Você está na página 1de 2

AUTO-BIOGRAFIA

Eu Fernando José, Natural da Provínica de Kwanza Sul, Município do Wako-Cungo


Cela, Comuna Do Caxongongo, Bairro Kassamba, Nascido aos 14 de Agosto de 1962,
Filho de José Kimalanga e de Isabel Kimbangala.
Em 1974/1975 após a invasão Sul-Africana e a oposição instalada nas áreas do Wako-
Cungo, Hebo, morro Wutungo, onde estava instalada a artilharia invasora contra as
forças do governo, enquadrei-me na organização do pioneiro Angolano OPA em 1976,
tempos depois fui eleito instrutor da mesma.
Em 1977 fui retirado da OPA para a JMPLA, até 1982 pronto para as FAPLA, já membro
do partido.
Aos 15 anos de idade, iniciei os estudos primários, em 1980 concluí a 4º classe,
encontrei o meu primeiro emprego em 1981, na siderurgia Nacional de angola, onde
trabalhei na arrumação de bilhetes, mais tarde colocaram-me no sector de forno
eléctrico. O trabalho era muito pesado e como pequeno que era, não conseguia o
impacto do mesmo, então, tive que deixar a siderurgia para a Rádio Escola/ RNA, onde
fiquei trabalhando como empregado da cozinha.
Em 1982 lançou-se o Decreto-Lei 12/82, do abrangimento de todos cidadãos nascidos
entre os ano de 1960, 1961, 1962 para cumprimento de Serviço Militar obrigatório.
Aos 16 de Dezembro de 1982 apresentei-me no grupo desportivo da TAAG, depois
embarquei no dia 17 de Dezembro para a 3º Região Militar, Moxico, onde fiz o
recrutamento, na Escola de Condução Militar da mesma Região, cujo comandante era o
1º Tenente Eduardo Capembe. Após 45 dias terminei, jurando a bandeira e entrando
assim no Exército de Formação Profissional para motorista, chegando o fim dos
exercícios, fui apto para execução de todo trabalho de condução, naquela altura, o
comandante da Região era o Major Neco.
No final de 1983, após ter recebido o certificado de condução, fui transferido para o
comando da Região na Reparitição de Tanque e Transporte RTT Secção DE I.V.M,
como Inspector da mesma Secção, Capitão Francisco Jacinto, Chefe da Repartição, 1º
Tenente Gato, chefe adjunto da Repartição, Sargento Maior Joaquim, Chefe da secção
de I.V.M.
Em Junho de 1984 fui removido da 3º Região, sendo transferido para a Região de
Luanda na Direcção de Tanque e Transporte, cujo Chefe da Direcção era Monimambo.
onde fui colocado nos armazéns centrais de abastecimento da DTT, o Chefe da Unidade
dos armazéns era o Capitão Humberto, depois da ordem do EMG para a movimentação
da Escola de Oficiais Generais da Brigada Raúl Dias “Arguelles”, comandada na altura
pelo Capitão Amadeu Miguel Manuel Maria “Escrima”, o comissário Político da Unidade
era o Capitão Raúl, na alturra a Unidade estava localizada na zona norte, isto é, Santa
Olária Nambuangongo, sendo mais tarde transferida para Funda, a mesma carente de
de motoristas com certificado de condução, fez uma requisição à Direcção de Tanque e
Transporte, para pedido de motoristas com certificado de condução.
No mesmo período, fomos escolhidos 6 motoristas com a mesma guia de transferência
para esta unidade, isto em Junho de 1985, onde fomos recebidos pelo Sub-Tenente
Rosário, na altura, Chefe da Secção de Pessoal e Quadros. Sendo assim, fomos
entregues ao Chefe Técnico de Transporte Benjamim Manuel Gabriel, na altura, 1º
Tenente e 2º Tenente César, Chefe de Transporte.
Em 1987 regressei à Luena (Moxico), numa missão de 9 meses, após ter terminado,
voltei para a Unidade de Arguelles, onde posteriormente permaneci, por conseguinte,
dei sequência aos estudos, em 1987, estudei a 5º Classe, em 1988, 6º Classe e em
1989, a 7º Classe, no Município de Cacuaco, em Luanda.

Em 1989, o Chefe Técnico Benjamim Manuel Gabriel foi substituído pelo então Capitão
Luis, mais conhecido por “Morto de Guerra”.
No período de 1988/1989, o chefe “Escrima” é enviado para a República Checa e
ficamos com o Chefe Interino Tenente Coronel Consequênte, tempos depois,
recebemos o novo Comandante, Major Noé Cahumba, até ao momento do
acantonamento, cujo chefe era o Faísca, no ponto nº 1 da mesma zona.
Aos 11 de Agosto de 1992, fui desmobilizado, me foi dado o certificado de cumprimento
do Serviço Militar obrigatório das FAPLA “Forças Armas Popular de Libertação de
Angola”, posto de Soldado especialista de Tanque e Transportes.

A vossa Consideração

Luanda, aos ____/______________/________

Subscrevo-me
_____________________
Fernando José

Você também pode gostar