Você está na página 1de 2

Autor do artigo: Irmão Luiz, IASD Central de Teresina-PI.

Perguntas e troca de artigos: lc_vieira4@hotmail.com

ALEGAÇÃO 2

“OS ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA DIZEM QUE SE NÃO QUARDAMOS O SÁBADO,


NÃO PARTICIPAREMOS DA SALVAÇÃO E ASSIM PERDEREMOS A VIDA ETERNA.
SERÁ QUE DEUS SERIA INJUSTO A TAL PONTO DE NOS CONDENAR, POR CAUSA
DE UM DIA DA SEMANA?”

Aqui a alegação é ancorada em uma suposição erronia a respeito do que os


adventistas do 7º Dia acreditam. Esse pensamento implanta a teoria, não cristã, da
“salvação pelas obras” entre as doutrinas oficiais da IASD, causando certo desconforto
para quem ouve e para quem acredita nessa acusação.
“Guardar o sábado para ser salvo” é uma doutrina adventista? Vejamos o que é
falso e verdadeiro nessa acusação.
Na carta doutrinaria da Igreja Adventista, vemos o seguinte comentário:
“... A salvação é inteiramente pela graça, e não pelas obras,...”¹.
E um breve comentário de Ellen G. White, escritora e pioneira do movimento
adventista, encerra o assunto:
“Torne-se distinto e claro o assunto de que não é possível efetuar coisa
alguma em nossa posição diante de Deus ou no dom de Deus para nós, por meio do
mérito de seres criados. Se a fé e as obras adquirissem o dom da salvação para alguém,
o Criador estaria em obrigação para com a criatura. Eis aqui uma oportunidade para a
falsidade ser aceita como verdade. Se alguém pode merecer a salvação por alguma
coisa que faça, encontra-se, então, na mesma posição que os católicos para fazer
penitência por seus pecados. A salvação, nesse caso, consiste em parte numa dívida que
pode ser quitada com o pagamento. Se o homem não pode, por qualquer de suas boas
obras, merecerem a salvação, então ela tem de ser inteiramente pela graça recebida pelo
homem como pecador, porque ele aceita a Jesus e crê nEle. A salvação é inteiramente
um dom gratuito. A justificação pela fé está fora de controvérsia. E toda essa
discussão estará terminada logo que seja estabelecida a questão de que os méritos
do homem caído, em suas boas obras, jamais poderão obter a vida eterna para ele...
A justificação é inteiramente de graça, não sendo obtida por nenhuma obra que o
homem caído possa efetuar...”²

Como podemos falar de salvação pelas obras, ou seja, por guardar o sábado, se
a nossa literatura oficial e o manual da igreja dizem diferente? Idéias preconcebidas não
são a nossa forma de divulgar a verdade. Porém acreditamos que o fruto da salvação
pela graça “... é a obediência aos mandamentos.”³ Pois devemos pecar por estarmos
acolhidos debaixo da graça? De modo nenhum (Romanos 6:15). Sendo uma das formas
de pecado a transgressão da Lei (I João 3:4, NVI), não podemos comungar com essa
idéia, que somos liberados pela graça a transgredir o quarto mandamento que nos
adverte a lembrar de santificar o dia do sábado (Êxodo 20:8). Não podemos sustentar a
incoerência da transgressão, pois quem transgride um só mandamento é culpado de
transgredir todos os outros(Tiago 2:10-12), assim averbando o pecado em sua vida. E se
há pecado não há salvação pela graça (Romanos 6:1,2).

Muitos que afirmam tais alegações sobre nossa forma de avaliarmos a justiça de
Deus, dizem plenamente que acreditam no relato da queda do homem em Gênesis
capítulo 3. Nenhum desses contesta a justiça de Deus exposta nesse relato.
Convenhamos; será que Deus foi justo condenando a
humanidade por causa de uma fruta? Será que Deus seria justo por nos
condenar por causa da transgressão do mandamento do sábado?
Deus é o mesmo ontem, hoje e eternamente e não é homem para sofrer nenhum
tipo de variação de caráter(Hebreus 13:8, Malaquias 3:6 e I Samuel 15:29). Aqui não está
em jogo a fruta ou o sábado, mas a desobediência ao mandamento do SENHOR, pois o
Espírito Santo só poderá habitar naqueles que obedecem a Deus(Atos 5:32). Sendo
chamado de Espírito da Graça(Hebreus 10:29), Ele nos proporciona a salvação (II
Tessalonicenses 2:13) e se nós somos salvos pela graça jamais poderemos continuar
pecando, porém “não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe
obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da
obediência para a justiça?” (Romanos 6:16).
Da obediência para a justiça, A JUSTIÇA DE DEUS e não dos homens.

Grifos nossos.

1. (Manual da Igreja Adventista do 7º Dia, pág. 15, Ed. 2005).


2. (White, Ellen G., Fé e Obras, Pág. 20).
3. (Manual da Igreja Adventista do 7º Dia, pág. 15, Ed. 2005).