Você está na página 1de 56

VERSÃO VOLTAR

ESPANHOL

SÉRIE N
SISTEMA DE
INJEÇÃO MECÂNICA
UTILIZAÇÃO E
MANUTENÇÃO

EXCELÊNCIA TECNOLÓGICA
N45 MNA - N45 MSA
N45 MNS - N45 MSS
N45 MNT - N45 MST
N67 MNA - N67 MSA
N67 MNT - N67 MST
N45 AM1A/AM1
B - N45 SM1A/SM2A N45 SM1A/SM1/SM2A/SM2
B - N45 TM1A/TM2A N45 TM1A/TM1/TM2A/TM2/ TM2X
B - N67 SM1 N67 SM1
B - N67 TM2A/TM3A N67 TM2A/TM2/TM3A/TM3/TM1X
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

INTRODUÇÃO

Gostaríamos de agradecer-lhe por adquirir um produto FPT e felicitá-lo pela sua escolha.
As informações fornecidas a seguir estão atualizadas até a data de publicação do manual.
Antes de efetuar qualquer operação que envolva o motor ou os respectivos acessórios, leia cuidadosamente os conteúdos deste documento.
O cumprimento das instruções aqui fornecidas é a melhor forma de garantir funcionamento do motor a longo prazo e sem problemas.

Os conteúdos deste manual referem-se à configuração padrão do motor e as ilustrações são apresentadas a título meramente indicativo.
Algumas instruções são fornecidas indicando a sequência de operações a serem efetuadas, de forma a permitir que o motor e/ou respectivos
acessórios funcionem de determinada forma. Em alguns casos, estarão dependentes da configuração dos comandos e da configuração da
máquina em que o motor está instalado.

Para quaisquer pontos que sejam diferentes dos conteúdos deste manual, consulte as instruções fornecidas pelo fabricante da máquina ou
um manual específico.

O fabricante reserva-se ao direito de efetuar modificações a qualquer hora, sem aviso prévio, por razões técnicas ou comerciais, ou atualizar
os motores de forma a obedecer aos requisitos legais vigentes.

Lembre-se de que a Rede de Assistência Técnica da FPT coloca à sua disposição a sua experiência e competências profissionais,
independentemente do lugar onde se encontre.

3
ÍNDICE
INFORMAÇÕES GERAIS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
Garantia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
Peças de reposição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7
Responsabilidade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7
Segurança. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
Combustível - Atenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9
Dados técnicos do motor N45 MNA - N45 MSA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
Dados técnicos do motor N45 MNS/MSS/MNT/MST . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12
Dados técnicos do motor N67 MNA/MSA/MNT/MST . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .14
Dados técnicos do motor N45 AM1A/AM1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .16
Dados técnicos do motor B-N45 SM1A/SM2A - B-N45 TM1A/TM2A . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
Dados técnicos do motor B-N67 SM1 -TM2A/TM3A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .21
Símbolos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .24
UTILIZAÇÃO - Nas aplicações industriais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .25
Verificações preliminares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
Iniciar e parar o motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .25
Reconhecer alarmes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .28
Pré-aquecimento do motor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
Utilização adequada do motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .29
Avisos especiais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .29
Amaciamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
USO - Nas aplicações para conjunto gerador. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .32
Verificações preliminares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Iniciar e parar o motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .32
Pré-aquecimento do motor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Interpretação de instrumentos do quadro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Utilização adequada do motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .33
Avisos especiais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .33
Amaciamento do motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .35
ÍNDICE (CONTINUAÇÃO)
VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Pessoal de manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Prevenção de acidentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . 36
Abastecimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .37
Frequência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Requisitos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
Como proceder . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Mover o motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .48
Eliminação de resíduos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .48
LONGOS PERÍODOS DE INATIVIDADE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Preparar o motor para um longo período de inatividade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .49
Reiniciar o motor após um longo período de inatividade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .50
COMPORTAMENTO EM CASO DE EMERGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .51
Requisitos de utilização do painel de controle eletrônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

INFORMAÇÕES GERAIS

GARANTIA
De forma a garantir que o motor proporcione o melhor desempenho possível e para desfrutar da garantia da FPT, deve-se seguir as indicações
fornecidas neste manual. Caso contrário, a garantia poderá ser invalidada.

PEÇAS DE REPOSIÇÃO
Utilize sempre peças de reposição originais da FPT. Isto é essencial para manter o motor no estado de funcionamento original. A utilização de
peças de reposição não originais durante o prazo de garantia invalidará a mesma, e significa que a FPT não será de forma alguma considerada
responsável.

RESPONSABILIDADE
O fabricante será considerado responsável se integralmente realizadas as operações de controle e manutenção indicadas e descritas neste manual.
Quaisquer operações de manutenção necessárias devem ser efetuadas por técnicos qualificados das oficinas autorizadas da rede da FPT, utilizando
os instrumentos, equipamentos fornecidos para esse objetivo e peças originais FPT.

SEGURANÇA
Recomenda-se atenção na utilização do motor, de forma a evitar ferimentos pessoais ou danos materiais como resultado de um comportamento
incorreto ou inadequado.
- Os motores apenas devem ser utilizados para os fins indicados pelo fabricante.
- Qualquer alteração, modificação e utilização de peças de reposição não originais poderá comprometer o funcionamento correto e seguro do
motor; nunca, em nenhuma circunstância, efetue modificações dos cabeamentos e nas unidades que equipam o motor, nem as ligue a outros
sistemas de alimentação.
- Preste especial atenção às peças móveis do motor, à elevada temperatura dos componentes e aos circuitos que contêm fluidos
pressurizados, e os equipamentos elétricos com correntes e tensão elétricas.
- Os gases de descarga produzidos pelo motor são nocivos para a saúde. Nunca funcione ou teste os motores em locais fechados ou sem exaustão.
- O motor deve ser manuseado com força de elevação suficiente, utilizando os respectivos olhais existentes no motor.
- O motor não deve dar partida e funcionar até que a máquina em que está instalado tenha satisfeito todos os requisitos de segurança neces-
sários, ou até que a máquina obedeça às normas e legislação locais.
- As operações necessárias para garantir a melhor utilização e conservação do motor apenas devem ser efetuadas por pessoas com
experiência comprovada, equipadas com ferramentas consideradas adequadas pela FPT e peças originais FPT.

Para fins de segurança, são apresentadas mais recomendações no capítulo VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO.

7
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

COMBUSTÍVEL - ATENÇÃO

Os motores FPT foram desenvolvidos de modo a respeitar os severos limites nacionais e internacionais de emissão de gases poluentes, sendo
que para isso é necessário utilizar combustível de reconhecida qualidade durante toda sua vida útil. Para assegurar o atendimento à legislações
ambientais vigentes e o bom desempenho do motor, é fundamental utilizar óleo diesel derivado do petróleo conforme as seguintes normas:

.
. Internacionais: ISO 3170 (ASTM D4057) ou ISO 3171 (ASTM D4199)

. Européias: CEN 590

. Argentina: Resoluções S.E. 54/96, 222/01 e 731/2005


Brasil: Portaria ANP Nº 310/01

No entanto, quando o óleo diesel comercializado não atender as especificações mínimas de qualidade, apresentando um teor de enxofre mais
elevado e outras características que não favoreçam a boa combustão, poderão surgir problemas tais como:

.
. deterioração prematura do óleo lubrificante do motor

. desgaste acelerado dos anéis de segmento e cilindros

. deterioração prematura do sistema de escapamento

. sensível aumento da emissão de fuligem


carbonização acentuada nas câmaras de combustão e nos bicos injetores, com variação no consumo de combustível e desempenho do

. motor

. dificuldade na partida a frio com emissão de fumaça branca

. menor durabilidade do produto


corrosão prematura no sistema de combustível

A FPT desaconselha o uso de qualquer combustível alternativo que não tenha sido regulamentado pelos Órgãos Técnicos dos países
onde os motores serão utilizados.

9
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES

DADOS TÉCNICOS DO MOTOR N45 MNA - N45 MSA

O código técnico e o número de série são indicados numa plaqueta, que se encontra em diferentes partes do motor, relativas ao modelo:
caixa do volante do motor, tampa do excêntrico, entre outros.

Código N45 MNA / MSA Desempenho(*) N45 MNA / MSA


Família de motores F4 (TIER 2) 60 kW (81 CV) @ 2.300 rpm
Ciclo Diesel a 4 tempos 320 Nm (33 Kgm) @ 1.400 rpm
Número e disposição de cilin- (*)Potência líquida no volante do motor em conformidade com a nor-
4, em linha ma ISO 3046-1. Condições de teste: temperatura 25 °C; pressão
dros
Diâmetro x curso 104 x 132 mm atmosférica 100 kPa; umidade relativa 30%.
Cilindrada total 4.500 cm3 AVISO
Sistema de ar Admissão Qualquer alteração das características mencionadas acima é estrita-
Tipo de injeção Direta com bomba rotativa mente proibida, sob pena de perda da garantia e isenção de respon-
sabilidade por parte da FPT.
Direção de rotação do motor Para a esquerda (visto do lado do
volante do motor)
Peso líquido 380 kg

Sistema elétrico 12 V
Bateria(s)
- capacidade 100 Ah ou superior
- corrente de descarga 650 A ou superior

10
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

N45 MNA - N45 MSA

1. Correia de acionamento dos componentes auxiliares


2. Filtro de combustível
3. Tampa do abastecimento de óleo lubrificante
4. Tubo de retorno de combustível
5. Admissão de ar do motor
6. Olhal de elevação
7. Bomba injetora
8. Variador do ponto de injeção a frio
9. Tubo de admissão de combustível a partir do reservatório
10. Bomba de alimentação de combustível
11. Bujão de drenagem de óleo lubrificante
12. Vareta de nível de óleo
13. Bujão de drenagem do vapor condensado no filtro de combustível.

N45 MNA - N45 MSA

1. Coletor de descarga
2. Dreno do vapor de óleo
3. Saída de descarga
4. Olhal de elevação
5. Saída do líquido de refrigeração do motor
6. Localização da válvula termostática
7. Alternador
8. Entrada do líquido de refrigeração do motor
9. Filtro de óleo lubrificante
10. Motor elétrico de partida

11
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES

DADOS TÉCNICOS DO MOTOR N45 MNS/MSS/MNT/MST

O código técnico e o número de série são indicados numa plaqueta, que se encontra em diferentes partes do motor, relativas ao mo-
delo: caixa do volante do motor, tampa do excêntrico e outros.
Código N45 MNS/MSS/MNT/MST Desempenho(*) B-N45 TM2A - B-N45 TM2
Família de motores F4 (STAGE 2) Prime 87 kWm @ 1.500 rpm
Ciclo Diesel a 4 tempos Stand-by 96 kWm @ 1.500 rpm
Número e disposição dos cilindros 4, em linha Prime 97 kWm @ 1.800 rpm
Diâmetro x curso 104 x 132 mm Stand-by 107 kWm @ 1.800 rpm
Cilindrada total 4.500 cm3 Desempenho(*) N45 TM2X
Sistema de ar Supercomprimido - Pós- (TIER 3) Prime 86,5 kWm @ 1.800 rpm
refrigerado (1) Stand-by 95 kWm @ 1.800 rpm
Tipo de injeção Direta com bomba rotativa (*)Potência líquida volante motor em conformidade com norma ISO
8528.
Direção de rotação do motor Para a esquerda (visto do lado
do volante do motor)
Peso líquido 390 kg AVISO
Qualquer alteração das características mencionadas acima é estrita-
(1) Excluindo versões N45 MNS / MSS
mente proibida, sob pena de perda da garantia e isenção de respon-
sabilidade por parte da FPT.
Sistema elétrico 12 V
Baterria(s)
- capacidade 100 Ah ou superior
- corrente de descarga 650 A ou superior

12
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

N45 MNS/MSS/MNT/MST

1. Correia de acionamento dos componentes auxiliares


2. Filtro de combustível
3. Tampa do abastecimento do óleo lubrificante
4. Tubo de retorno de combustível
5. Dreno do vapor de óleo
6. Olhal de elevação
7. Bomba injetora
8. Variador do ponto de injeção a frio
9. Tubo de admissão de combustível a partir do reservatório
10. Bomba de alimentação de combustível
11. Bujão de drenagem do óleo
12. Vareta de nível de óleo
13. Bujão de drenagem do vapor condensado no filtro de combustível.

N45 MNS/MSS/MNT/MST

1. Coletor de descarga
2. Entrada de ar do turbocompressor
3. Saída de ar de turbocompressão (apenas para motores N45 MNT/MST)
4. Turbocompressor
5. Saída de descarga do turbocompressor
6. Entrada de ar do motor
7. Olhal de elevação
8. Saída do líquido de refrigeração do motor
9. Localização da válvula termostática
10. Alternador
11. Entrada do líquido de refrigeração do motor
12. Filtro de óleo
13. Motor elétrico de partida

13
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES

DADOS TÉCNICOS DO MOTOR N67 MNA/MSA/MNT/MST

O código técnico e o número de série são indicados numa plaqueta, que se encontra em diferentes partes do motor, relativas ao mo-
delo: caixa do volante do motor, tampa do excêntrico e outros.
Desempenho(*) N67 MNA/MSA
Código N67 MNA/MSA/MNT/MST (TIER 2) 81 kW (110 CV) @ 2.500 rpm
440 Nm (45 Kgm) @ 1.400 rpm
Família de motores F4
Desempenho(*) N67 MNT/MST
Ciclo Diesel a 4 tempos
120 kW (163 CV) @ 2.300 rpm
Número e disposição dos cilin- 6, em linha
(TIER 2) 630 Nm (64 Kgm) @ 1.400 rpm
dros
129 kW (175 CV) @ 2.300 rpm
Diâmetro x curso 104 x 132 mm
700 Nm (71 Kgm) @ 1400 rpm
Cilindrada total 6.700 cm3
Desempenho(*) N67 MNT
Sistema de ar Supercomprimido e pós-refrig-
(TIER 3) 129 kW (175 CV) @ 2.200 rpm
erado (1)
720 Nm (73 Kgm) @ 1.400 rpm
Tipo de injeção Direta com bomba rotativa
Direção de rotação do motor Para a esquerda (visto do vol-
AVISO
ante do motor)
Qualquer alteração das características mencionadas acima é estrita-
Peso líquido 530 kg
mente proibida, sob pena de perda da garantia e isenção de respon-
(1) Excluindo versões N67 MNA / MSA sabilidade por parte da FPT.

Sistema elétrico 12 V
Bateria(s)
- capacidade 180 Ah ou superior
- corrente de descarga 950 A ou superior

14
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

N67 MNA/MSA - N67 MNT/MST

1. Correia de acionamento dos componentes auxiliares


2. Filtro de combustível
3. Tampa do abastecimento de óleo lubrificante
4. Coletor de admissão do motor
5. Tubo de retorno de combustível
6. Olhal de elevação
7. Bomba injetora
8. Variador do ponto de injeção a frio
9. Tubo de admissão de combustível a partir do reservatório
10. Bomba de alimentação de combustível
11. Bujão de drenagem do óleo lubrificante
12. Vareta de nível de óleo
13. Bujão de drenagem do vapor condensado no filtro de combustível.

N67 MNA/MSA - N67 MNT/MST

1. Coletor de descarga
2. Dreno do vapor de óleo
3. Entrada de ar do turbocompressor
4. Saída de ar de turbocompressão (*)
5. Turbocompressor (*)
6. Saída de descarga do turbocompressor (*)
7. Olhal de elevação
8. Saída do líquido de refrigeração do motor
9. Localização da válvula termostática
10. Alternador
11. Entrada do líquido de refrigeração do motor
12. Filtro de óleo lubrificante
13. Motor elétrico de partida'
(*) Apenas para as versões MNT/MST

15
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES

DADOS TÉCNICOS DO MOTOR N45 AM1A/AM1

O código técnico e o número de série são indicados numa plaqueta, que se encontra em diferentes partes do motor, relativas ao mo-
delo: caixa do volante do motor, tampa do excêntrico e outros.

Código N45 AM1A/AM1 Desempenho(*) N45 AM1A


Família de motores F4 (STAGE 2) Prime 40 kWm @ 1.500 rpm
Ciclo Diesel a 4 tempos Stand-by 44 kWm @ 1.500 rpm
Número e disposição dos cilin- 4, em linha Desempenho(*) N45 AM1
dros (TIER 2) Prime 45 kWm @ 1.800 rpm
Diâmetro x curso 104 x 132 mm Stand-by 50 kWm @ 1.800 rpm
Cilindrada total 4.500 cm3 (*) Potência líquida no volante do motor em conformidade com a nor-
Sistema de ar Aspiração natural ma ISO 8528.
Tipo de injeção Direta com bomba rotativa
Direção de rotação do motor Para a esquerda (visto do vol-
ante do motor) AVISO
Regulador da velocidade Mecânico Qualquer alteração das características mencionadas acima é estrita-
mente proibida, sob pena de perda da garantia e isenção de respon-
Peso líquido 480 kg sabilidade por parte da FPT.

Sistema elétrico 12 V
Bateria(s)
- capacidade 100 Ah ou superior
- corrente de descarga 650 A ou superior

16
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

N45 AM1A/AM1

1. Radiador
2. Tampa do abastecimento do líquido de refrigeração
3. Tampa do abastecimento de óleo lubrificante
4. Coletor de admissão de ar do motor
5. Bomba injetora
6. Filtro de ar
7. Tubo de retorno do combustível
8. Tubo de admissão de combustível a partir do reservatório
9. Bomba manual de combustível
10. Vareta de nível de óleo
11. Filtro de combustível
12. Ventilador.

N45 AM1A/AM1

1. Olhal de elevação
2. Coletor de descarga
3. Dreno do vapor de óleo
4. Saída de descarga
5. Olhal de elevação
6. Tubo de retorno do líquido de refrigeração a partir do motor
7. Localização da válvula termostática
8. Flange de entrada do líquido de refrigeração do motor
9. Alternador
10. Bujão de drenagem de óleo lubrificante
11. Filtro de óleo
12. Motor elétrico de partida

17
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES

DADOS TÉCNICOS DO MOTOR B-N45 SM1A/SM2A - B-N45 TM1A/TM2A

O código técnico e o número de série são indicados numa plaqueta, que se encontra em diferentes partes do motor, relativas ao mo-
delo: caixa do volante do motor, tampa do excêntrico e outros.

Código B-N45 SM1A/SM2A Desempenho(*) B-N45 SM2A


B-N45 TM1A/TM2A (STAGE 2) Prime 66 kWm @ 1.500 rpm
Família de motores F4 Stand-by 73 kWm @ 1.500 rpm
Ciclo Diesel a 4 tempos (TIER 2) Prime 65 kWm @ 1.800 rpm
Nº e disposição cilindros 4, em linha Stand-by 72 kWm @ 1.800 rpm
Diâmetro x curso 104 x 132 mm Desempenho(*) B-N45 TM1A
Cilindrada total 4.500 cm3 (STAGE 2) Prime 77 kWm @ 1.500 rpm
Sistema de ar Supercomprimido, pós-refrigerado (1) Stand-by 85 kWm @ 1.500 rpm
Tipo de injeção Direta com bomba rotativa Prime 86 kWm @ 1.800 rpm
Stand-by 95 kWm @ 1.800 rpm
Direção rotação motor Para a esquerda (visto do volante motor)
Regulador de velocidade Mecânico Desempenho(*) B-N45 TM2A
Peso líquido SM 480 kg (STAGE 2) Prime 87 kWm @ 1.500 rpm
TM 500 kg Stand-by 96 kWm @ 1.500 rpm
1) Excluindo versões SM Prime 97 kWm @ 1.800 rpm
Stand-by 107 kWm @ 1.800 rpm
Sistema elétrico 12 V Desempenho(*) N45 TM2X
Bateria(s) (TIER 3) Prime 86,5 kWm @ 1.800 rpm
- capacidade Stand-by 95 kWm @ 1.800 rpm
100 Ah ou superior
- corrente de descarga 650 A ou superior (*)Potência líquida volante motor em conformidade com norma ISO
8528.
Desempenho(*) B-N45 SM1A
(STAGE 2) Prime 53,5 kWm @ 1.500 rpm AVISO
Stand-by 59 kWm @ 1.500 rpm Qualquer alteração das características mencionadas acima é estrita-
(TIER 2) Prime 59 kWm @ 1.800 rpm mente proibida, sob pena de perda da garantia e isenção de respon-
Stand-by 65 kWm @ 1.800 rpm sabilidade por parte da FPT.

18
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

B-N45 SM1A/SM2A
B-N45 TM1A/TM2A

1. Radiador(es)
2. Tampa do abastecimento do líquido de refrigeração do motor
3. Tampa do abastecimento de óleo
4. Coletor de admissão de ar do motor
5. Dreno do vapor de óleo
6. Olhal de elevação
7. Filtro de ar
8. Bomba injetora
9. Tubo de retorno de combustível
10. Tubo de admissão de combustível a partir do reservatório
11. Bomba manual de combustível de combustível
12. Vareta de nível de óleo
13. Bujão de drenagem do vapor condensado no filtro de combustível
14. Filtro de combustível.
(*) Excluindo versões SM

B-N45 SM1A/SM2A
B-N45 TM1A/TM2A

1. Coletor de descarga
2. Admissão de ar do turbocompressor
3. Saída de ar de turbocompressão
4. Turbocompressor
5. Saída de descarga
6. Olhal de elevação
7. Tubo de retorno do líquido de refrigeração a partir do motor
8. Localização da válvula termostática
9. Flange de entrada do líquido de refrigeração do motor
10. Ventilador
11. Alternador
12. Dreno de descarga de óleo lubrificante
13. Filtro de óleo
14. Motor elétrico de partida
(*) Excluindo versões SM

19
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
DADOS TÉCNICOS DO MOTOR B-N67 SM1 -TM2A/TM2/ TM3A/TM3/TM1X

O código técnico e o número de série são indicados numa plaqueta, que se encontra em diferentes partes do motor, relativas ao mo-
delo: caixa do volante do motor, tampa do excêntrico e outros.

Código B-N67 SM1 - TM2A/TM2/ Desempenho(*) B-N67 SM1


TM3A/TM3 Prime 110 kWm @ 1.500 rpm
Família de motores F4 Stand-by 121 kWm @ 1.500 rpm
Ciclo Diesel a 4 tempos Prime 126 kWm @ 1.800 rpm
Número e disposição dos cilin- 6, em linha Stand-by 138 kWm @ 1.800 rpm
dros Desempenho(*) B-N67 TM2A - B-N67 TM2
Diâmetro x curso 104 x 132 mm (STAGE 2) Prime 114 kWm @ 1.500 rpm
Cilindrada total 6.700 cm3 Stand-by 125 kWm @ 1.500 rpm
Sistema de ar Supercomprimido, pós-refrigera- Prime 127 kWm @ 1.800 rpm
do (1) Stand-by 140 kWm @ 1.800 rpm
Tipo de injeção Direta com bomba rotativa Desempenho(*) B-N67 TM3A - B-N67 TM3
Direção de rotação do motor Para a esquerda (visto do volante (STAGE 2) Prime 138 kWm @ 1.500 rpm
do motor) Stand-by 152 kWm @ 1.500 rpm
Regulador de velocidade Mecânico Prime 150 kWm @ 1.800 rpm
Peso líquido SM 610 kg Stand-by 165 kWm @ 1.800 rpm
TM 640 kg Desempenho(*) B-N67 TM2A - B-N67 TM2
1) Excluindo versões SM (TIER 3) Prime 127 kWm @ 1.800 rpm
Stand-by 125 kWm @ 1.500 rpm
Sistema elétrico 12 V Prime 127 kWm @ 1.800 rpm
Bateria(s) Stand-by 140 kWm @ 1.800 rpm
- capacidade 180 Ah ou superior (*)Potência líquida no volante do motor em conformidade com a
- corrente de descarga 950 A ou superior norma ISO 8528.
AVISO
Qualquer alteração das características mencionadas acima é es-
tritamente proibida, sob pena de perda da garantia e isenção de
responsabilidade por parte da FPT.

20
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

B-N67 SM1 - TM2A

1. Tampa do abastecimento do líquido de refrigeração do motor


2. Radiador
3. Tampa do abastecimento do óleo lubrificante
4. Coletor de admissão do ar do motor
5. Waste-gate
6. Dreno do vapor de óleo
7. Olhal de elevação
8. Filtro de ar
9. Bomba injetora
10. Tubo de retorno de combustível
11. Tubo de admissão de combustível a partir do reservatório
12. Bomba manual de combustível
13. Vareta de nível de óleo
14. Filtro de combustível.
(*) Excluindo versões SM

B-N67 SM1 - TM2A/TM3A

1. Coletor de descarga
2. Admissão de ar do turbocompressor
3. Saída do ar de turbocompressão
4. Turbocompressor
5. Saída de descarga
6. Olhal de elevação
7. Tubo de retorno de óleo lubrificante a partir do motor
8. Localização da válvula termostática
9. Ventilador
10. Correia de acionamento dos componentes auxiliares
11. Alternador
12. Flange de entrada de líquido de refrigeração do motor
13. Bujão de drenagem do óleo lubrificante
14. Filtro de óleo
15. Motor elétrico de partida
(*) Excluindo versões SM

21
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
SÍMBOLOS

O fabricante afixou símbolos de aviso ao motor, sendo os respectivos significados indicados abaixo
Nota: os símbolos com um ponto de exclamação destacam um perigo potencial.

Ponto de elevação (apenas para o motor). Perigo de queimadura: expulsão de água quente
sob pressão.

Tampa do reservatório de combustível (no reservatório de Perigo de queimadura: presença de peças com alta
combustível, se existir). temperatura.

Tampa do reservatório de óleo. Perigo de incêndio: presença de combustível.

Perigo de impacto em peças móveis: presença


Vareta de nível de óleo.
de ventiladores, polias, correias ou semelhante.

22
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

UTILIZAÇÃO - Nas aplicações industriais

VERIFICAÇÕES PRELIMINARES

Antes de dar partida no motor:


• Verifique o nível dos fluidos (combustível, óleo do motor e líquido de refrigeração) e complete, se necessário.
• Certifique-se de que o filtro de aspiração do ar não está bloqueado ou entupido, verificando ao mesmo tempo se o indicador mecânico no
filtro não apresenta o símbolo “vermelho”. Se o motor estiver equipado com um sensor de bloqueio elétrico, será acionado um alarme
na partida, através da luz sinalizadora no painel de instrumentos.

Nota: os procedimentos necessários para limpar o filtro estão indicados no capítulo VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO.

CUIDADO!
Certifique-se de que não existam vapores ou gases combustíveis na área em que o motor irá funcionar. Certifique-se de que as
áreas fechadas possuam ventilação adequada e um sistema de exaustão adequado.

INICIAR E PARAR O MOTOR

As operações de partida e parada descritas abaixo aplicam-se, quando existente, a um painel de controle a bordo fabricado pela FPT. Se o
fabricante do veículo ou máquina tiver instalado um painel de instrumentos personalizado, estas operações poderão variar de acordo as várias
escolhas efetuadas pelo fabricante durante a construção.
Nestes casos, siga as sequências de partida/parada sugeridas pelo fabricante e utilize a descrição do painel de instrumentos fornecida na
documentação.

23
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
Partida a partir do painel de controle da FPT (fornecido a pedido)

1. Insira a chave no comutador (1) e gire-a para a direita, para a posição 1B. “Run”. Quando as luzes sinalizadoras tiverem sido testadas e o
aviso acústico parar, certifique-se de que a instrumentação analógica apresenta valores em conformidade com os parâmetros físicos
de temperatura, tensão da bateria e pressão do óleo (abaixo são fornecidas informações sobre como interpretar as luzes sinalizadoras e
alarmes. Veja o item “Reconhecer alarmes” na próxima página).
2. Se o motor estiver instalado com um sistema de pré-aquecimento (opcional) e a temperatura do motor for inferior ao valor mínimo previsto para
que entre em funcionamento, aguarde que a respectiva luz sinalizadora se apague.
3. Gire a chave para a posição 1C “Start” e solte-a quando o motor der partida sem acelerar.
4. Certifique-se de que as luzes sinalizadoras “Recarga do alternador” e “Pressão baixa do óleo” desligaram e que a instrumentação analógica
apresente valores em conformidade com os novos parâmetros físicos relevantes. Se o sistema de pré-aquecimento tiver sido acionado, a
respectiva luz sinalizadora apagará novamente para indicar que a fase de pós-aquecimento está em curso. A duração desta função é proporcional
ao valor da temperatura.
5. Se o motor não partir, após soltar a chave, somente será possível colocá-la na posição de partida novamente depois de colocar o comutador
na posição de descanso 1A.

1. Comutador da chave de ignição/parada o motor


2. Aviso acústico
3. Voltímetro
4. Conta-giros e contador horário
5. Luz sinalizadora da temperatura do líquido de refrigeração
6. Luz sinalizadora de pressão do óleo do motor
7. Módulo de alarme e indicador .

1A Posição “REST” que permite retirar a chave


1B Posição fixa “RUN”
1C Posição temporária “START”
STOP Posição temporária utilizada em configurações PARADA EXCITADA
Detalhe do comutador
para motores alimentados por uma bomba injetora mecânica. de ignição

24
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

Parar o motor a partir do painel de controle da FPT

Antes de parar o motor, recomenda-se que ele funcione em marcha lenta durante alguns minutos, sem carga. Isto permitirá que a temperatura
desça uniformemente e evitará choques térmicos nocivos ao mesmo.

O método de parada dependerá do tipo de equipamento instalado.


Com um circuito de parada “não excitado”
- Rode o comutador de ignição para a posição 1A - REST
Com um circuito de parada “excitado”
- Rode o comutador de ignição para a posição STOP

Na ausência de painéis de controle da FPT, siga sempre as instruções fornecidas pelo fabricante da máquina ou equipamento.

Para nova tentativa de dar partida no motor:


1. Volte a colocar o comutador de ignição na posição descanso 1A, reiniciando assim todas as funções do painel de bordo (apenas necessário
para os motores controlados eletricamente).
2. Gire a chave para a posição 1C “Start” e solte-a quando o motor partir, sem acelerar.
3. Proceda como descrito anteriormente.

RECONHECER ALARMES

Descrição das luzes sinalizadoras e alarmes


O painel de instrumentos da FPT contém as luzes sinalizadoras utilizadas para indicar o estado de funcionamento do motor. O acendimento
destas luzes sinalizadoras é acionado por circuitos eletrônicos, que possuem uma função simultânea de temporizador de alarme e de
armazenamento.

7A. Excesso de velocidade de rotação máxima permitida (a pedido)


7B. Filtro de ar bloqueado
7C. Nível baixo de combustível
7D. Temperatura elevada do líquido de refrigeração
7E. Baixa pressão de óleo
7F. Avaria do alternador
7G. Nível baixo do líquido de refrigeração do motor
7H. Pré-pós aquecimento.

Alguns tipos de motor e respectivo equipamento apenas efetuam algumas das funções indicadas na legenda acima. Se o fabricante da máquina
utilizar diferentes opções técnicas, também poderão existir alterações adicionais à mesma.
25
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
Operação

Quando a chave é girada no comutador para a posição 1B é efetuado um teste de eficiência, durante 5 segundos, em todas as luzes sinalizadora,
com a exceção da luz sinalizadora “Pré-pós aquecimento”, soando ao mesmo tempo o aviso acústico.
Durante a partida e para os 15 segundos seguintes, todas as funções gerais são desativadas, e cada estado crítico detectado pelos sensores
existentes no motor resultará no acendimento da respectiva luz sinalizadora.
Alguns alarmes, que são de importância crítica para um funcionamento eficiente do motor, não só acenderão a respectiva luz sinalizadora, mas
também ligarão o sinalizador acústico e provocarão o encerramento automático do motor na ocorrência dos seguintes eventos:
- excesso da velocidade de rotação máxima permitida;
- temperatura elevada do líquido de refrigeração;
- baixa pressão do óleo;
- baixo nível do líquido de refrigeração do motor.

CUIDADO!
Em caso de paradas momentâneas do motor, preste atenção às luzes gerais e verifique quaisquer sinais de alarme. Não volte
a dar partida no motor até que a causa do problema tenha sido solucionada ou tenham sido restabelecidas as condições de
funcionamento adequadas.

PRÉ-AQUECIMENTO DO MOTOR (opcional)


(230 V, dispositivo elétrico monofásico)

Os motores para os quais são necessárias partidas a baixa temperatura e fornecimento imediato de potência poderão ser instalados com um
dispositivo de aquecimento elétrico monofásico de 230 V, que permite que a temperatura do líquido de refrigeração suba e seja mantida a valores
adequados. O dispositivo tem instalado um termostato o qual corta a fonte de alimentação quando é atingida a temperatura adequada.

26
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

UTILIZAÇÃO ADEQUADA DO MOTOR

• Não deixe a chave girada para a posição de partida 1C, após a partida do motor.
• Se não for eficiente deixar o motor funcionando em marcha lenta enquanto aguarda que atinja a temperatura adequada de funcionamento, é
preferível, após cerca de um minuto desde a partida, que seja aumentada gradualmente a carga do motor.
• Não deixe o motor trabalhando em marcha lenta durante um longo período, uma vez que isto aumenta a produção de emissões nocivas
e não garante o melhor desempenho. Observe sempre se o local é arejado ou tem exaustão satisfatória antes de ligar o motor.
• A velocidade do motor deve ser gradualmente aumentada e diminuída, para permitir uma combustão regular e um funcionamento adequado
de todos os seus componentes.
• A velocidade de funcionamento e os valores de potência devem obedecer às especificações na documentação técnica e comercial.

Durante a utilização, verifique periodicamente se:


1. A temperatura do líquido de refrigeração do motor não atinge o limite de alarme.
2. A pressão do óleo permanece dentro dos valores normais.

AVISOS ESPECIAIS
Circuito do líquido de refrigeração
Quando existir uma situação de “Temperatura elevada do líquido de refrigeração” e “Nível baixo do líquido de refrigeração do motor”, será
acionada a parada do motor. Nestes casos, aguarde o resfriamento do motor e verifique a eficiência dos componentes do circuito. Não abra a
tampa do reservatório do líquido de refrigeração quando o motor estiver quente, pois é criada uma pressão nos circuitos de refrigeração que
poderá fazer com que seja expelido líquido quente com grande violência. Isto resulta em perigo de queimaduras.
CUIDADO!
Apenas abra a tampa do reservatório do líquido de refrigeração se for estritamente necessário, e apenas quando o motor estiver frio.

Se a temperatura estiver elevada, fora do padrão de operação, reduza a velocidade e pare para verificar o estado dos circuitos do sistema de refrig-
eração. Além disso, verifique e mande verificar:
a) a tensão da correia de acionamento dos componentes auxiliares;
b) o funcionamento da válvula termostática;
c) se o radiador está limpo ou não. Caso esteja sujo, limpe-o.

Circuito de lubrificação
Quando existir uma situação de “Pressão do óleo baixa”, será acionada a parada do motor. Neste caso, verifique o nível do óleo, seguindo as
instruções no capítulo “VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO”.
Se a situação continuar, contate um Centro de Serviço FPT mais próximo.
27
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
Circuito de combustível

Evite utilizar o motor com pequena quantidade de combustível no reservatório. Isto favorece a formação de condensados e torna mais provável
a admissão de sujeira ou ar, resultando na parada do motor.
CUIDADO!
Quando reabastecer, tome sempre grande cuidado para garantir que não entrem poluentes sólidos ou líquidos no reservatório
de combustível. É proibido fumar ou criar chamas durante o abastecimento.

CUIDADO!
Nunca solte os conectores da tubulação do circuito de combustível quando o motor estiver funcionando.

Circuitos de admissão de ar e descarga


Inspecione regularmente o nível de limpeza do circuito de admissão de ar. Os intervalos de manutenção indicados neste manual variam de
acordo com as condições em que o motor é utilizado.
Em ambientes particularmente poeirentos, é necessário efetuar a manutenção a intervalos mais frequentes, respeitando as indicações for-
necidas no capítulo VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO.
CUIDADO!
Verifique visualmente se o circuito de descarga não está bloqueado ou danificado, de forma a evitar a formação de gases perigosos.

Sistema elétrico de recarga e partida


Verifique periodicamente, especialmente durante o inverno, para garantir que as baterias estejam limpas e operantes, conforme o indicado no
capítulo VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO.
Se for necessário substituir as baterias, respeite sempre os requisitos mínimos de capacidade e intensidade de corrente de descarga
recomendados.
AVISO
No caso de o voltímetro indicar um valor de tensão inferior a 11 V (para instalação a 12 V nominais), ou 22 V (para instalação a 24 V nominais),
contatar o centro de serviços para diagnóstico da eficiência da bateria e da instalação de recarga.

28
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

CUIDADO!
As baterias contêm uma solução ácida que queima a pele e corroi as roupas. Quando for necessária a verificação destas, use
sempre roupa protetora, luvas e óculos de proteção, não fume ou utilize chamas por perto e certifique-se de que a sala onde se
encontram está ventilada adequadamente.

AMACIAMENTO

Graças à moderna tecnologia de construção do motor, não é necessário nenhum procedimento especial de amaciamento. No entanto, recomen-
da-se que, durante as primeiras 50 horas, não se utilize o motor a potências elevadas durante longos períodos.

29
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
USO - Nas aplicações para conjunto gerador

VERIFICAÇÕES PRELIMINARES

Preparar o motor para serviço, tomando o cuidado de:


• Controlar, e havendo necessidade, restabelecer o nível dos fluídos (combustível, óleo do motor e líquido de refrigeração)
• Certificar-se que o sistema de descarga dos gases consumidos esteja corretamente posicionado e que o(s) filtro (s) de ar de aspiração
não estejam obstruídos, verificando no entanto se o indicador mecânico sobre o filtro(s) não mostra o sinal “vermelho”.
• Certificar-se que as baterias utilizadas para a partida estejam eficientes e seus bornes conetados corretamente.
• Certificar-se que o equipamento está em lugar aberto ou existe sistema adequado de exaustão
AVISO
Caso necessário, abastecer o motor com líquido de refrigeração e seguir os procedimentos relatados nas ADVERTÊNCIAS ESPECÍFICAS
nesta seção.
Nota: Os procedimentos para as intervenções de manutenção estão relatadas no capítulo CONTROLES E MANUTENÇÕES.

INICIAR E PARAR O MOTOR

As modalidades para a partida e parada responderão às exigências do sistema para a geração de energia elétrica. Estas poderão variar em
relação às diferentes escolhas feitas para a realização do grupo e do posicionamento de comando e condução do sistema.
Cabe ao operador dos sistemas de geração elétrica ou ao fabricante do conjunto gerador fornecer um completo e detalhado procedimento.
Passada a fase de partida, prestar atenção às indicações fornecidas pelos instrumentos de medida que equipam o conjunto, e verificar se os
valores indicados são de funcionamento regular.

PRÉ-AQUECIMENTO DO MOTOR (opcional)


(Dispositivo elétrico)

Os motores para os quais é exigida partida a baixas temperaturas e um fornecimento imediato de potência, podem ser providos do dispositivo
de aquecimento elétrico que permite elevar ou manter a temperatura do líquido de refrigeração em valores adequados às exigências técnicas
de operação.
O dispositivo tem um termostato para interromper a alimentação elétrica ao atingir a temperatura prevista.

INTERPRETAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DO QUADRO

Prestar atenção às indicações fornecidas pelos instrumentos de medida que compõem o quadro.
30
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

UTILIZAÇÃO ADEQUADA DO MOTOR

- Verificar, antes de cada partida, se há combustível suficiente disponível no reservatório.


- Evitar prolongar a duração do comando de partida.
- Não permanecer muito tempo no estado de regime de marcha lenta porque isto não favorece o melhor desempenho do motor.
- Os valores de rendimento de potência devem estar de acordo com o especificado na documentação técnico comercial.
- Durante o uso, conferir periodicamente:
. a temperatura do líquido de refrigeração, para que não atinja o limiar de alarme;
. a pressão do óleo, para que se mantenha dentro de valores normais de operação
- Deve-se ter atenção especial para com os motores que equipam conjuntos geradores de emergência, para os quais é necessário manter
programas de verificações frequentes de eficiência para garantir a sua partida imediata, em todos os casos em que esta seja requisitada.

AVISOS ESPECIAIS
Circuito do líquido de refrigeração
Quando existir uma situação de “Temperatura elevada do líquido de refrigeração” e “Nível baixo do líquido de refrigeração do motor”, será
acionada a parada do motor. Nestes casos, aguarde o resfriamento do motor e verifique a eficiência dos componentes do circuito. Não abra a
tampa do reservatório do líquido de refrigeração quando o motor estiver quente, pois é criada uma pressão nos circuitos de refrigeração que
poderá fazer com que seja expelido líquido quente com grande violência. Isto resulta em perigo de queimaduras.
Verificar:
a) a tensão da correia do alternador;
b) o funcionamento da válvula termostática;
c) a limpeza do radiador
CUIDADO!
Abrir a tampa de abastecimento do reservatório do líquido de refrigeração somente se necessário, e exclusivamente com o motor frio.

Abastecimento do líquido de refrigeração


Para a colocação em serviço do motor e nos casos em que seja necessário o abastecimento do sistema com líquido de refrigeração, proceder
como indicado a seguir:
• Abastecer o motor e o radiador até o completo enchimento deste.
• Com a tampa de introdução aberta, proceder à partida do motor e permanecer no regime de marcha lenta por aproximadamente 1 minuto.
Esta fase favorece a expulsão completa do ar presente no interior do circuito de refrigeração.
• Parar o motor e proceder à reposição com a quantidade que falta.
Indicações complementares sobre as características e as quantidades do líquido de refrigeração estão relatadas na seção VERIFICAÇÕES E
MANUTENÇÃO.
31
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES

CUIDADO!
A não observância deste procedimento pode causar problemas por não haver sido completado o nível do líquido de refrigeração
do motor.

Circuito de lubrificação

Quando existir uma situação de “Pressão do óleo baixa”, ocorrerá a parada do motor. Neste caso, verifique o nível do óleo, seguindo as in-
struções no capítulo sobre VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO.
Se a situação continuar, contate um Centro de Serviço FPT.

Circuito de combustível

Evite utilizar o motor com pequena quantidade de combustível no reservatório. Isto favorece a formação de condensados e torna mais provável
a admissão de sujeira ou ar, resultando na parada do motor.

CUIDADO!
Quando reabastecer, tome sempre grande cuidado para garantir que não entrem poluentes sólidos ou líquidos no reservatório
de combustível. É proibido fumar ou criar chamas durante o abastecimento.

CUIDADO!
Nunca solte os conectores da tubulação do circuito de combustível de alta pressão.

Circuitos de admissão de ar e descarga


Inspecione regularmente o nível de limpeza do circuito de admissão de ar. Os intervalos de manutenção indicados neste manual variam de
acordo com as condições em que o motor é utilizado.
Em ambientes particularmente poeirentos, é necessário efetuar a manutenção a intervalos mais frequentes, respeitando as indicações
fornecidas no capítulo VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO.

CUIDADO!
Verifique visualmente se o circuito de descarga não está bloqueado ou danificado, de forma a evitar gases perigosos.

32
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

Sistema do motor de partida elétrica

Verifique periodicamente, especialmente durante o inverno, que as baterias estejam limpas e funcionando, conforme o indicado no capítulo
VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO.
Se for necessário substituir as baterias, respeite sempre os requisitos mínimos de capacidade e intensidade de corrente de descarga recomen-
dados.

AVISO
No caso de o voltímetro indicar um valor de tensão inferior a 11 V (para instalação a 12 V nominais), ou 22 V (para instalação a 24 V
nominais), contatar o centro de serviços para diagnóstico da eficiência da bateria e da instalação de recarga.

CUIDADO!
As baterias contêm uma solução ácida que queima a pela e corroi as roupas. Quando for necessária a verificação destas, use
sempre roupa protetora, luvas e óculos de proteção, não fume ou utilize chamas por perto e certifique-se de que a sala onde se
encontram está ventilada adequadamente.

Verifique e controle periodicamente o estado de limpeza, de desgaste e a correta tensão da correia do alternador.

AMACIAMENTO DO MOTOR

Graças à moderna tecnologia de construção do motor, não é necessário nenhum procedimento especial de amaciamento. No entanto, recomenda-
se que, durante as primeiras 50 horas, não utilize o motor a potências elevadas durante longos períodos.

33
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
VERIFICAÇÕES E MANUTENÇÃO

PESSOAL DE MANUTENÇÃO

As operações de verificação e manutenção do motor descritas no seguinte capítulo requerem formação, experiência e conformidade com
as normas de segurança vigentes. Por esta razão, devem ser efetuadas por técnicos especializados, tal como indicado abaixo.
- Controles: funcionários da oficina ou, quando da ocorrência, pelo utilizador do veículo.
- Manutenção periódica: pessoal qualificado equipado com equipamento adequado e meios adequados de proteção.
Operações marcadas pelo símbolo da chave.

- Manutenção especial: pessoal qualificado do Centro de Serviço com informações técnicas e equipamento específicos.
Operações marcadas pelo símbolo da chave.

Os Centros de Assistência qualificados que compõem a Rede da Assistência Técnica FPT.

PREVENÇÃO DE ACIDENTES
- Use sempre botas e roupas para trabalhos pesados.
- Nunca use roupas soltas e largas, anéis, pulseiras e/ou colares perto de motores ou peças móveis.
- Use sempre luvas e óculos de proteção quando:
.encher baterias com uma solução ácida
.abastecimento com inibidores ou anti-congelante
.substituir ou completar lubrificante (o óleo de motor quente poderá provocar queimaduras e escaldões. Apenas efetue estas operações
.quando o óleo tiver baixado para uma temperatura inferior a 50°C).
.utilizar jatos de ar de alta pressão para limpeza (a pressão máxima utilizada para limpar é de 200 kPa - 2 bar, 30 psi, 2 kg/cm2)
- Quando trabalhar no compartimento do motor, tome especial atenção, para evitar o contato com peças móveis ou
componentes com temperaturas elevadas..
- Use capacete de proteção quando trabalhar numa área onde existam cargas suspensas ou sistemas instalados à altura da cabeça.
- Utilize cremes de proteção para as mãos
- Mude imediatamente de roupa se esta se molhar.
- Mantenha sempre o motor limpo, removendo manchas de óleo, massa lubrificante e de líquido de refrigeração.
- Guarde as roupas em roupeiros à prova de fogo.
- Não deixe objetos estranhos no motor.
- Utilize tambores ou bombonas adequados e seguros para o óleo usado.
- Quando concluir uma reparação, tome providências para parar a admissão de ar no motor se, após a partida, ocorrer um aumento
intempestivo na velocidade do motor.
34
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

CUIDADO!
Não efetue operações de manutenção quando a fonte de alimentação elétrica estiver ligada: verifique sempre se os acessórios
estão corretamente aterrados. Durante as operações de diagnóstico e manutenção, certifique-se de que as suas mãos e pés
estejam secos e, sempre que possível, utilize suportes de isolamento.

CUIDADO!
As condições que provocam a partida de um conjunto gerador de emergência podem ocorrer sem aviso prévio, dada a sua aplicação.
Durante as intervenções de controle e manutenção, observar rigorosamente as prescrições indicadas pelo fabricante do grupo e
pelo operador do sistema de geração elétrica, para garantir a máxima segurança, sem riscos operacionais.

ABASTECIMENTO
N45 N67
Capacidades
litros (kg) litros (kg)
(*) motor 8,5 10,5
Circuito de refrigeração (1) (**) conjunto gerador 10,5 25,5
Circuito de lubrificação (2)
12,8 (11,8) 17,2 (15,8)
capacidade total (3)
Substituição periódica:
cárter óleo no nível mínimo 7 (6,5) 8,7 (8)
cárter óleo no nível máximo 11,5 (10,5) 15,2 (14)
Reservatório de combustível (4) - -
(*)As quantidades indicadas referem-se apenas à configuração padrão do motor.
(**)Capacidade total
(1) Utilize uma mistura de água e 50% PARAFLU 11, mesmo durante os meses de verão. Como uma alternativa ao PARAFLU 11, utilize outro produto que
obedeça às especificações internacionais SAE J 1034.
(2) Utilize lubrificantes que obedeçam às especificações internacionais ACEA E3 - E5 (motores de alta potência), API CF - CH4 (associados a combustíveis
com uma percentagem de enxofre de < 0,5%), MIL - L - 2104 F.
O nível de viscosidade do óleo utilizado conforme as temperaturas ambientes é indicado na tabela fornecida no apêndice. O consumo de óleo é consid-
erado aceitável quando atinge um máximo de 0,5% de consumo de combustível.
(3) As quantidades indicadas referem-se ao abastecimento inicial e incluem abastecer o motor, cárter e filtro.
(4) Vide página 9 - Tópico “Combustível - Atenção”

35
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
AVISO
O abastecimento a partir de tambores ou reservatórios poderá resultar em contaminação do combustível diesel, com o risco de danos no sistema
de injeção. Se necessário, filtre o combustível de uma forma adequada para permitir a sedimentação das impurezas antes de abastecer.
Baixa temperatura do diesel
As especificações das normas apresentadas no tópico “Combustível - Atenção” distinguem diferentes classes de combustível diesel, identifi-
cando as características dos mais indicados para baixas temperaturas.
Cabe totalmente às companhias petrolíferas obedecer a estas normas, que regulam a distribuição adequada de combustíveis de acordo
com as condições climáticas e geográficas dos vários países.
FREQUÊNCIA
Verificações (quando em utilização) Frequência
Verificar o nível de óleo no motor Diária
Verificar o nível do líquido de refrigeração Diária
Verificação e limpeza dos radiador Diária
Verificação e limpeza do filtro de ar Diária
Drenar água do pré-filtro de combustível 150 horas (1)
Verificar/atestar o nível de eletrólito nas baterias e limpar terminais Semestral
Os intervalos de manutenção indicados abaixo consideram os fatores de trabalho típicos para os vários tipos de utilização do motor. O intervalo
mais adequado das operações de manutenção para as várias aplicações será indicado pelo pessoal de manutenção, de acordo com a forma e
condições de trabalho em que o motor é utilizado.

Manutenção programada Frequência


Verificar o estado e tensão da correia 300 horas (2)
Trocar o óleo 600 horas (3) (4)
Trocar o(s) filtro(s) de óleo 600 horas (3) (4) (5)
Trocar o(s) filtro(s) de combustível 600 horas (3) (1) (5)
Trocar o pré-filtro de combustível 600 horas (3) (1)
Verificar o(s) tubo(s) de descarga sobre existência de danos Semestral
Drenagem/aspiração das impurezas do reservatório do combustível Semestral (1)
Trocar a Correia de acionamento dos componentes auxiliares 1200 horas
Trocar o filtro de ar 1200 horas (6)
Trocar o líquido de refrigeração 1200 horas ou 2 anos
36
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

Manutenção especial Frequência


Limpar o turbocompressor 1200 horas (7)
Verificar a eficiência do sistema de pré-pós aquecimento (se existir) 1200 horas
Calibragem do injetor 1800 horas
Inspeção da bomba injetora 3000 horas
Ajustar a folga nos braços do balancim 3000 horas
(1) Período máximo quando utilizar combustível de boa qualidade (normas apresentada no tópico “Combustível - Atenção). Isto será reduzido se o combustível estiver
contaminado e os alarmes forem acionados devido ao bloqueio dos filtros e à presença de água no pré-filtro. Quando for indicado um bloqueio do filtro, este deverá
ser substituído. Se a luz sinalizadora de água no pré-filtro não se apagar após a drenagem, o pré-filtro deve ser substituído.
(2) Refere-se a motores com dispositivos de tensionamento automático e tradicional
(3) Deve ser efetuado anualmente, mesmo que não seja atingido o número necessário de horas de trabalho.
(4) Substitua os lubrificantes de acordo com a frequência indicada na tabela ABASTECIMENTO.
(5) Apenas utilize filtros com as seguintes características:
- nível de filtragem < 12 μm
- eficiência de filtragem ß > 200.
(6) A frequência com que as operações são efetuadas dependerá das condições de trabalho e a eficiência/desgaste do produto.
(7) Necessário pela recirculação do vapor de óleo.
AVISO
As operações de manutenção extraordinária descrita na respectiva tabela são da exclusiva competência de pessoal qualificado, de
posse de informações adequadas e dotados de instrumentos de trabalho e meios de proteção apropriados. Os métodos para a sua
realização não são relatados neste documento, mas são parte integrante do conteúdo dos manuais técnicos e de reparação FPT, nos
centros de serviços.
REQUISITOS
1. Não desligue as baterias com o motor funcionando.
2. Não efetue operações de soldagem em arco na proximidade do motor sem primeiro remover os cabos elétricos.
3. Após cada operação de manutenção que envolva desligar a(s) bateria(s), certifique-se de que os terminais foram corretamente conectados aos polos
quando ligados.
4. Não utilize carregadores das baterias para ligar o motor.
5. Desligue a(s) bateria(as) da rede a bordo quando recarregar.
6. Não pinte os aparelhos, componentes e conectores elétricos que equipam o motor.
7. Desligue a(s) bateria(s) antes de quaisquer operações elétricas.
8. Contate o fabricante antes de instalar o equipamento eletrônico a bordo (rádios bidirecionais e semelhantes).
AVISO
A regulagem da bomba foi estabelecida considerando os critérios de desempenho, confiabilidade e homologação. Fica terminan-
temente proibida qualquer alteração em sua regulagem, sem a prévia autorização do fabricante.
37
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
COMO PROCEDER
Verificar o nível de óleo no motor

Realize esta operação somente com o motor desligado e a baixa tem-


peratura, para evitar riscos de queimaduras.
• Realize todas as ações necessárias para garantir que a máquina
esteja “nivelada”.
• Utilizando a vareta do óleo (1), verifique se o nível do óleo está en-
tre os níveis “Min” e “Max”.
• Se o nível for demasiado baixo, complete através do bocal de enchi-
mento, após primeiro remover a respectiva tampa (2).

AVISO
Após completar o nível, certifique-se de que este não exceda
o limite “Max” marcado na vareta.
Certifique-se de que a vareta esteja corretamente introduzida,
e que a tampa de abastecimento é girada para a direita até
que trave.

38
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

Verificar o nível do líquido de refrigeração


Realize esta operação somente com o motor desligado e a baixa temperatura, para evitar riscos de queimaduras.
- Com o motor frio, certifique-se de que o nível do líquido de refrigeração no reservatório de expansão está
acima do nível mínimo.
- Verifique se o nível de fluido não é superior a 2/3 do reservatório, para permitir que o aumento da temperatura
aumente o volume de fluido.
- Encher o reservatório de água, se necessário. Utilizar sempre água sem impurezas. Evitar a utilização de água
destilada. Ver tabela de ABASTECIMENTO.

Nota: A necessidade de completar frequentemente o nível do líquido de refrigeração indica a necessidade de diagnóstico do circuito de
refrigeração.

No caso em que a preparação contenha somente o radiador, proceder à eventual recarga, tendo cuidado para que o líquido não sature o volume
interno do radiador. Isto pode ocorrer em virtude do aumento da temperatura com consequente aumento do volume do líquido existente.
CUIDADO!

Apenas abra a tampa do reservatório do líquido de refrigeração se for estritamente necessário, e apenas quando o motor estiver frio.

Limpar o radiador
Verifique se as entradas de ar do radiador estão livres de sujeira (pó, lama, palha, etc.).
Limpe-os, se necessário, utilizando ar-comprimido ou vapor.

CUIDADO!
A utilização de ar-comprimido faz com que seja necessário utilizar equipamento
de proteção adequado para as mãos, rosto e olhos. Consulte as indicações no
item PREVENÇÃO DE ACIDENTES.

39
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
Limpar o filtro de ar
(refere-se aos componentes da FPT)

Realize esta operação somente com o motor desligado.

• Retire a tampa do filtro (1) após primeiro desapertar a alavanca de bloqueio.


• Retire o cartucho externo (2), após desapertar a segunda alavanca de bloqueio. Durante esta operação, tenha cuidado para que não entre
pó no flange.
• Verifique se não existe sujeira. Se existir, limpe o elemento do filtro, tal como indicado abaixo.
• Sopre ar-comprimido seco através do elemento do filtro, de dentro para fora (pressão máxima de 200 kPa). Não utilize detergentes, nem
utilize diesel.
• Nunca utilize ferramentas para sacudir o elemento do filtro e verifique sua condição antes de o substituir.
• Substitua o filtro caso existam quaisquer quebras ou rasgões.
• Verifique se a junta na respectiva base está em bom estado. Alguns sistemas de filtragem estão equipados com um segundo elemento de
filtro (3) que não necessita de ser limpo. Deve ser substituído pelo menos uma vez a cada 3 mudanças do elemento principal.
• A remontagem é efetuada repetindo as operações indicadas na ordem inversa.
• Configurar a luz sinalizadora de bloqueio mecânico para funcionar pressionando o botão que se encontra na parte superior do indicador.
Esta operação não é necessária se existir um sensor elétrico.

AVISO
Tenha cuidado para garantir que as peças estejam corretamente montadas. Uma montagem incorreta poderia fazer com que fosse
aspirado ar não filtrado para o motor, provocando danos graves.

40
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

Drenar água do pré-filtro de combustível

Devido ao elevado risco de abastecimento com combustível contaminado por corpos estranhos e água, recomenda-se que seja efetuada esta
verificação a cada vez que se abastece. Realize esta operação somente com o motor desligado.

• Coloque um coletor debaixo do filtro ou pré-filtro para recolher


o fluido.
• Desaperte o bujão (1) na parte inferior do filtro. Em algumas
configurações, o bujão inclui um sensor para detectar a presença
de água no diesel.
• Drene líquido até que apenas possa ser visto “diesel”.
• Feche novamente o bujão, apertando-o totalmente com a mão.
• Elimine os fluidos drenados de acordo com os requisitos
ambientais aplicáveis.

Verificar/atestar o nível de eletrólito nas baterias

Coloque as baterias numa superfície estável, e em seguida:



Verifique visualmente se o nível de fluido se encontra entre os limites “Min” e “Max”. Na ausência de referências, verifique se o fluido cobre
• as chapas de chumbo que se encontram no interior da bateria.
• Complete com água destilada apenas os elementos em que o nível esteja abaixo do mínimo.
• Contate pessoal técnico especializado caso seja necessário recarregar a bateria.
Mande verificar a eficiência do sistema de recarga da bateria, se for detectada uma tensão inferior a 11 V (para sistemas com capacidade
• nominal de 12 V) ou 22 V (para sistemas com capacidade nominal de 24 V) com o motor funcionando.
Nesta ocasião, certifique-se de que os terminais e garras estão limpos, bloqueados corretamente e protegidos com vaselina.

41
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES

CUIDADO!
As baterias contêm ácido sulfúrico, que é extremamente cáustico e corrosivo. Use sempre luvas de proteção e óculos quando as
completar. Sempre que possível, recomenda-se que esta verificação seja efetuada por pessoal especializado.
Não fume ou use chamas perto das baterias durante a verificação e certifique-se de que a sala esteja corretamente ventilada.

Alguns tipos de bateria possuem uma única tampa para todos os bujões de inspeção. Para
acesso aos elementos, utilize uma alavanca, tal como ilustrado.

Restabelecer a tensão correta na correia de acionamento dos


componentes auxiliares
(refere-se aos motores com dispositivos de tensionamento tradicionais)

• Solte o parafuso que fixa o alternador ao suporte (1).


• Solte o parafuso que fixa o alternador ao suporte inferior.
• Proceda para apertar o tensor (2), bloqueando a contra-porca.
• Ao atingir a tensão necessária, bloqueie os parafusos e pino de fixação.
Para os motores sem tensor por parafuso, solte os parafusos de fixação (1) e o parafuso de ancoragem, empurrando o alternador no sentido indicado
no desenho até que seja atingida a tensão necessária, apertando depois firmemente os parafusos de fixação e o pino de ancoragem.
AVISO

Substitua a correia caso verifique qualquer abrasão, fissura ou rasgão e se tiver sido entornado óleo ou combustível na correia.

42
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

Trocar o óleo
Realize esta operação somente com o motor desligado e a baixa
temperatura, para evitar riscos de queimaduras.

• Coloque um coletor debaixo do bujão para recolher o óleo usado


(veja as ilustrações no capítulo DADOS TÉCNICOS DO MOTOR).
• Desaperte o bujão e aguarde até que o cárter tenha esvaziado
totalmente, em seguida volte a apertar o bujão.
• Verifique, através do orifício de alimentação (1) na tampa do
distribuidor ou noutro local (opc.), e complete o nível utilizando os tipos
e quantidades de óleo indicados na tabela ABASTECIMENTO.
• Utilizando a vareta do óleo (2), verifique se o nível do óleo está entre
os níveis “Min” e “Max”.
• Elimine o óleo usado de acordo com os requisitos ambientais
aplicáveis.

Substituir o filtro do óleo


Realize esta operação somente com o motor desligado e a baixa
temperatura, para evitar riscos de queimaduras.
Apenas utilize filtros com um nível de filtragem equivalente aos
substituídos (consulte a seção FREQUÊNCIA).

Coloque um coletor debaixo do suporte do filtro (1), para recolher o


óleo usado.
• Desaperte o filtro e remova-o (2).
• Limpe cuidadosamente as superfícies do suporte que estão em
contato com a junta de vedação.
• Molhe a junta de vedação nova com uma fina camada de óleo.
• Aperte à mão o novo filtro até que a junta de vedação toque no
suporte, em seguida bloqueie com mais 3/4 de volta.
• Elimine o filtro antigo de acordo com os requisitos ambientais
aplicáveis.

43
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
Trocar o(s) filtro(s) de combustível
Realize esta operação somente com o motor desligado e a baixa
temperatura, para evitar riscos de queimaduras.
Apenas utilize filtros com um nível de filtragem equivalente aos
substituídos (consulte a seção FREQUÊNCIA).
• Remova o(s) filtro(s) desapertando-o(s).
• Verifique se o filtro novo possui níveis de desempenho que satisfaçam as
necessidades do motor.
• Molhe a nova vedação do filtro com uma fina camada de óleo.
• Aperte à mão o novo filtro até que a junta de vedação toque no suporte,
em seguida bloqueie com mais 3/4 de volta.
• Tenha especial atenção ao pré-aquecedor elétrico de combustível e
quaisquer ligações elétricas relevantes (1).

AVISO
Não encha o novo filtro antes que seja instalado no suporte, para evitar introduzir impurezas nocivas no sistema de injeção e circuito.

Procedimento de drenagem:
• Solte o tubo de retorno do combustível, que se encontra na parte
superior do filtro (2).
• Certifique-se de que qualquer diesel que saia não suje a correia de
acionamento dos componentes auxiliares ou seja eliminado para o
local.
• Utilize a bomba manual de combustível do pré-filtro até que o diesel
que saia esteja livre de qualquer ar residual ou efetue a mesma
operação utilizando a bomba de alimentação mecânica (3).
• Aperte o coletor solto, como acima, com o torque adequado.
• Elimine qualquer diesel expelido durante a operação indicada acima,
de acordo com a legislação ambiental em vigor.
• Dê partida no motor e coloque-o em funcionamento em marcha lenta
durante alguns minutos para eliminar qualquer ar residual.

Nota: caso necessário, para acelerar a fase de drenagem, pode ser


utilizada bomba manual durante a partida.

44
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

Trocar o pré-filtro de combustível


Realize esta operação somente com o motor desligado.

• Se o filtro tiver um sensor para detectar a presença de água (3), retire o


sensor do respectivo alojamento.
• Remova o pré-filtro, desapertando-o.
• Verifique se o filtro novo possui níveis de desempenho que satisfaçam as necessidades do motor.
Molhe a nova vedação do filtro com uma fina camada de óleo.
• Aperte à mão o novo filtro até que a junta de vedação toque no suporte, em seguida bloqueie com mais
• 3/4 de volta.
Coloque o sensor de presença de água no respectivo alojamento, tendo cuidado de unir corretamente as roscas.
• Solte o parafuso de dreno (2) no suporte do pré-filtro e ative a bomba manual de combustível (1) até que o circuito
• de alimentação esteja cheio.
Certifique-se de que qualquer combustível que saia não seja projetado para o meio ambiente.
• Aperte bem o parafuso de dreno.
• Inicie o motor e coloque-o em marcha lenta durante alguns minutos para eliminar qualquer ar residual.
• Verifique a eficiência do aterramento do suporte do filtro (4).

Nota: caso necessário, para acelerar a fase de dreno, pode ser utilizada a bomba manual de combustível
durante a partida.

Verificar existência de danos no(s) tubo(s) de descarga


Verifique visualmente se o sistema de descarga não está bloqueado ou danificado.
• Certifique-se de que não existe o risco de formação de gases perigosos na máquina. Contate o fabricante, se necessário.
• Não utilizar em ambientes fechados ou sem sistema de exaustão adequado ao local

Drenagem ou aspiração das impurezas do reservatório do combustível


Proceder de acordo com as necessidades ditadas pela estrutura e pela colocação do reservatório.
Os motores que operam em ambientes e condições adversas e/ou abastecidos por meio de galões ou vasilhames requerem um maior cuidado
na limpeza do reservatório.

Trocar a Correia de acionamento dos componentes auxiliares


Consulte as informações fornecidas para verificar a tensão da correia.

Substituição do filtro de ar
Verificar indicações sobre a limpeza e substituição.
45
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
Trocar o líquido de refrigeração
Realize esta operação somente com o motor desligado e a baixa temperatura, para evitar riscos de queimaduras.
• Utilize coletores adequados para garantir que o líquido de refrigeração não seja disperso no meio ambiente.
• Solte os elementos de vedação, retire as flanges que ligam o circuito do motor ao radiador e aguarde até que tenha esvaziado totalmente.
Após o esvaziamento, reapertar os elementos de fixação e respectivas conexões do circuito, certificando-se da integridade do circuito.
• Complete o circuito tal como indicado na tabela ABASTECIMENTO.
• Verifique o nível de fluido, tal como indicado.
• Com a tampa de abastecimento do reservatório do líquido de refigeração aberta, dê a partida no motor e mantendo-o em regime de marcha
lenta por aproximadamente 1 minuto. Esta operação favorece a expulsão completa do ar presente no interior do circuito de refrigeração.
• Parar o motor e, caso necessário, completar o nível até o limite indicado

MOVER O MOTOR

As operações necessárias para desligar e ligar posteriormente o motor apenas devem ser efetuadas por técnicos de Centros de Serviço.
Quando elevar o motor, utilize os olhais indicados neste manual, na seção DADOS TÉCNICOS DO MOTOR e marcados no motor com
autocolantes especiais.
A elevação deve ser efetuada utilizando um guindaste que mantenha paralelos os cabos metálicos que suportam o motor, utilizando
simultaneamente todos os olhais. A utilização de um único olhal não é permitida, e coloca em risco a operação e o motor.
O sistema de elevação do motor deve ter capacidade e tamanho adequado ao peso e dimensões do motor. Verifique se não existe qualquer
interferência entre o sistema de elevação e os componentes do sistema.
Não eleve o motor antes de retirar os elementos da transmissão que estejam acoplados.

ELIMINAÇÃO DE RESÍDUOS

O motor é composto por peças e elementos que, se eliminados, poderão causar danos ao meio ambiente.
Os materiais indicados abaixo devem ser enviados para centros de recolhimento especializados. A legislação em vigor nos vários países
estipula multas graves para os transgressores:

Baterias do motor de partida.


• Lubrificantes usados.
• Misturas de água e anti-congelante.
• Filtros.
• Materiais de limpeza adicionais (por exemplo, panos com massa lubrificante ou encharcados de combustível).

46
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

LONGOS PERÍODOS DE INATIVIDADE

PREPARAR O MOTOR PARA UM LONGO PERÍODO DE INATIVIDADE

De forma a evitar a oxidação das peças internas do motor e determinados componentes no sistema de injeção, devem ser efetuadas as
seguintes operações de preparação para quando se prever que o motor ficará desligado durante períodos superiores a dois meses:
1. Aqueça o motor e drene o lubrificante do cárter.
2. Encha o motor com óleo de proteção do tipo 30/M (ou óleo em conformidade com as especificações tipo 2 MIL 2160B), até ao nível
“mínimo” indicado na vareta. Ligue o motor e mantenha-o funcionando durante cerca de 5 minutos.
3. Drene o combustível do circuito de injeção, do filtro e das tubulações da bomba injetora.
4. Desative o sistema de injeção, ligue o circuito de combustível a um reservatório com fluido de proteção CFB (ISO 4113) e favoreça a
introdução do líquido pressurizando o circuito. Movimentar o motor por cerca de 2 minutos, utilizando exclusivamente o motor de partida
para esta operação. Para tal, alimentar diretamente no terminal 50 do motor de partida, utilizando um cabo externo.
5. Pulverize óleo de proteção 30/M (10 g por litro de cilindrada) na entrada de aspiração do turbocompressor, durante a fase de movimentação
do motor descrita no ponto anterior.
6. Feche todas as aberturas de aspiração, saída, ventilação e dreno no motor com tampões adequados ou vede-os com autocolante.
7. Drene o óleo residual de proteção 30/M do cárter. Este óleo pode ser novamente utilizado para mais 2 operações de preparação.
8. Sinalize “MOTOR SEM ÓLEO” no motor e no painel de controle.
9. A drenagem do líquido de refrigeração somente será necessária se o líquido não estiver misturado com anticongelante e inibidores de
corrosão adequados. Em caso de necessidade de drenagem do líquido, sinalize o fato, da mesma forma descrita no ponto acima.

Em caso de inatividade prolongada, as operações descritas devem ser repetidas semestralmente, seguindo o procedimento indicado
abaixo:
A) drene o óleo de proteção 30/M do cárter;
B) repita as operações descritas do ponto 2 ao ponto 7.

Se pretender proteger peças externas do motor, proceda pulverizando líquido de proteção OVER 19 AR em peças metálicas não pintadas, tais
como o volante do motor, polias e semelhantes, evitando as correias, cabos, conectores e equipamento elétrico.

47
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
REINICIAR O MOTOR APÓS UM LONGO PERÍODO DE INATIVIDADE

1. Drene o óleo residual de proteção 30/M do cárter.


2. Abasteça o motor, tal como descrito, com lubrificante do tipo e quantidade indicados na tabela ABASTECIMENTO.
3. Drene o fluido de proteção CFB do circuito de combustível, efetuando esta operação tal como indicado no ponto 3 de PREPARAR O
MOTOR PARA UM LONGO PERÍODO DE INATIVIDADE.
4. Retire os bujões e/ou vedações das aberturas de aspiração, alimentação, ventilação e dreno no motor, restabelecendo o estado de
utilização normal. Ligue a entrada de aspiração do turbocompressor no filtro de ar.
5. Ligue os circuitos de combustível ao reservatório de combustível da máquina, tal como indicado no ponto 4 de PREPARAR O MOTOR
PARA UM LONGO PERÍODO DE INATIVIDADE. Durante as operações de abastecimento, ligue o tubo de retorno de combustível a um
reservatório externo, de forma a evitar que qualquer fluido de proteção CFB entre no reservatório de combustível da máquina.
6. Verifique o motor e encha-o com líquido de refrigeração, tal como indicado, purgando-o, se necessário.
7. Ligue o motor e mantenha-o funcionando até que a velocidade da marcha lenta tenha estabilizado completamente.
8. Verifique se os instrumentos no painel de controle a bordo apresentam valores corretos e se alarmes ou luzes sinalizadoras informam
operação irregular ou problemas no motor..
9. Desligue o motor.
10. Retire os sinais que indiquem “MOTOR SEM ÓLEO” do motor e do painel de controle a bordo.

48
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

COMPORTAMENTO EM CASO DE EMERGÊNCIA

O operador de uma máquina que tenha sido construída de acordo com os regulamentos de segurança, seguindo as instruções fornecidas
neste manual e as indicações nas etiquetas do motor, estará trabalhando em condições seguras.
Se um conduta inadequada resultar em acidentes, peça sempre e imediatamente a intervenção de especialistas em primeiros-socorros.
No caso de uma emergência e enquanto aguarda a chegada dos especialistas de primeiros socorros, siga as instruções indicadas abaixo.

Avarias do motor
Quando trabalhar com um motor avariado, tenha o maior cuidado possível quando manobrar e certifique-se de que todos os componentes
estejam bem firme nas fixações.

Em caso de incêndio
Apague o incêndio utilizando o equipamento de combate ao fogo adequado e da forma indicada pelas autoridades de prevenção de incêndios
(é obrigatória a utilização de equipamento de combate ao fogo conforme a legislação de segurança aplicável).

Queimaduras
1. Apague quaisquer chamas nas roupas da pessoa queimada, das seguintes formas:
• jogando água em cima da vítima;
• utilizando um extintor de pó, sem dirigir o jato na direção da face da vítima;
• cobrindo a pessoa com cobertores ou rolando a vítima no chão.
2. Não tente remover peças de roupa que possam ter colado à pele;
3. Em caso de escaldamento, retire imediata mas cuidadosamente quaisquer roupas que possam ter ficado encharcadas com líquido quente;
4. Tape a queimadura com um creme especial para queimaduras ou curativos estéreis.

Intoxicação por monóxido de carbono (CO)


O motor nunca deverá ser ligado em locais fechados, sem um sistema de exaustão adequado.
O monóxido de carbono na descarga do motor é inodoro, intoxica, e combinado com ar cria mistura explosiva, podendo levar à morte.
Em espaços fechados, o monóxido de carbono é extremamente perigoso, e pode atingir concentrações críticas após um período de tempo muito
curto.
Quando for ajudar uma pessoa intoxicada numa sala fechada:
1. Ventile imediatamente o espaço, para reduzir a concentração de gás.
2. Quando entrar na sala, segure a respiração, não acenda chamas, luzes ou toque a campainhas elétricas ou telefones, para evitar o risco de
explosão.
3. Transporte a pessoa intoxicada para o ar fresco ou para uma sala bem ventilada, colocando-o de lado caso esteja inconsciente.

49
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
Choque elétrico

A. O sistema elétrico de 12 V ou 24 V do motor não representa um risco de choque elétrico, no entanto, em caso de um curto-circuito causado,
por exemplo, por uma ferramenta metálica, existe um risco de queimadura devido ao sobreaquecimento do objeto por onde passa a
corrente elétrica.
Nestas circunstâncias:
1. Retire o objeto que provocou o curto-circuito, utilizando meios que proporcionem isolamento térmico suficiente.
2. Desligue a alimentação no disjuntor principal, se existir um.

B. O sistemas dos geradores elétricos produzem normalmente altas tensões que poderão resultar em níveis de corrente extremamente
perigosos. No caso de choque elétrico devido a tensão média ou alta:
1. Desligue a alimentação no disjuntor principal antes de tocar na vítima. Se isto não for possível, utilize equipamento que seja seguro e
corretamente isolado quando tocar na vítima. Lembre-se de que tocar numa vítima de choque elétrico é também perigoso para a pessoa
que dá ajuda.
2. Preste socorro e solicite suporte médico imediato.

Ferimentos e fraturas

Necessária a intervenção de uma equipe médica na ocorrência de um evento desta natureza.


1. Em caso de sangramento, mantenha as extremidades do ferimento pressionados em conjunto até que chegue ajuda.
2. Se existir a possibilidade de uma fratura, não mova a parte ferida e apenas mova o paciente se absolutamente necessário.

Queimaduras cáusticas

As queimaduras cáusticas da pele são causadas pelo contato com substâncias ácidas ou alcalinas.
Para os técnicos de manutenção elétrica, estas são normalmente provocadas por ácido das baterias. Nestas circunstâncias, proceda da
seguinte forma:
1. Retire qualquer roupa encharcada pela substância cáustica.
2. Lave a zona com muita água corrente, evitando as partes que não tenham sido queimadas.

Se o ácido da bateria, lubrificantes ou diesel entrarem em contato com os olhos: lave os olhos com água durante pelo menos 20 minutos,
mantendo as pálpebras abertas de forma a que a água percorra o globo ocular (mova o olho em todas as direções para lavar bem).

50
NSERIES UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO

Óleos lubrificantes a serem utilizados de acordo com a temperatura

51
UTILIZAÇÃO E MANUTENÇÃO NSERIES
REQUISITOS DE UTILIZAÇÃO DO PAINEL DE CONTROLE ELETRÔNICO

Os dados indicados abaixo referem-se ao equipamento da FPT na sua configuração original.


Os requisitos e características técnicas das personalizações poderão ser diferentes das indicadas e devem ser resolvidas com um documento
específico preparado por aqueles que efetuaram tais personalizações.

Painéis de controle da FPT Com instrumentação analógica Com instrumentação digital


Condições ambientais de trabalho
Intervalo de temperatura de funcionamento de -10 °C a +60 °C de -10 °C a +60 °C
Limites de temperatura durante o armazenamento min. -20 °C / máx. +75 °C min. -20 °C / máx. +75 °C
Grau de proteção contra poeiras e chuva (frente) IP 65 – DIN 40050 – IEC 529 IP 66
Resistência à névoa salina (padrão de referência) IEC 60068-2-52 IEC 60068-2-52
Características elétricas e eletromagnéticas
Tensão de funcionamento (exceto inversões de polaridade) min. 9 V / máx. 32 V (*) min. 9 V / máx. 32 V (*)
Sobrecarga máxima admitida 60 V por 1 ms 60 V por 1 ms
Corrente máxima no painel de controle principal 1,1 A (12 V) – 1 A (24 V) 310 mA (12 V) – 200 mA (24 V)
Corrente máxima no painel de controle secundário 400 mA (12 V) – 400 mA (24 V) 310 mA (12 V) – 200 mA (24 V)
Compatibilidade eletromagnética (padrão de referência) IEC 945 IEC 945
Conector do cabeamento (padrão de referência) MIL 1344/1001 MIL 1344/1001
Requisitos de cabeamento (padrão de referência) CEI 20/22 - CEI 20/38 - CEI 2000/532/CE
Características mecânicas
Resistência às vibrações (em aceleração gravitacional) 1 g eff. máx. -25-500 Hz 2 g eff. máx. -25-500 Hz
15 g - 1,5 ms - onda semi- 15 g - 1,5 ms - onda semi-
Resistência aos impactos (em aceleração gravitacional)
sinusoidal sinusoidal
(*) mín. 9 V / máx. 16 V referente ao equipamento concebido para apenas ser fornecido à tensão nominal de 12 V.

52
INÍCIO FECHAR
DADOS TÉCNICOS / B-N67 TM3A
DATA SHEET
152 kW (1500 rpm) - 165 kW (1800 rpm)

Motor NEF67 TM3A


1/ GERAL 1500 rpm 1800 rpm

Modelo do motor B-N67TM3A.5 B-N67TM3A.6


Motor base 504343284 504345862
F4GE0685B*F602 F4GE0685H*F600
Número de cilíndros 6
Ordem de ignção (N°1 próximo ao ventilador ) 1-5-3-6-2-4
Disposição dos cilíndros em linha
Válvulas por cilíndro 2
Ciclo diesel 4 tempos
Sistema de injeção direta
Aspiração Turbocharged aftercooled ar/ar
Diâmetro do cilíndro mm 104
Curso do pistão mm 132
Cilindrada total litro 6,7
Velocidade média do pistão m/s 6,6 7,9
Taxa de compressão 17,5 : 1
Rotação do volante anti-horário visto do lado volante
Carcaça do volante SAE 3
Volante 11''1/2
Momento de inércia
sem volante Kgm2 0,31
somente o volante Kgm2 0,71
BMEP bruto
prime power bar/kPa 16,9 / 1693,4 15,6 / 1555,9
stand-by power bar/kPa 18,6 / 1862,7 17,1 / 1711,4
Peso seco (incluindo o pacote de refrigração) kg ~ 640
Energia para o refrigerante kcal/kWh 488,1 478,1
Energy to charge cooler kcal/kWh 99,8 120,6
Energia por radiação kcal/kWh 34 37
Dimensões C x L x A mm 1697 X 789 X 1318

2/ DESEMPENHO 1500 rpm 1800 rpm

Potência contínua (Bruto) kWm 114,2 125,4


Prime power (Bruto) kWm 142,7 156,8
Stand-by power (Bruto) kWm 157 172,5
Consumo do ventilador kWm 5 7,5
Potência contínua (líquida) kWm 109,2 117,9
Prime power (líquida) kWm 137,7 149,3
Stand-by power (líquida) kWm 152 165
Condições de desempenho
temperatura °C ≤ 40
altitude a.n.m. m ≤ 1000
Perda de potência
temperatura > T 40°C %/5°C 2%
altitude >1000 <3000 m %/500m 3%
altitude >3000 m %/500m 6%

1
B-N67 TM3A
152 kW (1500 rpm) - 165 kW (1800 rpm)

Motor NEF67 TM3A


3/ SISTEMA DE ARREFECIMENTO 1500 rpm 1800 rpm

Tipo líquido
Líquido de arrefecimento recomendado água + 50 % paraflu 11
Quantidade de líquido refrigerante
somente motor litro 10,5
radiador e mangueiras litro 15
Vazão da bomba l/min 141 169
Pressão no radiador kPa (bar) 100 (1,0)
Temperatura máxima admitida °C 103
Maximum additional restriction Pa 196
Air to boil Prime Power °C 55 52
Ventilador
diâmetro mm 685
número de hélices 12
drive ratio 1,41 : 1
rotação rpm 2115 2538
fluxo de ar m3/s 3,8 4,8
consumo de potência kWm 5 7,5

4/ SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO 1500 rpm 1800 rpm

Capacidade do reservatório de óleo


máx litro 12
min litro 8
Sistema de lubrificação (incluindo filtro) litro 17,2
Pressão do óleo a PRP kPa 300-500
Temperatura do óleo
normal °C 100
máx °C 120
Inclinação do motor
longitudinal graus 35°
transversal graus 35°
Intervalo de troca de óleo e filtro horas 600
Especificação do óleo ACEA E3/E5
Consumo de óleo %combustível < 0,1

5/ SISTEMA DE ADMISSÃO DE AR 1500 rpm 1800 rpm

Consumo de ar a 100 % de carga m3/h (Kg/h) 586 (706) 723 (870)


Restrição de adm. de ar, filtro limpo kPa (mbar) 2 (20)
Restrição de adm. de ar, filtro sujo kPa (mbar) 5 (50)
Tipo de filtro de ar SECO

6/ SISTEMA DE EXAUSTÃO 1500 rpm 1800 rpm

Fluxo de gás em pot. de stand-by kg/h 739 907


Temperatura máx. a PRP (25°C) °C 570 541
Contrapressão máx. permitida kPa (mbar) 5 (50)
Energy to exhaust kcal/kWh 688,9 711

2
B-N67 TM3A
152 kW (1500 rpm) - 165 kW (1800 rpm)

Motor NEF67 TM3A


7/ ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL 1500 rpm 1800 rpm

Consumo de combustível
stand-by gr/kWh (l/h) [kg/h] 212,5 (39) [33,2] 216,0 (44,2) [37,2]
carga máx. gr/kWh (l/h) [kg/h] 212,7 (36) [29,9] 217,5 (40,1) [33,7]
80% gr/kWh (l/h) [kg/h] 213,8 (29) [24,0] 220,4 (32,5) [27,3]
50% gr/kWh (l/h) [kg/h] 215,0 (18) [15,1] 224,7 (20,7) [17,4]
Especificações do combustível EN 590
Feed pump max suction head m ---
Bomba injetora tipo STANADYNE DB 4629 - 5927

8/ SISTEMA ELÉTRICO 1500 rpm 1800 rpm

Tensão (terra negativo) V 12


Motor de partida
fabricante Bosch
potência kW 3
corrente de atracação Amp 60
Corrente de manutenção Amp 12
Corrente máxima +20ºC Amp 1580
Corrente de partida +20°C Amp
Número de dentes do motor de partida 10
Número de dentes do volante do motor 125
Bateria de partida
capacidade recomendada Ah 1x 100
corrente de descarga Amp 650
(EN 50342)
Relé magnético de parada Amp ---
Alternador
tensão V 14
carga Amp 90

9/ PARTIDA A FRIO 1500 rpm 1800 rpm

Sem pré-aquecimento de ar °C -10


Com pré-aquecimento de ar °C -25

10/ EMISSÃO DE GASES E PARTICULADOS 1500 rpm 1800 rpm

Nox Óxidos de Nitrogênio gr/kWh 5,42 5,3


HC Hidrocarbonetos gr/kWh 0,1 0,1
Nox+HC gr/kWh 5,52 5,5
CO Monóxido de Carbono gr/kWh 0,5 0,5
PT Particulados gr/kWh 0,131 0,1

Date of update August 2009


Specifications subject to change without notice
Illustrations may include optional equipment.

3
1) Serviço de acordo com ISO-8528 Para uso em temperaturas acima de 40 °C e 1000m de altitude a.n.m., deve ser
aplicado um fator de redução da potência. Contate o departamento de vendas da FPT.
2) Potência útil disponível no volante após 50 horas de operação, com uma tolerância de ± 3%.
PRIME POWER: A Prime Power é a potência máxima disponível, sob carga variável, por um número ilimitado de
horas. A potência média admissível durante um período de 24 horas de funcionamento não deve exceder 80% da
prime power indicada, entre os intervalos de manutenção prescritos, em conformidade com as normas ambientais. É
permitida uma sobrecarga de 10% durante 1 hora, a cada 12 horas de operação.
STAND-BY POWER: Stand-by power é a potência máxima disponível para um período de 500 horas por ano, com um
fator de carga de 90% da potência de stand-by. Não é permitido qualquer tipo de sobrecarga para este uso.
CONTINUOUS POWER: Entre em contato com o departamento de vendas da FPT.

N67 TM3A - APLICAÇÕES PARA GERAÇÃO DE ENERGIA


CONSTRUÇÃO PADRÃO:
FPT N67 TM3A engine equipped with:
- Radiador montado
- Ventilador montado com tensor de correia
- Proteção do ventilador
- Filtro de ar montado com cartuchos intercambiáveis
- Filtro de combustível
- Pré-filtro de combustível com separador de água
- Filtro de óleo intercambiável
- Suporte montado na parte frontal do motor
- Carcaça do volante SAE3 e volante 11 "1 / 2
- Tubo de exaustão ajustável
- Recirculação blow-by
- Vareta de nível de óleo
- Sensores HWT e LOP
- Sistemas elétricos a 12V
- Documentação do Motor

OPCIONAIS:
Mediante solicitação do cliente, o motor pode ser fornecido com:
- Bomba de extração de óleo
- Dreno de óleo com reservatório
- Resistência de pré-aquecimento de água 120Vca ou 230Vca
- Sensores WT e OP para instrumentos
- Sensor de nível baixo de água
- Protetor do coletor de escape e turbina
- Tubo flexível de escape
- Sistema elétrico de 24V
- Proteção frontal do radiador
- Regulador eletrônico de rotação

PONTOS FORTES DO MOTOR:


• BENEFÍCIOS: lay-out funcional; temperatura de ignição a frio sem auxiliares
até -10°C; desempenho alcançado sem EGR externo, potência até 40°C e 1000m a.n.m
antes da redução de potência; motores conversíveis de 1500rpm para 1800rpm, PTO
de nível superior classe G2 (ISO 8528-5).
• CONFIABILIDADE: válvula by-pass nos filtros de óleo e combustível.
• PROCEDIMENTOS PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS: Aumento nos intervalos de manutenção para 600
horas (troca de óleo e filtros); redução do consumo de óleo e combustível, novo sistema de
circulação blow-by.
• RESPEITO AO MEIO AMBIENTE: Redução dos níveis de ruído.
• FLEXIBILIDADE DE CONFIGURAÇÃO: Produção customizada; gerador SAE 3 com interface padrão
motores pequenos, completa gama de potência; compatibilidade com combustíveis padrão
e alternativos, em conformidade com a legislação vigente.

4 FECHAR