Você está na página 1de 3

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA

SOCIOLOGIA DO DIREITO

14 de Junho de 2013

Comente a frase de Cesare Beccaria, desenvolvendo o tema nela subjacente:


«Devem, assim, escolher-se as penas e o método de infligi-las de tal maneira que,
observadas as devidas proporções, se produzirá um efeito mais eficaz e mais duradouro
sobre os espíritos dos homens, e menos torturante sobre o corpo do réu».

Cesare Beccaria; Enquadramento histórico; Dos Delitos e das Penas; impacto da


obra; a explicação do crime; a procura do prazer; o direito criminal como remoção
das gratificações ligadas ao crime; a pena certa e imediata; a obra como “manifesto
da abordagem liberal ao direito criminal”; fundamento da legitimidade do direito
de punir; a salvaguarda do contrato social; utilidade do direito criminal; a
prevenção geral do crime; reivindicações de direito substantivo e processual penal;
os arquétipos do ordenamento jurídico-penal contemporâneo.

II

Responda a uma, e apenas uma, das seguintes questões:

A. Desenvolva o tema “Teorias explicativas do crime: teorias centradas no


indivíduo ou individualísticas; teorias centradas na sociedade ou teorias
sociológicas”, integrando na sua resposta a análise crítica das frases que se
seguem:

«[O criminoso nato] reproduz na sua pessoa os instintos ferozes da humanidade


primitiva e dos animais inferiores» (Cesare Lombroso)

«Não há nenhuma [sociedade] em que não haja criminalidade. (...) O crime é, portanto,
necessário: está ligado às condições fundamentais de qualquer vida social mas,
precisamente por isso, é útil; porque estas condições de que é solidário são elas mesmas
indispensáveis à evolução normal da moral e do direito.» (Émile Durkheim, As Regras do
Método Sociológico)

Na sua resposta, o aluno deve referir-se, ainda que sumariamente, aos seguintes
aspectos:

Teorias centradas no indivíduo: as teorias bioantropológicas; a tradição


lombrosiana; as teorias da hereditariedade, da inferioridade e da debilidade mental;
as modernas teorias bioantropológicas: a explicação genética; teorias
psicodinâmicas; a criminologia psicanalítica; a teoria do condicionamento; teorias
psico-sociológivas; a “containment theory” de Reckless; a “teoria do vínculo
social” de Hirschi; teoria da frustraçãoo-agressão; o crime por sentimento de
injustiça; técnicas de neutralização.
Sociologia criminal: criminologia de consenso e criminologia de conflito; os
“efeitos positivos” do crime; a “normalidade” e “utilidade” do crime; ecologia
criminal e desorganização social; a subcultura delinquente; anomia e crime; a
perspectiva interaccionista.

B. Em que medida é Montesquieu um precursor da Sociologia? Integre na sua


resposta a análise crítica da seguinte frase: «(As leis) Devem ser tão próprias ao povo
para o qual foram feitas que seria um acaso muito grande se as leis de uma nação
pudessem servir para outra. (…) Devem ser relativas ao físico do país; ao clima gélido,
escaldante ou temperado; à qualidade do terreno, sua situação e grandeza; ao género de
vida dos povos, lavradores, caçadores ou pastores; devem estar em relação com o grau
de liberdade que a sua constituição pode suportar; com a religião dos seus habitantes,
com as suas inclinações, com as suas riquezas, com o seu número, com o seu comércio,
com os seus costumes, com os seus modos. (…) O estilo das leis deve ser simples (…) É
essencial que as palavras das leis despertem em todos os homens as mesmas ideias. (…)
Quando, numa lei, se fixaram bem as ideias das coisas, não se deve nunca voltar a
expressões vagas. (…) As leis não devem ser subtis; são feitas para pessoas de medíocre
entendimento; não são uma arte da lógica, e sim o raciocínio simples de um pai de
família.» (Montesquieu, O espírito das leis)

Na sua resposta, o aluno deve referir os seguintes aspectos:

Montesquieu: enquadramento histórico; a compreensão do dado histórico; as


causas profundas; as leis e os princípios; a inteligibilidade do devir; teoria política
e das formas de governo; a separação de poderes; as causas físicas: clima e
natureza dos solos e as causas morais: religião e o espírito geral de uma nação;
factos e valores; determinismo aplicado à natureza social.

III

Comente a seguinte frase:

«O direito não é uma pura teoria, mas uma força viva. Por isso a Justiça assenta numa
das mãos a balança em que pesa o direito, e na outra a espada de que se serve para o
defender. A espada sem balança é a força brutal; a balança sem a espada é a impotência
do direito. Uma não pode avançar sem a outra, nem haverá ordem jurídica perfeita sem
que a energia com que a Justiça aplica a espada, seja igual à habilidade com que
maneja a balança.» (Rudolph von Ihering, A Luta pelo Direito)

Na sua resposta o aluno deve referir-se:

À expressão simbólica e pictórica da Justiça; identificar Jhering e contextualizá-lo


historicamente; referir o pioneirismo do autor, na segunda etapa do seu
pensamento, das posições sociológicas que se opuseram ao positivismo legalista;
concepção da história do direito com uma luta irregular de quem carece de direito
e pugna consegui-lo contra a arbitrariedade.
IV

Identifique o tema do programa que considerou mais interessante e fundamente a


sua escolha.

Duração da prova: 2 horas.

I (5 valores); II (5 valores); III (4 valores); IV (4 valores). Ponderação global da prova: 2


valores.