Você está na página 1de 9

BACTÉRIAS

Questão 1

O gene mcr-1, causador de resistência a uma classe de antibióticos utilizados


para tratar infecções por bactérias multirresistentes, foi identificado, pela
primeira vez, no Brasil, em plasmídeos de cepas da bactéria Escherichia coli,
isoladas de bovinos.
Considere as seguintes afirmações sobre a resistência bacteriana a antibióticos.

I – A existência de genes de resistência múltipla em bactérias pode levar ao


surgimento de infecções comuns intratáveis.
II – A contaminação humana com a cepa de Escherichia coli multirresistente não
tem risco de acontecer, já que essa cepa foi isolada de bovinos.
III – Plasmídeos são fragmentos de DNA extracromossômicos que podem
ser transferidos entre diferentes espécies bacterianas por conjugação.

Quais estão corretas?

(A) Apenas I.
(B) Apenas II.
(C) Apenas I e III.
(D) Apenas II e III.
(E) I, II e III.

Gabarito:

Resolução:

A bactéria Escherichia coli faz parte da microbiota humana, dessa forma há risco
de contaminação.

Questão 2

Os primeiros organismos a habitar a Terra foram os procariontes, que viveram,


há 3,5 bilhões de anos. Durante toda sua longa história evolutiva, as populações
procarióticas foram (e continuam a ser) sujeitas à seleção natural em todos os
tipos de ambientes, resultando em sua enorme diversidade atual.
A partir dos conhecimentos a respeito do reino que possui organismos com essa
organização procariótica, é possível afirmar que

a) seus representantes vivem exclusivamente isolados em meios específicos.


b) ele é dotado de uma grande diversidade metabólica e seus representantes
são unicelulares.
c) seus representantes possuem DNA circular, ribossomos 80S e parede celular.
d) os organismos autótrofos desse reino são exclusivamente fotossintéticos.
e) a expressão do potencial biótico dos seus representantes não possui fatores
limitantes.

Gabarito:

Resolução:

Os seres procariontes são unicelulares, mas possuem uma grande diversidade


metabólica, como as bactérias, podendo ser autótrofas (fotossintetizantes ou
quimiossintetizantes) ou heterótrofas (parasitas ou decompositoras).

Questão 3

Assinale o que for correto.

(01) No reino Protista há espécies procariontes e eucariontes, unicelulares e


multicelulares, autótrofas fotossintetizantes e heterótrofas aeróbias.
(02) No reino Monera há espécies unicelulares, todas procariontes, podendo ser
autótrofas quimiossintetizantes ou fotossintetizantes, ou heterótrofas anaeróbias
ou aeróbias.
(04) No reino Fungi há espécies unicelulares e multicelulares, todas eucariontes
e heterótrofas, anaeróbias ou aeróbias.
(08) No reino Plantae todas as espécies são eucariontes, multicelulares,
autótrofas fotossintetizantes e aeróbias.
(16) No reino Animalia todas as espécies são eucariontes, multicelulares e
heterótrofas aeróbias.

Gabarito:

02 + 04 + 08 + 16 = 30

Resolução:
(01) Incorreta. No reino Protista, temos somente seres eucariontes.  

Questão 4

Em vários pontos de uma placa de Petri com meio de cultura, um pesquisador


semeou um determinado tipo de microrganismo, chamado de A. Na sequência,
semeou em um ponto específico da placa de Petri um segundo tipo de
microrganismo, chamado de B. Passados alguns dias, o pesquisador observou
que os microrganismos do tipo A haviam crescido por toda a área do meio de
cultura, exceto à volta da área de crescimento do microrganismo B.
É correto afirmar que os microrganismos do tipo A e os microrganismos do tipo
B são, respectivamente,

a) bactérias e fungos, e o não crescimento do microrganismo A na área ao redor


de B é devido à produção de substâncias químicas pelo microrganismo B.
b) bactérias e fungos, e o não crescimento do microrganismo A na área ao redor
de B é devido à produção de anticorpos pelo microrganismo B.
c) bactérias e vírus, e o não crescimento do microrganismo A na área ao redor
de B é devido à infecção de A por B, uma vez que estes últimos são parasitas
intracelulares.
d) fungos e bactérias, e o não crescimento do microrganismo A na área ao redor
de B é devido à fagocitose exercida pelas células do microrganismo B.
e) bactérias e vírus, e o não crescimento do microrganismo A na área ao redor
de B é devido à ação lítica do microrganismo B sobre as células
do microrganismo A.

Gabarito:

Resolução:

Fungos produzem substâncias antibióticas que impedem o desenvolvimento de


bactérias. Relação denominada amensalismo.

Questão 5
 
Disponível em: <http://depositodocalvin.blogspot.com.br/2008/06/calvin-haroldo-
tirinha-452.html>. Acesso em: 17 mar. 2017.

Observando-se a tirinha em destaque e com base nos conhecimentos a respeito


das estruturas biológicas abordadas, é correto afirmar:

(01) O protozoário citado é desprovido de uma compartimentação


citoplasmática, o que inviabiliza a divisão de trabalho em seu citosol.
(02) A ameba “gigante”, segundo a classificação de Woese, faz parte do domínio
Eubacteria e possui ribossomos 70S e um DNA circular desprovido de histonas.
(03) A emissão do pseudópodo imprescinde de eventos citoplasmáticos
dependentes de polipeptídios específicos, possibilitando sua motilidade e
capacidade endocítica.
(04) A ação observada, sendo em uma ameba verdadeira, caracterizaria uma
autofagia, formando, com o pacote de biscoito, um vacúolo autofágico, que seria
digerido por ação lisossômica.
(05) As amebas são organismos que apresentam sistema interno de
endomembranas, clorofila, mitocôndrias e um vacúolo contráctil que, sem
hidrólise de ATP, controla o teor hídrico em seu citosol.

Gabarito:

03

Resolução:

O protozoário citado é desprovido de uma compartimentação citoplasmática, o


que viabiliza a divisão de trabalho em seu citosol. A ameba “gigante”, segundo a
classificação de Woese, faz parte do domínio Eucarya, e não apresentam
ribossomos. A ação observada, sendo em uma ameba verdadeira, não
caracterizaria uma autofagia, e sim uma fagocitose, pois o alimento é capturado
do meio externo. As amebas não apresentam mitocôndrias e clorofila.
Assim, a única afirmação correta é a de número 03, pois a emissão do
pseudópodo imprescinde de eventos citoplasmáticos dependentes de
polipeptídios específicos, possibilitando sua motilidade e capacidade endocítica.

Questão 6

No romance O amor nos tempos do cólera, Gabriel García Márquez relata os


primeiros contatos do jovem médico Juvenal Urbino, um dos três protagonistas
do romance, com o cólera.
O cólera se transformou em obsessão. Não sabia a respeito mais do que
aprendera na rotina de algum curso marginal, e lhe parecera inverossímil que há
apenas trinta anos tivesse causado na França, inclusive em Paris, mais de cento
e quarenta mil mortes. Mas depois da morte do pai aprendeu tudo que se podia
aprender sobre as diversas formas do cólera, quase como uma penitência para
dar descanso à sua memória, e foi aluno do epidemiólogo mais destacado do
seu tempo […], o professor Adrien Proust, pai do grande romancista. De modo
que quando voltou à sua terra e sentiu vinda do mar a pestilência do mercado, e
viu os ratos nos esgotos expostos e os meninos se revolvendo nus nas poças
das ruas, não só compreendeu que a desgraça tivesse acontecido como teve a
certeza de que se repetiria a qualquer momento.
O amor nos tempos do cólera, 1985.

A partir desse trecho, pode-se inferir que Juvenal Urbino


(A) se preocupou em combater, no século XX, o retorno da epidemia de cólera
na França, principalmente em Paris, constatando que a doença era transmitida
pela urina de ratos.
(B) tivera seu pai morto pelo cólera ainda no século XIX, o que o motivou a
investigar as causas dessa doença, no caso, microrganismos eucariotos
transmitidos por ratos que se proliferam nos esgotos.
(C) viveu na Europa da Idade Média, quando ocorria a grande epidemia de
cólera e quando ainda se acreditava que a doença era transmitida por vapores
pestilentos dos esgotos.
(D) temia uma epidemia de cólera em sua cidade natal e, ainda no século XVIII,
aprendeu com seu professor que a falta de saneamento básico favorece os
surtos dessa virose.
(E) se interessou pela doença entre o final do século XIX e o início do século XX,
percebendo que as pessoas que entravam em contato com fezes contaminadas
contraíam cólera, uma doença transmitida por bactérias.

Gabarito:

E
Resolução:

De acordo com o trecho, Juvenal Urbino se interessou pela doença entre o final
do século XIX e o início do século XX, percebendo que as pessoas que
entravam em contato com fezes contaminadas contraíam cólera, uma doença
transmitida por bactérias.

Questão 7

A Klebsiella pneumoniae é uma bactéria oportunista de um grupo que está entre


os microrganismos que mais causam infecções hospitalares e que mais têm
desenvolvido resistência a antibióticos nos últimos anos. Outro microrganismo
desse grupo é a Klebsiella pneumoniae carbapenemase, uma superbactéria.
Pesquisadores analisaram K. pneumoniae presentes na urina de 48 pessoas
diagnosticadas com infecção urinária. Em duas pessoas as bactérias
apresentaram um fenótipo de virulência, conhecido como hipermucoviscosidade,
em que as bactérias produzem grande quantidade de um biofilme espesso e
viscoso, que adere as bactérias ao epitélio da bexiga e as protegem, tornando
dificílima sua eliminação.

Karina Toledo. “Bactérias multirresistentes são identificadas fora de ambiente


hospitalar”. Disponível em: <http://agencia.fapesp.br>. Acesso em: 21 ago. 2019.
Adaptado.

a) A qual gênero pertence a superbactéria Klebsiella


pneumoniae carbapenemase? Cite uma característica exclusiva das bactérias
que as integra ao Reino Monera.
b) O que é uma bactéria oportunista? Do ponto de vista evolutivo e devido ao
tratamento com antibióticos, como o fenótipo hipermucoviscosidade pode se
tornar predominante ao longo do tempo?

Gabarito:

a) A superbactéria Klebsiella pneumoniae carbapenemase pertence ao


gênero Klebsiella e uma característica exclusiva das bactérias que as integra ao
Reino Monera é a presença de DNA circular.
b) Uma bactéria oportunista é aquela que tende a afetar um organismo que se
encontra num estado de imunidade baixa. Do ponto de vista evolutivo e devido
ao tratamento com antibióticos, o fenótipo hipermucoviscosidade pode se tornar
predominante ao longo do tempo devido à seleção natural que ocorre durante o
tratamento, pois os antibióticos eliminam as bactérias menos resistentes, que
não apresentam a proteção mucosa, e apenas aquelas resistentes ao
tratamento tendem a sobreviver. 

Resolução:

Questão 8

Os artrópodes apresentados nas imagens de 1 a 4 são os vetores da doença de


Chagas, da peste bubônica, da leishmaniose e da febre maculosa, não
necessariamente nessa ordem.
No cladograma, as letras A, B, C e D representam as relações filogenéticas
entre os artrópodes das figuras, não necessariamente na mesma ordem em que
aparecem nas imagens.

a) Quais imagens apresentam, respectivamente, os artrópodes vetores da


doença de Chagas, da peste bubônica, da leishmaniose e da febre maculosa?
Qual dessas doenças não é transmitida pela picada do respectivo vetor?
b) Sabendo que, no cladograma apresentado, a letra B corresponde ao
artrópode representado na figura 3, a quais números correspondem,
respectivamente, as letras A, C e D? Considerando as classes taxonômicas às
quais pertencem as espécies de artrópodes apresentadas nas imagens,
justifique a posição da espécie representada pela letra A no cladograma.

Gabarito:

a) As imagens que apresentam, respectivamente, os artrópodes vetores da


doença de Chagas, da peste bubônica, da leishmaniose e da febre maculosa
são, respectivamente, 3, 2, 4 e 1. Dessas doenças, a doença de Chagas não é
transmitida pela picada do respectivo vetor, mas sim pelo contato com fezes do
barbeiro que esteja contaminado.
b) No cladograma apresentado, as letras A, C e D correspondem,
respectivamente, aos números 1, 2 e 4. Considerando as classes taxonômicas
às quais pertencem as espécies de artrópodes apresentadas nas imagens, a
posição no cladograma da espécie representada pela letra A, que corresponde a
um carrapato, pode ser justificada pelo fato de que essa espécie é um
aracnídeo, que é uma subclasse mais primitiva dos artóprodes.

Resolução: