Você está na página 1de 23

Design e

artesanato
no Nordeste
Sustentabilidade e verbos

criativos

Lia Monica Rossi ÍTALO DANTAS


soirótudortni
sotcepsA
DESIGN & ARTESANATO
Design na contemporaneidade; 

Design dentro do artesanato;

Sustentabilidade;

Industrialmente, a

Sustentabilidade como

movimento e não como modelo

negócio.
Intervenções

"Bauhaus, a primeira escola de design (Alemanha, 1918), procurou

incorporar a sabedoria artesanal na passagem para a criação de

produtos para a indústria. No Brasil, ao contrário, o artesanato foi

largamente ignorado por um Modernismo míope adepto do “look

industrial” ou uma “estética da máquina” aparentemente industrial,

muitas vezes presentes nos protótipos bauhausianos. Como costuma

acontecer entre espíritos colonizados, imita-se o resultado, mas não

o espírito gerador" (ROSSI, 2017, p. 244)


LINA BO BARDI
JANETE COSTA
seõçnevretnI
POR QUE BUSCAR AS
CONTRIBUIÇÕES DOS
DESIGNERS?
Manter vivo o artesanato;

Redução no interesse por artigos

feitos à mão;

Percepções sobre o produto

artesanal;

Atender as mudanças nos padrões de

consumo;
Intervenções NEOARTESANATO

Resignificação para reinserção no

mercado das novas gerações;

Busca por diferenciação nacional, local

e individual;

A exclusividade como objetivo de

desempenho do artesanato;

8,5 milhões de brasileiros estão

envolvidos no setor do artesanato e

gera em média 50 milhões de reais por

ano.
ESTUDOS DE CASO PROCEDIMENTOS

10 casos; Conversar com os artesãos;

De 1995 a 2015; Coletar dados gerais sobre a

história e a origem do tipo de


14 Comunidades do Nordeste;
artesanato no local, além de
9 modalidades artesanais.
questões finaceiras, etc.
e megadrobA

PROTOTIPIA RESULTADOS
sodotém

Projetos em instituições não Raramente os resultados são


oferecem orçamento para produtos novos, comum ser
prototipagem, como em indústria; apenas intervenções nos artefatos
Forcem os materiais e remuneram já existentes nas comunidades;
os protótipos independente do Respeitar as redes de interação
resultado. local e valorizar a estética;
ADAPTAR

FRAGMENTAR
sovitairC

COMBINAR
sobreV

SUBSTITUIR
REDUZIR

ELIMINAR
sovitairC

DIVERSIFICAR
sobreV

PROMOVER/VALORIZAR
Adaptar um desenho

Renda Labirinto/Chã dos Pereira, Agreste

Paraibano

Pintura em seda/Catolé do Rocha,

Sertão Paraibano

Cliente: PAB/SETRAS PB, 1994 e 1995

Designers: Lia Monica Rossi e José

Marconi B. de Souza
Adaptar componentes

Couro caprino/Ribeira de Cabaceiras,

Cariri Paraibano

Cliente: SIC/Senai-PB/Arteza, 1998

Designer: Lia Monica Rossi


Fragmentar &

Combinar

Couro caprino/Ribeira de Cabaceiras,

Cariri Paraibano

Cliente: SIC PB/ SENAI PB/ Arteza, 1998

Designer: José Marconi B. de Souza


Eliminar o desperdício

Couro caprino/Ribeira de Cabaceiras,

Cariri Paraibano

Cliente: SIC/Senai-PB/Arteza, 1998

Designer: Lia Monica Rossi


Eliminar, Adaptar &

Eliminar

Batique/Catolé do Rocha, Sertão

Paraibano

Cliente: PAB/Setras-PB, 1994

Designers: Lia Monica Rossi e José

Marconi B. de Souza
Substituir

Renda de Bilro/Caiçara, Curimataú

Paraibano

Cliente: PAB/Setras-PB, 1995

Designers: Lia Monica Rossi e José

Marconi B. de Souza
Reduzir para otimizar

Renda Irlandesa/Divina Pastora, Leste

Sergipano

Cliente: Artesanato Solidário/Artesol,

2002

Designer: Lia Monica Rossi


Eliminar

Renda Labirinto/Córrego do Rodrigues,

Litoral Leste Cearense

Cliente: Secretaria da Cultura do

Ceará/Sebrae-CE, 2003
Diversificar

Bordado Rendendê/Entremontes, Rio São

Francisco, Sertão Alagoano

Cliente: Artesanato Solidário/Artesol,

2000 e 2002

Designer: Lia Monica Rossi


Promover/valorizar

Bordado Rendendê/Entremontes, Rio São

Francisco, Sertão Alagoano

Projeto da Coleção Samplers para

ACASA/São Paulo (s/d prevista)

Designer: Lia Monica Rossi


seõxelfeR
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Para além da estética;

Dificuldades em conectar o

design com o artesanato;

Industrialização;

Desvalorização do artesanato;
QUAIS ESTRATÉGIAS O DESIGNER PODE

UTILIZAR PARA PROPOR INTERVENÇÕES EM

MODALIDADES ARTESANAIS QUE SÃO

CONSIDERADAS CENTENÁRIAS E

TRADICIONAIS?
ed seõtseuQ
etabed

COMO VOCÊS ENXERGAM AS RELAÇÕES QUE

AS INSTITUIÇÕES (SENAI...) MANTÉM, NA

ATUALIDADE, COM AS COMUNIDADES?


ÍTALO DANTAS

ITALODANTASDESIGN@
HOTMAIL.COM