Você está na página 1de 20

Pesquisa Macroeconômica – Itaú

Perspectivas Econômicas
(especial) – mar/20

Corporativo | Interno
1
1. Internacional

Roteiro 2. Brasil

Corporativo | Interno
Introdução
Internacional
Os efeitos da pandemia _ O contágio do coronavírus se estabilizou na China e _ As revisões se devem ao fato que governos irão, corretamente
outras economias asiáticas, mas a doença se a nosso ver, priorizar a saúde pública, mesmo que a um custo
espalhou globalmente.
econômico de curto prazo que tende a ser muito elevado,
ainda que não permanente.
_ Revisamos nossas previsões de crescimento do PIB:
de 2,7% para -0,4% em nível global; de 5,3% para
3,3% na China; de 0,6% para -2,2% na Europa; de _ As respostas de política econômica atenuam o aperto
2,0% para 0,1% nos EUA; e de 0,8% para -2,2% na financeiro decorrente do choque, e serão muito importantes
América Latina.
para evitar cenários ainda piores para a economia global.

_ América Latina: não há muito espaço para respostas via


política fiscal, mas está em curso um maior afrouxamento da
política monetária.

Destaques

3
Corporativo | Interno
Internacional
Nossas projeções:

2016 2017 2018 2019 2020 2021

Mundo 3,3 3,7 3,7 3,0 -0,4 6,1

EUA 1,6 2,4 2,9 2,3 0,1 4,6

Zona do Euro 1,9 2,7 1,9 1,2 -2,2 4,6

Japão 0,5 2,2 0,3 0,8 -1,5 2,2

China 6,8 6,9 6,7 6,2 3,3 8,2

Fonte: FMI, Bloomberg, Itaú


4
Corporativo | Interno
Internacional

Contágio do coronavírus se estabilizou na China e outras


economias asiáticas, mas a doença se espalhou globalmente

Novos casos per capita


9
Na China, medidas contundentes do
governo seguraram a disseminação do
1
Casos por 100 mil habitantes coronavírus.
8 Aceleração:
27d
China
7
Coreia do Sul
Itália
No entanto, o vírus agora se espalhou
globalmente. 2
6
EUA
FR+ALE+SP+UK
3
5
Aceleração: 17d Nossa revisão de cenário decorre da
4 evolução do contágio em escala global,
Aceleração: 10d bem como das prováveis respostas de
saúde pública que estão sendo e serão
3 Da adotadas.
aceleração
2 Da aceleração ao pico: 15d

1
ao pico: 16d
(Hubei 22)
No caso chinês, a medida que mais gerou
impacto na atividade foi o adiamento da
4
retomada da produção após o feriado de
0 ano novo (que afetou cerca de 80% do
20-jan 2-fev 15-fev 28-fev 12-mar PIB).
Fonte: Johns Hopkins University, China’s National Health Commission, Itaú
5
Corporativo | Interno
Internacional
Reduzimos substancialmente a previsão para o PIB global
de 2,7% para -0,4%, configurando uma recessão global

Atividade na China normalizando gradualmente


120
55
Baixamos nossas previsões para China,
Europa, e também os EUA. 1
110 Índice de Atividade Diário 53
PMI Manufaturas (dir.)

2
100 51 A atividade na China caiu fortemente em
49 fevereiro e agora se recupera
90 gradualmente. No entanto, é provável
47 uma forte desaceleração no resto do
80 mundo em março e/ou abril.
45
70 43
60 41 Supomos que os EUA adotarão um 3
programa de distanciamento social
50 39 (lockdown) equivalente a 75% do
37 observado na China, e a Europa, de 100%.
40
35
30 33
20
Índice Índice
31 Nossa interpretação é que o choque da
epidemia, e medidas de controle,
4
representam uma grande restrição de
oferta, mas que acaba tendo
consequências muito relevantes sobre a
Fonte: Governo da China, Itaú
renda e gasto também.
6
Corporativo | Interno
Internacional
Apesar de brutal, o choque é transitório e, com respostas
adequadas, a recuperação deve ser acelerada
PIB real global
1,20
Esperamos que as principais economias
entrem em lockdown generalizado, o que
1
PIB real, número índice. deve levar a uma estabilização da epidemia
ao longo de abril, e a uma normalização
1,15 completa da atividade econômica ao longo
de maio/junho.
Trajetória com coronavírus + travessia bem feita
2
1,10
Trajetória sem coronavírus
Na China, estimamos que a atividade
econômica tenha contraído 40% em
1,05 fevereiro. Esperamos queda de mesma
magnitude na União Europeia e um pouco
menor (de 30%) nos EUA, dividida entre
1,00 março e abril – a maior parte nesse segundo
mês.

0,95 Apesar de brutal, o choque é transitório e, 3


com respostas adequadas, a recuperação
deve ser acelerada.
0,90
jun-19

set-19

jun-20

set-20

jun-21

set-21
mar-19

mar-20

mar-21
dez-19

dez-20

dez-21

No entanto, existem riscos relevantes para


o cenário.
4
Fonte: Haver, Itaú

7
Corporativo | Interno
Internacional
Respostas de política econômica

Cortes de juros se intensificam


Tivemos uma forte e sincronizada, ainda que
não totalmente coordenada, expansão 1
9 Número de BCs que diminuíram estímulo menos monetária, que envolveu cortes de juros, nos
número de BCs que aumentaram estímulo casos em que isso era viável (EUA, Reino
7 Unido, Austrália, Canadá, entre outros) bem
5 como expansão quantitativa (EUA, Reino
Unido, área do euro, Japão, entre outros).
3 Emergentes
Desenvolvidos
1
Também no caso chinês, houve redução
pequena da taxa de juros que é referência
2
-1
para os empréstimos e aumento dos limites
-3 para financiamento de pequenas e médias
empresas.
-5
-7
-9
-11
-13
-15
mar-16 mar-17 mar-18 mar-19 mar-20
Fonte: Bloomberg, Itaú

8
Corporativo | Interno
Internacional
Respostas de política econômica

Impulso fiscal – resultado primário ajustado pelo ciclo


2,2%
+1,7 pp de impulso pós-Coronavirus
Os estímulos fiscais estão a caminho
1
2,0%
(+2,1 em EA, +1,1 em EEs)
1,8%
1,6%
Economias avançadas
Os Estados Unidos anunciaram um
pacote de estímulo equivalente a
2
1,4%
Economias avançadas (após vírus) 3,3% do PIB; a Zona do Euro
1,2% Economias emergentes apresentou um programa de 1,2% do
1,0% Economias emergentes (após vírus) PIB; e a Itália, de 1,4%.
0,8% Mundo
0,6%
0,4% O impulso fiscal total agora é 3
0,2% estimado em 1,7% (calculado como a
0,0% variação do saldo primário ajustado
-0,2% pelo ciclo como percentual do PIB
potencial).
-0,4%
-0,6%
-0,8%
-1,0% +positivo = expansão fiscal / - negativo =
-1,2% contração fiscal
-1,4%
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20P 21P 22P
Fonte: FMI, Itaú

9
Corporativo | Interno
Internacional
América Latina: Flexibilização monetária, apesar da
pressão cambial
O surto de coronavírus e, em menor grau,
os preços mais baixos do petróleo 1
Crescimento do PIB produziram uma acentuada deterioração
dos preços dos ativos na região.
8,0%

6,0% 5,4%
6,4% O PIB da América Latina deve ter forte
contração em 2020. A atividade
econômica na região provavelmente
2
4,8% cairá 2,2% este ano.
4,3%
3,9% 4,0%
4,0% 3,6%

2,5%
3,3% Não há muito espaço para respostas de
política fiscal. Por outro lado, está em
3
1,1% 2,1% 2,2%
2,0% andamento um maior afrouxamento da
política monetária.

0,0% Os bancos centrais também têm sido


parcimoniosos com as vendas em dólar,
4
-0,1% -0,1%
-0,4%
com os bancos centrais da Colômbia e
-2,0% -1,6% do México intervindo modestamente
-2,1% através de derivativos, enquanto o
-2,5% -2,5% banco central do Brasil tem sido mais
-4,0% ativo tanto no mercado à vista quanto
-4,4%
no de derivativos

-6,0%
Argentina Chile Colômbia México Peru
Em 2021, esperamos um forte
crescimento da atividade, resultante, em
5
2018 2019P 2020P 2021P grande medida, de um efeito base
favorável
Fonte: Itaú
10
Corporativo | Interno
Internacional
Latam: nossas projeções

Peru México Colômbia

2018 2019 2020P 2021P 2018 2019 2020P 2021P 2018 2019 2020P 2021P

PIB - % 4,0 2,2 -0,1 6,4 PIB - % 2,1 -0,1 -2,5 4,3
PIB - % 2,5 3,3 -0,4 5,4
MXN / USD
PEN / USD (dez) 3,37 3,32 3,49 3,38 19,65 18,93 21,0 20,5 COP / USD (dez) 3254 3287 4100 3900
(dez)
Taxa de Taxa de
Taxa de referência
2,75 2,25 1,25 1,75 referência 8,25 7,25 5,50 5,50 referência (dez) 4,25 4,25 3,75 3,75
(dez) %
(dez) % %
IPC 2,2 1,9 2,1 2,3 IPC 4,8 2,8 3,4 3,3 IPC 3,2 3,8 3,3 3,0

Chile Argentina

2018 2019 2020P 2021P 2018 2019P 2020P 2021P


PIB - % 4,0 1,1 -1,6 4,8 PIB - % -2,5 -2,1 -4,4 3,6

CLP / USD (dez) 694 753 830 800 ARS / USD (dez) 37,8 59,90 85,0 120,0

Taxa de Taxa de
2,75 1,75 0,50 1,25 59,3 55,0 30,0 30,0
referência (dez) % referência (dez) %
IPC 2,6 3,0 3,3 2,9 IPC 47,6 53,8 35,0 45,0

11
Corporativo | Interno
Introdução
Brasil
_ Reduzimos nossa projeção de crescimento do PIB para _ Pioramos nossas estimativas de déficit primário de
-0,7% em 2020 (de 1,8%), devido aos efeitos negativos 1,1% para 3,1% do PIB em 2020, e de 0,6% para 0,8%
da epidemia de coronavírus no primeiro semestre do do PIB em 2021.
Choque temporário, ano. Para 2021, elevamos a nossa projeção para 5,5%
mas cenário fica mais (ante 3,0%). _ Reduzimos a nossa projeção de inflação de 3,3%
incerto para 2,9% neste ano e de 3,5% para 3,3% em 2021.
_ Revisamos a nossa projeção de taxa de câmbio para
4,60 reais por dólar em 2020 (ante 4,15). Mantemos _ Alteramos nossa projeção para a taxa Selic para
nossa projeção de 4,15 reais por dólar em 2021 3,25% a.a. ao final de 2020 e para 3,75% a.a. ao final
de 2021.

Destaques

12
Corporativo | Interno
Brasil
Nossas projeções:

2016 2017 2018 2019 2020P 2021P

Atividade econômica
PIB (%) -3,3 1,3 1,3 1,1 -0,7 5,5
Desemprego (%) – Dezembro (PNAD
cont.)
12,6 12,4 12,2 11,6 11,4 11,0
Inflação
IPCA (%)
6,3 2,9 3,7 4,3 2,9 3,3
Política monetária
Taxa SELIC (%)
13,75 7,00 6,50 4,5 3,25 3,75
Fiscal
Superávit primário (% PIB)
-2,5 -1,7 -1,6 -0,9 -3,1 -0,8
Balança de pagamentos
Câmbio - Dezembro 3,26 3,31 3,88 4,03 4,60 4,15
Conta corrente (% PIB) -1,3 -0,7 -2,2 -2,8 -3,0 -2,6

13
Corporativo | Interno
Brasil
Paralisação temporária
PIB: trajetória trimestral
15%
13%
variação trimestral com
11,9%
Revisamos nossas projeções de crescimento do PIB
para -0,7% em 2020 e +5,5% em 2021. 1
ajuste sazonal
11%
9%
7%
Esperamos um recuo de 9,7% do PIB no 2T20 em
relação ao 1T20 com ajuste sazonal (sem anualizar), e
2
5% crescimento de 11,9% na mesma base de comparação
no 3T20.
3%
0,3% 0,7% 0,8%
1%
-1% O nível do PIB a partir do 3T20 até o 4T21 permanece o
mesmo em relação ao que projetávamos
3
-3%
anteriormente, uma vez que o efeito desse choque
-5% sobre a atividade econômica deve ser temporário –
-7% supondo que as respostas de política econômica
-9% logrem mitigar riscos estruturais para a economia.
PIB realizado
-11% PIB projeções -9,7%
-13%
O crescimento elevado do PIB de 2021 se deve, 4
dez/15

dez/16

dez/17

dez/18

dez/19

dez/20

dez/21
jun/16
set/16

jun/17
set/17

jun/18
set/18

jun/19
set/19

jun/20
set/20

jun/21
set/21
mar/16

mar/17

mar/18

mar/19

mar/20

mar/21

portanto, primariamente, ao carrego estatístico


favorável após a contração do PIB no 2T20.

Fonte: IBGE, taú


14
Corporativo | Interno
Brasil

Overshooting do câmbio no curto prazo

Coronavírus pressionou moedas emergentes Revisamos a nossa projeção de taxa de câmbio para
4,60 reais por dólar em 2020 (ante 4,15). Para 2021, 1
135 mantivemos a nossa projeção em 4,15 reais por dólar
Número índice: jan/19 = 100

130
A moeda brasileira deve seguir pressionada nos 2
próximos meses em razão do elevado nível de
125 América Latina incerteza na economia global e da consequente
CEEMEA* redução do apetite ao risco, que deve limitar o fluxo
de capitais para economias emergentes.
Brasil
120

115

110 Ao longo do segundo semestre e do próximo ano, à


medida em que o choque resultante da epidemia do
3
105 coronavírus for se dissipando, a aversão ao risco
global deve se reduzir, e a economia doméstica deve
voltar a ganhar força, abrindo espaço para alguma
100
apreciação do real em direção a um patamar mais
compatível com os fundamentos da economia
95 brasileira.
jan-19 mar-19 mai-19 jul-19 set-19 nov-19 jan-20 mar-20

*Inclui países da Europa central e oriental, Oriente Médio e África

Fonte: Itaú, Bloomberg


15
Corporativo | Interno
Brasil
Piora fiscal é temporária, mas manter teto de gastos
de 2021 em diante é fundamental
Resultado primário - % do PIB Esperamos déficits primários de 3,1% do PIB (R$ 230
bilhões) para 2020 e de 0,8% do PIB (R$ 70 bilhões) 1
0,0 para 2021, frente 1,1% (R$ 85 bilhões) e 0,6% (R$ 45
bilhões) anteriormente.

-0,5

2
-0,6
A piora em 2020 decorre de 0,7% do PIB (R$ 50
-1,0 -0,9 -0,8
bilhões) em gastos e medidas para o combate aos
impactos do coronavírus e de 1,3% do PIB (R$ 95
-1,5
bilhões) em queda de receitas, em razão da atividade
econômica mais fraca e de menores preços de
-1,6 petróleo.
-1,7
-2,0 -1,9

-2,5
-2,5 Esperamos que as medidas tomadas não criem 3
despesas permanentes, de modo que o ajuste fiscal
-3,0 gradual proporcionado pelo teto de gastos seja
-3,1
retomado de 2021 em diante.
-3,5
2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020P 2021P

Fonte: Banco Central, Itaú


16
Corporativo | Interno
Brasil

Desinflação no curto prazo, mas balanço de riscos


sugere cautela
Projetamos IPCA em 2,9% em 2020 e 3,3% em 2021
20%
Revisamos nossa projeção de inflação de
3,3% para 2,9% em 2020. 1
Variação em 12 meses

16%
IPCA
Livres (76%)
Esperamos uma inflação mais baixa neste ano
incorporando cenário de queda no preço da 2
Administrados (24%)
gasolina e piora na atividade econômica ao
longo do primeiro semestre do ano.

12%
Revisamos também nossa projeção de inflação 3
para 2021, de 3,5% para 3,3%.

8%

4
4,3%
A revisão se dá diante da nova trajetória de
câmbio apreciando ao longo do ano e da
3,3% menor inércia inflacionária advinda do ano
4%
anterior.

0%
2,9% Destacamos, no entanto, que o balanço de riscos
sugere cautela. Apesar da expectativa de 5
desinflação, atuam como forças potencialmente
dez-12 dez-13 dez-14 dez-15 dez-16 dez-17 dez-18 dez-19 dez-20 dez-21 inflacionárias o atual movimento de depreciação
cambial e o impacto de eventuais choques de
restrição de oferta.
Fonte: Itaú, IBGE
17
Corporativo | Interno
Brasil
Política monetária: reação ao choque, com cautela

Selic % a.a.

15%
Revisamos nossa projeção para a taxa Selic para
3,25% a.a. ao final de 2020 e para 3,75% a.a. ao final de 1
2021. .
Realizado
Projeção Itaú

13% No comunicado de sua última reunião, o Copom


reduziu a taxa de juros em 0,5 p.p., para 3,75% a.a., e 2
indicou explicitamente que, neste momento, vê como
11%
adequada a manutenção da taxa Selic em seu novo
patamar.

9%
Com um cenário particularmente incerto, a
autoridade monetária ressaltou que reduções
3
adicionais dos juros podem ser contraproducentes se
resultarem em aperto das condições financeiras
7%

5%
Acreditamos, no entanto, que dado o cenário benigno
de inflação e da forte queda da atividade econômica 4
3,75% 3,75%
esperada para os próximos meses, uma vez que a
3,25% maior parte do estresse nos mercados financeiros
3%
derivado da pandemia de coronavírus tenha se
2008

2009

2010

2011

2011

2012

2013

2014

2014

2015

2016

2017

2017

2018

2019

2020

2020

2021

dissipado, haverá espaço para reduções adicionais da


taxa de juros − não necessariamente na próxima
reunião de política monetária (em maio).
Fonte: Itaú, Bloomberg
18
Corporativo | Interno
Quer continuar essa conversa?
Com o aplicativo Itaú Análises Econômicas, você
recebe nossos relatórios de economia em tempo real.

19
Corporativo | Interno
Informações Relevantes
• 1. Este relatório foi desenvolvido e publicado pelo Departamento de Pesquisa Macroeconômica do Itaú Unibanco S.A. (“Itaú Unibanco”). Este relatório não é um produto do Departamento de Análise
de Ações do Itaú Unibanco ou da Itaú Corretora de Valores S.A. e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM n.º 598, de 3 de maio de 2018.
• 2. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra e/ou venda ou como uma
solicitação de uma oferta de compra e/ou venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações
contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que o relatório foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. Entretanto, o Itaú Unibanco não dá
nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma
relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. O Itaú Unibanco não possui qualquer obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e informar o
respectivo leitor.
• 3. As opiniões expressas neste relatório refletem única e exclusivamente as visões e opiniões pessoais do analista responsável pelo conteúdo deste material na data de sua divulgação e foram
produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação ao Itaú Unibanco, à Itaú Corretora de Valores S.A. e demais empresas do grupo econômico do Itaú Unibanco.
• 4. Este relatório não pode ser reproduzido ou redistribuído para qualquer outra pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento por escrito do Itaú Unibanco.
Informações adicionais sobre os instrumentos financeiros discutidos neste relatório encontram-se disponíveis mediante solicitação. O Itaú Unibanco e/ou qualquer outra empresa de seu grupo
econômico não se responsabiliza e tampouco se responsabilizará por quaisquer decisões, de investimento ou e outra, que forem tomadas com base nos dados aqui divulgados.
Observação Adicional: Este material não leva em consideração os objetivos, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer cliente em particular. Os clientes precisam obter
aconselhamento financeiro, legal, contábil, econômico, de crédito e de mercado individualmente, com base em seus objetivos e características pessoais antes de tomar qualquer decisão fundamentada
na informação aqui contida. Ao acessar este material, você declara e confirma que compreende os riscos relativos aos mercados abordados neste relatório e às leis em sua jurisdição referentes a
provisão e venda de produtos de serviço financeiro. Você reconhece que este material contém informações proprietárias e concorda em manter esta informação somente para seu uso exclusivo.
SAC Itaú: Consultas, sugestões, reclamações, críticas, elogios e denúncias, fale com o SAC Itaú: 0800 728 0728. Ou entre em contato através do nosso portal https://www.itau.com.br/atendimento-
itau/para-voce/. Caso não fique satisfeito com a solução apresentada, de posse do protocolo, contate a Ouvidoria Corporativa Itaú: 0800 570 0011 (em dias úteis das 9h às 18h) ou Caixa Postal 67.600,
São Paulo-SP, CEP 03162-971. Deficientes auditivos, todos os dias, 24h, 0800 722 1722.

20
Corporativo | Interno