Você está na página 1de 5

Universidade de Évora

Escola de artes
Departamento de música

Teorias da aprendizagem em música

Mestrado em ensino da música


Didática Específica ao ensino vocacional da música II
Docente: Professor Dr. Gonçalo Pescada;
Discente: Carla Martins
M44388
Introduçao:
Edwin Gordon

A escolha pela teoria da aprendizagem musical de Edwin Gordon deve-se ao principal


facto da sua importância quanto pesquisador pela psicologia musical e o seu
desenvolvimento.

Gordon defendia que todos os seres humanos nascem capacitados para a aptidão
musical, no entanto, esta poderia desenvolver-se ou não consoante os estímulos
exteriores e aculturação (processo de contacto com outras culturas e vivências).

Preocupando-se com as diferenças musicais entre as pessoas e de que forma um


profissional da música/docente pode garantir uma maior abordagem para que o seu
discente tenha o máximo de potencial, Gordon elaborou uma pesquisa apelidada de:
“Music Learning Theory” girando em torno de uma palavra fulcral: Audiação.

E o que é a audiação?

Audiação assume-se como a capacidade de ouvir e compreender a música sem a


existência física de som. A capacidade de audiação não nasce pré-estabelecida, ao seja
quanto mais vezes a colocarmos em prática mais frutos poderemos retirar dela.
Passando por várias etapas distintas.

Esquema Resumido dos Tipos e Estádios de Audiação Preparatória (Título


original na tradução Portuguesa)

TIPOS ESTÁDIOS

1. ACULTURAÇÃO 1. ABSORÇÃO: ouve e coleciona


auditivamente os
Desde o nascimento até aos 2-4 anos:
sons da música ambiente.
participa com pouca consciência do meio
ambiente
2. RESPOSTA ALEATÓRIA:
movimenta-se e balbucia em resposta aos
sons da música ambiente, mas sem
estabelecer relação com os mesmos.

3. RESPOSTA INTENCIONAL: tenta


relacionar movimentos e balbucio com os
sons da música
ambiente.

2. IMITAÇÃO 1. ABANDONO DO
EGOCENTRISMO: reconhece
Dos 2-4 aos 3-5 anos: participa com
pensamento consciente/concentrado que o movimento e o balbucio não
primariamente no ambiente condizem com os sons da música
ambiente.

2. DECIFRAGEM DO CÓDIGO: imita


com alguma precisão os sons da música
ambiente, especificamente
padrões tonais e rítmicos.

3. ASSIMILAÇÃO 1. INTROSPECÇÃO: reconhece a


falta de coordenação
Do 3-5 aos 4-6 anos: participa com
pensamento consciente concentrada em entre canto, entoação, respiração e
si própria. movimento.

2. COORDENAÇÃO: coordena o
canto e a entoação
com a respiração e o movimento.

Figura 1 Estádios da audiação

Este conceito, resultou de uma constante observação ao comportamento e evolução de


crianças. Defendendo que os pais têm uma importância fulcral na aprendizagem musical
de seus filhos.
Da mesma maneira que os pais estimulam a linguagem corrente das suas crianças
também devem cultivar a criança a cantar, existindo vários estudos defendidos por
outros autores tais como:Trehub e Nakata , evidenciando que as mães que cantam para
seus filhos recém nascidos criam laços e vínculos afetivos que prendem mais a atenção
da criança.
Devido às rotinas diárias dos pais e avós, é necessário deixar as crianças nos infantários
desde muito cedo, e por isso a importância de profissionais da música que estejam
plenamente sensíveis a esta causa.[ CITATION MAR15 \l 2070 ]

Você também pode gostar