Você está na página 1de 3

Curva de duração-freqüência ou permanência 13-1

13 CURVA DE DURAÇÃO-FREQÜÊNCIA OU PERMANÊNCIA

A avaliação das vazões de um rio pode ser feita através da curva de duração-freqüência
ou permanência. A curva de permanência indica a porcentagem do tempo que uma
determinada vazão foi igualada ou superada durante o tempo de observação.
A forma da curva de permanência reflete as características do regime de vazão de um rio.
Uma curva achatada indica que o rio apresenta cheias reduzidas e grande potencial
hídrico subterrâneo o que resulta em vazões mínimas elevadas. Uma curva com formato
inclinado indica uma maior potencialidade de cheias e vazões mínimas reduzidas.
Uma das principais aplicações das curvas de permanência é o estudo do potencial
hidroenergético.
Procedimento para a construção da curva de permanência:
a) Dispor as vazões observadas no período considerado em ordem decrescente;
b) Com a amplitude da variação das vazões, definem-se os intervalos de classe.
Chamando de:
n à número de dados de vazões médias;
A à amplitude da variação das vazões (Qmax- Qmin );
N à número de intervalo de classe;
K à amplitude do intervalo de classe.
A
Uma primeira idéia é fazer N = n à K=
N
c) Dispor os intervalos em ordem decrescente e verificar o número de eventos ocorridos
em cada intervalo à freqüência absoluta.
d) Calcular a freqüência relativa (freqüência absoluta/ número de dados) para cada
intervalo e acumulá-las seguindo a ordem anterior.
e) Plotar em um gráfico o limite inferior de cada intervalo (ordenada) e a correspondente
freqüência relativa acumulada (abscissa) e obtem-se a curva de permanência das
vazões.
A seguir é mostrado um exemplo de cálculo de curva de permanência, para as vazões
médias mensais observadas na barragem de Guarapiranga, no período de 1928 a 1942.
Tabela 1 – Vazões médias mensais observadas na barragem de Guarapiranga.
Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. Méd.
1928 14,2 23,8 27,3 18,8 8,0 6,4 7,5 9,0 7,9 8,3 8,1 14,9 12,9
1929 41,1 45,5 29,2 11,7 22,8 11,5 11,1 10,6 13,4 10,0 14,3 33,2 21,2
1930 27,4 24,3 13,5 14,4 12,1 8,8 8,8 11,0 8,4 8,8 14,1 24,6 14,7
1931 24,1 29,0 21,6 11,3 9,4 8,6 5,8 8,9 13,5 14,0 8,8 22,8 15,1
1932 24,0 14,5 23,6 9,4 10,1 9,7 6,7 9,3 7,4 11,3 8,7 14,4 12,5
1933 13,2 9,7 9,0 6,2 5,5 6,8 6,0 4,4 7,2 9,1 6,0 9,0 7,7
1934 20,0 26,7 19,5 13,4 8,0 8,3 7,3 7,0 8,1 7,2 7,0 24,5 13,1
1935 12,8 26,6 16,3 11,8 7,2 10,2 8,9 8,3 15,8 18,3 11,4 12,2 13,3
1936 14,9 10,2 17,7 9,0 6,5 6,4 6,0 8,6 12,2 9,0 9,8 17,5 10,7
1937 22,9 23,6 11,5 21,5 18,5 11,1 7,0 9,8 7,7 12,6 19,7 11,1 14,8
Curva de duração-freqüência ou permanência 13-2

1938 12,2 12,2 12,5 25,6 10,1 8,3 7,9 11,1 12,1 11,2 13,2 16,8 12,9
1939 16,9 11,1 8,9 8,5 7,4 5,7 5,3 4,3 5,4 4,6 12,7 14,5 8,8
1940 24,7 31,4 14,5 8,0 7,2 4,7 8,8 4,5 6,5 9,7 7,9 10,9 11,2
1941 10,2 9,2 11,9 7,8 5,7 4,3 5,9 6,4 10,8 10,3 14,2 13,0 9,1
1942 13,0 38,3 16,2 17,1 6,9 11,2 12,0 6,0 7,0 5,8 7,9 15,3 13,1
Méd. 19,4 22,4 17,1 12,9 9,7 8,1 7,3 7,9 9,6 10,0 10,9 17,0 12,71

Inicialmente, as vazões são dispostas na ordem decrescente:

45,5 24,3 18,5 14,5 13,0 11,5 10,6 9,3 8,8 7,9 7,0 6,0
41,1 24,1 18,3 14,4 12,8 11,5 10,3 9,2 8,7 7,9 7,0 5,9
38,3 24,0 17,7 14,4 12,7 11,4 10,2 9,1 8,6 7,9 7,0 5,8
33,2 23,8 17,5 14,3 12,6 11,3 10,2 9,0 8,6 7,9 6,9 5,8
31,4 23,6 17,1 14,2 12,5 11,3 10,2 9,0 8,5 7,8 6,8 5,7
29,2 23,6 16,9 14,2 12,2 11,2 10,1 9,0 8,4 7,7 6,7 5,7
29,0 22,9 16,8 14,1 12,2 11,2 10,1 9,0 8,3 7,5 6,5 5,5
27,4 22,8 16,3 14,0 12,2 11,1 10,0 9,0 8,3 7,4 6,5 5,4
27,3 22,8 16,2 13,5 12,2 11,1 9,8 8,9 8,3 7,4 6,4 5,3
26,7 21,6 15,8 13,5 12,1 11,1 9,8 8,9 8,3 7,3 6,4 4,7
26,6 21,5 15,3 13,4 12,1 11,1 9,7 8,9 8,1 7,2 6,4 4,6
25,6 20,0 14,9 13,4 12,0 11,1 9,7 8,8 8,1 7,2 6,2 4,5
24,7 19,7 14,9 13,2 11,9 11,0 9,7 8,8 8,0 7,2 6,0 4,4
24,6 19,5 14,5 13,2 11,8 10,9 9,4 8,8 8,0 7,2 6,0 4,3
24,5 18,8 14,5 13,0 11,7 10,8 9,4 8,8 8,0 7,0 6,0 4,3

n = 12 x 15 = 180 dados
A = Qmax – Qmin = 45,5 – 4,3 = 41,2 m3 /s
N = n = 180 = 13,42 . Adotando N =12, a série de 180 dados será dividida em 12 intervalos de
classe, com 15 elementos em cada intervalo.
A 41,2
K= = = 3,43 ∴ a amplitude de cada intervalo de classe será de 3,43 m3/s.
N 12
Para calcular a freqüência de cada intervalo, é montada a tabela abaixo:

Intervalo de classe Freqüência Freqüência relativa Freqüência relativa


absoluta (%) acumulada (%)
45,5 – 42,03 1 0,56 0,56
42,03 – 38,60 1 0,56 1,12
38,60 – 35,17 1 0,56 1,68
35,17 – 31,74 1 0,56 2,24
31,74 – 28,31 3 1,67 3,91
28,31 – 24,88 5 2,78 6,69
24,88 – 21,45 14 7,78 14,47
21,45 – 18,02 6 3,33 17,80
18,02 – 14,59 11 6,11 23,91
14,59 – 11,16 39 21,67 45,58
11,16 – 7,73 58 32,22 77,80
7,73 – 4,30 40 22,22 100,00
Curva de duração-freqüência ou permanência 13-3

A seguir, lança-se os pares de pontos Intervalo de classe (limite inferior) versus


Freqüência acumulada em papel aritmético e obtém-se o gráfico abaixo:

45

40

35

30
Vazão (m3/s)

25

20

15

10

0
0 20 40 60 80 100
Freqüência acumulada (%)

Você também pode gostar