Você está na página 1de 20

Capitulo 09- Resposta em frequência do TBJ

Introdução

Até aqui, a análise esteve limitada a uma frequência específica. Para o amplificador, esta foi
uma frequência que, de modo geral, permitiu ignorar os efeitos dos elementos capacitivos, limitando a
análise somente com elementos resistivos e fontes independentes e controladas.
Agora, verificaremos os efeitos em baixas frequências introduzidos no circuito pelos
capacitores maiores e os efeitos em altas frequências introduzidos no circuito pelos elementos
capacitivos menores do dispositivo ativo.

Logaritmos

Uma escala logarítmica é uma escala que usa o logaritmo de uma grandeza em vez da grandeza


propriamente dita. A apresentação de dados em uma escala logarítmica pode ser útil quando os dados
cobrem uma grande gama de valores – o logaritmo reduz a representação a uma escala mais fácil de
ser visualizada e manejada.

Onde:
Se a é determinado tomando-se a base b e elevando-a à potência x,
o mesmo x é obtido se o log de a for calculado na base b. Por exemplo,

se b = 10 e x = 2,
a = bx = (10)2 = 100
mas x = log b a = log10 100 = 2

Onde: e = 2,71828...

Os dois são relacionados por:

EX: Utilizando a calculadora, determine o logaritmo dos seguintes números na base indicada.
a) log10 106. =6
b) loge e3.=3
c) log10 10–2.=-2
d) loge e–1.=-1
EX:Utilizando a calculadora, determine o logaritmo dos seguintes números:

1
a) log10 64.=1,8
b) loge 64.
c) log10 1600.
d) log10 8000.

EX: Utilizando uma calculadora, determine o antilogaritmo das seguintes expressões:


a) 1,6 = log10 a.=39,81
b) 0,04 = loge a.

Propriedades logarítmicas:

Logaritmo de um produto
Em qualquer base, o logaritmo do produto de dois ou mais números positivos é igual à soma dos
logaritmos de cada um desses números.
log 10 a . b=l og 10 a+ log 10 b

Logaritmo de um quociente
Em qualquer base, o logaritmo do quociente de dois números reais e positivos é igual à diferença entre
os logaritmos desses número.

a
log 10 =log 10 a−log 10 b
b

Para o caso especial de a = 1 passa a ser:

1
log 10 =log 10 1−log 10 b onde: log 10 1=0
b

1
log 10 =−log 10 b
b

Mudança de base

A mudança de base é feita aplicando-se a seguinte relação:

log c a
log a b= , mudança para base c.
log c b
Uma aplicação importante dessa propriedade é que o logab é igual ao inverso do logba, ou seja:

1
log a b= .
log b a

2
Ex. Utilizando uma calculadora, determine o logaritmo dos seguintes números:
a) log10 0,5. =-0,3
4000
b) log 10 .=log 10 4000−log 10 250=1,20
250
c) log10 (0,6 × 30).

Gráfico logaritmo:
O uso de escalas logarítmicas pode expandir significativamente a faixa de variação de uma
variável específica em um gráfico. A maioria das folhas para gráfico disponíveis é do tipo semilog ou
di-log (log-log). O termo semi (que significa metade) indica que somente uma das duas escalas é
logarítmica, ao passo que di-log indica que ambas as escalas são logarítmicas.

Decibéis Níveis de potência

O termo decibel (dB) está ligado ao fato de que potência e níveis de sinais se relacionam em
uma base logarítmica.
O termo bel origina-se do sobrenome de Alexander Graham Bell. Para fins de padronização, o
bel (B) foi definido pela seguinte equação, que relaciona os valores de potênciaPi(entrada) e Po
(saída):

Po
ganho de potência →G=log 10 ( Bel)
Pi

3
Verificou-se, entretanto, que bel era uma unidade de medida grande demais para propósitos
práticos. Por isso, foi definido o decibel (dB), de modo que 10 decibéis = 1 bel. Portanto,

Po
G dB =10. log10 (dB)
Pi

Caso particular para analise de sinais em telecomunicações:


As especificações de equipamentos eletrônicos de comunicações (amplificadores, microfones etc.) normalmente
são dadas em decibéis
Para analise do sinal de um sistema de telecomunicações utiliza-se como referência potencia de entrada Pi=1 mW.
A resistência associada com o nível de potência 1mW é 600 Ω, que é o valor da impedância característica das linhas de
transmissão de sinais.

Po
Ganho de potencia emGdBm=10. log 10
1 mW |600 Ω
(dBm)

Ganho de tensão em dB:


VO2 / RO ❑
Po
Ganho de potênciaG dB =10. log =10. log 10 (dB)
Pi Vi 2 /Ri
Para Ro=Ri máxima transferência de energia:
Vo2 Vo
Ganho de tensãoG VdB =10. log 2
=20. log dB
Vi Vi

Estagio em cascata:

AVT=AV1.AV2.AV3..........AVn
Aplicando logaritimo:
GVT em dB=20. log 10 AV T =20. log 10 AV 1+ 20. log 10 AV 2+ … 20. log10 AV n
Tona-se soma os ganhos:

Ex:Determine o valor do ganho que corresponde a um ganho de tensão de 100 dB.

Ex: A potência de entrada de um dispositivo é 10.000 W para uma tensão de 1.000 V. A potência de saída é 500 W e a
impedância de saída é 20 Ω.

a) Determine o ganho de potência em decibéis.


b) Determine o ganho de tensão em decibéis.

4
Análise para baixas frequências — diagrama de Bode

Circuito RC- filtro passa alta.

Aplicando divisor de tensão:

Onde a freqüência de corte :


1
Frequencia de corte → fc =¿ ¿
2. π . R . C
Ganhod e tensão:
1
Ganho de tensão→ AV =¿ ¿
fc
1− j
f ( )
Ganho em modulo e ângulo:

Na forma de Logaritmo, o ganho em dB é:

1
A v =20 log 10
2
fc
√ 1+ ( )
f

Expandindo a Equação anterior:

2 1/ 2
fc
[ ( )]
A v =−20 log 10 1+
f

2 2
1 fc fc
A v =− ( ) [ ( )]
2
20 log 10 1+
f [ ( )]
=−10 log 10 1+
f

5
Para frequências em que ƒ << ƒL ou (ƒL/ƒ)2 >> 1, a equação anterior pode ser aproximada por:
2
Av=−10 log 10
fc
( )
f
= −20 log 10 ( fcf )
EX. Para o circuito da abaixo determine:
a) Determine a frequência de corte.
b) Determine o ganho para a freqüência de f do sinal de entrada igual a freqüência de corte.
c) Esboce a curva de resposta em frequência.
d) Calcule o ganho Av linear em Av(dB) = – 6 dB.

Circuito RC- filtro passa baixa:

Aplicando divisor de tensão:

Onde a freqüência de corte :


1
Frequencia de corte → fc =¿ ¿
2. π . R . C
Ganhod e tensão:
1
Ganho de tensão→ AV =¿ ¿
f
1− j ( )
fc
Ganho em modulo e ângulo:

Expandindo a Equação anterior:


2 1/ 2
f
[ ( )]
A v =−20 log 10 1+
fc
2 2
1 f f
A v =− ( ) [ ( )]
2
20 log 10 1+
fc [ ( )]
=−10 log 10 1+
fc

6
Para frequências em que ƒ << ƒL ou (ƒL/ƒ)2 >> 1, a equação anterior pode ser aproximada por:
2
Av=−10 log 10 ( )f
fc
= −20 log 10 ( fcf )
Resposta em baixas frequências — amplificador com TBJ com RL

Efeito do capacitor Cs:

Freqüência de corte para FCCs:

1
Frequencia de corte → fc Cs=¿ ¿
2. π .( Zi+ RS) .Cs
Definido:
Vi 1
Av=¿ = ¿
Vs fc
1− j( Cs )
f

Efeito do capacitor CC:

Frequencia de corte Para FCCc:

1
Frequencia de corte → fc Cc=¿ ¿
2. π .(Zo+ Rl ). Cc

Definido:
Vo 1
Av=¿ = ¿
Vi fc
1− j( Cc )
f

7
Efeito do capacitor CE:

Usando Thevenin :

Frequencia de corte FCCE :

Onde :

Em que:

Vi 1
Av=¿ = ¿
Vs fc CE
1− j( )
f

8
O Ganho total é:

Vo Zi 1
Avs=¿ = . AV L . ¿
Vs RS+ Zi fc ONDE :fc=fce ou =fcc ou =fcs
1− j( )
f

Exercicios: para o circuito abaixo determine:

A) a freqüência de corte
B) O ganho de tensão total
C) O ganho total para UM SINAL DE ENTRADA COM f=5Hz, 20Hz e 40Hz, E AMPLITUDE DE 10mV
D) Qual o ganho total na frequência de corte?

Exercícios: para o circuito abaixo determine:

A) a freqüência de corte
B) O ganho de tensão Maximo
C) O ganho total para UM SINAL DE ENTRADA COM f=10Hz, 1kHz e 15kHz, E AMPLITUDE DE 10mV
D) Qual o ganho total na frequência de corte?

9
Exercícios: para o circuito abaixo determine:
A) a freqüência de corte
B) O ganho de tensão total
C) O ganho total para UM SINAL DE ENTRADA COM f=10Hz, 20Hz e 100Hz, E AMPLITUDE DE 10mV
D) Qual o ganho total na frequência de corte?

Exercícios: para o circuito abaixo determine:


A) a freqüência de corte
B) O ganho de tensão total
C) O ganho total para UM SINAL DE ENTRADA COM f=10Hz, 20Hz e 100Hz, E AMPLITUDE DE 10mV
D) Qual o ganho total na frequência de corte?

10
Resposta em alta frequências e Capacitância de efeito Miller
Capacitância de efeito Miller

Na região de altas frequências, os elementos capacitivos relevantes são as capacitâncias


entre terminais, internas ao dispositivo ativo, e a capacitância de fiação do circuito.

Para amplificadores inversores (deslocamento de fase de 180° entre a entrada e a


saída). as capacitâncias de entrada e de
saída são determinadas pela de capacitâncias entre os terminais do TBJ e ao ganho do
amplificador.

Determinação da capacitância de Miller de entrada:

Onde:

Cf= Capacitância de realimentação ( entre os terminais de saida e entrada).

A capacitância de Miller equivalente é determinada aplicando Lei das Correntes de


Kirchhoff resulta em:

Ii = I1 + I2

11
Utilizar a lei de Ohm resulta em:

Substituindo, obtemos:

Onde:
CM= .(1-Av).Cf , capacitância de Miller.
XCM=( 1/CM) reatância capacitiva de Miller

A impedância equivalente fica:

Circuito equivalente:

12
Qualquer capacitância entre os terminais (ou parasita) de entrada e saída do amplificador resulta em
uma capacitancia de Miller equivalente em paralelo ao resistor de entrada.

Determinação da capacitância de Miller de saída:

Aplicando Lei das Correntes de Kirchhoff resulta em:

Io = I1 + I2

A resistência Ro costuma ser grande o suficiente para nos permitir ignorar o primeiro
termo da equação comparado ao segundo termo e admitindo que:

Io=I2

Substituir Vi = Vo/Av, obtido de Av = Vo/Vi, resulta em

13
Onde CMO= capacitância de Miller de saída.

Para a situação usual onde Av >> 1, reduz-se a:

Resposta em altas frequências-Amplificador com TBJ.

No lado das altas frequências, há dois fatores que definem o


ponto de corte de –3 dB:
1) A capacitância do circuito (parasitas e introduzidas)
2) A dependência de hƒe(β) em função da frequência.

14
1-Resposta em alta freqüência para Configuração
polarização por divisor de tensão:

Modelo CA equivalente para altas frequências do circuito polarização fixa.

Aplicando Miller na entra e saída:

15
Na entrada:

Na saida:

Para um alto valor de Av (característico): 1 >> 1/Av

Aplicando Thevenin nas malhas de entra e saida:

16
2- Variação de hƒe (ou β)
A variação de hƒe (ou β) com a frequência se baseiam, com um bom grau de
precisão, na seguinte relação:

f= freqüência da fonte (Hz)


ffreqüência de conte em relação ao parâmetro depende do modelo)

Para calcular f utiliza o modelo de Giacoletto (modelo hibrido)

17
O valor de re depende da configuração.

Relação de f e f

Para os transistores em si, quando um ganho de tensão não for definido por
uma configuração, as folhas de dados fornecerão um valor de fT que se
relaciona somente com o transistor. Isto é,

Onde fT é chamada frequência de ganho unitário e é sempre igual ao produto


do ganho no meio da faixa de um amplificador pela largura de banda em
qualquer valor de ganho.

18
Substituindo a Equação 9.62 para fβ na Equação 9.65, temos

Gráfico:

Exercicio: para o circuito a seguir com os seguintes parâmetros:


Rs = 1 kΩ, R1 = 40 kΩ, R2 = 10 kΩ,
RE = 2 kΩ, RC = 4 kΩ, RL = 2,2 kΩ
Cs = 10 μF, CC = 1 μF, CE = 20 μF
hƒe = 100, ro = ∞ Ω, VCC = 20 V
com a inclusão de
Cπ(Cbe) = 36 pF, Cu(Cbc) = 4 pF,
Cce = 1 pF, CWi = 6 pF, CWo = 8 pF

a) Determine fHi e fHo.


19
b) Calcule fβ e fT.
c) Esboce a resposta em frequência para as regiões de baixa e alta frequência.
Para o circuito da Figura abaixo:
a) Determine re.
b) Encontre Avmédio = Vo/Vi.
c) Calcule Zi.
d) Encontre ƒLcs , ƒLcc e ƒLce.
e) Determine a frequência de corte inferior.
f) Determine fHi, fHo e fβ .
g) Determine a frequência de corte superior.

20