Você está na página 1de 31

1- CONCEITOS FUNDAMENTAISMATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q

MATEMÁTICA FORMAL
Esta breve introdução à geometria plana é
fundamental não só para compreensão da Geometria,
mas para todo assunto em que o raciocínio, a relação
causa-efeito, a coerência, a organização, a criatividade e
a iniciativa são necessários. Sem esses quesitos, não se
pode esperar uma fluência na matéria.
Em toda nossa teoria, as informações serão
divididas em quatro níveis, representados pela estrutura
abaixo, na qual é denominada de sistema axiomático.

Conceito Postulado Definição Teorema


primitivo Fonte: APOSTILA POLIEDRO

Observe o exemplo de teorema matemático.


Fique sempre atento às hipóteses e teses.
As informações mais simples do sistema são os
conceitos primitivos, que são óbvios pela nossa simples Em um triângulo qualquer de ângulos internos de
observação. São eles: medidas A, B e C, temos que A+B+C=180º.
Segmento de
 Ponto: A reta:

 Reta: r AB

 Plano: A B
α
Semirreta:

Postulados ou axiomas são informações feitas


com base nos conceitos primitivos que são óbvios,
portanto não há necessidade de explicação. A tradução
grega da palavra axioma reforça nossa explicação digna
de confiança. Observe alguns axiomas a seguir:

a) Na reta, bem como fora dela, existem infinitos


pontos.
b) Dois pontos distintos determinam uma única Fonte: APOSTILA POLIEDRO
reta. 2- RETA E AS SUAS PARTES
c) Três pontos colineares determinam um único Considere a reta r a seguir. Podemos tomar 2
plano. pontos distintos dessa reta.

Definições são quando um novo elemento é


introduzido na teoria, devemos fornecer uma
significação precisa para não gerar dúvidas e
ambiguidades. Essa precisão é feita por definições. Na mesma reta, tomamos o ponto O. O
Observe os exemplos: conjunto de todos os pontos tomados à direita de O, ou
à esquerda, na reta r é chamado de semirreta.
a) Circunferência: conjuntos de pontos do plano
que equidistam de um ponto dado.
b) Paralelogramo: quadrilátero plano cujos lados
opostos são paralelos.
c) Mediatriz: conjunto de pontos do plano que As duas semirretas citadas estão na mesma reta
equidistam de dois pontos distintos. suporte e partem de um mesmo ponto. Elas são
chamadas de semirretas opostas.
E, finalmente, o teorema (do grego eopeo, que Na reta AB, considere o conjunto de pontos
significa penso, medito), que é a informação mais tomados de A até B. Esse conjunto é chamado de
complexa, pois ela depende das informações anteriores segmento de reta.
e suas aplicações são mais concretas e imediatas. Por
causa dessa complexidade, todo teorema necessita de
uma explicação mais detalhada, que chamaremos
formalmente de demonstração.
O ponto culminante da Matemática é o teorema Classificação dos segmentos
cuja estrutura de apresentação é a seguinte:
1
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q
Consecutivos: CLASSIFICAÇÃO DAS REGIÕES

Dizemos que dois ou mais segmentos de retas Todas as figuras planas podem
são consecutivos quando eles possuem um ponto em ser classificadas em duas categorias:
comum. Observe os segmentos consecutivos na imagem
a seguir: a) REGIÃO CONVEXA

É a região R tal que quaisquer que sejam A e B


pertencentes a R o segmento AB ⊂ R . Observe os
exemplos a seguir:

Colineares:

Dois ou mais segmentos de retas são


ditos colineares quando por eles passa uma única reta
ou quando pertencem a uma mesma reta. Um
importante axioma da Geometria garante que, por dois
pontos distintos, passa uma única reta. Podemos Fonte: APOSTILA POLIEDRO
acrescentar que, por dois segmentos de retas colineares
distintos, só é possível que uma única reta seja traçada. b) REGIÃO CÔNCOVA
Veja alguns exemplos de segmentos colineares:
É a região R tal que existem dois pontos
distintos A e B pertencentes a R em que o segmento
AB ⊄ R . Observe os exemplos a seguir:

Adjacentes
Se dois segmentos de retas forem consecutivos
e colineares simultaneamente, isto é, se, além de terem Fonte: APOSTILA POLIEDRO
pontos em comum, por eles passar uma única reta, eles
serão segmentos de retas adjacentes. Podemos concluir ÂNGULO , O QUE É?
que todos os segmentos adjacentes são,
necessariamente, consecutivos e colineares. Vejamos Chama-se ângulo a união de duas semirretas de
alguns exemplos de segmentos adjacentes: mesma origem não contidas na mesma reta suporte.

Fonte: APOSTILA POLIEDRO

A parte interna do ângulo é uma região


convexa. A reunião do ângulo com a sua parte interna
chama-se- ângulo completo ou ângulo convexo.

 Ângulos consecutivos
Dois ângulos são consecutivos se, e somente se,
eles possuírem um lado em comum. Observe os
exemplos a seguir:

3-ÂNGULOS
2
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q

Fonte: APOSTILA POLIEDRO

 Ângulos adjacentes
Dois ângulos são adjacentes se, e somente se,
eles forem consecutivos e não possuírem pontos
internos comuns. Observe o exemplo e o
contraexemplo: Para medir ângulos, utilizamos um instrumento
denominado transferidor. O transferidor já vem
graduado com divisões de 1º em 1º. Existem dois tipos
de transferidor: de 180º e de 360º.

O grau compreende os seguintes submúltiplos:

 O minuto corresponde a   do grau. Indica-


se um minuto por 1'.

1º=60'

 O segundo corresponde a   do minuto.


Indica-se um segundo por 1''.
Fonte: APOSTILA POLIEDRO
1'=60''
 Ângulos opostos pelo vértice (o.p.v.)
São dois Ângulos cujos lados são semirretas
opostas. Observe o exemplo a seguir. Logo, podemos concluir que:

1º  =  60'.60 = 3.600''

Quando um ângulo é medido em graus, minutos e


segundos, estamos utilizando o sistema sexagesimal.

Observe a resolução das questões abaixo:

A. Determine a medida do ângulo AÔB  na figura:


Fonte: APOSTILA POLIEDRO

MEDIDA DE UM ÂNGULO

A medida de um ângulo é dada pela medida de sua


abertura. A unidade padrão de medida de um ângulo é
o grau, cujo símbolo é º.

Tomando um ângulo raso ou de meia-volta e dividindo-


o em 180 partes iguais, determinamos 180 ângulos de
mesma medida. Cada um desses ângulos representa um
ângulo de 1º grau (1º).

Solução:

Medida de AÔB = x

Medida de BÔC = 105º


3
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA
Como m (AÔC) é 180º, pois é um ângulo II – PROFESSOR VINICIUS Q
raso, temos:

m (AÔB) + m (BÔC) = m (AÔC)


x + 105º = 180º
x   = 180º - 105º
x   = 75º
Logo, a medida de AÔB é 75º.

B. Determine a medida do ângulo não convexo na


figura:
 

 Ângulo reto é o ângulo cuja medida é 90º.


Exemplo:

Solução:

Verificamos que o ângulo não convexo na figura (x) e o


ângulo convexo (50º) formam juntos um ângulo de uma Retas perpendiculares
volta, que mede 360º. Assim:
As retas r e s da figura abaixo são concorrentes e
x + 50º = 360º formam entre si quatro ângulos retos.

x = 360º - 50º

x = 310º

Logo, o valor do ângulo não convexo é 310º.

CLASSIFICAÇÃO DOS ÂNGULOS QUANTO A


MEDIDA

Podemos classificar um ângulo em agudo, obtuso ou


reto.
Dizemos que as retas r e s são perpendiculares e
indicamos:
 Ângulo agudo é o ângulo cuja medida é menor
que 90º. Exemplo:

Observação: Duas retas concorrentes que não formam


ângulos retos entre si são chamadas de oblíquas.
Exemplo:  

 Ângulo obtuso é o ângulo cuja medida é maior


que 90º. Exemplo:

4
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR
ÂngulosVINICIUS Q
Replementares

Estes ângulos são aqueles que, quando


somados, irão resultar em um ângulo
giro, com valor igual a 360°.

CLASSIFICAÇÃO DOS ÂNGULOS QUANTO A


SOMA

Ângulos Complementares

São aqueles que quando somados resultam em um


ângulo reto, ou seja, sua soma é igual a 90º. Os ângulos replementares podem ser formados por
combinações de ângulos agudos, obtusos, retos, e
também por dois ângulos rasos, sempre seguindo a
relação:

A + D = 360o

Como você já deve ter percebido, em todas as nossas


ilustrações temos um ângulo agudo “A”. Vamos utilizar
como exemplo o valor de A sendo 30°, assim vamos
calcular o seu complementar, seu suplementar e seu
replementar:

A + B = 90o  → B = 90 – A → B = 90 – 30 → B = 60o


Note que os ângulos complementares são
necessariamente agudos, pois sua soma terá que ser A + C = 180o  → C = 180 – A → C = 180 – 30 → C =
igual a 90º. Neste caso temos que: 150o

A + B = 90o A + D = 360o  → D = 360 – A → D = 360 – 30 → D =


330o
Ângulos Suplementares
Rapidamente obtemos que o ângulo complementar de
São definidos como os ângulos cuja soma resulta em 30° é 60°, seu suplementar é 150° e seu replementar é
um ângulo raso, cujo valor é igual a 180°. 330°! 

BISSETRIZ DE UM SEGMENTO

´
A bissetriz do ângulo AÔB é a semirreta OC
que o divide em dois ângulos adjacentes de mesma
medida.

Neste caso os nossos ângulos A e B são obtuso e agudo,


respectivamente. Para os ângulos suplementares temos
que: Fonte: APOSTILA POLIEDRO

A + C = 180o TEOREMAS FUNDAMENTAIS


A seguir, vamos demonstrar três teoremas
Devemos ressaltar que, para esta relação, os ângulos básicos da teoria angular.
não são necessariamente agudos e obtusos, pois como
caso especial, dois ângulos retos também são TEOREMA 1
suplementares, uma vez que sua soma resulta em 180°.
5
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q
Ângulos opostos pelo vértice são congruentes

Hipótese: Considere dois ângulos opostos pelo vértice


AÔB e CÔD.
Tese: AÔB = CÔD.
Demonstração: Observe o desenho e a sequência de
raciocínio a seguir:

ÂNGULOS OPOSTOS PELO VÉRTICE:

 Duas retas concorrentes determinam quatro ângulos,


dois a dois, opostos pelo vértice.

 
m n

c
TEOREMA 2
Bissetriz de Ângulos adjacentes suplementares são
perpendiculares
Na figura:
Hipótese: AÔB e BÔC são ângulos adjacentes  
´ e OE
suplementares e OD ´ são suas respectivas ♣ a e c são opostos pelos vértice.
bissetrizes.
 
Tese: DÔE = 90º
Demonstração: ♣ m e n são opostos pelos vértice.

TEOREMA  Dois ângulos opostos pelo vértice são


congruentes.

ÂNGULOS FORMADOS POR PARALELAS


CORTADAS POR UMA TRANSVERSAL

Retas paralelas são aquelas que não se interceptam em


nenhum ponto. Uma reta é transversal à outra se ambas
apresentam apenas um ponto em comum. Ao traçarmos
duas retas r e s, tal que r // s (“r é paralela a s”), e
TEOREMA também uma reta transversal t que
Dois ângulos de lados paralelos ou são intercepte r  e s,  haverá a formação de oito ângulos. Na
imagem a seguir, identificamos esses ângulos por a, b,
congruentes ou suplementares. c, d, e, f, g, h.

Demonstração: A análise de figuras confirma os


´ // DE
resultados do teorema ( AB ´ // EF
´ e BC ´ ).

6
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR
 VINICIUS
a e e Q
 b e f
 c e g
 d e h
Estes pares de ângulos colaterais correspondentes,
acima mencionados, possuem a mesma medida. Mas
sabemos que os ângulos opostos pelo vértice são
congruentes, isto é, também possuem a mesma medida.
Então, podemos dizer que:

 a = c = e = g
 b=d=f=h
Os ângulos d e f e também e e c podem ser classificados
como ângulos alternos internos, pois estão na região
A interseção da reta t com as retas paralelas r e s deu interna e em lados alternados. Os ângulos d e e, bem
origem aos ângulos a, b, c, d, e, f, g, h como os c e f, podem ser classificados como ângulos
colaterais internos, uma vez que estão na região interna
Experimente fazer um desenho semelhante a e do mesmo lado em relação à reta t.
esse que foi mostrado de duas retas paralelas cortadas Semelhantemente, os ângulos a e h, assim
por uma transversal. Ao finalizar seu desenho, divida-o como b e g, são ângulos colaterais externos, pois estão
ao meio, cortando-o entre as retas paralelas. Se você na região externa e do mesmo lado em relação à reta t.
colocar os ângulos formados pelas Assim como os ângulos a e g, bem como b e h,
retas s e t exatamente em cima dos ângulos formados são ângulos alternos externos, pois estão na região
pelas retas r e s, observará que eles são exatamente externa e em lados alternados em relação à reta
iguais. transversal t.
Podemos classificar os ângulos formados por Na figura a seguir, podemos ver claramente os ângulos
duas retas paralelas cortadas por uma transversal de alternos internos, colaterais internos, alternos externos e
acordo com a posição desses ângulos. Se eles colaterais externos formados através de duas retas
estiverem entre as retas paralelas, dizemos que esses paralelas cortadas por uma transversal:
ângulos são internos; caso contrário, dizemos que eles
são externos. Na figura a seguir, os ângulos externos
estão na faixa azul, enquanto os ângulos internos estão
na faixa amarela. Ao analisarmos dois ângulos, eles
podem estar do mesmo lado ou em lados alternados em
relação à reta transversal. Se dois ângulos estão à direita
ou ambos estão à esquerda da reta t, dizemos que esses
ângulos são colaterais; mas se estão em lados
alternados, um à direita, e o outro à esquerda, dizemos
que esses ângulos são alternos.

Duas retas paralelas cortadas por uma transversal


formam ângulos alternos internos, colaterais internos,
alternos externos e colaterais externos
_________________________________
Os ângulos podem ser classificados como internos ou
externos, e dois ângulos podem ser colaterais ou EXERCÍCIOS
alternos 1) Calcule x sabendo que os ângulos abaixo são
suplementares.
Sabendo que os ângulos formados pelas retas r e t são
a)
iguais aos formados pelas retas s e t, podemos afirmar
que os pares de ângulos abaixo são correspondentes:
7
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR
d) 138° VINICIUS Q
e) 180°

_____________________________________________
5)(FRANCO) A medida de um ângulo é igual à medida
de seu complemento. Quanto mede esse ângulo?
b) _____________________________________________
6) (FRANCO) A medida de um ângulo é a metade da
medida do seu complemento. Calcule a medida desse
ângulo.
_____________________________________________

7) (FRANCO) Calcule a medida de um ângulo cuja


medida é igual ao triplo de seu complemento.
2) Observe a _____________________________________________
figura e
responda: 8) (FRANCO) A diferença entre o dobro da medida de
0
a) Existem ângulos opostos pelo vértice? um ângulo e o seu complemento é 45 . Calcule a
medida desse ângulo.
b) Qual a soma das medidas dos três ângulos? _____________________________________________

c) Qual é o valor de x? 9) (FRANCO) A terça parte do complemento de um


0
ângulo mede 20 . Qual a medida do ângulo ?
_____________________________________________

10) (FRANCO) Dois ângulos complementares têm


suas medidas expressas em graus por 3x  250 e
4 x  50 . Quanto medem esses ângulos ?
_____________________________________________

11) (FRANCO) A quarta parte da medida de um


0
ângulo mede 30 . Calcule a medida do seu suplemento.
_____________________________________________
_____________________________________________
12) Na figura abaixo as retas r e s são paralelas. Qual a
3) Na figura abaixo, se as retas r e s são paralelas então medida do ângulo a?
os ângulos a e b são chamados de:
a) 30°
b) 40°
c) 45°
d) 50°
e) 60°

14)Na figura abaixo há duas


retas paralelas. Nestas
condições, a medida de  é:
a) alternos internos a) 30
b) correspondentes b) 40
c) opostos pelo vértice c) 45
d) suplementares d) 50
e) retos e) 60
_____________________________________________ _____________________________________________
15)ENEM 2009
4) No exercício anterior, r e s são retas paralelas e se o
ângulo a mede 58°, então o ângulo c mede:
As figuras a seguir exibem um trecho de um quebra-
a) 58° cabeças que está sendo montado. Observe que as peças
b) 122° são quadradas e há 8 peças no tabuleiro da figura A e 8
c) 132° peças no tabuleiro da figura B. As peças são retiradas
do tabuleiro da figura B e colocadas no tabuleiro da
8
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA
figura A na posição correta, isto é, de II – PROFESSOR VINICIUS Q
modo a completar
os desenhos.
A Rua das Carpas é perpendicular à Rua
Piau e é uma transversal da Rua das
Trutas, como mostra a figura abaixo.

Considerando que a Rua dos Bagres é paralela à Rua


das Trutas, determine o ângulo x que a Rua das Carpas
forma com a Rua das Trutas.

18) O ponto V é o encontro de três retas, como mostra o


esquema na figura a seguir. Sabendo que os ângulos
marcados têm a mesma medida, igual a 25°, qual a
medida do ângulo x?
 

É possível preencher corretamente o espaço indicado


pela seta no tabuleiro da figura A colocando a peça

a)1 após girá-la 90° no sentido horário.


b)1 após girá-la 180° no sentido anti-horário.
c)2 após girá-la 90° no sentido anti-horário.
d)2 após girá-la 180° no sentido horário.
e)2 após girá-la 270° no sentido anti-horário.
a) 130°
16) (UFG) Na figura abaixo as retas r e s são paralelas.
b) 140°
A medida do ângulo b é:
c) 150°
d) 155°
e) 160°

4- POLIGONOS
POLIGONOS CONVEXOS

É a figura geométrica plana limitada por uma


linha poligonal plana convexa fechada.
Retas r e s paralelas e interceptadas por retas
transversais
OBS.: Quando a linha poligonal for côncava o polígono
a) 100°
é denominado de polígono côncavo.
b) 120°
c) 110°
d) 140°
e) 130° Classificaçao dos polígonos
17) Considere um trecho de um mapa de uma cidade. A
Rua Piau é transversal à Rua dos Bagres, formando com Os nomes dos polígonos dependem do critério que
utilizamos para classificá-los. Se usarmos o número de
ela um ângulo de 20∘.

9
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
ângulos ou o número de lados, MATEMÁTICA II – PROFESSOR
teremos a seguinte VINICIUS
Um exemplo Q um dos elementos
de cada
nomenclatura: de um polígono

NOME DO POLÍGONO A soma dos ângulos internos de


um polígono convexo é dada pela seguinte fórmula:
NÚMERO DE A = (n – 2)180
LADOS EM FUNÇÃO
EM FUNÇÃO DO Nessa fórmula, n é o número de lados
(OU DO
NÚMERO DE do polígono.
ÂNGULOS) NÚMERO DE
ÂNGULOS A soma dos ângulos externos de
LADOS
um polígono convexo é sempre igual a 360°, e
o número de diagonais de um polígono convexo é
3 triângulo trilátero obtido pela fórmula abaixo:
d = n(n – 3)
4 quadrângulo quadrilátero      2
5 pentágono pentalátero Polígonos regulares
6 hexágono hexalátero Quando um polígono convexo possui todos os
lados congruentes e todos os ângulos internos com a
7 heptágono heptalátero mesma medida, ele é chamado de regular.
As propriedades dos polígonos regulares são:
8 octógono octolátero
1 – Cada ângulo interno de um polígono regular pode
9 eneágono enealátero ser obtido pela fórmula:
A = (n – 2)180
10 decágono decalátero       n
Nessa fórmula acima, o numerador do segundo
11 undecágono undecalátero membro é a fórmula usada para calcular a soma dos
ângulos internos  de um polígono convexo, e n é o
12 dodecágono dodecalátero número de lados do polígono.

15 pentadecágono pentadecalátero 2 – Cada ângulo externo de um polígono regular de n


lados pode ser obtido pela seguinte fórmula:
20 icoságono icosalátero S = 360°
      n
Em que n é o número de lados do polígono.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
Elementos do polígono convexo
1 – Lados: cada segmento de reta que forma 1- (ENEM 2011) O polígono que dá forma a essa
o polígono é um de seus lados. calçada é invariante por rotações, em torno de seu
2 – Vértices: São os pontos de encontro entre os lados centro, de:
de um polígono.
3 – Ângulos internos: São os ângulos entre dois lados
consecutivos no interior do polígono.
4 – Ângulos externos: São os ângulos que estão no
exterior do polígono, entre um de seus lados e o
prolongamento do lado consecutivo a ele.
5 – Diagonais: segmentos de reta que ligam dois
vértices não consecutivos.

a) 45°
b) 60°
c) 90º
d) 120°
e) 180°

10
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA
2 – (Mackenzie – SP) Os ângulos externos de II
um– PROFESSOR VINICIUS Q
polígono regular medem 20°. Então, o número de
diagonais desse polígono é: 02) O ângulo externo de um polígono
regular é igual ao dobro do seu ângulo
a) 90 interno. Determine o número de diagonais desse
b)104 polígono.
c)119
d)135 03) A soma dos ângulos internos com os ângulos
e)152 externos de um polígono regular vale 1800 o. Determine
o número de diagonais do polígono.

04) Três polígonos convexos tem n , n + 1 , n + 2


3-(Puc-Rio) Os ângulos internos de um quadrilátero lados respectivamente. Sendo 2700o a soma de todos
medem 3x – 45, 2x + 10, 2x + 15 e x + 20 graus. O
os ângulos internos dos três polígonos, determine o
menor ângulo mede:
valor de n.
a)90° 05) Dados dois polígonos com n e n + 6 lados,
b) 65°
respectivamente, calcular n sabendo-se que um dos
c) 45°
d) 105° polígonos tem 39 diagonais mais do que o outro.
e) 80°
06) Três polígonos tem o número de lados expressos
4- (Unesp-2001) O número de diagonais de um por números inteiros consecutivos. Sabendo que o
polígono convexo de x lados é dado por N(x)=(x2-3x) / número total de diagonais dos três polígonos é igual a
2. Se o polígono possui 9 diagonais, seu número de 28, determine o polígono com maior número de
lados é diagonais.
a) 10
b) 9 07) Determine o número de lados de um polígono
c) 8 convexo regular cujo ângulo interno é o quíntuplo do
d) 7
e) 6 externo.

08) O ângulo interno de um polígono regular vale 1,5


vezes o seu ângulo externo. Determine o número de
EXERCÍCIOS EXTRAS lados do polígono.

09) Determine o polígono convexo cuja soma dos


01) Achar dois polígonos regulares cuja razão entre os ângulos internos é igual ao número de diagonais
ângulos internos é 3/5 e a razão entre o número de multiplicado por 180o.
lados é 1/3.
10) Num polígono regular, o ângulo interno mede o
02) Determinar o polígono cujo número de diagonais é triplo do ângulo externo. Quantos lados tem esse
o quádruplo do número de lados. polígono?

03) Qual é o polígono , cuja soma dos ângulos internos 11) Um polígono convexo tem 5 lados mais que o
vale 1800o? outro. Sabendo que o número total de diagonais vale
68, determine o número de diagonais de cada polígono.
04) Qual o polígono que tem o número de lados iguais
ao número de diagonais? 5- TRIÂNGULOS

05) A razão entre o ângulo interno e o ângulo externo DEFINICÃO: É o polígono CONVEXO que possui três
de um polígono regular é 9. Determinar o número de lados.
lados do polígono?

06) Determine o polígono regular cuja medida do


ângulo interno é igual a 4/3 da medida de um ângulo
reto.

EXERCÍCIOS DE CASA

01) Num polígono regular, ai - ae = 60o. Qual é esse


polígono?
11
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA
CLASSIFICAÇÃO: Podemos classificar II – PROFESSOR VINICIUS Q
os triângulos
quanto aos lados e aos ângulos.

 QUANTO AOS LADOS

Equilátero: os três lados são congruentes.

Retângulo: tem um ângulo reto ( 90o )

Isósceles: somente dois lados congruentes.

Obtusângulo: tem um ângulo obtuso ( maior que 90o )


dois agudos.

Obs.: O lado diferente é denominado (BC) de base.


Escaleno: as medidas dos três lados são diferentes.

 QUANTO AOS ÂNGULOS

Acutângulo: os três ângulos são agudos ( menor que 90o


)

12
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q

CEVIANAS E PONTOS NOTÁVEIS DE UM TRIÂNGULO

Ceviana: Segmento que tem uma das extremidades num vértice qualquer de um triângulo e a outra num ponto qualquer
da reta suporte ao lado oposto a esse vértice. Veja que a mediatriz não é uma ceviana.

Note que temos como cevianas AC, AM, NA, AP e AS.

PROPRIEDADE
IMPORTANTE!

2
AG= AM
3

1
GM = AM
3

SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS “Dois triângulos são semelhantes quando os


ângulos correspondentes são congruentes e os lados
correspondentes são proporcionais”.

13
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
Caso AAL  “Se dois triângulosMATEMÁTICA
possuem dois II – PROFESSOR VINICIUS
triângulos Q
de ângulos congruentes a
ângulos congruentes, então esses triângulos são esses, independentemente de
semelhantes”. conhecermos as medidas de seus lados.
Podemos garantir que os lados homólogos desses
triângulos são proporcionais.

Teorema da bissetriz interna

“A bissetriz interna de um ângulo de um triângulo


divide o lado oposto em dois segmentos
respectivamente proporcionais aos outros dois lados
desse triângulo.”

Caso LAL  “Se dois triângulos possuem dois lados


correspondentes proporcionais e os ângulos
correspondentes congruentes, então os triângulos são
semelhantes”.

Teorema da bissetriz externa


“A bissetriz externa de um ângulo de um triângulo
secciona o prolongamento do lado oposto e o divide em
dois segmentos respectivamente proporcionais aos
outros dois lados desse triângulo.”

Caso LLL  “Se dois triângulos possuem os três


lados correspondentes proporcionais, então esses
triângulos são semelhantes”.

RASCUNHO
Exemplo: O triângulo escaleno de lados medindo 7 cm,
8 cm e 9 cm é semelhante ao triângulo, também
escaleno, de lados com medidas 14 cm, 16 cm e 18cm.
Basta verificar a proporcionalidade entre os lados:
7 8 9
= = =K
14 16 18

Onde K é a razão de semelhança entre os dois


triângulos. Implícita está a congruência entre os ângulos
correspondentes, embora nem conheçamos os seus
valores.
Porém, se um triângulo apresenta como medidas de
seus ângulos 50°, 60° e 70°, ele é semelhante a todos os

14
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q

Triângulo retângulo

Aplicações
1) Diagonal do quadrado

2) Altura do triângulo eqüilátero

Exercícios de fixação
1) Quanto mede a altura de um triângulo de lado 3cm?

2) Pedro está construindo uma fogueira representada


pela figura abaixo. Ele sabe que a soma de x com y é 42
e que as retas r, s e t são paralelas.

15
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q

A diferença x - y é:
a) 2.
b) 4.
c) 6.
d) 10.
e) 12.

3)

a) a medida x
b) o perímetro do  ABC

4) Após um tremor de terra, dois muros paralelos em


uma rua de uma cidade ficaram ligeiramente abalados.
A área do retângulo DEFB acima é: Os moradores se reuniram e decidiram escorar os muros
a) 24 utilizando duas barras metálicas, como mostra a figura
b) 160 adiante. Sabendo que os muros têm alturas de 9 m e 3
c) 120 m, respectivamente, a que altura do nível do chão as
d) 20 duas barras se interceptam? Despreze a espessura das
e) 180 barras.

4) A sombra de um prédio, num terreno plano, numa


determinada hora do dia, mede 15 m. Nesse mesmo
instante, próximo ao prédio, a sombra de um poste de
altura 5 m mede 3 m.

a) 1,50 m
A altura do prédio, em metros, é b) 1,75 m
a) 25. c) 2,00 m
b) 29. d) 2,25 m
c) 30. e) 2,50 m
d) 45.
e) 75. 5) Na figura a seguir, o triângulo ABC é retângulo e
isósceles e o retângulo nele inscrito tem lados que
5) No  da figura a seguir, DE//BC nessas condições medem 4 cm e 2 cm.
determine:

16
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
Determine o perímetro do triânguloMATEMÁTICA
MBN. II – PROFESSOR VINICIUS Q

6) Considerando-se as informações constantes no


triângulo PQR (figura abaixo), pode-se concluir que a
altura PR desse triângulo mede:

a) 15
b) 14
Obs.: Todas as medidas se referem à mesma unidade de c) 13
comprimento d) 12
a) 5 e) 11
b) 6
c) 7 9) Na figura abaixo, OP=2, AB=8, O é o centro dos
d) 8 círculos e åæ é tangente em P ao círculo menor.

7)

A área do disco maior é


a) 8.
b) 10.
Numa cidade do interior, à noite, surgiu um objeto
voador não identificado, em forma de disco, que c) 20.
estacionou a 50 m do solo, aproximadamente. Um d) 64.
helicóptero do exército, situado a aproximadamente 30 e) 68.
m acima do objeto, iluminou-o com um holofote,
conforme mostra a figura anterior. Sendo assim, pode-
se afirmar que o raio do disco-voador mede, em m, 10) O valor do raio “r” do círculo inscrito no trapézio
aproximadamente: retângulo abaixo é:

a) 3,0
b) 3,5
c) 4,0
d) 4,5
e) 5,0

8) O valor de x abaixo é:

a) 8 cm
b) 7 cm
c) 6 cm
d) 5 cm

17
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
e) 4 cm MATEMÁTICA II – PROFESSOR
SabendoVINICIUS Q
que seus diâmetros satisfazem
as relações AO = OB = AB/2 e DF =
EC, pode-se concluir que DF/OB é
Exercícios propostos igual a:
1) Millôr Fernandes, em uma bela homenagem à a) 0,65
Matemática, escrever um poema do qual extraímos o b) 0,6555...
fragmento a seguir: c) 0,666...
d) 0,7
Às folhas tantas de um livro de Matemática, e) 0,7333...
um Quociente apaixonou-se um dia doidamente
por uma Incógnita. 4) É dado um quadrado ABCD de lado 8. Traça-se uma
Olhou-a com seu olhar inumerável circunferência centrada em 0 e de raio r. A
e viu-a do ápice à base: uma figura ímpar; circunferência tangencia o quadrado ABCD no lado BC
olhos rombóides, boca trapezóide, e passa pelos vértices A e D, conforme a figura. Calcule
corpo retangular, seios esferóides. o raio da circunferência.
Fez da sua uma vida paralela à dela,
até que se encontraram no Infinito.
"Quem és tu?" - indagou ele em ânsia radical.
Sou a soma dos quadrados dos catetos.
Mas pode me chamar de hipotenusa."
(Millôr Fernandes. Trinta Anos de Mim
Mesmo.)

A Incógnita se enganou ao dizer quem era. Para atender


ao Teorema de Pitágoras, deveria dar a seguinte
resposta:
a) "Sou a soma dos catetos. Mas pode me chamar de
hipotenusa."
4) (ENEM 2014) Uma criança deseja criar triângulos
b) "Sou o quadrado da soma dos catetos. Mas pode me
utilizando palitos de fósforo de mesmo comprimento.
chamar de hipotenusa." Cada triângulo será construído com exatamente 17
c) "Sou o quadrado da soma dos catetos. Mas pode me palitos e pelo menos um dos lados do triângulo deve ter
chamar de quadrado da hipotenusa." o comprimento de exatamente 6 palitos. A figura ilustra
d) "Sou a soma dos quadrados dos catetos. Mas pode um triângulo construído com essas características.
me chamar de quadrado da hipotenusa."
2) Um triângulo retângulo tem catetos 6 cm e 8 cm.
Determine:
a) a hipotenusa do triângulo.
b) a altura relativa a hipotenusa.
c) as projeções dos catetos sobre a hipotenusa.

3) (UFF) No Japão, numerosos lugares de peregrinação


xintoístas e budistas abrigam tabuletas matemáticas
chamadas de Sangaku, onde estão registrados belos A quantidade máxima de triângulos não congruentes
problemas, quase sempre geométricos, que eram dois a dois que podem ser construídos é:
oferecidos aos Deuses. A figura a seguir, que é uma
variante de um exemplar de Sangaku, é composta por a) 3
b) 5
cinco círculos que se tangenciam. c) 6
d) 8
e) 10

5) (ENEM 2013) O dono de um sítio pretende colocar


uma haste de sustentação para melhor firmar dois postes
de comprimentos iguais a 6m e 4m. A figura representa
a situação real na qual os postes são descritos pelos
segmentos AC e BD e a haste é representada pelo
segmento EF, todos perpendiculares ao solo, que é
indicado pelo segmento de reta AB. Os segmentos AD e
BC representam cabos de aço que serão instalados.

18
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q

6 - QUADRILÁTEROS

Qual deve ser o valor do comprimento da haste EF? Um quadrilátero é uma figura geométrica plana
a) 1 m
b) 2 m que possui quatro lados formados por segmentos de
c) 2,4 m reta. Os quadriláteros são polígonos e, por isso, têm que
d) 3 m ser fechados. Além disso, podem ser classificados em
e) 2√6 m três grandes grupos de acordo com as características de
seus lados: paralelogramos, trapézios e outros. Aqui
faremos um estudo sobre os paralelogramos!
6) (ENEM 2017) Para decorar uma mesa de festa
infantil, um chefe de cozinha usará um melão esférico Paralelogramos
com diâmetro medindo 10 cm, o qual servirá de suporte
para espetar diversos doces. Ele irá retirar uma calota Em virtude de seus lados opostos paralelos,
esférica do melão, conforme ilustra a figura, e, para os paralelogramos também possuem algumas
garantir a estabilidade deste suporte, dificultando que o propriedades únicas. Veja a seguir:
melão role sobre a mesa, o chefe fará o corte de modo
que o raio r da seção circular de corte seja de pelo 1 – Os ângulos opostos de um paralelogramo são
menos 3 cm. Por outro lado, o chefe desejará dispor da congruentes. Observe, na figura a seguir, que os
maior área possível da região em que serão afixados os ângulos opostos são aqueles que não compartilham
doces. lados do paralelogramo;
2 – Dois ângulos adjacentes de um paralelogramo são
suplementares, ou seja, a soma dos dois é igual a 180
graus;

3 – As diagonais de um paralelogramo cruzam-se em
seus pontos médios;
4 – Os lados opostos de um paralelogramo são
congruentes (possuem a mesma medida).
Para atingir todos os seus objetivos, o chefe deverá
cortar a calota do melão numa altura h, em centímetro,
igual a

√ 91
a) 5 -
2

RASCUNHO
b) 10 - √ 91 Um dos critérios usados para classificar
c) 1 um quadrilátero como paralelogramo baseia-se nos seus
d) 4 lados: se um quadrilátero possui lados opostos paralelos
e) 5 e congruentes, então, ele é um paralelogramo.
O conjunto de todos os paralelogramos também
pode ser classificado em três classes: Retângulos,
Losangos e Quadrados.

Retângulos

19
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA
Os retângulos são paralelogramos II – PROFESSOR
cujos ângulos Todo VINICIUS
quadrado Qpossui diagonais
internos são retos, ou seja, de 90°. Além disso, eles congruentes e perpendiculares.
apresentam uma propriedade:
Essa propriedade está ilustrada na figura
Todo retângulo possui diagonais congruentes. abaixo:

Para ilustrar essa propriedade, construímos o


retângulo da figura abaixo e exibimos os valores de
seus ângulos e o comprimento de suas diagonais.

Como os quadrados também
são paralelogramos, vale ressaltar, uma última vez, que
as propriedades dos paralelogramos valem para os
quadrados. Além disso, todo quadrado é um
paralelogramo, mas nem todo paralelogramo é um
Como os retângulos também são
quadrado.
paralelogramos, as quatro propriedades já citadas
também valem para qualquer retângulo. No entanto, não Relações entre os paralelogramos
se confunda: todo retângulo é um paralelogramo, mas Em resumo, as relações entre os paralelogramos são as
nem todo paralelogramo é um retângulo. seguintes:

Losangos a) Todo paralelogramo ou é quadrado, ou é losango ou


é retângulo;
Os losangos são paralelogramos cujos lados são b) Todo quadrado, retângulo ou losango é também
congruentes. Isso significa que seus lados possuem paralelogramo;
medidas iguais. Além disso, a propriedade que se refere c) Nem todo paralelogramo é quadrado; nem todo
unicamente aos losangos é a seguinte: paralelogramo é retângulo e nem todo paralelogramo é
losango, mas, obrigatoriamente ,é um dos três;
Todo losango possui diagonais perpendiculares. d) Todo quadrado é também losango;
e) Todo quadrado é também retângulo.
Essa propriedade está ilustrada na figura
abaixo. Construímos um losango com destaque para Trapézio
a perpendicularidade de suas diagonais. Observe que
nos losangos as diagonais não possuem o mesmo O trapézio é uma figura da geometria plana
tamanho. formada por quatro lados. Dois deles são paralelos e
chamados de bases. Ele é considerado um quadrilátero,
tal qual o retângulo, o losango e o quadrado.
Importante destacar que ele é chamado de
quadrilátero notável. Isso porque a soma de seus quatro
ângulos internos totaliza 360°.

Como os losangos também são paralelogramos,


também se enquadram nas quatro propriedades expostas
no início do texto. É importante salientar que
todo losango é um paralelogramo, mas nem todo
paralelogramo é um losango.
Tipos de Trapézio
Quadrados
Dependendo de sua forma, o trapézio é classificado de
três maneiras:
Os quadrados são paralelogramos que possuem
 Trapézio Retângulo: esse tipo de trapézio
lados congruentes e ângulos de 90°. Isso significa que
apresenta dois ângulos de 90°, chamados de
todo quadrado é também losango e retângulo ao mesmo
ângulos retos.
tempo. Por isso, é propriedade dos quadrados:

20
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
 MATEMÁTICA
Trapézio Isósceles: também chamado IIde– PROFESSOR VINICIUS Q
trapézio simétrico, ele apresenta dois lados
congruentes (possuem a mesma medida) e dois
lados diferentes.
 Trapézio Escaleno: todos os lados desse
trapézio apresentam medidas diferentes.

EXERCÍCIOS

01)Sobre a definição de quadriláteros, assinale a


alternativa correta:
a) Os quadriláteros são polígonos que possuem quatro
lados, e os lados opostos são paralelos.
b) Todo quadrilátero é um quadrado.
c) Quadrilátero é uma figura geométrica plana,
poligonal e possui quatro lados.
d) Quadriláteros são polígonos que possuem quatro
lados, e dois deles são paralelos.
e) Quadriláteros são figuras que possuem quatro lados
iguais.

02)Sobre a classificação de quadriláteros, assinale a


alternativa correta.
a) Um paralelogramo é um quadrilátero que possui
lados paralelos.
b) Um paralelogramo é um quadrilátero que possui
lados congruentes.
c) Um paralelogramo não é um quadrilátero.
d) Um trapézio é um quadrilátero que possui lados
paralelos.
e) Um trapézio é um quadrilátero que possui dois
lados opostos paralelos.

03)Sobre as propriedades dos paralelogramos, assinale


a alternativa correta.
a) Um paralelogramo é um quadrilátero que possui
lados opostos paralelos e congruentes.
b) As diagonais de um paralelogramo cruzam-se e
formam um ângulo reto.
c) A soma dos ângulos externos de um paralelogramo
é diferente da soma dos ângulos externos de um
triângulo.
d) Os ângulos adjacentes de um paralelogramo são
congruentes.
e) Os ângulos de um paralelogramo sempre são iguais.

21
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA
04) Sobre retângulos, quadrados e losangos, assinaleIIa – PROFESSOR
c) V, F, VINICIUS
F. Q
alternativa correta.   
a) Todo retângulo é também um quadrado. 08) (Unifesp) Num paralelogramo, a
b) Os quadrados são figuras geométricas planas, medida de um dos ângulos internos é o triplo da
poligonais e que possuem os quatro lados medida de outro. O maior ângulo desse paralelogramo
congruentes. mede:
c) Os losangos são figuras geométricas planas, a) 120°. b) 108°. c) 135°. d) 115°. e) 144°.
poligonais e que possuem os quatro lados   
congruentes. 09) Quadriláteros e Polígonos: (Unesp) A afirmação
d) Os losangos são figuras geométricas planas, falsa é:
poligonais e que possuem os quatro lados congruentes a) todo quadrado é um retângulo
e as medidas dos quatro ângulos iguais. b) existem retângulos que não são losangos
e) Os retângulos são paralelogramos cujas diagonais c) todo paralelogramo é um quadrilátero
são perpendiculares. d) todo quadrado é um losangulo
e) um losango pode não ser um paralelogramo
05)(UFMG) Na figura, ABCD é um quadrado, e BCE  
é um triângulo equilátero. 10)(ITA) A soma das medidas dos ângulos internos de
um polígono regular é igual a 2160°. O número de
diagonais que não passam pelo centro desse polígono
é:
a) 50. d) 80.
b) 60. e) 90.
c) 70.
 
 
11) (UFSCar) A fgura 1 representa um determinado
encaixe no plano de 7 ladrilhos poligonais regulares (1
A medida do ângulo AEB, em graus, é: hexágono, 2 triângulos e 4 quadrados), sem
a) 30. sobreposição e cortes.
b) 49.
c) 60.
d) 75.
e) 90.
 
 
06) (Unesp) Uma certa propriedade rural tem o
formato de um trapézio como na fgura. As bases WZ
e XY do trapézio medem 9,4 km e 5,7 km, Em relação aos 6 ladrilhos colocados perfeitamente
respectivamente, e o lado YZ margeia um rio. nos espaços da fgura 1, como indicado na fgura 2, é
correto dizer que:
a) 2 são triângulos equiláteros e, 4 são triângulos
isósceles de ângulos da base medindo 15°.
b) 2 são triângulos equiláteros, e 4 são triângulos
isósceles de ângulos da base medindo 30°.
c) 2 são triângulos isósceles de ângulos da base
 
medindo 50°, e 4 são triângulos isósceles de ângulos
 
da base medindo 30°.
07) (PUCCamp) Considere as afirmações:
d) 2 são triângulos equiláteros, e 4 são triângulos
I – Todo retângulo é um paralelogramo.
retângulos isósceles.
II – Todo quadrado é um retângulo.
e) 2 são triângulos equiláteros, e 4 são triângulos
III – Todo losango é um quadrado.
escalenos.
Agora, associe a cada uma dessas afirmações a letra
 
V, se for verdadeira, ou F, caso seja falsa. A sequência
12) (Unifesp) A soma de n – 1 ângulos de um
que caracteriza corretamente as afirmações, na ordem
polígono convexo de n lados é 1900°. O ângulo
apresentada, é:
remanescente desse polígono mede:
a) F, F, F. d) V, V, F.
a) 120°. d) 80°.
b) F, F, V. e) V, V, V.
b) 105°. e) 60°.
22
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
c) 95°. MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q

RASCUNHO
  RAIO
13) (Medicina Unimar) A razão entre os números de O A
lados de dois polígonos convexos é 2/3 . Juntos os
ângulos internos dos dois polígonos totalizam 2880°.
Calcule o número de diagonais do polígono com o  Qualquer segmento com uma extremidade no centro
maior número de lados. e a outra em um ponto da circunferência é chamado de
a) 54 d) 90 RAIO.
b) 20 e) 27
c) 35 O é o centro da origem

OA é o raio

INDICAÇÃO:
C (O, r )  Significa: Circunferência de centro O e

RASCUNHO
raio r.

2. CORDA E DIÂMETRO:

RASCUNHO
A)  CORDA : É o segmento cujas extremidades
pertencem à circunferência.

B)  DIÂMETRO : É a corda que passa pelo centro


da circunferência.

CORDA

D  2.R
DIÂMETRO

CORDA

 Observe que: A medida do diâmetro é o dobro do


raio, ou seja:

3. CÍRCULO:
 É a união da circunferência e seu interior.

Circunferência Interior ou conjunto Círculo


dos pontos internos

 Convém destacar que:


A Todo ponto da circunferência pertence ao
círculo.
B  Existem pontos do círculo que não pertencem à
circunferência.
C  O centro, o raio e o diâmetro da circunferência
são também centro, raio e diâmetro do círculo.
7- CIRCUNFERÊNCIA E CÍRCULO
4. POSIÇÕES RELATIVAS DE UMA RETA E UMA
1. CIRCUNFERÊNCIA: CIRCUNFERÊNCIA:
É o conjunto de pontos de um plano, equidistante de um  Uma reta r e uma circunferência C podem ocupar
ponto do plano chamado Centro. as seguintes posições:

A  C  r   A, B (dois pontos comuns)

23
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
1  C2   M 
Dizemos que: MATEMÁTICA II – PROFESSORCVINICIUS Q
A reta é SECANTE à circunferência.
C
A B r C  NÃO  SECANTES : Não têm
ponto comum.

C1 C2 C2
B  C  r   A (um ponto comum) C1
Dizemos que:
A reta é TANGENTE à circunferência. Exteriores
A Interiores
r
C C1  C2    

CASO PARTICULAR:
C  C r   
(não há ponto comum) 1) Duas circunferências não secantes e que têm o
Dizemos que: mesmo centro são chamadas Concêntricas.
A reta é EXTERNA à circunferência.

r C1 C2
C

PROPRIEDADES: 6. ARCOS:
 Toda reta TANGENTE a uma circunferência é  Dados dois pontos distintos A e B sobre uma
perpendicular ao raio no ponto de tangência. circunferência, esta fica dividida em duas
P r partes. Cada uma dessas partes é denominada
Arco.
C

O
A A A

5-POSIÇÕES RELATIVAS DE DUAS


CIRCUNFERÊNCIA B B
 Duas circunferências distintas podem ser: B

A  SECANTES : Têm dois pontos comuns. Arco menor Arco maior



M
INDICAÇÃO: AB
C1 C2 C1  C2   M , N 
 Os pontos A e B são as extremidades desses arcos.

7. ÂNGULO CENTRAL:
N É aquele cujo vértice está no centro da circunferência.
B  TANGENTES : Têm um único ponto comum.
M
C1 C2 A

C1      
M m AOB   m AB   
O      
C2
B
Tangentes exteriores Tangentes interiores
Observe que:
24
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q
 O ângulo central e o arco determinado por ele têm a
mesma medida.
0
c) Resp: 50
8. ÂNGULO INSCRITO:
 É aquele cujo vértice pertence à circunferência e x
cujos lados são semi-retas secantes.
A
1000

P  

 d) Resp: 65
0

B 2

APB    é o ângulo inscrito
2 x  500 1600
PROPRIEDADE:
 A medida de um ângulo inscrito é igual à metade do
arco correspondente.

TESTES
Exemplos: Determinar os ângulos indicados:
a)
SOLUÇÃO
1. (FRANCO) Na figura abaixo, qual dos pontos está
700
x mais próximo do ponto O ?
x 700 2 A
x  350 a) o ponto A
b) o ponto B C
b) o ponto C O
d) n. d. a B
b)
SOLUÇÃO (FRANCO) Observe a figura seguinte e as afirmações:

1200 x 120 0
x C
2
x  600 I) OA é raio. D
II) CB é diâmetro. O
EXERCÍCIOS PROPOSTOS
III) CB é corda.
(FRANCO) Determine os ângulos indicados nas IV) CD é corda. B A
figuras abaixo:
Quantas são verdadeiras ?

a) 1 b) 2 c) 3 d) 4
0
a) Resp: 25
3. (FRANCO) Na figura abaixo, os segmentos AB e
x 500 CD e as retas r e s recebem, respectivamente, os
seguintes nomes:

a) raio, corda, tangente e secante.


b) raio, diâmetro, secante e tangente.
c) corda, diâmetro, tangente e secante.
0
b) Resp: 20 d) corda, diâmetro, secante e tangente.

400 x A B

25
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
C MATEMÁTICA
D II – PROFESSOR0 VINICIUS Q
r a) 25 E
b) 30
0
3 x  80 0

0
s c) 35 x
0
d) 40 F O

4- (FRANCO) As três circubferências são tangentes. Se


o raio de C1 mede 3 cm, o raio de C2 mede 10 cm e o
9. (FRANCO) Na figura seguinte, o valor de x é:
diâmetro de
C3 é 30 cm, então o perímetro do triângulo S
0
PQR é: a) 60
0
b) 70 1000 x 1200
P
a) 46 cm c) 1200
b) 56 cm d) 140
0
R T
c) 71 cm
d) 86 cm Q R

10. (FRANCO) Na figura seguinte, o valor de x é:


5. (FRANCO) Na figura seguinte, a circunferência C2
é tangente a duas circunferências exteriores 0
a) 25 R
 C1 e C3  . O raio de C2 mede: 0
b) 35
0
c) 50 1500 3x P
C1
0
C2 C3 d) 75
a) 3 cm
b) 6 cm 7cm 5cm
c) 8 cm S
d) 9 cm
11. (FRANCO) Na figura seguinte, AB é diâmetro da
  
 AC 
30cm circunferência. O menor dos arcos   mede:
C
6. (FRANCO) Na figura seguinte, o valor de x é:
0
0 a) 100
a) 45 0
0 b) 120 A 400 B
b) 60 0
0 c) 140
c) 90 M N 0
0 d) 150
d) 180 x

12. (FRANCO) Em um círculo de centro O, está


P 
inscrito o ângulo  . Se o arco AMB mede 130 , o
0
7. (FRANCO) Na figura seguinte, a medida do arco
ângulo  mede:

AB é:
A 0
0 a) 25
a) 9 0
0
180 b) 30 O
b) 18 P
0 c) 40
0

c) 24 B 0
0 d) 45 A B
d) 36
13. (FRANCO) A medida do ângulo x, representado na
figura, é:
8. (FRANCO) Se o ponto O é o centro da
circunferência, então o valor de x é:
0
a) 15
26
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
0 MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q
☎ Lembrando:
b) 20 x 800 Numa proporção, o
0 produto dos extremos é igual ao
c) 25 produto dos meios.
0
d) 30
2 4
8-SEGMENTOS PROPORCIONAIS ☎ Assim: 3 e 6 formam uma proporção, pois
2  6  3  4  12 .
1. RAZÃO ENTRE SEGMENTOS:
3. FEIXE DE RETAS PARALELAS:
⇒ Sejam os segmentos AB e CD :
⇒ Chama-se feixe de paralelas o conjunto de três ou
A B C D mais retas paralelas de um plano. Se uma reta
2cm 5 cm intercepta essas paralelas, ela se chama Transversal.

♣ A razão entre AB e CD será:

AB 2cm AB 2
 
CD 5cm ou seja CD 5
r
♣ A razão entre CD e AB será:
a
CD 5cm CD 5 b
  c
AB 2cm ou seja AB 2 d

transversal
Definição:
♣ PROPRIEDADE:
⇒ A razão entre dois segmentos é o quociente entre as
suas medidas, tomadas na mesma unidade. Quando um feixe de paralelas determina
segmentos congruentes sobre uma transversal, então
determinará segmentos congruentes sobre qualquer
2. SEGMENTOS PROPORCIONAIS: outra transversal.

⇒ Sejam os segmentos da figura: 4. TEOREMA DE TALES:

⇒ Quando três retas paralelas são cortadas por duas


retas transversais, os segmentos determinados numa
A B E F das retas transversais são proporcionais aos
segmentos determinados na outra.
2 cm 4 cm
☞ Veja a prova dessa afirmação: a // b // c
C D G H
s t
3 cm 6 cm
A D a
u v
AB  2cm AB 2
  razão : 
CD  3cm CD 3 u v b
B u v E

EF  4cm  EF 4 U v
  razão :  C u v F
GH  6cm GH 6 C
Temos:
⇒ Medindo os segmentos AB e BC na unidade u,
2 4 AB EF temos:
 
☞ Como 3 6; então CD GH é uma
Proporção.
27
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q
AB  2u  AB 2
  Então :  1 EXERCÍCIOS PROPOSTOS
BC  3u  BC 3
1. (FRANCO) Calcule x, sabendo que a // b // c :
⇒ Pelos pontos de divisão dos segmentos AB e BC , a)
traçamos paralelas às retas do feixe. Essas paralelas a
x 3
dividem DE e EF em segmentos b
congruentes.
8 4
DE  2v  DE 2
  Então :   2 C Resp: 6
EF  3v  EF 3

⇒ Comparando 1 e  2  , temos:


b) a
2x – 2 4
b
AB DE

BC EF 3x + 1 7

c
Exemplo 1: Calcular x, sabendo que a // b // c .

Resp: 9
a
3 x
b

12 16 c)
c a

x 9
Solução: b
3 x
  12.x  3  16  12 x  48 x+2 12
12 16
c
48
x  x4
12 Resp: 6

Exemplo 2: Calcular x, sabendo que a // b // c .

a b c
d) a b c
24
18 x
6

9 1, 8
x
4

Solução: Resp: 2, 7
9 18
  18.x  9  24  18 x  216 e) a b c
x 24

216 10 6
x  x  12
18
x
28
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
4 MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q

Resp: 15 5. TEOREMA DE TALES NOS


TRIÂNGULOS:
f) ⇒ Toda reta paralela a um dos lados de um triângulo
a determina, sobre os outros dois lados, segmentos
proporcionais.
x 5

b
☞ Veja:
7, 5 6 A
c
D E
Resp: 4

g)
B C
a
3

b ☞ Podemos concluir que:


6 x 6
AD AE
c 
DB EC
h) a

8 b Exemplo 1: Calcule x, sabendo que BC // EF :

10
x c A
Solução:
6
2 X
2 x
  4.x  2  6
E F 4 6
2. (FRANCO) Calcule x, y e z sabendo que 4 x  12  x  3
a // b // c // d : 4 6

B C
a) a b c d
EXERCÍCIOS PROPOSTOS
x
6 y
1. (FRANCO) Calcule x, sabendo que BC // EF :
25 5 16
a) A

8 10
20
40 E F
x  30, y 
Resp: 3 x
b) a B C Resp: 15
9 x 3
b b) A
z 4 2
c x 5
12 y 4
d E F
Resp: z = 6, y = 8, x = 6 x+4 7

29
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
MATEMÁTICA II – PROFESSOR VINICIUS Q
a) AQ  5
B C
b)
Resp: 10 AC  6
c) AC  10 d)
AQ  10
c) B

6 3. (FRANCO) Na figura, os segmentos BC e DE


E AB  15m , AD  5m
são paralelos, e
4 AE  6m . A medida do segmento CE é, em
metros:
A 10 F x C

Resp: 10

d) 4x + 1 F 3 A
A C a) 6
b) 10
3x c) 12
d) 18 D E
E
2
B
Resp: 2 B C
e) B C
4. (FRANCO) Na figura    , Quanto vale x ?
x 2
a) 10 2
E F b) 5
3
1 1
2 1 c) 10 x
4 2 10
A
d) 3  
Resp: 3
TESTES 3 5

5. (FRANCO) Na figura, as retas a, b e c são


1. (FRANCO) Na figura DE // BC . O valor de x é: paralelas. Então, o valor de x é:
A a b c
a) 8
x 5 b) 10 8 6
c) 11
D E d) 12 4
x
x+4 7
B C 6. (FRANCO) Na figura, sendo a // b // c , o valor de
xé: a
15 b c
a) 9 b) 10 c) 12 d) 12 a) 1 3
b) 2
2. (FRANCO) Nos triângulos abaixo, PQ // BC . c) 3 4x+1
Assim podemos afirmar que: 3
A
d) 2 2 3x
3

P Q 1. (FRANCO) As retas r, s e t são paralelas e os


2 4 comprimentos dos segmentos de transversais são
indicados na figura. Então x é igual a:
B C

a) 5
30
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877
b) 6 MATEMÁTICA
r II – PROFESSOR
c) 4 e VINICIUS
8 Q 6
8 1 d) 6 e 12
1 24
c) 5 x 5 x y
15 s
4 8
d) 2 s
15 3 t
t

8. (FRANCO) Na figura abaixo, o valor de x é:

a) 4
b) 5 r // s
c) 6
d) 7 x-3 x

s // t

x+2 x-2

9. (FRANCO) Na figura, o valor de x é:

a) 14 15
b) 16 10
c) 18
d) 20

X 12

10. (FRANCO) Nesta figura, os segmentos de retas


AO, BP, CQ e DR são paralelos. A medida do
segmento PQ, em metros, é:

a) 24 R
b) 35 120m
c) 40 Q
d) 50
P
O

A D
B C

11. (FRANCO) As retas r, s e t da figura são


paralelas. Assim, os valores de x e y são,
respectivamente, iguais a:

a) 2 e 4
b) 1 e 16 r

31
Rua Antônio Ladeira, 54 – 4º andar, Centro, Santos Dumont – MG CEP 36.240-000
Telefone (32) 99105-5877