Você está na página 1de 2

RECOMENDAÇÕES PSICANALÍTICAS AOS MÉDICOS QUE EXERCEM A

PSICANÁLISE

Para Freud (1912), a escuta é a primeira tarefa com o qual o psicanalista vai se
deparar. Há o perigo do médico manter uma atenção deliberada, ou seja, a de selecionar
determinados materiais em negligência de outros dificultando a evolução do caso. O ideal é
que o psicanalista não se preocupe em se lembrar. Aliás, tomar notas também é dispensado
pelos mesmos motivos.
O sentimento mais perigoso para o psicanalista é o da ambição de obter sucesso com
todos os seus pacientes. Este tipo de sentimento torna o médico impotente contra as
resistências do analisando e impedindo até a reciprocidade necessário para o andamento da
terapia.
Uma das ferramentas úteis no curso da análise é o psicanalista voltar seu inconsciente
para receber os conteúdos do inconsciente do paciente. Para tal, deve-se primeira ser
analisado por um profissional capacitado. Isto se deve por alguns complexos do analista
interferirem negativamente na relação terapêutica e prejudicar o desenvolvimento da análise.
Psicanalistas jovens ainda podem cair na armadilha de confidenciar aos seus pacientes
defeitos e conflitos para criar uma relação íntima e recíproca. No entanto, isso desvia o
paciente de sua própria análise para prestar atenção na do analista. Sendo assim, Freud (1912,
p.71) recomenda que “o médico deve ser opaco aos seus pacientes e, como um espelho, não
lhes mostrar nada, exceto o que lhe é mostrado”.
Uma outra armadilha é a de tentar fazer o paciente alcançar níveis de excelência,
segundo critérios do próprio analista. Muitas vezes, o analisando não tem ainda todos os
recursos para desenvolver até o estipulado.
Por fim, Freud reúne aqui recomendações técnicas de como os médicos procederem no
exercício da psicanálise. Ademais, este artigo é fruto de observações daquilo que funcionou
ou não funcionou. Para a clínica psicológica, duas das grandes lições aplicadas é o da escuta
psicanalítica e o papel de espelho que o psicanalista (psicólogo) assume durante os
atendimentos. Sendo assim, é importante que tanto estudantes quanto os graduados da área de
psicologia entrem em contato com este escrito de Freud, pois muito dos relatos podem tornar
menos problemático o trabalho destes profissionais no dia-a-dia.

REFERÊNCIA
FREUD, S. Recomendações aos médicos que exercem psicanálise. In: _____. Coleção
completa das obras de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1969. v. XII.

Você também pode gostar