Você está na página 1de 147

RONRONANDO

com seu Companheiro


Milagre 1 – Shea Balik

Em um mundo onde todos estavam contra eles, eles precisavam de


um milagre. O que ninguém esperava era encontrar sua salvação em uma
cidade abandonada que estava pronta para entrar em colapso. No entanto,
isso é exatamente o que aconteceu quando eles se mudaram para a cidade
de Milagre, Oregon.

Edrick Rapp, um shifter leão da montanha, queria se chutar por não


ter saindo anos atrás com os seus amigos do seu antigo orgulho. Não foi
até que ele encontrou um dos seus amigos sendo espancado até a morte
por seus pecados que ele percebeu seu erro.

O ratinho, Nole Hayward, tinha sido punido por seu Alpha. Deixado
para ser morto, ele mal consegue fugir com sua vida. Ele acaba se
escondendo em Milagre, Oregon até que um grupo de shifters leões da
montanha aparecem. Antes de poder fugir, ele acaba com um prédio
desabando ao seu redor e seu companheiro resgatando-o.

Edrick e Nole podem encontrar o amor ou deixarão que os


fantasmas de seu passado os separem?

2
Capítulo 1
"Por favor, diga-me que estamos apenas parando para mijar?"
Hudson gemeu enquanto o barulho das suas motos parou.

Edrick Rapp ignorou Hudson enquanto passava a sua perna


sobre sua estimada Fat Boy S1. Ele observou os arredores e tentou o
seu melhor para não estremecer com o que viu. A última coisa que
ele precisava era que Hudson tivesse uma boa razão para
reclamar. O homem podia ser um dos seus melhores amigos, mas
Hudson tinha a habilidade única de se queixar de ganhar na loteria
como se fosse algo ruim.

Quando Edrick tinha comprado esta pequena cidade, ele sabia


que tinha sido abandonada por algum tempo e precisaria de
trabalho.

Ele só esperava não descobrir que se eles respiravam sobre ela


errado, todo o lugar iria derrubar.

Havia originalmente dez prédios ao longo da rua principal da


cidade, bem, a única rua que a cidade tinha. As outras duas estradas
que a cidade se vangloriava de ter eram nada mais do que caminhos
de terra. Um conduzia a uma pequena área residencial, enquanto o
outro conduzia a uma grande fazenda que, de acordo com o agente
imobiliário, já não tinha quaisquer edifícios de pé. Havia uma
segunda fazenda próxima, mas o proprietário se recusou a vender.

3
Examinando os dez prédios, Edrick adivinhou que deveria se
alegrar que apenas dois dos prédios tivessem desmoronado. Os
outros oito edifícios ainda estavam em pé.

Quase.

Ok, então eles podem ter sido apenas em pé porque eles


estavam encostados uns contra os outros, impedindo-se de cair em
uma pilha de madeiras e tijolos. O ponto era, eles estavam
levantados... principalmente.

Esperançosamente, as seis casas, que o agente imobiliário


alegou ainda estar intactas, que vieram com a cidade estariam em
melhor forma, ou eles estariam acampando, novamente. Algo que
eles haviam feito nas duas últimas noites, desde que tinham fugido
do orgulho anterior. Edrick poderia ter conseguido quartos de hotel,
mas não queria que houvesse qualquer vestígio de onde eles tinham
ido.

Ele só esperava que viajar para o outro lado do país fosse o


suficiente para parar o seu pai de caçá-los. Edrick suspirou ante esse
pensamento. Dois mil quilômetros seriam um impedimento,
especialmente se o orgulho de seu pai não conseguisse seguir seus
movimentos eletronicamente. Mas, mais cedo ou mais tarde, Lorcan
Rapp iria encontrá-los, mesmo apenas para provar que podia.

Mas, por enquanto, estavam seguros, ele esperava. A última


coisa que Edrick queria fazer era lutar contra seu pai. Ele tinha
poucas dúvidas de que ele iria ganhar, mas ele não gostaria de matar
seu velho.

Afastando os pensamentos mórbidos, ele respondeu a


Hudson. "Desculpe decepcionar, mas esta é a nossa nova casa."

4
"Bom," Lucca rosnou. "Kellach precisa descansar. Viajar
montado em minha moto enquanto ele tenta curar não está
ajudando."

Uma pontada de culpa perfurou o coração de Edrick ao lembrar


do seu fracasso em proteger seu amigo. Dirigindo-se para onde
Kellach se inclinava pesadamente contra a moto de Lucca, Edrick
agarrou o rosto do seu amigo e o inclinou para cima, então ele
estava olhando para seus lindos olhos de lavanda, cheios de tanta
dor que ameaçava mandar Edrick de joelhos. "Eu sinto muito,
Kellach. Pode aguardar mais alguns minutos? As casas estão a uma
curta distância."

Uma mão muito menor pousou em cima da dele enquanto


Kellach tentava sorrir. "Isso não é culpa sua, Edrick. Todos nós
conhecíamos os riscos. Eu fiquei descuidado e paguei o preço."

Um ruído subiu de dentro de Edrick enquanto pensava no que


poderia ter acontecido se ele não tivesse encontrado Kellach sendo
espancado pelo pai do seu amigo quando o fez. A raiva que tinha
estado nos olhos de Milton Alder tinha uma promessa de morte que
seria longa e dolorosa. Algo que Kellach já tinha experimentado há
muito tempo antes de Edrick aparecer.

"Se eu tivesse acabado de nos tirar dali como eu deveria ter


feito, nunca teria acontecido." Eles também poderiam não ter o
orgulho de seu pai depois deles, preparados para matá-los.

"Você deve estar brincando comigo," Hudson chamou quando


ele pegou uma placa que estava no chão. "Este lugar é chamado
Milagre." Hudson deu um bufo de zombaria. "Milagre é o lugar ainda
está de pé."

5
"Milagre é se continua assim mesmo se nós respirarmos
demais", brincou Kellach, mesmo que ele claramente estava em uma
enorme quantidade de dor.

"Milagre é que este lugar não caiu em cima de nós", Lucca disse
enquanto olhava criticamente para sua nova casa.

"Milagre, é se pudermos consertá-lo", disse Chadwick, o último


de sua equipe. "Na verdade, derrubá-lo e começar do zero pode ser
muito mais fácil." Uma leveza que Edrick não tinha visto nos olhos
de Chadwick por mais de uma década flamejou à vida enquanto seu
trabalhador manual residente começou a inspecionar o exterior da
estrutura a mais próxima. "Embora, seria uma pena destruir o
caráter que cada edifício tem para oferecer."

De que maneira eles reconstruíram a cidade não era algo com


que Edrick se importava. Tanto quanto ele estava preocupado, isso
seria completamente até Chadwick, que era o único deles com
bastante experiência de construção para tomar essa decisão. "Nós
seguiremos sua liderança sobre isso", disse Edrick a seu amigo.

Os olhos cinzentos o estudaram por um momento como se


Chadwick estivesse tentando verificar se Edrick estava falando sério
ou não. Ele deve ter visto a sinceridade no olhar de Edrick, pois
Chadwick assentiu. "Primeiro precisamos encontrar essas casas que
você mencionou e ver se alguma delas é habitável."

Edrick concordou. Precisavam descansar um pouco. Amanhã


eles poderiam fazer planos para o que eles precisariam fazer para
restaurar a cidade que Edrick tinha comprado. "Vamos seguir."

Mais uma vez os motores foram ligados. Assim que Kellach


estava com segurança na moto de Lucca, Edrick rolou na estrada que

6
deveria levá-los para suas novas casas. Ele apenas orou que eles
teriam algum tempo para descobrir como eles iriam se defender
quando o pai de Edrick os alcançasse.

Tanto quanto Edrick gostaria de acreditar que estavam


seguros, ele não era estúpido o suficiente para pensar que fosse uma
possibilidade real. Edrick tinha cometido o pecado supremo aos
olhos de seu pai. Ele admitiu ser gay. Aos quarenta e cinco anos,
uma mera criança no mundo dos shifters, já tinha passado tempo
para enfrentar o fanatismo arcaico que corria desenfreado no
mundo dos shifters.

Por que a sexualidade de uma pessoa importava, era uma


incógnita.

Eles eram shifters leão de montanha. Como com todos os


shifters, o destino projetou companheiros. Homem ou mulher não
parecia importar com os poderes que existiam, então por que
homens como seu pai achava que era pecado amar alguém do
mesmo sexo?

No passado, os companheiros do mesmo sexo tinham uma


escolha difícil, ignorar o apelo do acasalamento, que era quase
impossível, ou aceitar o seu companheiro e viver o resto das suas
vidas fugindo dos shifters que acreditavam que deveriam ser mortos
por seus caminhos imorais. No passado? Com quem ele estava
brincando? A prática ainda estava ocorrendo.

Caso em questão. Eles.

Kellach tinha sido pego beijando um homem por um dos seus


companheiros de orgulho. Seu pai tinha sido informado, e quando
Kellach chegou em casa, seu pai começou a bater nele. Se Edrick não

7
tivesse passado a casa de Kellach e ouvido seu amigo gritar, ele não
tinha dúvida que Kellach teria morrido naquele dia.

A raiva que tinha percorrido as veias de Edrick quando Milton


admitiu por que ele estava batendo seu filho, quase terminou na
morte de Milton. Edrick queria rasgar o homem em pedaços e o teria
feito, se Lucca, que estava com ele quando descobriram Kellach, não
o tivesse parado.

Nessa altura, já era tarde demais para deter as rodas que


tinham sido postas em movimento. Dirigido à frente de seu pai por
se atrever a interferir com o direito de um pai de matar seu próprio
filho por seus caminhos pervertidos, Edrick teve que explicar suas
ações.

Recusando-se a permitir que seu amigo fosse condenado à


morte por ser gay, Edrick admitiu que ele também era gay. Seus
amigos já haviam pego suas mochilas antes que ele fizesse o
anúncio. Suas motos estavam carregadas e esperando por eles fora
da sala de conselho.

Eles mal tinham saído com suas vidas. Só o choque que ele
causara ao anunciar sua sexualidade atrasou o ataque de seu pai e
seus agentes. Naquela altura, Edrick tinha pego Kellach em seus
braços e carregado para fora da sala de conselho para onde seus
amigos estavam esperando por eles, motos ligadas.

Desde o início, eles sabiam que um dia alguma coisa


aconteceria com eles. Os planos tinham sido feitos, incluindo uma
quantia considerável de dinheiro guardado e transferido para contas
secretas que não podiam ser rastreadas. Com a tecnologia mais
avançada se tornou mais fácil criar novas identidades e esconder

8
suas ações. Mas Edrick sabia que isso também os tornaria mais
fáceis de encontrar no final. O mundo era pequeno demais para
manter o seu paradeiro por muito tempo.

Virando-se para uma estrada coberta que era mais ervas


daninhas e buracos do que uma superfície de terra lisa, Edrick
gemeu enquanto ele pegou as seis casas que estavam alinhadas a um
lado dele. Duas das casas já não tinham telhados. Duas delas tinham
grandes seções de paredes faltando. Enquanto as outras duas
apareceram em forma um pouco melhor, elas ainda pareciam
prontas para cair por um vento duro.

Ele não tinha certeza que nenhum deles fosse habitável o


suficiente para dar-lhes abrigo. Parecia que eles estariam acampando
mais uma vez.

Desligando o motor, Edrick desceu da sua moto e foi para uma


das duas casas velhas que poderia ter uma chance de permanecer
em pé. Chadwick rapidamente se juntou a ele.

Eles circularam pela estrutura em primeiro lugar, procurando


sinais óbvios de problemas. "Considerando as outras casas, está em
uma forma relativamente boa," disse Chadwick quando eles vieram
para a frente da casa.

Cuidadosamente, eles abriram a porta da frente, que caiu no


chão assim que Edrick empurrou contra ela. "Então, novamente, o
que eu sei?" Chadwick brincou.

Edrick olhou para ele. Em outra situação, ele teria ficado


encantado com o fato que seu amigo normalmente reservado tinha
saído da sua concha, mais longe do bando eles ficavam, mas este

9
não era o momento de brincar. Estavam todos muito
cansados. "Você é um empreendedor."

Chadwick ergueu um ombro enquanto enfiava cuidadosamente


a cabeça dentro da porta. "Sim, mas isso não me faz psíquico."

"Isso não parece seguro", chamou Hudson. "Talvez devêssemos


encontrar um hotel nas proximidades."

De todos eles, Hudson era o que mais odiava acampar. Ele


resmungou o tempo todo sobre o quão duro o chão era. Então,
novamente, Hudson teria resmungado sobre a contagem de fios dos
lençóis em um hotel de cinco estrelas, então ele não prestou muita
atenção ao seu amigo. É verdade que o acampamento não era a
maneira favorita de dormir de Edrick, mas também não se
importava. Seu gato gostava de estar ao ar livre.

Chadwick olhou por cima do ombro e deu um sorriso


arrogante para Hudson. "Aww, venha Hudson. Onde está o seu senso
de aventura? Se você tiver sorte, pode até encontrar um fantasma ou
dois dentro."

Edrick teve que parar de bater em Chadwick por trazer


fantasmas à tona. Eles tinham problemas suficientes. A última coisa
que precisavam era Hudson ficando obcecado com a atividade
paranormal.

"Você acha?" Perguntou Hudson, enquanto subia os degraus da


varanda. "Eu sabia que deveria ter tomado o tempo para pegar meu
equipamento", grunhiu Hudson. "Não teria demorado tanto."

"Pela última vez, Hudson, mesmo se você tivesse tido tempo,


nós não teríamos carregando para você muita porcaria," Lucca disse

10
de onde ele estava segurando um agora dormido ou provavelmente
desmaiado, Kellach, na segurança do jardim.

"Chega" Edrick rosnou. Ele estava muito cansado para deixar


que esse argumento chato continuasse. Eles precisavam encontrar
um lugar seguro para dormir por essa noite e deixar Kellach obter
algum descanso real para que ele pudesse terminar a cura.

Voltando-se para Chadwick, ele perguntou: "Este lugar é


suficientemente seguro para entrar ou devemos montar as
barracas?"

Chadwick ergueu uma sobrancelha e encolheu os


ombros. "Acho que vamos descobrir." Antes que Edrick pudesse
responder, Chadwick entrou.

Não querendo deixar outro dos seus amigos se machucar,


Edrick entrou logo atrás de Chadwick. À medida que a escuridão ia
caindo, o escuro no interior não lhes permitia ver muito, embora,
enquanto leões das montanhas, podiam ver relativamente bem na
luz desvanecendo.

Enquanto caminhavam mais para dentro, um fraco cheiro fazia


cócegas nos sentidos de Edrick. Seu pênis se encheu. Ele não
conseguia explicar o que estava sentindo, mas a necessidade de
encontrar a fonte desse cheiro tornou-se primordial.

Percorrendo a casa mais rápido do que provavelmente era


sábio, Edrick deixou o aroma excitante levá-lo até as escadas
rangendo, para um dos grandes quartos com uma suíte em
anexo. Desapontado por não encontrar a fonte, Edrick procurou
cada recanto. Ele poderia ter se perguntado se Hudson estava certo
sobre fantasmas se ele não tivesse notado que havia uma

11
perturbação de poeira ao longo do chão. Era mais pronunciada em
uma área como se alguém tivesse dormido lá recentemente.

"Eu acho que é segura o suficiente para nós utilizar enquanto


corrigimos isso", disse Chadwick alguns minutos depois, quando ele
alcançou Edrick. "Vai precisar de muito trabalho, mas parece robusta
o suficiente."

Edrick concordou com a cabeça. "Diga aos outros e vamos nos


preparar para a noite."

Novamente o olhar de Edrick varreu a sala, procurando por


indícios de quem estava lá. Não encontrando nada, Edrick desceu as
escadas para ajudar a descarregar.

Com base na fraqueza do perfume, a pessoa não estava mais


lá, mas se Edrick tinha que adivinhar, ele só tinha ido embora a
alguns dias. Se tivesse sorte, quem quer que fosse iria voltar. Se não,
ele teria que caçá-lo, porque Edrick estava certo que o aroma sedutor
era do seu companheiro.

12
Capítulo 2
Esgotado depois de fugir dos caçadores nos últimos seis dias,
Nole Hayward quase chorou quando viu as motos em frente à casa
que ele estava usando para se esconder. Isso não poderia estar
acontecendo. Agora, onde ele deveria ir?

Levou mais de três anos fugindo da sua colônia para encontrar


essa cidade abandonada no meio do nada. Tudo o que ele queria
fazer era colapsar no colchão inflável que ele tinha escondido na
casa e dormir durante as próximas vinte e quatro horas seguidas.

Seu lado cansado e ligeiramente irracional queria ir até a casa e


exigir que os intrusos partissem. Mas o lado da autopreservação
sabia que não era sábio. Primeiro, ele não tinha ideia de quem eram
os shifters que ele cheirava. Eles podiam ter sido contratados pela
sua antiga colônia para matá-lo.

Depois, houve o fato que eram gatos. Leões de montanha, se


Nole tivesse que adivinhar. Não era algo que um shifter rato ansiava
para enfrentar. Normalmente, shifters não caçavam outros shifters
apenas porque eles eram considerados presas. Mas Nole tinha
encontrado muita gente que não parecia se importar que ele também
era humano, só vendo que ele era um rato e jogo justo para
perseguir e matar. Isso tinha tornado muito mais difícil estar
correndo.

Não só Nole precisava se preocupar com Abdiel, o alpha da sua


colônia, enviando rastreadores para encontrá-lo e matá-lo por ser
gay, mas ele tinha corrido em caçadores, humanos inclinados a
matar seres paranormais, quando ele se aventurou longe de Milagre

13
para encontrar comida. Agora ele tinha esses gatos desconhecidos
com que lidar. Se sua sorte não mudasse logo, Nole não iria viver
mais um ano correndo. Inferno, ele seria afortunado para fazê-lo até
outro dia com a maneira que as coisas estavam indo.

Era em momentos como estes que Nole tinha certeza que o


destino estava trabalhando contra ele para garantir que ele
morresse. Tinha corrido por cinco longos anos, e estava muito
cansado. Se ele não conseguia dormir, acabaria cometendo um erro
que poderia lhe custar a vida.

Com esse pensamento em mente, Nole fez o seu caminho de


volta para a pequena cidade. Claro, os prédios eram menos estáveis
do que a casa que ele havia escolhido, mas pelo menos não havia
gatos por perto, ele esperava. Se os reparos óbvios que ele tinha
notado para fora da casa significavam qualquer coisa, estes gatos
estavam planejando ficar, e seria apenas uma questão de tempo
antes que eles começaram a reconstruir a cidade. Ele só iria dormir
por um par de horas, em seguida, iria sair e rezar para encontrar um
porto seguro onde ele poderia se esconder.

Ele deu uma última olhada ansiosa para a casa que o manteve
seguro dentro e fora durante os últimos dois anos. Sugava que ele
tinha que desistir, mas ele não estava prestes a correr o risco de
enfrentar os leões de montanha. Nole poderia ser mais corajoso do
que o rato médio, mas ele não era estúpido.

Passaram-se três dias desde que eles chegaram a Milagre e


desde que ele percebeu o cheiro do seu companheiro e o gato de
Edrick estava começando a perder a paciência. Tudo o que ele queria
fazer era perseguir quem quer que fosse o proprietário daquele
aroma tentador, mas não podia. Seus amigos precisavam dele, e até

14
saber se seu pai os tinha seguido, Edrick não ousava deixá-los para
defender-se.

Não que Lucca, Chadwick e Hudson não poderiam se defender,


mas seu pai nunca lutou de forma justa. Ele enviaria um exército e
os armaria até os dentes. O homem não teria nenhuma compunção
sobre atirar um míssil em sua nova casa sem qualquer aviso apenas
para provar que ele poderia ganhar.

Não, tanto quanto ele queria perseguir seu companheiro,


Edrick teve que ficar e proteger aqueles que dependiam dele. Além
disso, ele não tinha certeza se queria trazer seu companheiro em
sua bagunça. Colocar seu companheiro no caminho do dano não se
sentou bem com ele ou seu gato. Provavelmente era a única razão
pela qual seu gato não lutou mais para mudar e perseguir o homem.

Isso não significava que ele não estava lutando contra o


instinto de fazer exatamente isso. O que era pior, ele estava levando
sua frustração para fora em seus amigos, especialmente porque ele
poderia jurar que esta manhã o cheiro do seu companheiro era mais
forte do que nunca. Seu gato estava ficando louco.

"Se você precisar de alguém para bater, eu estou mais do que


feliz em levá-lo", Lucca disse enquanto ele caminhou até onde Edrick
estava levantado olhando para o ligeiro progresso que tinham feito.

No primeiro dia, eles fizeram a limpeza. Ele e Hudson tinham


ido uma hora para comprar suprimentos. Com apenas suas motos
para transportar as coisas, eles não tinham sido capazes de obter
quanto eles precisavam, mas tinha sido o suficiente para concluir
algo.

15
"Estou bem", disse ele ao seu melhor amigo. Ele apenas desejou
que fosse verdade.

No segundo dia, Chadwick examinou mais de perto a casa e fez


uma lista de coisas que precisavam ser feitas, além daquelas que
eles precisariam fazer acontecer. Logo ficou óbvio que eles teriam
que comprar um caminhão para transportar suprimentos.

Hoje, ele e Chadwick estavam indo para outra cidade em uma


direção completamente diferente, para um fazendeiro que estava
anunciando a venda de um caminhão. Edrick esperava que pagando
em dinheiro, eles seriam capazes de manter seus nomes fora de
qualquer papelada, pelo menos por agora.

Todos tinham alias, mas Edrick preferiu não os utilizar pelo


maior tempo possível. Ele também planejou tirar mais dinheiro da
sua conta secreta para que pudessem continuar a pagar em dinheiro
pelas coisas.

Com cada grande compra que eles fizeram, para não


mencionar qualquer momento em que eles se aventuravam em uma
das cidades vizinhas, eles arriscavam ser descobertos. Saber que seu
companheiro estava próximo teve Edrick ainda mais na borda para
não ser encontrado pelo orgulho do seu pai.

Lucca bufou. "Eu entendo que você está tentando nos proteger,
porque você sente que falhou com Kellach, mas nós dois sabemos
que algo está errado com você. Eu não sei o que trouxe sua calcinha
em uma torção. Se você não quer dizer para mim, seu melhor amigo,
tudo bem, mas nos faça um favor e não tente a mentir sobre isso."

Edrick suspirou enquanto observava seu melhor amigo se


afastar. Por muito tempo, Edrick não tinha feito nada além de

16
estragar tudo. Aos doze anos, quando descobriu sua atração pelos
homens, Edrick sabia que um dia teria que deixar o orgulho de seu
pai. Mas ser tão jovem tinha sido uma bênção e uma maldição.

Ele tinha passado uma grande parte da sua vida mentindo e


escondendo quem era, que se tornou uma segunda natureza. Então,
quando ele tinha vinte anos, e Lucca, o último membro do seu
grupo, anunciou que ele era gay, Edrick deveria ter feito a coisa
corajosa e fazer os arranjos para que todos saíssem.

Em vez disso, ele implorou para serem discretos. Se ele tivesse


entendido o que sua covardia para deixar faria aos seus amigos,
Edrick poderia ter feito isso de maneira diferente. Então, novamente,
aos vinte anos, ele não tinha tido as bolas para assumir a liderança
do seu próprio orgulho. Ele só queria que suas decisões não
tivessem afetado seus amigos tanto quanto fizeram.

Chadwick tinha sido o pior. Ele se tornou solitário, recluso. Era


como se não ser capaz de ser ele mesmo estava lentamente matando
seu amigo, uma vez vivaz. De certa forma, ter que esconder matou
algo dentro de todos eles. Vinte e cinco anos era muito tempo para
fingir ser alguém que não eram.

"Você está pronto?" Chadwick perguntou enquanto caminhava


até Edrick com sua lista de suprimentos em sua mão. "Eu não vou
mentir. Esta lista é longa. Não vamos conseguir tudo em uma
viagem, especialmente se planejarmos comprar mantimentos."

Essa era a única coisa ruim sobre ser um shifter, a


comida. Seus corpos precisavam de muita coisa, especialmente
quando eles mudavam, o que eles precisavam fazer à noite para

17
vigiar a casa. Seus gatos eram muito melhores em cheirar ou ouvir o
perigo vindo, do que suas metades humanas.

"A propósito, um shifter veio no meio da noite", disse


Chadwick enquanto subiam a bordo da bicicleta de Edrick. "Eu o
segui até a cidade onde ele caiu. Eu não o considerei uma ameaça,
mas não faria mal verificar se ele ainda está lá."

Edrick congelou. Poderia ser seu companheiro? Isso explicaria


por que o doce aroma de seu companheiro o estava deixando louco
hoje. Sem saber se ele esperava que a resposta fosse sim ou não,
Edrick começou a andar de moto e foi para a pequena cidade que
agora era deles.

Quanto mais perto ele ficava, mais seu corpo se apertava de


antecipação. Algo profundo dentro dele rezava para que fosse o
homem que o destino tinha criado apenas para ele. Ao mesmo
tempo, ele rezava tão duro para que não fosse.

Edrick temia que ele não seria capaz de manter o homem, pelo
menos ele assumiu que seu companheiro seria um homem desde
que ele era gay, seguro. Algo do que ele nunca se recuperaria. A
culpa que comia nele por aquilo que seus amigos tiveram que passar
por fazê-los ficar em um orgulho que odiava gays não seria nada em
comparação com o tormento que ele sentiria ao deixar seu
companheiro se machucar porque ele não poderia protegê-lo.

No momento em que ele parou em frente ao primeiro edifício,


o perfume celestial bateu nele como um soco no estômago.

Seu companheiro estava aqui.

18
Edrick respirou profundamente, absorvendo mais aroma
dentro do seu corpo. Seu pau passou de parcialmente duro para
pedra em menos de um batimento cardíaco, deixando-o um pouco
tonto quando o sangue se juntou em sua virilha.

"Fique aqui." Suas palavras eram difíceis de entender desde que


a sua voz era grossa e gutural.

As sobrancelhas de Chadwick se ergueram em sua testa, mas a


ordem não era uma que seu amigo pudesse ignorar. Edrick era um
alpha até o núcleo. Outro motivo pelo qual seu pai o queria morto. A
última coisa que Lorcan Rapp permitiria era que outro Alpha
assumisse seu orgulho.

Nunca tinha sido algo que Edrick teria feito. Ser alpha era a
última coisa que ele queria. Tudo o que Edrick queria era viver em
paz, ser quem ele queria, fazer o que queria, e mais importante,
amar quem ele queria.

"Tem certeza?" Chadwick perguntou, mas seu amigo não se


moveu de onde ele estava ao lado da bicicleta de Edrick.

Não tinha certeza de poder tirar qualquer outra palavra


enquanto a necessidade de mudar e caçar o homem destinado a ser
seu era tão difícil de controlar, Edrick deu ao seu amigo um aceno
rápido antes de se dirigir ao longo da calçada de madeira que
alinhava os edifícios.

O rangido da madeira sob seus pés não era um bom sinal. O


abaixamento das tábuas enquanto ele pisava nelas mostravam
quanto elas estavam apodrecendo. Ele teria sorte de não cair
nelas. Não que ele iria cair de mais de meio metro no chão, mas ele

19
não queria causar danos à cidade já se desintegrando mais do que
era necessário.

Estava no terceiro edifício, em que ele tinha entrado, quando o


cheiro se enrolou ao redor dele como uma corda, puxando-o para
dentro. Edrick prendeu a respiração quando ele abriu a porta, com
medo que o prédio inteiro caísse ao redor das suas orelhas quando
ele o fez.

O rangido das dobradiças enquanto as forçava em abrir era


ensurdecedor, mas o edifício permaneceu intacto. Suspirando de
alívio, Edrick entrou.

Um suspiro na parte de trás do quarto alertou-o que seu


companheiro o tinha ouvido entrar. Com medo que ele fugisse,
Edrick correu para a pequena sala que tinha um sinal desbotado na
porta indicando que tinha sido uma sala de armazenamento.

Em sua pressa, ele tinha esquecido o quão frágil era o lugar. A


porta da sala de armazenamento caiu na parede quando ele a
abriu. Seus olhos imediatamente foram para o homem que estava na
porta de trás, fazendo de tudo para abrir, mas sem ter sorte em
fazer ela se mover.

A necessidade bateu em Edrick quando os olhos castanhos


escuros cheios de pânico olharam para ele. Chamas quentes de
desejo lamberam a pele de Edrick enquanto olhava para o homem
mais perfeito que já tinha visto. Um corpo bronzeado, magro e
esbelto que não vinha de um ginásio, mas de um trabalho árduo e
gasto ao ar livre, permanecia ali como uma visão.

Os lábios cor-de-rosa cheios fizeram o pau de Edrick pulsar


com a necessidade de ver como sentiriam envolvidos ao redor de

20
seu pênis. A necessidade, muito forte para ignorar, fez Edrick
perseguir seu companheiro. Mas seu companheiro empurrou contra
a porta de trás mais uma vez, dessa vez conseguindo abri-la.

Foi quando um som fez com que os dois se virassem


horrorizados para olhar para o local onde Edrick tinha batido a
porta na parede em sua pressa para chegar ao seu companheiro. Um
estalo alto, seguido por madeira lascando, ecoou através da pequena
sala. Levou a Edrick apenas um momento para perceber o que estava
ouvindo.

Assim como ele temia, as linhas se formaram na parede


desmoronando, ficando maiores a cada segundo. A sala balançou
ligeiramente.

Seu olhar foi para onde o homem sexy com olhos como
piscinas de chocolate escuro fuso, olhou para a parede que estava
desmoronando ao redor deles. Mesmo quando o perigo os cercava,
Edrick agradeceu o destino por lhe ter dado um companheiro tão
bonito.

Sabendo que o tempo não estava do seu lado, Edrick correu


para seu companheiro e o jogou sobre seu ombro antes de sair
correndo da porta. O barulho de ar quando o edifício desabou por
trás deles enviou Edrick ao chão. No último segundo, ele girou,
impedindo-se de aterrissar em seu companheiro muito menor e
esmagá-lo sob seu peso, enquanto ainda o segurava, de modo que
seu corpo estava protegido o máximo possível de qualquer detrito
voando.

"Deixe-me, maldito gato," seu companheiro disse enquanto


uma mão o socava no intestino.

21
Impressionado com o quanto tinha doído, Edrick olhou para o
homem menor por um momento. Então ele sorriu. Ele deveria ter
sabido que o destino lhe concederia uma bola de fogo para
companheiro. Shifters não necessariamente tinham vidas
fáceis. Sendo um alpha e em fuga do seu velho orgulho tornou tudo
muito mais difícil.

Ter um companheiro que poderia cuidar de si mesmo faria


Edrick dormir melhor à noite. Não que ele ainda não faria o que
fosse necessário para garantir a segurança do seu companheiro,
porque agora que ele estava segurando o homem sexy em seus
braços, Edrick sabia que ele nunca iria deixá-lo ir durante o tempo
que eles viveram. E se ele tivesse que matar cada membro do seu
velho orgulho para fazer isso, que assim fosse.

Mas primeiro, ele precisava fazer com que seu companheiro


parasse de lutar contra ele para se libertar.

"Qual é o seu nome, meu pequeno rato?"

22
Capítulo 3
A cadência profunda do homem que acabara de fazer com que
o edifício desmoronasse, afundou em Nole e se acomodou em suas
bolas, dando-lhe uma pausa. Ele não conseguia se lembrar de reagir
tão fortemente a alguém, nunca. Nem tinha certeza de gostar.

Serviu direito Nole não ter saído à primeira luz da manhã como
ele tinha planejado. Embora, por justiça, nem mesmo em seus
sonhos mais loucos teria imaginado um homem incrivelmente sexy,
com um corpo que tinha sido construído para prender Nole e fode-lo
até que ele se esqueceu do seu próprio nome, viria derrubando a
porta.

Tomando fôlego enquanto tentava descobrir o que estava


acontecendo, Nole ofegou enquanto seu pau se endurecia como um
cachimbo de chumbo. Nole sempre teve uma libido forte, mas isso
era ridículo.

Foi quando ele o percebeu. O perfume que emanava do shifter


do gato que o segurava. O shifter gato muito sexy, invadiu sua
mente. Canela e pinho assaltaram seus sentidos. Para o horror de
Nole, ele se inclinou mais perto e acariciou o pescoço do homem
como se seu corpo tivesse uma vontade própria.

Droga, mas ele cheira bem.

Então ele ouviu um som que lhe fez ranger os dentes para se
impedir de gozar em sua calça. Um ronronar. Não fazia nenhum
sentido. Ele era um shifter rato. Por que ele iria ficar excitado por
ronronar?

23
Das histórias que crescendo tinha ouvindo sua mãe contar, não
havia nada melhor do que o cheiro de um companheiro. Embora,
como ela sabia quando seu marido não era seu companheiro, Nole
não tinha certeza, mas ele suspeitou que era uma das razões pelas
quais ela tinha sido tão miserável.

Porra! Este é o meu companheiro.

Nole olhou para os profundos olhos azuis e se sentiu afundar


ainda mais no abraço do shifter gato.

"Edrick, você está bem?"

O som de uma voz que rodeava o edifício agora destruído


despertou Nole fora do seu atordoamento. Ele tentou mais uma vez
puxar do homem que assumiu fosse Edrick, ele fez seu melhor para
ignorar a pequena emoção que passou por ele enquanto ele dizia o
nome do seu companheiro em sua cabeça. Mas a força do shifter
gato era demais para ele se libertar.

"Deixe-me ir," ele exigiu mais uma vez. Em nenhuma maneira


Nole ia ser acoplado a um shifter gato de todas as coisas. Ele era um
rato... as duas espécies não andavam juntas.

Antes que ele pudesse piscar, Nole se encontrou levantado. Em


vez de soltá-lo, porém, Edrick estava ao lado dele com o braço em
volta da cintura de Nole como se fosse a coisa mais natural do
mundo.

Como Edrick tinha feito isso? Não só tinha conseguido impedir


que Nole corresse como ele queria originalmente, mas também tinha
Nole se perguntando o que seria ficar bem onde estava pelo resto da
sua vida.

24
"Eu estou bem, Chadwick, mas eu não tenho certeza que vamos
ser capazes de renovar esses edifícios. Parecem mais instáveis do
que a casa." Seu companheiro pressionou Nole mais perto do seu
corpo quando o homem chamado Chadwick voltou seu olhar para
Nole.

Todos esses gatos eram lindos? Não parecia justo. Não que
Nole fosse pouco atraente, mas ele também sabia que ele não estava
nem perto de parecer como um desses homens sexys. Músculos
rasgados estavam claramente delineados até mesmo através das
suas roupas cada vez que flexionavam; as costuras estavam
esticadas como se prestes a gozar.

Os dois poderiam ser gêmeos tão eram semelhantes em


aparência. Cabelo de ébano, queixos fortes, maçãs do rosto cheias, e
lábios exuberantes que quando curvados para cima poderiam fazer
qualquer homem derreter em uma pilha de gosma. Ambos estavam
ao redor do metro e noventa e pareciam pertencer a uma capa de
revista.

Mesmo tão semelhantes como os dois eram, havia também


algumas diferenças. Os olhos do seu companheiro eram um azul
profundo impressionante que Nole jurou que podiam ver
diretamente em sua alma, enquanto os de Chadwick eram cinza. Seu
companheiro também tinha uma aparência mais culta, com uma
promessa de coisas perversas que teria Nole gritando por mais
enquanto o homem o fodia sem sentido. Chadwick era mais robusto.

Quando aqueles profundos olhos azuis encararam Nole uma


vez mais, seu cérebro se transformou em geleia. "Qual é o seu nome,
sexy?"

25
Sem a capacidade de pensar, não responder nem sequer era
uma opção. Na verdade, era quase uma compulsão para contar ao
seu companheiro o que ele queria saber. "Nole Hayward."

Chateado que ele tinha dado o seu nome sem qualquer


pensamento com as consequências, Nole forçou sua mente a voltar
on-line, olhando longe daqueles olhos que lhe faziam esquecer que o
seu companheiro era um gato.

Desta vez, quando ele empurrou, Edrick relutantemente o


deixou ir. Provavelmente porque o homem tinha conseguido esfregar
seu cheiro todo em Nole, efetivamente afirmando-o como seu. Se seu
companheiro pensou que Nole seria bom com isso, era melhor para
ele pensar novamente.

"Edrick," o homem, que seu companheiro tinha chamado


Chadwick, disse. "O que está acontecendo?"

Seu companheiro deu um enorme sorriso enquanto ele


continuava a olhar para direito em Nole como se ele pudesse ver
seus pensamentos mais íntimos. "Este pequeno rato sexy é meu
companheiro."

Quando Chadwick não disse nada, Nole olhou para ele. Mesmo
se ele estava praticamente se sentindo a mesma coisa de Chadwick,
a raiva surgiu através dele quando viu o horror no rosto do
homem. Nole estava doente e cansado de ser julgado. Se era um
problema porque Nole era um shifter rato humilde ou o fato que era
com um homem que Edrick estava acoplado, não importava. Nole
não ia permitir que alguém o fizesse se sentir como se ele não
deveria estar vivo.

26
Suas mãos instantaneamente se apertaram em punhos quando
elas pousaram em seus quadris.

"Nós vamos ter um problema?" Ele desafiou Chadwick.

As sobrancelhas do homem se levantaram no alto da testa. "Uh


..."

Nole não se preocupou em deixá-lo terminar. "Porque eu não


vou aturar as suas opiniões intolerantes." Dando um passo mais
perto do homem muito maior, mesmo sem considerar que ele
poderia facilmente esmagar Nole como um inseto, ou, bem, um rato,
sem sequer suar.

Como para provar que não tinha sentido, Nole empurrou o


dedo contra o peito de Chadwick e estreitou os olhos para o
homem. "Eu já tive o suficiente de ser ameaçado, perseguido,
espancado e baleado para me durar uma vida. Eu serei amaldiçoado
se eu vou deixar um pequeno gato," ele disse a palavra ironicamente,
"tratar-me como se eu não importo, por causa de algumas noções
preconcebidas".

Ele enfiou o dedo no peito de Chadwick mais uma vez


enfatizando sua declaração. "Consegui?"

A confusão no rosto de Chadwick era inestimável, mas Nole


mal teve tempo para registrá-la que o, mais sexy do que o pecado,
rosnado saiu de Edrick. O tom ameaçador deveria ter enviado Nole
correndo para as colinas, mas de alguma forma o excitava, em vez
disso. Quanto fodido era isso?

27
A próxima coisa que Nole sabia, era que ele estava sendo
puxado para os braços de Edrick, algo que ele odiava admitir
apreciar.

"Quem está perseguindo você pequeno?" Edrick exigiu.

Inclinando a cabeça erguida em desafio, ele ignorou a


pergunta. "Eu não sou pequeno." Ele odiava ser chamado de
pequeno, especialmente quando em comparação com as pessoas
assustadoramente altas como Edrick e Chadwick. Todo mundo
poderia ser considerado pequeno ao lado desses dois gigantes.

O músculo ao longo da mandíbula de Edrick pulsou e Nole


tinha o desejo insano de lambê-lo. O que diabos estava errado com
ele? Ele nunca tinha se sentido assim antes. Se esta necessidade que
assumiu o seu cérebro e transformou-o em um maníaco louco por
sexo era o acasalamento, Nole não queria ter nada a ver com isso.

A vida lhe tinha ensinado que a única pessoa da qual ele


poderia depender era ele mesmo. Se misturar com Edrick só iria
acabar com ele ser pisado e, eventualmente, chutado para o meio-fio
quando Edrick percebeu que dor na bunda era Nole. Ou pelo menos
era o que todos os membros da sua família, para não mencionar sua
colônia, disseram.

Aparentemente, ter uma voz e se levantar por si mesmo era


algo ruim. Nole não tinha ideia do porquê, mas a última batida dos
aplicadores do seu Alpha deixou claro esse ponto, e ele apenas
capaz de se arrastar para longe com mais ossos quebrados do que
jamais pensou que seria possível.

"Responda a pergunta," Edrick exigiu.

28
Só porque ele não tinha utilizado o termo degradante, Nole
decidiu responder-lhe. Pelo menos é o que ele disse a si mesmo. Ele
não queria nem contemplar a razão que ele temia que fosse, em vez
disso. Que era que ele estava obrigado a responder ao shifter mais
dominante, pois em nenhuma maneira Nole ia permitir-se ser
governado por um outro Alpha. Ele tinha corrido antes de deixar
isso acontecer.

"O nome deles, e eles têm me perseguido." Segurando uma


mão, ele levantou o seu primeiro dedo. "O alpha da minha antiga
colônia, para começar, quer me matar, então ele mandou seus
capangas. Quando eles não podiam me pegar, ele enviou
rastreadores. Quando isso não funcionou, ele enviou mercenários."

Ele levantou um quarto dedo para se juntar aos outros três e


acrescentou: "Ah, e depois há os caçadores, com que recentemente
me deparei. Eles são alguns filhos desagradáveis da puta, mais
difíceis de despistar do que eu teria pensado".

Sendo humanos, sem os sentidos aprimorados dos shifters, os


caçadores eram geralmente bastante fáceis de se afastar, mas Nole
teve que admitir que quase havia sido capturado. Ele iria atribui-lo
ao estar cansado, mas ele não estava tão certo que tinha sido por
isso.

"Caçadores?" Disse Chadwick. "Essa é a última coisa que


precisamos no topo de tudo o resto."

Isso era ameaçador. "O que é que isso quer dizer?" Perguntou
Edrick embora tivesse sido Chadwick a falar.

29
Seu companheiro suspirou como se ele tivesse o peso do
mundo sobre seus ombros. "Nós não deixamos meu orgulho em
circunstâncias ideais."

Bem, isso era vago. "Se você não quer me dizer, tudo bem. Eu
tenho lugares para ir." Isso era uma mentira enorme, mas Nole não
poderia evitá-la. Ele estava ferido que Edrick não estava
compartilhando, isso não deveria ter importância, uma vez que
acabaram de se conhecer, mas o fez. Droga essa coisa
companheiro. Estava lhe dando todos os tipos de loucura.

O que ele deveria fazer era ficar o mais longe de Edrick


possível, tentando não se envolver mais na vida do homem, fazendo
perguntas. Com certeza, ele não deveria se sentir como se ele tinha
acabado de ter seu coração arrancado do seu peito.

A raiva surgiu através de Nole. Quando ele nunca iria


aprender? Ninguém jamais se preocupou com ele a vida toda. Então,
por que ele esperava seu maldito companheiro para ser diferente?

Recusando-se a ficar lá e submeter-se a ser atirado para fora


como lixo de ontem, mais uma vez, Nole empurrou o braço livre do
aperto de Edrick e se afastou. Seu animal implorou para ele voltar,
mas Nole não ia, não importava o quanto o desejo de fazê-lo quase o
fez tropeçar para lhe impedir de abandonar o seu companheiro.

Nole não ia ser jogado no meio-fio novamente. Que sua família


e colônia tivessem feito isso tinha picado o suficiente. Ele não tinha
tanta certeza que seria capaz de lidar com seu maldito companheiro
fazendo-o também. Era melhor apenas se afastar.

Então, por que se sentiu como se um buraco estava sendo


esculpido em seu peito quando Edrick não tentou pará-lo?

30
Capítulo 4
Edrick piscou quando Nole foi longe dele. Ele pensou, por um
momento, que Nole estava começando a aquecer para a ideia de ter
um companheiro. Ok, talvez aquecer era uma palavra muito forte,
mas pelo menos Nole tinha parado de lutar para fazer Edrick libertá-
lo. Seu companheiro nem sequer tinha se aproximado de Edrick
enquanto falava sobre ter que correr e se esconder da sua colônia.

Instantaneamente, Edrick sentiu a perda do ligeiro corpo do


seu companheiro contra o seu. Tanto quanto doía ter que trazer
Nole em seu mundo insano, Edrick sabia no segundo em que Nole se
afastou dele, que ele nunca seria capaz de deixá-lo ir, não sem uma
luta de qualquer maneira.

Um rosnado rasgou do seu peito enquanto ele espreitava


depois de seu companheiro. Agarrando o braço de Nole, Edrick girou
ao redor dele e bateu suas bocas juntas, não dando ao shifter rato
uma chance para negá-lo.

Na primeira, Nole lutou, mas Edrick se recusou a desistir do


seu ataque, beliscando e lambendo os lábios mais exuberantes que
ele já tinha beijado. O gosto de Nole era ambrosia e Edrick não podia
esperar para mergulhar dentro da sua boca para obter um sabor
ainda melhor.

Um suave gemido surgiu quando seu doce, pequeno


companheiro afundou mais em seu abraço. Os lábios de Nole se
separaram no som e Edrick aproveitou e mergulhou sua língua
dentro. Em seguida, foi a sua vez de gemer.

31
Porra, mas a boca do seu companheiro era tão doce. Edrick
morreria um homem feliz com a oportunidade de beijar Nole para o
resto da sua vida.

Acariciando a língua de Nole com a sua, Edrick quase gozou em


sua calça quando seu companheiro começou a dar tanto quanto ele
conseguiu. A luxuria bateu em Edrick tão forte que ele não tinha
certeza de poder se controlar. Estar fora no aberto, com Chadwick
assistindo, não pareceu perturbar qualquer um deles, no mínimo.

Um rosnado ameaçador retumbou dentro dele com o


pensamento de Chadwick, ou qualquer um, vendo seu belo
companheiro nu. Que Chadwick estava testemunhando o prazer no
rosto de Nole enquanto eles se beijavam era ruim o suficiente. Isso
era apenas para Edrick ver.

Afastando os seus lábios longe dos de Nole, ele rosnou mais


uma vez para Chadwick, que levantou as mãos e disse: "Você é a
pessoa que faz isso na minha frente, quando temos coisas para
fazer. Eu entendo que você quer foder essa bunda apertada, mas há
somente puco tempo…" Chadwick guinchou quando a mão de Edrick
se enrolou em seu pescoço, cortando o resto da sua sentença.

Levantando seu amigo centímetros fora do chão, Edrick o


acertou no rosto e ameaçou: "Não fale sobre a bunda do meu
companheiro de novo, ou vou cortar sua garganta." Que Chadwick
fosse um dos seus melhores amigos desde que usavam fraldas não
importava naquele momento. Tudo o que Edrick sabia era a raiva
que corria por ele em ter Chadwick olhando para a bunda de Nole.

Ele observou os olhos de Chadwick crescer até parecer estar


prestes a estourar para fora da sua cabeça. Edrick sabia que ele

32
precisava ganhar o controle, mas ele só não tinha certeza que podia,
não quando isso significava permitir que alguém, mesmo um dos
seus amigos, desrespeitasse seu companheiro.

Uma mão suave tocou em seu braço. Olhos chocolate olharam


para ele. "Ei. Ele estava brincando. Você precisa colocar Chadwick
para baixo, mesmo se ele é um idiota." Nole atirou em Chadwick um
olhar fulminante. "Tenho certeza que o seu amigo não vai cometer
esse tipo de erro novamente, certo, Chadwick?"

A boca de Chadwick se abriu, mas Edrick o segurava com muita


força ao redor do pescoço para ele conseguir falar. Por um segundo,
Edrick apertou ainda mais; em seguida, ele jogou Chadwick para o
chão. O ofego que deixou os pulmões de Chadwick quando seu
corpo bateu no chão enviou uma pontada de culpa através de Edrick,
mas apenas uma pontada.

Até onde ele estava preocupado, se Chadwick era estúpido o


suficiente para desrespeitar Nole, ele merecia o que ele teve. Não
havia nada mais sagrado em seu mundo do que um
companheiro. Eles só tinham um, e um shifter de bom grado iria
defender essa pessoa com o seu último suspiro, se
necessário. Inferno, Edrick conhecia Nole desde apenas alguns
minutos, e ele já sabia que ele ia dar a vida para seu companheiro se
era isso que Nole queria.

Manter seus companheiros protegidos e felizes estava


enraizado em seu DNA. Então, por que Nole tinha sido mais do que
disposto a afastar-se dele?

Ele queria perguntar. Ele queria. Só que Edrick não tinha


certeza de querer ouvir a resposta. Houve alguns shifters que

33
tinham sido capazes de ignorar o puxão do acasalamento, e ele
estava com medo que seu companheiro era um desses. Isso
significaria um acasalamento atrapalhado, com certeza, uma vez que
Edrick não estava disposto a deixar seu companheiro simplesmente
ir embora sem uma luta. Oh, ele iria deixá-lo sair se era o que Nole
queria, mas Edrick também faria tudo em seu poder para mudar a
mente do seu pequeno.

Mas Chadwick estava certo. Eles tinham muito para fazer e não
muita luz do dia para fazê-lo. "Estamos indo para comprar um
caminhão e obter suprimentos para reconstruir. Gostaria de se
juntar a nós?"

Edrick nunca tinha orado tão difícil em sua vida que Nole
concordaria. Isso significaria voltar para casa para pegar a moto de
Chadwick, mas se isso significava passar tempo com seu
companheiro, mais do que valia o ligeiro atraso. Apenas o
pensamento de ter seu companheiro atrás dele, com os braços ao
redor da sua cintura enquanto dirigiam ás duas horas para a
fazenda onde eles estavam comprando o caminhão, tinha o pau de
Edrick latejando.

Houve incerteza nos olhos de Nole. Edrick estava mais do que


disposto a implorar se isso significasse que Nole diria sim. "Por
favor. Eu realmente gostaria de ter uma chance para nós
conhecermos um ao outro." Quando Nole ainda não pareceu ter
certeza, Edrick disse: "Nós somos companheiros, depois de
tudo. Você pode não gostar que você está acoplado a um gato, mas o
destino nos colocou juntos por uma razão. Eu estou esperando para
descobrir qual é."

34
Nole recuou, e o coração de Edrick quebrou quando seu
companheiro sacudiu a cabeça para trás e para frente. "Não. Não
posso. Eu preciso encontrar um novo lugar para me esconder. Com
tantas pessoas aqui, este lugar não vai ser seguro por muito mais
tempo."

Edrick queria puxar Nole de volta em seus braços e confortar o


shifter rato, mas seu companheiro aparecia duro como uma tábua,
como se fosse preparado para correr se Edrick tentasse isso. Assim,
ele manteve a sua própria postura solta e descontraída. "Então eu
posso deixá-lo em algum lugar? Dessa forma, você não tem que
andar tão longe."

Não era o que queria Edrick. Inferno, seu gato estava silvando
em sua cabeça e coçando para sair e reivindicar o ratinho sexy. Mas
Edrick não queria Nole para ser caçado. Ele se preocupava que isso
acontecesse, ele nunca iria encontrar o homem novamente. E Edrick
tinha toda a intenção de encontrar seu companheiro mais uma vez
para que ele pudesse convencê-lo a dar-lhes uma chance.

"Eu ..." Nole começou. Aqueles olhos castanhos líquidos


olharam para ele como se julgando a sua sinceridade. Ele deve ter
passado no teste do seu pequeno rato, porque Nole deu um
aceno. "Ok. Isso seria bom."

O alívio encheu Edrick enquanto orava porque até mesmo o


tempo limitado que teve com Nole, lhe daria uma chance para
provar ao seu companheiro valia a pena lutar para estar juntos. No
mínimo, isso iria tornar um pouco mais difícil para Nole querer
deixá-lo.

35
"Chadwick." Edrick virou-se para encontrar seu amigo cerca de
seis metros de distância e tentando aparecer como se não tivesse
ouvido cada palavra que tinha falado. A audição shifter era muito
aguda para que isso fosse possível. "Vá pegar sua moto e nos
encontre de volta aqui."

A testa do seu amigo franziu enquanto olhava de Edrick para


os vários quilômetros onde as casas estavam localizadas, então de
volta para Edrick. "Isso vai levar cerca de trinta minutos."

Talvez, mas também daria a Edrick mais tempo com Nole. Mas
eles tinham perdido muito tempo. "Em seguida, mude e corra."

Resmungando, Chadwick tirou a camisa e começou a empurrar


para baixo sua calça. Um ciúme quente rasgou Edrick quando notou
Nole olhando para Chadwick com interesse.

Ficando na frente do seu companheiro, para bloquear sua


visão, Edrick rosnou para seu companheiro, "Não olhe para outro
homem."

Nole apenas virou o rosto, dando a Edrick um sorriso


radiante. "Não é como eu pretendo fazer nada sobre isso."

Edrick não deu a mínima. "Você quer ver um homem nu? Estou
mais do que feliz de tirar a roupa, mas você não está olhando para
outros homens".

Uma luz brilhou no olhar de Nole. Era o único aviso que Edrick
teve, antes de se ver deitado no chão com o ar fugindo para a direita
fora dos seus pulmões e Nole acima dele sorrindo. "Eu posso ser
menor do que você, mas isso não significa que eu recebo ordens de
você. Entendeu, companheiro?" A maneira irônica em que ele disse

36
essa última palavra tinha Edrick amaldiçoando-se por lidar com as
coisas tão mal.

Ao mesmo tempo, ele não tinha certeza do que mais ele


deveria ter feito. Nole tinha sido olhando para Chadwick com muito
interesse, algo que ele não estava disposto a tolerar. Eles eram
companheiros, dane-se. Talvez isso não significa nada para Nole,
mas significou algo para Edrick.

37
Capítulo 5
Não importava quão duro ele tentou se deter, Nole não
conseguia deixar de irritar seu companheiro. Era provavelmente
melhor que Nole não pretendia ficar por aqui. Ainda assim, Edrick
não merecia nenhuma das suas atitudes sarcásticas. Mesmo para
Nole, olhar para outro homem enquanto este ficava nu era ruim e
algo que ele nunca teria feito em qualquer outra situação.

Eles eram shifters, estar nus na frente um do outro tendia a


acontecer com mais frequência do que não. Mas havia uma linha que
não se cruzava. Olhar para alguém quando este estava mudando era
uma dessas linhas. Ter seu companheiro ao lado dele deveria ter
parado Nole de olhar, no entanto, ele não conseguiu ajudar a si
mesmo.

Isso era apenas estranho. Ele realmente não poderia se


importar menos de ver Chadwick nu. Claro, ele tinha um corpo
bonito, mas Nole não estava nada interessado no homem. Ele só
queria irritar seu companheiro. A coisa era, Nole não entendeu
muito bem o porquê.

Quando Edrick se ofereceu para levar Nole em algum lugar e


deixá-lo, como se o homem não poderia se livrar dele rápido o
suficiente, ele sentiu uma dor no peito. Isso, em si, era um
absurdo. Nole não queria ficar, então por que ele estava chateado
que Edrick estava lhe dando o que ele pediu?

Tornava-se aparentemente óbvio que, ser companheiros


sugava. Nada era o que Nole pensou que seria. Então, novamente,
como ele deveria ter sabido que ele ia ser ligado com um shifter

38
gato? Não. Não de qualquer shifter gato, e sim uma porra de um
alpha.

Nole teve o suficiente de alphas narcisistas, egoístas, que


pensavam que poderiam apenas dar ordem às pessoas ao redor
como se fosse o seu direito dado por Deus. Assim, quando Edrick
lhe tinha dado uma ordem, Nole tinha reagido.

Ok, então talvez, apenas talvez, ele exagerou. Edrick não


querendo que ele olhasse para outros homens era muito normal
para um companheiro. Não tinha sido o que ele disse, mas a maneira
que ele tinha dito isso, que tinha enlouquecido Nole. Então,
novamente, não tinha por sido isso que Nole o tinha instigado
primeiro? Para forçar o alpha em Edrick, provando que eles nunca
iriam funcionar?

A culpa o montou quando ele olhou para Edrick onde Nole o


tinha deixado cair. A surpresa por Nole ter obtido o melhor sobre ele
se mostrava no rosto de Edrick, o que só serviu para limpar
qualquer pesar que ele tinha estado sentindo em sua
mente. Certamente serviu ao idiota se ele achava que só porque era
menor e um shifter rato, Nole não podia se defender.

Ele tinha aprendido há muito tempo a lutar. A única vez que


ele perdeu tinha sido quando ele esteve severamente em
desvantagem. Algo que seu alpha tinha sabido, era por isso que
quando o homem tinha ordenado aos seus aplicadores para bater a
merda fora de Nolan, havia cinco deles.

Tendo já feito uma bagunça grande o suficiente do seu


acasalamento, e não querendo fazer um maior, só havia uma coisa
para Nole fazer. Sair daí.

39
"Obrigado pela oferta de me dar um passeio, mas eu acho que
eu vou a pé." Nole não esperou por uma resposta. Ele simplesmente
virou as costas e foi embora. Se apenas seu coração não se sentisse
como se estivesse sendo rasgado do seu peito enquanto ele deu um
passo após o outro.

Não ajudou que Nole tinha a maldita certeza que este era o
maior erro que ele já tinha feito em toda a sua vida. Ainda pior do
que deixar um dos irmãos do alpha, Harper, foder com ele ali
mesmo na casa do alpha.

Que idiota ele tinha sido. Mas Nole estava em uma raia seca
que durou dois anos, e ele tinha sido desesperado para sentir um
agradável pau grosso em sua bunda. Ele sabia que Harper era gay,
não importava quão duro o alpha tentou esconder as transgressões
de seu irmão. Então Nole tinha tomado uma chance.

Mal sabia ele que Abdiel estava observando seu irmão como
um falcão para que ele pudesse parar Harper de foder outro
macho. Os aplicadores tinham caído sobre Nole em segundos,
forçando-o na frente de Abdiel a pagar por seu crime de tentar
seduzir o irmão do Alpha.

Tão mudo como ele tinha sido para permitir que isso
acontecesse, Nole estava certo que este era, de longe, pior. Ele não
tinha conhecido muitos que tinham sido capazes de deixar seus
companheiros para trás sem ficar loucos. Era por isso que muitas
das pessoas do mesmo sexo acasaladas, tendiam a deixar suas casas
e ter uma chance por conta própria.

Nole conheceu vários companheiros do mesmo sexo após fugir


da sua colônia. Além de ser cansados de ter que se mover com

40
frequência para novos lugares quando outros shifters que
encontravam achavam um pecado ser gay e iriam atacar, os casais
apareceram felizes por ter feito a escolha que eles fizeram. Na
verdade, vários tinham-lhe dito que não teriam feito outra
escolha. Eles amavam seus companheiros.

Nem sequer estar em fuga mudou como eles se sentiam.

Isso não era algo que aqueles que tentavam ignorar a atração
pelo companheiro poderiam dizer. A necessidade de estar com o
cônjuge não era fácil ignorar. Tentar ignorar a outra metade da
própria alma causou raiva e ressentimento fervente. No final, o
shifter muitas vezes virou feral e teve de ser colocado para baixo.

Não era exatamente o que Nole gostaria que


acontecesse. Então, por que ele ainda estava andando? Porque ele
não podia permitir que ninguém, nem mesmo seu companheiro,
para pensar que ele poderia ser encomendado ao redor como algum
servo. Nole queria seu companheiro para ser um parceiro, um igual,
não alguém que achava que podia controlar Nole só porque ele era
um alpha. Não era algo que ele iria tolerar, mesmo que isso
significasse ir selvagem.

Edrick não se moveu de seu lugar no chão. Mesmo quando a


raiva de ver seu companheiro caminhar longe se infiltrou nele,
Edrick se encontrou sorrindo pela coragem do seu
companheiro. Porra, mas Nole era um companheiro de alpha até o
núcleo.

O barulho da moto de Chadwick podia ser ouvido enquanto se


dirigia para a cidade. O olhar de Edrick se estreitou na bunda de
Nole balançando enquanto ele andava. Vendo seu companheiro

41
andar não deveria ser tão agradável, especialmente desde que era
óbvio que Nole não pretendia voltar, mas Edrick não poderia ajudar
a maneira em que seu corpo reagiu a sedutora bunda do seu
companheiro.

Chadwick desligou o motor e Edrick saiu do torpor em que ele


se deixou afundar enquanto continuava a olhar após seu
companheiro. Ele não estava disposto a apenas deixar Nole sair,
mas, ao mesmo tempo, ele não queria que seu bravo companheiro
obtivesse a impressão que Edrick iria sufocá-lo.

É certo, encontrar um equilíbrio entre manter seu companheiro


seguro e não tirar a sua independência seria difícil. Então,
novamente, Edrick estava pronto para qualquer desafio que Nole
jogou em seu caminho.

"Onde está indo Nole?" Chadwick perguntou quando ele virou a


esquina da pilha de escombros que o edifício destruído tinha
criado. Chadwick olhou para ele e parou em suas trilhas. "Por que
você está no chão? Você se machucou?"

"Meu companheiro me colocou na minha bunda para


encomendá-lo ao redor." Edrick não poderia deixar de sorrir
enquanto admitia a verdade. Ele estava orgulhoso de Nole por ser
capaz de cuidar de si mesmo.

O olhar de Chadwick lhe disse que seu amigo pensava que ele
poderia ter perdido a cabeça, o que era uma possibilidade real neste
momento. "E você está feliz com isso?"

"Com maldita certeza," Edrick disse se levantando e limpando a


sujeira f da sua calça e camisa da melhor maneira possível.

42
Chadwick deu um suspiro exasperado. "Eu nunca vou entender
companheiros," ele murmurou. "Você age completamente irracional
e depois espera o resto de nós apenas para ir junto com sua loucura,
como se fosse perfeitamente normal."

Edrick riu. "Um dia, você vai encontrar o seu companheiro, meu
amigo. Então você vai entender."

Chadwick fez uma careta para Edrick. "Isso nunca acontecerá. E


se, por algum milagre, eu tropeço em cima do meu companheiro,
vou correr o mais longe possível na outra direção. Nenhuma pessoa
na terra vale a pena se comportar como um idiota completo".

Mais uma vez, Edrick sentiu a pontada de culpa por deixar seus
amigos serem machucados e não os fazer sair do orgulho mais
cedo. Com Chadwick muito mais do que os outros, pois ele era o
único que se tornou mais alterado.

Enquanto crianças, Chadwick costumava sonhar em encontrar


seu companheiro. Mesmo assim, Chadwick sabia que seria um
homem. Era sua mãe que o tinha avisado para nunca dizer isso a
outra alma, ou ele seria condenado à morte. Na época, nenhum deles
tinha entendido o porquê.

A mãe de Chadwick foi a única que não se importava que seu


filho era gay, que explicou as consequências por ser atraídos para o
mesmo sexo. Ela implorou ele e seus amigos para não dizer uma
palavra. Assim, com a idade de cinco, Edrick e seus amigos tinham
feito um pacto para levar os seus segredos até o túmulo.

Como seu companheiro ficou menor e menor quanto mais


andava, Edrick pegou o telefone e ligou para Lucca. "Eu preciso que
você siga alguém," disse ele, logo que ouviu a voz do seu amigo.

43
Ele daria a Nole seu espaço, mas isso não queria dizer que ele
não estava indo para ter certeza que ele poderia encontrar seu
companheiro. Depois de dar a Lucca uma descrição do Nole e a
direção onde ele estava indo, Edrick desligou e virou para
Chadwick. "Você está pronto para sair?"

Chadwick o encarou com a boca aberta. "Você vai deixar


Kellach com apenas Hudson para protegê-lo? E se o orgulho de seu
pai encontra esse lugar?"

Edrick iria. Felizmente, a decisão não iria mordê-lo na bunda


mais tarde, como a decisão de ficar no orgulho de seu pai fez.

"Vamos sair daqui para que possamos voltar rapidamente." Era


arriscado deixar apenas Hudson e Kellach para trás, mas, Edrick
também não podia permitir que seu companheiro fosse embora, sem
proteção.

Chadwick podia ter sido o primeiro a perceber que ele era gay,
mas ele não tinha sido o último. Enquanto tinham se tornados mais
velhos, cada um deles começou a descobrir que eles também eram
gays. Com cada admissão, o pacto que eles tinham feito aos cinco
anos tinha sido renovado. Tinha sido Kellach chegando a eles com
sua sexualidade que teve o maior efeito.

Para os outros, Edrick sempre acreditou que seriam capazes de


lidar com eles mesmos se descobertos. Mas Kellach media apenas
um metro e setenta e sete e quarenta e cinco quilos encharcado. Sem
mencionar que ele era pecaminosamente lindo, tornando difícil de
resistir para ambos os sexos. Em nenhuma maneira ele seria capaz
de se defender se ele fosse descoberto.

44
Sabendo que um dia eles teriam que correr, Edrick e os outros
começaram a planejar. Cada um deles treinou em áreas que seriam
úteis se eles foram forçados a sair. Edrick tornou-se um
programador de computador. Só que ele era muito mais do que
apenas isso. Edrick tinha aprendido desde cedo ele tinha uma
afinidade para hackear.

Usando essa habilidade, Edrick tinha feito um monte de


dinheiro fazendo contratações, tanto para o governo que empresas
privadas. Durante todo o tempo ele conseguiu manter a maioria dos
seus trabalhos fora dos livros, assim que seu pai nunca descobriu o
quão bom ele realmente era. Ao mesmo tempo, seu pai nunca soube
quanto dinheiro Edrick tinha. Nenhuma das suas famílias sabia.

Com a ajuda de contas e identidades falsas, Edrick tinha


acumulado uma pequena fortuna para ele e seus amigos
sobreviver. Ele não chegava a ser tanto quanto o orgulho tinha em
reservas, mas ainda lhes daria o suficiente para sobreviver enquanto
corriam.

Lucca, que acabaria por ser o segundo da Edrick, tinha


aprendido a segurança. No mundo de hoje da eletrônica, isso fez
algumas coisas mais fáceis, enquanto outras mais difíceis ao mesmo
tempo. Com a ajuda de Edrick na programação, eles desenvolveram
um sistema de segurança de última geração que, uma vez
configurado, lhes daria aviso suficiente para chegar à segurança se
fosse atacado.

Chadwick, que seria um dos executores, tinha aprendido a


construção. Tudo a partir das casas para arranha-céus. Ele podia
fazer tudo. Do desenho para a decoração. Chadwick nunca acreditou

45
em fazer as coisas pela metade, por isso, quando ele tinha escolhido
esse campo, tinha se jogado em aprender tudo.

Hudson teve uma das mais difíceis tarefas de todos eles. Ele
teve que aprender a lei. Eles planejavam fazer o seu melhor para
tornar a sua pequena cidade um refúgio seguro para os shifters gay,
então eles precisavam de alguém que pudesse ajudá-los a cuidar não
só no direito shifter, mas nas leis humanas também.

Kellach não tinha sido dada uma escolha sobre qual trabalho
ele tinha que aprender. Não porque eles não tinham lhe dado uma,
mas porque o pai de Edrick não o tinha feito. Enquanto um dos
menores e mais efeminados dos homens, Lorcan achou apropriado
que Kellach fizesse o que seu pai considerava "trabalho de mulher".

Por que cozinhar era considerado apenas para as mulheres,


Edrick não entendia, mas seu pai tinha pensado aquela posição
humilhante, e esfregou o nariz de Kellach sobre isso, sempre que
podia. Edrick ainda não estava inteiramente certo que cozinhar era
algo que Kellach apreciava, mas com o resto deles queimadores de
água, por agora, eles precisavam de Kellach para fazer suas
refeições.

Com um último olhar na direção do seu companheiro, Edrick


virou e foi para onde ele tinha deixado sua bicicleta. Não importava
quanto ele queria para ir atrás do seu companheiro obstinado,
Edrick tinha um trabalho a fazer. Ele sabia que Lucca iria cuidar do
seu companheiro até que ele voltou com seus suprimentos.

Subindo em sua moto, Edrick rezou para não estar cometendo


outro erro.

46
Capítulo 6
Tentáculos gelados se envolveram ao redor do coração de Nole
enquanto ele perfumava pelo menos cinco shifters ratos. Eles o
haviam encontrado, e Nole não tinha tanta certeza que ele
conseguiria escapar embora, desta vez. Ele estava no meio da
floresta com a civilização a, pelo menos, uma caminhada de duas
horas da sua localização atual.

Considerando que ele provavelmente iria ter sua bunda


entregue a ele, mais uma vez, rastejar para a segurança seria
impossível. Assumindo que o deixassem vivo desta vez, o que seria
duvidoso, Nole tinha pouca chance de sobreviver, tudo porque ele
tinha sido muito teimoso e deixou seu companheiro em vez de ficar
a resolver as coisas.

O coração partido ao se afastar tinha sido a única razão pela


qual ele não tinha notado que alguém estava se aproximando dele
em primeiro lugar. Estupidamente, ele se deixou distrair quando
deveria estar mais vigilante.

Ele sabia que sua colônia ainda estava procurando por ele. Em
seguida, houve os caçadores que o tinham encontrado a última vez
que ele saiu. A mente de Nole deveria ter sido focada em manter-se
seguro, em vez de quão grande o seu companheiro cheirava. Ou o
grunhido sexy e quão grande se sentiria quando Edrick chupasse o
pau de Nole. Seu pau latejava enquanto endurecia em sua calça,
tornando-a desconfortáveis.

Ahhh!

47
Mesmo sabendo que ele tinha sido descoberto e rastreado, Nole
não poderia parar sua mente de pensar sobre Edrick. Ele poderia
muito bem enfrentar os fatos. Ele ia morrer hoje tudo porque ele era
um idiota que se afastou do seu companheiro.

Com cada passo que ele tinha tomado, pensamentos de se virar


e voltar o tinha consumido desde que deixou Edrick. Agora, ele não
teria essa chance. Ele deveria ter pelo menos procurado o número de
telefone de Edrick, então ele poderia ter chamado seu companheiro
e lhe pedir desculpas por ser um idiota. Havia pouco que poderia
fazer sobre isso agora.

Procurando uma saída, Nole percebeu que ele tinha menos de


quinze minutos antes de ser alcançado. Claro, ele poderia correr e
torná-los vinte ou trinta minutos, mas, eventualmente, eles iriam
alcançá-lo, e quando o fizeram, Nole preferia que fosse em seus
termos. Também seria melhor se ele não fosse muito exausto de
correr para lutar de volta. Não ajudou que ele já tinha andado por
mais de oito horas e estava pronto para descansar.

Não, era melhor encontrar um local que lhe daria uma


vantagem, não importava quão pequena. Como aquela formação
rochosa à sua esquerda. Com certeza era um pouco mais do que ele
teria gostado de ir, mas mendigos não podiam ser pretenciosos. Sua
única outra opção era escalar as árvores, mas a vantagem tática não
seria o suficiente para ajudá-lo a sair dessa confusão.

Precisando de todo o tempo que ele poderia conseguir para


encontrar a melhor posição, Nole correu para o afloramento e quase
gritou em desespero. Não era tão grande quanto ele esperava. Pior
ainda, não havia outro lugar onde ele poderia se esconder. Nada
para usar como uma arma.

48
Com nenhum outro local óbvio que ele poderia usar a seu
favor, Nole teria que fazer trabalhar. Ele só desejava que lhe
oferecesse uma maneira de vencer.

Determinado a fazer o que fosse preciso para sobreviver, ele


pegou um par de ramos robustos e os espalhou ao redor para usar
mais tarde durante a luta. Então ele tirou a mochila e tirou sua
arma. Ele já tinha três facas amarradas ao seu corpo, mas ele estava
esperando para levar pelo menos um dos seus atacantes fora da
comissão antes que eles chegassem muito perto.

O estalo de um galho o alertou que eles estavam


perto. Também lhe disse quem o alpha tinha enviado, idiotas. Eles
eram shifters, shifters rato. Estalar um galho era o erro de um
amador.

A esperança queimou dentro dele, mas Nole a esmagou


rapidamente. Ele não podia contar com a esperança que aqueles
depois dele não fossem treinados ou ele acabaria morto, com
certeza.

Mantendo seu corpo atrás do pequeno grupo de rochas, Nole


apontou a arma na direção pela qual ele perfumou seus
perseguidores. Seu coração corria muito rápido. Nole precisava se
acalmar.

Respirando profundamente, ele manteve seus sentidos


abertos. Esse fio teimoso de esperança floresceu mais uma vez. Não
podia ser, podia? Mais uma vez ele chamou o ar em seus
pulmões. Deixando seus sentidos se abrir totalmente, ele perfumou
o ar ao seu redor.

49
Seu olhar foi para o norte, onde ele tinha vindo. Ele tinha
certeza que ele perfumava shifter gato, um que ele não reconheceu,
mas era definitivamente felino. Ele só não tinha certeza se era amigo
ou inimigo. Mas era o cheiro ainda mais longe que lhe deu uma
pausa. Ele poderia jurar que Edrick estava próximo. Não perto o
suficiente para ajudá-lo agora, mas perto o suficiente para que se
Nole poderia se manter vivo tempo suficiente, seu companheiro
seria capaz de ajudá-lo a derrotar aqueles depois dele.

Por mais que orasse para que Edrick chegasse a tempo, Nole
sabia que não podia contar com a chegada do seu
companheiro. Especialmente desde que quem o alpha enviou, estava
quase em cima dele. Se Nole ia sobreviver, dependia apenas de si
mesmo. Se seu companheiro conseguia chegar, ótimo, mas ele estava
muito longe para ser uma aposta segura.

Dois de sua colônia se aproximaram o suficiente para que Nole


os reconhecesse. Seu coração afundou. Eram os homens que ele
tinha considerados amigos uma vez, tempo antes de ter sido pego
com o irmão do alpha. Uma vez que isso tinha acontecido, todos, até
mesmo sua família, tinham se virado contra ele.

Ele não queria ferir qualquer um desses homens. Mas eles


tinham sabido o que o alpha esperava deles. Eles tinham vindo com
a intenção de acabar com ele. Nole podia não querer matá-los, mas
se isso significasse salvar sua própria vida, ele o faria.

Ele não achava que seria capaz de perdoar seu alpha ou seus
amigos por colocá-lo nessa posição. Nole apenas desejava saber se
ele seria capaz de perdoar a si mesmo para a escolha da sua vida
sobre a de aqueles que uma vez tinha considerado amigos.

50
Proteja-o, não importa o que," Edrick rosnou ao telefone
quando Lucca chamou para informá-lo que quem tinha vindo a
seguir Nole, o tinha finalmente apanhado. Felizmente, quem quer
que tinha estado rastreando Nole sugava em seu trabalho, ou eles o
teriam apanhado logo demais para Edrick ter qualquer esperança de
alcançar seu companheiro.

Como era, havia uma boa chance de que ele não faria isso.

Lucca estava bem em cima deles, sombreando seus


movimentos. Ele não tinha certeza se eram amigos ou inimigos até
que ele os ouviu falar sobre como Nole havia arruinado sua colônia
por existir.

Sua intenção de matar Nole era óbvia com todo o poder de fogo
que tinham trazido. Não que Lucca estava preocupado. Nenhum
deles o havia perfumado, e eles levariam a surpresa das suas vidas
se eles iam atacar Nole.

Lucca nunca tinha sido um fã de valentões que se sentiam bem


para superar as suas presas. Ele ensinaria a todos como era estar ao
fim da recepção, pois Lucca poderia e iria, limpar o chão com todos
eles. Ele não tinha o hábito de se gabar, mas suas habilidades eram
muito boas.

Infelizmente, seu senso de honra não lhe permitiu atacar sem


provocação. Então, até eles fazer o primeiro movimento, Lucca iria
se sentar e esperar. Uma vez que eles o fizeram, todas as apostas
estavam fora, e Lucca mataria sem prejuízo, ou misericórdia,
especialmente desde que o shifter rato que ele estava lá para
proteger era o companheiro de Edrick.

51
Ele só queria que o perfume celestial de sálvia e limão não
estivesse distraindo-o.

52
Capítulo 7
Ambos os seus velhos amigos estavam na mira de Nole. Ele
poderia matá-los antes que qualquer um deles soubesse o que estava
acontecendo. Era óbvio que nem sabiam exatamente onde ele
estava. Como o alpha poderia enviar esses homens mal preparados
mostrava o quão estúpido o líder realmente era.

Ou desesperado.

Ter Nole ficando longe das equipes que Abdiel enviou após ele,
uma e outra vez, tinha que estar fazendo parecer o homem, fraco
para a colônia. Ele precisava de Nole morto, mesmo se isso
significasse o envio de uma equipe tão inexperiente que eles iriam
andar em suas mortes.

Mas Nole simplesmente não conseguia puxar o gatilho. Não até


ele saber que eles vieram aqui para fazer-lhe mal.

Lentamente, Nole soltou um suspiro, em seguida, fez a única


coisa que ele nunca faria em circunstâncias normais. Ele deu a sua
posição e gritou. "Isso é o suficiente, Jari, Reyd. O que vocês estão
fazendo aqui?"

Ambos os seus olhos se arregalaram por um momento antes de


se entreolhar, olhando em seguida na direção de Nole. Só que eles
não olharam em sua direção, não exatamente. Eles ou sugavam no
entendimento de onde a voz estava vindo, ou ...

Nole congelou.

Deuses "Droga!

53
Farejando o ar mais uma vez, ele pegou a equipe vindo por trás
dele. Se ele conseguiu sair dessa vivo, Nole ia chutar a própria bunda
por ser tão porra descuidado. Como podia ter pensado que a única
equipe que Abdiel iria enviar seria tão incompetente quanto Jari e
Reyd?

Eles eram a distração.

Se Nole não tivesse sido distraído pelos pensamentos do seu


companheiro, ele poderia ter percebido isso mais cedo em vez de
dar à segunda equipe um alvo perfeito. Não havia nada para
proteger suas costas. Não rochas. Não árvores. Nenhuma outra
pessoa.

Nole merecia levar um tiro neste momento.

Desde que as suas chances de sobreviver à equipe


incompetente de Jari e Reyd eram melhores do que enfrentar quem
quer que estava silenciosamente se mudando atrás dele, Nole saltou
para fora do afloramento de rochas. Um tiro foi disparado quando
ele se moveu. A rocha pulverizou exatamente onde sua cabeça tinha
estado, apenas faltando ele.

Ele mergulhou na frente das rochas, ficando completamente


vulnerável aos homens que uma vez tinha considerado amigos, mas
o manteve a salvo da ameaça real, a outra equipe. Bem, o mais
seguro possível até ele o pegar ele, o que iria acontecer em breve.

Um rugido cortou o ar levantando os cabelos no corpo de Nole.


Ainda estava longe, mas Nole tinha certeza que era Edrick. Ele
enviou uma oração fervorosa que ele poderia se manter vivo tempo
suficiente para seu companheiro alcançá-lo.

54
"Desista Nole", Jari gritou. "Você está cercado."

Nole encarou seu ex-amigo, que estava apontando uma arma


direito para ele. Jari nunca tinha sido um bom tiro, e Nole duvidava
que ele tinha conseguido nada melhor desde que ele se foi. Ao
mesmo tempo, mesmo os mais descoordenados tinham sorte de vez
em quando. Ele esperava, desde que a mão de Jari estava tremendo,
que isso significava que seu ex amigo não estava confortável em
atirar nele.

"Por que você está fazendo isso Jari?" Nole não estava apenas
pedindo para pará-lo. Ele honestamente queria saber como Jari
poderia virar as costas para alguém que tinha sido seu amigo por
trinta anos.

Foi Reyd quem respondeu. "Você é uma abominação que


precisa ser erradicada antes de manchar mais de nós."

A tristeza penetrou em Nole com as palavras do homem. Ele


não tinha sido muito perto com Reyd, mas ele ainda o tinha
considerado um amigo.

"Você precisa nos deixar levá-lo para o alpha Abdiel," Jari


chamou. A coisa era, ele sabia que Jari era gay. O homem nunca se
atreveu a admitir isso. Não que Nole o culpava. A confissão nem
sempre era boa para a alma. Em seu mundo, normalmente terminava
com a morte do confessor. Ou no caso de Nole, sendo o objeto de
uma caçada.

"Você precisa sair, Jari, antes de acabar morto," Nole


avisou. Era o único aviso que seu amigo iria ouvir.

55
Um rosnado baixo, ameaçador, reverberou pouco além de
Jari. Considerando que Nole estava literalmente entre uma rocha e
um lugar duro, no momento, o som assustou Nole. Ele procurou por
onde o som veio, mas ele não conseguiu ver nada fora do lugar.

Reyd zombou dele, ou não ouviu o rosnado ameaçador ou não


lhe deu qualquer atenção. "Por quem? Você? Por favor. Em nenhuma
maneira alguém com a sua depravação moral tem uma chance de
nos matar." Como para provar seu ponto, Reyd disparou um tiro.

Se Jari poderia ser considerado um mau tiro, Reyd era pior. Ele
tinha sido o único homem na história que conseguiu apontar para
um alvo no campo de tiro e de alguma forma acabar atirando em si
mesmo.

A bola saiu ao lado, nem mesmo chegando perto de bater em


Nole. O problema de Reyd, era que ele era um pouco agressivo. Nole
só tinha sido seu amigo, porque ele tinha sido amigo de Jari. Caso
contrário, ele teria ficado longe do homem. Considerando que tudo
o que Reyd já fez tinha sido colocar Jari para baixo, Nole não estava
muito certo do porquê Jari manteve sua amizade com ele.

Quando Reyd tentou atirar novamente, Nole não hesitou. As


chances de Reyd bater nele eram remotas, mas ele não estava
prestes a tomar esse tipo de chance quando ele ainda tinha uma
equipe em suas costas, avançando rapidamente, pelos sons deles.

Ele apontou e disparou antes que Reyd teve a chance de puxar


o gatilho. Os olhos castanhos se arregalaram uma fração de
segundo, quando um buraco se abriu à direita onde o coração de
Reyd estava. Então, ele desmoronou no chão em um montão.

O inferno começou naquele momento.

56
Jari gritou o nome de Reyd. A equipe que tinha sido
flanqueando Nole quebrou no meio do mato para avançar em sua
posição. Um homem que Nole nunca tinha visto, mas que cheirava
como um shifter gato, veio atrás de Jari com a confusão em seus
olhos cinzas tempestuosos. Jari levantou o braço que estava
segurando uma arma e a apontou para Nole.

Não tendo tempo para lidar com Jari, Nole rezou que o shifter
gato estivesse do seu lado e que não iria permitir a Jari matá-lo. Por
uma fração de segundo, Nole sentiu um aperto de verdadeiro medo
quando ele enfrentou a equipe enviada para matá-lo e encontrou dez
homens, armados até os dentes.

Pior, eles não eram ratos. Eram lobos. Um esquadrão de ataque


se Nole não estava enganado. Alpha Abdiel não estava brincando
desta vez. Ele estava indo para se certificar que Nole estava morto.

Rosnados baixos retumbaram ao redor dele, fazendo o chão


tremer sob seus pés. Sim, Nole estava fodido e não em um bom
caminho. Não só ele iria morrer naquele dia, mas suspeitava que ia
ser muito doloroso.

Foi quando ele ouviu outro som que fez levantar todos os
pelos em seu corpo. Para trás e ligeiramente para a direita dele,
outro grunhido, é tão baixo quanto aqueles dos lobos, ainda mais
cruel, mais feroz, rolou ao redor deles por um minuto inteiro.

Nole queria desesperadamente se virar e ter certeza que ele


não estava imaginando coisas, mas ele também sabia que se ele
levasse sua atenção fora dos lobos mesmo apenas por um segundo,
eles usariam a oportunidade para atacar. Seu coração acelerou
quando sentiu o movimento de trás se aproximando.

57
Pelo tocou as pontas dos seus dedos, e Nole arriscou um
rápido olhar para baixo. Seu coração saltou para sua garganta,
enquanto olhava para o bonito pelo marrom dourado de um leão da
montanha gigantesco arreganhando os dentes para os lobos, quase
desafiando-os a se aproximar. Concedido, Nole era um shifter rato e
acostumado para shifters menores, mas ele ainda estava bastante
certo que Edrick era maior do que a média.

Dos shifters lobos estavam se preparando para atacar, quatro


deles tinham mudado, e Edrick era definitivamente maior do que
qualquer um deles. Isso não significava que eles não tinham a
chance de ganhar. Ainda havia dez lobos, assassinos com base nos
olhos frios e mortos daqueles em frente deles, obviamente
treinados.

Não ajudou que aqueles que ainda estavam humanos tinha


armas suficientes em seus corpos para abastecer um maldito
exército. Até encontrar estes homens, Nole sempre assumiu que ele
tinha levado um monte de armas. Rapaz, ele estava errado.

Inconscientemente, seus dedos cravaram na pele de


Edrick. Pesar o inundou para levar seu companheiro envolvido em
sua batalha. Se ao menos ele não tivesse sido tão teimoso deixando
Edrick naquela manhã. Ele prometeu ao Deus que estava ouvindo
que ele não iria aceitar apenas seu companheiro, mas o amar com
cada fibra do seu ser, se eles sobreviviam a este.

Eles podiam estar em desvantagem, mas Edrick não estava


preocupado. Ele e seus amigos tinham estado treinando, uma vez
que entenderam que um dia eles teriam que lutar contra seu orgulho
por ser gay. Suas habilidades estavam afinadas, tornando-os
máquinas de matar perfeitas.

58
Ele queria tranquilizar seu companheiro, mas tão eficaz quanto
Edrick estava em sua forma humana para matar, ele era ainda mais
mortal como seu animal. Tudo o que ele podia fazer era ficar ao lado
de Nole e esperar que ele estar lá seria suficiente para dar algum
incentivo a seu companheiro.

O que ele não esperava era a forma que Nole fechou os dedos
em seu pelo, como se estivesse tentando agarrar Edrick. Nem para
isso se sentir tão incrível. Basta estar ao redor de Nole para ter seu
pau meio duro. O toque do seu companheiro poderia facilmente
fazê-lo dolorosamente duro, o que tornaria a luta muito mais difícil.

Que seu companheiro estava sendo ameaçado lhe impediu de


ficar muito duro, quando a necessidade de rasgar os lobos shifter,
que aparentemente pensavam que vestia couro, mais eles
pareceriam maus, o montou com força. Se Edrick fosse humano, ele
iria colocá-los em linha reta. Tudo aquele couro os fazia parecer
apenas patéticos.

Um mesmo tinha um cinto de couro ao redor do seu


lobo. Como o cara achou que era uma boa ideia, era um mistério
para Edrick. Esse iria restringir apenas a capacidade natural do seu
animal para se mover, e oferecia pouca proteção.

Ele queria rir, mas só conseguiu bufar com o espetáculo diante


dele. Nole deve ter entendido que ele estava rindo porque ele
arrancou em sua pele em um aviso. Seu companheiro sacudiu com
medo ao seu lado. Desesperado para acalmá-lo, Edrick esfregou a
cabeça contra o lado de Nole.

Aparentemente, isso era tudo o que os lobos necessitavam para


atacar.

59
Permanecendo em sua posição, Edrick deixou Hudson, seu
exímio atirador, atirar nos dois homens e dois lobos antes que eles
tinham coberto a metade da distância. Foi quando Edrick entrou em
ação.

Pulando, ele bateu sua pata para o homem mais próximo a ele,
cortando sua garganta. Uma bala bateu no homem antes dele bater
no chão, assegurando que ele permanecesse morto. Shifters curavam
rapidamente, permitindo-lhes sobreviver as feridas até mesmo
graves.

A única maneira de matar um shifter era decapitá-lo, rasgar


seu coração ou atirar no coração ou na cabeça. O único problema
com as balas era que eles tiveram que ser mortos no instante, ou
haveria uma chance de sobrevivência. Felizmente, Hudson nunca
falhou.

Lucca, que conseguiu neutralizar os shifters rato que tinham


distraídos Nole e Chadwick, que tinha sido bem atrás de Edrick
enquanto corria para Nole, se juntou a ele na batalha. Rapidamente,
eles reduziram os números para dois, o líder e um lobo, que parecia
determinado a proteger seu alpha a todos os custos, inclusive
fixando Nole para o chão, forçando Edrick para parar ou arriscar a
morte do companheiro.

"Eu vejo que você se permitiu tornar-se fraco", o líder zombou


com um sorriso muito triunfante em seu rosto. "Companheiros vão
fazer você morto, algo que você vai experimentar em primeira mão."

Edrick olhou para o lobo que tinha uma pata na garganta de


Nole, as garras apenas perfurando a pele. O cheiro do sangue de seu
companheiro fez o gato de Edrick silvando enquanto a raiva o

60
consumia. Hudson não tinha arriscado o tiro que ele poderia
facilmente matar o lobo por medo que as garras da criatura iriam
rasgar a garganta de Nole. Outra coisa da qual um shifter não
recuperava.

Focado em seu companheiro, Edrick assistiu com horror


quando a mão de Nole lentamente fez seu caminho até seu quadril
para retirar uma faca muito afiada. Ele precisava distrair o lobo das
ações de Nole ou este seria notado. Em sua forma de leão da
montanha, isso seria difícil de fazer.

"Agora, diga ao seu atirador para descer daquela árvore, ou eu


vou ter Octo puxando ainda mais na garganta do seu companheiro
até que ele esteja revestido em sangue", disse o líder, enquanto
apontava a arma para a cabeça de Edrick.

Edrick podia não ser capaz de se comunicar com seus homens


em sua forma shifter, mas com a vantagem de treinar juntos desde a
idade de cinco anos, eles não precisavam de palavras. Edrick olhou
desde a mão de Nole que agarrou a faca, para Lucca, e deu um aceno
de cabeça.

Lucca deu um aceno imperceptível como reconhecendo o que


Edrick tinha visto. "Tudo bem", Lucca cuspiu. Então ele olhou para
Edrick. "Eu disse que nós nunca deveríamos ter vindo atrás do
rato. Quero dizer, você é um gato. Porque diabos estava pensando
que você poderia acasalar com uma criatura tão humilde?"

Tanto o líder, e o lobo, olharam para Lucca em surpresa, mas


era toda a distração que Nole necessitava para levantar a faca e
empurrar à direita na pata do lobo, cortando-a em um corte fundo.

61
No mesmo momento em que a faca separou a pata do lobo,
Hudson disparou, e uma bala bateu no lobo, deixando um buraco
bem entre seus olhos. O líder rosnou antes de abrir fogo, mas Edrick
já tinha saltado para o homem, batendo nele e arrastando-o ao chão
com os dentes enfiados na garganta do homem.

62
Capítulo 8
"Estou impressionado, baixinho," o homem que havia distraído
o líder lobo disse enquanto rolava o mais pesado que o lobo foder
Nole. "Eu não tinha ideia que um rato podia fazer nada mais do que
se acovardar."

Nole encarou o homem bonito. "Não me chame de baixinho",


ele cuspiu. O que diabos estes gatos comiam, que os fez tão
lindos? Não que isso importasse, mas não parecia justo que até
agora todos eles tinham pelo menos um metro e noventa, com mais
músculo do que parecia ser possível em um corpo.

"Cuidado, Lucca, Edrick não gosta quando você provoca seu


companheiro," Chadwick brincou.

Falando de Edrick Uma vez levantado, Nole olhou ao redor para


seu companheiro.

"Edrick", ele gritou quando viu o gato grande deitado em uma


poça de sangue com o líder dos lobos mortos debaixo dele.

Por favor, deixe que seja sangue do lobo; rezou uma e outra vez
correndo para o lado do seu companheiro.

Não importava quão duro ele empurrava, ele não poderia virar
o pesado corpo do seu companheiro para que ele pudesse verificar
os ferimentos. Felizmente, Lucca e Chadwick correram para ajudá-lo.

Gelo se formou em suas veias quando viu três buracos de bala


na pele grossa de Edrick enquanto o sangue derramava dos
ferimentos. "Merda", ele amaldiçoou. "Alguém tem um kit de
primeiro socorro?"

63
Todos olharam para ele como se nunca tivessem ouvido falar
de tal coisa. Claro, shifters podiam curar rapidamente, mas isso não
significava que eles não podiam morrer. Com a perda de sangue
suficiente, era perfeitamente possível, e Edrick parecia que já perdeu
muito. Ele precisava conseguir costurar estas feridas para que ele
pudesse parar o sangramento.

Ele apontou para o grupo de rochas que ele tinha tentado


utilizar como escudo. "Minha mala está abrigada na parte de trás das
rochas, vá buscá-la." Seu tom era exigente, não permitindo qualquer
argumento.

Felizmente, os homens não oferecem qualquer. Chadwick


correu para as rochas e rapidamente encontrou a bolsa de
Nole. Nenhuma palavra foi dita enquanto observavam o trabalho de
Nole em Edrick, que era bom. Nole não precisava da distração. Ele
iria salvar seu companheiro.

Exceto que havia muito sangue bloqueando Nole de ver a


extensão dos danos. Frustrado, ele rosnou enquanto empurrava seu
dedo profundamente no buraco aberto da bala. Movendo ao redor,
Nole trabalhou para descobrir donde todo o sangue estava vindo.

Se ele não o encontrava, Edrick não ia sobreviver, e isso


simplesmente não era aceitável para Nole. Ele podia não ter querido
um companheiro, especialmente um que era um shifter gato, mas
agora que ele tinha conhecido Edrick, ele teve que admitir que o
homem o intrigava. Não só Edrick tinha sido bom mesmo quando
Nole tinha sido o seu habitual auto sarcástico, mas ele tinha dado a
Nole o espaço que ele tinha pedido.

64
Embora, aparentemente, ele tinha seguido Nole, mas ainda
assim, mesmo Nole não poderia culpá-lo por isso. Companheiros
eram considerados sagrados. Deixar um ir teria sido impossível para
a maioria dos shifters. Mesmo Nole estava tendo segundos
pensamentos enquanto ele procurava por um novo lugar para se
esconder. Ele podia não admitir isso em voz alta, mas Nole teria
retornado para Edrick eventualmente.

Agora que ele estava pronto para aceitar que ele tinha
encontrado seu companheiro shifter gato, Nole não estava disposto
a deixar o homem ...

Não!

A mão de Nole tocou sobre as bordas irregulares de uma


artéria desfiada. Beliscando as extremidades com os dedos, ele
olhou fixamente para Lucca e Chadwick, juntamente com outro
homem andando na direção deles, carregando um rifle de longo
alcance. "Uma de suas artérias foi atingida. Preciso fechar, ou ele vai
sangrar. Qual de vocês não é melindroso e pode me ajudar?"

Foi o recém-chegado que respondeu. "Eu aprendi primeiros


socorros suficiente para oferecer alguma ajuda, mas você vai ter que
falar o que você precisa fazer."

Nole lhe deu um breve aceno de cabeça. "Na minha bolsa há um


bisturi. Precisamos abri-lo um pouco mais, para que eu possa ver,
para reparar isso. Desde meus dedos estão comprimindo a artéria,
você vai precisar fazer o corte. Você acha que pode fazer isso?"

O shifter gato não respondeu, apenas pescando através de saco


de Nole até que encontrou o pequeno kit que Nole tinha lá

65
dentro. Puxando-o para fora, ele o colocou no chão e o abriu. Com o
bisturi na mão, ele olhou para Nole e esperou por suas instruções.

"Com cuidado, mas rapidamente, eu preciso que você faça uma


incisão a direita, onde o buraco de bala está. Apenas não corte
minha mão." Nole orou que o homem não acabasse piorando as
coisas. Era sempre um risco de ter alguém inexperiente para ajudá-
lo, mas com a mão de Nole já ocupada, fazer a incisão também era
impossível.

Por favor, deixe-me salvar Edrick.

"Espere, você sabe mesmo o que diabos você está fazendo?"


Perguntou Lucca antes que o outro membro da sua equipe fez a
incisão.

Isto não era o momento para fazer as vinte perguntas. Seus


dedos ao redor da artéria era a única coisa mantendo seu
companheiro da morte certa. "Eu sou médico e veterinário",
respondeu ele, sem dar detalhes antes de virar para o homem que
iria ajudá-lo. "Agora, faça a porra do corte."

O homem deu um breve aceno de cabeça, respirou fundo, em


seguida, fez exatamente o que Nole havia instruído. Para ser
honesto, ele ficou impressionado com a forma em que o shifter o
fez. "Bom. Agora eu vou precisar do meu kit de sutura."

Como se tivesse feito isso uma centena de vezes, o homem


retirou exatamente o que Nole precisava. "A propósito o meu nome é
Hudson."

Surpreso, Nole olhou para o homem por um momento.

66
Hudson deu de ombros. "Achei que, se vamos trabalhar juntos,
para não mencionar viver juntos, já que você é o companheiro de
Edrick, você pode muito bem sabe o meu nome."

Nole deu-lhe um aceno de reconhecimento.

"É hora de começar a trabalhar, Hudson. Eu espero que você


esteja pronto." Na verdade, Nole dependia disso. Não salvar Edrick
não era uma opção.

67
Capítulo 9
O fogo correu ao longo das veias do Edrick. Claro, ele estava
sendo queimado vivo, ele tentou desesperadamente abrir seu
caminho para a consciência. Mas a dor era muito intensa para lhe
permitir de se concentrar.

"Shh," a mais doce voz que Edrick nunca tinha ouvido,


sussurrou contra seu ouvido. "Você vai ficar bem. Você só precisa
deixar seu corpo curar."

Uma mão correu ao longo da sua testa, acalmando


instantaneamente seu gato, que tinha sido lutando para
acordar. Então essa mão traçou um caminho pelo seu rosto antes de
tocar suavemente em seus lábios. "Eu vou mantê-lo seguro. Apenas
durma."

Uma parte dele queria mais daquele toque doce, mas ele estava
muito cansado para não sucumbir à escuridão que estava mais uma
vez tentando arrastá-lo em êxtase.

"Não deveria estar curado por agora?"

O tom áspero da voz de Lucca forçou Edrick para se tornar


uma vez mais consciente ao redor. Esforçando-se para abrir os olhos
e descobrir o que teve o seu melhor amigo com tanta raiva, Edrick
lutou contra a névoa que o cercava como em um pântano.

"Ele perdeu muito sangue." A melodia suave da voz do seu


companheiro era como um bálsamo para a alma de Edrick.

Querendo tocar Nole, ele tentou se aproximar ao som bonito,


mas descobriu que era impossível fazer o seu corpo responder.

68
"Seu corpo vai precisar de tempo para repor o sangue dele. Até
então, o sono é o que ele mais precisa".

Não sabendo do que Nole estava falando, Edrick mais uma vez
tentou abrir os olhos. Uma pálpebra se levantou apenas um pouco,
mas era o suficiente para notar seu companheiro
desgrenhado. Preocupados com as olheiras sob seus olhos castanho
chocolate, Edrick tentou abrir a boca, mas, novamente, descobriu
que o seu corpo simplesmente não iria cooperar.

Lucca se aproximou a Nole, elevando-se sobre ele com as mãos


enroladas em punhos. "É melhor ele acordar." A ameaça na voz de
Lucca enfureceu Edrick.

Um ronco baixo rolou para fora do seu peito em sinal de


advertência.

Ambos Nole e Lucca se viraram para ele, mas Edrick já estava


exausto com apenas aquela breve demonstração de agressão.

"Edrick," Nole disse esperançosamente, quando ele se inclinou


para mais perto e colocou um beijo suave em seus lábios.

O Céu. Esse foi o último pensamento que Edrick teve antes que
a escuridão rodeou ele mais uma vez.

"Pare de me ameaçar, ou eu vou cortar suas malditas bolas


fora, entendeu?" Nole estava ficando doente e cansado da atitude
dos amigos de Edrick. Ele avisou-os sobre quanto próximo a morrer
tinha estado Edrick, mas todos eles tinham achado que ele deveria
ter curado dentro de uma hora depois que Nole o costurou.

Se eles não parassem, ele estava indo para bater todos e cada
um. E ele estava indo para começar com Chadwick, que não só o

69
ameaçou, mas se manteve referindo-se a ele sendo um rato, como se
fosse merda no lugar de um homem.

Chadwick estava perto o suficiente para forçar Nole a ter de


inclinar a cabeça para trás e olhar para ele. Idiota. Em seguida, o
homem teve a coragem de se inclinar sobre, acentuando o fato que
Nole estava menor do que ele. "Experimente, e eu vou alimentá-lo
para as cobras."

Estreitando os olhos, ele olhou para Chadwick. "Eu gostaria de


ver você tentar, bichano." Ele encontrou o apelido tinha uma maneira
de chatear Chadwick como nada mais fez.

Chadwick rosnou para ele. "Chame-me isso de novo, e eu vou


esmagar sua bunda e entregá-lo à sua colônia envolto em fita bonita
para que eles possam te calar de uma vez por todas."

Uma mão de repente estava no pescoço de Chadwick, e o


homem ficou levantado várias polegadas fora da terra. Houve uma
promessa de morte nos olhos de Edrick quando ele rosnou para o
amigo. "Fale com meu companheiro assim novamente, e ser
chamado um bichano será o menor dos seus problemas."

Atordoado que seu companheiro não estava apenas acordado,


mas capaz de levantar Chadwick do chão, Nole levou um momento
para sair do seu torpor e parar seu companheiro.

"Edrick. Pare". Nole estendeu a mão e tocou o braço do seu


companheiro. "Chadwick e eu estávamos apenas soprando fora o
vapor porque temos sido tão preocupados com você."

70
Quando Edrick não pareceu estar mais perto de lançar seu
aperto sempre maior em um quase desmaiado Chadwick, Nole
tentou implorar.

"Por favor, eu preciso de você para colocá-lo para baixo para


que eu possa ter certeza que você está realmente bem."

Era algo que Nole vinha fazendo a cada cinco minutos durante
os últimos quatro dias. Ele não podia evitar. A necessidade de ter
certeza que seu companheiro estava vivo e curado era uma
compulsão que só não iria embora, mesmo agora que ele estava
acordado.

Felizmente, isso fez o truque.

Edrick abriu a mão, e Chadwick caiu em uma pilha no chão,


tossindo pela falta de ar. Mas Nole só tinha olhos para Edrick. Na
próxima pulsação, ele foi puxado para dentro do abraço de Edrick e
seus lábios tomados em um beijo que tinha os dedos dos pés se
curvando e seu pau duro.

Que ele tivesse sido tão facilmente apanhado e embalado


contra o corpo duro de Edrick nem sequer o irritou. Pela primeira
vez em sua vida, Nole teve que admitir que ele gostava de ser menor,
apenas para poder estar nos braços do seu companheiro.

"Não. Mesmo. Ninguém se importa", Chadwick resmungou. "Eu


simplesmente não consigo respirar. O que isso importa?"

Ambos Nole e Edrick rosnaram em suas gargantas por ter sido


interrompidos, mas nenhum deles quebrou o beijo. Ele não sabia
sobre Edrick, mas Nole estava com maldita certeza que nem mesmo

71
a casa caindo ao redor dos seus ouvidos o teria impedido de tentar
chegar mais perto de seu companheiro.

Não foi até que a porta bateu fechada, indicando que Chadwick
os tinha felizmente deixado em paz, que Edrick quebrou o
beijo. "Dispa-se", ordenou, assim que ele arrancou a cueca que Nole
tinha colocado nele pelo amor da modéstia.

Os amigos de Edrick riram da necessidade de Nole esconder


seu companheiro dos seus olhares, mas ele não se importou. Eles
podiam ter crescido juntos e visto nus uns aos outros milhares de
vezes, mas isso não significava que Nole queria seu companheiro em
exposição para ninguém, só para si mesmo.

E que delicioso corpo era, também. Nole não podia deixar de


olhar quando Edrick tirou a cueca para revelar o seu duro, grosso
pau. Nole lambeu os lábios enquanto pensava sobre ter isso em sua
boca.

"Não diga que eu não avisei, meu pequeno rato," Edrick


murmurou.

Nole não tinha ideia do que seu companheiro queria dizer até
que ouviu o rasgar do tecido quando o seu companheiro estendeu a
mão para ele. Em seguida, o ar frio acariciou sua pele aquecida. Nole
piscou para seu companheiro.

Será que Edrick realmente acabou de rasgar as roupas de Nole?

Olhando para baixo em seu corpo agora nu, Nole piscou


novamente. Porra, isso estava quente.

Ele estava muito ligado para não ceder à tentação. Nole caiu de
joelhos e levou o tão impressionante pedaço de carne, que se

72
projetava do corpo de Edrick, na sua mão. Inclinando-se, ele
respirou profundamente, amando o cheiro almiscarado do seu
companheiro.

Masturbando o pênis de seda em sua mão um, Nole sorriu para


Edrick quando ouviu seu companheiro gemer. Com o olhar fixo com
o de Edrick, ele se aproximou e lambeu a veia grossa do homem a
partir da base de seu pênis para a ponta.

Desejo queimou como um inferno nos olhos azuis de Edrick


enquanto observava Nole levar a cabeça esponjosa em sua
boca. "Porra, Nole. Sua boca foi feita para chupar o meu pau."

Considerando o quanto Nole gostava de fazer isso, ele não


discutiu. Na verdade, ele esperava ter muitas oportunidades para
provar o pau do homem no futuro. Mas, primeiro, ele realmente
queria sentir esse monstro na sua bunda, alegando-o.

Quem teria pensado que Nole estaria disposto a pedir para ter
seu companheiro para reclamá-lo? Ele tinha jurado a si mesmo para
não se envolver com ninguém nunca mais riscando ser ferido mais
uma vez. No entanto, lá estava ele, se preparando para ser ligado a
este homem para o resto da sua vida. Que poderia ser um longo
tempo, uma vez que os shifters tendiam a viver entre quinhentos a
oitocentos anos.

Eles podiam não se conhecer bem, mas Nole ainda não podia
imaginar viver mais um dia sem pertencer a Edrick. Ele apenas rezou
que seu companheiro não esmagasse seu coração no chão.

Mãos agarraram seu cabelo, quando Edrick puxou Nole para


liberar o pau dele. "Tanto quanto eu amo a sua boca no meu pau,

73
meu pequeno rato, eu realmente quero foder essa sua bunda
apertada e afirmar você como o meu."

Nole congelou por um momento. Ele podia querer exatamente


a mesma coisa, mas o medo que Edrick não iria dar-lhe uma escolha
o teve se questionando por um segundo. "Isto é, se você está pronto
para pertencermos um ao outro."

Só assim, o coração de Nole derreteu. Demorou apenas


algumas palavras, mas Edrick tinha conseguido resolver quaisquer
reservas Nole ainda tinha, lhe garantindo que eles eram
companheiros, parceiros, em vez de Edrick ser o alpha e Nole sua
cadela.

Levantando-se, Nole ficou na ponta dos pés e beijou os lábios


de Edrick. "Eu adoraria nada mais do que nos reivindicar um ao
outro."

Lábios firmes, mais uma vez desceram sobre Nole quando


Edrick puxou seus corpos juntos. Suas línguas entrelaçadas e as
mãos tocando cada centímetro de pele que poderiam
alcançar. Estava tão quente, Nole tinha certeza que poderia estar
queimado vivo. Mas o que caminho seria, para percorrer.

74
Capítulo 10
A necessidade bateu em Edrick como um soco no
estômago. Entre ter que prestar atenção a seu companheiro andando
longe dele, e ele quase morrer, o gato de Edrick estava roçando a
superfície, arranhando para reivindicar Nole. Ao mesmo tempo,
Edrick se recusava a apressar isso.

Ele pode ter acabado de conhecer Nole, mas parecia que ele
esteve esperando por este momento toda a sua vida e a última coisa
que ele estava disposto a fazer era se apressar. Edrick queria
saborear cada toque, cada gosto, e cada som. Nunca haveria outra
primeira vez com o seu companheiro e Edrick não estava prestes a
arruiná-lo com uma rápida, dura foda, não importava quanto seu
corpo exigiu fazer exatamente isso.

Com um esforço hercúleo, Edrick virou o beijo de uma


trituração de dentes para um lento, sensual deslizar de línguas. Ele
relaxou o aperto duro que ele tinha na cintura de Nole, deixando a
seda suave da pele de Nole atormentar seus dedos. Uma mão se
arrastou a partir da cintura de Nole abaixando-se para pegar essa
bunda empinada em que Edrick estava morrendo para afundar.
Traçou sua outra mão sobre cada botão da sua coluna vertebral.

Sedoso.

Gemendo no beijo, Edrick se perdeu nos braços do seu


companheiro. Sexo sempre tinha sido bom, mas isso, apenas por
tocar e beijar, era muito melhor do que qualquer coisa que ele já
tinha experimentado. Sua fatia do céu aqui na terra.

75
Nole o encontrou no meio do caminho. Nenhum deles
controlava o beijo. Era um dar e receber. As línguas se entrelaçaram
antes de mergulhar na boca um do outro por um gosto.

Um rosnado rasgou através dele quando Nole sugou sua


língua. Ele já estava no limite depois de ter aquela boca doce em seu
pau. Isso era ainda mais verdadeiro quando sentiu as mãos do seu
companheiro em seu corpo.

Cada golpe daqueles dedos ao longo da sua pele partiu faíscas


que correram ao longo das terminações nervosas de Edrick e se
estabeleceram para a direita em suas bolas, circulando em suas
bolas. Ele não ia durar muito tempo, e não com o seu companheiro
sexy capaz de transformá-lo de dentro para fora com nada mais do
que um toque.

Gemidos individuais de felicidade explodiram deles como seus


paus se alinharam. Como se tivessem uma mente própria, os quadris
de ambos começaram a empurrar um para o outro. O toque da carne
de aço de Nole ao longo da sua, fez os olhos de Edrick fechar.

Demasiado prazer se estabeleceu em seu interior, colocando os


seus sentidos em sobrecarga. Ao mesmo tempo, ele queria
mais. Quebrando o beijo, Edrick estremeceu um pouco ao ouvir o
gemido de desespero de Nole com a perda dos seus lábios. Mas
Edrick estava muito determinado a provar cada centímetro do seu
companheiro, para não mencionar que ele esperava explodir a mente
do seu companheiro.

O felino de Edrick estava arranhando para esfregar seu cheiro


todo em Nole. Algo com que Edrick não tinha problemas se
significava sentir a pele suave e sedosa de Nole deslizando sobre a

76
dele. Pela maneira em que Nole estava se contorcendo em seus
braços, Edrick não tinha que perguntar se o seu companheiro sentiu
aquela mesma necessidade.

Edrick deslizou os dedos ao longo do buraco Nole, cutucando


naquele buraco apertado no qual ele não podia esperar para
afundar.

Lubrificante.

Não importava o quanto ele poderia querer afundar no corpo


apertado de Nole, ele não estava a ponto de ferir seu companheiro
para foder com ele em seco. Edrick fez o seu melhor para olhar ao
redor da sala vasta para qualquer sinal de algo que ele poderia usar
como lubrificante sem parar o seu caminho de lamber e morder no
pescoço delgado de Nole. A pele de seu companheiro era apenas
doce demais para desistir, mesmo se isso significava encontrar o
lubrificante.

"Existe lubrificante ao redor?"

Ele murmurou contra a pele morna que o atraía para um gosto


como o mais doce do mel.

De repente Nole foi embora, correndo através do quarto para


um pequeno saco preto contra a parede. O raspar de um zíper sendo
aberto e uma pequena maldição, as coisas voando para fora do saco
enquanto Nole freneticamente procurava o que Edrick assumiu era
lubrificante, o teve sorrindo ao ver que seu companheiro estava tão
carente quanto ele.

Nole deu um grito de triunfo quando ele levantou um tubo. O


coração de Edrick pulou uma batida quando ele olhou para a pura

77
alegria na expressão do seu companheiro. Nunca em sua vida tinha
visto algo tão bonito.

"O quê?" Perguntou Nole. A dúvida penetrou naqueles belos


olhos castanho chocolate.

Edrick nem sequer hesitou em responder. "Você é de tirar o


fôlego."

Houve um momento de incerteza, mas, em seguida, os lábios


de Nole se inclinaram para cima em um sorriso tímido. Era tão
agradável, que Edrick descobriu que era impossível não andar com
passos largos até onde seu companheiro estava parado, perto do seu
saco, e beijar aqueles lábios exuberantes.

A doçura que ele provou o fez empurrar mais para dentro, para
mais, lambendo ao longo dos recessos da boca do seu
companheiro. Ele não tinha certeza de como ele já estava indo para
resistir de beijar seu companheiro em cada momento de cada dia,
quando ele tinha um gosto tão porra incrível.

Mesmo quando ele mergulhou mais profundamente, um tubo


foi empurrado em sua mão. Não necessitando de mais incentivo do
que isso, Edrick rapidamente abriu a tampa e derramou a substância
escorregadia em seus dedos. Circulando o buraco do seu
companheiro para soltar os músculos, Edrick em seguida, empurrou
a ponta de um dedo dentro e quase perdeu a cabeça.

O calor apertado cercou seu dedo. Seu pênis pulsava com o


pensamento de ser embrulhado no aperto do seu
companheiro. Quebrando o beijo, Edrick baixou a cabeça no ombro
de Nole enquanto tentava ganhar um mínimo de controle sobre o
orgasmo ameaçando rasgá-lo.

78
Sua outra mão apertou no quadril de Nole, provavelmente
deixando hematomas, mas Edrick simplesmente não podia evitá-
lo. O prazer mais intenso lambeu ao longo das suas terminações
nervosas até que ele tinha certeza que ele ia ficar em
chamas. Respirações duras deixaram seus pulmões enquanto lutava
contra a necessidade de dobrar Nole mais e foder seu companheiro
sem sentido.

Demorou muito mais tempo do que ele teria pensado


considerando que ele tinha apenas a ponta do seu dedo dentro do
canal confortável do seu companheiro para ganhar o controle que
ele precisava. Quando Edrick estava bastante certo que ele não
estava indo para embaraçar-se por gozar antes mesmo de se
enterrar em seu companheiro, Edrick começou mais uma vez a
preparar seu companheiro.

"Porra, meu pequeno rato," Edrick murmurou contra o ombro


de Nole. "Você vai se sentir tão bem enrolado no meu pau." Quando
ele deslizou no interior um segundo dedo, Edrick lambeu um
caminho ao longo do local onde ele planejava reivindicar seu
companheiro sexy. "Eu vou fazer você gritar meu nome."

Nole gemeu e inclinou a cabeça para dar a Edrick melhor


acesso. "Se você não coloca esse gordo pau dentro de mim em breve,
eu vou estar gritando o seu nome por uma razão totalmente
diferente", Nole ameaçou. "Agora se apresse e empurre aquele
monstro dentro de mim."

Rindo das demandas do seu companheiro, Edrick beliscou o


ombro de Nole. "Paciência, meu pequeno rato. Eu não estou prestes a
apressar isso mais do que eu preciso."

79
Embora, Edrick empurrou um terceiro dedo ao lado dos outros
dois para apressar um pouco as coisas. Ele podia querer desfrutar
do seu acasalamento, mas isso não queria dizer que ele tinha uma
quantidade infinita de paciência.

Dentes morderam na pele onde seu ombro e pescoço se


encontravam. A cabeça de Edrick caiu para trás sobre seus ombros, e
um gemido prolongado de puro êxtase deixou seus lábios na leve
picada. "Droga", ele gemeu, seu pau latejando em necessidade.

A boca do seu companheiro sobre ele era muito e não o


suficiente de uma só vez. Edrick precisava estar enterrado dentro do
seu companheiro, como... agora.

Puxando os dedos livres, ele deslizou seus braços ao redor da


cintura de Nole e o levantou do chão. Instantaneamente, Nole
envolveu suas fortes pernas ao redor da cintura de Edrick e começou
a beijar o seu pescoço para o peito.

Edrick quase deixou cair seu companheiro quando sentiu Nole


morder seu mamilo. "Foda-se", ele gritou quando ele deixou ambos
no colchão que estava no chão. "Eu espero que você esteja pronto,
porque eu não tenho certeza de poder esperar um momento mais."
Foi o único aviso que ele deu a Nole antes de levantar os quadris do
seu companheiro, alinhando seu pênis, e mergulhando profundo.

Gemidos gêmeos soaram ao redor deles.

Céu.

Era a única palavra para descrever o quão bom era estar,


finalmente, com seu companheiro.

80
Capítulo 11
A queimadura intensa de ser esticado para a capacidade
máxima era a única coisa que impediu ao orgasmo de Nole de
consumi-lo. Ele estava bem ali, na borda, pronto para ir correndo
sobre o penhasco. Ele só precisava de mais um empurrão.

Ao mesmo tempo, ele não estava pronto para perder essa


conexão intensa que sentia com Edrick. Era impressionante, e ainda,
a imensa necessidade de mais prevaleceu. Nole não negaria de ter
medo que as poderosas emoções que sentia por este homem que lhe
dariam prazer incalculável. Era assustador saber que ele podia sentir
tanto, tão rapidamente, para uma pessoa.

Tanto quanto a sua reação inicial tinha sido para correr, para
manter-se a salvo da possibilidade de ser ferido, Nole não estava
disposto a ir a qualquer lugar. Ele tinha fugido uma vez e aprendeu
a lição. Mesmo se os homens que seu ex alpha tinha enviado depois
dele não o tivessem perseguido, Nole teria se encontrado voltando
para Edrick. A atração era muito forte para negar.

Bem aqui. Nos braços de Edrick. Este era o lugar onde ele
pertencia.

Com cada empurrar e puxar do pau grosso de Edrick dentro do


seu canal, Nole subia ainda mais alto. Ele sempre gostou de
sexo. Inferno. Com quem ele estava brincando? Nole amava
sexo. Mas isso? Isso era muito mais do que apenas sexo. Era como se
ele pudesse ver o elo que os conectava se reforçar, formando um
vínculo inquebrável.

81
"Você sente isso?" Edrick disse continuando a dominar o corpo
de Nole como se fosse feito apenas para ele. De certa forma, ele
supôs que era assim. Eles tinham sido criados um para o outro,
depois de tudo.

As palavras estavam além dele, no momento, de modo que


Nole assentiu. Seu corpo se retorcia sob o de Edrick, silenciosamente
implorando para encontrar o orgasmo que ele tinha se esforçado
para atingir, mas não conseguia alcançar.

Precisando completar a ligação que tinha sido formando entre


eles, Nole se inclinou e afundou seus caninos no ombro de Edrick.

"Foda-se," Edrick gritou quando Nole bebeu profundamente.

Uma banda encaixou no lugar, nunca poderia ser quebrada,


mas ainda havia outra corda que não tinha sido selada no
lugar. Lambendo o local onde ele tinha mordido para deixá-lo curar,
Nole recostou-se no travesseiro e olhou bem nos olhos azuis escuros
que quase tinham ido pretos desde que suas pupilas tornaram
maiores pela paixão.

"Você é meu", Edrick rosnou antes de golpear.

Um instante de dor teve Nole abrindo a boca para gritar, mas


antes que o som poderia acabar, este se transformou em prazer
enquanto a felicidade inundava seu corpo e seu acasalamento caia
no lugar. Tudo aconteceu rapidamente, deixando a mente de Nole
cambaleando.

O formigamento na base da sua espinha atirou em suas bolas,


levando- puxando-as para cima, se apertando e descarregando seu
conteúdo em jatos de sêmen perolado da ponta de seu pênis. Cada

82
puxão da boca de Edrick em seu ombro fez com que mais esperma
brotasse dele, mesmo quando ele sentiu que o sêmen de Edrick o
enchia. Nole estava drenado e flutuava.

Mas foi a onda de ternura e possessividade feroz que ele sentiu


do seu companheiro que o mandou subir para a estratosfera. Nole
nunca tinha conhecido ninguém cuidando dele tão
profundamente. Isso o deixou sem fôlego em sua intensidade. Se ele
nunca duvidou de seu companheiro antes, Nole não poderia
mais. Não quando ele podia sentir os sentimentos de seu
companheiro para ele como um cobertor quente ao redor dele,
protegendo-o, amando-o.

Exausto, Nole deixou Edrick manobrá-los, de modo que ele


estava meio deitado em cima do seu companheiro enquanto os
braços de Edrick o rodeavam de forma protetora. Quando Edrick
começou a ronronar, a paz desceu sobre Nole. Nem mesmo quando
um menino Nole tinha experimentado este tipo de pura felicidade.

"Eu não quero que você o leve a mal, porque eu estou


imensamente feliz que você ficou e cuidou de mim, mas, por que
você o fez?" Edrick perguntou segurando Nole mais apertado como
se tivesse medo que Nole pudesse se ofender e sair.

Mas ele não podia culpar seu companheiro pela pergunta. Nole
tinha se afastado uma vez já. Não seria arriscado pensar que ele
faria isso novamente uma vez que a oportunidade se
apresentasse. Edrick não tinha nenhuma maneira de saber que Nole
já tinha começado a questionar suas razões para sair.

"Honestamente?" Era algo que Nole estava tendo um momento


difícil para enfrentar. Ele poderia ter chegado à conclusão que ele

83
não deveria ter deixado Edrick, mas isso estava muito longe de lidar
com a realidade de por que ele queria voltar.

Dedos tocaram através do seu cabelo antes de traçar um


caminho suave para baixo em sua coluna vertebral. "Eu preferiria
honestidade entre nós." A tranquilidade na voz de Edrick não
escondeu a vontade de ferro das suas palavras. "Nós somos
companheiros. Eu sei que você sentiu a conexão. Então, sim, eu
espero que sejamos honestos um com o outro."

Nole sentiu suas defesas subir ao ouvir a ordem no tom de


Edrick. Ele não queria lutar, não depois de apenas acasalar com
Edrick, mas se o seu companheiro pensava que Nole só iria obedecer
cegamente, ele poderia muito bem descobrir agora que não ia
acontecer.

"Espere,” disse Edrick quando Nole começou a sentar-se para


dizer ao seu companheiro o que ele poderia fazer com seus
decretos. "Eu não quis isso para sair desse jeito."

Seu companheiro deu um suspiro pesado, e Nole se sentou de


qualquer maneira para poder olhar para aqueles olhos azuis
profundos. "Entendi. Você é um alpha e, como tal, você tende a dar
ordens e esperar que eles sejam seguidos. Mas eu sou seu
companheiro, não seu escravo."

Uma das grandes mãos de Edrick veio até envolver seu rosto e
Nole nem sequer hesitou a inclinar-se para o toque. "Eu sei disso."
Então seu companheiro riu. "Além disso, eu não acho que você
nunca tem sido bom em obedecer às ordens."

"Você pode dizer isso de novo", Nole murmurou com um


sorriso. Era bom saber que mesmo se eles não se conheciam desde

84
muito tempo, Edrick tinha sido prestando atenção suficiente para
perceber que Nole tinha sua própria mente.

De repente, ele foi puxado para baixo até que seus lábios
estavam contra os de seu companheiro em um beijo duro. A
próxima coisa que ele sabia, ele estava virado de costas com Edrick
inclinando-se sobre ele.

"Eu não posso prometer que não vou emitir ordens quando
ambos sabemos que vai acontecer."

Quando Nole abriu a boca para dizer ao seu companheiro o


que ele pensava disso, Edrick silenciou-o, colocando um dedo sobre
os lábios. "Mas...", Edrick disse: "Eu lhe prometo que você tem
permissão para ignorar minhas ordens, a menos que se trata da sua
segurança ou daquela do nosso orgulho."

Nole não tinha tanta certeza sobre isso. Podia parecer razoável,
mas ele poderia cuidar de si mesmo muito bem. Ainda assim, ele
sabia o que significava para Edrick e Nole não tinha nenhuma razão
para não concordar. "Contanto que você entenda que eu posso
cuidar de mim mesmo, então não vai pensar que eu vou me
esconder enquanto você me protege."

Houve uma luta naqueles olhos azuis escuros, mas,


eventualmente, Edrick assentiu. "Concordo."

Feliz por ter conseguido essa concessão, Nole não reclamou


quando Edrick mais uma vez manobrou ele, então ele se encontrou
deitado sobre o peito do seu companheiro. Ele deveria saber que
Edrick não deixaria cair a conversa inicial.

"Você não respondeu minha pergunta, a propósito."

85
Nole tentou jogar mudo com a declaração do seu
companheiro. "Que pergunta?"

Um tapa leve sobre sua bunda lhe disse que Edrick não estava
comprando. "Por que você ficou e cuidou de mim em vez de correr?"

Nole não tinha certeza de estar pronto para responder a essa


pergunta, mas se ele planejava fazer uma vida com seu
companheiro, era hora dele ser honesto, não só com Edrick mas
também com si mesmo.

"Eu sou um de dezesseis filhos. Doze deles são meio-irmãos e


irmãs, desde que meu pai não acreditava na fidelidade." Algo que
Nole odiava, especialmente porque ele teve que ouvir sua mãe
chorando até dormir, muitas noites.

Braços fortes o abraçaram mais apertado. "Mas companheiros


não podem enganar."

O que seu companheiro disse era supostamente verdadeiro,


mas, novamente, Nole não saberia, pois ele não conhecia nenhuns
verdadeiros companheiros. "Eles não são companheiros. Alpha
Abdiel providenciou todos os casamentos em nossa colônia. Você
vai se casar com quem ele lhe disse, ou você vai ser banido,
assumindo que ele vai deixá-lo viver."

"Mas como isso é possível? O conselho shifter não teria


permitido isso."

Nole bufou com a suposição incorreta do seu


companheiro. "Eles não dão a mínima para uma colônia de ratos
shifters. Na medida em que estavam em causa, essa não existe."

86
"E você? Como você escapou de ter de se casar?" Perguntou
Edrick.

"Eu não fiz." Seu companheiro endureceu debaixo de


Nole. "Não, eu não sou casado", ele assegurou ao seu
companheiro. "Quando o alpha tentou forçar minha mão, eu lhe
lembrei que eu era atualmente o único médico na colônia, para não
mencionar seu médico, e que se ele me obrigava a me casar, eu teria
certeza de envenená-lo assim que seu pau iria murchar para o
tamanho de um amendoim."

O corpo de Edrick sacudiu com o riso enquanto segurava


Nole. "Eu não suponho que foi muito bem."

Nole teve de admitir que amou o olhar no rosto do homem


quando descreveu como iria tirar sua masculinidade. "Não. Isso
chateou Abdiel o suficiente para eu me tornar um alvo. No prazo de
doze meses, ele me pegou com outro homem e me espancaram até a
morte. Felizmente, os guardas idiotas não sabiam sobre verificar se
há um pulso."

Por mais difícil que tinha sido estar na corrida para os últimos
anos, Nole nunca tinha sido tão feliz como quando estava livre da
sua colônia. "De qualquer forma, vendo quão miseráveis meus pais
eram uns com os outros, para não mencionar a maioria dos outros
casais na colônia, eu tinha decidido que eu nunca me permitiria
estar nessa situação."

"Mas nós somos companheiros." O tom de fato do seu


companheiro disse-lhe muito. Claramente, Edrick não tinha crescido
com o tipo de animosidade com que Nole tinha.

87
Ele apoiou o queixo no peito de Edrick para poder olhar para
seu companheiro. "É exatamente isso. Os únicos companheiros que
eu já vi foram os que conheci fugindo da minha colônia, e eles
estavam se escondendo ou fugindo por ser gay. Até que eu conheci
você, eu não tinha ideia de quão forte essa conexão era. Inferno, não
foi até que eu estava andando para longe de você que eu comecei a
perceber quão solitário eu tinha sido toda a minha vida".

Ele estava dizendo isso tudo errado. "O que eu quero dizer é ..."
O que ele quis dizer? Nole não tinha certeza. Ele só sabia que ele
sentia algo por Edrick que ele não poderia ignorar. Inferno, ele nem
sequer queria. Não mais. "Aqui é onde eu pertenço. Contigo. Eu sinto
isso dentro de mim. Eu não sei onde isso vai nos levar, ou se é amor,
mas pela primeira vez na minha vida, eu quero estar com alguém,
com você. Se você me quer."

Nole se encontrou prendendo a respiração enquanto esperava


pela resposta de Edrick. Felizmente, seu companheiro não o fez
esperar muito tempo.

"Claro, eu vou tê-lo." Uma vez mais Edrick rolou eles, então
Nole estava em suas costas. "Pertencemos um ao outro."

Lábios impossivelmente macios tomaram os seus em um beijo


ardente que enrolou os dedos de Nole. Ele podia não saber o que ser
um companheiro queria dizer, mas já Nole gostava das
possibilidades.

88
Capítulo 12
"Como você pode não gostar de queijo? Você é um rato."

Edrick ficou instantaneamente em alerta quando ouviu o tom


na voz de Chadwick enquanto falava com Nole. Ou, pelo menos, ele
assumiu que era Nole desde que ele era o único shifter rato lá.

"Shifter. Rato shifter." A voz de Nole se levantou em frustração,


mas ele não estava gritando, o que Edrick, considerando a discussão
acalorada que tinha parado no dia anterior, considerou um bom
sinal.

Pensamentos sobre o que aconteceu logo após que ele


interrompeu Nole e Chadwick fez o seu pau se encher em
antecipação de uma repetição. Ele tinha levado seu companheiro
mais e mais na noite anterior. Era como se ele não poderia obter o
suficiente de Nole. O fato que seu pau poderia até ficar duro neste
ponto era impressionante.

Determinado a encontrar seu companheiro e arrastá-lo de volta


para a cama, Edrick colocou uma calça de moletom e abriu a porta
para o quarto. No momento em que ele entrou no corredor foi
quando ele sentiu o cheiro. Outro shifter rato. Preocupado que
houvesse alguém lá que ele não conhecia, ele desceu correndo as
escadas.

Era algo fácil seguir as vozes de seu companheiro e de


Chadwick para a cozinha para encontrar seus amigos e seu
companheiro comendo o café da manhã. Assim como ontem, Nole e
Chadwick se enfrentavam, ambos com expressões de beligerância e

89
diversão enquanto eles continuaram o seu argumento. Pelo menos
eles estavam sentados.

"Qual é a diferença?" Perguntou Chadwick com um encolher de


ombros casual. Mas foi o brilho nos olhos do amigo que previa
problemas. "Um rato é um rato, e todos sabem que os ratos amam o
queijo. Por que você acha que iscamos nossas ratoeiras com ele?"

Pronto para intervir e parar a luta estúpida, Edrick se conteve


quando viu o rosto de seu companheiro. Suas bochechas estavam
coradas e isso, junto com a luz em seus olhos, lhe disse que seu
companheiro estava tendo um grande momento. Ciúme rasgou
Edrick que não era ele em ter colocado aquela expressão no rosto de
Nole. Ao mesmo tempo, ele estava fascinado e se recusou a fazer
nada que poderia destruir a felicidade do seu companheiro.

"É como um insulto assumir que os shifters rato comem queijo


como seria se eu jogasse para você um rolo de barbante para
brincar," Nole desafiou Chadwick.

Seu amigo levantou os lábios em um sorriso


largo. "Corda? Parece divertido."

Hudson e Kellach engasgaram com sua comida, pulverizando


em todos os lugares. Lucca, por outro lado apenas continuou
comendo como se Nole e Chadwick não disseram uma
palavra. Como seu amigo poderia permanecer alheio ao caos ao
redor deles, Edrick não tinha certeza, mas ele teve que admitir que
se encontrava divertido com as travessuras do par.

Era a primeira vez em quase quarenta anos que tinha visto


Chadwick ser outra coisa senão o homem distante em que ele se
transformou quando ele teve que esconder quem ele era. Talvez

90
permitindo que os dois continuassem sua briga não era tão
ruim. Pelo menos iria manter todos entretidos.

"Idiota", Nole disparou de volta. "Mas vamos testar isso,


vamos?"

Nole levantou-se da mesa e foi até a geladeira que Edrick e


Chadwick tinham comprado no dia em que ele descobriu seu
companheiro. Depois de comprar o caminhão do fazendeiro, que
felizmente também estava vendendo um reboque com ele, eles
tinham ido à cidade mais próxima e compraram um gerador. Seria
apenas uma correção temporária até que eles pudessem chegar a
uma solução energética mais permanente, e um frigorífico,
juntamente com todos os outros materiais de construção que
necessitavam.

Edrick tinha acabado de sair da loja de ferragens quando Lucca


o havia chamado para avisá-lo que Nole estava sendo monitorado
por um grupo de shifters rato. Como Lucca tinha perdido os lobos,
Edrick não sabia, mas era algo que ele planejava perguntar ao seu
amigo na primeira chance que tivesse.

Edrick sentiu seus olhos se arregalar enquanto observava Nole


despejar um pouco de leite em uma tigela pequena e colocou na
frente de Chadwick, que olhou para ele como se fosse um conceito
estranho.

"Aqui está, gatinho," Nole disse presunçosamente. "Pegue."

Chadwick olhou da tigela para Noel, depois de volta para a


tigela antes que ele finalmente entendeu o que Nole estava
fazendo. Esse sorriso de comedor de merda estava de volta no rosto
de Chadwick quando ele se inclinou e fez exatamente o que Nole

91
sugeriu por lamber o leite com a língua. Para adicionar à sua
provocação, ele até mudou sua língua naquela do seu gato, para
obter mais leite em sua boca.

Cada um dos amigos de Chadwick olhou para ele como se ele


tivesse perdido a cabeça. Quando ele terminou a tigela de leite, ele
olhou para cima para vê-los olhando para ele com seus queixos
caídos, e ele disse: "O quê?"

Foi Hudson, que finalmente respondeu. "Eu não me lembro da


última vez que vi você brincar assim, muito menos sorrir e dizer
isso."

Chadwick ergueu o dedo médio. "Isso é porque todos vocês não


têm o senso de humor."

"Você é um idiota", Lucca murmurou enquanto ele empurrou


sua cadeira para trás da mesa, as pernas raspando contra o chão de
concreto que tinha sido despojado do azulejo quebrado que tinha
estado lá antes, quando eles chegaram pela primeira
vez. Aparentemente, seus amigos tinham sido ocupados enquanto
ele se recuperava dos seus ferimentos.

Lavando seu prato e um garfo na pia, Lucca disse: "Eu estou


indo verificar Jari."

Não sabendo quem era Jari, Edrick parou Lucca. "Quem é Jari?"

Lucca estava corando? Edrick tinha certeza que as bochechas


de seu amigo estavam vermelhas da pergunta. Quando Lucca olhou
para Nole como silenciosamente implorando por ajuda, Edrick
entrou em alerta.

92
Desde quando o homem, que era um guerreiro como Edrick,
corava como uma menina da escola e pedia ajuda para se
explicar? Nada sobre isso se somava e Edrick tinha a sensação que
ele não ia gostar do que Lucca ou Nole tinham a dizer.

"Jari foi um daqueles que me emboscaram para ser morto pelo


grupo de lobos." Aparentemente, Nole não estava indo para ajudar a
Lucca como seu amigo pensou que ele faria. "Ele costumava ser um
amigo, até que eu fui descoberto com o irmão de Alpha Abdiel,
Harper."

Raiva quente fluiu através de Edrick com a imagem de Nole nos


braços de outra pessoa. Um grunhido retumbou através dele quando
ele levantou Nole direito fora da sua cadeira e colou a sua boca
sobre a de Nole. Ele entendeu que ambos tinham passados, mas, ao
mesmo tempo, Edrick não queria ouvir sobre o seu companheiro
com mais ninguém. Agora que ele ouviu, Edrick queria nada mais do
que para marcar seu companheiro como seu mais uma vez.

"Por favor, me diga que não vai ter que assistir ao show ao
vivo," Kellach lamentou. "Quero dizer, eu amo a pornografia, tanto
quanto qualquer cara, mas Edrick é como um irmão e isso é apenas
..." Com o canto do olho, Edrick viu Kellach dar um tremor de corpo
inteiro. ".... Bruto."

"Sim", Hudson entrou na conversa. "O barulho foi suficiente na


noite passada. Eu tive que ir dormir na cidade para que eu não
tivesse de ouvir vocês dois transando como coelhos."

Ambos Nole e Edrick riram, quebrando o beijo. Os olhos


castanhos brilhavam como a estrela mais brilhante quando Nole

93
olhou para Kellach e Hudson. "Espere até você encontrar seus
companheiros, e vamos ver quão silenciosos vocês são."

Chadwick pigarreou. "Eu ouvi Kellach. Eu não sei o que é mais


alto, os gemidos ou a boca suja dele."

Kellach corou furiosamente mesmo quando ele olhou para


Chadwick. "Se bem me lembro, seus grunhidos e gemidos não eram
exatamente tranquilos."

Um dos ombros de Chadwick se levantou em um meio encolher


de ombros. "Se eu quero o meu parceiro de cama para continuar
fazendo o que eu gosto, então é necessário um pouco de incentivo
vocal." Um sorriso travesso apareceu em seus lábios. "Bem, isso e
meu pau fodendo com ele sem sentido."

Nole riu quando Kellach tapou os ouvidos e começou a cantar,


"La, la, la la", saindo da cozinha.

A próxima coisa que ouvi foi o bater porta da frente.

O sorriso de Chadwick cresceu ainda mais amplo. "Foi algo que


eu disse?"

Edrick fez o seu melhor para não rir, mas ele simplesmente
não poderia se conter, especialmente quando seu companheiro tinha
a testa pressionada no peito de Edrick enquanto ele ria tolamente.

A única pessoa no quarto que não ria era Lucca. Lembrando-se


do que começou toda esta linha de conversa, Edrick ficou sóbrio
muito rapidamente quando ele enfrentou o homem que viria a ser o
seu segundo. "Se Jari emboscou Nole para ser morto por aqueles
lobos, por que ele está vivo, e aqui em nossa casa?" Ele não se
preocupou em manter a irritação fora de sua voz com seu melhor

94
amigo, ou a raiva por ter o inimigo vivendo tão perto de seu
companheiro quando Edrick estava inconsciente.

Os olhos cinzentos de Lucca escureceram de raiva. "Porque ele


é meu companheiro," seu amigo cuspiu.

Nole engasgou em seus braços.

Edrick estava feliz que ele tinha o seu companheiro. Não


apenas por causa de Nole, mas para ele mesmo. Se este Jari
realmente era o companheiro de Lucca, e ele não achava que seu
melhor amigo iria mentir sobre algo assim, então suas vidas tinham
acabado de se tornar muito mais complicadas. Ele precisaria atender
a essa pessoa, Jari. Melhor amigo ou não, Edrick não estava prestes a
deixar um inimigo, que já tinha tentado obter Nole morto, em
qualquer lugar perto do seu companheiro.

95
Capítulo 13
Consumido pela preocupação sobre Edrick enquanto ele lutava
para mantê-lo vivo, descobrir o que estava acontecendo com Jari não
tinha sido a principal prioridade da Nole. Inferno, isso ainda não
tinha sido em seu radar para nada.

Claro, Nole sabia que o seu velho amigo estava lá, mas tinha
sido fácil não pensar sobre ele ou o que ele estava disposto a fazer,
enquanto Nole cuidava do seu companheiro. Agora que Edrick tinha
curado e eles tinham acasalado, ele supôs que era hora de começar a
tirar a cabeça para fora da sua bunda e lidar com os problemas na
mão.

Enquanto, Alpha Abdiel não estava indo para parar de enviar


alguém para matá-lo. O orgulho de Edrick também estava
procurando por eles. Havia caçadores um pouco perto demais para a
paz de espírito de Nole. Oh, sim, e seu melhor amigo, que não só
virou as costas para Nole quando seu alpha tentou bater Nole à
morte, mas saiu do seu caminho para levar Nole para ser morto por
um bando de lobos, era o companheiro do melhor amigo e segundo
de Edrick.

Quanto fodida a vida precisa para chegar a ser antes que as


coisas melhorassem? Nole bufou. Aparentemente, não havia
resposta.

"O quê?" Edrick perguntou enquanto eles trabalhavam fora


para ajudar Chadwick com a varanda da frente. A casa podia não
estar pronta para cair, mas havia lugares onde simplesmente não era
seguro andar a menos de querer acabar com o pé perfurando um

96
buraco na madeira podre. A varanda frontal era de longe o pior, uma
vez que tinha sido exposta aos elementos por todos esses anos.

Ignorando a pergunta do seu companheiro desde que ele não


estava pronto para falar sobre Jari ou mais incisivamente, sobre ele
ser o companheiro de Lucca e que seria obrigado a viver lá, Nole
perguntou: "Exatamente por quanto tempo esta cidade está
abandonada, de qualquer maneira?"

Esperando que Edrick permitiria a mudança de assunto, Nole


teve que admitir de estar aliviado quando seu companheiro começou
a contar-lhe mais sobre Milagre. "Eu a comprei cinco anos atrás,
quando eu tinha vindo para o oeste para um trabalho de
programação para o governo em Portland."

A serra virou-se para a vida enquanto trabalhavam para cortar


as próximas cinco placas pelas quais Chadwick lhes tinha dado as
medições. Enquanto Edrick cortava, Nole carregava as tábuas para
onde Chadwick as estava martelando. Até o final do dia, eles
deveriam ter uma cobertura novíssima ao redor de varanda.

Quando Edrick terminou e desligou a serra, ele continuou com


sua história, mesmo quando eles levaram mais da madeira para a
próxima seção para ser pregada. " De acordo com o agente
imobiliário, a cidade foi abandonada na década de 1940, quando
várias pessoas morreram, e eles não poderiam encontrar o
assassino. A cidade tinha era muito pequena, menos de uma centena
de pessoas, e lutaram para sobreviver.

"Quando os assassinatos ocorreram, a cidade já estava


entrando em colapso. Todo mundo mudou, até mesmo os
agricultores, embora a maioria das fazendas foram compradas por

97
cidades próximas. Mas a cidade?" Edrick deu de ombros. "Ela
permaneceu abandonada após relatos de ocorrências estranhas
começaram a sair."

Hudson, que estava ajudando Chadwick pregando as placas,


parou e olhou para Edrick com horror. "Você comprou uma maldita
cidade assombrada? Você está louco?"

Nole não acreditava em fantasmas ou algo sendo


assombrado. Mas ele teve que admitir que encontrava fascinante que
Hudson o fez.

Havia diversão nos olhos azuis de Edrick, fazendo-os brilhar


quando ele perguntou: "Quem disse alguma coisa sobre ela ser
assombrada?"

O olhar de horror não diminuiu no rosto de Hudson. Se


qualquer coisa, só ficava cada vez pior. "As pessoas foram
assassinadas", Hudson disse como se isso explicasse tudo. Quando
todos ao seu redor não pareceram sentir-se da mesma forma que
Hudson, ele tentou novamente. "Havia coisas estranhas acontecendo
após os assassinatos. É de conhecimento comum quando alguém é
assassinado; eles muitas vezes ficam em volta em busca de
vingança. Você até mesmo pediu ao corretor de imóveis se houvesse
fantasmas?"

A mandíbula de Edrick caiu comicamente enquanto ele


claramente lutou para não rir sem rodeios. "Isso não veio para cima",
Edrick finalmente conseguiu dizer.

Hudson se levantou e começou a caminhar para fora da


varanda até onde sua moto estava estacionada. Nole, Edrick e

98
Chadwick apenas olharam para o homem quando ele subiu na sua
Harley. Não foi até que a ligou que saíram do seu torpor.

Edrick gritou acima do barulho do motor. "Onde você pensa


que está indo?"

Hudson balançou a cabeça para Edrick como se isso deveria ser


completamente óbvio. "Para conseguir um medidor EMF2, câmera
infravermelha digital, uma vara de radiestesia3, e um contador
Geiger4. Todas as coisas que estupidamente deixei para trás em
casa. Nós vamos precisar delas."

Antes que Edrick pudesse pará-lo, Hudson se afastou.

Todos os três homens ficaram lá, assistindo a cabeça Hudson


desaparecer na estrada.

"Você sabe, eu sempre soube que o homem tinha um parafuso


solto." A voz de Chadwick estava atada com descrença enquanto ele
continuava a olhar para o último ponto onde tinham visto Hudson
antes dele desaparecer na esquina.

"Onde Hudson foi?" Lucca perguntou saindo da casa e para a


parte da varanda que estava acabada.

Edrick moveu lentamente a cabeça para trás e para á frente


enquanto ele também continuou a olhar para Hudson. "Você não
quer saber."

Lucca deu de ombros. "Ok. Se você tiver algum tempo, eu


estava esperando que pudéssemos discutir sobre Jari."

2
Medidor do campo electromagnético.
3
Tradicionalmente, a haste de radiestesia mais comum é um ramo bifurcado (em forma de Y).
4
O contador Geiger é um instrumento utilizado para medir a radiação ionizante.

99
As palavras de Lucca fizeram Nole enrijecer. Ele ainda não
estava preparado para lidar com o que seu ex amigo lhe fizera. Eles
cresceram juntos, brincaram juntos, mesmo choraram juntos
quando a mãe de Jari tinha morrido. Então Jari não só virou as
costas para Nole, mas estava disposto a mata-lo, isso doía. Não.
Fodidamente magoava.

Como se sentisse seu desconforto, Edrick passou um braço ao


redor de Nole e puxou-o contra seu corpo. Isso não deveria ter
ajudado. Nole sempre tinha sido independente, especialmente desde
que foi batido quase à morte e deixado para morrer. No entanto, ele
teve que admitir, estar nos braços de seu companheiro acalmou algo
dentro dele. Respirar o cheiro almiscarado de Edrick em seus
pulmões o deixou se sentindo muito mais relaxado e capaz de lidar
com o que seria jogado em seu caminho.

Talvez ser acoplado realmente era uma coisa boa. Nole desejou
não ter lutado contra isso. Se ele não o tivesse feito, ele não teria
executado em Jari traindo-o. Mais importante, Edrick não teria sido
ferido.

O ar em seus pulmões fugiu ao pensar sobre o quão próximo


ele tinha sido de perder seu companheiro antes mesmo de ter a
chance de conhecê-lo. Com a necessidade de estar ainda mais perto,
Nole se puxou mais apertado para Edrick. O sorriso que Edrick deu-
lhe em seu movimento fez Nole todo morno.

"Eu sei que o que Jari fez foi errado, e ele precisa ser punido,
mas eu estou implorando para não mata-lo." O ligeiro tremor na voz
de Lucca quando ele falou sobre a morte do seu companheiro deu a
Nole uma pontada de culpa.

100
Tendo Edrick tão perto da morte tinha sido uma das coisas
mais difíceis com que ele já teve que lidar. Mesmo tendo que correr
da sua colônia em agonia depois de ser espancado era preferível a
ver seu companheiro lutar para sobreviver. Ele só podia imaginar o
que Lucca estava passando.

"Nós não vamos matá-lo," Nole disse a Lucca.

"Nós não vamos?" Perguntou Edrick. A raiva temperada na voz


do seu companheiro lhe disse que não estava tão certo de que era
verdade.

Mas Nole não estava disposto a deixar um dos melhores


amigos de Edrick sofrer, mesmo se Jari merecia seu
destino. Olhando nos olhos azuis de Edrick, mais escuros pela raiva
pelo que Jari tinha feito, Nole disse: "Não, nós não vamos."

A mão calejada tocou a mão de Nole. "Você tem certeza, meu


pequeno rato?"

A profundidade da emoção na voz de Edrick levou as lágrimas


para picar nos olhos de Nole. "Ele quase me matou. E se ele trazer a
sua colônia à nossa porta? Eu não acho que eu poderia sobreviver se
algo acontecesse com você."

Desde o dia em que ele se arrastou longe da sua colônia, Nole


não havia derramado uma lágrima. Ele se recusou a dar a ninguém a
satisfação de fazê-lo chorar e vê-lo fraco. No entanto, aqui nos
braços de Edrick, ele não se importava de ser visto ou o que eles
pensavam das lágrimas que caiam em suas bochechas.

Edrick era um dos mais amáveis e amorosos homens que ele já


tinha conhecido. Nole seria eternamente grato aos destinos para

101
juntá-los. "Eu tenho certeza", ele sussurrou. "Jari pode merecer
morrer, mas não Lucca, ele não merece perder seu companheiro. Eles
não vão ter um caminho fácil, e eu não estou dizendo que nós
vamos deixar Jari livre." Ele olhou para Lucca, que tinha ficado
tenso. "Por entanto", acrescentou.

Edrick se inclinou e deu um beijo suave em seus lábios. "Você é


o mais atencioso, doce, generoso homem que eu conheço, meu
pequeno rato."

Com palavras como essa, Nole descobriu que nem sequer se


importava de ser chamado de pequeno rato, principalmente. Ele não
estava disposto a admiti-lo, mas estava começando a crescer
nele. "Eu me sinto da mesma maneira sobre você."

Outro beijo carinhoso foi compartilhado antes que eles se


endireitassem e enfrentassem Lucca, que parecia estar em alfinetes e
agulhas quando o corrimão de madeira que estava agarrando rangeu
sob o peso dele segurando-o com demasiada força. "Nós não vamos
matá-lo, mas também não podemos deixá-lo livre até ter a certeza
que ele não vai trazer a colônia de Nole à nossa porta."

Os ombros de Lucca caíram em relevo. "Obrigado. Eu sei que


não foi fácil, considerando o que Jari fez para Nole, mas acho que
ele está arrependido por suas ações. Pelo menos, eu espero que sim."
A preocupação na voz de Lucca deu a Nole uma medida de
conforto. Só porque Jari era o companheiro de Lucca, não significava
que o shifter gato seria enganado por ele.

"E quanto a sua punição?" Perguntou Lucca.

O mundo shifter muitas vezes era duro. Então, novamente,


considerando os danos que poderiam fazer se eles escolhessem,

102
muitas vezes era necessário lembrar-lhes que eles poderiam ser
responsabilizados por suas ações. Às vezes, Nole desejou os seres
humanos para fazer o mesmo para alguns dos seus cidadãos. No
mundo shifter, punições correspondiam ao crime em termos de
gravidade.

O que Jari tinha feito normalmente teria resultado em sua


morte, mas desde que ele era o companheiro de Lucca, eles teriam
que vir com algo mais. "Por enquanto, ele permanece acorrentado e
apenas dado alimentos básicos e água." Edrick sacudiu a
cabeça. "Vou decidir sobre uma punição mais adequada depois que
eu tive a chance de falar com ele, mas..." Edrick suspirou
profundamente quando ele olhou para o amigo com pesar. "Vou ser
honesto. Estou muito zangado agora para ser racional, se eu o
vejo. Você vai ter que me dar alguns dias para lidar com quase
perder Nole antes de conseguir se capaz de estar na mesma sala
com Jair sem matá-lo."

Havia tanta dor nos olhos de Lucca, que Nole estava tentado a
dar um abraço homem um abraço. Apenas o conhecimento que não
seria bem-vindo parou Nole de fazer exatamente isso. Lucca deu um
aceno apertado, então voltou seu olhar para Nole.

"Eu sinto muito," ele sussurrou.

Antes que Nole pudesse responder, Lucca virou-se e voltou


para dentro.

"Pobre bastardo," Chadwick murmurou. "Companheiros são


nada além de problemas e precisam ser evitados a todo custo."

103
Apenas uma semana atrás, Nole teria concordado com
Chadwick completamente. Agora, enquanto ele estava nos braços do
seu companheiro, Nole percebeu que idiota que ele tinha sido.

104
Capítulo 14
Com o café quente na mão, pés em cima da grade da varanda
recém-construída, Nole olhou para a escuridão da manhã antes do
amanhecer. A solidão silenciosa deveria ter ajudado a agitação que o
teve jogando e virando a noite toda. Pena que não estava
funcionando.

Tomando um gole da bebida amarga de café forte, preto,


tentou vir a enfrentar a realidade que ele teria que enfrentar Jari,
eventualmente. Tinha passado uma semana desde que Edrick se
recuperou dos seus ferimentos, mas não importava o quão duro
Nole tinha tentado, ele simplesmente não conseguia esquecer o
medo de quase perdê-lo.

Por causa de Edrick e dos seus amigos, especificamente Lucca,


Nole precisava encontrar uma maneira de perdoar seu ex amigo, mas
ele simplesmente não conseguia descobrir como. Era por isso que
ele estava sentado lá no escuro, enquanto esperava o sol nascer.

Em circunstâncias normais, a quietude da madrugada sempre


resolvia tudo o que afligia Nole. Mas desta vez ... desta vez ele não
tinha certeza que ele iria alcançar qualquer tipo de paz. Não quando
Jari tinha provado que não poderia ser confiável.

Então, como Nole deveria perdoar o homem, seguir em frente


com ele vivendo sob seu teto, quando ele sentiu sempre a
necessidade de assistir a sua volta? Ao mesmo tempo, Nole não
poderia evitar de enfrentar Jari por mais tempo.

105
Lucca tinha sido deixado oscilando à beira por muito tempo, e
isso estava começando a afetar todos eles. Não era justo deixar
Lucca no limbo para sempre.

Edrick já havia se encontrado com Jari há poucos dias. Que só


chateou Nole mais. Em vez de decidir sobre a punição de Jari, Edrick
adicionou a pressão sobre Nole, por se recusar a vir para cima com
suas repercussões até que Nole conversasse com Jari, para depois
decidir juntos. Quando Nole implorou para Edrick por não o
envolver, seu companheiro recusou, porque Nole tinha sido o único
ferido a mais pelas ações de Jari, então tecnicamente a sua
reparação seria com Nole.

Ele deixou um ronco sair na tranquilidade da manhã.

Nole não era um idiota. Seu companheiro estava apenas


tentando forçá-lo a enfrentar Jari. O fato era que, se Nole não
poderia viver com Jari ao redor, e ele duvidava que poderia, alguém
tinha que sair. Ou Edrick e Nole, ou Lucca e Jari.

Nenhuma opção era boa, porque isso significaria rasgar cinco


homens que tinham sido lá um para o outro toda a sua
vida. Homens que tinham deixado seu orgulho um pelo o
outro. Homens que ousaram atacá-lo sozinhos um para o
outro. Então, como Nole era suposto viver com rasgar essa amizade?

"Um centavo pelos seus pensamentos," Edrick disse saindo


para a varanda com uma xícara de café na mão.

A solenidade de expressão do seu companheiro disse a Nole


que ele já sabia o que Nole estava pensando. Então, ele decidiu
surpreender seu companheiro. "A paz mundial. O aumento da dívida
nacional. Ah, e se eu amarrasse uma corda para o telhado deixasse

106
pendurar para o lado da casa, por quanto tempo Chadwick seria
entretido pulando para pegá-la?"

Edrick riu, e nesse instante, tudo estava certo no mundo de


Nole. Era estranho, mas verdadeiro. Nunca Nole teria imaginado que
algo tão simples como alguém rindo iria derreter suas entranhas.

"Eu acho que a paz mundial é um mito que nunca vai existir
enquanto houver mais do que uma pessoa vivendo nesta terra."

O copo de café na mão de Edrick foi colocado sobre a mesinha


ao lado da cadeira onde Nole estava sentado. "Quanto à dívida
nacional." Edrick se inclinou para Nole e o pegou antes de se sentar
na cadeira com Nole em seu colo. "Isso exigiria livrar-se do governo e
seus políticos gananciosos, que, infelizmente, não vai acontecer."

Gentilmente, Edrick cutucou Nole para inclinar-se para trás


contra seu peito. Envolvido nos braços de Edrick, Nole sentiu a dura
batalha para a paz resolver dentro dele. Ele não sabia como seu
companheiro sempre sabia o que fazer para dar a Nole exatamente o
que ele precisava. Seria mais chato se Nole não amasse Edrick.

Tudo dentro dele congelou quando esse pensamento correu


através da sua mente. Ele amava Edrick. Como ele não viu isso
antes? Não tendo certeza que ele estava pronto para dizer isso em
voz alta até que ele teve algum tempo para pensar sobre isso, Nole
decidiu mantê-lo para si mesmo para um pouco mais.

"E Chadwick não iria receber mais nenhum trabalho feito se


você pendurasse uma corda do telhado. Não que eu me importaria
muito. Por muitos anos Chadwick tem sido indiferente." Um beijo foi
colocado contra a cabeça de Nole. "Antes de conhecê-lo, ele nunca
brincou, não desde que éramos crianças. Inferno, eu não me lembro

107
da última vez que o vi sorrir." Outro beijo foi dado. "Obrigado por
tirá-lo do seu escudo."

Realmente não tinha sido nada que Nole tinha feito, pelo
menos não de propósito. Mas ele estava feliz em poder ajudar. "Seja
bem-vindo."

Aqueles grandes braços que o cercavam se apertaram um


pouco mais. Nole sorriu enquanto ele se estabelecia ainda mais no
abraço de Edrick. "E a razão pela qual você está aqui tão cedo de
manhã?"

Nole gemeu. Por que seu companheiro não poderia deixar isso
para lá? Ele sabia que tinha que enfrentar Jari, mas Nole não queria
ter que falar sobre isso também. "Eu não quero falar sobre isso."
Uma parte dele desejava poder fugir e nunca mais ter que enfrentar
Jari. Ele não tinha certeza que podia sem rasgar o coração do
homem pelo que ele tinha feito.

Edrick acariciou as costas de Nole suavemente. "Por mais que


eu gostaria de protegê-lo disso, eu não posso", Edrick
murmurou. "Mas você vê o que isso está fazendo a todos, mesmo
você. É hora de enfrentar Jari."

Ele sabia disso. Ele sabia. Era por isso que ele estava lá fora em
um momento tão ridículo do dia para começar. Nole tinha
necessitado encontrar a coragem de fazer a única coisa que ele tinha
sido evitando como uma praga. "Eu sei. Eu só..."

Como ele ia terminar isso?

Havia muitas razões pelas quais ele não queria lidar com
Jari. Ele também sabia que havia uma razão que o assustava mais do

108
que as outras. "E se eu não posso perdoá-lo? Eu não acho que eu
poderia viver com a culpa de destruir sua amizade com Lucca."

De repente, grandes mãos agarraram seus quadris e Nole foi


levantado e virado para montar as pernas de Edrick e enfrentar seu
companheiro. Em seguida, uma das mãos de Edrick se moveu para
envolver seu rosto e puxá-lo para perto, para que seus lábios apenas
mal se tocavam. "Nada disso é culpa sua, meu pequeno rato. Jari fez
sua cama. Quaisquer que sejam as consequências disso, é tudo sobre
ele."

"Edrick está certo", disse Lucca, da porta. "Por mais que eu rezo
para que você vai encontrar uma maneira de perdoar Jari, aconteça o
que acontecer, é sobre ele." A tristeza nos olhos cinzentos de Lucca
cortou o coração de Nole. Ele odiava que este homem, que não
merecia estar com um companheiro que quase tinha conseguido
Edrick e Nole mortos, estava acoplado a Jari. No entanto, nem uma
vez Lucca tinha reclamado. Nem tinha responsabilizado Edrick ou
Nole para arrastar seus pés quando ele veio para a punição do seu
companheiro.

"Eu sinto muito, Lucca. Eu só não sei se algum dia serei capaz
de perdoar Jari. O fato que ele virou as costas para mim quando o
alpha me bateu e deixou para morrer foi ruim o suficiente, mas
gostaria de ter encontrado uma maneira de passar por isso." Nole
olhou para Edrick, que de alguma forma se tornou o centro do seu
mundo em tão pouco tempo. "Mas os lobos quase mataram Edrick, e
eu só não sei se eu posso perdoá-lo por levá-los para mim."

Mais uma vez Edrick puxou a cabeça de Nole para baixo até
que seus lábios apenas se tocaram e lhe deu o mais terno, mais doce
beijo que Nole nunca conseguia se lembrar de receber. Estava tão

109
cheio de amor, que Nole quase podia tocá-lo. De repente, dizer a
Edrick seus sentimentos, não parecia tão assustador. Embora ele se
recusou a lhe dizer com uma audiência.

Quando o beijo terminou, Nole colocou a cabeça na curva do


pescoço de Edrick e o abraçou perto. Ele precisava da força do seu
companheiro se ele ia passar por isso.

Durante vários minutos, os três permaneceram em silêncio. O


ar era espesso com as coisas não ditas enquanto todos eles se
esforçavam para encontrar as palavras certas para dizer, para fazer
as coisas melhores. Mas simplesmente não havia nada que poderia
mudar o que aconteceu ou o que estava prestes a acontecer. Nole
teria que enfrentar o homem que o havia traído e encontrar uma
maneira de perdoá-lo, ou suas vidas iriam ser alteradas para sempre.

Um suspiro de Lucca quebrou o silêncio. "Por mais que me dói


admiti-lo, o que Jari fez foi deplorável. Ele não merece o seu
perdão. Ao mesmo tempo, ele tinha suas razões, e eu só espero que
você possa encontrá-lo para ouvi-lo com uma mente aberta."

Quando Nole se sentou, Lucca não estava mais lá, depois de ter
ido de volta para a casa. Ele só desejou não se sentir tão aliviado por
não ter que responder ao pedido. Nole gostaria de dizer que ele iria
ouvir Jari com uma mente aberta, mas ele ainda estava muito
magoado, muito irritado, muito desapontado.

O céu tinha clareado consideravelmente à medida que o sol


estava se preparando para fazer uma aparição. Virando-se, por isso
estava de costas para o peito de Edrick mais uma vez, se sentou lá e
viu o sol subir acima das árvores.

110
Nole piscou quando viu uma figura se aproximar carregando o
que parecia ser uma grande câmera e um grande polo, com aquela
que parecia ser uma luz ligada a uma extremidade.

"Hudson?" Nole chamou quando a figura se aproximou. "É


você?"

"Sim", respondeu Hudson enquanto se aproximava do alpendre.

"Você pegou um fantasma?" Perguntou Edrick, o humor na voz


de seu companheiro era difícil de perder.

Hudson fez uma careta para Edrick quando ele, cansado subiu
os degraus. "Você sabe, eu vou fazer você engasgar com aquele riso
quando um fantasma o confronta."

"Espere." Durante toda a semana Nole tinha ouvido a piada de


Edrick e dos outros, sobre Hudson ir à procura de fantasmas, mas
ele não tinha pensado que eles estavam falando sério. "Você quer
dizer que você está realmente à procura de espíritos?"

"Sim." Pela forma em que Hudson se manteve imóvel, como se


estivesse se preparando para mais ridículo quando ele respondeu,
disse a Nole quanto Hudson odiava ser constantemente atormentado
por suas crenças.

Recusando-se a se adicionar nisso, Nole acenou com a cabeça e


disse: "Legal. Da próxima vez que você vai sair, me avise. Eu poderia
acompanhá-lo."

A princípio, Hudson o encarou, incrédulo, mas Nole sustentou


seu olhar, então a dúvida se virou para esperança. "Mesmo?"

Nole não hesitou. "Definitivamente. Eu sempre achei que havia


alguma coisa ... " Ele olhou na direção da cidade por vários

111
momentos antes de continuar. "Eu não sei como descrever isso. Mas
houve momentos em que eu poderia jurar que havia alguém naquela
cidade. No entanto, quando eu verifiquei, não havia nenhuma
evidência que qualquer um tinha sido lá há anos".

Voltou-se para Hudson. "Eu sempre pensei de estar apenas


imaginado coisas. Depois de ouvir sobre a história desta cidade, eu
não tenho tanta certeza que não havia alguém, ou algo, não depois
de tudo."

De repente, essa esperança nos olhos de Hudson virou-se para


excitação. "Eu vou outra vez esta noite, se você realmente quer ir."

Em nenhuma maneira Nole ia decepcionar o homem. Ele podia


não conhecer Hudson tão bem, mas ele era um dos melhores amigos
de Edrick, para não mencionar um membro do orgulho em que Nole
estava entrando. Ele pode não ser capaz de ajudar Lucca quando se
tratava de Jari, mas Hudson era alguém para quem podia fazer algo
a respeito. Sorrindo para Hudson, Nole disse: "Eu adoraria."

Com um salto em sua etapa que não tinha estado ali momentos
antes, Hudson entrou para guardar o seu equipamento. Não era
muito, mas pelo menos Nole não se sentia como um burro para
causar problemas entre Edrick e outro dos seus amigos.

Enquanto a escuridão era perseguida pela esperança de um


novo dia, Nole se enrolou mais profundo nos braços do seu
companheiro.

"Obrigado." As palavras sussurradas contra sua orelha


aqueceram Nole no interior. "Eu não tinha percebido o quanto
estávamos machucando Hudson com a nossa provocação constante."

112
"Você é bem-vindo." Tendo ajudado um dos amigos de Edrick,
Nole sabia que era hora de lidar com Jari, para fazer Lucca se
acalmar. "Você vem comigo?" Nole não sabia onde a questão tinha
vindo. Ele não tinha a intenção de fazê-la. Mas agora que ele fez, ele
orou que Edrick concordaria.

Felizmente seu companheiro não precisava de mais


explicações.

"Claro, eu não deixaria você enfrentar Jari sem mim", Edrick


sussurrou em seu cabelo.

Um profundo alívio preencheu Nole na garantia. Talvez, com


seu companheiro seguro ao seu lado, Nole iria encontrar uma
maneira de fazer o impossível e perdoar Jari.

113
Capítulo 15
A madeira rangeu sob seus pés quando Nole e Edrick seguiram
para o porão. O quarto úmido estava mofado com um frio no ar
atingindo os ossos de Nole no momento em que chegou ao chão de
cimento.

Quando seus olhos se adaptaram à sala escura, Nole viu um


catre no canto mais distante. Ali, sentado em um colchão fino,
manchado, estava Jari, a cabeça inclinada, o corpo tremendo
ligeiramente, as mãos presas, ligadas a uma corrente que estava
trancada na parede.

Preocupado quando Jari nem sequer olhou para cima, Nole


correu para o lado do seu antigo amigo. Antes de se sentar na borda
da cama, Nole parou. O sentimento de traição escolheu aquele
momento para elevar sua feia cabeça, lembrando-o que este homem
não poderia ser confiável.

"Jari", disse ele em vez de puxar o homem que tinha sido seu
amigo pela maior parte da sua vida nos braços e confortá-lo quando
ele ouviu os soluços que Jari estava tentando esconder.

Ao som do seu nome, Jari levantou a cabeça. Seus olhos se


arregalaram de surpresa.

"Nole? Você veio." A descrença na voz de Jari, juntamente com


o som rouco, provavelmente devido ao choro do homem, puxou o
coração de Nole.

Mas isso não apagava o fato que Jari tinha tentado ter Nole
morto. Nem que ele quase conseguiu isso com Edrick. "Eu estou

114
aqui, mas só porque Lucca precisa que essa situação seja
resolvida. Caso contrário, eu ficaria mais do que feliz em deixá-lo
apodrecer aqui embaixo."

Desespero encheu o olhar de Jari. "Eu sinto muito. Eu não


espero que você acredite em mim ou me perdoe." Jari fechou os
olhos por um momento então aqueles olhos castanhos claros, mais
uma vez se fixaram em Nole. "Eu não mereço isso. Mas eu só quero
que você saiba que eu nunca quis te machucar."

Nole bufou de escárnio. Ele não podia evitá-lo. "Você lidera um


grupo de mercenários lobos direito para mim. Você até me distraiu
para que eles pudessem chegar perto o suficiente para me matar. O
que você acha que aconteceria? Que nós teríamos uma festa de chá?"

Jari estremeceu com o tom duro, mas Nole não conseguiu


realmente se importar. Edrick quase morreu por causa deste
homem, e agora ele estava dizendo que ele não tinha a intenção para
que isso acontecesse. Ele teve que levar vários passos para trás, com
medo de atacar Jari com as garras que tinham surgido em suas
mãos.

Edrick colocou a mão em seu ombro, ajudando Nole relaxar um


pouco. Olhando de volta para seu companheiro, que estava ali,
sorrindo encorajadoramente para Nole, a raiva que quase o fez bater
em Jari tanto quanto Nole tinha sido batido nas mãos do seu alpha e
seus asseclas diminuiu o suficiente para Nole ganhar o controle de si
mesmo mais uma vez.

A porta do porão se abriu, e passos pesados


desceram. Lucca. O homem olhou para seu companheiro como
avaliando nele. Provavelmente verificando algum sinal que Nole

115
tinha batido nele. Sábio considerando a tentação que quase o teve
fazendo exatamente isso há pouco.

"Posso ficar?" Perguntou Lucca. A questão podia ter sido


dirigida a Edrick e Nole, mas seu olhar nunca deixou seu
companheiro.

A esperança fervorosa que brilhou nos olhos do Jari chateou


Nole e o fez morder a língua quando ele quis esmagá-la, dizendo a
Lucca não. Ele só não achava que ele poderia passar por isso sem
tentar matar Jari.

"Nole?" Edrick perguntou quando Nole não respondeu a


Lucca. Ele realmente odiava que seu companheiro estava tão
disposto a deixar Nole tomar as decisões. Bem, pelo menos quando
se tratava de Jari. Qualquer outra vez que ele teria ameaçado cortar
as bolas do homem por se atrever a presumir o que Nole queria.

Não confiando em si mesmo para falar, Nole deu um breve


aceno de cabeça. Isso foi tudo o que Lucca necessitava. Ele caminhou
até seu companheiro e ficou ali, não perto o suficiente para tocar,
mas o suficiente para que ele pudesse ver Jari relaxar visivelmente.

Toda a cena lhe lembrou dele e Edrick, levando para casa o


quão importante era que Nole encontrasse uma maneira de perdoar
Jari. Mas como?

"Você lhe disse?" Lucca perguntou a Jari.

Jari apenas mal moveu a cabeça para trás e para a frente


quando ele olhou de seu companheiro para Nole.

"Não importa", ele sussurrou, desanimado. "Eu ainda permiti


que isso acontecesse. Eu não mereço viver depois do que eu fiz."

116
Um estrondo encheu a sala quando Lucca rosnou seu
descontentamento. "Pare de dizer isso."

"Por que não? É verdade." Jari encarou Nole. "Você pode muito
bem sentenciar minha morte. Eu sei que é o que eu mereço."

Desta vez Lucca não apenas rosnou, ele se abaixou até estar no
nível dos olhos de Jari e acertou no rosto do seu companheiro.

"Você Não Vai Morrer. Você me entende?" O tom feroz de Lucca


deixou Nole se perguntando porque Jari não se encolhia de medo.

Por quanto Nole tinha conhecido de Jari, o homem nunca tinha


sido conhecido para permanecer firme. Normalmente, ele era o
primeiro a tentar fazer a paz. "O que te interessa?" Jari atirou de
volta em Lucca.

"Eu sou seu companheiro," Lucca cuspiu.

Havia raiva nos olhos castanhos do Jari, algo que Nole não
poderia lembrar de ter visto antes quando ele olhou para Lucca. "Eu
não vi nenhuma evidência disso," Jari murmurou.

As mãos de Lucca se estenderam para agarrar os ombros de


Jari antes de colar os seus lábios em um beijo brutal. Não querendo
se intrometer, Nole ficou tentado em voltar a subir as escadas e se
afastar desta confusão.

"Ouça Jari, primeiro," Edrick sussurrou em seu ouvido.

Nole olhou por cima do ombro para seu companheiro. Ele tinha
planejado olhar para o homem com irritação por ser demasiado
maldito observador para a paz de espírito de Nole. Exceto que o que
encontrou quando ele olhou nos olhos azuis do seu companheiro
era amor e preocupação.

117
Como ele deveria estar chateado com alguém olhando para ele
como se ele fosse o mundo para ele? Inclinando-se para trás contra
Edrick, deu ao seu companheiro um breve beijo. "Obrigado por estar
aqui." E ele quis dizer isso. Claro, ele poderia ter feito isso sozinho,
mas as coisas eram apenas melhores quando Edrick estava lá.

Depois de tudo o que tinha acontecido com Nole, ele não


esperava vir a sentir-se tão perto de outra pessoa, ou confiar neles
implicitamente, mas com Edrick ele o fez.

"É meu prazer, meu pequeno rato." Edrick deu um beijo na


ponta do nariz antes de ambos se virar para encontrar Lucca e Jari
observando-os com uma dose saudável de medo e ansiedade.

"Diga a ele", Lucca ordenou a seu companheiro.

Uma das maiores diferenças entre Nole e Jari era que Jari era
muito submisso. Ele nunca se levantou para si mesmo, ou qualquer
um, tanto quanto Nole sabia, bem, até agora. De repente, ele
começou a ter uma imagem mais clara da posição em que Jari teria
sido colocado em ter que emboscar Nole. Jari não teria sentido
capaz de desobedecer a uma ordem do Alpha.

Isso não o desculpava, mas para Jari, teria sido impossível não
fazer como Abdiel lhe ordenhou. Especialmente desde que o homem
era o seu alpha.

Com um suspiro, Jari, com a voz tão baixa que Nole mal podia
distinguir as palavras, mesmo com sua audição shifter,
compartilhou sua história. "Ninguém sabe disso, mas desde que
voltei da escola de culinária com a idade de dezenove anos, Alpha
Abdiel me encurralou e me forçou a me tornar sua cadela." Jari
corou furiosamente, colocando seu rosto em seu peito como se

118
estivesse tentando se esconder quando a última palavra ecoou
contra as paredes de concreto.

Nole estava atordoado.

"Alpha Abdiel é gay?" Nada, nem mesmo se Jari tivesse dito


que o alpha gostava de se vestir de arrasto e cantasse, poderia ter
chocado Nole mais. "Mas, ele odeia gays."

Jari deu de ombros. "Ele me disse que tinha que manter as


coisas em segredo ou o conselho iria removê-lo enquanto Alpha e
então ele não seria capaz de mudar as coisas."

"Alterar o quê?" Nole gritou. "O homem tem tentado me matar


por cinco malditos anos. Ele até usou um dos meus melhores amigos
para fazê-lo".

Jari encolheu com as palavras duras de Nole. Esse lembrete


visível de quão fraco Jari era esvaziou a indignação crescente de
Nole. Tanto quanto Nole queria sacudir Jari por ser tão facilmente
manipulado pelo seu alpha, ele sabia que não havia nenhum
ponto. Só porque Nole teve o bom senso de pensar por si mesmo e
lutar por aquilo em que acreditava, não significa que outros fizeram.

Seu ex amigo era apenas um exemplo, mas Nole conhecia mais


pessoas dispostas a simplesmente acreditar cegamente no que seus
líderes estavam dizendo-lhes, nunca uma vez questionando-os. Era
como a antiga colônia de Nole tinha chegado ao ponto que sua alpha
escolheu os companheiros, em vez do destino. Nem mesmo quando
confrontado com o cônjuge fadado as declarações do alpha vinham
alteradas.

119
Muitos em sua colônia tinham enlouquecido por ter que negar
um companheiro. No entanto, eles ainda seguiram as ordens de
Alpha Abdiel. Então, como ele poderia culpar Jari para fazer o
mesmo?

O calor da mão de Edrick quando ele a colocou na parte


inferior das costas de Nole, infiltrou nele. Mas só porque ele poderia
perdoar Jari para se permitir de ser utilizado, não significava que ele
estava disposto a deixar o homem livre. Tanto quanto Nole estava
em causa, Jari era um risco. Um risco em que não se podia confiar.

"Eu sei que o que eu fiz estava errado", Jari sussurrou. "Mas
não era como se eu tivesse uma escolha." Havia uma ponta de aço na
voz de Jari que surpreendeu Nole. Ele não tinha pensado que o
homem era forte para levantar-se por si mesmo. "Alpha Abdiel
matou meu irmão, quando ele nos descobriu e ameaçou contar a
colônia."

Nole sentiu o sangue em suas veias virar gelo enquanto Jari


falava.

"Depois disso, sempre que eu não fazia como ele dizia, Abdiel
ameaçava um da minha família." Lágrimas correram pelo rosto de
Jari, com as mãos apertadas em seu colo. "Quando me recusei a ir
atrás de você, ele ..." um soluço irrompeu de Jari, mas ele se forçou a
continuar. "Ele matou meus pais e me disse que mataria cada um
dos meus irmãos e irmãs a seguir. Então ele iria atrás de minhas
sobrinhas e sobrinhos. "

Uma tristeza pesada enchia os normalmente brilhantes olhos


castanhos de Jari. "Eu simplesmente não podia deixá-los morrer."
Com uma voz tão pequena, tão derrotada, Jari disse: "Uma vez que

120
Abdiel percebe que eu não consegui, ele vai matá-los." Jari se
encolheu diante dos olhos de Nole. "Eles provavelmente já estão
mortos."

"Foda-se," Edrick e Lucca disseram ao mesmo tempo.

"Por que você não me contou?" Perguntou Lucca. "Eu teria ido
atrás deles." Claramente, Jari não tinha contado ao seu companheiro
toda a história.

Jari levantou um ombro derrotado. "Qual é o ponto? Abdiel


sempre vence. Eu sei disso melhor do que ninguém."

"Não desta vez", Edrick rosnou. "Estou farto de alphas achando


que eles podem fazer o que quiser sem consequências. Não posso
prometer que sua família ainda está viva, mas posso prometer fazer
tudo ao meu alcance para salvar aqueles que são."

"Não vai fazer nenhum bem. Abdiel só virá depois deles." Jari
apontou para Nole. "Nole esteve correndo por anos, e Abdiel não
parou de tentar matá-lo."

Edrick rosnou baixo. O som retumbou nos confins do porão


como um trovão. "E eu vou acabar com ele por suas tentativas."

Antes de ver Edrick e seus amigos em ação, Nole poderia ter


pensado que essa promessa era impossível de manter. Mas agora?
Agora ele sabia quão mortal eram estes gatos, e a esperança de
finalmente estar livre do seu ex alpha floresceu à vida.

Porque, se alguém poderia matar Abdiel, esse era Edrick.

121
Capítulo 16
"Nós não temos pessoal suficiente para algo tão grande",
Hudson argumentou. "Não me interpretem mal, eu estou mais do
que dispostos a ir nessa missão suicida, se é o que você quer, mas a
colônia de Nole e Jari é muito grande para entrar sem ser vistos. Já
para não falar que precisamos evacuar até cinquenta membros da
família de Jari." Hudson ergueu as mãos em frustração. "Como no
inferno devemos fazer isso com quatro motos e uma caminhonete?"

Tanto quanto Edrick odiava admiti-lo, Hudson estava


certo. Eles não tinham como resgatar tantas pessoas. "Se matarmos
Abdiel, não temos que resgatar ninguém."

Jari bufou. Eles estavam reunidos na cozinha depois que Nole


tinha perdoado Jari. No entanto, houve uma concessão. Lucca não
sairia do lado de Jari, uma vez que não confiava no shifter rato para
não entrar em contato com sua colônia e dizer a Abdiel exatamente
onde estavam.

"Todo mundo que rodeia Abdiel é tão mau quanto ele. Em


alguns casos, pior. Se você mata Abdiel, um deles vai tomar o poder,
e minha família ainda não vai estar segura, especialmente se eles me
veem como uma ameaça para trazê-lo à sua porta", Jari os informou.

"E se nós recrutamos ajuda?" Perguntou Nole.

Todos os olhos se voltaram para o companheiro de Edrick.

"Quem?" Perguntou Edrick. Não era como se havia muitos


shifters que estavam dispostos a ajudar a iniciar uma guerra com

122
uma colônia shifter, especialmente quando eles estariam ajudando
shifters homossexuais, uma abominação nas mentes de muitos.

Seu companheiro inclinou a cabeça para o lado. Não era algo


sexy, ainda assim Edrick estava ficando duro com quanto bonito seu
pequeno rato, olhava. "Durante a minha corrida de Abdiel, conheci
muitos shifters homossexuais que estavam na clandestinidade. Se
lhes oferecemos um lugar seguro para ficar, talvez eles
concordariam em lutar com a gente."

"Seguro?" Chadwick riu. "Você esqueceu que nós temos nossos


próprios problemas de alpha com o pai de Edrick? Para não
mencionar que essa cidade está caindo ao redor. Onde é que vamos
colocar todos e como diabos é que vamos protegê-los?"

"Não é tão ruim assim," Nole argumentou. "Claro, temos muito


trabalho a fazer, mas com mais mãos para ajudar, não vai demorar
muito para tornar esta cidade habitável."

Ambos tinham um ponto. Edrick só não tinha certeza que ele


estava confortável acrescentando mais pessoas à mistura. Ele podia
ser o Alpha, mas Edrick nunca quis ser um. Estar no comando de
seus amigos era fácil, pois todos sabiam o que fazer e trabalharam
juntos. Edrick geralmente não tinha que dar ordens. Isso não seria
verdade se eles permitissem a os outros de viver lá.

"Nós também precisamos considerar que quanto maior esta


cidade se tornar, mais fácil será para Alpha Lorcan nos encontrar",
Hudson acrescentou. "Para não mencionar todos os alpha e os
intolerantes virão depois de nós, uma vez que se sabem que temos
uma cidade cheia de gays."

123
Surpreendentemente, foi Jari quem falou e confrontou
Hudson. "Então, você está dizendo que devemos apenas deixar todas
essas pessoas se defenderem sozinhos porque pode nos causar
problemas?"

"Então, o rato tímido tem uma espinha depois de tudo", disse


Chadwick, o que lhe valeu um grunhido de desaprovação de
Lucca. Piscando para Lucca e dando um sorriso doce, Chadwick lhe
respondeu. " Calma gatinho. Não há nenhum ponto em obter sua
calcinha em um nó. Eu estava elogiando."

Hudson revirou os olhos para o amigo. "Para responder à sua


pergunta, Jari, não, eu não acho isso, mas eu também acho que não
compreender as consequências de nossas ações seria altamente
tolo."

Desta vez, quando Chadwick sorriu, era mais ameaçador, com


um toque de loucura. "Eu sou tudo para dar aos fanáticos um grande
velho foda-se ao encontra-los. Mas se vamos fazer isso, precisamos
começar a trabalhar em obter armas melhores, talvez até mesmo um
lançador de foguete ou dois."

Agora que Chadwick tinha saído do seu escudo tenso, Edrick


estava começando a se perguntar sobre sua sanidade. "E onde diabos
é que vamos obter um lançador de foguetes?" Perguntou Edrick.

Lucca levantou a mão parcialmente para cima para ganhar sua


atenção. "Isso é fácil. Eu não só posso encontrar um lançador de
foguetes, mas tê-lo entregue em vinte e quatro horas. Eu vou ter
mais dificuldade em conseguir munição suficiente para as nossas
armas. Com a ameaça súbita deste país para sua segunda reforma,
as balas são difíceis de encontrar."

124
Talvez fosse Edrick que tinha enlouquecido. Em nenhuma
maneira eles estavam falando sobre a obtenção de lançadores de
foguetes como se fosse nada. Por outro lado, eles teriam toda a
vantagem se eles estavam realmente indo para convidar os shifters
homossexuais para se mudar para sua cidade, então Hudson estava
certo. Toda a comunidade shifter intolerante viria correndo para eles
no momento em que descobrissem onde eles estavam.

O único que não tinha contribuído para a conversa tinha sido


Kellach. Não que ele estava surpreendido. Kellach era o mais
reservado de todos eles, especialmente ao redor daqueles que ele
não conhecia. Nole podia ser companheiro de Edrick e Jari, o
companheiro de Lucca, mas isso não significava que Kellach
instantaneamente se sentiu confortável em falar com facilidade na
frente deles.

Mas isso era importante demais para deixar Kellach


permanecer em segundo plano. Seja qual for a decisão que tomariam
iria afetar todos eles. "Kellach, o que você acha?"

A faca que Kellach estava usando para cortar os legumes para


o ensopado que ele estava fazendo bateu, apontando para baixo na
madeira. Assustado para ver uma reação tão violenta do seu amigo
de costume tímido, Edrick e os outros olharam, de queixo caído.

"Eu acho que eu odeio porra cozinhar. Você quer trazer todas
essas pessoas aqui? Bem. Estou a bordo com isso, desde que eu
estou doente e cansado desses idiotas fanáticos nos perseguindo-
como se nós somos alguma doença que tem de ser erradicada, mas
eu não vou cozinhar para todas essas pessoas." No momento em que
ele acabou de falar, Kellach ficou com os braços cruzados sobre o

125
peito e os pés afastados como se disposto a ir para a batalha sobre
estar sendo forçado a cozinhar.

Mesmo tendo suspeitado que Kellach não gostava de cozinhar,


Edrick tinha esperado estar errado. Ele não tinha ideia do que eles
deveriam fazer se Kellach não estava disposto a fazer as suas
refeições. A última vez que Edrick tentou cozinhar, ele quase
incendiou a cozinha, e ele só estava fervendo água.

"Eu vou fazer isso", Jari se ofereceu.

Todos os olhos instantaneamente passaram de Kellach para


Jari em surpresa.

"O quê?" Jari levantou as sobrancelhas quando ele olhou para


cada um deles. "Eu gosto de cozinhar. É por isso que eu fui para a
escola de culinária, depois de tudo. De repente isso é um crime?"

Lucca levantou uma sobrancelha para seu companheiro. "Claro


que não. Mas você tem certeza? Eu não quero que você sinta que
você tem que fazer algo que você não quer."

Jari encolheu os ombros enquanto encarava seu companheiro.

"Eu não teria oferecido se eu não quisesse. Acontece que eu


amo cozinhar." Jari olhou para Kellach. "Se você está bem com isso,
eu ficaria feliz em assumir as refeições."

Kellach arrancou o avental que tinha posto. "Você não vai ouvir
nenhum argumento de mim. Se eu nunca colocar um pé na cozinha
de novo, eu vou ser um homem feliz." Ele deixou os legumes direito
onde estavam e foi sentar-se em uma das cadeiras vazias ao redor
da mesa. "Você pode até mesmo começar agora, se quiser. Caso
contrário, eu digo que estamos tendo sanduíches para o jantar."

126
Edrick conteve o gemido por ter de comer nada mais do que
um sanduíche. Quando eles estavam ocupados trabalhando, ele não
se importava, mas para o jantar, Edrick queria algo mais
consistente. Felizmente, Jari pulou da cadeira e passou a trabalhar
cortando o resto dos vegetais.

Toda a atmosfera mudou instantaneamente na sala. A


excitação de Jari era contagiante enquanto ele fazia sua
refeição. Mesmo a disposição normalmente azeda de Kellach,
enquanto ele cozinhava, tinha desaparecido. Era o suficiente para
dar a Edrick a esperança que eles só poderiam encontrar uma
maneira de sobreviver.

"Então, estamos de acordo? Nole vai fazer algumas chamadas e


ver quem está disposto a se juntar a nós, enquanto nós
começaremos a trabalhar sobre como proteger esta cidade e torná-la
mais segura." Não seria fácil. Inferno, Edrick tinha certeza que seria
impossível, mas se eles trabalharam juntos, eles só poderiam
encontrar uma maneira de construir a casa que eles sempre
sonharam ter.

Cada homem concordou, por sua vez.

"Então, vamos começar a trabalhar", disse ele.

Nole e Lucca pegaram os seus telefones e começaram a fazer


chamadas, enquanto ele, Chadwick e Hudson faziam listas para o
que seria necessário para se defender, reconstruir a cidade, e
conseguir maneiras de trazer comida e água para Milagre, para nem
sempre obrigá-los a dirigir a outras cidades para comprar.

127
Pela primeira vez em sua vida, Edrick se encontrou à altura da
tarefa de ser Alpha. Não seria fácil, mas com a seu companheiro e
seus amigos por seu lado, tudo era possível.

128
Capítulo 17
"Você acha que temos alguma chance de vencer Abdiel?" Por
mais que Nole tinha tentado manter o otimismo enquanto ele fez
seus telefonemas para os shifters homossexuais que conhecera ao
longo dos anos, dentro ele temia que todos iriam enfrentar a sua
morte, em lutar contra o Alpha.

Não que Abdiel era tão forte, pois ele não era. Se alguma coisa,
como um Alpha, ele estava pateticamente fraco. Mas a única coisa
que Abdiel tinha era o enorme número daqueles que estavam
dispostos a lutar até a morte por ele.

Edrick beijou o topo da sua cabeça, enquanto estavam deitados


na cama naquela noite. "Eu gostaria de dizer que sim, mas eu
prometi ser honesto com você." Seu companheiro deu um
suspiro. "Então, eu honestamente não sei."

Por vários minutos, eles ficaram lá, nos braços um do


outro. Nole não tinha certeza do que Edrick estava pensando, mas
tudo o que podia fazer era se preocupar com o seu futuro. Mesmo se
eles conseguiram derrotar Abdiel, eles tinham tantos outros
obstáculos, Nole se preocupava que eles nunca encontrariam
qualquer paz.

"Será que a sua colônia vai lutar por seu Alpha?" Edrick
perguntou depois de um tempo.

"Sim", respondeu Nole instantaneamente. "Eles podem não


gostar de Abdiel." Nole deu um grunhido de escárnio. "A maioria
deles o odeia. Mas, como Jari, Abdiel tem uma forma de garantir a

129
lealdade da colônia através de ameaças, chantagem e quaisquer
outros meios desleais necessários." Era um fato triste, mas
verdadeiro.

Edrick pousou os lábios na cabeça de Nole mais uma vez, em


seguida, o puxou para mais perto contra o seu lado. "Falando de
Jari", Edrick começou.

Nole se encolheu com a lembrança. Ele não queria enfrentar o


que Edrick diria a seguir, mas ele sabia que havia pouca esperança
de evitá-lo agora.

"Eu concordo que precisava perdoar Jari por sua traição", disse
Edrick. "Mas ele ainda tem que ser punido por sua parte na tentativa
de matá-lo." A voz de Edrick tinha virado áspera pela raiva.

Este tinha sido o que Nole tinha esperança de evitar. Ele não
era bom em punir as pessoas. Com quem ele estava brincando? Ele
sugava nisso. Ele poderia ter sido forçado a se tornar um lutador
para proteger-se ao longo dos anos, mas ele era médico, e o
pensamento de causar dor em alguém não era algo no que ele queria
ser parte.

Ainda assim, este era o mundo do shifter, e Jari não podia ser
visto fugindo com o que tinha feito, ou outros shifters iriam
acreditar que eles não teriam de pagar por seus crimes. "Ter de
cozinhar para todos nós, não é castigo suficiente?" Nole perguntou
esperançosamente.

Edrick riu. "Normalmente, eu diria que sim, mas Jari ama


demais para que possa ser considerado um castigo."

130
Nole considerou Jari por um momento. Seus gostos, seus
desgostos, e depois, veio com algo que iria ser considerado um
castigo sem ter que machucá-lo. "Então ele deveria ser meu
assistente por um mês."

De repente Nole estava de costas, com Edrick olhando para ele,


a confusão naqueles belos olhos azuis. "Como isso pode ser uma
punição?"

Nole sorriu. "Jari enjoa com a visão de sangue."

Edrick deu uma risada. "Você é desonesto, meu pequeno rato."

Em seguida, os lábios firmes que Nole amava sentir contra os


seus, estavam beijando-o. Não demorou mais do que isso para o
corpo de Nole entrar em erupção em uma tempestade de
necessidade.

Envolvendo os braços ao redor de Edrick, ele o segurou, com


medo de se afogar nas muitas sensações se ele não se
ancorasse. Seus dedos se curvaram quando Edrick beijou um
caminho ao longo da sua mandíbula e para baixo no pescoço onde
estava sua marca de acasalamento.

Foguetes explodiram em sua cabeça quando Edrick beliscou no


local onde ele tinha feito Nole seu. Estava supersensível e teve o pau
de Nole gotejando pré-sêmen com cada lambida, beijo e beliscão que
Edrick colocava. Edrick sorriu contra a pele de Nole, dizendo-lhe que
seu companheiro sabia exatamente o que estava fazendo.

Mas dois podiam jogar nesse jogo. Nole moveu a cabeça apenas
alguns centímetros, para onde ele tinha deixado a sua marca em
Edrick. Lambendo ao longo da carne, seu próprio sorriso apareceu

131
quando ouviu seu companheiro gemer de prazer. Encorajado, ele
continuou seu ataque no pescoço de Edrick.

Levou apenas alguns minutos para ambos estar na borda e


prontos para gozar. Um dedo molhado de repente estava deslizando
ao longo da sua fenda. Nole não tinha ideia de quando Edrick tinha
conseguido o lubrificante, mas ele não perdeu tempo
perguntando. Em vez disso, ele abriu as pernas para dar ao seu
companheiro de quarto que ele precisava para chegar ao seu buraco.

"Por favor," Nole choramingou, abrindo suas pernas ainda


mais.

Edrick beijou seus lábios no mesmo momento em que ele


mergulhou dois dedos no canal de Nole. A queimadura lhe tirou o
fôlego, mas valeu a pena sentir-se tão cheio. Segundos mais tarde a
queimadura se transformou em puro êxtase enquanto Nole montava
os dedos do seu companheiro.

"Porra, meu pequeno rato," Edrick sussurrou, o desejo saturava


aqueles olhos azuis. "Você está se contorcendo tão lindamente nos
meus dedos. Eu não posso esperar para ter você envolvido ao redor
do meu pau."

Nole gemeu com a forma que o seu companheiro estava


olhando para ele como se ele fosse o centro do universo de Edrick.

"Então me foda já." Ele estava tão excitado, Nole não se


importava se ele estava preparado o suficiente para ter o pau de seu
companheiro. Ele só queria sentir essa conexão com Edrick. Para se
sentir completo.

132
Um terceiro dedo foi empurrado dentro dele ao lado dos
outros dois. Edrick o esticou rapidamente antes de puxar todos os
três dedos livre. Alinhando o grande, gordo pau, ele empurrou.

Ambos gemeram quando ele afundou o corpo de Nole. Nem


mesmo a queimadura poderia diminuir a sensação de ter seu
companheiro dentro dele. Era o céu como aquela conexão, que tinha
desenvolvido quando eles se acasalaram, cresceu ainda mais forte
cada vez que eles fizeram amor.

Edrick moveu as mãos, prendendo Nole no colchão, com os


dedos entrelaçados enquanto ele começou a empurrar dentro e fora
do seu corpo. Olhos azuis, quase pretos com a luxúria, olharam para
ele. Era o momento mais íntimo da sua vida, ele poderia jurar que
suas mentes ligaram e que ele podia sentir o amor que fluía de seu
companheiro.

Nole abriu a boca para dizer a Edrick exatamente como ele se


sentia, mas um gemido de puro êxtase saiu em vez das palavras e
falar se tornou impossível. Ele lhe diria mais tarde. Eles tinham o
restante das suas vidas, depois de tudo. Agora, Edrick sabia
exatamente como ele se sentia e isso era bom o suficiente.

Suas bolas se apertaram em seu saco enquanto um


formigamento na base da sua espinha o alertava para o quão perto
ele estava de gozar. Era muito cedo. Nole queria desesperadamente
que este momento com seu companheiro durasse para o resto das
suas vidas, mas isso não ia acontecer. Agora não.

Edrick bateu nele, atingindo ponto de prazer de Nole. Fogos de


artifício explodiram em todo o seu corpo, suas bolas se apertaram e

133
seu pau pulsava. Um segundo depois ele estava preenchendo o
espaço entre eles com seu sêmen.

"Nole," Edrick gritou quando agarrou os quadris de Nole em um


aperto de morte antes de empurrar profundamente uma última
vez. O calor inundou seu canal quando o sêmen de Edrick encheu
Nole.

Quando Edrick caiu em cima dele, Nole não se importou que o


seu companheiro pesava uma tonelada, ou que ele mal conseguia
respirar. Ele apenas passou os braços ao redor de Edrick e o segurou
firme. Ele não poderia ter querido um companheiro, mas agora que
ele tinha um, Nole ia valorizar cada segundo que tinha com Edrick.

A vida era preciosa demais para desperdiçá-la se preocupando


com o seu futuro. Eles não podiam ficar assim para sempre, mas
eles tinham isso agora e, por Nole, isso significava o mundo.

134
Capítulo 18
O barulho dos motores poderia ser ouvido na madrugada,
acordando Edrick de onde ele dormia em volta do seu
companheiro. Pulando do colchão que tinha no chão, desde que a
obtenção de mobiliário não tinha sido uma prioridade, Edrick enfiou
as pernas em uma cueca.

"Nole, acorde. Temos companhia. "Uma vez que ele viu que
Nole tinha ouvido, Edrick correu para descer as escadas e para a
varanda. Olhando para a estrada principal da cidade, viu faróis virar
na direção deles, assim como o leão de montanha do Hudson saltou
sobre as pranchas próximas a ele.

Segundos depois, um Hudson nu estava ali. "Há pelo menos


dez motos, a maioria com dois pilotos e seis caminhões, os
ocupantes que variam de dois a seis. Ao todo, há trinta e seis
homens vindo para cá armados até os dentes."

Um calafrio percorreu a espinha de Edrick. Se os estranhos


vieram matar Edrick e seus amigos, havia pouca esperança de
sobreviver. Oh, eles iriam lutar até a morte, mas as chances não
estavam em seu favor. "Você sabe quem são eles?"

Hudson sacudiu a cabeça, mesmo quando ele vestiu a cueca


que Lucca entregou-lhe quando ele saiu para a varanda. Então o rifle
de Hudson foi empurrado em suas mãos, e seu amigo correu para
chegar à posição. Com a mira de Hudson, eles teriam uma chance,
não uma grande, mas pelo menos seria uma chance.

135
Assim que Hudson virou para sair, Edrick pegou seu primeiro
olhar sobre o grupo indo em seu caminho. Um calafrio percorreu sua
espinha para o homem na liderança. Ele era enorme. Pelo menos
cento e trinta quilos se Edrick tivera de adivinhar. Se o resto dos
homens eram qualquer coisa como seu líder, Edrick e seus amigos
estavam fodidos, e não em um bom caminho.

"Certifique-se que você não o perca", alertou Hudson enquanto


dava um passo para fora da varanda.

Seu amigo parecia ofendido com a declaração


desnecessária. Sem se preocupar em dar a Edrick uma resposta,
Hudson caminhou em direção ao ponto de vista que ele planejava
usar. Claro, Hudson não precisava ser lembrado de como fazer o seu
trabalho, mas enquanto os estranhos rolavam para mais perto,
Edrick se sentiu prudente. Estes homens eram grandes, musculosos.

Mas era mais do que isso. Eles tinham o mesmo olhar em seus
olhos que tinham Edrick, e seus amigos. Eles eram combatentes até
o núcleo. Não para um desejo de matar, mas a partir da necessidade
de sobreviver. Isso os tornavam perigosos, mas pelo menos não
insanos como muitos dos executores de seu pai.

"Eu não sabia que montanhas poderiam andar de moto",


Chadwick brincou quando ele saiu para a varanda.

O homem em questão parou vários metros antes deles. Seus


homens se espalharam para flanqueá-lo. Quando o homem grande
passou a perna sobre a sua moto para enfrentá-los, Edrick lutou a
necessidade de deixar cair o queixo. Alto ele mesmo, era raro para
Edrick encontrar homens muito mais altos do que ele, mas esse cara

136
tinha que estar perto de dois metros e dez. Ele também tinha
severamente subestimado quão pesado era o cara.

Músculos ondulavam sob a camisa apertada do estranho,


esticando as costuras até que pareciam prontas para rasgar. O
cabelo loiro caía passando os ombros do homem em
ondas. Penetrantes olhos de um azul brilhante que não perdiam
nada, olharam para ele, avaliando-o. Edrick era geralmente bom em
ler as pessoas, mas desta vez ... desta vez ele não tinha nada. O
homem estava a não mais de seis metros dele, e Edrick ainda não
tinha ideia se era amigo ou inimigo.

O sorriso que ele estava recebendo a partir do cara não estava


ajudando. Ele não podia explicar, mas Edrick tinha o desejo insano
de limpar aquele sorriso maldito do seu rosto. Seria suicida, mas
algo sobre o estranho fez os pelos de Edrick subir em advertência.

Muito disso tinha a ver com o cara sendo um Alpha. Dois


alphas não se davam bem no mesmo espaço.

"O que vocês estão fazendo aqui?" Ele gritou quando a última
moto foi desligada.

Aquele sorriso só cresceu. "O que? Nenhuma festa de boas-


vindas? Estou ferido."

Edrick rosnou baixo em sinal de advertência. Ele não sabia qual


era o problema desse cara, mas Edrick não estava disposto a deixá-lo
pensar que ele poderia entrar em sua cidade e assumir. "Isso não é
uma resposta para a pergunta."

"Não, não é." Isso era tudo. Sem elaboração.

"Responda à maldita pergunta," Edrick rosnou.

137
"Kirill," Nole gritou quando a porta de tela que tinham
instalado recentemente se fechou. "Você veio." Antes que Edrick
pudesse pará-lo, Nole desceu os degraus da varanda e saltou para os
braços do desconhecido.

Ciúme quente rasgou Edrick, sem chance dele ganhar o


controle. Não havia nenhum pensamento, nenhum plano, apenas a
necessidade crua para afastar o seu companheiro dos braços de
outro homem. Um segundo depois ele estava puxando seu
companheiro longe do estranho, jogando-o por cima do ombro e
caminhando de volta até a varanda antes de finalmente colocar Nole
de volta em seus pés.

Edrick nem sequer teve que ver o rosto de Nole para saber que
seu companheiro estava chateado. Não só a raiva estava rolando fora
de Nole tornando o ar ao redor deles amargo e acre, tudo ao mesmo
tempo, mas os punhos batendo em seu peito contaram sua história.

Os olhos castanhos brilharam com fogo, tomando o fôlego de


Edrick. Nole tinha um temperamento explosivo, mas Edrick estava
muito na borda para ser cauteloso. Tendo visto seu companheiro
nos braços de outro homem o fez querer cravar sua reivindicação
mais uma vez.

"Se você acha que pode maltratar ..." Edrick não deu a Nole a
chance de terminar inclinando-se e capturando todo esse fogo por si
mesmo, provando a todos assistindo apenas a quem Nole pertencia.

Ele tinha a intenção para que seja nada mais do que uma
reivindicação, mas, como sempre aconteceu com Nole, quando
Edrick sentiu os lábios mágicos contra os seus próprios, ele
simplesmente não conseguiu o suficiente. Beliscando e lambendo ao

138
longo da boca exuberante de Nole, Edrick saboreou o sabor doce,
único, do seu companheiro, esquecendo tudo o resto ao redor deles,
confiando em seus amigos para mantê-los seguros para o momento.

Não doeu que ele assumiu que os recém-chegados eram amigos


de Nole após essa saudação. Ainda assim, ele sabia que deveria ser
mais cauteloso, especialmente com seu companheiro em
risco. Relutantemente, ele terminou o beijo, sorrindo quando ouviu
Nole gemer e tentar seguir seus lábios quando Edrick se inclinou
para trás.

Sem poder deixar ir Nole, ele colocou uma mão na nuca de Nole
e olhou para aqueles belos olhos castanhos onde ele poderia
felizmente se afogar. A emoção era demais para segurá-la por mais
tempo.

"Eu te amo, meu pequeno rato."

Aqueles lindos olhos se arregalaram quando Nole absorveu


suas palavras. Em segundos, o amor brilhou claro como o dia
naqueles orbes castanhos. "Eu também te amo." Nole inclinou-se e
deu-lhe um beijo rápido. "Mas não ache que isso vai tirar você dos
problemas para se comportar como um homem das cavernas."

Edrick sorriu. Ele não podia evitá-lo. Ele adorava que seu
companheiro fosse tão independente.

Mesmo o fato que o grande homem que Nole tinha abraçado


agora tinha a cabeça jogada para trás e estava rindo dele não
diminuiu a felicidade de Edrick. Seu companheiro era realmente
incrível, e Edrick não poderia estar mais feliz de tê-lo em sua vida.

139
"É bom saber que você não perdeu a sua coragem, Nole", disse
o estranho. "Agora, por que você não me apresenta ao seu
companheiro antes que ele sinalize ao homem apontando o rifle
para mim para atirar na minha cabeça."

Edrick fez uma careta, sabendo que esse cara sabia que
Hudson estava vigiando eles. Não havia muitos que eram hábeis o
suficiente para ter alguma ideia que Hudson estava lá fora. Esse
Kirill o fez, atestado apenas a suas habilidades. Ele só esperava que
este homem não fosse tentar lutar contra ele para ser Alpha. Não
havia dúvida reais que Edrick iria ganhar, ele era muito bom, mas
isso não significava que não seria um desafio.

"Edrick Rapp, eu gostaria que você conhecesse Kirill


Levin. Kirill, este é o meu companheiro, Edrick." Só de ouvir Nole
apresentá-lo como seu companheiro aliviou um pouco a tensão que
ele teve sobre ver Nole abraçar Kirill. "Eu conheci Kirill dias após
rastejar longe da minha colônia. Ele e seu alegre bando de
desajustados me ajudou a me manter seguro enquanto eu curava."

Havia uma nota de brincadeira no tom de Nole que disse o


quão perto seu companheiro estava com esses homens. Tanto
quanto Edrick apreciava que Kirill tinha ajudado Nole após mal
escapar vivo da sua colônia, ele teve que admitir de não ter certeza
que ele estava confortável com sua conexão.

Kirill zombou nas palavras de Nole. "Por favor, você quase não
precisava de proteção. Você estava quase curado e se saindo muito
bem sozinho. Nós apenas lhe demos um pouco de paz de espírito
por alguns dias."

140
Isso foi tudo o que levou para Edrick gostar de Kirill. Qualquer
pessoa disposta a ajudar seu companheiro para se sentir melhor
sobre si mesmo ganhou suas graças no mínimo. "Eu iria convidar
todos para entrar mais a casa não é grande o suficiente para manter
esta multidão."

Kirill acenou para ele. "Com sua permissão, os meus homens


vão montar barracas, enquanto você e eu discutimos a proposta de
Nole de um lugar para chamar de lar em troca de ajuda com a
segurança."

Edrick assentiu. "Eles podem se estabelecer no campo." Edrick


apontou para um campo aberto do outro lado da estrada de terra
que levou às poucas casas que ficaram levantadas, incluindo a que
eles estavam reformando. "É plano, com drenagem decente em caso
de chuva antes de nós construirmos novas casas."

Uma vez que Kirill deu ordens aos seus homens, Edrick levou
Nole e Kirill no interior com instruções aos seus amigos para ajudar
a montar as barracas. Ele não tinha certeza que outro alpha na
cidade ia ser viável, mas Edrick não estava a ponto de irritar
ninguém por não ser hospitaleiro, especialmente desde que Kirill e
muitos dos seus homens apareceram endurecidos pelas batalhas,
que só poderia virar o jogo a seu favor quando enfrentariam a
colônia de Nole.

"Bem-vindo à Milagre", disse a Kirill enquanto caminhavam


para o lugar que ele agora chamava de lar.

141
Capítulo 19
"Você acha que eles vão ajudar?" Edrick perguntou enquanto
observava Kirill através da janela da sala de estar, do outro lado da
estrada de terra para as barracas que seus homens haviam
criados. Eles tinham acabado de falar com Kirill, e ambos os lados
tinham muito em que pensar.

Nole desejou poder responder, mas ele tinha parado de tentar


descobrir o que Kirill pensava anos atrás. O homem tinha sido
sempre difícil de ler. Ainda assim, a única coisa em que Kirill havia
sido coerente era em ajudar aqueles em necessidade. Depois de falar
com Edrick e Nole, Kirill passou um tempo na cozinha com Jari, que
poderia lhe dar uma imagem muito melhor dos horrores que sua
colônia tinha sofrido com Alpha Abdiel.

Ele foi até a janela. Uma fogueira ardia enquanto os homens


circularam ao redor ouvindo o que Kirill tinha a dizer. O que Nole
daria para ser uma mosca escutando.

"Baseado no que Jari lhe disse, então eu diria que sim, Kirill vai
ajudar. E onde o homem vai, seus homens vão, eles são leais assim."
Pelo menos eles tinham sido quando Nole tinha se reunido com o
grupo.

"Eu não estou recebendo ordens dele," afirmou Chadwick com


naturalidade. "Eu não corro de um alpha idiota narcisista para seguir
um outro."

Nole riu com a descrição de Kirill. O homem podia parecer


dessa maneira, mas nada poderia estar mais longe da verdade. "Kirill

142
atua assim porque ele foi empurrado para isso. Mas ele odeia dar
ordens quase tanto quanto ele não gosta de estar lutando."

Hudson bufou alto. "Certo. Parece que ele prefere rasgar você
que falar com você."

"Eu meio que esperava que ele começasse a gritar, Fe Fi Fo


Fum5, e fazer um feijão crescer através da casa." Chadwick brincou.

Nole revirou os olhos para suas palhaçadas. "Deixe de ser uma


criança."

Chadwick piscou para ele como se ele tivesse perdido a


cabeça.

"Por que diabos eu iria querer fazer isso? Eu tenho monitorado


tudo o que eu disse e fiz desde que eu era uma criança, no caso de
alguém descobriu que eu era gay e decidiu que precisava ser
purgado desta terra pelos meus pecados", Chadwick fez aspas no ar
ao redor da última palavra. "Agora que estou oficialmente fora e
sendo caçado, eu não pretendo ser qualquer um, mas quem diabos
eu sou."

Considerando que Nole normalmente aplaudiria a declaração


de Chadwick, ele precisava do homem aceitando Kirill se juntando a
eles.

"Ok, mas Kirill não vai tentar assumir Milagre, ou este


orgulho. Ele só quer o que todos nós queremos. Um lugar para
chamar de lar onde ele não tem que se preocupar em ser arrastado

5
"Fee-fi-fo-fum" é a primeira linha de um quadrinho histórico famoso por ser utilizado no clássico conto de
fadas inglês João e o Pé de Feijão.

143
pelas ruas e pendurados na árvore mais próxima por ser quem ele
é."

"Eu também gostaria de encontrar meu companheiro e viver


felizes para sempre, mas se você não nos quer aqui, é só dizer, e nós
vamos embora primeira luz da manhã," disse Kirill da porta.

Nenhum deles tinha ouvido o homem, que era um feito, uma


vez que eram shifters e Kirill era um homem grande que não deveria
ter sido capaz de deslocar-se sobre ninguém. Hudson virou-se para
enfrentar Kirill. Nole estava feliz em ver que pelo menos ele parecia
um pouco envergonhado de ter sido pego falando sobre o
cara. Chadwick, por outro lado, disse, "Como diabos você conseguiu
entrar aqui sem o chão tremer sob seus pés enormes?"

Kirill sorriu para Chadwick. "Segredo comercial. Ele funciona


bem quando eu preciso entrar no quarto de alguém no meio da noite
para cortar sua garganta."

Nole teve que morder o lábio para parar de rir quando o rosto
de Chadwick ficou pálido na ameaça implícita de Kirill. "Você falou
com os outros?" Nole mudou de assunto.

Balançando a cabeça, Kirill disse, "Eu fiz. Todo mundo


concordou em seguir Edrick e jurar fidelidade a ele. Tudo o que
pedimos em troca é para ser tratados com respeito."

Edrick encarou Kirill por um momento como medindo suas


palavras. Nole não tinha percebido que ele estava segurando a
respiração até que subitamente liberou o ar em seus pulmões
quando viu Edrick dar o seu aceno de consentimento.

"Feliz por ter você em nossa equipe." Edrick estendeu a mão.

144
Com Kirill e os seus homens, ele deveria tornar Milagre mais
seguro. Pelo menos isso é o que todos eles esperavam. Mas só o
tempo diria.

"Então, só por curiosidade," disse Chadwick quando Edrick e


Kirill apertaram as mãos. "Que tipo de shifter é você para ser tão
grande? Elefante, hipopótamo, baleia ... "

Kirill mostrou seus grandes caninos para Chadwick. "Urso


polar. Se você pensa que eu sou grande, você deve ver meu urso."

Com isso, Kirill girou nos calcanhares e saiu de casa tão


silenciosamente quanto tinha entrado.

"Eu tenho que aprender a fazer isso," Chadwick murmurou


antes de sair atrás de Kirill.

"Cinco dólares que Kirill o esmaga como um inseto," disse


Hudson.

"De jeito nenhum que eu estou tomando essa aposta," disse


Kellach. "Mas eu vou ver isso acontecer." Kellach correu atrás dos
outros dois.

Hudson se levantou para segui-lo, mas virou-se para Nole


primeiro. "Quando tudo isso acabar, você ainda quer caçar
fantasmas comigo?"

O homem parecia tão inseguro e derrotado como se ele já


soubesse que Nole diria não. Ele quase quebrou o coração de Nole.

"Estou ansioso por isso", disse ele com um sorriso.

O sorriso que ele recebeu em retribuição valeu completamente


a pena perder tempo à procura de espíritos que não estavam lá.

145
"Bom," Hudson disse antes de seguir Kellach pela porta da
frente.

Lucca pegou a mão de Jari e o levou a subir as


escadas. "Estamos indo para a cama."

Nole olhou ao redor do quarto agora vazio.

"Eu ia perguntar se fui eu quem limpou o quarto, mas se isso


significa algum tempo sozinho com você, eu não vou reclamar."

Nole deslizou seus braços ao redor de seu companheiro e


apoiou-se na ponta dos pés para dar um beijo nos lábios do homem.

Imediatamente ele se encontrou embrulhado nos braços fortes


de Edrick e realizado de forma protetora contra o corpo do seu
companheiro como se ele fosse a pessoa mais preciosa na
terra. Porra, mas ele poderia se acostumar com isso.

"Diga-me de novo." Edrick murmurou contra a sua boca.

Nole sabia exatamente o que seu companheiro queria ouvir.

"Eu te amo, Edrick Rapp. Mais do que nunca pensei possível


amar outra pessoa."

Era verdade. Por mais assustadora que essa ideia tinha sido
para ele, quando ele conheceu Edrick, agora que ele o admitiu para
si mesmo e seu companheiro, Nole encontrou o pensamento
reconfortante em vez de terrível. O conhecimento que Edrick sentia
o mesmo só fez tudo muito melhor.

"Eu também te amo, meu pequeno rato." Edrick assumiu o


beijo. Nole teve que agarrar ombros largos de seu companheiro

146
quando a língua de Edrick dançou ao longo da sua, e seus joelhos
ameaçaram se dobrar.

A próxima coisa que ele sabia, ele estava virado para cima fora
dos seus pés e nos braços de Edrick. Ele ouviu o ronronar que ele
tanto amava quando ele se inclinou contra o peito de Edrick. Pela
primeira vez, Nole não reclamou sobre ser capaz de andar. Por que
deveria, quando ele estava feliz bem onde ele estava.... Nos braços
de seu companheiro?

Neste mundo louco em que viviam, onde eram caçados por ser
gay. Não era seguro. No entanto, aqui, nos braços fortes do seu
companheiro, Nole sentiu paz, felicidade e amor. Amanhã eles
planejavam atacar a sua ex-colônia. O dia depois disso
provavelmente traria outra catástrofe para tantos depois por ser
gay. Então Nole iria se agarrar a cada momento que podia com seu
companheiro e apreciá-los.

Quem teria pensado que o seu rato se sentiria tão feliz,


enrolado com um leão de montanha ronronando?

Fim.

147