Você está na página 1de 7

Criminologia – Aula 4 - Professora Maíra Soalheiro Grade

VIDA HUMANA, SOCIEDADE E CRIME

FATORES ENDÓGENOS E EXÓGENOS DA CRIMINALIDADE

VIDA HUMANA, SOCIEDADE E CRIME

O Brasileiro é conhecido como um povo pacífico, mas será que é isso mesmo que a história nos
mostra?

A violência urbana também possui no imaginário social a sensação de ser um problema recente.
Todos falam que há algumas décadas tudo era mais seguro, que não havia problema em deixar
as portas e janelas de casa abertas.

Entretanto, no Brasil, a violência não é apenas um meio de resolução de conflitos, mas ela
expressa uma história social, desde a Colônia até hoje.

Os escravos eram tratados com muita violência pelos senhores de engenho.

As crianças e mulheres sempre foram tratadas com muita violência dentro de casa.

O reconhecimento público de que isso constitui algo que o Estado deve repreender é muito
recente.

O uso da violência para garantir a ordem social sempre teve aceitação e legitimidade. Não havia
expressão pública de resistência a esse fenômeno. A repressão violenta só começou a ser
denunciada com a ditadura.

A violência no Brasil é um elemento da vida política, tanto no espaço público quanto no espaço
privado.

A política criminal demanda ações que extrapolem a sensação de segurança da população,


sendo relevante associar políticas criminais efetivas e políticas sociais.
O que está crescendo é a violência ou nossa sensibilidade (como sociedade) em
relação a ela?

Alteração da percepção dos atos criminosos – aumentando ou diminuindo a sua valoração


negativa pela sociedade. Ex: corrrupção, maus tratos aos animais. *Filme sátira de Hitler, morte
do cachorro.

A busca incessante pelo lucro é incentivada pela sociedade – limite entre o que é correto e a
corrupção.

A mídia televisiva no Brasil não cria a violência, mas é ela quem a dramatiza, dando -lhe lugar
de destaque nos noticiários e favorecendo um quadro generalizado de medo e insegurança
entre a massa de ouvintes com um forte apelo de intervenção as políticas públicas do país.

*Exemplos do livro.

Violência simbólica – a sociedade pratica violência de diferentes modos. Garçom que entrega a
conta para o homem se o casal está no restaurante. Forma de dar parabéns para as mulheres
no dia da mulher.

A Violência está relacionada a diversas disputas que envolvem poder. Homem/mulher; poder de
compra/exclusão.

*Desemprego/violência doméstica.

A luta contra a violência por parte do Estado não pode gerar ainda mais desigualdade social.
Ação das forças policiais – Estado Democrático de Direito. O Estado precisa conter a violência,
não fomentá-la.

Caso da escola em Suzano – evitar a exposição.


O que é preciso fazer para reduzir a criminalidade?

Educação

Redução da desigualdade

Grupos do IDH1 Quantidade de países Taxa de homicídios por 100 mil habitantes

IDH muito elevado 47 1,8

IDH elevado 47 10,7

IDH médio 47 11,73

IDH baixo 46 13,9

Investimento conjunto em segurança – União, Estados e Municípios

Investimento na polícia científica – mais em investimento do que em repressão

Redução de circulação de armas de fogo

EUA - O país que detém o maior número de portes de armas per capita do mundo. Entre os
47 países que possuem o IDH muito elevado, o país é o terceiro colocado. E, no entanto, a taxa
de homicídios é de 4,8 mortes para cada grupo de 100.000 habitantes.

1
O IDH é calculado levando em conta os indicadores da educação (alfabetização e taxa de matrícula), da
longevidade (esperança de vida ao nascer) e da renda individual (PIB per capita). Possui a missão de aferir o grau
de desenvolvimento econômico e a qualidade de vida proporcionada à população. Variando entre zero e um, quanto
mais perto o índice de um mais adiantado é o país ou a região sob análise.
Fatores criminógenos

Na definição de Orlando Soares, “considera-se fator aquilo que pelas suas características ou
condições, contribui ou concorre para um resultado, isto é, torna viável o efeito, servindo-se de
nexo, entre este e a causa, relacionando-os naturalmente. Mas, assim como em Matemática,
um só fator não dá produto, o caráter criminoso não resulta de um só fator2.

Por que motivo (ou motivos) alguns indivíduos parecem mais predispostos que outros ao
cometimento de delitos?

As respostas têm variado de acordo com as épocas históricas (escolas) e estão relacionadas aos
conhecimentos teóricos e empíricos disponíveis.

Fatores Endógenos da Criminalidade

Fatores biológicos ou psicológicos influenciadores do delito. Procura-se apontar uma causa da


conduta criminosa que estaria no próprio homem, enquanto alguma forma de anormalidade
física e/ou psíquica.

*Lombroso. Com a obra “O homem delinquente”, e utilizando-se do método científico, conclui


ser possível detectar no criminoso determinados sinais, de natureza física (forma da calota
craniana e da face, dimensões do crânio, molares salientes etc) e psíquica (crueldade,
leviandade, epilepsia), que denominou “stigmata”.

Biológicos:

Altos níveis de colesterol

Altos níveis de testosterona

Alterações no lobo frontal ou lobos temporais (aumento da impulsividade e da desinibição,


perda do autocontrole, dificuldades em reconhecer a culpa, dificuldade de avaliação das
consequências das ações praticadas)

2
SOARES, Orlando. Curso de Criminologia. Ed. Forense. Rio de Janeiro, 2003.
Psicológicos:

Oligofrenias (atrasos ou debilidades mentais)

Alienações/neurores/psicoses (esquizofrenia, bipolaridade)

Demências (Alzheimer)

Personalidades psicopáticas - Apresentam ausência de sentimentos, incluindo sentimento de


culpa, tendência à impulsividade, agressividade, falta de motivação e intolerância à frustração.
Criminosos em série normalmente são psicopatas.

Personalidades delinquentes (portam defeitos graves de caráter e tendem a se adaptar a


grupos de comportamento desviado.

Fatores Exógenos/Sociais da Criminalidade

Pobreza

Riqueza/ganância

Desemprego ou subemprego

Mal vivência (mendicância)

Falta de educação/formação moral

Mídia

Condições de habitação

Falta de estrutura familiar

Drogas

Crescimento populacional desorganizado ou não planejado/migrações

Impunidade
Escola Clássica Escola Positivista
Conceito de crime Ente jurídico, pois consiste na Decorre de fatores individuais –
violação de um direito. psicológicos e biológicos.
Conceito de É um ser livre, que pratica o Não é dotado de livre-arbítrio; é um ser
criminoso crime por escolha moral. anormal sob as óticas biológica e
psíquica.
Fatores Não admite a existência de O homem é voltado ao crime, impelido
criminógenos fatores criminógenos. por fatores geradores do
comportamento criminoso. Fatores
endógenos.

Com o surgimento da sociologia criminal, passou-se a analisar de maneira


sistemática os fatores exógenos.

O meio não determina comportamentos criminosos, mas pode condicioná-los. Existe uma
multiplicidade de fatores individuais e sociais que conduzem à criminalidade.

QUESTÕES

1) Pode-se citar como um dos fatores sociais desencadeantes da criminalidade:

A) as condições favoráveis de habitação ou moradia.

B) o desemprego, no caso dos crimes do colarinho branco.

C) a migração, pela facilidade de adaptação em hábitos e culturas locais.

D) o crescimento populacional ordenado e planejado.

E) a pobreza, no caso dos crimes contra o patrimônio.


2) Entende-se por Etiologia Criminal a ciência que estuda e investiga

A) a criminalística, isto é, o processo de desenvolvimento do crime.

B) a transmissão congênita de fatores psicológicos, propensos ao desenvolvimento da


criminalidade.

C) a criminogênese, que objetiva explicar quais são as causas do crime.

D) o fenômeno do delito e as formas de prevenção secundária.

E) a transmissão genética de fatores biológicos, propensos ao desenvolvimento da


criminalidade.

Você também pode gostar