Você está na página 1de 3

Ficha 2

Grupo II

Metamorfose da escrita

Manuel Gusmão reuniu até agora a sua obra poética em três livros, os quais
foram publicados entre 2013 e 2015. O último, saído neste último ano, intitula-se
Contra Todas as Evidências.
Em primeiro lugar, podemos dizer, que nesse livro há uma reflexão sobre a
poesia que se faz mediante a própria poesia, os seus poemas. Comecemos por citar uma
passagem de um deles: “ÁGUA – diz a criança no passado e nesse instante começava / a
falar. O anel do horizonte de água fecha-se à tua volta / e nada sabes do halo que se
acende, protegendo a tua sede / na infância. Não te lembras; e nos estames do ar
procuras / o tema. Como quem se desatasse e desatasse em sílabas / perante a água do
mundo que se erguia ao tema irradiante, / curto e sem fim, esta criança consome-se e é
um rápido pavio na noite comburente: o fogo foge e fulge”. Ele, o poema, intitula-se
Tema.
Em segundo lugar, o que ocorre neste livro é mais do que isso. Nele o ato
criativo, que a poesia é sempre, deriva por sua vez de um ato leitura ou de múltiplas
leituras. Dir-se-ia que se trata de uma situação de intertextualidade, noção essa que
ganha especial relevo quando Mikhail Bakthine a desenvolveu no seu círculo
linguístico. A intertextualidade resulta de um processo dialógico que deriva de uma
visão unitária quanto ao modo como as diversas realizações culturais – as quais de certo
modo dialogam – confluem na criação artística. Elas são textos que se cruzam, que
ficam tecidos entre si. (…)
Em suma, a poesia de Manuel Gusmão em Contra Todas as Evidências move-se
num espaço diferente. Nela revela-se uma poética marcada pela alteridade, pela
presença do outro.
Fernando Guimarães, Jornal de Letras, 23 de dezembro a 5 de janeiro, 2015, p. 10.

Leitura /Gramática
1. Para responder a cada um dos itens de 1.1. a 1.7., seleciona a única opção que
permite obter uma afirmação correta.
1.1.O texto apresenta características específicas do género
A. apreciação crítica.
B. discurso político.
C. texto de opinião.
D. artigo de divulgação científica.
1.1. As expressões “em primeiro lugar”, “em segundo lugar” e “em suma”
contribuem para a
A. coesão gramatical interfrásica.
B. coesão gramatical frásica.
C. coesão gramatical referencial.
D. coesão gramatical lexical
1.2. Relativamente ao conteúdo do segundo parágrafo, o terceiro
A. apresenta um contra-argumento.
B. introduz um novo tópico de análise.
C. apresenta um exemplo.
D. confirma o ponto de vista anterior.
1.4. A utilização de aspas nas linhas 5-9 introduzem
A. uma citação.
B. uma outra opinião.
C. discurso direto.
D. o título de um poema.
1.5. Na frase: “A intertextualidade resulta de um processo dialógico que deriva de
uma visão unitária quanto ao modo como as diversas realizações culturais – as
quais de certo modo dialogam – confluem na criação artística.” (ll. 14-16) a
utilização dos travessões
A. delimitam uma opinião.
B. delimitam um argumento.
C. delimitam um exemplo.
D. delimitam uma explicação.
1.6. Na frase: “Elas são textos que se cruzam, que ficam tecidos entre si.” (ll.16-
17) o pronome sublinhado tem como antecedente
A. “intertextualidade”.
B. “um processo dialógico” e “visão unitária”.
C. “ato criativo” e “poesia”.
D. “as diversas realizações culturais”.
1.7. Na frase: “Ele, o poema, intitula-se Tema.” (ll. 9-10) a expressão sublinhada
desempenha a função sintática de
A. sujeito.
B. vocativo.
C. modificador do nome apositivo.
D. modificador do nome restritivo.

2. Responde de forma correta aos itens apresentados.


2.1. Identifica as funções sintáticas desempenhadas pelas expressões sublinhadas na
frase: “Nele o ato criativo, que a poesia é sempre, deriva por sua vez de um ato
leitura ou de múltiplas leituras.” (ll.11-12).
2.2. Classifica a oração “que a poesia é sempre” (ll. 11-12).
2.3. Divide e classifica as orações da frase: “o fogo foge e fulge” (l. 9).