Você está na página 1de 3

 

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa


ECONOMIA INTERNACIONAL (3.º ano, Turma A - Dia)
14 de fevereiro de 2014

I
Responda a três das seguintes questões (identificando-as: 1, 2...).

1 — Distinga as noções de balança de pagamentos, balança corrente e


balança comercial e indique qual a sua relevância em Economia Internacional.

2 — A explicação de David Ricardo sobre o comércio internacional mantém


ainda alguma atualidade? Justifique.

3 — Em que consiste a cláusula do tratamento nacional vigente no


ordenamento internacional económico?

4 — O Fundo Monetário Internacional pode criar moeda? Justifique.

II
Comente e desenvolva um dos seguintes temas (indique a sua opção: A ou B).

A) Em que situações os Estados costumam recorrer ao auxílio financeiro do


Fundo Monetário Internacional? Quais as implicações desses pedidos de
ajuda? Serão as mais apropriadas? Justifique.

B) Os blocos económicos internacionais são compatíveis com o ordenamento


jurídico do GATT e da OMC (Organização Mundial do Comércio)? Justifique.

-------------------------------------------------------------------------------------------
Cotações: (I) 3 x 4,5 valores = 13,5 valores; (II) 6,5 valores; total: 20 valores

Tópicos de correção
I

1 — Registo das relações económicas estabelecidas entre os residentes ou com sede


no território de um país e residentes ou com sede fora do território nacional durante
um período de tempo, discriminadas em operações correntes (conta corrente) e de
capital (conta de capital). Concretização das operações internacionais correntes,
incluindo, por um lado, a balança comercial e a balança de invisíveis, bem como
transferências correntes, e, por outro, operações de capital. Agregação da conta
corrente e da conta de capital na balança de pagamentos. Situações de equilíbrio e de
desequilíbrio das contas externas (na balança de pagamentos e nas diversas contas
parcelares). Compensação de situações de défices externos com recurso ao
financiamento externo. Relevância da dimensão absoluta e da dimensão relativa das
situações de desequilíbrio das contas com o exterior. Condicionamento de facto das
necessidades de financiamento. Causas, manifestações e efeitos dos défices externos
(que não se confundem com os défices das contas públicas). [Referência aos
instrumentos jurídicos e financeiros internacionais de auxílio em casos de
desequilíbrios externos graves].

2 — Aspetos inovadores da teoria de David Ricardo sobre o comércio internacional


relativamente às explicações anteriores, designadamente à de Adam Smith.
Concretização da teoria (com recurso por exemplo às relações comerciais entre
Portugal e a Inglaterra subjacentes ao Tratado de Methuen). Atualidade da teoria das
vantagens comparativas. Sua influência nos modelos hoje prevalecentes em
Economia Internacional. Justificação.

3 — Complementaridade da cláusula do tratamento nacional em relação à cláusula da


nação mais favorecida, enquanto vertentes do princípio da não discriminação na
regulação das trocas internacionais. Não discriminação e igualdade de tratamento dos
produtos importados. Previsão da cláusula no GATT 47 e no Sistema OMC. Conteúdo.
Artigo III. Condições iguais de concorrência. Extensão a outros domínios. Natureza
intergovernamental e efeito direto. Produtos similares. Fiscalidade. Barreiras não
tarifárias. Exceções limitadas.

4 — Funções do Fundo Monetário Internacional. Diversidade de recursos financeiros


do Fundo. Capacidade de criação de liquidez internacional pelo FMI. Primeira Emenda
dos Estatutos do Fundo. Direitos de Saque Especiais: definição e natureza. Funções
dos DSE. Alocação, anulação, utilização e gestão dos DSE.
II

A) Caraterização sumária do Fundo Monetário Internacional. Membros do FMI. Antigos


e novos instrumentos de ajuda do Fundo. Recursos disponíveis. Titulares do direito à
ajuda do FMI. Modalidades de utilização de recursos. Facilidades e novas facilidades
do Fundo. Os Direitos de Saque Especiais (DSE). Os “empréstimos” do FMI.
Finalidades. Condicionalidade (ou não) dos auxílios. Natureza e efeitos da
condicionalidade (austeridade). Sua fundamentação e crítica. Perspectivas. Indicação
das fontes e disposições jurídicas relevantes..

B) Princípios fundamentais do Direito GATT/OMC. Direito de acesso aos mercados,


concorrência, igualdade de tratamento (cláusulas da nação mais favorecida e do
tratamento nacional) e transparência. Aplicação territorial. Exceções. Em que termos
são regulados e admitidos os blocos de integração económica internacional regional
no quadro do Direito GATT / OMC. As uniões aduaneiras e as áreas de comércio livre
(art. XXIV do GATT). Confronto entre multilateralismo e regionalismo económico.
Valores e interesses em jogo. Vantagens e custos. Indicação das fontes e disposições
jurídicas mais relevantes.