Você está na página 1de 3

Um conto de Progresso Pessoal

Essa peça é sobre uma moça chamada Carol, uma menina-moça de 15 anos que perdeu o interesse pelo
Progresso Pessoal. Durante uma sábado preguiçoso, ela recebe a visita de 3 fantasmas que, é claro,
mostram a ela 3 partes importantes de sua vida: o fantasma do Progresso Pessoal Presente (mostra a
irmã Peganopé, uma de suas lideres das moças, falando ao telefone com a presidente das moças, irmã
Nãodesiste, sobre sua preocupação sincera com Carol ), o fantasma do Progresso Pessoal Passado,
(mostra Carol como uma nova abelhinha sendo recebida por suas lideres, irmã Docinho e irmã Carinho),
e o fantasma do Progresso Pessoal Futuro (mostra Carol como uma líder 20 anos no futuro que sente
que perdeu algumas grandes e ricas oportunidades em sua vida por estar somente agora ganhando um
testemunho do programa do Progresso Pessoal ). Através dessas experiências, Carol pensa sobre o
significado dos sete valores, finalmente desenterra seu velho livro do Progresso Pessoal (debaixo de sua
cama enterrado debaixo de uma meia velha, do salgadinho da semana passada e 2 cm de poeira) e
termina ajoelhada pedindo ao Pai Celestial para ajuda lá a ganhar um testemunho do programa do
Progresso Pessoal.
Essa peça foi escrita de forma que o narrador tem o script á sua frente e não precisa decorar. Os
outrospersonagens devem entender suas partes o suficiente para serem capazes de adicionar alguma
coisa sem perder a "deixa"do outro. Desta forma ninguém precisa decorar a peça, que poderá ser
apresentada sem muitos ensaios e pressão sobre as moças.Essa peça deve ser apresentada com uma
cama montada no meio e as outras cenas
(passado, presente e futuro) acontecendo nos dois lados. Começamos com duas divisórias fechando a
vista do lado esquerdo para que as pessoas na cena possam se arrumar e ficar prontas. Na hora de sua
cena, duas moças vestidas com roupas coloridas tiram as divisórias.
Cenário: Carol está na cama de pijama com cara de preguiça.
Narrador:Era uma vez, não muito longe daqui, vivia uma menina chamada Carol.
Carol está curtindo uma tarde de sábado preguiçosa de pijama quando o telefone toca. Entra a mãe de
Carol (A mãe aparece no meio das divisórias, com bob na cabeça e mascara no rosto segurando o
telefone).
Mãe:Carol! telefone! É a irmã Peganopé!
Carol:Mãe, fala pra ela que não estou em casa! Ela vai pegar no meu pé por causa do Progresso Pessoal!
(Carol continua a apertar o botão do cd player).
Mãe(desistindo): Desculpe irmã Peganopé, Carol não pode atender agora, mais vou pedir para ela te
ligar assim que puder.
Mãe desliga o telefone e fala com Carol
Mãe:Não vou mentir por sua causa, querida. Por favor, liga para a irmã Peganopé quando sair da cama!
Carol:Ta bom, mãe!
A mãe sai e Carol se atira na cama suspirando, preparando-se para dormir mais um pouco.
Narrador:Carol está preparada para curtir inteiramente sua tarde da forma que todo adolescente
respeitável gosta : dormindo. Mal sabe que outros planos estão reservados para ela.
Entra o fantasma do Progresso Pessoal Presente ( um barulho de relógio acompanha a
entrada do fantasma)
FPPPr (muito animado): Acorde, acorde pequeno raio de sol! Tenho algo para lhe mostrar...
Carol: O que? Quem é você? O que está fazendo o meu quarto? Mãe! Mãe!
FPPPr: Sou o fantasma do Progresso Pessoal Presente e tenho algo maravilhoso para te
mostrar!
FPPPr pega Carol e começa a puxa-lá ...
Narrador:Embora Carol esteja extremamente confusa, o fantasma finalmente a convence a vir com ele.
(FPPPr dá um grande empurrão e tira Carol da cama, que cai no chão. Ele puxa Carol para o palco a
esquerda, quando as duas divisórias se abrem e mostram a irmã Peganopé
falando com a irmã Nãodesiste.
A moça do cartaz atravessa o palco com um cartaz escrito : "18 de Novembro" (data de hoje na
apresentação).
Irmã Peganopé: Sabe irmã Nãodesiste, não sei mais o que fazer. Já liguei dez vezes para Carol nos
últimos três dias e ela nunca pode atender.
(Nossa consultora das moças faz sua própria fala sobre sua preocupação sincera e seu amor por Carol e
seu desejo que entenda o bem que o Progresso Pessoal pode fazer em sua vida.) Ela presta seu
testemunho e explica os valores Natureza Divina e Valor Individual e o que tem a ver com sua visão de
Carol e com avisão de Carol de si mesma).
Carol (interessada no que acabou de acontecer mas não convencida de se tornar uma fanática do
Progresso Pessoal): Uau! Eu não sabia que a irmã Peganopé se preocupa tanto comigo. Achei que ela
estava só fazendo sua "obrigação", me ligando e pegando no meu pé para fazer o Progresso Pessoal. Ela
realmente pensa tudo aquilo de mim?
Narrador:Enquanto Carol pensa sobre o significado do que acabou de ver e ouvir, o fantasma do
Progresso Pessoal Presente a leva de volta para sua cama aconchegante e a deixa sozinha com seus
pensamentos.
(FPPPr e Carol voltam para o centro do palco, Carol senta na cama, parecendo pensativa. O FPPPr sai)
Narrador:Infelizmente Carol tem estado desinteressada por algum tempo e vai precisar mais do que
uma visão para saber sobre a importância do Progresso Pessoal em sua vida. Sentindo-se cansada com
toda essa reflexão, Carol decide que está na hora de tirar uma soneca.
(Bocejando, Carol para de pensar e deita na cama).
Narrador:Mas não por muito tempo...
(entra o fantasma do Progresso Pessoal passado, um relógio toca quando o fantasma entra).
FPPPa:Carol... Carol! Esta na hora de acordar e me acompanhar.
Carol: O que? Outro? Tenho que parar de comer salgadinhos! O que VOCÊ quer ASSOMBRAÇÃO?
FPPPa: Sou o fantasma do Progresso Pessoal Passado, e vim para mostrar alguns sentimentos e
pensamentos que você esqueceu mas deve lembrar. Por favor, venha comigo!
Narrador: Carol está naturalmente relutante de seguir outra pessoa desconhecida em uma viagem
estranha, mas o fantasma é muito persuasivo e Carol vê-se viajando novamente no tempo e no espaço.
(FPPPa empurra Carol da cama e ela cai. FPPPa segura sua mão e a leva para o palco da direita e os
painéis se abrem. Aparece Carol como uma moça sentada numa cadeira ao lado de sua mãe, de frente
para duas lideres. As lideres estão dando as boas vindas a Carol nas mocas. Carol parece muito feliz. A
moça do cartaz atravessa o palco segurando um cartaz escrito: "Março de 1998").
Narrador: Carol, está é a Carol (virando para a audiência). Faz somente quatro anos que você foi
recebida nas moças por suas lideres, irmã Docinho e irmã Carinho. Você estava muito feliz por
finalmente fazer doze anos e mal podia esperar para começar o programa do Progresso Pessoal. Você
tinha cer
teza que podia completar seis metas e o projeto de um dos valores em apenas dois meses.
Carol: Eu me lembro disso! Eu estava sempre tão animada para ir nas moças e fazer o meu Progresso
Pessoal! Eu até terminei as metas de Fé em um mês!
FPPPa: O que aconteceu Carol? Você é quase uma laurel e já faz um ano que não consegue encontrar
seu livro do Progresso Pessoal!
Carol: O que aconteceu? Bem, é a vida né....!
Irmã Docinho e irmã Carinho mostram o progresso pessoal e explicam a importância
deste programa em sua vida.
(Carol do passado e sua mãe levam as lideres até a porta e saem. Nesse meio tempo o
FPPPa leva Carol para o centro do palco. Carol parece pensativa novamente enquanto o
FPPPa sai e ele volta pra cama)
Narrador: O que Carol quis dizer por "é a vida" é: treino de futebol, ensaios de teatro, lição de casa,
férias de verão, trabalho, passeio com os amigos, ouvir musica, etc e etc... Ela esqueceu que, embora o
valor Conhecimento nos ensina a procurar continuamente oportunidades de aprender e crescer, ele
deve ser balanceado com o valor Escolhas e Responsabilidades, que nos ensina a escolher o bem ao mal
eassumir responsabilidade por nossas escolhas
(Carol fica na cama enquanto o narrador fala, parece pensativa mas finalmente deita e começa a
dormir).
Narrador: Bom, Carol já pensou em muitas coisas importantes hoje, mais do que nos ultimo três meses
e poderíamos parar por aqui. Exceto que a história ainda não acabou.
(entra o fantasma do Progresso Pessoal futuro, um relógio toca enquanto isso. Sem falar ele bate no
ombro de Carol até que ela acorda, e chama -a para segui -lo).
Narrador: Tendo aprendido com suas experiências passadas, Carol sai rapidamente da cama para seguir
esse ultimo visitante.
(Carol sai da cama e segue o fantasma para o palco da esquerda. Os dois painéis saem para mostrar uma
fileira de lideres sentadas de frente para a audiência enquanto uma moça esta orando silenciosamente.
A moça do cartaz atravessa o palco com um cartaz escrito: "17 de Janeiro de 2020”. Nesse momento,a
mãe de Carol envelhecida entra por trás e senta-se com a audiência.)
Carol: Quem são essas pessoas? O que estão fazendo?
Carol Futura (levanta -se e fala com a audiência): sou muito grata por ter sido convidada para falar nos
Novos Inícios hoje. Tenho certeza que minha mãe nunca imaginou me ver aqui como uma líder das
moças ensinando suas netas. Carol futura continua a falar enquanto olha para sua mãe na audiência).
Carol: Mãe? Aquela é minha mãe, mas daqui vinte anos. Espera, isso significa que aquela sou eu? Eu
ensinando nas moças? Não posso ter me tornado tão mal se fui chamada para ser uma líder das moças.
Talvez não foi tão importante não fazer o meu Progresso Pessoal.
(Carol do futuro começa a falar sobre o trabalho que está fazendo no Progresso Pessoal)
Carol futura: Como líder, estou trabalhando para ganhar o reconhecimento das moças que nunca acabei
quando era laurel (ela presta o seu testemunho sobre a importância dos valores que ensina. Fala sobre o
valor Integridade ensinado no Progresso Pessoal. Fala sobre seu desejo de ter seguido esse valor por
toda sua vida, tendo coragem moral de agir de forma consistente com seu conhecimento do certo e do
errado. Ela acha que sua vida embora não tenha sido ruim, poderia ter sido mais rica como moça e
agora como presidente das moças, se tivesse realmente se dedicado a ganhar um testemunho da
importância do Progresso Pessoal enquanto jovem. Carol está triste por ter perdido tantos anos e acha
que perdeu muitas oportunidades de fazer boas obras por não ter entendido o Progresso Pessoal! Carol
está agora muito grata pela oportunidade de nutrir outros e edificar o reino através do serviço reto ao
servir nas moças.)
(Carol e FPPF voltam ao centro do palco e Carol senta -se em sua cama pensando enquanto o FPPF sai).
Narrador: As viagens de Carol terminam finalmente e ela tem muito no que pensar.
(Carol pula na cama procura debaixo dela e começa a jogar fora vários objetos, bichinhos de pelúcia,
meia velha, sacos de salgadinhos vazios, etc. Ela finalmente encontra seu livro de Progresso Pessoal e
senta -se novamente na cama com ele.Assopra o pó da capa, tira uma aranha e começa a folheá -lo.)
Carol (lendo alto):Fé: Sou uma filha do Pai Celestial, que me ama, e terei fé em seu plano eterno, que
está centralizado em Jesus Cristo, meu Salvador.
(fecha o livro)
Carol: Hum, talvez esteja na hora de falar com o Pai Celestial sobre isso e ganhar meu próprio
testemunho dos valores que aprendo com o Progresso Pessoal. Depois, vou ligar para a irmã Peganopé.
(ajoelha -se e os painéis a cobrem.
A moça do cartaz aparece com um cartaz escrito : FIM

Interesses relacionados