De um modo geral, podemos
escrever a seguinte equação: A − + H 2 O → HA + OH −
A constante de equilíbrio desse processo é denominada constante de hidrólise e
[ HA][OH − ]
pode ser expressa como: k h = .
[ A− ]
A concentração da água pode ser considerada constante. Quanto maior o valor de kh,
maior será o pH da solução, ou seja, mais alcalina.
A constante de hidrólise está relacionada com a constante de dissociação do ácido
k [ HA][OH − ]
fraco e portanto, pode-se escrever como: k h = w =
ka [ A− ]
O grau de hidrólise (x) pode ser definido como a fração de cada molécula do ânion
hidrolisado no equilíbrio. Se a concentração total do ânion, isto é, do sal for representado
por c e o grau de hidrólise por x, a constante de hidrólise pode ser expressa como:
cx 2
kh =
1− x
Rearranjado a equação, podemos expressar o grau de hidrólise por:
kh k h2 kh
x=− + 2
+
2c 4c c
Se o valor de x for baixo ( 2 a 5%), a equação pode ser reduzida a: k h = x 2 c , donde
kh
x=
c
A concentração hidrogeniônica de uma solução obtida pela dissociação de c
moléculas por litro de sal derivado de um ácido fraco e base forte pode ser calculada pela
seguinte expressão:
1 1
pH = 7 + pk a + log c
2 2
Os sais derivados de ácidos fortes e bases fracas quando dissolvidos em água,
produzem uma solução de caráter ácido, ou seja, pH menor que 7,0. O cátion do sal
combina-se com os íons hidroxila proveniente da dissociação da água, formando uma base
fraca levemente dissociada e liberando íons hidrogênio livres em solução. O equilíbrio
global de hidrólise pode ser expresso por:
M (+aq) + H 2 O → MOH + H (+aq)
A constante de hidrólise desse equilíbrio pode ser expressa como:
k w [ MOH ][H + ]
kh = = .
kb [M + ]
O grau de hidrólise (x) para o sal de uma base fraca monovalente em função da constante
x 2c
de hidrólise pode ser expresso como: k h = .
1− x
kh
Se x é pequeno (2 a 5%) a equação pode ser reduzida para: x =
c
A concentração hidrogeniônica de uma solução obtida pela dissociação de c
moléculas por litro de sal derivado de um ácido forte e base fraca pode ser calculada pela
seguinte expressão:
1 1
pH = 7 − pk b − log c
2 2
No caso de sais derivados de ácidos e bases fracas o processo de hidrólise é mais
complexo. A hidrólise do cátion produz à formação de uma base não dissociada, enquanto
que o ânion produz um ácido fraco. Os íons hidrogênio e hidroxila formados recombinam-
se parcialmente formando água.
Dependendo dos valores das constantes de dissociação, três situações podem
ocorrer:
1. Se ka>kb, a solução será ácida;
2. Se ka<kb, a solução será alcalina;
3. Se ka=kb, a solução será neutra.
kw
A constante de hidrólise pode ser expressa por: k h =
ka  kb
A concentração hidrogeniônica de uma solução obtida pela dissociação de c moléculas por
litro de sal derivado de um ácido e base fraca pode ser calculada pela seguinte expressão,
principalmente se os valores de ka e kb não forem diferentes demais.
ka
[H + ] = k w
kb

No curso de uma análise química, às vezes, é necessário ajustar a concentração


hidrogeniônica em um determinado valor e mantê-la constante no decorrer da análise. Tal
ajuste se faz com o auxílio de soluções-tampão ou soluções reguladoras. Estas soluções,
geralmente, são formadas pela mistura de um ácido fraco e seu sal ou de uma base fraca
e seu sal. A concentração hidrogeniônica pode ser calculada baseando-se no equilíbrio
químico das soluções.
No caso de uma solução de tampão ácido a concentração hidrogeniônica pode ser
calculada pela seguinte expressão:
Cs
pH = pk a + log , onde pk a = − log k a e Cs é a concentração do sal e Ca é a concentração
Ca
do ácido fraco.
Do mesmo modo, se o tampão for de uma solução básica a concentração
hidrogeniônica pode ser calculada pela seguinte expressão:
Cs
pH = 14 − pk b − log , onde pk b = − log k b e Cs é a concentração do sal e Cb é a
Cb
concentração da base fraca.
Esta aula tem como objetivos realizar experimentos para avaliar o pH de soluções
salinas e variação do pH quando se altera o equilíbrio ácido-base, assim como o estudo de
soluções tampão.

2. Materiais e Reagentes
• Uma estante com dez tubos de • Ácido acético 4,0 mol/L
ensaios
• Papel indicador • Hidróxido de amônio 6,0 mol/L
• Acetato de sódio 1,0 mol/L • Cloreto de sódio 0,1 mol/L
• Cloreto de amônio 4,0 mol/L • Ácido clorídrico 0,1 mol/L
• Acetato de amônio 4,0 mol/L • Hidróxido de sódio 0,1 mol/L

3. Procedimento Expermental
3.1. Efeito do íon comum em equilíbrio ácido-base
Tubo 1: Adicione em um tubo de ensaio 10 gotas de água destilada. Meça o pH com papel
indicador. Em seguida adicione 5 gotas de ácido acético 4,0 mol/L e meça o pH da
solução. Adicione lentamente, com agitação, algumas gotas de solução acetato de sódio
de 1,0 mol/L. Leia o valor de pH.
Tubo 2: Adicione em um tubo de ensaio 10 gotas de água destilada. Adicione 5 gotas de
hidróxido de amônio 6,0 mol/L e meça o pH da solução. Anote o valor. Adicione
lentamente, com agitação, algumas gotas de solução 4,0 mol/L de cloreto de amônio. Leia
novamente o valor de pH.
Escreva as equações dos equilíbrios envolvidos nestes ensaios e interprete os resultados
observados em termos de deslocamento de equilíbrio.

3.2. pH de soluções salinas


Tubo 3: Adicione 20 gotas de solução de cloreto de sódio 0,1 mol/L. Meça o pH.
Tubo 4: Adicione num tubo de ensaio 20 gotas de solução de cloreto de amônio 4,0 mol/L.
Meça o pH da solução com papel indicador.
Tubo 5: Adicione num tubo de ensaio 20 gotas de solução de acetato de sódio 1,0 mol/L.
Meça o pH da solução com papel indicador.
Tubo 6: Adicione num tubo de ensaio 20 gotas de solução de acetato de amônio 4,0 mol/L.
Meça o pH da solução com papel indicador.

3.3. Solução-tampão
Tubo 7: Em um tubo de ensaio misture 20 gotas de solução de hidróxido de amônio 6
mol/L e 30 gotas de solução de cloreto de amônio 4,0 mol/L. Misture e verifique o pH da
solução. Adicione uma gota de solução 0,1 mol/L de ácido clorídrico, agite a solução e
verifique o pH. Repita esse procedimento até pH constante.
Tubo 8: Em outro tubo de ensaio coloque 10 gotas de água destilada. Adicione uma gota
de solução 0,1 mol/L de ácido clorídrico, agite a solução e verifique o pH.
Tubo 9: Em outro tubo de ensaio misture 20 gotas de solução de hidróxido de amônio 6
mol/L e 30 gotas de solução de cloreto de amônio 4 mol/L. Misture e verifique o pH da
solução. Adicione uma gota de solução 0,1 mol/L de hidróxido de sódio, agite a solução, e
verifique o pH. Repita esse procedimento e analise os resultados.
Tubo 10: Em outro tubo de ensaio coloque 10 gotas de água destilada, introduza um papel
indicador e verifique o pH da água. Adicione uma gota de solução 0,1 mol/L de hidróxido
de sódio, agite e verifique o pH.

4. Resultados
Tabela 1: Resultados dos ensaios de equilíbrio químico
Tubo Observações e Reação Química
01

02

03
04

05

06

07

08

09

10

5. Exercícios Pós-Laboratório
1. Calcule o pH das soluções salinas e compare com os valores obtidos
experimentalmente.
2. Defina solução tampão e calcule o valor das preparadas no item 3.3. Compare com os
valores experimentais.

6. Referência Bibliografica
MAHAN, B.M.; MYERS, R.J. Química: um curso universitário. São Paulo: Editora Edgar
Blücher, 1997.
VOGEL, A. I, Química analítica qualitativa. 5a ed. São Paulo: Editora Mestre Jou, 1981.