Você está na página 1de 11

FONTES DE ENERGIA:

ENERGIA MAREMOTRIZ
Êmili Monique Cidade Gonçalves
Fontes de energia são os recursos naturais ou artificiais usados para produzir energia, eles
podem ser renováveis ou não-renováveis. As fontes de energia renováveis são aquelas que se
reabastecem naturalmente, sendo possível utilizá-las de maneira constante e sem a possibilidade de
esgotamento. O oceano é um exemplo de fonte de energia renovável, gerada a partir da ação dos
mares.
Curiosamente, a força das marés tem sido aproveitada desde o século XI, época em que os
europeus a utilizavam para a movimentação de moinhos. Conhecida como energia maremotriz está
fonte geradora de eletricidade teve seu primeiro projeto realizado em 1967, quando franceses
construíram uma barragem de 710 metros de comprimento no Rio Rance, localizado no noroeste da
França, onde a média anual das marés era de 8,5 metros de desnível.
Usina de La Rance - França
As marés funcionam por meio da força gravitacional do Sol e da Lua e da rotação da Terra,
por este motivo a energia gerada a partir das alterações de nível das marés se torna previsível.
A energia das marés ou energia maremotriz pode ser obtida de duas formas: energia cinética
que se dá de forma semelhante a feita nas centrais eólicas, mas utiliza das correntes marítimas para
produzir energia através de turbinas submersas e a energia potencial proveniente da diferença de altura
entre a maré baixa e a maré alta, este é o sistema mais utilizado e funciona similar a uma usina
hidrelétrica, através de barragens construídas próximas ao mar, comportas para permitir a entrada e
saída de água (as comportas ou diques captam a água durante a maré alta e depois está água
armazenada é liberada durante a maré baixa) e as chamadas unidades geradoras de energia por onde a
água armazenada passa pelas turbinas gerando então, energia elétrica. Existe ainda outras formas, como
através da diferença de temperatura entre a camada superficial (quente) do oceano e a camada mais
profunda (fria) e também a energia das ondas proveniente da força do vento sobre os oceanos.
VANTAGENS: DESVANTAGENS:

• Energia renovável; • Altos custos de instalação e manutenção;

• Não poluente; • Por se tratar de um sistema pouco desenvolvido,


ainda tem baixa potência e rendimento;
• Se comparado com outras fontes de energia,
quase não apresenta riscos ao meio ambiente; • Instável, pois depende do ciclo das marés;

• Um grande volume de água do mar, para • Desgaste das instalações, principalmente, por causa
geração energia; da água salgada;

• Não requer equipamentos sofisticados. • Só pode ser instaurado em locais que atendam as
exigências e apresentem condições topográficas
favoráveis.

• Afeta o habitat natural de algumas espécies, o que


pode ocasionar em outros problemas.
Poucas regiões são propícias para a obtenção da energia maremotriz, uma vez que o desnível das
marés deve ser superior, ou igual, a 7 metros. O Brasil, por exemplo, possui uma costa de 8.500 km de
comprimento com grandes amplitudes de marés, mas em sua maioria não é o suficiente para gerar este tipo de
energia e mesmo nas regiões que apresentam condições favoráveis, como o rio Bacanga em São Luís (MA) e
a ilha de Macapá (AP), continua não sendo visto como vantajoso adotar este sistema, considerando que
existem outras alternativas com um melhor custo-benefício mesmo que poluentes.
Em 2012, foi instalado um projeto piloto no Ceará, a Usina do Porto de Pecém, fruto de uma parceria
entre os pesquisadores da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia (Coppe) da UFRJ. O
projeto que foi financiado pela Tractebel Energia e teve o apoio do Governo do Estado do Ceará, infelizmente
ficou abandonado devido ao fim do contrato, entretanto, o coordenador da usina retomou os serviços em 2017,
com conclusão prevista para este ano. A Coppe também afirmou estar focada na instalação de uma usina no
Rio de Janeiro, em parceria com a Furnas e a SeaHorse Wave Energy.
Usina do Porto de Pecém - CE
Atualmente, os países que mais fazem uso deste sistema de geração de energia são: Japão, Coréia
do sul, Inglaterra, Estados Unidos e França, este último sendo onde fica localizada a primeira usina
maremotriz do mundo, a estação de La Rance, com capacidade de 240 MWh e possuindo até hoje um dos
melhores índices de aproveitamento e rentabilidade no setor. Era a maior do mundo até 2011, quando foi
inaugurada na Coréia do Sul a usina de Sihwa (254 MWh).
Em 2010, após a Crown State conceder-lhes um acordo de concessão para construir um projeto de
energia das marés de até 400 MW entre a costa norte da Escócia e a ilha de Stroma, a SIMEC Atlantis
Energy que já era conhecida por seus projetos de energia renovável e sustentável começou a desenvolver
um projeto de 25 anos denominado MeyGen.
O projeto MeyGen é atualmente o maior do mundo em energia das marés, sendo divido por fases
denominadas: Meygen Fase 1A, 1B, 1C, 2 e 3. Em 2015 foi iniciada a construção da primeira fase, ela
envolve a implantação de 4 turbinas que após a sua conclusão poderiam gerar eletricidade suficiente para
abastecer 2.600 casas, em um pouco mais de um ano as obras já estavam concluídas e em abril de 2018
iniciou formalmente suas operações.
Nos últimos anos tivemos um notório aumento na procura por fontes de energia renováveis
que substituam as fontes tradicionais de forma eficaz e com menor impacto ambiental, desde então a
energia maremotriz vem sendo estudada e está conquistando espaço no setor, entretanto, apesar do
seu enorme potencial, se comparada com outros sistemas, a energia das marés ainda é pouco
explorada e é visível a falta de mais investimento em pesquisas e projetos, acredito que com o maior
desenvolvimento da mesma será possível futuramente diminuir suas desvantagens em relação a
outras fontes de energia, aumentar sua produtividade e torná-la mais viável economicamente.

Você também pode gostar