Você está na página 1de 31

Logaritmos-revisão

Prof Cristiane
● Um pouco da História dos
Logaritmos
● Os logaritmos, como instrumento de
cálculo, surgiram para realizar
simplificações, uma vez que
transformam multiplicações e divisões
nas operações mais simples de soma e
subtração.
Napier foi um dos que impulsionaram
fortemente seu desenvolvimento, perto
do início do século XVII. Ele é
considerado o inventor dos logaritmos,
muito embora outros matemáticos da
época também tenham trabalhado com
ele .
Considerando, por exemplo,

PA 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 (n)
PG 2 4 8 16 32 64 128 256 512 1024 2048 4096 8192 2^n
Para efetuar, por exemplo, 256 x 32 = 8192, basta observar que:
256 na segunda linha corresponde a 8 na primeira;
32 na segunda linha corresponde a 5 na primeira;
Como 8+5=13,
13 na primeira linha corresponde a 8192 na segunda.
Assim, 256x32=8192 resultado esse que foi encontrado através de uma
simples operação de adição.
Em 1935, para comparar os tamanhos relativos dos sismos, Charles F. Richter,
sismólogo americano, formulou uma escala de magnitude baseada na amplitude
dos registros das estações sismológicas
Logaritmos e química
Radioatividade: Os químicos, para determinar o tempo de
desintegração de uma substância radioativa, utilizam a
fórmula
P = P0 . e kt
, em que P é a massa da substância, P0  é a
massa inicial , K é taxa de redução da radiatividade e t é o
tempo em anos.  Podemos calcular o tempo gasto para 300 g
de determinada substância se reduzir a 200g,  a uma taxa
de 7% ao ano. Equações desse tipo podem ser resolvidas com
auxílio da teoria dos logaritmos.
Dados dois números reais positivos a e b, onde a > 0, sendo que a ≠ 1 e b > 0,
existe somente um número real x, tal que ax=b ou logab=x.
Temos:
a = base do logaritmo
b = logaritmando
x = logaritmo

log5 625 = 4, pois 54 = 625

log10 0,01 = − 2, pois 10−2 = 0,01

log3 1 = 0, pois 30 = 1
Quando um paciente ingere um medicamento, a droga
entra na corrente sanguínea e , ao passar pelo f ígado e
pelos rins, é metabolizada e eliminada a uma taxa que
é proporcional à quantidade presente no corpo.
Suponha uma super-dose de um medicamento cujo
princípio ativo é de 500 mg. A quantidade q desse
princípio ativo que continua presente no organismo t
horas após a ingestão é dada pela expressão
q(t) = 500 . (0,6)t . Usando ln3 = 1,1, ln5 = 1,6 e
ln2 = 0,7, é possível obter o tempo necessário para que a
quantidade dessa droga presente no corpo do paciente
seja menor que 100 mg.
Um capital C é aplicado a uma taxa anual de 8%, com juros capitalizados
anualmente . Considerando que não foram feitas novas aplicações ou retiradas,
em quantos anos o capital acumulado será o dobro do capital inicial?
Considere M = C . (1 + i)t , em que M é o montante , C é o capital inicial , i é a
taxa de juros e t é o tempo.
Use log 2 = 0,301 e log 1,08 = 0,033).
(A) Entre 8 e 9 anos (B) Entre 9 e 10 anos (C ) Entre 10 e 11 anos (D)
Entre 11 e 12 anos
M = C . (1 + i)t
2C = C . (1 + i)t
(1 + i)t = 2
(1 + 0,08)t = 2
1,08t = 2
Calcule pela definição de logaritmo.
a)log2 128 a) log2 128 = x c)log25 0,008 = x
b)log8 16 2x = 128 25x = 0,008

c)log25 0,008 2x = 27
25x = 8 .
Logo: x= 7
1 000

b) log8 16 = x (52)x = 1 .
8x = 16 125
(23)x = 24 52x = 5−3
23x = 24 Logo:
Logo: 2x = − 3
3x = 4 x = 4/3
x = -3/2
Expressões logarítmicas

Uma expressão diz-se logarítmica quando é


calculável por meio de logaritmos.

Exemplos:
log 15 + log 33
log x − log y
5 ∙ log (x + 4)
Determine x para que estejam definidos:
a)log2 (x – 2)

a) Por definição o logaritmando deve ser positivo,


portanto:
x− 2 > 0
b)logx-2 3 x>2
Por definição a base deve ser positiva e
diferente de 1, portanto:
x−2>0
x>2 x − 2 diferente de 1
x diferente de 2+1
x diferente de 3
c)logx-2 (4 – x)

Por definição o logaritmando e a base devem ser positivos e , ainda , a base


deve ser diferente de 1, portanto:
4 − x>0
− x >−4
x <4
x −2 >0
X>2 e

x − 2 diferente de 1
x diferente de 1 + 2
x diferente 3
Logo:
2 < x < 4 e x diferente de 3
Propriedades dos logaritmos
Log (b·c) = log b + log c
Exemplo
Dados log2 = 0,301 e log3 = 0,477, determine o log12.
log12 → log12 = log(2·2·3) → log12 = log2 + log2 + log3 → log12 =
0,301 + 0,301 + 0,477 → log 12 = 1,079

2º Exemplo
Determine o valor de log2(8·32).
log2(8·32) = log2 8 + log2 32 = 3 + 5 = 8

Log (b/c) = log b – log c


Exemplo
Sabendo que log30 = 1,477 e log5 = 0,699,
determine log6.
log6 = (30/5) = log30 – log5 = 1,477 – 0,699 =
0,778
Log b^m = m·log b

Exemplo
Sabendo que log 2 = 0,3010, calcule o valor de log
64.
log 64 = log 2^6 = 6·log 2 = 6·0,3010 = 1,806
Exemplo
Dado log 2x = 2,4 e log 2 = 0,3, calcule x.
log 2x = 2,4 → x·log 2 = 2,4 → x·0,3 = 2,4 → x =
2,4/0,3
→x= 8
Mudança de base

Para passar Loga b, com a e b positivos e a ≠ 1, para a base c,


com c > 0 e c ≠ 1, utilizamos a seguinte expressão:

Loga b = Logc b/Logc a, com Logc a ≠ 0


Exemplo

Passando Log4 9 para a base 2.

Log4 9 = Log2 9 / Log2 4 = Log2 9 / 2


Se tivermos uma equação logarítmica do tipo log a n = log a m, já que a
base é a mesma, para a igualdade ser verdadeira, é necessário que n = m.
É importante ainda que n = m > 0, que é a nossa condição de existência.
Vejamos um exemplo prático utilizando equação:
log 2 (4x + 5) = log 2 (2x + 11)
Nesse exemplo, a base 2 é a mesma em ambos os lados da equação,
portanto, para a igualdade ser verdadeira , é necessário que 4x + 5 seja
igual a 2x + 11, temos então:
4x + 5 = 2x + 11
4x – 2x = 11 – 5
2x = 6
x = 6/2
x = 3
Vamos substituir o valor encontrado para x para verificarmos a condição
de existência:
4x + 5 = 4 . 3 + 5 = 12 + 5 = 17 > 0 ou 4x+5>0 4x> -5 x> -5/4
2x + 11 = 2 . 3 + 11 = 6 + 11 = 17 > 0 ou 2x+11>0 2x>-11 x>-11/2
Exemplo 2

Log na base 5 de (x + 2) = 2

Restrição:

x+2>0
x>–2

Resolução:
Log na base 5 de (x + 2) = 2
x + 2 = 5²
x + 2 = 25
x = 25 – 2
x = 23
O conjunto solução x = 23, satisfaz a condição de existência x > –2. Portanto, conjunto solução
verdadeiro.
Característica e mantissa
Se o logaritmo de dois é , aproximadamente 0,301, então determine o
número de algarismos de 2^50 .

É evidente que você não vai resolver a potência 2^50, tendo em vista
que vai demorar muito e provavelmente no decorrer das multiplicações,
algum erro pode acontecer.
A MANTISSA TEM COMO PROPRIEDADE, NÃO SE ALTERAR ,
QUANDO MULTIPLICAMOS O LOGARITMANDO POR UMA POTÊNCIA
DE 10.

Veja o exemplo. Vamos calcular o logaritmo de 2000.

log 2000 = log (2 . 103) = log 2 + log 103 = 0,301 + 3 = 3,301 que
tem característica 3 e mantissa 0,301.

Observe que para aplicar a propriedade da mantissa , é necessário


conhecer o logaritmo do número ao qual será multiplicado pela
potência de 10.

Veja outro exemplo: log 20000 = log (2. 10^4) = log 2 + log10^4 =
0,301 +4 = 4,301
A QUANTIDADE DE ALGARISMOS DO LOGARITMANDO É IGUAL A
CARACTERÍSTICA MAIS 1.
Como log 2 = 0,301, então:

log (2^50) = 50 . log 2 = 50 . 0,301

log (2^50) = 15,05 que tem característica 15, logo o número de


algarismos de 2^50 é a característica mais 1, ou seja , 16
algarismos.
Considerando-se Log7 10 = 1,1833. Qual é o Log7 70?

É sabido que 70 é o produto de 7 por 10. Então temos que:

Através da propriedade do logaritmo de um produto podemos assim expressar o


Log7 70:
O Log7 7 = 1 pois:
Conforme o enunciado, o Log7 10 = 1,1833, então substituindo tais valores na
expressão, temos:
RespostaLog7 70 = 2,1833.
Calcule o Log3 5 sabendo que o Log3 45 = 3,464974?
O Log3 45 é fornecido pelo enunciado. Precisamos de algum outro logaritmo
fácil de calcular, que nos permita do Log3 45 chegar ao Log3 5.

Uma forma de partindo de 45 chegarmos a 5, é dividirmos 45 por 9.


Como podemos facilmente calcular o Log3 9, vamos recorrer à propriedade
do logaritmo de um quociente para solucionarmos esta questão.
A partir do explicado acima podemos escrever que:

Então, recorrendo à propriedade do logaritmo de um quociente temos:


O , visto que 3 elevado ao quadrado é igual a 9:
Portanto, ao substituirmos os valores conhecidos chegamos ao resultado
desejado:

Resposta Log3 5 = 1,464974.


Os químicos, para determinar o tempo de
desintegração de uma substância radioativa,
utilizam a fórmula
P = P0 . e kt
, em que P é a massa da
substância, P0  é a massa inicial , K é taxa de
redução da radiatividade e t é o tempo em
anos.  Podemos calcular o tempo gasto para 300
g de determinada substância se reduzir a 200g, 
a uma taxa de 10% ao ano. Dados log2 = 0,3
Log 3 = 0,4
log2 = 0,3
P = P0 . e kt
Log 3 = 0,4
Po =300 g P= 200g  
reduzir a uma taxa de 10% ao ano ---→(1-10%)
Início: t=0, Po = 300.
P = P0 . e kt
--→ P =300 . e k t -->
e k= (1-10%) =
200 =300 .0,9 t =(1-0,10)=
=0,9
2 =3 .0,9 t
log (2/3)= t log 0,9
2/3= .0,9 t
→ Log 2 – log 3 = t(log 9/10)=
log(2/3)=log(0,9)t 0,3-0,4 =t (log 3 2 -log 10)
-0,1 = t (2log 3 – 1) → -0,1=t (0,6-1)
-0,1 = -0,4t →0,1/0,4 = t = 0,25 anos
t = 0,25.12 =3 meses
Quando um paciente ingere um medicamento, a droga
entra na corrente sanguínea e , ao passar pelo f ígado e
pelos rins, é metabolizada e eliminada a uma taxa que
é proporcional à quantidade presente no corpo.
Suponha uma super-dose de um medicamento cujo
princípio ativo é de 500 mg. A quantidade q desse
princípio ativo que continua presente no organismo t
horas após a ingestão é dada pela expressão
q(t) = 500 . (0,6)t . Usando ln3 = 1,1, ln5 = 1,6 e
ln2 = 0,7, é possível obter o tempo necessário para que
a quantidade dessa droga presente no corpo do
paciente seja menor que 100 mg.
q(t) = 500 . (0,6)t .
Usando ln3 = 1,1, ln5 = 1,6 e ln2 = 0,7
100 < 500 . (0,6)t
ln1-ln5 < t (ln3- ln 5)
1 < 5 . (0,6)t 0-1,6 < t(1,1 -1,6)
-1,6 < t (-0,5 )
1/5< (0,6) t
1,6< 0,5 t
ln(1/5)< ln(0,6)t 1,6/0,5< t
ln(1/5)< t ln(0,6) 3,2<t

ln1-ln5)< t ln(6/10) t>3,2 h ou

ln1-ln5 < t ln(6/10) t > 3h e 0,2.60

ln1-ln5 < t ln(3/5) t> 3h e 12 minutos


https://ndmat.wordpress.com/2011/01/14/o-que-e-mantissa-e-
caracteristica/

https://www.google .com/url?sa=i&url=http%3A%2F%2Fsatyacarriel .blog


spot.com%2F2011%2F03%2Fescala-richter-terremotos.html&psig=AOv
Vaw2V2BIzMXQ3ukEiCUuCGM5g&ust=1585955620944000&source=i
mages&cd=vfe&ved=0CAIQjRxqFwoTCIDR65zvyugCFQAAAAAdAAAA
ABAN
https://blog.professorferretto.com.br/wp-
content/uploads/2018/05/consequencia-da-definicao-de-um-
logaritmo-01.png
http://ecalculo.if.usp.br/funcoes/logaritmica/historia/hist_log.htm

https://mundoeducacao.bol .uol .com.br/matematica/propriedades-


operatorias-dos-logaritmos.htm