Você está na página 1de 2

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Exame de ECONOMIA INTERNACIONAL - 2.º ano – D / N

Duração: 90 minutos 17 de Junho de 2010

TÓPICOS DE CORRECÇÃO

(grelha esquemática, que não exclui outros elementos de valoração)

1. Mecanismo baseado no que antes foi estabelecido no âmbito do GATT, cuja


reforma se tornou imperativa por força do crescente bloqueio que o atingiu.
Memorando sobre a resolução de litígios da OMC. Princípio da livre escolha pelas
partes do procedimento a seguir com vista à resolução de “litígios”. Fases. Consultas.
Painéis. Órgão de Recurso. Natureza jurídica do mecanismo geral criado. Casos
submetidos ao ORL. Perspectivas.

2. Cláusula clássica dos tratados comerciais tendo em vista estender às partes as


vantagens que viessem a resultar de acordos ulteriores com países terceiros, podendo
revestir a forma condicional ou incondicional, consoante a sua eficácia dependa ou
não da reciprocidade. Forma acolhida no direito GATT / OMC. Efeitos económicos.
Âmbito de aplicação. Extensão a novos domínios e agentes. Efeito jurídico directo. O
tratamento da nação menos favorecida e seus efeitos. Excepções. Quase
generalização das preferências comerciais.

3. Objectivos gerais: promoção da expansão do comércio internacional; contribuir para


a instauração e manutenção de níveis elevados de emprego e de rendimento real e
para o desenvolvimento dos recursos produtivos dos Estados membros. No plano
normativo, promoção da estabilidade dos câmbios, manutenção de arranjos cambiais
regulares entre membros, evitando depreciações competitivas e contribuindo para a
instituição de um sistema multilateral de pagamentos para as transacções correntes
entre os membros e para a eliminação das restrições cambiais que dificultam o
crescimento do comércio mundial. Excepções ao regime geral. Obrigação de
convertibilidade monetária e obrigação de eliminação gradual das restrições cambiais.
Arts. I-iv, VIII e XIV. Âmbito.
II

A) Crise económica versus crise financeira. Redução (geograficamente muito


diferenciada) das taxas de crescimento à escala mundial. Divergências,
designadamente, entre países do hemisfério norte e países do sul. Repercussões na
balança de pagamentos. Défices e excedentes externos (consoante os países e partes
do globo), necessidade de reajustamento. Sustentabilidade do crescimento.
Implicações no quadro da cooperação e da integração económica internacional.
Regulação das trocas internacionais à escala global, no âmbito do GATT e da OMC, e
à escala regional. Regulação da liquidez e do financiamento internacional no âmbito
do FMI e do Banco Mundial. Conexão entre as trocas internacionais e as relações
monetárias internacionais. Causas da crise económica e financeira internacional,
planos de resolução e consequências dos mesmos.

B) O Sistema Monetário e Financeiro Internacional e o Fundo Monetário Internacional


(FMI). O FMI enquanto instituição de assistência financeira: evolução e
aprofundamentos recentes. Direito dos Estados à ajuda do FMI. Crise económica
versus crise financeira de 2007-2010. Causas da crise, planos de resolução e efeitos.
Regulação da liquidez e do financiamento internacional no âmbito do FMI e do Banco
Mundial. Conexão entre as trocas internacionais e as relações monetárias
internacionais. Recursos do FMI e recursos emprestados. Facilidades e novas
facilidades do Fundo. Os Direitos de Saque Especiais (DSE). Liquidez internacional.
Participação dos Estados membros do FMI na conta de DSE. Perspectivas.