Você está na página 1de 73

Manual de Serviço

SERVO VENTILADOR
PARA ANESTESIA 678
Código 201040005

Manual Código: 204010114


Revisão: A (MAR/2002)

Código do Manual:204010114 1 REV A


Índice

1 AVISOS IMPORTANTES ................................................................................................... 5

2 DESCRIÇÃO GERAL .......................................................................................................10

3 PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO ................................................................................11

4 IDENTIFICAÇÃO DOS COMPONENTES ........................................................................19

5 DESCRIÇÃO ELETRÔNICA ............................................................................................29


5.1 SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA ............................................................................30
5.2 PLACA DE CONTROLE..................................................................................................33
5.3 PLACA DO BARGRAPH .................................................................................................44
6 LIGAÇÃO DOS CABOS ...................................................................................................46

7 PROCEDIMENTO DE VERIFICAÇÃO DA FONTE ........................................................47

8 PROCEDIMENTO DE AJUSTE ELETRÔNICO .............................................................49

9 PROCEDIMENTO DE VERIFICAÇÃO DO FUNCIONAM ENTO ..........................................55

10 ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA E PNEUMÁTICA ................................................................68

11 MANUTENÇÃO ...............................................................................................................70

12 PROGRAMA DE REVISÃO - N. SÉRIE = ........................................................................72

Código do Manual:204010114 2 REV A


DEFINIÇÕES

Cuidado
Alerta o usuário quanto a possibilidade de injúria, morte ou outra
reação adversa séria associada ao uso ou mau uso do equipamento.

Atenção
Alerta o usuário quanto a possibilidade de um problema com o
equipamento associado ao uso ou mau uso, tais como mau
funcionamento do equipamento, falha do equipamento, danos ao
equipamento, ou danos a bens de terceiros.

Observação:
Enfatiza uma informação importante.

Código do Manual:204010114 3 REV A


A EMPRESA

A K. TAKAOKA é uma empresa que há mais de 40 anos vem se dedicando ao


ramo de equipamentos hospitalares, sempre em estreita cooperação com a classe
médica. Atuando principalmente nas áreas de Aparelhos de Anestesia,
Ventiladores Pulmonares, Monitorização e Oxigenioterapia, a K. TAKAOKA
orgulha-se de exercer uma posição de liderança no mercado, contando com uma
linha extensa de produtos.

Tendo como uma de suas prioridades o permanente investimento em pesquisa e


desenvolvimento de novas idéias e soluções, a K. TAKAOKA tem se destacado
pela constante introdução de avanços tecnológicos e inovações industriais em sua
linha de produtos, o que a equipara às principais industrias nacionais e
internacionais do ramo.

A K. TAKAOKA projeta e fabrica com sofisticados equipamentos a maior parte


dos componentes de seus aparelhos, o que vem explicar o criterioso controle de
qualidade a que estes são submetidos. É preocupação também da empresa
fornecer um suporte de alto nível a todos os usuários, através de seus
departamentos de Vendas e de Assistência Técnica.

Possuindo representantes em todo o território nacional e estando presente


também no mercado internacional, a K. TAKAOKA tem merecido assim, ao longo
dos anos, a confiança de seus clientes no elevado padrão de qualidade e na
grande eficiência de seus produtos e serviços.

Código do Manual:204010114 4 REV A


1 AVISOS IMPORTANTES

O Ventilador 678 é um aparelho médico projetado para aliar a mais avançada


tecnologia com uma grande facilidade de uso, devendo ser operado somente por
profissionais qualificados e especialmente treinados na sua utilização. Observe
atentamente os avisos e recomendações fornecidas abaixo.

Ventilação

· Ao ligar o Ventilador, informe o peso do paciente para que o aparelho pré-


calcule os parâmetros de ventilação adequados.

· Para pacientes recém-nascidos e prematuros, realize preferencialmente


uma ventilação controlada por pressão.

· Quando a ventilação estiver sendo limitada pelo controle de pressão


inspiratória limite nas modalidades VCV e SIMV/V o valor do volume real fornecido
ao paciente será menor do que o ajustado no controle de volume corrente, sendo
esta condição indicada no display pela mensagem PRESSÃO LIMITADA.

· Após o início da ventilação, verifique se os parâmetros ventilatórios


indicados pelo display de monitorização estão adequados.

· Verifique o ajuste adequado de todos os limites de alarmes.

· Para evitar uma desconexão acidental ou um vazamento de gases no


circuito respiratório, realize todas as conexões com bastante firmeza.

· Verifique freqüentemente a firme conexão do tubo endotraqueal.

· O Ventilador 678 não é aprovado para o uso com agentes anestésicos


inflamáveis. Não utilize mangueiras ou tubos antiestáticos ou eletricamente
condutivos.

Sensor de Fluxo

· Conecte o tipo de sensor de fluxo solicitado pelo Ventilador durante a


inicialização deste, o qual será o tipo mais adequado para o peso selecionado do
paciente (adulto ou infantil).

· Observe a correta posição de montagem do sensor de fluxo no sistema


respiratório.

Código do Manual:204010114 5 REV A


· Utilize somente o sensor de fluxo fornecido pela TAKAOKA para o
Ventilador 678.

· Durante a utilização do Ventilador, verifique a limpeza do sensor de fluxo


freqüentemente.

Analisador de Oxigênio

· O Analisador de Oxigênio deverá ser calibrado em ar ambiente (21% de


O2) ou Oxigênio puro (100% de O2) antes de cada utilização do Ventilador 678.

· O Analisador de Oxigênio deverá ser guardado em uma embalagem


hermeticamente fechada sempre que o aparelho estiver fora de uso, para que não
haja uma diminuição da sua vida útil.

· Utilize somente o Analisador de Oxigênio especificado pela TAKAOKA .

Alimentação Elétrica e Bateria Interna

· Somente conecte o cabo de força do Aparelho de Anestesia a uma tomada


devidamente aterrada e aprovada para uso hospitalar. A tomada fêmea deverá ser
de três pinos do tipo Nema 5-15P (Capítulo 10).

· Somente conecte o cabo de força do Ventilador à tomada VENTILADOR


existente no móvel do Aparelho de Anestesia.

· Mantenha a bateria interna sempre carregada, para que o Ventilador


continue a operar mesmo em uma eventual falha na rede elétrica. Para isto, o
Ventilador deverá ser deixado constantemente conectado à tomada VENTILADOR
do móvel, mesmo enquanto o Aparelho de Anestesia estiver desligado.

· Faça uma recarga da bateria após a utilização do Ventilador sem


alimentação com a rede elétrica, preparando a bateria para uma próxima
utilização.

· Faça uma recarga completa da bateria após o Ventilador estar em desuso e


desconectado da rede elétrica por um período superior a 20 (vinte) dias.

· Se o Ventilador estiver sendo alimentado pela sua bateria interna e o


alarme de bateria fraca for ativado, o Ventilador deverá então ser conectado
imediatamente à rede elétrica.

· Led da bateria aceso, requer uma ação urgente para restabelecer a tensão
de entrada do ventilador, com risco eminente de parada total do ventilador.

Código do Manual:204010114 6 REV A


· O cordão de rede destacável (cabo de alimentação) do Aparelho de
Anestesia deve ser preso com a abraçadeira para evitar uma desconexão
acidental

Suscetibilidade Eletromagnética

· O equipamento pode sofrer interferências de certos aparelhos de


transmissão (por exemplo: telefones celulares, “walkie talkie”, telefones sem fio,
transmissores de “pagers”, equipamentos cirúrgicos de alta freqüência (diatermia)
desfibriladores, terapias com ondas curtas, contudo podem interromper o
funcionamento do equipamento. Não utilize estes aparelhos de transmissão nas
proximidades do Ventilador para Anestesia 678. Não utilize o Ventilador para
Anestesia 678 num ambiente com equipamentos de imagem por ressonância
magnética.

· Este equipamento não emite ondas eletromagnéticas que interferem no


funcionamento de equipamentos na sua proximidade.

Descarte (“lixo”)

· Todas as partes do equipamento que tiverem contanto com fluídos


provenientes de pacientes (ex.: circuito respiratório, sensor de fluxo, tubos,
diafragma da válvula EXPIRATÓRIA, etc) podem estar potencialmente
contaminados após o uso. Denominados de semicríticos, devem sofrer antes do
descarte (ao final de suas vidas úteis) um processo de desinfecção de alto nível
ou esterilização ou ser descartado como lixo hospitalar potencialmente infectado.

· Elimine as partes removidas do equipamento de acordo com o protocolo de


disposição de partes e peças de sua instituição. Siga as recomendações
governamentais locais quanto à proteção ambiental, especialmente no caso de
lixo eletrônico ou partes eletrônicas.

Diversos

· Não utilize o Ventilador caso o autoteste aponte alguma irregularidade.


Providencie então a solução do problema apresentado.

· Verifique se o Ventilador está corretamente configurado e se os alarmes


estão adequadamente ajustados antes de utilizar o equipamento.

· Enquanto o Ventilador estiver no modo de espera (STAND BY), a


monitorização do paciente continuará funcionando e todos os alarmes ficarão sem
som.

Código do Manual:204010114 7 REV A


· Não pressione nenhuma tecla com instrumentos cirúrgicos ou ferramentas.
Utilize somente as pontas dos dedos para pressionar as teclas. Objetos
pontiagudos ou duros podem danificar as teclas.

· Estabeleça uma rotina de limpeza e esterilização adequada aos


componentes do Ventilador.

· Observe constantemente se o manômetro de pressão inspiratória indica


valores adequados.

· Mantenha o paciente sob constante observação. Observe freqüentemente a


sua expansão pulmonar e a livre expiração.

· As partes aplicadas são à prova de desfibrilação.

· Todas as partes aplicadas do ventilador são constituídas de material inerte,


atóxico, não provocando irritações ou alergia ao paciente.

· Unidades de medida de pressão. Algumas unidades de pressão são


indicadas em milibar (mbar) e ectopascal (hPa) são usadas várias instituições ao
invés de cmH2O sendo 1 mbar igual a 1 hPa igual a 1,016 cmH2O, essas unidades
podem ser intercambiadas sem problemas.

· No ato do recebimento verifique a integridade do equipamento e dos


acessórios. Caso haja algum dano aparente ao equipamento ou a seus acessórios
contatar um representante autorizado TAKAOKA imediatamente, pois, existem
tempos de garantias diferentes para os diversos componentes.

Serviço ( Manutenção preventiva e corretiva )

· A utilização deste manual de serviço, somente se aplica na manutenção de


Ventiladores para Anestesia 678 com versão de software superior a 1.25.

· Qualquer serviço interno no Ventilador para Anestesia 678 somente deverá


ser realizado por um técnico devidamente autorizado e treinado pela TAKAOKA.
Este Manual de Serviço não dispensa o treinamento adequado do técnico.

· Este Manual de Serviço pressupõe que o técnico conheça a parte


operacional e os controles do equipamento. Faz-se necessária à leitura cuidadosa
do Manual de Operação do Ventilador para Anestesia 678.

· Utilize somente peças de reposição originais TAKAOKA. A utilização de


peças não originais poderá colocar em risco a segurança do paciente.

Código do Manual:204010114 8 REV A


· As características técnicas dos produtos TAKAOKA estão sujeitas a
alterações sem aviso prévio, devido ao constante processo de evolução
tecnológica a que estes são submetidos.

K. TAKAOKA IND. E COM LTDA.


Av. Bosque da Saúde, 519
São Paulo/SP - CEP 04142-091
Tel.: (011) 5586-1000 - Fax: (011) 5589-7313
E-mail: kt@takaoka.com.br

Código do Manual:204010114 9 REV A


2 DESCRIÇÃO GERAL

O Ventilador para Anestesia 678 é um respirador eletrônico desenvolvido para


atender as mais diversas condições de ventilação, trazendo para a Anestesia a
sofisticação de alguns recursos dos Ventiladores mais comumente usados em
Terapia Intensiva, o que permite não só atender a qualquer tipo de paciente em
qualquer condição física e patológica, como também, a manutenção do parâmetro
ventilatório no intercâmbio de pacientes das Unidades de Terapia Intensiva para o
Centro Cirúrgico e vice e versa, permitindo inclusive iniciar-se precocemente o
processo de recuperação.

O seu campo de aplicações é bastante amplo, devido às diversas modalidades de


ventilação disponíveis. Portanto, este Ventilador aplica-se a todos os tipos de
pacientes, desde prematuros até adultos.

O Ventilador para Anestesia 678 é utilizado como parte integrante do Aparelho de


Anestesia FUJI MAXIMUS entre outros da linha TAKAOKA, realizando o
acionamento do fole segundo os parâmetros ajustados no painel de controle com
o sistema respiratório semifechado.

A Tabela a seguir apresenta as modalidades de ventilação disponíveis no


Ventilador para Anestesia 678. As modalidades que requerem um esforço
inspiratório do paciente para o disparo das respirações contam com um sistema
de proteção contra apnéia, com mudança automática para uma outra modalidade
de reserva (backup). Este recurso resulta em maior segurança ao paciente.

Modalidade Ventilação em
Descrição
Ajustada Apnéia (Backup)

1. VCV Ventilação Controlada a Volume Não Aplicável

2. PCV Ventilação Controlada a Pressão Não Aplicável

Ventilação Mandatória Intermitente IMV (não


3. SIMV/V
Sincronizada com Controle de Volume sincronizada)

Ventilação Mandatória Intermitente IMV (não


4. SIMV/P ®
Sincronizada com Controle de Pressão sincronizada)

Código do Manual:204010114 10 REV A


3 PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Esquema Pneumático:

A Figura 3.1 representa o esquema pneumático interno do Ventilador para


Anestesia 678, o qual encontra-se explicado abaixo.

O oxigênio (O2) entra no Ventilador para Anestesia 678 através de sua respectiva
conexão rosqueada. A pressão deste gás é reduzida por uma válvula reguladora
de pressão, onde existe também uma tomada para a calibração da pressão
regulada. Ligado à válvula reguladora encontra-se um sensor para o alarme de
baixa pressão de oxigênio ou de ar comprimido.

O gás passa então pela servo-válvula controlada eletronicamente, a qual fornece


em cada instante a quantidade exata para atender aos ajustes de fluxo inspiratório
durante a ventilação. O controle da pressão inspiratória é realizada pela válvula
eletromagnética expiratória, a qual é comandada por um sistema eletrônico
microprocessado.

Atenção
Os componentes internos do Ventilador para Anestesia 678 interligam-
se através de tubos padronizados. Alguns tubos internos do Ventilador
para Anestesia 678 são espiralados, para que estes se acomodem
melhor e não venham a colabar. Utilize somente os tubos originais
fornecidos pela TAKAOKA.

Código do Manual:204010114 11 REV A


Figura 3.1: Esquema pneumático do Ventilador para Anestesia 678

Código do Manual:204010114 12 REV A


Sensor de Fluxo
O Ventilador para Anestesia 678 conta com dois sensores de fluxo Figura 3.2 para
a medição dos fluxos e volumes dos gases, sendo um interno e outro externo
acoplado ao sistema respiratório. Cada sensor de fluxo do tipo “pressão
diferencial” é composto por um adaptador com duas conexões cônicas, no interior
do qual se encontra uma resistência à passagem do fluxo. Dois tubos laterais
levam os sinais de pressão na entrada e na saída do sensor de fluxo até um
transdutor de pressão diferencial localizado dentro da caixa do Ventilador. O valor
do fluxo inspirado ou expirado é medido em cada instante, em função da diferença
de pressão através do sensor. A detecção dos instantes de ciclagem do Ventilador
é feita também pelo sensor de fluxo.

∆P

Fluxo

∆P

Fluxo

Figura 3.2: Sensor de Fluxo

Código do Manual:204010114 13 REV A


Válvula Magnética Expiratória
A Figura 3.3 representa esquematicamente a construção da válvula
eletromagnética, a qual possui um princípio de funcionamento simples e seguro. O
diafragma controla a passagem do fluxo, além de isolar o interior da válvula para
evitar a sua contaminação. O comando do diafragma é realizado através do pino
que se movimenta junto com a bobina móvel, a qual desloca-se no interior de um
ímã. A força de fechamento do diafragma depende da corrente elétrica aplicada na
bobina, sendo controlada eletronicamente através de um sistema com
realimentação.

Figura 3.3: Válvula Magnética

Código do Manual:204010114 14 REV A


I>0 I=0

Figura 3.4: Operação da válvula magnética.

O estado natural da válvula magnética é o de normalmente aberto permitindo a


livre passagem do fluxo no caso de ausência de corrente elétrica.

A pressão controlada é diretamente proporcional à corrente aplicada Figura 3.5.

Força ou Pressão

Corrente (mA)

Figura 3.5: Força em função da corrente aplicada

Código do Manual:204010114 15 REV A


Servo Válvula
A Figura 3.6 representa esquematicamente a construção da servo válvula de fluxo,
a qual é utilizada para controle de fluxo de oxigênio. Esta válvula está no estado
normalmente fechado, isto é não liberando fluxo enquanto não haja corrente
aplicada em seus terminais elétricos devido à ação da mola que mantém o êmbolo
fechando a passagem do gás. Quando há uma corrente aplicada, a bobina exerce
uma força no êmbolo que comprime a mola, liberando a passagem do gás. O fluxo
obtido na saída é proporcional à corrente aplicada, e por esta razão muitas vezes
esta servo válvula de fluxo é também denominada de válvula proporcional.

I=0 I>0

Figura 3.6: Princípio de funcionamento da servo válvula de fluxo

Código do Manual:204010114 16 REV A


Válvula Reguladora
Esta válvula permite obtermos uma pressão regulada em sua saída. O seu
funcionamento consiste na mola (1) que exerce uma força sobre o diafragma (2) a
qual é igual a pressão existente na saída multiplicada pela área do diafragma. O
êmbolo (3) se move para baixo ou para cima conforme haja uma diminuição ou
aumento da pressão na saída, liberando a passagem da entrada para a saída.
Portanto se a pressão na saída diminuir, a mola (1) empurra o diafragma (2) que
por sua vez empurra o êmbolo (3) liberando a passagem da entrada para a saída.
Por outro lado se a pressão na saída subir, o diafragma (2) empurra a mola (1) e
o êmbolo (3) sobe pela força exercida pela mola (4,) ocluindo a passagem.

3
Saída Saída

Entrada Entrada
4

Figura 3.7: Válvula Reguladora

Código do Manual:204010114 17 REV A


Válvula de Sobrepressão
Esta válvula permite uma despressurização imediata do sistema respiratório
quando a pressão inspiratória superar a pressão limite ajustada no painel de
controle do Ventilador. O funcionamento simple e seguro, conta com uma
solenóide controlada eletronicamente que permite a entrada de gases na parte
inferior da válvula de sobrepressão, gerando um pressão interna, deslocando o
diafragma (5) para cima e por consequencia o disco (1) também sobe até a
borracha (4) atingir o encosto (3) ocorrendo a vedação, isto possibilita o envio dos
gases durante a fase inspiratória. Quando a solenóide não permitir a entrada de
gases na parte inferior da válvula de sobrepressão (pressão inspiratória superou a
pressão limite), o diafragma (5) desce e por consequencia o disco (1) também
desce eliminado a vedação e ocorrendo um desvio para os furos (2) dos gases
durante a fase inspiratória.

3 2

4
1
5

Entrada

Figura 3.8: Válvula de sobrepressão

Código do Manual:204010114 18 REV A


4 IDENTIFICAÇÃO DOS COMPONENTES

Este capítulo apresenta alguns desenhos da parte interna e externa do Ventilador


para Anestesia 678, com as respectivas relações de materiais. Utilize estes
desenhos para localizar os componentes do Ventilador e como referência para a
realização dos procedimentos de montagem e manutenção.

Componentes externos

Fio 2 Volume Pressão

ml rpm % cmH2O cmH2O

ENTER

Figura 4.1: Componentes Externos

Código Descrição Qtde UMI


202011317 VENTILADOR 678 1 PÇ
429090170 CABO DO SENSOR DE 02 1 PÇ
203060464 SENSOR DE O2 1 PÇ
429020003 CABO DE FORÇA – 3METROS 1 PÇ
202011297 SENSOR DE FLUXO ADULTO C/LINHA 1 PÇ
202011372 ADAPTADOR P/ TRAQUEI 1 PÇ
202010740 EXTENSÃO P/ O2 – 35CM 1 PÇ

Código do Manual:204010114 19 REV A


Ventilador

Fio 2 Volume Pressão

ml rpm % cmH2O cmH2O

ENTER

Figura 4.2: Ventilador

Código Descrição Qtde UMI


202011177 TAMPA SUPERIOR 1 PÇ
202011313 TAMPA INFERIOR 1 PÇ
202011314 TAMPA TRASEIRA 1 PÇ
202011315 CAIXA 1 PÇ
202011316 PAINEL FRONTAL 1 PÇ
310020001 PARAF.CAB.CHATA C/FENDA CRUZ M3X0.5PX12MM 2 PÇ
117060021 PVC TUBO AZUL DIAM.7.5X1.75PAR. DUR.65-70 1 PÇ
117060020 PVC TUBO AZUL DIAM.7.5X1.75PAR. DUR.60-65 1 PÇ
117060028 TUBO FLEXÍVEL CRISTAL 3X1.6MM 1 PÇ

Código do Manual:204010114 20 REV A


Painel Frontal

Fio 2 Volume Pressão

ml rpm % cmH2O cmH2O

ENTER

Figura 4.3: Painel frontal

Código Descrição Qtde UMI


203021684 TAMPA FRONTAL 1 PÇ
203100234 POLICARBONATO DO PAINEL FRONTAL 1 PÇ
203100292 POLICARBONATO DA MOLDURA 1 PÇ
445010145 PCI BARGRAPH 1 PÇ
429090204 CABO BARGRAPH 1 PÇ
429090209 CABO LED REDE 1 PÇ
320010004 PORCA SEXT.ROSCA 1/8”X40FIOSX3 ESP. 28 PÇ
445010137-04 PCI VENTILADOR 1 PÇ
314020013 PARAF.CAB.PANELA C/FENDA CRUZ M3X0.5PX10MM 2 PÇ
203021692 PAINEL FRONTAL 1 PÇ
203060899 TECLADA DE MEMBRANA 1 PÇ
203020091 ARRUELA DIAM.EXT.3/8”XDIAM.INT.4.1X1 MM ESP. 6 PÇ
203020840 TUBO DE POLIETILENO DIAM ¼”X5.5MM COMP. 4 PÇ
435010005 DISPLAY LCD 240X128 C/ BACKLIGHT 1 PÇ
429090212 CABO DISPLAY 1 PÇ
429090203 CABO LED 1 PÇ
203030009 BUCHA DIAM.EXT. 8XDIAM.INT.4.5X6 ESP. 1 PÇ
202011292 BOTÃO ONE TOUCH 1 PÇ
203060652 CHAPA GRAVADA 1 PÇ

Código do Manual:204010114 21 REV A


Componentes Internos

1 4

2 5

3 6

Figura 4.4: Componentes internos

Código Descrição Qtde UMI


203010031 BICO P/”T” 1 PÇ
202011131 PROTETOR DO TRANSDUTOR 1 PÇ
316030025 PARAF.S/CAB.ALLLEN C/SEXT.INT. M6X1PX6MM 1 PÇ
429090202 CABO CONTRASTE 1 PÇ
203010045 BICO DIAM.INT 4 ROSCA M6X1P 1 PÇ
203010593 CONEXÃO C/ROSCA M6 1 PÇ
203060031 TAMPA 1 PÇ
203030274 SERNSOR DE FLUXO ADULTO 1 PÇ
203030569 UNIÃO 1 PÇ
203011610 BLOCO P/ VALVULA SOBREPRESSÃO 1 PÇ
202010025 VALVULA ANTI-ASFIXIA 1 PÇ
203010025 BICO DIAM.INT 1 ROSCA M6X1P 1 PÇ
202011158 VALVULA DE SOBREPRESSAO 1 PÇ
203010611 ARRUELA DIAM.EXT.7/8”X16MMX3 ESP. 1 PÇ
203010618 CONEXÃO C/ROSCA 5/8”X26FIOS SEXT.11/16” 1 PÇ
429090201 CABO LIGA/DESLIGA 1 PÇ
429090211 CABO DA FIO2 1 PÇ
203010026 BICO DIAM.INT 1.5 ROSCA M6X1P 2 PÇ

Código do Manual:204010114 22 REV A


202010145 VALVULA EXPIRATORIA 1 PÇ
202020421 CAIXA 1 PÇ
202011176 BANDEJA 1 PÇ
314020011 PARAF.CAB.PANELA C/FENDA PHIL. M3X0.5PX6MM 1 PÇ

Suporte da Proporcional e da Fonte

Figura 4.5: Suporte da proporcional e da fonte

Código Descrição Qtde UMI


202010609 VALVULA PROPORCIONAL 1 PÇ
429090206 CABO DA PROPORCIONAL 1 PÇ
314020022 PARAF.CAB.PANELA C/FENDA PHIL. M4X0.7PX6MM 2 PÇ
203021693 BANDEJA 1 PÇ
202010610 FONTE 1 PÇ
429090200 CABO DE ALIMENTAÇÃO 1 PÇ
429090001 CABO CONEXÃO FONTE/CONVERSOR 1 PÇ
314020011 PARAF.CAB.PANELA C/FENDA PHIL. M3X0.5PX6MM 2 PÇ

Código do Manual:204010114 23 REV A


Painel Posterior

FUSE

Figura 4.6: Painel posterior

Código Descrição Qtde UMI


203021691 TAMPA TRASEIRA 1 PÇ
202011062 VALVULA REGULADORA 1 PÇ
202010021 VALVULA DE CALIBRAÇÃO 1 PÇ
203010025 BICO DIAM.INT. 1 ROSCA M6X1P 5 PÇ
202010761 CONEXÃO DE O2 1 PÇ
203010045 BICO DIAM.INT. 4 ROSCA M6X1P 1 PÇ
203030004 TAMPA P/BICO 1 PÇ
320010018 PORCA SEXT.M3X0.5PX2.4MM SEXT.5.50/5.35 2 PÇ
429090210 CABO SERIAL 1 PÇ
314020007 PARAF.CAB.PAN. C/FENDA PHIL.M2.5X0.45PX10MM 2 PÇ
320010017 PORCA SEXT.M2.5X0.45MM 2 PÇ
203060266 ABRAÇADEIRA 1 PÇ
314020013 PARAF.CAB.PANELA C/FENDA CRUZ M3X0.5PX10MM 1 PÇ
430010005 CONECTOR 1 PÇ
421010003 PORTA FUSÍVEL 1 PÇ

Código do Manual:204010114 24 REV A


320010016 PORCA SEXT.M2X0.4PX2MM SEXT.4MM 1 PÇ
314020005 PARAF.CAB.PANELA C/FENDA PHIL. M2X0.4PX8MM 1 PÇ
429090077 CABO FONTE EXTERNA 1 PÇ
314020009 PARAF.CAB.PANELA C/FENDA CRUZ M3X0.5PX5MM 2 PÇ

Suporte da Bateria

USAR SOMENTE BATERIA


CÓD: KT 437010003

Figura 4.7: Suporte para bateria

Código Descrição Qtde UMI


202020450 SUPORTE PARA BATERIA 1 PÇ
320010004 PORCA SEXT.ROSCA 1/8”X40FIOSX3 ESP. 2 PÇ
437010003 BATERIA 1 PÇ
429090208 CABO BATERIA 1 PÇ
203021690 TAMPA SUPERIOR 1 PÇ

Código do Manual:204010114 25 REV A


Tampa Inferior

Figura 4.8: Tampa inferior

Código Descrição Qtde UMI


202020399 TAMPA INFERIOR 1 PÇ
429090207 CABO SONOALARME 1 PÇ

Código do Manual:204010114 26 REV A


Bloco da Inspiração e expiração

A válvula expiratória consiste em uma válvula eletromagnética que define as fases


inspiratória e expiratória do Ventilador para Anestesia 678. Durante a fase
expiratória, a válvula é aberta para permitir a saída dos gases expirados. O bloco
da válvula expiratória é afixado ao painel frontal de conexões do Ventilador.

A Figura 4.9 mostra esquematicamente a montagem dos componentes do bloco


da válvula expiratória. Este bloco possui em seu corpo duas conexões cônicas
para os tubos corrugados do circuito respiratório. A válvula expiratória é facilmente
desmontável para a desinfecção de seus componentes, inspeção ou troca de
seu diafragma. Após cada montagem da válvula expiratória com o seu diafragma
corretamente posicionado, ligue o Ventilador e realize um procedimento de teste
para verificar o seu perfeito funcionamento.

Atenção
Verifique a limpeza e o perfeito estado de conservação do diafragma
da válvula expiratória. Caso seja constatada qualquer fissura ou outra
irregularidade neste componente, faça a substituição por um novo.
Verifique o perfeito estado do anel de vedação (O-ring)
A fixação do bloco no painel frontal de conexões do Ventilador deverá
ser feita com bastante firmeza, para que não haja vazamento de gases.

Figura 4.9: Bloco de Inspiração e Expiração

Código do Manual:204010114 27 REV A


Figura 4.10: Componentes do Bloco de Inspiração e Expiração

Código Descrição Qtde UMI


202010239 VALVULA MAGNETICA 1 PC
203010331 BICO DIA INT 9/16”X26F – DIA EXT 9/16” 1 PC
203010348 PORCA 1 PC
203010615 CORPO DA VALVULA 1 PC
203010617 PINO C/ROSCA 5/16”X18F M8X1,25P 1 PC
203010619 PORCA SEXT ½” – DIA EXT 14MM 1 PC
203020084 ARRUELA DE VEDAÇÃO 1 PC
203020622 ENCOSTO DA VALVULA EXPIRATORIA 1 PC
203030330 BASE DA VALVULA EXPIRATORIA 1 PC
203030331 BUCHA DA VALVULA EXPIRATORIA 1 PC
203040062 DIAFRAGMA 1 PC
320010047 PORCA PRENSÁVEL M8 1 PC
303010059 O’RING REF.2113 V3206-7B DIA INT 13,94X2,62ESP 1 PC
320010037 PORCA SEXT ROSCA M8X1,25PX6,5 - SEXT 13MM 1 PC

Código do Manual:204010114 28 REV A


5 DESCRIÇÃO ELETRÔNICA
A eletrônica de controle é realizada por uma única placa que simultaneamente
monitoriza e controla o Ventilador. Abaixo se encontra a Figura 5.1 que apresenta
um diagrama de blocos simplificado da interconexão dos módulos. Nos itens
seguintes serão fornecidos maiores detalhes dos mesmos.

Figura 5.1: Diagrama em blocos

Código do Manual:204010114 29 REV A


5.1 Sistema de Alimentação Elétrica
O aparelho pode ser alimentado com tensões de 90VAC a 240VAC de uma rede
elétrica que esteja em conformidade com a norma ABNT NBR 13534- “Instalações
elétricas em estabelecimentos assistenciais de saúde - Requisitos de segurança”

Conversor AC-DC
90-240Vac -> 15Vdc PCM445010007
DVS075043

Conversor DC-DC
15V para
+12V, -12V, +5V
ON e
Carregador de bateria
OFF

Figura 5.2: Diagrama em blocos da alimentação elétrica

A entrada AC é convertida para 15Vdc por uma fonte AC-DC de 30W. A placa
PCM445010007 possui um circuito de carga da bateria de 12V e conversores DC-
DC para obter tensões de +12V, -12V e +5V.

CN1 – Saída das tensões convertidas para alimentação do aparelho


CN2 – Conector para chave liga/desliga
CN3 – Entrada DC de 15V
CN4 – Informação de STATUS da alimentação elétrica
• O sinal REDE(N) em LOW indica que há alimentação da rede elétrica.
• O sinal LOWBAT(N) em LOW indica que a bateria possui apenas 5
minutos de carga.
CN5 – Conexão da bateria de 12V – 2,2 AH
CN6 e CN7 – Entrada de 12V auxiliar

O circuito formado por Q2, R10, Q3, D10, R13, Q5, R18, R21 é uma fonte de
corrente controlada que executa a carga da bateria com uma corrente de 250mA.

Código do Manual:204010114 30 REV A


Q5 também é responsável por desligar o circuito de carga, toda vez que a carga
da bateria atingir 13,6V.

U4:A é um comparador de tensão que informa o status de carga da bateria através


de CN4, além de controlar a chave geral eletrônica.

U4:D e Q4 acionam um relé LIGA/DESLIGA do circuito conversor DC-DC

U1 é o conversor DC-DC para +12V

U2 é o conversor DC-DC para –12V

U3 é o conversor DC-DC para +5V

Figura 5.3: Esquema elétrico do Conversor de Tensão

Código do Manual:204010114 31 REV A


1

Figura 5.4: Esquema elétrico do carregador e supervisor de bateria

Código do Manual:204010114 32 REV A


5.2 Placa de Controle

A placa de controle do Ventilador 678 possui um microprocessador ADUCC812


(U2) que internamente possui temporizadores, módulo de comunicação serial,
conversor A/D de doze bits, conversor D/A de doze bits e portas paralelas para
acionamento de periféricos. Memória RAM (U5) de 8KB e memória EPROM (U4)
de 64KB.

Os sinais de fluxo do paciente, fluxo interno, FiO2 e pressão são convertidos para
o formato digital através do conversor interno.

• FPAC – Fluxo do paciente x1


• FPACX10 – Fluxo do paciente x10
• PRESS – Pressão Interna (utilizada para controle)
• FINT – Fluxo Interno x1
• FINTX10 – Fluxo Interno x10
• PREAD – Pressão Paciente (utilizada para apresentação no display)
• FiO2 – Célula de FiO2
• BATERIA – Tensão da fonte de alimentação

As saídas do conversor D/A são utilizadas da seguinte forma:

• FLOW_CTL – Fluxo Total fornecido para o circuito respiratório


• PRESS_CTL – Pressão no circuito respiratório

CN1 - BARGRAPH
CN2 - Sonalarme
CN3 - Interface com o display de cristal líquido de 240 x 128
CN4 - Teclado de Membrana
CN5 - Conexão com o botão One Touch
CN6 - Conexão do potenciômetro de contraste do display de controle do
Ventilador
CN7 - Conexão com a célula de FiO2
CN8 - “Back-light” do display de cristal líquido
CN9 - Alimentação DC +12V, -12V, +5V, VBAT
CN10 - Não utilizado
CN11 - Saída serial RS-232C – Apresenta em sua saída sinais especiais para
conexão a um PC com software específico para apresentação gráfica de
todas as curvas de ventilação simultâneas. (Software e sistemas de
conexões são itens opcionais).
CN12 - Não utilizado
CN13 - Válvula Expiratória Magnética
CN14 - Servo-válvula de O2

Código do Manual:204010114 33 REV A


U1, U3 e U7 são latches e drivers para o bargraph.

U17 e U19 controlam o liga e desliga dos circuitos de controle das válvulas.

U9 é um conjunto de oito flip-flops que tem como função acionar os leds de


“bateria”, “reset 2 minutos” e “stand by”, acionar o sonalarme e realizar a varredura
do teclado.

U11 é um buffer que faz a leitura do teclado e da chave de pressão da rede.

U13 é o circuito amplificador da célula de O2 (FiO2).

EP1 é um potenciômetro digital utilizado para variar o ganho do amplificador de


FiO2.

U14 é o circuito da RS-232.

Código do Manual:204010114 34 REV A


FiO2
Potenciômetro
de Contraste
DESACOPLAMENTO
CAPACITORES DE

Figura 5.5: Esquema elétrico do Controle do para Anestesia 678

Código do Manual:204010114 35 REV A


Circuito de controle da válvula expiratória

Este circuito executa o controle ativo da pressão no circuito respiratório em todas


as modalidades ventilatórias.

Amplificador
Pressão de de Potência
Referência

Pressão
Medida
Transdutor
Válvula de Pressão
Magnética

Amplificador e
Filtro

Figura 5.6: Sistema de controle da válvula expiratória

O µP através do conversor D/A (PRESS_CTL) fornece a pressão de referência


para o circuito de controle da válvula expiratória, o qual regula a pressão no
circuito respiratório do paciente. Um amplificador de potência fornece a corrente
necessária a cada instante para a válvula magnética de controle de pressão o qual
movimenta um diafragma de silicone aumentando a força (pressão) quando há um
aumento de corrente ou diminuindo a força (pressão) quando há uma redução na
corrente aplicada à válvula magnética. Um transdutor de pressão mede a pressão
no circuito respiratório convertendo-o em tensão que após amplificação e filtragem
é realimentado ao circuito de controle.

Desta forma dada uma Pressão de Referência o circuito age de maneira a


controlar e manter esta mesma pressão no circuito respiratório. Se a pressão
aumenta, ficando maior que a pressão de referência, no circuito respiratório, o
sistema eletrônico compensa reduzindo a corrente suprida à servo-válvula, se a
pressão reduz, ficando menor que a pressão de referência, no circuito respiratório
o sistema eletrônico de controle compensa aumentando a corrente suprida à
servo-válvula.

Código do Manual:204010114 36 REV A


O sistema de controle é realizado pelo U23:A, U23:B, U23:C, Q5, Q6 e malha de
filtragem da pressão medida R94, R95, R103, C81, C82, C87, C88, U21:A e
U25:C.

Trimpots principais:

P10 - ajusta a inclinação da curva do PCV


P11 - ajusta o PEEP
P12 - ajusta a banda do filtro.
P14 - ajusta o over shoot de pressão

Código do Manual:204010114 37 REV A


Circuito de controle da servo-válvula

Figura 5.7: Sistema de controle das servo-válvulas

O uP através do conversor D/A (FLOW_CTL) fornece o fluxo de referência para o


circuito de controle das servo válvulas.

A válvula proporcional fornece o fluxo dado pelo fluxo de referência (FLOW_CTL)


quando o fluxo medido for menor que o fluxo de referência o sistema eletrônico de
controle aumenta o total de corrente para a servo-válvula, por outro lado se o fluxo
medido for menor que o fluxo de referência então o sistema eletrônico compensa
diminuindo a corrente total para a servo-válvula. O fluxo é medido internamente ao
aparelho através de um sensor do tipo diferencial de pressão.

• O amplificador de potência da servo válvula é composto pelo U26:D e Q7.


• A diferença de fluxos de referência com o fluxo medido é executado pelo
U26:A em conjunto com U25:B, U25:D e U27:D.

Trimpots principais:

P13 - não ajustar

Código do Manual:204010114 38 REV A


CONTROLE DE PEEP/CPAP/PCV

1: PEEP/CPAP/PCV
0: Fluxo Continuo

Figura 5.8: Esquema elétrico do controle da Válvula Expiratória e Servo-Válvula

Código do Manual:204010114 39 REV A


Circuito Amplificador do Fluxo de Paciente

Transdutor
diferencial
de pressão

PRÉ-AMP X10

Fluxo PAC x10


2,5V

Fluxo PAC x1

Figura 5.9: Circuito de medição do fluxo do paciente

O circuito amplificador do fluxo do paciente é realizado por um pré-amplificador e


um amplificador x10. Cada um dos sinais é adicionado de um offset de 2,5V para
compatibilizá-los com o conversor A/D.

O circuito pré-amplificador é realizado pelo U17:A e U17:B. O U16 é o amplificador


com ganho 10. O offset do transdutor é ajustado no P3, o ganho do pré-
amplificador é ajustado pelo P1 e o offset do amplificador de ganho 10 é ajustado
pelo P2. O U17:D e U17:C agrega um offset de 2,5V para compatibilização com
o conversor A/D.

Código do Manual:204010114 40 REV A


Circuito Amplificador do Fluxo Interno

Transdutor
diferencial
de pressão
Fluxo INT x10

PRÉ-AMP X10

Fluxo INT x1

Figura 5.10: Circuito de medição do fluxo interno

O circuito amplificador do sensor de fluxo interno é similar ao do sensor de fluxo


do paciente. A única diferença é que este circuito não necessita agregar offset
para compatibilizar com o conversor A/D.

O circuito pré-amplificador é realizado pelo U18:A e U18:D. O U19 é o amplificador


com ganho 10 e o U20:B é um buffer interno para o fluxo x1. O offset do transdutor
é ajustado no P7, o ganho do pré-amplificador é ajustado pelo P5 e o offset do
amplificador de ganho 10 é ajustado pelo P6.

Código do Manual:204010114 41 REV A


Circuito amplificador do sensor de pressão

Transdutor
diferencial Pressão para
de pressão sistema de
controle
eletrônico
PRÉ-AMP

Pressão para
conversor A/D
2,5V

Figura 5.11: Circuito de medição de pressão endotraqueal

O circuito amplificador do sensor de pressão de controle é realizado por um pré-


amplificador U20:A. O offset do transdutor é ajustado no P8.

O circuito amplificador do sensor de pressão do paciente é realizado por um pré-


amplificador U21:C. O offset deste transdutor é ajustado no P9.

Código do Manual:204010114 42 REV A


Figura 5.12: Esquema elétrico dos Circuitos Amplificadores

Código do Manual:204010114 43 REV A


5.3 Placa do Bargraph
O bargraph funciona por um processo de varredura temporizada para
acendimento dos leds. Nesta placa encontra-se também os leds de Bateria Fraca
LD1, Rede Elétrica LD3 e Reset 2 minutos LD2.

Os comandos de varredura são recebidos através de CN1.

Código do Manual:204010114 44 REV A


Figura 5.13: Esquema elétrico do Bargraph

Código do Manual:204010114 45 REV A


6 LIGAÇÃO DOS CABOS

Figura 6.1: Esquema de ligação

Código do Manual:204010114 46 REV A


7 PROCEDIMENTO DE VERIFICAÇÃO DA FONTE

1- Objetivo

Estabelecer o procedimento de verificação do funcionamento da fonte do


Ventilador para Anestesia 678.

2- Acessórios, equipamento e ferramentas necessárias:

− Fonte teste;
− Giga de teste.

3- Procedimento

3.1 Conectar a fonte teste e uma chave liga/desliga à fonte a ser verificada;
3.2 Ligar a fonte teste à tomada elétrica;
3.3 Ligar a fonte teste;
3.4 Testar auditivamente se a fonte a ser verificada funciona, ou seja, se o relê
emite o som característico.
3.5 Conectar uma ponta do multímetro no terra TP1 e a outra nos pinos do
conector CN1 e verificar as tensões de acordo com a tabela abaixo:

Pinos Tensão
1 0
2 +15 V ± 10%
3 +12 V ±10%
4 +5 V ±10%
5 -12 V ±10%
6 0

3.6 Conectar uma ponta do multímetro no terra TP1 e a outra nos pinos do
conector CN6 e verificar as tensões de acordo com a tabela abaixo:

Pinos Tensão
1 0
2 +13,5 V ±10%

Código do Manual:204010114 47 REV A


3.7 Conectar uma ponta do multímetro no terra TP1 e a outra nos pinos do
conector CN7 e verificar as tensões de acordo com a tabela abaixo:

Pinos Tensão
1 0
2 +13,5 V ±10%

3.8 Desligar a fonte teste;


3.9 Conectar a giga de teste ao multímetro e ao CN6 e ligar a fonte teste;
3.10 Medir a corrente no multímetro (deve estar entre 230 mA e 260 mA).

Código do Manual:204010114 48 REV A


8 PROCEDIMENTO DE AJUSTE ELETRÔNICO

1- Trimpots principais:

Paciente:

P3 – Off-set do transdutor paciente (x1).


P1 – Ganho de fluxo do transdutor paciente.

Interno:

P7 – Off-set do transdutor interno (x1).


P5 – Ganho de fluxo do transdutor interno.

Pressão:

P8 – Off-set do transdutor de pressão interna.


P9 – Off-set do transdutor de pressão proximal.
P10 – Ajuste da curva de PCV.
P11 – Ajuste do PEEP.

Outros:

P14 – Ajuste do over shoot de pressão.


P12 – Filtro de pressão.
P13 – Ajuste da válvula proporcional.

Código do Manual:204010114 49 REV A


Trimpots principais:

P14 P11

P12

P13

P
1

P
3

P
5
P
7

P
8

Figura 8.1:Localização dos principais trimpots da placa do Ventilador 678

Código do Manual:204010114 50 REV A


2- Acessórios, equipamentos e ferramentas.
- Extensão de O2;
- Extensão de rede elétrica;
- Balão de prova de 2000ml;
- Balão de prova de 50ml;
- Resistência 20;
- Resistência 50;
- Circuito respiratório (traquéia, sensor de fluxo e intermediário “Y”)
adulto;
- Circuito respiratório (traquéia, sensor de fluxo e intermediário “Y”)
neonatal;
- Pulmoteste;

3- Procedimento.
Para realização deste procedimento o painel frontal deverá estar solto, para
que se tenha acesso aos componentes eletrônicos que necessitem de
ajustes.

4- Ajuste do off-set.

4.1 Conectar o Ventilador à rede de O2 e a rede elétrica.


4.2 Montar o circuito respiratório adulto com resistência de 20 no balão de
2000 ml.
4.3 Ligar o Ventilador.
4.4 Quando a mensagem “ ** AN – 678 1.xx ** ” aparecer na parte superior do
display, pressione a tecla MENU até o display mostrar os valores de off-
set.
4.5 Ajuste no trimpot P8 o valor do parâmetro (Pc) em 0.
4.6 Ajuste no trimpot P9 o valor do parâmetro (Pr) em 0.
4.7 Ajuste no trimpot P7 o valor do parâmetro (OFI) em 1 – 20 A10.
4.8 Ajuste no trimpot P3 o valor do parâmetro (OFP) em 127 – 127 A5, ou até
que os dois valores coincidam.
4.9 Girar o trimpot P11 no sentido horário até o final e girar o trimpot P10 no
sentido anti-horário até o final.
4.10 Desligar o Ventilador.
4.11 Ligar o Ventilador, verificar novamente os off-sets e reajustá-los se
necessário.
4.12 Desligar o Ventilador.

Código do Manual:204010114 51 REV A


5- Ajuste do Volume.
5.1 Ligar o Ventilador, escolhendo um peso do paciente em 50Kg e 10ml/Kg.
5.2 Ajustar:
- Platô = 0%.
5.3 Pressionar a tecla STAND-BY, verificar durante os ciclos qual o valor do
volume marcado no pulmoteste. Se o volume mostrado no pulmoteste
for menor do que o volume ajustado, girar o trimpot P5 no sentido
horário (±1 volta). Se o volume mostrado no pulmoteste for maior do que
o volume ajustado, girar o trimpot P5 no sentido anti-horário (±1volta).
Se estiver correto passe para o item 5.8.
5.4 Desligar o Ventilador.
5.5 Repetir os itens de 5.1 a 5.3.
5.6 Monitorar o Volume Expirado no display durante alguns ciclos e verificar
depois de estabilizado se ele é igual ao volume marcado no pulmoteste.
Se for diferente ajustar no trimpot P1.
5.7 Desligar o Ventilador.
5.8 Ligar o Ventilador, escolhendo um peso do paciente em 100Kg e 10ml/Kg.
5.9 Verificar se o valor apresentado no pulmoteste e no display estão
condizentes com o ajustado. Senão repetir os itens de 5.3 a 5.6.
5.10 Ajustar:
- Volume = 300ml.
- Freq. = 16rpm.
5.11 Verificar se o valor apresentado no pulmoteste e no display estão
condizentes com o ajustado. Senão repetir os itens de 5.3 a 5.6.
5.12 Através da tecla MODO, mudar para a modalidade PCV e confirmar
todos os parâmetros referente a esta modalidade.

Código do Manual:204010114 52 REV A


6- Ajuste do Peep.
6.1 Pressionar a tecla STAND-BY e o Ventilador deverá parar de ciclar.
6.2 Desconectar o circuito do pulmoteste e conectar no balão de 2000ml.
6.3 Ajustar:
- Pressão Máxima = 40cmH2O.
- Freq. = 14rpm.
- PEEP = 0cmH2O.
- Platô = 30%.
6.4 Colocar o Ventilador na apresentação do gráfico Pxt.
6.5 Zerar a linha do PEEP ajustando o trimpot P9.
6.6 Pressionar a tecla STAND-BY e o Ventilador deverá voltar a ciclar.
6.7 Ajustar a inclinação da curva de descida da pressão por meio do trimpot
P10 (normalmente este trimpot deverá estar totalmente ajustado no
sentido anti-horário). A descida da curva deverá ser o mais vertical
possível.
6.8 Ajustar:
- PEEP = 5cmH2O.
6.9 Verificar se o valor apresentado está condizente com o valor ajustado
(Valor do PEEP A2cmH2O). Se estiver dentro da faixa, observe a curva
de pressão por alguns ciclos e veja se a linha do PEEP se iguala ao
valor ajustado. Se o valor apresentado não estiver de acordo, ajuste o
valor do PEEP no trimpot P11.
6.10 Ajustar:
- PEEP = 10cmH2O.
6.11 Verificar se o valor apresentado está condizente com o valor ajustado
(Valor do PEEP A2cmH2O). Se estiver dentro da faixa, observe a curva
de pressão por alguns ciclos e veja se a linha do PEEP se iguala ao
valor ajustado. Se o valor apresentado não estiver de acordo, ajuste o
valor do PEEP no trimpot P11.
6.12 Trocar a resistência para um valor de 50.
6.13 Ajustar:
- PEEP = 20 cmH2O
6.14 Verificar se o valor apresentado está condizente com o ajustado. Se o
valor apresentado não estiver de acordo, ajuste o valor do PEEP no
trimpot P11.
6.15 Ajustar:
- PEEP = 10 cmH2O
6.16 Verificar se o valor apresentado está condizente com o ajustado. Se o
valor apresentado não estiver de acordo, ajuste o valor do PEEP no
trimpot P11.
6.17 Ajustar:
- PEEP = 0 cmH2O
6.18 Verificar se o valor apresentado está condizente com o ajustado. Se o
valor apresentado não estiver de acordo, ajuste o valor do PEEP no
trimpot P11.

Código do Manual:204010114 53 REV A


7- Ajuste da vibração.
7.1 Ajustar:
- Pressão Máxima = 20cmH2O.
- PEEP = 5cmH2O.
7.2 Verificar se existe vibração ou over shoot (pico de pressão) durante a
inspiração. Se existir, ajustar no trimpot P14 para diminuir estes efeitos.
7.3 Desligar o Ventilador.

8- Funcionamento em neonatal.

8.1 Montar o circuito respiratório neonatal com resistência de 50 no balão de


50ml.
8.2 Ligar o Ventilador escolhendo um peso de 2Kg e 10ml/Kg.
8.3 Ajustar:
- Pressão Máxima = 20cmH2O.
- PEEP = 5 cmH2O.
8.4 Verificar se os valores apresentados de Pressão Máxima e PEEP estão
condizentes com os ajustados. Caso isto não ocorra, ajuste o valor de
PEEP no trimpot P11 e a vibração ou over shoot no trimpot P14.

Código do Manual:204010114 54 REV A


9 PROCEDIMENTO DE VERIFICAÇÃO DO
FUNCIONAMENTO

1- Objetivo

Estabelecer o procedimento de verificação do funcionamento do Ventilador 678.

2- Acessórios, equipamentos e ferramentas.

− Manômetro de precisão de 0 a 100 PSI, TIRE GAUGE;


− Extensão de O2;
− Extensão de rede elétrica;
− Balão de prova de 2000 ml;
− Balão de prova de 500 ml;
− Balão de prova de 50 ml;
− Resistências de 20 e 50;
− Rotâmetro padrão de 0 a 300 ml;
− Circuito respiratório (traquéias, sensor de fluxo e intermediário “Y”) adulto;
− Circuito respiratório (traquéias, sensor de fluxo e intermediário “Y”) infantil;
− Circuito respiratório (traquéias, sensor de fluxo e intermediário “Y”) neonatal;
− Pulmoteste modelo 640 com fole dotado de mola;
− Fluxômetro de 0 a 15l/min;
− SIVA.

3- Procedimento

− Montar a conexão de O2 e a rede elétrica no Ventilador juntamente com o


circuito respiratório adulto no balão de prova de 2000 ml com resistência 20.

− Ligar o Ventilador, escolher um peso de 50 Kg e 10 ml/kg. Deixar o


equipamento funcionando (ciclando) por 72 horas (3 dias e 3 noites) para que
todos os componentes eletrônicos sejam solicitados e entrem em temperatura
de trabalho no instante das verificações a seguir.

− O número do campo do formulário a ser preenchido será o mesmo número da


instrução de trabalho.

Código do Manual:204010114 55 REV A


3.1 - Medição das pressões

3.1.1 Pressionar STAND BY.


3.1.2 Conectar um manômetro a tomada de pressão regulada de O2.
3.1.3 Ajustar a válvula reguladora de pressão de O2 com uma chave hallen de
2mm, até que seja indicada no manômetro uma pressão de 35 PSI.
3.1.4 Pressionar STAND BY para o Ventilador entrar em funcionamento.
3.1.5 Desligar o Ventilador.

3.2 - Verificação do Offset.

Fazer a verificação do Offset a cada dia (24 horas)


3.3.1 Ligar o Ventilador.
3.3.2 Ao ser apresentada na parte superior do display a mensagem
“** AN – 678 x.xx **” pressione imediatamente a tecla MENU.
3.3.3 Ler os valores de Offset:
− Pc = 0
− Pr = 0
− Ofp = 127 - 127 (±5)
− Ofi = 1-20 (±10)
3.3.4 Pressionar a tecla ENTER.
3.3.5 Aguardar o auto teste da válvula.
3.3.6 Escolher um peso de 50 Kg e 7 ml/kg.

3.3 - Verificação do Bargraph

3.2.1 Pressionar STAND BY para o Ventilador entrar em funcionamento.


3.2.2 Verificar:
− Modalidade = VCV
− Volume = 350 ml
− Freq. = 15 rpm
− Relação = 1:2.0
− Platô = 30%
− Pressão Limite = 30 cmH2O
− PEEP = 0 cmH2O
3.2.3 Através da tecla MODO, mudar para a modalidade PCV.
3.2.4 Verificar:
− Modalidade = PCV
− Volume = ----
− Freq. = 15 rpm
− Relação = 1:2.0
− Platô = ----
− Pressão Limite = 15 cmH2O
− PEEP = 0 cmH2O

Código do Manual:204010114 56 REV A


3.2.5 Ajustar:
− Pressão Limite = 40 cmH2O
3.2.6 Verificar o BARGRAPH, ou seja, durante a inspiração os led’s devem
acender até atingir a marca de 40 cmH2O, e só esta última deverá
permanecer acessa durante a expiração.
3.2.7 Desligar o Ventilador

3.4 - Inspecionar alarmes.

3.4.1 Desconectar o Ventilador da rede elétrica e da rede de O2.


3.4.2 Ligar o Ventilador.
3.4.3 Aguardar o auto teste da válvula.
3.4.4 Verificar se o Ventilador apresentará os seguintes alarmes:
VERIFIQUE REDE-O2 e AUTO TESTE: FALHA
O Ventilador deve permanecer inoperante, sem nenhum tipo de alarme sonoro.
3.4.5 Desligar o Ventilador.
3.4.6 Não ligar o Ventilador à rede elétrica.
3.4.7 Ligar o Ventilador à rede de O2.
3.4.8 Ligar o Ventilador.
3.4.9 Escolher um peso de 50 Kg e 7 ml/kg.
3.4.10 Aguardar o auto teste das válvulas.
3.4.11 O Led de REDE deve estar apagado.
3.4.12 Pressionar STAND BY para o Ventilador entrar em funcionamento.
3.4.13 Verificar se após 30 segundos aproximadamente, o Ventilador apresentará
no display o alarme audiovisual:
SEM REDE ELÉTRICA
3.4.14 Pressionar a tecla RESET para silenciar o alarme sonoro e o desenho de
um sino com um risco na diagonal aparecerá no display.
3.4.15 Ligar o Ventilador à rede elétrica 110V.
3.4.16 O Led de REDE deve acender permanentemente.
3.4.17 O Ventilador não deve dar nenhum sinal de alarme.
3.4.18 Desligar o Ventilador da rede de O2.
3.4.19 Verificar se o Ventilador apresentará o alarme:
VERIFIQUE REDE-O2
3.4.20 Ligar o Ventilador à rede de O2. O Ventilador deve silenciar o alarme.

Código do Manual:204010114 57 REV A


3.5 - Inspecionar a modalidade VCV - adulto

3.5.1 Deixar o equipamento em funcionamento por no mínimo 1 hora para


que todos os componentes eletrônicos entrem em temperatura de
trabalho.
3.5.2 Verificar:
− Modalidade = VCV
− Volume = 350 ml
− Freq. = 15 rpm
− Relação = 1:2.0
− Platô = 30%
− Pressão Limite = 30 cmH2O
− PEEP = 0 cmH2O
3.5.3 Retirar o balão e a resistência.
3.5.4 Ajustar:
− Volume = 2000 ml
− Platô = 0 %
3.5.5 Verificar no menu do Ventilador o Fluxo FLX e FLXi de O2.
3.5.6 Ajustar:
− Volume = 500 ml
3.5.7 Conectar o pulmoteste com resistência de 20.
3.5.8 Verificar no gráfico Fxt do monitor o fluxo quadrado (constante) e o fluxo
máximo.
3.5.9 Verificar no monitor e no pulmoteste o volume apresentado.
3.5.10 Ajustar:
− Platô = 30 %
3.5.11 Verificar no gráfico Fxt do monitor o patamar no final da inspiração com
fluxo zero.
3.5.12 Verificar se durante o platô o volume do pulmoteste não se altera.
3.5.13 Ajustar:
− Platô = 0 %
− PEEP = 5 cmH2O
3.5.14 Pressionar STAND BY.
3.5.15 Montar o Ventilador ao SIVA (Figura 9.1) e o circuito respiratório adulto
no SIVA (Figura 9.2) no balão de prova de 2000 ml com resistência 20.
3.5.16 Montar um fluxômetro ao SIVA (Figura 9.3) e regular um fluxo de 2
l/min.
3.5.17 Seguindo a orientação de montagem da Figura 9.2, interligue o
conector da célula de O2 na lateral esquerda do Ventilador e realize a
sua calibração a 21% (ar ambiente) pelo MENU do Ventilador.
3.5.18 Reconecte a célula de O2 no circuito respiratório e verifique se durante
todo o ensaio a FiO2 monitorada pelo Ventilador permanece em 21%.
3.5.19 Se necessário ajustar inicialmente um fluxo maior no fluxômetro até que
o topo do fole encoste na campânula e após isto ocorrer retorne o fluxo
para 2 l/min.
3.5.20 Pressionar STAND BY para o Ventilador entrar em funcionamento.
Código do Manual:204010114 58 REV A
3.5.21 Verificar no gráfico P x t do monitor o valor do PEEP no gráfico.
3.5.22 Verificar no monitor o valor do volume.

VÁLVULA
EXPIRATÓRIA DO
VENTILADOR 678

INTERMEDIARIO
COD. 202011199

TRAQUEIA
COD. 202010326

UNIÃO
COD. 203030147

CAIXA DO SIVA

Figura 9.1: Conexão o Ventilador 678 ao SIVA.

Código do Manual:204010114 59 REV A


SENSOR DE FLUXO
COD. 203100149

TUBOS DO SENSOR
DE FLUXO
COD. 202010762

INTERMEDIARIO
COD. 203010610

TAMPÃO
COD.203060031

TRAQUEIAS
COD. 202010713

INTERMEDIARIO
COD. 203030566

CABO DO SENSOR SENSOR DE


DE O2 COD. O2 COD.
429090170 203060464

CAIXA DO SIVA

Figura 9.2: Circuito respiratório ADULTO.

Código do Manual:204010114 60 REV A


FLUXOMETRO
REGULADO EM 4 L/MIN

Fluxômetro
Modelo 3303

K.TAKAOKA

CONEXÃO DE
ENTRADA DE GASES
DA CAIXA DO SIVA

Figura 9.3: Conexão do Fluxômetro ao SIVA.

Código do Manual:204010114 61 REV A


3.6 - Inspecionar a modalidade PCV

3.6.1 Através da tecla MODO, mudar para a modalidade PCV.


3.6.2 Verificar:
− Modalidade = PCV
− Volume = ----
− Freq. = 15 rpm
− Relação = 1:2.0
− Platô = ----
− Pressão Limite = 15 cmH2O
− PEEP = 0 cmH2O
3.6.3 Ajustar:
− PEEP = 5 cmH2O
3.6.4 Verificar no gráfico P x t do monitor os valores da P Max e do PEEP, na
lateral direita superior do display a pressão atingida no último ciclo e na
lateral esquerda inferior do display a informação do paciente ADU.
3.6.5 Ajustar:
− Pressão Limite = 30 cmH2O
− PEEP = 15 cmH2O
3.6.6 Verificar no gráfico P x t do monitor os valores da P Max e do PEEP, na
lateral direita superior do display a pressão atingida no último ciclo.
3.6.7 Desconectar o ramo expiratório da base pneumática e obstrui-lo, verificar
se após aproximadamente dois ciclos aparecerá a mensagem
“PRESSÃO ALTA OU OBSTRUCAO NA EXP”, e se quando a pressão
no circuito respiratório superar o valor da pressão limite ajustada
ocorrerá uma despressurização do sistema através da válvula de
sobrepressão.

3.7 - Inspecionar a modalidade SIMV/V

3.7.1 Através da tecla MODO, mudar para a modalidade SIMV/V.


3.7.2 Verificar:
− Modalidade = SIMV/V
− Volume = 350 ml
− Freq. = 9 rpm
− Relação = 1:4.0
− Platô = 0 %
− Pressão Limite = 30 cmH2O
− PEEP = 15 cmH2O
3.7.3 Ajustar:
− PEEP CPAP = 5 cmH2O
3.7.4 Verifique durante os ciclos mandatórios, o volume e o valor do PEEP no
gráfico P x t.

Código do Manual:204010114 62 REV A


3.7.5 Verifique se ao estimular o balão durante o intervalo de JANELA o ciclo é
disparado. E se aparece a mensagem ASSISTIDA: TRIGGER
PRESSÃO, aumentando a freqüência respiratória na lateral direita do
monitor.
3.7.6 Ajustar:
− No menu, pressão de disparo = OFF
− No menu, fluxo de disparo = 4 lpm
3.7.7 Verifique se ao estimular o balão durante o intervalo de JANELA o ciclo é
disparado. E se aparece a mensagem ASSISTID A: TRIGGER FLUXO,
aumentando a freqüência respiratória na lateral direita do monitor.
3.7.8 Ajustar:
− No menu, pressão de disparo = 2 cmH2O
− No menu, fluxo disparo = OFF
− No menu, pressão de suporte = 10 cmH2O
3.7.9 Verificar no gráfico P x t do monitor, se ao estimular o balão um ciclo é
iniciado e se este ciclo possui uma pressão de suporte de 10 cmH2O,
apresentando no display a mensagem ESPONTÂNEA: TRIGGER
PRESSÃO.

3.8 - Inspecionar a modalidade SIMV/P

3.8.1 Através da tecla MODO, mudar para a modalidade SIMV/P.


3.8.2 Verificar:
− Modalidade = SIMV/P
− Volume = ----
− Freq. = 9 rpm
− Relação = 1:4.0
− Platô = ----
− Pressão Limite = 15 cmH2O
− PEEP = 0 cmH2O
3.8.3 Ajustar:
− PEEP = 5 cmH2O
3.8.4 Verifique durante os ciclos mandatórios, o valor da P Máx e do PEEP no
gráfico P x t.
3.8.5 Verifique se ao estimular o balão durante o intervalo de JANELA o ciclo é
disparado. E se aparece a mensagem ASSISTIDA: TRIGGER PRESSÃO,
aumentando a freqüência respiratória na lateral direita do monitor.
3.8.6 Ajustar:
− No menu, pressão de disparo = OFF
− No menu, fluxo de disparo = 4 lpm
3.8.7 Verificar se ao estimular o balão durante o intervalo de JANELA o ciclo é
disparado. E se aparece a mensagem ASSISTIDA: TRIGGER FLUXO,
aumentando a freqüência respiratória na lateral direita do monitor.
3.8.8 Ajustar:
− No menu, pressão de disparo = 2 cmH2O
− No menu, fluxo disparo = OFF
Código do Manual:204010114 63 REV A
− No menu, pressão de suporte = 10 cmH2O
3.8.9 Verificar no gráfico P x t do monitor, se ao estimular o balão um ciclo é
iniciado e se este ciclo possui uma pressão de suporte de 10 cmH2O,
apresentando no display a mensagem ESPONTÂNEA: TRIGGER
PRESSÃO.

3.9 - Inspecionar a modalidade PCV - Infantil

3.9.1 Montar o circuito respiratório infantil e o balão de 500 ml com resistência


50 no SIVA.
3.9.2 Ligar o Ventilador.
3.9.3 Aguardar o auto teste das válvulas.
3.9.4 Escolher um peso de 6,5 Kg e 8 ml/kg.
3.9.5 Se necessário ajustar inicialmente um fluxo maior no fluxômetro até que o
topo do fole encoste na campânula e após isto ocorrer retorne o fluxo
para 2 l/min.
3.9.6 Pressionar STAND BY para o Ventilador entrar em funcionamento.
3.9.7 Verificar:
− Modalidade = PCV
− Volume = ----
− Freq. = 27 rpm
− Relação = 1:2.0
− Platô = ----
− Pressão Limite = 15 cmH2O
− PEEP CPAP = 0 cmH2O
3.9.8 Ajustar:
− PEEP = 5 cmH2O
3.9.9 Verificar no gráfico P x t do monitor os valores da P Max e do PEEP, na
lateral direita superior do display a pressão atingida no último ciclo e na
lateral esquerda inferior do display a informação do paciente INF.
3.9.10 Desconectar o ramo expiratório da base pneumática e obstrui-lo, verificar
se após aproximadamente dois ciclos aparecerá a mensagem
“PRESSÃO ALTA OU OBSTRUCAO NA EXP”, e se quando a pressão
no circuito respiratório superar o valor da pressão limite ajustada
ocorrerá uma despressurização do sistema através da válvula de
sobrepressão.

3.10 - Inspecionar a modalidade SIMV/P - infantil

3.10.1 Através da tecla MODO, mudar para a modalidade SIMV/P.


3.10.2 Verificar:
− Modalidade = SIMV/P
− Volume = ----
− Freq. = 16 rpm
− Relação = 1:4.0
− Platô = ----
Código do Manual:204010114 64 REV A
− Pressão Limite = 15 cmH2O
− PEEP = 0 cmH2O
3.10.3 Ajustar:
− PEEP = 5 cmH2O
3.10.4 Verifique durante os ciclos mandatórios, o valor da P Máx e do PEEP no
gráfico P x t.
3.10.5 Verifique se ao estimular o balão durante o intervalo de JANELA o ciclo é
disparado. E se aparece a mensagem ASSISTIDA: TRIGGER
PRESSÃO, aumentando a freqüência respiratória na lateral direita do
monitor.
3.10.6 Ajustar:
− No menu, pressão de disparo = OFF
− No menu, fluxo de disparo = 4 lpm
3.10.7 Verificar se ao estimular o balão durante o intervalo de JANELA o ciclo é
disparado. E se aparece a mensagem ASSISTIDA: TRIGGER FLUXO,
aumentando a freqüência respiratória na lateral direita do monitor.
3.10.8 Ajustar:
− No menu, pressão de disparo = 2 cmH2O
− No menu, fluxo disparo = OFF
− No menu, pressão de suporte = 10 cmH2O
3.10.9 Verificar no gráfico P x t do monitor, se ao estimular o balão um ciclo é
iniciado e se este ciclo possui uma pressão de suporte de 10 cmH2O,
apresentando no display a mensagem ESPONTÂNEA: TRIGGER
PRESSÃO.
3.10.10 Pressionar STAND BY.

3.11 - Inspecionar a modalidade VCV - Infantil

3.11.1 Montar o pulmoteste com resistência de 50.


3.11.2 Se necessário ajustar inicialmente um fluxo maior no fluxômetro até que o
topo do fole encoste na campânula e após isto ocorrer retorne o fluxo
para 4 l/min.
3.11.3 Pressionar STAND BY para o Ventilador entrar em funcionamento.
3.11.4 Através da tecla MODO, mudar para a modalidade VCV.
3.11.5 Verificar:
− Volume = 50 ml
− Freq. = 27 rpm
− Relação = 1:2.0
− Platô = 30 %
− Pressão Limite = 30 cmH2O
− PEEP = 5 cmH2O
3.11.6 Ajustar:
− Volume = 200 ml
− Freq. = 14
− PEEP = 0

Código do Manual:204010114 65 REV A


3.11.7 Verificar no gráfico Fxt do monitor o fluxo quadrado (constante) e o fluxo
máximo.
3.11.8 Verificar no monitor e no pulmoteste o volume apresentado.
3.11.9 Verificar no gráfico Fxt do monitor o patamar no final da inspiração com
fluxo zero.
3.11.10 Verificar se durante o platô o volume do pulmoteste não se altera.
3.11.11 Ajustar:
− Platô = 0 %
− PEEP = 5 cmH2O
3.11.12 Conectar o balão de 500 ml.
3.11.13 Verificar no gráfico P x t do monitor o PEEP no gráfico.
3.11.14 Desligar o Ventilador.

3.12 - Inspecionar a modalidade PCV – Neonatal

3.12.1 Montar o circuito respiratório neonatal e o balão de 50 ml com


resistência de 50 no SIVA.
3.12.2 Ligar o Ventilador.
3.12.3 Aguardar o auto teste das válvulas.
3.12.4 Escolher um peso de 0,8 Kg e 8 ml/kg.
3.12.5 Se necessário ajustar inicialmente um fluxo maior no fluxômetro até que
o topo do fole encoste na campânula e após isto ocorrer retorne o fluxo
para 2 l/min.
3.12.6 Pressionar STAND BY para o Ventilador entrar em funcionamento.
3.12.7 Verificar:
− Modalidade = PCV
− Volume = ----
− Freq. = 53 rpm
− Relação = 1:2.0
− Platô = ----
− Pressão Limite = 15 cmH2O
− PEEP = 0 cmH2O
3.12.8 Ajustar:
− PEEP = 5 cmH2O
3.12.9 Verificar no gráfico P x t do monitor os valores da P Max e do PEEP, na
lateral direita superior do display a pressão atingida no último ciclo e na
lateral esquerda inferior do display a informação do paciente NEO.
3.12.10 Ajustar:
− No menu, pressão de disparo = 1 cmH2O
− Freq. = 40 rpm
3.12.11 Verifique se ao estimular o balão um ciclo é disparado. E se aparece a
mensagem ASSISTIDA: TRIGGER PRESSÃO, aumentando a
freqüência respiratória na lateral direita do monitor.
3.12.12 Ajustar:
− No menu, pressão de disparo = OFF
− No menu, fluxo de disparo = 4 lpm
Código do Manual:204010114 66 REV A
3.12.13 Verifique se ao estimular o balão um ciclo é disparado. E se aparece a
mensagem ASSISTIDA: TRIGGER FLUXO, aumentando a freqüência
respiratória na lateral direita do monitor.
3.12.14 Pressionar STAND BY.

3.13 - Inspecionar Vazamentos

3.13.1 Conectar o rotâmetro de 0 a 300 ml (com a agulha toda aberta) na


saída UMIDIFICADOR da válvula expiratória do Ventilador.
3.13.2 Verificar se existe vazamento (de 0 a 300 ml/min).
3.13.3 Desligar o Ventilador.

Código do Manual:204010114 67 REV A


10 ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA E PNEUMÁTICA

1. Verifique inicialmente se a chave geral liga/desliga localizada no painel


osterior do Ventilador para Anestesia 678 encontra-se na posição
desligada (OFF).

2. Interligue a conexão de entrada de O2 localizada no painel posterior do


Ventilador para Anestesia 678 com a respectiva fonte de alimentação
deste gás. Utilize as extensões que acompanham o Ventilador.

3. Interligue uma das conexões de saída de O2 existente no Rotâmetro


Eletrônico com a conexão de O2 localizada no painel posterior do
Ventilador 678. Utilize a extensão de 50 cm que acompanham o
Ventilador 678.

Atenção
As pressões de alimentação de oxigênio e de ar comprimido deverão
encontrar-se na faixa entre 45 e 100 psi (310 e 690 kPa).
Conecte o filtro de ar que acompanha o aparelho entre a conexão de ar
comprimido do Ventilador e a respectiva extensão. O ar comprimido
da fonte deverá estar livre de umidade, óleo e impurezas.

Observações:
O Ventilador para Anestesia 678 Smart está equipado com válvulas
reguladoras de pressão internas, podendo ser conectado diretamente na
saída de gases de rede dos hospitais instalados conforme normas vigentes.
Portanto, não é recomendada a utilização de válvula reguladora externa.

4. Alimente o Ventilador para Anestesia 678 com uma rede elétrica de 110
ou 220 VAC, através do cabo de força que acompanha o aparelho.

LIGAÇÃO
PINO 110V 220V
1 2 1 NEUTRO FASE
2 FASE FASE
3 TERRA TERRA

Figura 10.1: Tomada elétrica de três pinos, do tipo Nema 5-15P.

Código do Manual:204010114 68 REV A


Observação:
O Ventilador poderá ser alimentado indiferentemente com 110 ou 220
VAC, pois possui seleção automática de voltagem.

5. Ventilador 678 possui uma bateria interna recarregável, que permite a


utilização temporária do aparelho sem este estar interligado à rede
elétrica. Havendo uma falha na rede elétrica, o Ventilador passará
automaticamente a ser alimentado através de sua bateria interna, e a
ventilação não será interrompida. O indicador de alimentação elétrica
ficará piscando e haverá um alarme de FALHA DE REDE ELÉTRICA,
enquanto o Ventilador estiver sendo alimentado por sua bateria interna.

Código do Manual:204010114 69 REV A


11 MANUTENÇÃO

1. No mínimo uma vez por mês, verifique se os tubos, sensores, cabos e


outros componentes do Ventilador 678 não estão danificados, gastos ou com
fissuras. Havendo qualquer dano, providencie a troca do componente. Não utilize
componentes danificados.

2. O diafragma da válvula expiratória deverá ser cuidadosamente


inspecionado pelo menos uma vez por mês, verificando-se a sua integridade.

3. O diafragma da válvula expiratória deverá ser substituído pelo menos uma


vez a cada 6 (seis) meses, e sempre que necessário.

Observação:
A fixação do bloco da válvula expiratória no painel frontal de conexões do
Ventilador deverá ser feita com bastante firmeza, para que não haja
vazamento de gases. Verifique periodicamente o perfeito estado do anel de
vedação (O-ring).

4. Verifique as condições e substitua periodicamente os tubos corrugados do


circuito respiratório, pois estes se constituem em componentes de desgaste
normal.

5. Se a pressão máxima inspiratória não atingir o valor esperado, verifique


inicialmente:
· se não há vazamentos no circuito respiratório;
· se todas as conexões estão firmes;
· se o controle de pressão não está regulado muito baixo;
· se o controle de volume corrente não está regulado muito baixo;
· se a pressão da rede de O2 não está muito baixa;
· se o conjunto da válvula expiratória está corretamente montado, com um
diafragma limpo e em perfeitas condições.

6. Se o volume corrente não atingir o valor esperado, verifique inicialmente;


· se não há vazamentos no circuito respiratório;
· se todas as conexões estão firmes;
· se o controle de pressão não está regulado muito baixo;
· se a pressão da rede de O2 não está muito baixa;
· se o conjunto da válvula expiratória está corretamente montado, com um
diafragma limpo e em perfeitas condições.

Código do Manual:204010114 70 REV A


7. Se não conseguir alimentar normalmente o Ventilador 678 com a rede
elétrica, verifique inicialmente:
· se existe energia elétrica na tomada da rede elétrica a qual o Aparelho de
Anestesia está conectado;
. se os fusíveis da tomada de entrada de energia elétrica do Móvel do
Aparelho de Anestesia não estão queimados;
. se o fusível da tomada VENTILADOR do Móvel não está queimado;
. se o fusível do Ventilador não está queimado;
· se a pressão da rede de O2 não está muito baixa;

8. Utilize somente os sensores, cabos e tubos especificados pela TAKAOKA


para o Ventilador 678.

9. Não utilize o Ventilador 678 caso o autoteste aponte alguma irregularidade.


Providencie então a solução do problema apresentado, através de um
representante autorizado TAKAOKA.

10. O Ventilador deverá ser submetido a uma revisão anual por um técnico
autorizado pela TAKAOKA, para uma nova calibração.

Bateria interna recarregável:

· Mantenha sempre que possível a bateria interna com a sua carga máxima,
para uma maior vida útil desta. Descargas constantes da bateria diminuem o seu
tempo de vida útil.
· A bateria interna é selada, não necessitando de manutenção. Caso a
bateria apresente algum problema de funcionamento, providencie a Assistência
Técnica autorizada TAKAOKA.
· Caso não consiga carregar normalmente a bateria com a rede elétrica,
verifique se existe energia na tomada da rede.

Atenção
Utilize somente peças de reposição originais TAKAOKA. A utilização
de peças não originais poderá colocar em risco a segurança do
paciente.
Não realize nenhum serviço interno no Ventilador 678, e não abra a
sua caixa. Para a realização de qualquer manutenção interna no
Ventilador ou para uma revisão periódica, providencie a Assistência
Técnica autorizada TAKAOKA.

Código do Manual:204010114 71 REV A


12 PROGRAMA DE REVISÃO - N. SÉRIE =

As revisões devem ser semestrais e solicitadas pelo usuário.

Revisão Semestral

Item OK NOK Observações


1. Aparência geral pintura
2. Entrada de O2 rosca e conexão
vazamentos
3. Pressão da válvula reguladora de
O2. ( 35 ± 2 psi )
4. Chave liga/desliga
5. Entrada da rede elétrica
6. Saída serial RS-232C
7. Entrada para bateria de 12 V
externa
8. Funcionamento do potenciômetro
de contraste
9. Funcionamento do alto falante
10. Conexão azul do sensor de fluxo
11. Conexão branca do sensor de
fluxo
12. Conexão do sensor de O2
13. Conexão do nebulizador/TGI
14. Sistema de fixação do bloco
INS/EXP – Rosca e Parafuso
15. Diafragma
16. Leds do bargraph
17. Led de Rede elétrica
18. Led de Bateria
19. Display de controle do para
Anestesia 678
20. Teclado de Membrana
21. Funcionamento geral do
equipamento
22. Anotar Versão do para
Anestesia 678
23. Porta fusível do Ventilador

Código do Manual:204010114 72 REV A


Substituir a cada 6 meses

Item Observações
1. Diafragma

Substituir a cada 2 meses

Item Observações
1. Linha do sensor de fluxo

Revisão anual

Item OK NOK Observações


1. Executar os itens da Revisão
Semestral
2. Limpeza interna do para
Anestesia 678
3. Reajuste eletrônico do para
Anestesia 678

Código do Manual:204010114 73 REV A