Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR EXAMINADOR

I – DOS FATOS

O enunciado da questão 33 da prova tipo 003 indagava acerca da prescrição,


sendo assim transcrito: “Sobre a prescrição, é correto afirmar”.

Data máxima vênia, inobstante o brilhantismo costumeiro da douta banca


examinadora, a questão apontada comporta duas alternativas corretas, razão
pela qual merece ser anulada.

II – DOS FUNDAMENTOS
II.A – DO PADRÃO DE RESPOSTA

O padrão de respostas trouxe como correto o seguinte enunciado, transcrito na


alternativa “B”:

“O prazo da prescrição da pretensão executória regula-se pela pena aplicada


na sentença, aumentando-se de um terço, se o condenado for reincidente”.

Não se contesta o padrão apresentado, uma vez que corresponde à literalidade


do artigo 110 do Código Penal.

Entretanto, outra alternativa também se mostra correta e não comporta


qualquer correção.

II.B - DA SEGUNDA ALTERNATIVA CORRETA

Também se encontra correta a alternativa “D”, que afirma: “é reduzido de


metade o prazo de prescrição quando o agente for menor de 21 anos na data
da sentença”.

Inobstante tal afirmativa não transcreva, em sua literalidade, o teor do que


dispõe o Código Penal, encontra perfeita consonância com a realidade,
aplicando-se de plano, sempre que a situação fática se verificar, no caso
concreto.

Isto porque o Código Penal, em seu artigo 115, assim se pronuncia: “ São
reduzidos de metade os prazos de prescrição quando o criminoso era, ao
tempo do crime, menor de 21 (vinte e um) anos (...)”.

Apesar de a alternativa apontada, como dito, não transcrever o dispositivo legal


acima, ela não se encontra equivocada. Pelo contrário. Seu conteúdo, quando
sujeito a simples exercício de interpretação, constitui-se em uma norma
adequada ao que pretendeu o legislador quando da criação do artigo 115 do
Código Penal; ainda, traduz dever do Estado-Juiz, diante da ocorrência fática
apontada no caso concreto – ou seja, possuindo o agente menos de vinte e um
anos na data da sentença, terá este direito à redução pela metade do prazo de
prescrição.

Ao se afirmar que “é reduzido de metade o prazo de prescrição quando o


agente for menor de 21 anos na data da sentença”, de maneira alguma se
contraria o texto expresso no Código Penal.

Caso a alternativa apontada afirmasse que o direito à redução do prazo


prescricional se condicionaria, unicamente, a esta condição, recusando
qualquer outra hipótese, aí sim estaríamos diante de uma incorreção,
facilmente perceptível pelo candidato. Considerando, todavia, que o texto da
alternativa apontada não contém qualquer advérbio de exclusão, ou outro
elemento que exerça idêntica função sintática na oração, é certo que o
conteúdo por ela ventilado não permite ao candidato aferir sentido distinto.

O Código Penal afirma que será reduzido pela metade o prazo da prescrição se
o agente era, ao tempo do crime, menor de 21 anos. Ora, a data da sentença
sempre será, invariavelmente, posterior, cronologicamente, ao tempo do crime.
Por conseguinte, o agente que possui menos de 21 anos na data da sentença,
também possuía menos de 21 anos ao tempo do crime.
Sendo o acusado menor de 21 anos na data da sentença, portanto, deve incidir
obrigatoriamente a atenuante que conduz a redução do prazo prescricional
pela metade, conforme pretendido pelo legislador.

Se no momento posterior (sentença) o agente possuía menos de 21 anos, no


momento anterior (tempo do crime) não poderia ser diferente, incidindo a
redução da prescrição pela metade, tal como pretendeu o legislador.

Cabe anotar, ainda, que o enunciado não exigia do candidato a transcrição do


texto legal, mas tão somente, o que se poderia aferir a respeito da prescrição.

III – DOS PEDIDOS

Diante do exposto, tendo em vista que o enunciado da questão exigia a


alternativa correta sobre o instituto da prescrição, e que duas alternativas
continham afirmações verdadeiras, aplicáveis acerca do instituto, deve a
questão ser anulada.

Subsidiariamente, caso não seja provido o recurso, requer digne-se a


respeitável Banca Examinadora a elucidar os motivos pelos quais a alternativa
em questão não pode ser considerada correta.

Termos em que, pede e espera deferimento.