Você está na página 1de 50

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

PROCESSO SELETIVO PARA


PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA
MÉDICA

PROVA CONHECIMENTOS GERAIS

TIPO 1
Leia atentamente as instruções seguintes:
1. Este caderno de questões contém 100 (cem) questões de múltipla escolha, com quatro
opções (A, B, C, D) e uma única resposta correta.
2. Confira se o seu caderno de questões contém a quantidade de questões correta. Caso o
caderno esteja incompleto, tenha defeito de impressão ou apresente qualquer divergência,
comunique ao aplicador da sala para que ele tome as providencias necessárias.
3. O tempo disponível para esta prova é de quatro horas.
4. Aguarde a autorização do aplicador da sala para abrir o caderno de questões.
5. O cartão-resposta deverá ser preenchido e assinado somente com caneta
esferográfica de tinta preta e corpo transparente. Reserve os 30 minutos finais para marcar
seu cartão-resposta. Os rascunhos e as marcações assinaladas no caderno de questões
não serão considerados na avaliação. Marque apenas uma opção de resposta para cada
questão, preenchendo totalmente a quadrícula que julgar ser a resposta correta. Não
haverá substituição do cartão-resposta quando ocorrer erro no preenchimento ou rasuras.
6. Quando terminar a prova, acene para chamar o aplicador e entregue este caderno de
questões e o cartão-resposta.
7. Você poderá deixar o local de prova somente após decorridas duas horas do início da
aplicação e poderá levar o seu caderno de questões ao deixar em definitivo a sala de prova
nos 30 minutos que antecedem o término das provas.
8. Ao final da prova, os três últimos candidatos restantes na sala deverão entregar
seus cartões-resposta simultaneamente.
9. Após o aviso do término do tempo de prova, o candidato que ultrapassar esse limite,
continuar marcando suas respostas e se recusar a entregar o cartão-resposta, terá a sua
prova anulada.
10. Ao deixar em definitivo a sala de prova, você não deverá permanecer nos corredores
do bloco ou em qualquer outro local destinado ao concurso.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 1 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

01 – Paciente quartigesta, com história prévia de três abortamentos


consecutivos, é atendida em Unidade Básica de Saúde da Família para iniciar
o pré-natal. Ela está bastante apreensiva em relação a possíveis desfechos
negativos nesta gestação e deseja saber onde deverá seguir o
acompanhamento pré-natal e onde deverá ser realizado o seu parto.
Qual é a orientação mais adequada para a paciente?

A. Pré-natal na Unidade Básica de Saúde e no Centro de Referência para


Gestação de Alto Risco; parto em Maternidade de Alto Risco.
B. Pré-natal na Unidade Básica de Saúde ou no Centro de Referência para
Gestação de Alto Risco; parto em Maternidade de Risco Habitual.
C. Pré-Natal na Unidade Básica de Saúde ou Centro de Referência em
Atenção Secundária; parto em Maternidade de Risco Habitual.
D. Pré-Natal na Unidade Básica de Saúde e no Serviço de Medicina
Fetal; parto em Maternidade de Muito Alto Risco.

02 – Adolescente, 16 anos, em uso de anticoncepcional combinado oral


havia 20 dias, é atendida em Pronto Atendimento com dor aguda e edema em
membro inferior esquerdo. Ao exame físico, observam-se empastamento e dor
à palpação de panturrilha esquerda e circunferência da panturrilha esquerda 5
cm maior que a do membro contralateral.
Qual é o mecanismo fisiopatológico mais provável da condição acima?

A. A metabolização hepática da progesterona ocasiona o aumento de


trombina.
B. A metabolização do estrogênio leva ao aumento da produção de
proteína S.
C. A metabolização do estrogênio aumenta a produção de fibrinogênio.
D. A metabolização da progesterona leva à redução da produção de
antitrombina.

03 – Mulher, 25 anos, teve relação sexual sem uso de preservativo há 48 horas e


procura atendimento para contracepção de emergência.
Qual é o mecanismo de ação do tratamento indicado para a paciente?

A. O componente estrogênico da pílula suprime a secreção do hormônio


luteinizante e, assim, inibe a retomada da meiose pelo oócito primário.
B. O componente progestagênico da pílula suprime a secreção do
hormônio luteinizante e, assim, inibe a liberação oócito secundário.
C. O componente estrogênico da pílula suprime a secreção do hormônio
luteinizante e, assim, inibe a maturação folicular.
D. O componente progestagênico da pílula suprime a secreção do folículo
estimulante e, assim, a formação do folículo dominante.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 2 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

04 – Mulher, 35 anos, com histórico familiar de câncer de mama (mãe, aos 45 anos),
comparece à Unidade Básica de Saúde da Família para receber orientações
sobre o rastreamento do câncer de mama.
Como deve ser realizado o rastreamento do câncer de mama para essa
paciente?

A. Mamografia bienal a partir dos 50 anos de idade


B. Mamografia anual a partir dos 35 anos de idade
C. Ultrassonografia de mama a partir dos 40 anos de idade
D. Autoexame das mamas a partir dos 40 anos de idade

05 – Gestante, com antecedente de parto vaginal na 30ª semana de gestação


há 2 anos, é encaminhada para consulta de rotina de Pré-Natal na Unidade de
Atenção Secundária do município. No momento, encontra-se com idade
gestacional de 28 semanas.
Qual é a conduta mais adequada para o pré-natal da paciente?

A. Prescrever betametasona e retorno em 4 semanas.


B. Manter rotina de Pré-Natal de baixo risco.
C. Colher swab vaginal e anal para cultura de estreptococo.
D. Prescrever progesterona e retorno em 2 semanas.

06 – Paciente primigesta chega ao Pronto Socorro com dor abdominal


intensa localizada em fossa ilíaca esquerda, sem irradiação, e
sangramento vaginal de pequena quantidade. Última menstruação
ocorreu há 12 semanas. Observam-se ao exame físico: bom estado geral;
hipocorada (+/4+); PA: 110/80 mmHg; FC: 72 bpm; abdome normotenso,
doloroso à palpação de fossa ilíaca esquerda, descompressão brusca negativa;
e pequena quantidade de sangue através do orifício externo do colo uterino. Ao
toque vaginal, verifica-se que o colo uterino se encontra amolecido e fechado, o
útero está intrapélvico e os anexos estão livres. A paciente não apresenta dor à
mobilização do colo e à palpação de fundo de saco.
O diagnóstico mais provável é:

A. Doença inflamatória pélvica


B. Ameaça de abortamento
C. Abortamento tubário
D. Abortamento molar

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 3 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

07 – Paciente, 22 anos, procura atendimento por gravidez decorrente de


estupro e desejo de interrupção da gravidez. Após história clínica e exame
físico realizados de forma minuciosa, você solicita exame ultrassonográfico que
confirma gestação tópica de 16 semanas, com desenvolvimento fetal normal.
A idade gestacional é compatível com a data de relato da violência.
Qual é a conduta que deverá ser tomada?

A. Solicitar o registro do boletim de ocorrência policial, realizar a


interrupção da gravidez após assinatura do termo de consentimento pela
paciente e do termo de aprovação do procedimento por três profissionais
de saúde.
B. Solicitar autorização judicial e parecer técnico detalhado, realizar a
interrupção da gravidez após assinatura do termo de consentimento pela
paciente e do termo de aprovação do procedimento por três profissionais
de saúde.
C. Solicitar termos de relato circunstanciado do evento, de responsabilidade
e de consentimento assinados pela paciente, e realizar a interrupção da
gravidez após parecer técnico e termo de aprovação do procedimento
assinado por três profissionais da saúde.
D. Solicitar o registro do boletim de ocorrência policial e parecer técnico
detalhado assinado por três profissionais de saúde, não realizar a
interrupção da gravidez, pois a idade gestacional encontra-se acima de
12 semanas.

08 – Paciente G2P2 (1 cesárea anterior), em pós-parto vaginal imediato,


apresentou perda de aproximadamente 700 mL de sangue. Ao exame físico notam-
se; FR: 20 irpm, FC: 120 bpm, PA: 100/60 mmHg e útero com tônus preservado.
Qual é a causa mais provável da condição acima?

A. Laceração do canal de parto


B. Ruptura uterina
C. Retenção placentária por acretismo
D. Inversão uterina

09 – Paciente, 52 anos, nuligesta, obesa, com menopausa há 5 anos em uso


de terapia hormonal desde então, procurou a Unidade Básica de Saúde devido
a sangramento vaginal em pequena quantidade, esporádico, com início havia 2
meses. O exame físico ginecológico não revelou alterações. A ultrassonografia
pélvica evidenciou endométrio de 16 mm (referência menor ou igual a 5 mm
para pacientes sem uso de terapia hormonal).
Qual é o próximo exame a ser realizado para estabelecer o diagnóstico?

A. Antígeno carcinoembrionário (CA 125)


B. Exame histológico de esfregaço endocervical
C. Tomografia computadorizada de pelve
D. Biópsia endometrial

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 4 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

10 – Paciente quartigesta, 24 anos, com três filhos vivos, duas cesáreas


anteriores, chega em Pronto Atendimento para cesárea com 40 semanas de
gestação. Paciente e marido manifestam o desejo de laqueadura tubária no
momento da admissão hospitalar.
Qual é a conduta mais adequada?

A. Encaminhar para laqueadura 60 dias após parto, com consentimento


livre e esclarecido assinado pelo casal.
B. Realizar a laqueadura durante a cesárea, após consentimento livre e
esclarecido assinado pelo casal, devido a cesáreas sucessivas
anteriores.
C. Realizar a laqueadura durante a cesárea, após consentimento do casal e
relatório assinado por dois médicos com atestado de risco de vida em
gestações futuras.
D. Oferecer aconselhamento contraceptivo multidisciplinar e contraindicar
esterilização precoce, já que a idade da paciente é inferior a 25 anos.

11 – Mulher, 56 anos, última menstruação há 3 anos, comparece numa


Unidade Básica de Saúde da Família com queixa de secura vaginal, diminuição
da libido e incontinência urinária aos esforços havia 6 meses. Há referência de
trombose venosa profunda após cirurgia para correção de fratura de
fêmur. Ao exame físico observam-se: PA=149/89 mmHg; IMC=30
kg/m 2 . Não se verificaram alterações nas dosagens séricas do colesterol
total e frações. Última mamografia realizada há 1 ano não mostrou alterações.
Qual é a melhor opção de tratamento para a paciente?

A. Lubrificante vaginal e propionato de testosterona injetável.


B. Dehidroepiandrosterona transdérmica, se níveis séricos diminuídos.
C. Terapia hormonal combinada com estrógeno e progesterona.
D. Estrógeno vaginal e modificações do estilo de vida.

12 – Primigesta, 18 anos, com 9 semanas de gestação comparece à Unidade


Básica de Saúde da Família para consulta de pré-natal de rotina.
Está assintomática no momento da consulta. Dentre os exames de rastreamento
de primeiro trimestre de gestação, observa-se VDRL com titulação de 1:4.
Qual é a conduta mais adequada para a paciente?

A. Prescrever o tratamento com penicilina benzatina.


B. Repetir o VDRL em 2 semanas para confirmar o diagnóstico.
C. Solicitar o FTA-Abs, porque o resultado pode ser falso-positivo.
D. Repetir o VDRL entre a 24ª e 28ª semana de gravidez.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 5 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

13 – Gestante, 41 semanas, secundigesta, recusou a indução do parto por


desejar parto natural. Ao toque vaginal, apresenta colo com 2 cm de dilatação.
Como deverá ser realizada a avaliação da vitalidade fetal?

A. Dopplervelocimetria e perfil biofísico fetal duas vezes por semana.


B. Amnioscopia e ultrassonografia obstétrica duas vezes por semana.
C. Cardiotocografia e perfil biofísico fetal duas vezes por semana.
D. Cardiotocografia e dopplervelocimetria duas vezes por semana.

14 – Primigesta, 16 anos, idade gestacional de 35 semanas, chega ao Pronto-


Socorro apresentando cefaleia com escotomas e epigastralgia. Apresenta-se
com aumento inédito dos níveis pressóricos (PA = 150/100 mmHg), BCF = 140
bpm e ausência de edemas. Em reavaliação após 4 horas, mantém queixa de
cefaleia com escotomas e epigastralgia, PA = 150/110 mmHg e BCF = 144
bcf/min. Exames laboratoriais evidenciam relação proteína/creatinina na urina =
0,6 mg/dL, hemoglobina = 12 g/dL, plaquetas = 110 mil/mm3 e transaminases
hepáticas e creatinina sérica sem alterações.
Qual é o diagnóstico e a conduta para a paciente?

A. Hipertensão gestacional, anti-hipertensivo oral, parto no termo.


B. Pré-eclâmpsia leve, anti-hipertensivo, indução do parto.
C. Síndrome HELLP, betametosona, cesárea.
D. Pré-eclâmpsia grave, sulfato de magnésio, indução do parto.

15 – Paciente, 35 anos, com amenorreia havia 11 meses, em investigação


laboratorial, apresenta-se com os seguintes resultados dos exames
laboratoriais: FSH= 40U/L; Estradiol= 30pg/mL, TSH= 3,5mU/L e beta HCG
negativo. Os exames foram repetidos em intervalo de 45 dias, com confirmação
dos resultados.
Qual é principal hipótese diagnóstica?
A. Amenorreia hipotalâmica.
B. Menopausa.
C. Falência Ovariana Prematura.
D. Pseudociese.

16 – Paciente, 16 anos, procura atendimento médico com queixa de acne e


crescimento de pelos na face e no abdome desde a menarca. Interrompeu uso
de anticoncepcional oral há 6 meses e, desde então, vem apresentando ganho
ponderal e irregularidade menstrual com oligomenorreia. O exame físico
revelou IMC (Índice de Massa Corpórea) de 29kg/m2, acne moderada e
hirsutismo, sem outras alterações.
Quais exames complementares são essenciais para a investigação
diagnóstica?
A. Ultrassonografia pélvica, beta HCG, testosterona livre.
B. TSH, prolactina, 17-hidroxiprogesterona.
C. FSH, estradiol e sulfato de dehidroepiandrosterona.
D. Ressonância magnética e cortisol urinário.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 6 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

17 – Paciente secundigesta, parto normal anterior, internada na sala de pré-


parto há 10 horas, conforme registro no partograma que se segue:

Qual é o diagnóstico e a conduta mais adequada para a paciente?

A. Parada secundária da descida, indicar amniotomia.


B. Desproporção cefalopélvica, indicar cesárea.
C. Período expulsivo prolongado, indicar vácuo-extração.
D. Parada secundária da dilatação, aumentar ocitocina.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 7 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

18 – Paciente, 26 anos, nuligesta, realizou citologia oncótica de rotina com


laudo de lesão intraepitelial de alto grau (HSIL). Encaminhada para centro
de referência, onde realizou colposcopia. A colposcopia foi insatisfatória
(junção escamo colunar não visível), mas a biópsia da área suspeita revelou
NIC III. Após excisão, a peça cirúrgica mostrou margens comprometidas por
NIC I.
Como deverá ser realizado o seguimento da paciente?

A. Citologia e colposcopia semestrais por dois anos.


B. Conização por alta frequência em seis meses.
C. Citologia e colposcopia anuais por cinco anos.
D. Citologia e colposcopia semestrais por um ano.

19 – Primigesta com 35 semanas de gestação, vítima de acidente


automobilístico, é admitida no Pronto Atendimento com dor abdominal de forte
intensidade, contínua, sangramento vaginal moderado, sem perda de
líquidos. Iniciou com contrações há 3 horas. Ao exame físico: pressão
arterial = 100/70 mmHg e FC = 110 bpm. O útero apresenta-se hipertônico e
uma quantidade moderada de sangue escurecido é percebida no introito
vaginal. A dinâmica uterina revela duas contrações em 10 minutos. O colo
uterino apresenta dilatação de 2 cm. Os batimentos cardíacos fetais estão
entre 170 a 180 bpm.
Qual é o diagnóstico mais provável e a conduta para a paciente?

A. Descolamento placentário, cesárea.


B. Vasa prévia, indução do parto.
C. Trabalho de parto, ocitocina.
D. Placenta prévia, cesárea.

20 – Adolescente, 17 anos, é admitida no Pronto Atendimento com quadro de


dor hipogástrica de forte intensidade, acompanhada de febre havia 2 dias.
Última menstruação há 7 dias. Ela relata relações sexuais esporádicas,
com uso irregular de preservativo. Ao exame físico: PA = 110/72mmHg,
FC = 72, temperatura axilar = 38,5ºC, descompressão brusca positiva e dor
à mobilização de colo uterino e anexos.
Qual é o diagnóstico mais provável e tratamento mais adequado para a
paciente?

A. Gravidez ectópica, laparoscopia.


B. Doença inflamatória pélvica, antibioticoterapia.
C. Abscesso tubo-ovariano, laparotomia.
D. Gravidez ectópica rota, laparotomia.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 8 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

Você é o médico de uma Unidade Básica de Saúde da Família no município de


Uberlândia, leia as questões de 21 a 28 e responda de acordo com as políticas
nacionais voltadas para a atenção básica.

21 – Paciente, 49 anos, chega com queixa de fogachos, ressecamento vaginal,


diminuição da libido, irritabilidade e variação de humor. Relata que os episódios
começaram há cerca de 1 ano, coincidindo com a irregularidade do
sangramento menstrual e estão bastante intensos.
A conduta mais adequada para a paciente é:

A. Encaminhar para o serviço de referência para descartar condições


clinicas.
B. Solicitar dosagem de FSH, LH, TSH, prolactina e T4 livre antes de fechar
o diagnóstico.
C. Prescrever extrato padronizado em 40% a 70% de isoflavonas.
D. Abordar a paciente com o mínimo de intervenção possível, uma vez que
aceitar o envelhecimento e seus sintomas faz parte dessa faixa etária.

22 – Paciente, 24 anos, traz resultado positivo de Beta-HCG após relação


sexual onde foi executada a prática do “stealthing” (A prática do “stealthing” é a
remoção proposital e não consentida do preservativo durante um ato sexual
para o qual a parceira só tenha consentido ao sexo seguro com preservativo)
por parte do parceiro. A paciente apresenta-se bastante transtornada com o
resultado do exame e deseja orientações sobre seus direitos.
Assinale a alternativa com a conduta mais adequada:

A. Inicia o cuidado pré-natal com solicitação dos exames laboratoriais e


ultrassonografia, determina idade gestacional e preenche os dados no
SIS Pré-Natal, além de encaminhar a paciente para acompanhamento
psicológico;
B. Orienta que uma vez que foi vítima de violência sexual ela tem direito ao
abortamento legal, podendo optar por manter ou interromper a gravidez
desde que a mesma seja realizada até 20 semanas e notifica o caso.
C. Informa a mulher que caso ela deseje, é possível interromper a gestação
desde que ela busque a polícia, notifique a ocorrência e retorne ao
serviço de referência ao atendimento de mulheres vítimas de violência
com o Boletim de Ocorrência.
D. Orienta que a prática do “stealthing” não caracteriza violência sexual e,
portanto, legalmente a interrupção não é possível, mas se coloca
disponível para conversar com o parceiro e mediar os possíveis conflitos
de uma gestação não planejada.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 9 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

23 – Paciente traz o filho de 10 anos para consulta pois está preocupada com a
alimentação do filho. Relata que ele tem dificuldade de comer frutas e verduras
e acredita que ele esteja com sobrepeso. O filho apresenta IMC de 25 e ela
deseja orientações sobre ações que auxiliem a melhora do quadro.
Assinale a alternativa com a conduta CORRETA:

A. Encaminhar a criança para a nutricionista, uma vez que ela está com
obesidade, para indicar uma dieta com restrição de alimentos. Orientar
os pais diminuir a frequência de refeições que devem ser divididas em
desjejum, almoço e jantar.
B. Orientar que a os pais devem incentivar o consumo de verduras e
legumes, sempre iniciando a refeição da criança com estes alimentos e
só permitindo a ingestão dos demais alimentos (carboidratos, proteínas e
gorduras) após ele ter terminado de comer a "salada".
C. Orientar os pais a enviar frutas ou alimentos nutritivos para o lanche
escolar e não permitir que a criança se alimente com a refeição
fornecida pela escola pois esta é destinada para crianças com IMC
normal e pode significar um aumento no aporte calórico.
D. Orientar a diminuição da exposição da criança à propaganda de
alimentos, bem como evitar o hábito de comer assistindo televisão, uma
vez que isto tira o foco da criança do processo alimentar e dificulta a
autopercepção de saciedade.

24 – Usuário interroga se existem hábitos ou sinais que indiquem um risco


aumentado de desenvolver obesidade infantil.
Assinale a alternativa que corresponde a situações frequentemente associadas
à obesidade infantil que servem para facilitar a identificação de fatores de risco:

A. Ausência de aleitamento materno, uma vez que a maioria dos estudos


atribui ao aleitamento materno uma ação protetora contra a obesidade
em crianças.
B. Hábitos alimentares da família como ter um desjejum com alimentos
muito “pesados” como ovos fritos, inhame e salsicha. O ideal é que se
comece o dia com uma fruta ou alimentos leves.
C. Sobrepeso ou obesidade dos pais, uma vez que pais que não
conseguem controlar a sua alimentação não são bons exemplos em
qualidade alimentar para os filhos.
D. Presença de cáries antes dos 5 anos de idade, uma vez que indica um
consumo excessivo de açúcares e guloseimas e pouco estímulo ao
autocuidado da criança por parte dos pais.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 10 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

25 – Durante atividade de educação permanente realizada na UBSF, em que

estava em discussão as Políticas de Promoção de Equidade em Saúde, uma

das participantes questiona “O SUS produziria equidade? ”. O debate em torno

da questão trouxe alguns argumentos que estão relacionados abaixo.

I – Sim e não. Sim, quando amplia o acesso à atenção básica, à cobertura

vacinal e aumenta a possibilidade de tratamento para doenças como AIDS,

câncer e saúde mental. Não, quando ainda persistem diferenças de acesso em

razão de obstáculos decorrentes da política e da gestão do sistema.

II – A operacionalização do conceito de equidade exige tal grau de sofisticação

e de delicadeza da política, da gestão e da própria organização social que

ainda em situações concretas é impossível observar-se sua aplicação efetiva.

III – A prática da equidade dependeria de um elevado grau de democracia, de

distribuição das cotas de poder, do controle social do exercício desse poder

descentralizado de maneira a se evitar abusos e, paradoxalmente, também de

um elevado grau de autonomia dos agentes sociais.

IV – A equidade não deve ser somente avaliada com relação ao acesso,

utilização de serviços e alocação de recursos, mas também considerando as

desigualdades das condições de vida, que exporiam as pessoas de maneira

diferente a fatores determinantes na produção de saúde e doenças.

Assinale a alternativa que corresponde aos argumentos CORRETOS:

A. I, II e III

B. II, III e IV

C. I, III e IV

D. I, II e IV

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 11 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

26 – A notificação compulsória da violência é obrigatória para os


médicos, outros profissionais de saúde ou responsáveis pelos serviços
públicos e privados de saúde que prestam assistência ao paciente:
I - A Portaria que define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de
doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços públicos e privados
em todo território nacional atende aos dispositivos presentes no Estatuto
da Criança e do Adolescente (ECA), no Estatuto do Idoso e na Lei nº
10.778/2003 que institui a notificação compulsória de violência contra a mulher
atendidas nos serviços de saúde.
II - Para fins de facilitar o correto preenchimento da Ficha de Notificação
Compulsória foi disponibilizado pelo Ministério da Saúde o Instrutivo
relacionado à notificação de violência doméstica, sexual e/ou outras violências
no qual consta a mudança do conceito de estupro e assédio sexual, além da
não mais utilização do conceito de atentado violento ao pudor.
III – A notificação compulsória imediata deve ser realizada pelo profissional de
saúde ou responsável pelo serviço assistencial que prestar o primeiro
atendimento ao paciente, em até 24 (vinte e quatro) horas desse atendimento,
pelo meio mais rápido disponível. Essa modalidade não se aplicará aos casos
de violência que devem ser informados semanalmente conforme estabelecido
pela Portaria em vigor.
IV - Todos os casos prováveis ou suspeitos de violências serão considerados
como “casos” de violências e devem ser notificados. Não se faz necessária a
confirmação da violência, a exemplo das doenças transmissíveis, para o
encerramento do caso. Na perspectiva da vigilância, o caso é encerrado no
próprio ato de preenchimento da ficha de notificação.
Estão CORRETAS apenas as afirmativas:

A. I, II e III
B. II, III e IV
C. I, III e IV
D. I, II e IV

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 12 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

27 – Paciente, 68 anos, acamado, está acompanhado pela equipe do programa


de atenção domiciliar (AD modalidade 2- necessidade de cuidados paliativos)
desde a última internação há 01 mês. A família buscou orientações na UBSF
sobre o desejo dele de não ser novamente levado para o hospital em caso de
nova “crise” e que não deseja ser submetido a nenhum procedimento que
prolongue sua vida. No registro do prontuário sobre a visita domiciliar
compartilhada realizada na semana consta que o mesmo se apresentava com
as funções cognitivas preservadas e sem prejuízo de funções psíquicas. Não
constam informações sobre a demanda referida pela família. São orientações
pertinentes ao caso:
I - Informar à família sobre o que é testamento vital ou diretivas antecipadas de
vontade do paciente. Orientar que o paciente deve ser respeitado e envolvido
por inteiro no processo de decisão, para que possa exercer sua autonomia.
Explicar sobre as possibilidades de registro em documento que expresse os
tipos de tratamento/procedimentos que o paciente recuse receber de
profissionais de saúde e cuidadores durante estágio terminal de vida.
II - Informar sobre a necessidade de conversar com o médico assistente,
assegurar que o paciente recebeu informações adequadas em relação ao seu
tratamento, sobre as consequências que sua aceitação ou rejeição podem
acarretar. Explicar que assim como ocorre no consentimento informado,
também é direito do paciente receber informações sobre procedimentos
propostos, riscos associados., resultados esperados e então emitir autorização
ou recusa para a prática do ato médico.
III – Informar que no Brasil é proibida a prática da eutanásia, sendo as diretivas
antecipadas admitidas somente em casos de ortotanásia. Orientar a família e
demarcar a diferença entre cuidados paliativos e tratamentos desnecessários e
desproporcionais, uma vez que apenas o segundo pode ser objeto da
declaração. Valorizar a relação médico paciente e enfatizar o respeito à
autonomia do paciente em todos os momentos até o final da existência.
IV – Informar que o testamento vital é reconhecido como instrumento legal em
países como Estados Unidos, Espanha, Portugal, Alemanha e Uruguai. No
Brasil, ainda não está regulamentado sendo a Resolução CFM 1.995/2012 o
único instrumento que trata respalda eticamente o profissional médico. Assim,
caso as diretivas antecipadas estejam em desacordo com sua consciência, o
médico pode recusar-se a instituí-las, frustrando a perspectiva do paciente.
Estão CORRETAS apenas as afirmativas:

A. I, II e III
B. II, III e IV
C. I, III e IV
D. I, II e IV

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 13 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

28 – Paciente, 45 anos, casada, mãe de 03 filhos acompanhados na Unidade


desde o pré-natal. Paciente demonstra tristeza e refere ter ido à Unidade após
o filho mais velho (21 anos) ter se revelado homossexual. Solicita informações
sobre a cura gay e também sobre as possíveis causas da homossexualidade.
São condutas esperadas do profissional:
I – Orientar a mãe sobre as questões de infecções sexualmente
transmissíveis/aids em razão da prevalência na população e solicitar o
agendamento de consulta para o filho.
II - Informar sobre a inexistência de evidências científicas que sustentam as
estratégias da chamada cura gay e evidenciar os efeitos nocivos da prática.
III – Explicar que a homossexualidade não integra o rol das doenças e agravos
da Classificação Internacional de Doenças e não se tem evidências de que
seria uma doença.
IV – Orientar a mãe sobre os efeitos da homofobia no isolamento social e na
incidência de transtornos mentais.
Estão CORRETAS apenas as afirmativas:

A. I, II e III
B. II, III e IV
C. I, III e IV
D. I, II e IV

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 14 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

Responda as questões de 29 a 31 com base neste enunciado.

29 – De acordo com a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) de 2017,


o funcionamento da equipe de Saúde da Família deverá seguir determinados
critérios.
Assinale a alternativa CORRETA:

A. Recomenda-se que as Unidades Básicas de Saúde tenham seu


funcionamento com carga horária mínima de 40 horas semanais, no
mínimo 5 dias da semana e nos 12 meses do ano, possibilitando acesso
facilitado à população. A população adscrita por equipe de Saúde da
Família (eSF) deve ser de 3.000 a 4.000 pessoas, localizada dentro do
seu território, garantindo os princípios e diretrizes da Atenção Básica.
B. Podem existir outros arranjos de adscrição, conforme vulnerabilidades,
riscos e dinâmica comunitária, facultando aos gestores locais,
conjuntamente com as equipes que atuam na Atenção Básica e
Conselho Municipal ou Local de Saúde, a possibilidade de definir outro
parâmetro. Fica estipulado, para cálculo do teto máximo de equipes de
Atenção Básica (eAB) e de Saúde da Família (eSF), pelas quais o
Município e o Distrito Federal poderão fazer jus ao recebimento de
recursos financeiros específicos, a seguinte fórmula: População/2.000.
C. Equipe de Saúde da Família é composta, no mínimo, por: médico,
preferencialmente da especialidade medicina de família e comunidade;
enfermeiro, preferencialmente especialista em saúde da família; auxiliar
e/ou técnico de enfermagem e agente comunitário de saúde (ACS).
Devem fazer parte da equipe, também, o agente de combate às
endemias (ACE) e os profissionais de saúde bucal: cirurgião-dentista,
preferencialmente especialista em saúde da família; e auxiliar ou técnico
em saúde bucal.
D. O número de ACS por equipe deverá ser definido de acordo com base
populacional, critérios demográficos, epidemiológicos e
socioeconômicos, de acordo com definição local. Em áreas de grande
dispersão territorial, áreas de risco e vulnerabilidade social, recomenda-
se a cobertura de 100% da população com número máximo de 500
pessoas por ACS.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 15 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

30 – Inserido à Rede de Atenção à Saúde (RAS), o município conta também


com Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (Nasf-AB). Quais
devem ser as características desse núcleo?
Assinale a alternativa CORRETA:

A. Constitui uma equipe multiprofissional e interdisciplinar composta por


categorias de profissionais da saúde, complementar às equipes de
Saúde da Família, sendo formada por diferentes ocupações da área da
saúde, atuando de maneira integrada para dar suporte (clínico, sanitário
e pedagógico) aos profissionais das equipes de Saúde da Família (eSF)
e não das demais equipes de Atenção Básica (eAB).
B. Os NASF-AB se constituem como serviços com unidades físicas
independentes ou especiais, e são de livre acesso para atendimento
individual ou coletivo (estes, quando necessários, devem ser regulados
pelas equipes que atuam na Atenção Básica). Devem, a partir das
demandas identificadas no trabalho conjunto com as equipes, atuar de
forma integrada à RAS e seus diversos pontos de atenção, além de
outros equipamentos sociais públicos/privados, redes sociais e
comunitárias.
C. Compete especificamente à Equipe do Núcleo Ampliado de Saúde da
Família e Atenção Básica (NASF-AB) realizar discussão de casos,
atendimento individual, compartilhado, interconsulta, construção
conjunta de projetos terapêuticos, educação permanente, intervenções
no território e na saúde de grupos populacionais de todos os ciclos de
vida e da coletividade, ações intersetoriais, ações de prevenção e
promoção da saúde, discussão do processo de trabalho das equipes,
dentre outros, no território.
D. Poderão compor os NASF-AB as ocupações do Código Brasileiro de
Ocupações - CBO na área de saúde: Acupunturista; Assistente Social;
Profissional/Professor de Educação Física; Farmacêutico;
Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo; Homeopata; Nutricionista; Psicólogo;
Terapeuta Ocupacional; Médico Veterinário, profissional com formação
em arte e educação (arte educador) e profissional de saúde sanitarista,
não sendo consideradas as especialidades médicas como
Ginecologia/Obstetrícia, Psiquiatria, Pediatria, entre outras.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 16 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

31 – Usuário, 59 anos, previamente hígido, que refere preocupação com suas


vacinas, pois irá viajar para o interior do estado do Goiás e na última vez que
tomou vacinas foi há dez anos quando foi visitar parentes neste mesmo local.
No cartão de vacina consta registros de vacinação para hepatite viral (3 doses),
febre amarela (1 dose), dupla adulto (1 dose).
Assinale a alternativa com a conduta mais adequada:

A. Orientar vacinação contra gripe a partir do próximo ano.


B. Orientar vacinação tríplice viral, reforço da febre amarela e reforço da
dupla adulto.
C. Orientar vacinação para dose de reforço da febre amarela e reforço da
dupla adulto.
D. Orientar vacinação para a dose de reforço apenas da dupla adulto.

Responda as questões de 32 a 35 com base no enunciado abaixo:

Na Unidade de Saúde da Família em que você atua como médico(a), você é


convidado(a) pela Agente Comunitária de Saúde (ACS) para fazer visita
domiciliar para usuária que tem 28 anos de idade, ensino superior completo e
pós-graduação em andamento, e seu filho, Miguel, nascido há 20 dias (recém-
nascido termo; peso ao nascer = 3.500g). Você não acompanhou seu Pré-
Natal nem a consulta do binômio. Segundo a ACS, até o momento, Miguel não
recebeu nenhuma vacina visto que a mãe disse que: “A criança acaba de nascer
e, ao invés de ir mamar e se fortalecer, vão lá e aplicam um vírus cheio de mercúrio
no bebê. Eu não vou vacinar meu filho!”.

32 – Qual, dentre as alternativas abaixo, apresenta uma opção CORRETA para


conversar com a usuária diante dessa agenda?

A. Algumas vacinas recebem um composto orgânico que contém mercúrio


e é adicionado como conservante dos imunizantes. Não existe evidência
que a quantidade utilizada represente um risco para a saúde.
B. As vacinas dos calendários de vacinação podem ser administradas
simultaneamente sem que ocorra interferência na resposta imunológica,
exceto as vacinas contra febre amarela, tríplice viral, contra varicela e
tetra viral.
C. A contraindicação à vacinação é uma condição que aumenta o risco de
um evento adverso grave ou faz com que o risco de complicações da
vacina seja maior do que o risco da doença contra a qual se deseja
proteger.
D. As vacinas bacterianas e virais atenuadas não devem ser administradas
a usuários com imunodeficiência congênita ou adquirida, e em
terapêuticas imunodepressoras.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 17 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

33 – Caso a usuária optasse por vacinar Miguel neste momento, o que deveria
ser feito? Marque a alternativa CORRETA.

A. Indicar a vacinação, que pode ser feita até 4 anos, 11 meses e 29 dias.
B. Não indicar a vacinação, pois essa só pode ser feita após o nascimento.
C. Indicar a vacinação após os primeiros 30 dias de vida.
D. Não indicar a vacinação, por essa não mais ter efeito no organismo da
criança.

34 – Você identifica um grupo de pais contrários à vacinação de seus filhos e


elabora uma ação de Educação Popular em Saúde para trabalhar essa
temática. Tendo em vista os princípios da Educação Popular em Saúde,
expressos pela Política Nacional de Educação Popular em Saúde no SUS (PNEPS-
SUS), o que você deve levar em conta para construir e executar essa ação?
Marque a alternativa CORRETA.

A. O diálogo, em que cada pessoa coloca o que sabe à disposição para


ampliar o conhecimento crítico acerca da realidade, compreendendo as
percepções acerca da vacinação, contribuindo com a transformação e a
humanização.
B. A problematização, através de palestras com conteúdo técnico
sobre vacinação, seus benefícios e poucos efeitos colaterais, propondo
a construção de práticas em saúde alicerçadas na leitura e na análise
crítica da realidade.
C. A construção compartilhada do conhecimento, em que processos
comunicacionais e pedagógicos entre pessoas e grupos de saberes,
culturas e inserções sociais diferentes podem impor a vacinação dessas
crianças.
D. A emancipação, em que pessoas e grupos conquistam a superação e a
libertação de todas as formas de opressão, exploração, discriminação e
violência, impondo a todos a não-vacinação das crianças.

35 – Considerando que a ação de Educação Popular em Saúde realizada


permitiu a capacitação da comunidade para atuar na melhoria de sua qualidade
de vida e saúde no âmbito das questões de vacinação, incluindo uma maior
participação no controle deste processo, podemos dizer que essa atividade se
tratou de qual tipo de ação?
Assinale a alternativa CORRETA.

A. Promoção da Saúde.
B. Prevenção Primária.
C. Prevenção Secundária.
D. Prevenção Quaternária.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 18 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

36 – Usuária, 42 anos, doméstica, participante do grupo de dança da Unidade,


com antecedentes de hipertensão, diabetes e tabagismo que vem a Unidade
com resultado de exames de rotina do HIPERDIA. Ao exame físico,
apresenta PA: 120x76 mmHg, FC: 73 bpm, Sat: 97% em ar ambiente, IMC:
22 kg/m2, ausculta cardiorespiratória sem alterações, pulsos simétricos e sem
edemas em membros. Seus exames estão normais exceto o HDL = 26 mg/dL.
Qual a conduta mais adequada para o caso?

A. Explicar os resultados dos exames, acolher a paciente empaticamente,


buscar entender a relação da mesma com o tabagismo e avaliar a
motivação para abstinência por meio da estratégia da entrevista
motivacional assumindo um espírito colaborativo, evocativo e que
respeita a autonomia da pessoa.
B. Orientar o resultado dos exames, encaminhar a paciente para a equipe
do Núcleo de Apoio a Saúde da Família, para que eles, dentro de suas
atribuições, trabalhem as questões do tabagismo e de mecanismos de
melhora do HDL.
C. Orientar o resultado dos exames, acolher a paciente empaticamente,
buscar entender a relação da mesma com o tabagismo e avaliar a
motivação para abstinência por meio da abordagem cognitivo-
comportamental que ajuda a reestruturar cognições funcionais e dar
flexibilidade cognitiva para avaliar situações específicas.
D. Orientar o resultado dos exames, acolher a paciente empaticamente,
buscar entender a relação da mesma com o tabagismo e avaliar a
motivação para abstinência por meio da abordagem centrada na pessoa
embasa teoricamente a relação e a comunicação indesejáveis entre
profissional de saúde e indivíduo no contexto da cessação do tabagismo.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 19 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

37 – Em reunião de equipe de uma Unidade Básica de Saúde foi notado que

mesmo com uma boa adesão dos idosos ao programa de controle da

hipertensão alguns persistiam com níveis pressóricos descontrolados. Um dos

agentes comunitários de saúde afirmou que esses casos eram de idosos que

moram sozinhos. A equipe decidiu então fazer um levantamento de todos os

idosos hipertensos acompanhados ao longo do último ano, separando-os em

dois grupos, aqueles que no início do acompanhamento moravam sozinhos e

aqueles que não moravam sozinhos, para analisar como evoluíram em relação

ao controle ou não da hipertensão ao longo do referido ano.

Qual, dentre as alternativas abaixo, apresenta uma análise crítica CORRETA

sobre o desenho do estudo proposto pela equipe da Unidade de Saúde?

A. Poderia tratar-se de uma coorte retrospectiva, desde que houvesse

garantia de que inicialmente os dois grupos de idosos estivessem

isentos do desfecho.

B. Poderia tratar-se de um estudo de intervenção, desde que houvesse o

cuidado de selecionar os dois grupos de idosos de forma randomizada.

C. Poderia tratar-se de um estudo de coorte prospectiva, desde que

houvesse o cuidado de garantir uma seleção aleatória dos dois grupos

de idosos.

D. Poderia tratar-se de um estudo de caso controle, desde que os critérios

de inclusão e exclusão dos dois grupos estivessem inicialmente bem

definidos.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 20 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

38 – Usuário, 52 anos, previamente hígido, deseja pedido do PSA. Ele está


assintomático e nega antecedentes de neoplasia na família. Refere que fazia
acompanhamento médico anterior e que, em fevereiro deste ano, fez exames
de sangue e ECG e que todos estavam normais.
Qual a melhor orientação segundo a literatura baseada em evidências?

A. Fazer o pedido do exame, pois a única forma de garantir a cura do


câncer de próstata é o diagnóstico precoce, e a Sociedade Brasileira de
Urologia recomenda que todos os homens com mais de 50 anos
procurem anualmente um urologista para fazer o exame de toque retal e
a dosagem de PSA no sangue.
B. Não solicitar o exame e orientar a equipe a não realizar mais campanhas
destinadas ao público masculino seguindo aos moldes do
“Novembro Azul”, pois, desde 2012, o United States Preventive
Services Task Force (USPSTF) passou a contraindicar o rastreamento
de câncer de próstata baseado em PSA para homens americanos de
qualquer idade.
C. Decidir junto com o paciente, pois desde 2013 o Instituto Nacional de
Câncer (INCA) não recomenda a organização de programas de
rastreamento para o câncer da próstata, e caso o paciente demande estes
exames, que fossem informados por seus médicos sobre os riscos e
benefícios associados a essa prática.
D. Solicitar o exame, pois de acordo com a Canadian Task Force on
Preventive Health Care o pequeno benefício da coleta compensa os
potenciais malefícios, quase sempre relacionados à realização
desnecessária de biópsia prostática, o impacto psicológico causado por
um resultado falso positivo e as sequelas do tratamento.

39 – A visita domiciliar (VD) é uma ferramenta importante na Estratégia de


Saúde da Família (ESF).
Qual alternativa apresenta o conceito mais CORRETO sobre a VD?

A. Tem como objetivo oferecer condutas de promoção, proteção e


recuperação da saúde do indivíduo, da família e da coletividade, no
ambiente da unidade de saúde.
B. É um instrumento que promove um grande vínculo entre o profissional
de saúde e as famílias de seu território de atuação, dificultando
conhecer a realidade do indivíduo e de sua família in loco.
C. Deve ser realizada em equipe, sendo importante que o Agente
Comunitário de Saúde (ACS) lidere o grupo, pois é momento oportuno
para que se legitime a sua representatividade na ESF.
D. Há a necessidade de se conhecer a família em sua espontaneidade
cotidiana, sem agendamentos, pois só assim será possível conhecer os
domicílios com suas características ambientais, socioeconômicas e
culturais e verificar a estrutura e a dinâmica familiares.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 21 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

40 – Usuária, 18 anos, previamente hígida e sem antecedentes mórbidos


familiares, vem para UBSF informando que iniciou vida sexual com namorado
este mês e gostaria de fazer coleta da citologia oncótica.
Qual a conduta mais adequada?

A. Investigar sangramento menstrual e relações sexuais anteriores para


agendar coleta de citologia no período adequado.
B. Realizar a coleta da citologia, investigar uso de preservativos e oferecer
exames de rastreamento de infecções sexualmente transmissíveis, caso
não tenham usado preservativos.
C. Orientar coleta de citologia a partir dos 25 anos, investigar uso de
preservativos e/ou métodos contraceptivos e oferecer exames de
rastreamento de infecções sexualmente transmissíveis.
D. Orientar coleta de citologia a partir dos 25 anos, investigar uso de
preservativo e solicitar exames de rotina para prescrição de
anticoncepcional.

41 – Lactente, 2 meses, foi encaminhado ao serviço de emergência com


exame clínico e exames complementares que confirmaram o diagnóstico de
meningite. O líquor apresentou-se purulento, com aumento de leucócitos acima
de 1.000/mm3, proteinorraquia (acima de 80 mg/dL) e bacterioscopia negativa.
Considerando os patógenos mais frequentes para a faixa etária, indica-se
como tratamento empírico inicial:

A. Ceftriaxona
B. Ampicilina e gentamicina
C. Aciclovir
D. Ceftazidima e gentamicina

42 – Lactente, 6 meses, é trazido ao serviço de emergência com história de


febre há 24 horas e crise convulsiva, inédita, generalizada tônico-clônica,
de curta duração, que cessou espontaneamente. Ao exame físico, a criança
estava febril e com o exame neurológico normal. O acompanhante da criança
não soube informar sobre a situação atual do calendário vacinal da criança.
Com base nessas informações, a conduta mais indicada para planejamento
diagnóstico é:

A. Coleta de líquor para análise laboratorial


B. Tomografia computadorizada de crânio
C. Pesquisa de erros inatos do metabolismo
D. Eletroencefalograma

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 22 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

43 – Lactente, 1ano e 2 meses, vem a consulta com rinorreia, irritabilidade e


picos subfebris há quatro dias. Hoje apresentou piora do quadro febril
(temperatura axilar = 39 o C), recusa alimentar e prostração. Ao exame físico:
secreção nasal espessa e amarelada, abaulamento e hiperemia das
membranas timpânicas, com otorreia bilateral. Ausculta pulmonar
normal. Trata se do segundo episódio de otite nos últimos seis meses, sendo
tratado previamente com antibióticos. Permanece em creche durante o dia,
mama deitado e os pais são tabagistas.
Além das orientações quanto à creche, posição alimentar, tabagismo e
antitérmicos, qual a conduta imediata?

A. Antibioticoterapia
B. Antibioticoterapia e corticoide oral
C. Antibioticoterapia e descongestionante
D. Antibioticoterapia e anti-histamínico

44 – Menina, 3 anos, apresentou quadro de infecção urinária febril com grande


acometimento clínico, tratada com antibioticoterapia com sucesso. Apresenta
desnutrição ponderoestatural de 1º grau, imunização atrasada e passado de
quadros febris sem diagnóstico. Foi encaminhada para acompanhamento
ambulatorial e solicitados exames de imagem.
Assinale a alternativa CORRETA em relação aos exames de imagem:

A. A ultrassonografia de rins e vias urinárias não é confiável para detecção de


cicatrizes renais.
B. A uretrocistografia miccional é adequada para avaliação de alterações
da pelve renal.
C. O estudo urodinâmico deve ser realizado nas meninas menores que 2
anos, após o segundo episódio de infecção urinária.
D. A cintilografia renal é um exame com boa sensibilidade para pielonefrite,
mas com grande carga radioativa.

45 – Menino, dois anos, apresenta vários episódios de febre (entre 38,5oC e


40,0oC) ao dia nos últimos três meses. Durante esses episódios verifica-se,
frequentemente, exantema evanescente em tronco e raiz de membros. Há oito
semanas foi notada artrite persistente em pequenas articulações das mãos,
punhos e joelhos, com resposta parcial a anti-inflamatório não-hormonal.
É esperada na investigação laboratorial a presença de:

A. plaquetose
B. anticorpos antinucleares
C. fator reumatoide
D. neutropenia

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 23 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

46 – Você está no ambulatório e atende uma menina, 7 anos de idade, cuja


mãe se queixa de que a criança tem baixa estatura. A altura da mãe é 150 cm
e do pai é 165 cm. Após o exame físico e análise do cartão de saúde da
criança, você constata que a criança cresceu 6 cm no último ano.
Assim, você conclui que:

A. A altura final esperada para essa criança é de 160 cm


B. Deverá ser solicitado THS e raio X para datação da idade óssea para
investigação do déficit de crescimento
C. O estádio de Tanner esperado para essa criança é M2 P2
D. A criança está crescendo o esperado

47 – Lactente, 14 meses, apresenta palidez cutaneomucosa numa


consulta de rotina. Nasceu a termo, adequado para idade gestacional,
recebeu alta conjunta, uso de leite de vaca a partir dos 2 meses, pois o leite
materno “secou”. Dieta atual predominantemente láctea, frutas ocasionais e
carne três vezes na semana. Desenvolvimento, crescimento e imunização
adequados. Houve acompanhamento médico irregular no primeiro ano de vida,
não há relato de uso de medicações de uso diário e é cuiidado pela avó. Ao
exame físico: pálido ++/4, ausência de visceromegalias, adenomegalias e/ou
icterícia.
Qual achado laboratorial é esperado?

A. Aumento da saturação de transferrina e ferritina


B. Redução da capacidade total de ligação e RDW
C. Redução da ferritina e aumento da protoporfirina eritrocitária
D. Anemia microcítica e hipocrômica e redução receptor de transferrina

48 – Criança, 10 meses, em aleitamento materno e dieta complementar própria


para idade, apresenta 5 evacuações líquidas diárias com início há 2 dias, sem
febre e com vômitos esporádicos. Bom estado geral, alerta, discreta redução
de saliva, pulsos amplos, frequência cardíaca normal.
Qual a alternativa abaixo que define as orientações necessárias quando ao
cuidado e tratamento?

A. Deve ser mantida a dieta habitual, aumentar a oferta de líquidos, iniciar a


administração de solução de reidratação oral e suplementação de zinco.
B. Restringir a oferta de lactose e iniciar a administração de solução de
reidratação oral.
C. A presença dos vômitos exclui a possibilidade da indicação da
hidratação oral
D. A coleta de exames laboratoriais para a avaliação do processo
infeccioso é necessária.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 24 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

49 – A mãe de um lactente, 5 meses de idade, queixa-se de aumento do


número de regurgitações, irritabilidade com choro mais frequente e sono
noturno agitado com duração de aproximadamente 30 dias. Refere ter iniciado
fórmula de partida há 45 dias por considerar o leite materno insuficiente.
Ao exame observa-se adequado ganho ponderal no último mês e ausência de
alterações clínicas.
Qual será a abordagem para o esclarecimento diagnóstico?

A. Verificar o volume da dieta corrigindo provável excesso com


exacerbação dos sintomas do refluxo gastroesofágico fisiológico.
B. Iniciar tratamento de prova com ranitidina para investigação do provável
diagnóstico de Doença do Refluxo Gastroesofágico.
C. Iniciar tratamento de prova com omeprazol devido à presença de
sintomas exuberantes como irritabilidade, choro e distúrbio do sono.
D. Realizar endoscopia digestiva alta com biópsias antes de iniciar qualquer
tratamento a fim de comprovar a presença de esofagite de refluxo.

50 – Recém-nascido, 36 semanas de idade gestacional, nasceu de parto


normal, banhado com líquido aminiótico meconial, em boas condições com
choro vigoroso e bom tônus.
Qual a conduta a ser tomada com esse RN logo após o nascimento?

A. Clampeamento tardio do cordão e permanecer junto à mãe pela boa


vitalidade ao nascer.
B. Clampeamento tardio do cordão umbilical e a seguir condução à mesa
de reanimação pela prematuridade indicando-se os passos iniciais da
estabilização.
C. Clampeamento imediato do cordão umbilical pela prematuridade e a
seguir condução à mesa de reanimação, indicando-se os passos iniciais
da estabilização.
D. Clampeamento imediato do cordão umbilical pela presença de líquido
amniótico meconial e, a seguir, condução à mesa de reanimação,
indicando-se os passos iniciais da estabilização.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 25 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

51 – Recém-Nascido do sexo masculino, 38 semanas de idade gestacional,


encontra-se em alojamento conjunto com 48 horas de vida. Ao exame físico
observado icterícia zona II, sem outras alterações. Aleitamento materno em
livre demanda com avaliação da mamada sem sinais indicativos de
dificuldade, exceto, pela pequena quantidade de colostro em aumento
progressivo.
Perda ponderal de 4% em relação ao peso de nascimento. Grupo sanguíneo
do Recém-Nascido "A" Rh positivo. Grupo sanguíneo da mãe "O" Rh positivo.
Qual o planejamento diagnóstico da icterícia e a conduta mais adequada nesse
caso?

A. Deverá ser coletado sangue para hemograma completo, pesquisa de


microesferócitos e dosagem de reticulócitos e bilirrubinas. Não havendo
comprovação de hemólise, o diagnóstico mais provável é de icterícia
fisiológica e o RN deverá receber alta com retorno precoce.
B. Deverá ser coletado sangue para dosagem de bilirrubinas pois o
diagnóstico mais provável é de icterícia por incompatibilidade ABO e
deverá ser avaliado indicação de tratamento específico com fototerapia
ou exsanguineotransfusão.
C. Não será necessária a coleta de exames pois trata-se de icterícia leve e
o diagnóstico mais provável é de icterícia por baixa ingestão de leite
materno em decorrência da perda ponderal excessiva. Deverá ser
prescrito complementação com fórmula infantil até aumento na
quantidade de leite materno.
D. Não será necessário a coleta de exames, pois trata-se de icterícia leve e
o diagnóstico mais provável é de icterícia fisiológica. Poderá receber alta
com retorno precoce.

52 – Recém-nascido, sexo feminino, nasceu de parto normal à termo em boas


condições e foi encaminhado ao alojamento conjunto. Não se identificam
anormalidades no exame físico. Mãe realizou, no início do segundo semestre
de gestação, VDRL (1:16; positivo) e, logo a seguir, FTAabs (positivo).
Considerando o quadro clínico acima e o diagnóstico de sífilis congênita
neste recém-nascido, é CORRETO afirmar que:

A. Deverá ser realizado teste não treponêmico (VDRL) da mãe na


internação para o parto e do sangue do cordão umbilical para avaliação
do RN.
B. O VDRL do RN negativo e a criança assintomática excluem o
diagnóstico de sífilis congênita.
C. VDRL do RN positivo em título maior do que o título materno em pelo
menos duas diluições sugere o diagnóstico de sífilis congênita.
D. O teste treponêmico específico capaz de detectar IgM no RN (FTA-Abs
IgM) negativo exclui o diagnóstico de sífilis congênita.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 26 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

53 – Criança, 4 anos, dá entrada no Pronto Socorro com súbito de desconforto


respiratório. Apresenta esses episódios desde os dois anos de idade, em
média 4 a 5 vezes ao ano, sendo que por duas oportunidades permaneceu
internado por 3 dias. Após os atendimentos anteriores, recebia orientação de
usar Salbutamol e Prednisolona por 1 semana, não apresentando sintomas
entre as crises. Ao exame físico, encontra-se taquidispneica com tiragens
intercostais e retração de fúrcula, acianótica, afebril, perfusão periférica
adequada, murmúrio vesicular presente, porém difusamente diminuído, e
sibilos expiratórios importantes.
Qual o diagnóstico e conduta apropriados?
A. Bronquiolite viral; oxigenioterapia na crise e alta após melhora da crise
com seguimento ambulatorial.
B. Asma brônquica; salbutamol e corticosteroides inalados na crise e
corticoterapia inalatória na alta com seguimento ambulatorial.
C. Asma brônquica; salbutamol inalatório e corticoide oral na crise e
corticoterapia inalatória na alta com seguimento ambulatorial
D. Bronquiolite obliterante; salbutamol inalatório e corticoide oral na crise e
corticoterapia inalatória na alta com seguimento ambulatorial.

54 – Menina, 3 anos e 6 meses de idade, é atendida na UBS com história de


lesões em dobras flexoras de cotovelo e joelho, pruriginosas, desde os 2 anos
de idade, inicialmente recorrentes e atualmente, nos últimos 4 meses,
contínuas e com aumento progressivo da extensão. Pele globalmente
xerodérmica associada a lesões de base eritematosa, com presença de
pápulas exulceradas, algumas com crostas melicéricas e outras com secreção
clara, acometendo as regiões flexoras de cotovelo e joelhos e se estendendo
cerca de 10 cm da mesma. A criança coçou as regiões durante toda a consulta.
Qual o diagnóstico e conduta apropriado?
A. Dermatite Atópica; corticosteroide e antibiótico orais.
B. Impetigo agudo; antibioticoterapia oral.
C. Ictiose vulgar; corticosteroide e antibiótico orais
D. Dermatite Atópica; corticosteroide e antibióticos tópicos.
.
55 – Menina, 3 anos, previamente hígida, apresenta história de edema de face,
predominantemente matutino, havia 3 semanas. Há 3 dias associou-se tosse
rouca, coriza hialina e febre baixa (um episódio) diário. Há 48 horas houve
aumento do edema de face, evoluindo para abdome e membros inferiores.
Ao exame físico: regular estado geral, normotensa, FC: 100 bpm, FR: 30
irpm, ativa, eupneica, afebril, hidratada, corada, com edema generalizado (+++/4+).
Exames laboratoriais compatíveis com o diagnóstico de síndrome nefrótica.
Escolha a conduta terapêutica inicial CORRETA:

A. Restrição hidrossalina, repouso relativo e diuréticos potentes.


B. Repouso relativo e prednisona.
C. Albumina humana 20%, diariamente, até remissão completa do edema
D. Ciclofosfamida por 3 a 4 semanas

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 27 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

56 – Menina, 3 anos e 2 meses, com dificuldade de evacuar desde lactente.


Até os 2 anos evacuava a cada três dias, fezes em cíbalos, com esforço, e às
vezes necessidade do uso do supositório. Há dois meses teve piora do quadro,
ficando até sete dias sem evacuar. A última evacuação foi há três dias, em
cíbalos. O desfralde foi com 2 anos e 6 meses, sem dificuldade, mas agora
não está querendo sentar no vaso e pede para colocar fralda ou faz no chão.
Alimenta se bem, com menor ingestão de frutas e vegetais a partir de 2 anos
e meio, aceita leite três vezes ao dia e ingestão de água é pouca. Ao exame
físico: bom estado geral, ativo, corado, abdômen sem distensão, sem
fezes palpáveis, ruídos hidroaéreos presentes. Ao exame retal não se
verificam fissuras ou alterações.
Qual deverá ser a conduta mais adequada neste caso?

A. A fibra alimentar é uma boa alternativa e deve ser sempre associada ao


laxante
B. A primeira escolha é o Polietilenoglicol (PEG 4000)
C. Encaminhar para investigação diagnóstica
D. Uso obrigatório do laxante e em menor importância as orientações
alimentares

57 – Você está atendendo no ambulatório uma criança de 6 meses de vida.


Essa criança foi prematura de 28 semanas, peso ao nascer de 1.100g e
Apgar = 4 e 7. Ela ficou internada por 2 meses e 10 dias.
Sobre o desenvolvimento neuropsicomotor dessa criança, no dia de hoje, é
esperado que ela consiga:

A. Rolar
B. Sentar com apoio
C. Sustentar o pescoço
D. Segurar objetos na linha média e levá-los à boca

58 – Lactente, 2 meses, é levada a consulta de puericultura. Ao exame não se


evidencia cicatriz vacinal de BCG.
Qual a conduta CORRETA?

A. Indicar revacinação neste momento sem realizar o teste tuberculínico


B. Realizar teste tuberculínico e caso seja negativo revacinar o paciente
C. Aguardar até 6 meses para o aparecimento da cicatriz
D. Aguardar até os 10 anos quando receberá a 2a dose da vacina BCG

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 28 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

59 – Pré-escolar, 2 anos, é trazido pela mãe com quadro de anorexia, febre e


diarreia com sangue, há mais de 3 meses. Avô em tratamento para
tuberculose. A criança teve 4 internações hospitalares no último ano pela
mesma queixa. Gravidez não desejada, mãe G6P5, pais separados, sendo a
mãe a única cuidadora da criança. Exames laboratoriais: anemia ferropriva
leve, RX de tórax normal, 2 lavados gástricos negativos para BAAR, exames
fezes (incluindo parasitológico e pesquisa de sangue oculto) normais. Durante
a internação (15 dias) não apresentou febre ou diarreia, boa aceitação
alimentar com ganho de 380 gramas de peso neste período. Mãe presente
durante toda a internação e insiste na realização de novos exames.
Qual é a conduta CORRETA?
A. Dar alta com sulfato ferroso, considerando que a anemia ferropriva deve
ser consequência da síndrome de má absorção.
B. Iniciar tratamento para tuberculose pela queixa de febre persistente e
história de contato.
C. Tratar a desnutrição, sem a necessidade de investigação adicional no
momento, uma vez que houve melhora espontânea do quadro.
D. Investigar a possibilidade de Síndrome de Munchausen por procuração.

60 – Amamentar é um processo que envolve interação profunda entre mãe e


filho, com repercussões no estado nutricional, imunológico e cognitivo da
criança, além de ter implicações na saúde física e psíquica da mãe.
Com base no seu conhecimento sobre a fisiologia da lactação e os benefícios
do aleitamento materno para a saúde do binômio, encontre a alternativa
CORRETA:
A. A OMS recomenda aleitamento materno exclusivo até 6 meses de idade
e, a seguir, complementação, dadas as alterações da composição do
leite humano após esse período.
B. A produção do leite é controlada exclusivamente por hormônios, como a
prolactina e a ocitocina desde o nascimento e sua manutenção
independe do estímulo da sucção.
C. O leite humano apresenta numerosos fatores imunológicos que
protegem a criança contra infecções, sendo a IgA secretória o principal
anticorpo.
D. A prevenção da obesidade se deve pelo fato de que crianças em
aleitamento materno estão menos propensas a ingerir alimentos
industrializados e calóricos.

61 – Em um paciente sendo submetido a gastrectomia subtotal associada a


linfadenectomia D2, para tratamento de câncer gástrico, qual dos vasos abaixo
não deve ser ligado?

A. Artéria gástrica esquerda.


B. Artéria gástrica direita.
C. Artéria gastroepiploica direita.
D. Vasos gástricos curtos.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 29 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

62 – Durante uma derivação biliodigestiva colédoco-duodenal, o cirurgião


solicita um fio absorvível, multifilamentar, sintético, com agulha adequada
para uso gastrointestinal. A circulante pergunta para você, que está auxiliando
o procedimento, se pode abrir o fio representado na figura abaixo:

Você responde:

A. Não, porque se trata de um fio de origem animal.


B. Não, porque se trata de fio com agulha cortante.
C. Não, porque se trata de fio sintético inabsorvível.
D. Não, porque se trata de fio monofilamentar.

63 – Paciente masculino, 16 anos, é submetido a apendicectomia


videolaparoscópica devido apendicite aguda não complicada. Recebeu alta no
primeiro dia pós-operatório após evolução sem intercorrências. No sétimo dia
pós-operatório, procura Unidade Básica de Saúde, na qual você trabalha, com
queixa de hiperemia, dor e abaulamento da ferida pós-operatória, sem outras
queixas.
Qual a melhor conduta?

A. Antibioticoprofilaxia com cefalosporina de 1 geração.


B. Antibioticoterapia com quinolona.
C. Encaminhamento imediato para serviço terciário para provável
reabordagem cirúrgica.
D. Abertura de ponto da ferida e lavagem diária com água e sabão.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 30 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

64 – Paciente masculino, 54 anos, procura ambulatório de cirurgia devido a


abaulamento em região epigástrica havia 3 anos. Refere hipertensão artérial
sistêmica em tratamento regular com losartana, prescrita por cardiologista.
Nega cirurgias prévias. No momento, sem outras queixas. Ao exame físico,
entretanto, seja em posição supina ou ortostática, não foi palpada alteração
identificável em parede abdominal, muito devido ao peso aumentado do
paciente (P = 106kg; Altura: 1,68m).
Qual é o exame complementar mais adequado para diagnóstico?

A. Radiografia de abdome com clipes metálicos.


B. Ultrassonografia de parede abdominal.
C. Tomografia de abdome sem contraste.
D. Videolaparoscopia diagnóstica.

65 – No pós-operatório de uma colectomia esquerda laparotômica, o médico


residente do primeiro ano do Programa de Cirurgia Geral deve prescrever para
o paciente um aporte máximo de quantas calorias nas 24 horas?

A. 100 Kcal
B. 300 Kcal
C. 800 Kcal
D. 2000 Kcal

66 – Paciente masculino com 75 Kg, 33 anos, foi submetido a uma


enterectomia com entero-entero-anastomose término-terminal primária, após
trauma abdominal fechado. No quarto dia pós-operatório, evoluiu com
distensão abdominal associada a discreta dor a palpação abdominal, mais
acentuada em adjacências de ferida operatória. A radiografia de abdome
revelou distensão difusa de alças abdominais, de delgado e cólon. Dados vitais
sem anormalidades. Exames laboratoriais: Hemoglobina =: 10,9g/dL;
Leucócitos = 12.500/mm 3 (sem desvio à esquerda); Plaquetas:
339.000/mm3; proteína C reativa = 14,6mg/dL; ureia = 39mg/dL; creatinina =
1,1mg/dL; Na = 138mEq/L; K = 2,8mEq/L. Foi feita a hipótese diagnóstica de
íleo secundário a hipopotassemia.
Qual é o volume mínimo de KCl 15% que deverá ser prescrito para
esse paciente, para adequada reposição eletrolítica?

A. 72 mL
B. 80 mL
C. 90 mL
D. 144 mL

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 31 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

Responda as questões de 67 e 68 com base no caso descrito abaixo.

Uma mulher, 27 anos, é trazida ao Pronto Socorro pelos bombeiros após


capotamento de carro há 1 hora. Foi admitida no serviço de saúde em prancha
rígida, com colar cervical, consciente, orientada, muito ansiosa, chorosa e
queixando de dor abdominal. Dados vitais: SatO2 = 99% com máscara facial de
O2 a 12 L/min; frequência respiratória = 19 irpm; frequência cardíaca: 108 bpm;
PA: 90/60 mmHg. Ao exame do abdome, observou-se dor a palpação profunda
de hipogástrio, porém, com descompressão brusca do abdome indolor.

67 – Considerando o caso apresentado, o exame complementar mais


adequado para avaliação abdominal seria:

A. Radiografia de abdome na posição em pé e deitada


B. Lavado peritoneal diagnóstico
C. FAST (Focused Assessment with Sonography in Trauma)
D. Tomografia de abdome contrastada

68 – Com relação às condições hemodinâmicas da paciente, nesse momento,


a melhor medida terapêutica seria:

A. Reposição volêmica balanceada com infusão máxima de 1000 mL de SF


0,9%.
B. Reposicão volêmica vigorosa com infusão inicial de 2000 mL de Ringer-
Lactato.
C. Reposicão volêmica vigorosa com acionamento de protocolo de
transfusão maciça.
D. Reposição volêmica balanceada com infusão imediata de sangue tipo-
específico.

69 – Homem, 66 anos, afrodescendente, portador de Doença de Chagas, com


disfagia progressiva (recentemente para alimentos pastosos) havia 18 meses.
Relata ser hipertenso e está em tratamento irregular com hidroclorotiazida e
enalapril. Foi colecistectomizado há 5 anos, por videolaparoscopia. Nega
tabagismo e etilismo. Seu avô paterno faleceu em decorrência de câncer de
pâncreas.
Deve-se solicitar inicialmente:

A. RX baritado de esôfago, estômago e duodeno.


B. Manometria esofágica com 8 canais.
C. Endoscopia digestiva alta.
D. Tomografia computadorizada de tórax com contraste oral iodado.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 32 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

70 – Mulher, 37 anos, branca, relata que, há 30 dias, iniciou quadro de icterícia,


associada a cólicas recorrentes em andar superior de abdome. Nega
comorbidades. Duas cesáreas prévias. Exames laboratoriais: Hemoglobina =
12,1g/dL; leucócitos = 8.500/mm3 (bastonetes-6%, segmentados-80%,
linfócitos-10%, monócitos-3%); plaquetas = 345.000mm3; proteína C reativa =
10mg/dL; aspartato aminotransfefrase = 54U/L; alanina aminotransferase =
40U/L; gama-GT = 445U/L; fosfatase alcalina = 388U/L; bilirrubina total =
7,5mg/dL; bilirrubina direta = 6,6mg/dL; amilase = 88U/L; ureia = 38mg/dL;
creatinina = 0,8mg/dL; Na = 136mEq/L; K = 4,1mEq/L. Ultrassonografia revela
colecistopatia calculosa crônica com imagens compatíveis com coledocolitíase
e dilatação de vias biliares extra-hepáticas. Ao exame físico: BEG; corada;
hidratada; icterícia 3+/4+; afebril, eupneica; estável e normal
hemodinamicamente; abdome com discreta dor à palpação profunda de
hipocôndrio direito.
Qual o exame complementar mais indicado para o planejamento terapêutico?

A. Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica.


B. Colangiorressonância.
C. Colangiografia percutânea.
D. Colangiotomografia.

71 – Em uma Unidade Básica de Saúde, você recebe um paciente que traz


uma colonoscopia solicitada para investigação de um exame positivo de
sangue oculto fecal. A paciente, uma mulher de 58 anos, encontra-se
bastante apreensiva, pois sua mãe faleceu de câncer de reto. O laudo da
colonoscopia indica: “Colonoscopia completa até íleo terminal.
Doença hemorroidária não complicada. Em sigmoide, observado pólipo
séssil com 0,5 cm. Realizada polipectomia”. Anatomopatológico da peça:
Adenoma tubular, sem displasia.
Qual a orientação mais adequada para ser dada a esse paciente?

A. Trata-se de lesão benigna já tratada. Ele deverá realizar nova


colonoscopia em 1 ano.
B. Trata-se de lesão benigna com alto potencial de malignização. Ele
deverá realizar nova colonoscopia em 30 dias.
C. Trata-se de lesão benigna com alto potencial de malignização. Ele
deverá ser encaminhado para serviço de referência em cirurgia
colorretal.
D. Trata-se de lesão benigna já tratada. Ele deverá realizar nova
colonoscopia em 5 anos.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 33 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

72 – Paciente de 32 anos, sexo masculino, com dor durante esforço


evacuatório há cerca de 60 dias. Refere que está fazendo apenas “banhos de
assento”, sem melhora do quadro. Nega cirurgias prévias. Relata ter
constipação intestinal. Sem outras queixas.
À inspeção local é observada lesão linear com cerca de 3mm, rasa, com
bordas elevadas e fibróticas, dolorosa ao toque, em região médio-posterior do
ânus.
Qual o tratamento mais indicado para este caso?

A. Sutura da lesão com fio de Nylon 3-0


B. Esfincterotomia lateral interna e curetagem da lesão
C. Isossorbida tópica por 4 semanas
D. Hemorroidectomia aberta (Técnica de Milligan-Morgan)

73 – Paciente masculino, 28 anos, é admitido em Pronto Socorro, trazido por


terceiros, devido ferimento por arma branca em epigástrio, com cerca de 3 cm,
por onde se observa pequena exteriorização de epíplon. Encontra-se
consciente, agitado e com hálito etílico. Dados vitais: Sat.O 2 =: 97% com
máscara facial de O 2 a 12 L/min; FR = 24 irpm; FC = 92 bpm; PA = 140x90
mmHg.
A partir da descrição destes dados, a melhor conduta seria:

A. Exploração digital da lesão após antissepsia e anestesia local.


B. Realização de FAST (Focused Assessment with Sonography in Trauma)
na sala de emergência.
C. Solicitação de tomografia computadorizada de abdome contrastada.
D. Indicação de laparotomia exploradora.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 34 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

74 – Paciente, não identificado, sexo masculino, com idade aparente de


cerca de 50 anos, foi trazido ao Pronto Socorro pelos bombeiros após ter
sido encontrado caído no chão, gemente, em posição antálgica,
nitidamente alcoolizado em via pública. Segundo as pessoas presentes
no local, o paciente apresentou vários episódios de vômitos. Foi realizado RX
de tórax, cuja imagem está apresentada a seguir:

Diante do caso apresentado, qual é a conduta mais adequada?

A. Antibioticoterapia com ceftriaxone e clindamicina


B. Endoscopia digestiva alta
C. Laparotomia exploradora
D. Broncofibroscopia

75 – Uma mulher de 62 anos foi admitida em Pronto Socorro, trazida por


familiares, com franca enterorragia e certa palidez cutaneomucosa. Negava dor
abdominal. Fazia uso de aspirina e clopidogrel por ser portadora de Cardiopatia
Isquêmica, já em seguimento com especialista. Dados vitais: Sat.O2 = 96%
com cateter de O2 a 2L/min. FR: 18 irpm. FC: 96 bpm. PA: 120x70 mmHg.
Qual é o primeiro exame complementar necessário para a investigação
etiológica do quadro?

A. Arteriografia seletiva da artéria mesentérica superior


B. Tomografia computadorizada de abdome contrastada
C. Colonoscopia
D. Endoscopia digestiva alta

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 35 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

76 – Paciente, 63 anos, mulher, procura atendimento na Unidade Básica de


Saúde da Família devido à presença de nódulo palpável em região de
tireoide, com 1,2 cm de diâmetro em ultrassonografia cervical. Ela
permanece eutireoidea.
Qual é a melhor conduta?

A. Solicitar cintilografia tireoidiana


B. Solicitar biópsia por aspiração com agulha fina
C. Encaminhar para serviço de referência para iodoterapia
D. Encaminhar para serviço de referência para lobectomia de tireoide.

77 – Paciente, 69 anos, mulher, afrodescendente, foi submetida à


pancreatectomia corpo-caudal laparotômica por neoplasia há 13 dias, tendo
recebido alta hospitalar no sexto dia pós-operatório. Procura atendimento em
unidade secundária de pronto atendimento, em uma sexta-feira a noite, com
queixa de dor em perna esquerda associada a edema exclusivo da mesma e
febre não aferida havia 18 horas. Nesta unidade, nos finais de semana, só há
disponibilidade de exames laboratoriais e radiografias simples.
Considerando o provável diagnóstico, qual seria a melhor conduta?

A. Internação com sintomáticos até doppler de membros inferiores na


segunda-feira.
B. Internação e solicitação de transferência urgente para serviço terciário.
C. Internação com início de enoxaparina, 60mg, a cada 12 horas.
D. Internação com início de warfarina, 5mg/dia.

78 – Uma criança, 8 dias de vida, é trazida ao Pronto Socorro com vômitos não
biliosos, minutos após as mamadas, e, diminuição da eliminação de fezes. Ao
exame físico, foi observada desidratação e massa palpável em epigástrio, com
peristaltismo de luta visível em andar superior de abdome.
Considerando os dados apresentados e a provável hipótese diagnóstica, a
gasometria desta criança provavelmente revelará:

A. Acidose metabólica hipoclorêmica


B. Alcalose metabólica hiperclorêmica
C. Acidose metabólica hiperclorêmica
D. Alcalose metabólica hipoclorêmica

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 36 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

79 – Um homem, 35 anos, foi admitido devido a ferimento por arma de fogo em


abdome e submetido à laparotomia exploradora, na qual foi identificada lesão entre
corpo e cauda de pâncreas. Realizada drenagem ampla da região e lavagem da
cavidade peritoneal. No sétimo dia de pós-operatório, o paciente evoluiu com febre
(38,5C) e dor torácica ventilatório-dependente a esquerda. Ao exame físico:
regular estado geral, descorado, acianótico, com murmúrio vesicular diminuído em
base pulmonar esquerda, eupneico e estável hemodinamicamente. O abdome
estava flácido e discretamente doloroso à palpação profunda, com
descompressão brusca do abdome indolor. SatO2 = 95% com cateter de O2 a
2L/min. Foi realizado radiografia de tórax, cuja imagem está apresentada
a seguir:

Foi então indicada a realização de tocacocentese diagnóstica, cuja análise do


líquido pleural revelou aspecto: aspecto turvo; pH = 8; densidade = 1015; =
desidrogenase lática (LDH) pleural: 1.463mg/dL; adenosina deaminase (ADA) =
6U/L; amilase = 1.821mg/dL; citologia: predominância de células
polimorfonucleares; bacteriologia negativa; ausência de fungos e ausência de
células malignas. Relações proteína pleural/proteína plasmática = 0,55 e LDH
pleural/LDH plasmático = 7,0.
Qual seria a melhor conduta?

A. Toracocentese de alívio
B. Tocacostomia fechada em selo d’água
C. Pleuroscopia videoassistida
D. Pleurostomia

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 37 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

80 – Paciente, 22 anos, mulher, é admitida em Pronto Socorro com quadro de


forte dor em flanco esquerdo, em cólica, associada a náuseas, vômitos e
febre aferida de 38,9ºC. Relata disúria e polaciúria havia 3 dias. Negava
outras comorbidades e apresentava antecedente de duas cesáreas.
A melhor conduta para essa paciente é:

A. Prescrição de sintomáticos, alta hospitalar e solicitação de Urina I +


Urocultura para análise em Unidade Básica de Saúde (UBS), quando
prontos.
B. Prescrição de sintomáticos e alta hospitalar com antibioticoterapia oral
por 7 dias e reavaliação em UBS após tratamento.
C. Internação hospitalar para prescrição de sintomáticos e antibioticoterapia
parenteral.
D. Internação hospitalar para passagem urgente de cateter duplo J sob
anestesia.

81 – Paciente, sexo masculino, 68 anos, comparece a visita ambulatorial com


queixa de dispneia progressiva, ultimamente para caminhar dois quarteirões.
Relata ser previamente hígido e não apresentar comorbidades conhecidas. O
paciente informa ainda que apresentava quadro de dor torácica não opressiva
ao fazer suas caminhadas diárias havia 6 meses e que optou por reduzi-las
após apresentar quadro de síncope há 3 semanas durante o exercício.
Durante o exame físico, foi observado o fenômeno de Gallavardin na ausculta
cardíaca.
O diagnóstico clínico do paciente acima deverá se basear nos seguintes
achados:

A. Os sintomas cardeais da insuficiência aórtica são angina, insuficiência


cardíaca e síncope desencadeada por esforços, sendo que ocorrência
dessa tríade indica pior prognóstico.
B. Pode ocorrer o achado de desdobramento paradoxal da segunda bulha,
o qual ocorre durante a inspiração, quando o componente pulmonar se
torna atrasado em relação ao componente aórtico.
C. O pulso paradoxal e o sopro diastólico, rude e intenso, com formato
crescendo e decrescendo em foco aórtico e aórtico acessório são típicos
do quadro acima.
D. O paciente pode apresentar pulso caracterizado por amplitude diminuída
(parvus) e atraso no aumento (tardus), geralmente correlacionado à
gravidade da lesão valvar.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 38 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

82 – Paciente, 60 anos, sexo masculino, hipertenso há 20 anos, tabagista 30


anos-maço e diabético insulinodependente. Foi admitido no pronto socorro com
queixa de dor precordial de intensidade 7/10, iniciada em repouso há 1 hora,
com irradiação para ambos os membros superiores e dorso, associado a
náuseas e vômitos.
Ao admitir o paciente na sala de emergência, a propedêutica mais adequada a
ser seguida é:

A. Solicitar mioglobina, creatinofosfoquinase, creatinoquinase MB massa e


troponina por apresentarem alta especificidade e valor preditivo positivo
em casos de infarto agudo do miocárdio, nas primeiras 2 horas dos
sintomas.
B. Realizar eletrocardiograma nos primeiros 10 minutos após a admissão
do paciente e repetir sempre que necessário ou se houver mudança dos
sintomas (melhora ou piora).
C. A presença de supradesnivelamento do segmento ST ≥ 2mm em
derivação AVR sugere infarto de ventrículo direito, sendo o próximo
passo a realização de radiografia de tórax para avaliar congestão
pulmonar.
D. A presença de supradesnivelamento do segmento ST ≥ 2mm em
derivações D2, D3 e AVF sugere infarto de parede inferior. A
complementação eletrocardiográfica com as derivações V3R, V4R, V5 e
V6 deverá ser realizada objetivando diagnosticar infarto de ventrículo
direito e de parede posterior.

83 – Paciente, sexo masculino, 45 anos, procura atendimento médico em


Unidade Básica de Saúde para consulta de rotina, por ser hipertenso, diabético
e dislipidêmico de longa data em uso de metformina 500 mg 2 vezes ao dia,
sinvastatina 20 mg/dia, AAS 100 mg/dia, losartana 100 mg/dia,
hidroclorotiazida 25 mg/dia e anlodipina 5 mg/dia. Refere que tem
apresentando edema em membros inferiores que tem piorado nos
últimos meses, já reclamado em avaliação anterior, e que não melhorou após
ter sido recomendado aumentar a dose da hidroclortiazida para 50mg/dia e
relatando também crises recorrentes de “gota” que passaram a se tornar mais
frequentes desde então.
Exames laboratoriais: creatinina = 2,10mg/dl (ritmo de filtração glomerular =
37ml/min); ácido úrico = 10mg/dL e proteinúria de 24h =1,3g.
Quais os prováveis responsáveis, respectivamente, pelo edema e pela gota
apresentados pelo paciente e qual precisa ser retirada de acordo com exames
acima apresentados?

A. Sinvastatina, metformina e losartana


B. Anlodipina, hidroclorotiazida e metformina
C. Sinvastatina, losartana e hidroclorotiazida
D. Losartana, anlodipina e metformina

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 39 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

84 – Paciente portador de cardiopatia chagásica em uso de amiodarona


200mg/dia é admitido na sala de emergência com confusão mental e queixa de
mal-estar. Ao exame físico apresenta pressão arterial de 70x40 mmHg,
frequência cardíaca de 210 bpm, frequência respiratória de 28 irpm e saturação
de O2 de 90%. Realizado eletrocardiograma que evidencia o traçado abaixo:

Qual é o tratamento indicado?

A. Amiodarona 300mg endovenoso em 1 hora, seguido de infusão de


900mg nas 23 horas seguintes
B. Lidocaína 1mg/kg endovenoso em bolus
C. Cardioversão elétrica sincronizada após sedação adequada
D. Adenosina 6mg endovenoso em bolus e 20ml de soro fisiológico em
bolus

85 – Na investigação de dispneia aos esforços, foi solicitada a seguinte prova


de função pulmonar completa.

Pré - Broncodilatador Pós Broncodilatador


Espirometria Atual % Predito Predito LI Atual % Predito %
Variação
CVF (L) 2,46 85 2,89 2,33 2,52 86 +1
VEF1 (L) 1,10 45 2,40 1,97 1,33 53 +12
VEF1/CVF (%) 45 54 82 74 52 61 -2
CPT (L) 5,87 124 4,72 3,94 - - -
VR (L) 3,17 251 1,26 0,84 - - -
VR/CPT (%) 54 158 34 - - - -
Legendas: CVF = Capacidade Vital Forçada; VEF 1 = Volume Expiratório Forçado no
Primeiro Segundo; CPT = Capacidade Pulmonar Total; VR = Volume Residual; LI = Limite
Inferior da Normalidade

Sobre a interpretação do exame é CORRETO afirmar que:

A. É compatível com Doença Pulmonar Obstrutivo Crônica Gold 3


B. A resposta ao broncodilatador observada exclui o diagnóstico de Asma
C. É compatível com doenças intersticiais pulmonares como a Fibrose
Pulmonar Idiopática
D. É compatível com hiperinsuflação pulmonar

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 40 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

86 – Mulher, 20 anos, com diagnóstico de asma desde a infância. Faz uso


regular de salmeterol + fluticasona 50/500 mcg 12/12 horas. Nas últimas 4
semanas vem apresentando sintomas pelo menos 3 vezes por semana, com
necessidade diária de uso de medicação de resgate, despertares noturnos
frequentes e dificuldade para prática de atividades físicas.
O tratamento mais adequado nesse momento é:

A. Uso de corticoides orais (etapa 4 do tratamento)


B. Associação de tiotrópio ao esquema de tratamento atual
C. A troca de dispositivos inalatórios é importante para o controle
D. Omalizumabe, anticorpo anti-IgE, deve ser considerado se IgE total
for maior que 2000 UI/mL

87 – Paciente, 50 anos, sexo feminino, vítima de acidente automobilístico,


internada na enfermaria de Ortopedia devido a fratura de diáfise de fêmur
ocorrida há 10 dias. No terceiro pós-operatório de correção cirúrgica, a
paciente evolui com dispneia súbita de moderada intensidade. Após as
primeiras medidas de suporte, com estabilização hemodinâmica e respiratória,
foi calculado o Escore de Wells e planejados exames para confirmação do
diagnóstico da paciente.
Qual exame complementar deverá ser solicitado para confirmar ou descartar o
diagnóstico mais provável da situação acima?

A. Dímero-D
B. Radiografia de tórax
C. Ecocardiograma bidimensional
D. Angiotomografia computadorizada de tórax

88 – Paciente, 35 anos de idade, sexo masculino, foi admitido no pronto-


socorro com queixa de início recente de edema em face e membros inferiores,
além de “urina escura” e diminuição do volume urinário. Ao exame físico
apresentava anasarca, lesões cicatriciais de impetigo nos membros inferiores e
pressão arterial de 180x100 mmHg. Exames complementares são
solicitados, detectando-se creatinina = 1,3 mg/dL, albumina = 3,5
mg/dL, C3 e C4 baixos, urina tipo I que mostra hematúria 850.000
hemácias/mL com dismorfismo eritrocitário +++/+++, sem proteinúria.
A principal hipótese diagnóstica é:

A. Síndrome nefrótica por provável glomerulonefrite por lesões mínimas


B. Síndrome nefrítica por provável glomerulonefrite membranosa
C. Síndrome nefrótica por provável glomerulonefrite difusa aguda pós-
estreptocócica
D. Síndrome nefrítica por provável glomerulonefrite difusa aguda pós-
estreptocócica

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 41 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

89 – Paciente masculino, 70 anos, tabagista, foi admitido na UTI devido a


quadro de choque séptico de origem pulmonar e mantido em ventilação
mecânica. Observa-se oligúria há 6 horas. Exames de laboratório: ureia =
135mg/dL, creatinina = 2,15mg/dL (dia anterior = 1,1mg/dL) e K = 5,6mEq/L.
Apresenta edema de membros inferiores +/4+; PA=100/50mmHg, FC=110bpm
e mucosas desidratadas. Gasometria arterial demonstra pH=7,26 e
HCO3=13,5mEq/L.
Qual a alternativa CORRETA quanto ao diagnóstico, valor esperado do sódio
urinário e tratamento inicial desse paciente?

A. Lesão renal aguda pré-renal – sódio urinário baixo - Aumentar o suporte


volêmico e a infusão de solução cristaloide.
B. Doença renal crônica – sódio urinário elevado - Iniciar imediatamente a
infusão de furosemida EV para estimular diurese.
C. Lesão renal aguda renal – sódio urinário elevado - Indicar imediatamente
terapia de substituição renal (diálise).
D. Lesão renal aguda pré-renal – sódio urinário elevado - Iniciar
imediatamente a infusão de furosemida EV para estimular diurese.

90 – Paciente, sexo feminino, 40 anos, procura a Unidade Básica de Saúde do


seu bairro com queixas, há mais de 10 anos, de dor epigástrica em queimação,
moderada, recorrente, que piora com o jejum e melhora com a alimentação.
Realizou endoscopia digestiva alta com achado de úlcera péptica bulbar ativa
(fase A1 de Sakita) além de gastrite enantemática antral com pesquisa de
urease para o Helicobacter pylori (HP) positiva.
Qual a alternativa CORRETA em relação a fisiopatologia dessas alterações?

A. A paciente apresenta hipergastrinemia, hipercloridria, metaplasia


gástrica no duodeno que evoluiu para úlcera péptica duodenal.
B. A paciente apresenta hipergastrinemia, hipocloridria, metapalasia
intestinal antral que pode evoluir com neoplasia gástrica além da úlcera
péptica duodenal.
C. A paciente apresenta hipogastrinemia, hipocloridria, metaplasia intestinal
no antro e no duodeno que evoluiu para úlcera péptica duodenal.
D. A paciente pode apresentar hipogastrinemia e hipercloridria e tem
metaplasia gástrica no duodeno que evoluiu para úlcera péptica
duodenal.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 42 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

91 – Mulher, 40 anos, obesa (IMC= 37 Kg/m²), dislipidêmica com triglicérides o


dobro do valor da normalidade, procurou o médico generalista devido a
desconforto em hipocôndrio direito, nos últimos meses, e alterações de
enzimas hepáticas em exames de rotina. Negou ingestão de bebidas alcoólicas
e uso contínuo de medicamentos. O ultrassom revelou esteatose hepática grau
III/III, aspartato aminotransferase e alanina aminotransferase estavam
aumentadas 2 vezes o valor do normal, gama-GT estava aumentada 2 vezes o
valor do normal, e fosfatase alcalina e bilirrubinas estavam normais.
Além das orientações para controle de peso (dieta hipolipídica e hipocalórica) e
atividade física, qual a conduta mais adequada nesse momento?

A. Realizar exames de sangue para avaliar hepatopatias virais, autoimune


e metabólica. Reavaliar em 6 meses.
B. Realizar biópsia hepática e, se fibrose, iniciar Vitamina E. Reavaliar em 1
ano com nova biópsia.
C. Realizar biópsia hepática e, se fibrose, iniciar Pioglitazona. Reavaliar em
1 ano com nova biópsia.
D. Realizar exames de sangue para avaliar hepatites virais, autoimune e
metabólica. Iniciar Metformina e Vitamina E. Reavaliar em 6 meses.

92 – Paciente, sexo masculino, 60 anos, etilista crônico, procura o Posto de


Saúde de seu bairro devido a fraqueza e aumento importante do volume
abdominal nos últimos 2 meses. Edema de membros inferiores e icterícia
progressiva percebidos na última semana. O médico realizou o exame físico.
Qual dos sinais abaixo pode ter sido encontrado e qual a explicação
fisiopatológica CORRETA para tal achado?

A. “Flapping” devido a encefalopatia hepática com redução da


metabolização hepática de compostos nitrogenados absorvidos no
intestino.
B. Circulação colateral tipo porta com fluxo centrípeto devido a
recanalização da veia umbilical.
C. Ginecomastia e atrofia testicular devido a redução da metabolização da
prolactina e testosterona pelo fígado.
D. Telangiectasias em tronco e membros superiores devido a redução da
produção de fatores de coagulação pelo fígado.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 43 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

93 – Uma paciente, 20 anos de idade, diabética há 3 anos, está em uso de


insulina NPH antes do desjejum, almoço e ao deitar e insulina Humalog "em
bolus" antes do desjejum, almoço e jantar, de acordo com a glicemia do
momento e a quantidade de carboidratos da refeição. As glicemias capilares
mostram resultados satisfatórios, com exceção do jejum que se mostra
sempre elevado. Refere também vários episódios de hipoglicemia na
madrugada. As glicemias ao deitar têm mostrado valores entre 100mg% e
150 mg%.
Nesse momento, qual seria a melhor conduta?

A. Aumentar a dose da NPH noturna e reavaliar


B. Diminuir a dose da NPH noturna e reavaliar
C. Diminuir a dose da NPH noturna e do almoço
D. Diminuir a dose da Humalog do jantar

94 – Paciente, sexo feminino, 35 anos, advogada, é trazida ao pronto socorro


por com cefaleia de forte intensidade há cerca de 24 horas, que não está
melhorando com os analgésicos comuns. A dor é unilateral à direita,
pulsátil, acompanhada de náuseas, foto e fonofobia. Antes da dor,
apresentou turvação visual no hemicampo direito com “pontos luminosos”.
Refere que tem cefaleia desde à adolescência com crises de cefaleia unilateral
que ocorrem tanto à direita quanto à esquerda, mas que costumam ceder com
analgésicos e repouso. Ocasionalmente, a dor fica forte e precisa ir ao hospital.
História familiar positiva para cefaleia (pais, irmã e tia). Nega comorbidades, nega
febre ou qualquer outro sintoma. Ao exame físico, estava lúcida, orientada,
exame clínico neurológico sem alterações, pressão arterial = 120x80 mmHg,
frequência cardíaca 95 bpm e temperatura axilar = 36ºC. Foi submetida ao
exame de fundo de olho, não sendo observadas alterações.
Qual o melhor diagnóstico do tipo de cefaleia da paciente?

A. Enxaqueca sem aura.


B. Enxaqueca com aura.
C. Hemicrânia paroxística.
D. Cefaleia em salvas.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 44 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

95 – Paciente, sexo feminino, 28 anos, estudante de medicina com diagnóstico


de Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), forma cutâneo articular, procura
entender um pouco mais de sua patologia nas aulas de imunologia da sua
faculdade. Nos exames complementares já realizados, verifica-se FAN positivo
(1:160), padrão pontilhado fino, anti- Ro e anti-La positivos.

Em relação aos aspectos imunológicos dessa patologia pode ser afirmado que:

A. Mecanismo de lesão do LES é a autoimunidade, assim podemos afirmar


que existe uma maior probabilidade de desenvolverem outras doenças
de autoimunidades órgãos específicos como: tireoidite de Hashimoto,
miastenia gravis, vitiligo e anemia perniciosa.
B. Diversas anormalidades no sistema imune são descritas no LES, como
um aumento de interleucinas IL-2 e TGF-beta, estimulando os linfócitos
T CD4+ e CD8+.
C. Um mecanismo imune fortemente associado ao LES é a deficiência dos
componentes do complemento como C1q, C2 e C4, responsável por
uma diminuição da apoptose das células e uma maior formação de
autoanticorpos.
D. O principal defeito no sistema imune do paciente com LES é a
imunidade celular, que estimula linfócitos citotóxicos a não
reconhecerem os antígenos do próprio organismo.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 45 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

96 – Paciente, sexo masculino, 80 anos, é trazido pela filha para ambulatório


de geriatria. O paciente não referia qualquer queixa, falava que morava sozinho
desde o falecimento da esposa (há 2 anos) e que vivia bem a sua rotina em
casa. Segundo suas informações, tomava as medicações por conta própria e
fazia sua própria comida. A filha complementou as informações dizendo que a
energia de sua casa foi cortada duas vezes nos últimos 6 meses por falta de
pagamento, além de ter observado que as cartelas de medicamentos para
hipertensão arterial estavam cheias (em uso de enalapril e anlodipina),
inferindo o não uso das medicações. Ao exame físico, foi observado níveis
tensionais mais elevados (PA: 160x100mmHg), sem outros dados que
chamavam a atenção. Nos testes cognitivos e funcionais observaram-se os
seguintes dados:
-- MEEM (MINI EXAME DO ESTADO MENTAL): 25/30
-- FLUÊNCIA VERBAL: 12 PALAVRAS
-- TESTE DO DESENHO DO RELÓGIO: 14 /15
-- ESCALA DE ATIVIDADE BÁSICAS DE VIDA DIÁRIA DE KATZ: 4/6
-- GDS (ESCALA DE DEPRESSÃO GERIÁTRICA): 1/15
Em relação ao principal diagnóstico sindrômico do paciente e ao tratamento
farmacológico, é CORRETO afirmar que:

A. Em relação ao principal diagnóstico sindrômico do paciente, a prescrição


de um antagonista do receptor de NMDA (N-Metil-D-Aspartato), seria a
melhor opção como tratamento inicial.
B. Em relação ao diagnóstico depressivo reacional do paciente, a
prescrição dos inibidores de serotonina e noradrenalina seria a melhor
opção como tratamento inicial.
C. Em relação ao principal diagnóstico sindrômico do paciente, a prescrição
de um antagonista dos inibidores de acetilcolinesterase seria a melhor
opção do tratamento inicial.
D. Em relação ao tratamento sindrômico do paciente, a prescrição de
selegilina seria uma das opções de tratamento, conforme as evidências
científicas atuais.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 46 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

97 – Paciente, sexo masculino, 25 anos, estudante de engenharia civil,


procura atendimento médico queixando de odinofagia, febre, astenia e
adinamia há 12 dias. Nega perda ponderal ou tosse. Ao exame físico,
observa-se adenomegalia cervical (gânglios pequenos, não aderidos à plano
profundo, bilaterais e dolorosos à palpação) e espaço de Traube maciço.
Sobre o diagnóstico do paciente acima é CORRETO afirmar que:
A. Presença de exantema maculopapular após uso de derivados de penicilina,
reforça o diagnóstico etiológico bacteriano.
B. O achado no fundo de olho de manchas branco-amareladas contendo
hemorragias focais (conhecido como “queijo com ketchup”) reforça do
diagnóstico etiológico CMV (citomegalovírus).
C. O achado no fundo de olho de manchas branco-amareladas na retina com
bordas irregulares e hiperpigmentação cicatricial ao seu redor reforça o
diagnóstico etiológico EBV (vírus de Epstein-Barr).
D. A presença de linfocitose no hemograma reforça a hipótese de etiologia
bacteriana e menos de viral, uma vez na etiologia viral espera-se linfopenia.

98 – Paciente, sexo masculino, 40 anos, empresário, procura assistência médica


por queixas de astenia, adinamia e epistaxe, além de equimoses após pequenos
traumas nos últimos 3 meses, sendo observado quadro febril na última semana.
Ao exame físico, observamos mucosas hipocoradas (+2/4), fígado palpável
(hepatimetria de 15 cm) e um baço palpável (4 cm do rebordo costal esquerdo).
Na mucosa oral percebe-se uma discreta hipertrofia na mucosa gengival. Foi
realizado um hemograma que revelou: hemoglobina = 8g/dL, plaquetas =
50.000/mm3 e leucócitos = 20.000/mm3 com identificação de 10% blastos em
sangue periférico.
Prosseguindo a investigação, realizou-se um mielograma que evidenciou a
presença de 30% de blastos.
Sobre o diagnóstico do paciente acima é CORRETO afirmar:

A. Na citogenética das células neoplásicas, a presença da translocação (8;21)


reforça o diagnóstico de Leucemia linfoide aguda do subtipo L2.
B. A presença da hiperplasia gengival encontrada no paciente reforça o
diagnóstico das leucemias de linhagem linfoides agudas.
C. Na morfologia dos blastos a presença no citoplasma de filamentos
eosinofílicos - os bastonetes de Auer - definem a linhagem mieloide.
D. Na imunofenotipagem, a positividade para CD 10, 19 e 20 definem a
linhagem mieloide.

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 47 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

99 – Paciente, 23 anos, sexo masculino, vítima de acidente motociclístico é


admitido no pronto-socorro da cidade com Escala de Coma de Glasgow = 3,
pupilas midriáticas, isocóricas e fixas. Realizada tomografia de crânio que
evidencia edema cerebral difuso. É optado, pela equipe neurocirúrgica, pela
não sedação devido a probabilidade de morte encefálica.
Pela legislação brasileira, para constatação de morte encefálica do paciente
supracitado, é(são) necessário(s):

A. Apenas um exame clínico realizado por neurologista ou neurocirurgião


após 12 horas da suspeita clínica pelo médico assistente.
B. Dois exames clínicos realizados por profissionais diferentes com
intervalo de 12 horas entre eles.
C. Dois exames clínicos realizados por profissionais diferentes e um exame
complementar.
D. Um exame complementar é superior ao exame clínico e suficiente para
confirmar o diagnóstico.

100 – Paciente, sexo feminino, 45 anos, sem antecedentes patológicos, é


atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com quadro de dor
abdominal com 4 dias de evolução. Ao exame físico apresenta dor à palpação
abdominal difusa, descompressão brusca (DB) positiva, febre, hipotensão,
extremidades quentes com boa perfusão capilar periférica. Pressão arterial =
80x40 mmHg, frequência cardíaca = 128 bpm, frequência respiratória = 30 irpm
e temperatura axilar = 39°C.
Qual tratamento deverá ser proposto imediatamente?

A. Laparotomia exploradora de urgência para erradicação do foco


infeccioso.
B. Reposição de fluidos com cristaloides.
C. Reposição de fluidos com coloides.
D. Norepinefrina em acesso venoso central

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 48 de 50
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Processo Seletivo – 2018

FAMED – COREME PROVA DE CONHECIMENTOS GERAIS – TIPO 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA


FACULDADE DE MEDICINA
COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA

PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA - 2018

RASCUNHO

Nome do Candidato: _____________________________________________ Nº Inscrição: ___________

001 A B C D 026 A B C D 051 A B C D 076 A B C D


002 A B C D 027 A B C D 052 A B C D 077 A B C D
003 A B C D 028 A B C D 053 A B C D 078 A B C D
004 A B C D 029 A B C D 054 A B C D 079 A B C D
005 A B C D 030 A B C D 055 A B C D 080 A B C D
006 A B C D 031 A B C D 056 A B C D 081 A B C D
007 A B C D 032 A B C D 057 A B C D 082 A B C D
008 A B C D 033 A B C D 058 A B C D 083 A B C D
009 A B C D 034 A B C D 059 A B C D 084 A B C D
010 A B C D 035 A B C D 060 A B C D 085 A B C D
011 A B C D 036 A B C D 061 A B C D 086 A B C D
012 A B C D 037 A B C D 062 A B C D 087 A B C D
013 A B C D 038 A B C D 063 A B C D 088 A B C D
014 A B C D 039 A B C D 064 A B C D 089 A B C D
015 A B C D 040 A B C D 065 A B C D 090 A B C D
016 A B C D 041 A B C D 066 A B C D 091 A B C D
017 A B C D 042 A B C D 067 A B C D 092 A B C D
018 A B C D 043 A B C D 068 A B C D 093 A B C D
019 A B C D 044 A B C D 069 A B C D 094 A B C D
020 A B C D 045 A B C D 070 A B C D 095 A B C D
021 A B C D 046 A B C D 071 A B C D 096 A B C D
022 A B C D 047 A B C D 072 A B C D 097 A B C D
023 A B C D 048 A B C D 073 A B C D 098 A B C D
024 A B C D 049 A B C D 074 A B C D 099 A B C D
025 A B C D 050 A B C D 075 A B C D 100 A B C D

____________________________________________________________________________
Uberlândia, 10 de Dezembro de 2017 Página 49 de 50