Você está na página 1de 11

O Átomo de Hidrogénio e a Estrutura Atómica

O átomo de hidrogénio
O átomo de hidrogénio é o átomo mais simples de todos. Apresenta número
atómico 1, o que significa que tem apenas um protão e um eletrão.
 No Universo este elemento é o mais abundante.
 Na Terra, a maior parte do hidrogénio encontra-se na água do mar e nos
hidrocarbonetos que constituem os combustíveis fósseis (carvão, petróleo
e gás natural).

representação esquemática do átomo de hidrogénio (esquerda) e da sua nuvem eletrónica (direita).


O Átomo de Hidrogénio e a Estrutura Atómica
Estrutura atómica do hidrogénio
Apesar da sua simplicidade o espetro de emissão do átomo de hidrogénio
apresenta quatro riscas bem definidas na região do visível e outras, mais ténues,
na zona violeta.

410 434 486 656 nm)

espetro de emissão do átomo de hidrogénio

Análise do espetro de emissão do átomo de hidrogénio.

1. Trata-se de um espetro contínuo ou descontínuo?


2. Compare os comprimentos de onda (em nanómetros) associados às diversas riscas.
Indique as zonas espetrais (tipos de radiação) correspondentes.
3. Como se interpreta o aparecimento das riscas no espetro do átomo de hidrogénio?
O Átomo de Hidrogénio e a Estrutura Atómica
Em 1913 …
… após Max Planck ter enunciado a quantificação da energia eletromagnética (E = h∙ν);
… após Einstein ter interpretado o efeito fotoelétrico;

Niels Bohr forneceu uma explicação teórica para o espetro de riscas do


hidrogénio.

Quando Bohr realizou estes estudos existia já um modelo para descrever o


átomo (modelo de Rutherford):

"... o átomo é constituído por um pequeno núcleo que contém quase toda a
sua massa e todas as cargas positivas e por um conjunto de eletrões de
carga negativa que giram à volta dele como se fossem planetas."

Movimento do eletrão previsto na


Mecânica Clássica.
O Átomo de Hidrogénio e a Estrutura Atómica
Modelo do átomo de hidrogénio segundo Bohr
Para colmatar as falhas apresentadas pelo modelo de Rutherford, Bohr sugere um
outro, em que impõe restrições muito importantes quanto às “órbitas”
permitidas ao eletrão:

1. O eletrão só pode ocupar certas órbitas”, ou seja, movimenta-se em torno do


núcleo descrevendo “órbitas” fixas;
2. A cada “órbita” está associado um certo valor de energia;
3. Enquanto permanece (em movimento) numa determinada “órbita”, o eletrão
não absorve nem emite energia;
4. As saídas dos eletrões das “órbitas” só são permitidas por absorção
(excitação) ou emissão (desexcitação) de certas quantidades de energia: a
energia está quantizada ou quantificada.

Analogia entre os níveis de energia e os degraus de uma escada.


O Átomo de Hidrogénio e a Estrutura Atómica
Transições eletrónicas no átomo de hidrogénio
Esta quantificação de energia permite-nos falar em níveis de energia.

Consequentemente, um eletrão só se pode movimentar de uma órbita para outra se


absorver ou emitir energia.

 Por exemplo, quando o átomo de


hidrogénio absorve energia o seu
eletrão excita-se e passa a um nível
energético superior.
 Já a emissão de energia pelo átomo
de hidrogénio está associada à
“queda” do eletrão para um nível de
energia inferior.
O Átomo de Hidrogénio e a Estrutura Atómica
Transições eletrónicas no átomo de hidrogénio
Quais serão, então, os valores de energia possíveis para o eletrão do átomo de hidrogénio?

Bohr mostrou que a expressão:


Energia da radiação emitida
 1
En  2,18 10  2 18
(J ) E  E f  Ei  h 
n 
Na qual n pode ter os valores 1, 2, 3, …, , que correspondem aos níveis de energia.

Análise da expressão:
 Ao mais baixo estado de energia (n = 1) corresponde o nível mais estável
(estado fundamental).
 Quando o eletrão do átomo de hidrogénio se encontra em qualquer um dos
níveis de energia correspondentes a n = 2, 3, …, cuja energia é superior à do
estado fundamental, diz-se que se encontra num estado excitado.

NOTA: O sinal negativo na expressão resulta da convenção que atribui o valor zero à energia do
eletrão livre, afastado infinitamente do núcleo (n = ) e em repouso .
Assim, todas as energias permitidas ao eletrão no átomo serão sempre inferiores a zero.
O Átomo de Hidrogénio e a Estrutura Atómica
Transições eletrónicas no átomo de hidrogénio

Série de Balmer Série de Lyman

102,6
656,1
486,1
434,0
410,2

121,6

97,3
Infravermelho Visível Ultravioleta

O espetro de riscas do hidrogénio apresenta todas as emissões de energia possíveis


quando o eletrão passa de um estado excitado para um estado de energia mais baixo.
Essas emissões ocorrem sob a forma de radiação nas zonas do visível, do infravermelho e
do ultravioleta.

As riscas que observamos num espetro de emissão, apesar de aparentemente não possuírem
organização, estão agrupadas em séries. Estas séries dependem do nível para o qual o eletrão
“cai”.
O Átomo de Hidrogénio e a Estrutura Atómica
Transições eletrónicas no átomo de hidrogénio
Séries nf (nível final) ni (nível inicial) Região do espetro
Lyman 1 2, 3, 4, … Ultravioleta
Balmer 2 3, 4, 5, 6, … Visível
Paschen 3 4, 5, 6, … Infravermelho
Brackett 4 5, 6, 7, … Infravermelho
Pfund 5 6, 7, 8, … Infravermelho
Exercícios

1. Classifica cada uma das seguintes afirmações como verdadeira ou falsa.

A. Quando um eletrão se encontra no nível n = 2, diz-se que o átomo está no


estado excitado.

B. O eletrão do átomo de hidrogénio pode existir em vários estados de energia.

C. Quando o eletrão passa do estado fundamental para um estado excitado


emite energia.

D. Quando o eletrão no átomo de hidrogénio ocupa um nível de energia


superior a n = 1, diz-se estar num estado fundamental.

E. Quando o eletrão transita do nível n = 2 para o nível n = 1, emite radiação


visível.
Exercícios
Exercícios
2. Calcula o valor de energia do eletrão do átomo de hidrogénio (H) no primeiro
estado excitado.

3. Calcula a energia emitida por um eletrão que passa do nível 2 para o estado
fundamental e identifica a série em que se encontra esta transição eletrónica.
Exercícios - Resolução
1. V, V, F, F, F.
2. No átomo de hidrogénio, o eletrão no 1º estado excitado encontra-se no nível n = 2.
 1 
En  2,18 10 18  2  (J)
n 
 1
E2  2,18 10 18  2   E2  5,45 10 19 J
2 
Reposta: O eletrão do átomo de hidrogénio no 1º estado excitado apresenta um
valor energético de – 5,45x10 – 19 J.
3. Estado fundamental, n = 1. Logo a transição ocorre de n = 2 para n = 1.

E1  2,18 10 18 J E2  5,45 10 19 J


 
E  E f  Ei  ΔE  E1  E2  ΔE  2,18 10 18 J   5,45 10 19 J 
 ΔE  1,64 10 18 J
Eradiação  1,64 10 18 J

Resposta: A energia da radiação que se liberta tem o valor de 1,64x10 –18 J.

Você também pode gostar