Você está na página 1de 10

CASA DO CONSOLADOR

GEOMETRIA SAGRADA
AULA 7

MÔNICA DE MEDEIROS
2
MÔNICA DE MEDEIROS

TEMAS E DATAS

AULA 1 > A FORMA DA CRIAÇÃO (07/07/2017)

AULA 2 > MATEMÁTICA DIVINA (04/08/2017)

AULA 3 > CÓDIGOS UNIVERSAIS (01/09/2017)

AULA 4 > FRACTAIS (06/10/2017)

AULA 5 > GEOMETRIA NA CRIAÇÃO DIVINA (10/11/2017)

AULA 6 > FLOR DA VIDA (08/12017)

AULA 7 > MALHA TEMPO-ESPAÇO (02/02/18)

AULA 8 > CONVERSANDO COM OS ÁTOMOS (02/03/2018)

AULA 9 > CROP CIRCLES (06/04/2018)

AULA 10 > SOLARIS : FORMAS QUE CURAM (04/05/2018)

AULA 11 > SOLARIS : MÚSICA SAGRADA (15/06/2018)

AULA 12 > VIAJANDO NAS ESTRELAS ( 06/07/2018)

OBS: TODAS AS AULA SERÃO COLOCADAS NO EAD


AS APOSTILAS SÃO OPCIONAIS E SERVEM COMO ROTEIRO
3
MÔNICA DE MEDEIROS

“Existirá tempo perdido?

Existirá o próprio tempo?

Somos tempo ou o tempo é nós?”


4
MÔNICA DE MEDEIROS

MALHA TEMPO-ESPAÇO

O que é o tempo?

Na física, é a grandeza física que permite medir a duração de eventos.

A noção de tempo é peculiar aos seres conscientes, cedo aprendemos a dividir


o dia em manhã,tarde e noite; a vida em passado, presente e futuro.

Mas,será que o tempo existe?

Para nós, humanos da Terra, o tempo é linear, não para jamais, não retroage,
só avança, inexoravelmente.

Será o tempo linear?

Galileu Galilei, Newton descreveram os princípios da física clássica que


“normatizou” a vida e engessou a intuição. Sem perdas porque foi fundamental
para a evolução do pensamento humano.

Mas, em 1900, o físico britânico Lord Kelvin notou que haviam duas “nuvens” no
horizonte: uma relativa às propriedades do movimento da luze outra referente a
aspectos da radiação que os objetos emitem quando aquecidos.

Cada uma dessas nuvens deu início a uma revolução que levou a uma
reformulação drástica das leis da natureza.

Ou, melhor dizendo, passamos a compreender mais essas leis.

Os conceitos clássicos de espaço , tempo e realidade caíram de vez.

A revolução da relatividade de Einstein, de 1905 a 1915, com a relatividade


especial e a relatividade geral. O genial físico alemão ao decifrar os enigmas que
evolviam eletricidade,magnetismo e o movimento da luz, Einstein viu que a
concepção newtoniana do espaço e do tempo estava errada.

Em 1905, ele concluiu que espaço e tempo não são independentes e absolutos
mas, sim, interligados e relativos.

Em 1915, ao reescrever as leis da física gravitacional, ele demonstrou que tempo


e espaço são partes da nesna totalidade mas, também , revelou que com suas
dobras e curvas , eles participam da evolução cósmica.
5
MÔNICA DE MEDEIROS

A versão dévica ensina que Senhor Brahmã, o engenheiro cósmico deste


universo, que tem quatro cabeças, vive num corpo sutil feito basicamente de
inteligência e tem a duração do nosso próprio universo (311 trilhões, 40 bilhões
de anos terrestres), que parecem ser apenas 100 anos de sua existência.
Na verdade, 15 bilhões de anos é o tempo de existência de nosso universo.

Mas, do ponto de vista do Supremo Senhor Vishnu, causa original da criação


material e até mesmo do Senhor Brahmã, esse é o tempo que Ele leva para
exalar uma expiração. Quando Vishnu expira, todos os universos saem dos
poros de sua pele em forma de sementes, que se desenvolvem e ,quando Ele
inspira, todos os universos se fundem dentro Dele.

Visnhu respira, lentamente, mesmo para Ele. Assim, a cada expiração exalada
por Visnhu, um número infinito de universos paralelos aparece como big bangs
para aqueles que os habitam e , cada vez que ele inala, todos os universos
voltam para Ele sob a forma de grandes implosões.

Os físicos quânticos advogam que nosso universo não é único que passou a
existir , subitamente, no evento do tudo ou nada chamado de big-bang; muitos
outros universos foram convocados à existência.

De novo, a filosofia indiana afirma que o propósito da criação cósmica consiste


em acomodar as almas que desejam assumir a posição de Krishna como o
supremo desfrutador e proprietário. Ele faz isso para satisfazer a todos nós em
viagens do ego. No entanto, cada pessoa é menor do que Deus.

Krishna, então, fez que o impossível se tornasse uma possibilidade, criando uma
ilusão temporária chamada mundo material, onde nós podemos esquecê-lo,
desfrutando da ilusão de que somos controladores por algum tempo.

Em resumo, o universo dos universos foi criado para que cada um de nós
pudesse ter a experiência de se assemelhar ao Criador.

A física quântica reconhece o universo da matéria como uma ilusão, construída


de modo a dar aos indivíduos a sensação de controlá-la.

Mas, se ele é uma ilusão, o que existe?

O que é a matéria senão uma das manifestações da Luz?

Luz que não se dirije para lugar algum, não leva tempo algum para fazer isso.
6
MÔNICA DE MEDEIROS

Luz que preenche o imenso universo que vemos a nossa volta e parece ocupar
o seu tempo fazendo isso enquanto viaja enormes distâncias para nos mostrar
como o universo é grande.

Porém e se até mesmo esse gigantesco show de luzes dentro da imensidão do


universo nunca aconteceu ou, se aconteceu , terminou no mesmo instante?

“O que é o tempo? Se ninguém me perguntar, eu sei. Mas, se alguém me pedir


que eu lhe diga, eu não sei.” Santo Agostinho

Albert Einstein disse: “ A distinção entre passado, presente e futuro é apenas


uma ilusão, mesmo que seja uma ilusão obstinada.”

De novo, Santo Agostinho: “ Como o passado e o futuro podem ser quando o


passado já não é mais e o futuro ainda não veio a ser? Quanto ao presente, se
ele fosse sempre presente e nunca mudasse para se tornar passado, ele não
seria tempo mas, a eternidade.”

Vemos o tempo de modo linear.

Sabemos do passado como energia que se concretizou , foi vivenciada, deixou


marcas, é lembrada, fixada em sentimentos e sensações.

Uma música de nossa adolescência nos traz a recordação exata do que vivíamos
ao ouvi-la. Até o perfume do momento somos capazes de sentir.

Energia gravada na forma de átomos em nossa mente, materializada em


diversas estruturas de nosso cérebro, onde reina o sistema límbico.
7
MÔNICA DE MEDEIROS

A amígdala está relacionada à memória emocional, induzindo a síntese de


neurotransmissores que induzem respostas orgânicas relacionadas a
lembranças emocionais nossas.

O hipocampo está relacionado à memória temporo-espacial, enquanto que


outras estruturas do cérebro relacionam-se a memória, o hipocampo está ligado
à memória de curta duração.

Quanto maior a carga emocional, mais precisa , tempo-espaço, é a memória.

Contudo, nosso cérebro processa as informações, que recebe de nossa mente,


de memórias anteriores à presente existência.

Sem a percepção do consciente, temos as sensações mas, não as ligamos com


eventos passados em outras vidas.

Nosso aprendizado advém da memória.

Há, portanto, uma realidade passada construída por nós.

Uma realidade a qual temos acesso se aprendemos a reduzir a velocidade de


nossa vibração quântica, ou seja, acessarmos áreas de memória em nosso
perispírito.

Mas, se o tempo é linear e só caminha numa direção, como conseguimos andar


para trás?

Ou para frente, nas premonições?

São as premonições fatos já ocorridos para outras vidas? Possibilidades


quânticas? Formas-pensamentos?

Os extraterrestres ensinam que o tempo é uma elipse, onde passado, presente


e futuro são apenas a mesma energia com vibração diferente.
8
MÔNICA DE MEDEIROS

VISÃO HUMANOS DA TERRA

FUTURO
PASSADO PRESENTE
E

VISÃO DE EXTRATERRESTRES

P
P R F
A E U
S S T
S E U
A N R
D T O
O E

HERMANN MINKOWSKI foi professor de Albert Einstein, em Zurique.


Genial visionário da física, faleceu aos 44 anos mas, foi o homem que descobriu
o espaço-tempo.
9
Mônica de Medeiros

Se vamos viajar, por que dizemos: fica a uma hora daqui ao invés de dizermos:
fica a 100 km daqui?

Usamos o tempo para significar o espaço.

Espaço e tempo podem ser alongados ou encurtados, de acordo com o


observador.

O “agora” de uma pessoa, pode ser, simultaneamente, o passado ou o futuro de


outra.

A plasticidade da malha espaço-tempo impõe-se quando se viaja acima da


velocidade da luz.

Isso explica as viagens de naves interplanetárias que se movem ao longo do


universo , em grandes distâncias.

Como ensina o físico quântico, Fred Alan Wolf, aprendemos a analisar o tempo
pela observação.

Tínhamos que aguardar o entardecer para recolher gado, tínhamos que


aguardar a primavera para plantar.
10
MÔNICA DE MEDEIROS

Os eventos foram sendo catalogados e guardados os importantes.

“Em seguida, procuramos um dispositivo de nossa própria fabricação, um


dispositivo tal que, quando a ele recorrêssemos , nos lembraria da ação que
precisaríamos tomar. Naturalmente, esse dispositivo era o relógio.”

E ele tomou tamanha importância “que nos levou a ingressar num espécie e
fantasia. Viemos a acreditar que o tempo passa, que o tempo segue sempre em
frente em linha reta do agora para o futuro, e que o tempo segue sempre em
frente, em linha reta do agora para o futuro, e que o tempo voa como uma flecha.

O que veio como uma surpresa completa foi o fato de que a regulação do tempo
pela nossa percepção consciente dos eventos não segue o tempo do relógio,a
não ser que permitamos que os ponteiros corram para trás, de vez em quando.”

Quanto ao espaço, Einstein, uma vez,disse:

“usamos palavras como vermelho, duro ou desapontamento e sabemos o que


elas significam. Mas, para a palavra espaço, há uma grande incerteza quanto à
interpretação.”

“O espaço absoluto é o sensorio de Deus”, disse Einstein

O espaço é formado por matéria ou a matéria é que forma o espaço?

Mas o que abunda no universo é a matéria negra, ou seja, o espaço entre os


astros ,sem poeira cósmica.

Assim, espaço e tempo existem e tomam a forma que o observardor os percebe.

Você também pode gostar