Você está na página 1de 25

ARQUITETURA

DE
INTERIORES
Andreia Inês, Larissa Clepf, Luísa Santana e Rian Carvalho
O que é a Arquitetura de
• Funcionalidade
Interiores? • Execução
Arquitetura de interiores é responsável por projetar • Viabilidade financeira
um ambiente interno capaz de atender as necessidades do • Materiais utilizados
cliente, considerando diversos fatores. • Detalhes técnicos

Não é apenas deixar um ambiente bonito como muitos • Aspectos psicológicos


• Sensações
pensam, é uma área que vai muito além disso.
• Conforto Ambiental
Detalhes técnicos: O arquiteto de interiores além de fazer a escolha
• Circulação de ar do mobiliário, cores e materiais que serão utilizados no
• Acústica ambiente também trabalha com todas as partes técnicas
• Fluxo de pessoas que englobam um projeto. A conexão entre todos esses
• Instalações elétricas aspectos torna o espaço harmônico, funcional,
• Instalações hidráulicas confortável e interessante para seus usuários.

O projeto de interiores é fundamental para que um espaço funcione bem e para


melhorar a interação do usuário com o ambiente. Ao projetar um edifício também é
importante que a coerência entre os espaços internos e externos para que haja um bom
funcionamento do todo.
• Casas e apartamentos • Museus
Escritórios e coworking Clínicas médicas
Áreas de • •
• Aeroportos • Pontos comerciais
Atuação • Bibliotecas • Hospitais
• Espaços educacionais • Igrejas
Arquitetos de Interiores e
Suas Obras
Janete Costa
Graduação
• Arquitetura: Escola de Belas Artes de Pernambuco e Faculdade
Nacional de Arquitetura em Niterói.
1932 - 2008
• Planejamento de Interiores: Instituto Joaquim Nabuco.

Em sua concepção, a arquitetura deveria expressar uma identidade regional e


nacional ,portanto fez do seu trabalho uma extensão da cultura popular do Brasil.
Com sua arquitetura ajudou a construir a identidade moderna da
Influências arquitetura brasileira.
Burle Marx Utilizava em seus projetos elementos e recursos regionais,
Li Bo Bardi trabalhando diretamente com artesãos locais para trazer pro seu projeto
de interiores o que realmente idealizava. Elementos de Destaque
Sua obra era destinada à classe alta da sociedade Escadas
brasileira e sempre tinha a presença de peças populares em Rebaixamento de Teto
ambientes modernos e luxuosos. Dentre suas obras Portas Ornamentadas
encontram-se hotéis, restaurantes, escritórios e a grande Pedestais
maioria é de casas e apartamentos. Septos
Essa ligação que fazia entre sua arquitetura e a arte popular e lhe rendeu
reconhecimento mundial, promoveu exposições em Portugal, EUA e França.
No Brasil, recebeu premiações do Museu da Arte Moderna no Rio de Janeiro e foi
eleita como melhor arquiteta do país por três anos consecutivos pelo Instituto dos
Arquitetos do Brasil.
Arquitetos de Interiores e
Suas Obras
Janete Costa

Obra: Residência de Janete Costa e Acácio Borsoi no RJ.


A obra analisada faz parte da fase consolidada da carreira de Janete Costa, cujo
marco é a comemoração dos seus 30 anos de carreira. Além de ser a obra mais publicada em
revistas e jornais foi a residência da arquiteta e seu marido por quase 20 anos.
Por ser sua própria residência acredita-se que o projeto seja a síntese de todo seu
pensamento, estilo de vida e interesses.
O projeto arquitetônico é de Acácio, seu marido, porém Janete participou ativamente
de sua elaboração, pois tinha em mente pontos cruciais e aspectos importantes para a
ambientação já que o projeto de interiores é dela.
A planta da residência é em diferentes níveis por causa
do terreno e divide os espaços em relação a
acessibilidade e visibilidade. Os ambientes sociais
ficaram em locais mais acessíveis que os ambientes
íntimos. O desnível da casa não interferiu na visibilidade
devido a planta aberta e a utilização de vidros.

As paredes são brancas para dar destaque


ao colorido das peças decorativas. A
utilização de bastante vidro permite a
interação do interior com o exterior, além e
garantir a livre entrada de luz natural.
Arquitetos de Interiores e Janete Costa
Suas Obras
Em seus projetos, Janete sempre dá destaque para a
porta de entrada, mas nesse caso, o destaque fica para
uma outra porta no hall de entrada. Porta de uma armário
vinda de uma capela demolida do período colonial em
madeira com almofadas esculpidas.
Ela fez do hall de entrada um mirante, fazendo com que o
visitando tenha uma vista ampla do local e dos elementos
que encontrará pela residência, sempre privilegiando o
posicionamento dos elementos decorativos artísticos
para serem percebidos à primeira vista.
Outro destaque do hall é a escultura em bronze a qual é
iluminada pela claraboia acima dela.
A planta livre da residência proporciona uma amplitude
visual e os diferentes níveis revela aos poucos seus
elementos compositivos.

A primeira sala de estrar também foi projetada como um


mirante da residência e da vista exterior. Apesar da
presença de uma mesa próxima a um grande painel de
vidro, não foi projetada como um local de permanência.

Além da iluminação natural presente na


residência, Janete utilizava spots para destacar
seus objetos de decoração .
Arquitetos de Interiores e Janete Costa
Suas Obras
Nesse ambiente destacam-se diversos objetos
artesanais, peças de coleção, esculturas e um
cavalo de carrossel do séx. XVIII, uma das peças
favoritas do casal que recebeu um local de grande
destaque e ampla visibilidade.

A segunda sala de estar era o ambiente mais


utilizado da casa, é um ambiente mais
aconchegante e convidativo. Nesse ambiente
podemos destacar uma grande característica da
arquiteta, a interação entre artigos de luxo e arte
popular, pois temos uma chaise Charles &
Eames ao lado de uma imagem barroca em
madeira de São Miguel Arcanjo.

A varanda é uma extensão da sala de


estar com mesas em pedra e cadeiras
em fibra natural que trazem a sensação
de conforto para a área externa
também. Também há a presença de
plantas e artesanato.
Arquitetos de Interiores e
Suas Obras
Renata Coppola
Graduação
• Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Paulista
• Design de Interiores pela EPA – Escola Panamericana de Artes

Seu estilo preza pelo conforto nos ambientes e seu olhar aos detalhes minuciosos
encanta seus clientes. Outra característica importante da arquiteta é a busca constante pela
perfeição em seus projetos.
Renata Coppola conta com uma equipe especializada de arquitetos em seu escritório
e atende vários segmentos como o residencial e corporativo nas áreas de arquitetura,
decoração de interiores, jardins e reformas.

Elementos de Destaque Participações em eventos:


Paredes com detalhes amadeirado • Mostra Artefacto entre 2007 e 2010 e em 2014;

Plantas em ambientes internos • Casa Cor SP entre 2011 e 2013


• Shopping Market Place em 2011
Iluminação indireta
• Salão de Design de Interiores em 2010
• Mostra Internacional CAD em 2007 e 2008
Em 2009 recebeu um importante • Espaço Cultural da Revista Veja na Riviera de São
prêmio “Mãos e Mentes que Lourenço em 2007
Brilham”, concedido pela República • Full House em 2006

Federativa do Brasil. • Mostra FDSP em 2005 e 2006.


Arquitetos de Interiores e Renata Coppola
Suas Obras
Obra: Reforma de um Apartamento em São Paulo.

Uma das últimas obras da arquiteta e está em destaque em seu site profissional. Essa
obra também foi destaque na Casa Novah por Leticia Rufino, Design de Interiores filiada à
Associação Brasileira de Designers de Interiores – ABD.

Na sala de estar optou por paredes brancas


para destacar os detalhes em madeira nas
paredes, o mobiliário e adornos utilizados no
ambiente.

Renata colocou sua personalidade na


sala de TV utilizando os três elementos
que costuma colocar em destaque em
seus projetos, são eles: detalhe
amadeirado, as plantas no interior e a
iluminação indireta.
Os ambientes de descanso seguem a
mesma linguagem do restante da
residência, com paredes claras e
utilização de madeira trazendo uma
sensação de conforto muito grande e
importante para o ambiente.
Arquitetos de Interiores e Renata Coppola
Suas Obras

A utilização de plantas internas está sempre presente


em seus projetos trazendo sensação de tranquilidade,
aconchego e harmonia entre os ambientes.

Renata sempre harmoniza seus ambientes


com paredes brancas, quadros grandes, e
móveis com cores fazendo com que todos
os elementos tenham uma conexão entre si
e com o ambiente.
Arquitetos de Interiores e
Suas Obras
Patrícia Urquiola

Arquiteta pelo Politécnico de Madrid em 1989 e


designer de interiores

No começo de sua carreira, Patrícia trabalhou em importantes escritórios, o que a


ajudou ser reconhecida internacionalmente por seus projetos.
Atualmente trabalha com marcas famosas, projetando grandes hotéis, edifícios,
escritórios e lojas, o que a faz ser considerada uma arquiteta que trabalha com projetos de
classe alta.
Em 2001 abriu seu próprio estúdio, onde trabalha como designer e arquiteta de
interiores. Patrícia tem funcionários de diferentes nacionalidades, e divide as vagas para
que haja a mesma quantidade de funcionários femininos e masculinos.

Obras neutras e Ela é uma inspiração para as mulheres


sofisticadas, assim como que sonham em entrar para o mercado
obras coloridas e de trabalho no ramo da arquitetura e
chamativas. designer.

Segundo Patrícia, cada projeto possui um processo distinto mas o mesmo ponto de
partida: o diálogo com o cliente. Para ela é importante criar uma sintonia entre sua bagagem
cultural, seu conhecimento sobre arquitetura e o desejo do cliente.
Arquitetos de Interiores e
Suas Obras
Patrícia Urquiola
Obra: Mandarim Oriental Hotel

Patrícia Urquiola teve como maior intuito nessa obra,


transformar a antiga sede do Banco Hispano-
Americano em um Hotel.
Criou uma rampa de acesso suspensa
e brilhante que atravessa um pátio e
leva à entrada do hotel.
Nas janelas fez molduras, que
acrescentam a elas profundidade,
juntamente com as luzes amarelas.
As cores utilizadas transmitem uma
sensação de conforto e hospitalidade

Nesse ambiente faz o uso de espelho no teto com o intuito de ampliar o espaço.

Patrícia usa o rebaixamento do teto para deixa


o quarto mais aconchegante e acolhedor. O
espelho no centro novamente é utilizado para a
ampliação do cômodo. As cores claras trazem
um ar relaxante e “limpo” para o quarto.
Arquitetos de Interiores e Patrícia Urquiola
Suas Obras

A arquiteta brinca com formas


e iluminação em um dos
restaurantes do hotel, fazendo
projeções nas paredes ao
iluminar a estrutura branca
presa no teto.

Já nesses outros dois usa tons escuros


e baixa iluminação deixando o ambiente
mais íntimo e próximo. Os detalhes
dourados traz sofisticação e o prata da
segunda, um ar mais jovial.
Arquitetos de Interiores e
Suas Obras
Dudi Duarte

Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade


Presbiteriana Mackenzie em 2012.

Dudi atua no mercado de arquitetura, tendo em foco a arquitetura de interiores,


residências, comércios e decoração de ambientes corporativos.
Em grande parte de suas obras ela aplica a técnica do Feng Shui, sua experiência e
conhecimento são usados para aprimorar a experiência das pessoas no espaço.
Também é influenciadora digital, palestrante, empresaria e popularmente conhecida
com “Arquiteta os famosos”. Tem seu próprio escritório desde 2014, e suas obras já
ultrapassam de 100.
Trabalha com elementos orgânicos, como

Elementos de Destaque madeira e derivações, e na maioria dos projetos


utiliza tons neutros, nuances de azul e uso
Tonalidades azuis e neutras
abundante de revestimentos e acabamentos que
Uso de amadeirados
estão em alta no mercado.
Iluminação natural
Espaços abertos Inspirações
Roberto Migotto
Trabalha no mercado nacional e
Márcio Kogan
internacional, tendo obras em países
como Brasil, Angola, Estados Unidos e
Arquitetura contemporânea

Itália. Viagens; Hoteis; Restaurantes


Arquitetos de Interiores e Dudi Duarte
Suas Obras Obra: Apartamento em Moema, São Paulo

Essa obra demonstra a forma em que Dudi


expressa sua personalidade, acompanhado
do desejo do cliente. Sua ligação com
amadeirados e as tonalidades azuis.

Em seu projeto os destaques são a sala de estar, juntamente com a sala de jantar. Tendo
foco o pórtico iluminado em freijó (cobertura feita de um tipo de madeira) que usado para
emoldurar a janela, acoplado em um banco com gavetões, criado para a funcionalidade, o
pórtico chama a atenção para a janela onde a iluminação natural é grandemente explorada.
Arquitetos de Interiores e Dudi Duarte
Suas Obras
Um projeto com variedades de armários,
que para não pesar o ambiente foram
pintados das mesmas cores que as paredes.

Grande abundância em detalhes, decorações


relacionadas nas cores em que a arquiteta esbanja, trás
também a quebra de paredes que tanto expressa a
personalidade da Dudi, que demonstra amplitude,
aumento de iluminação e uso da técnica Feng Shui.
Aplicabilidade na Região
Entrevistas
Realizamos duas entrevistas com arquitetas que atuam com interiores em diferentes regiões do
país. Escolhemos a Dudi Duarte, cujo campo de atuação é São Paulo capital e a arquiteta Ramsine
Kézia de Varginha, MG. As duas trouxeram sua visão em relação aos pontos mais importantes de um
projeto, suas inspirações e perspectivas futuras para a área.

Segundo a arquiteta, ela vem de uma família de arquitetos e sempre gostou


visitar obras quando criança, gosta muito de decoração e por isso escolheu
seguir a carreira da arquitetura. A arquitetura de interiores surgiu em sua vida
devido a sua cidade de atuação, pois como ela mesma disse, em São Paulo
não existem muitas casas para construção. Os pontos mais importantes para

Dudi ela em um projeto é a estética atrelada a funcionalidade, sempre pensando no

Duarte cliente. Ela gosta de trabalhar com espaços abertos, elementos orgânicos como
madeira, tecidos leves, plantas e sempre utiliza tons de azul, trabalhando todos
em conjunto ao Feng Shui para criar espaços confortáveis.

Ramsine sempre gostou de desenhar e de coisas ligadas à arte, por isso,


escolheu fazer arquitetura.. Ela acredita que a ligação dos clientes com o
interior de uma obra é mais forte e por isso escolheu trabalhar nessa área.
Apontou todos os pontos difíceis no dia a dia de um escritório e do início da Ramsine
carreira, como se posicionar no mercado, conquistar clientes pelo seu trabalho e Kézia
gerir uma equipe. Se inspira muito na natureza e gosta de trabalhar a
sustentabilidade em seus projetos. Defende que os aspectos mais importantes
ao projetar são as preferências do cliente que atrelado ao seu conhecimento
técnico resultam em projetos esteticamente bonitos, com conforto e
funcionalidade.
Entrevista: Dudi Duarte
Por que você escolheu arquitetura e urbanismo? E por que você escolheu trabalhar com interiores?
Eu sempre falo que nasci arquiteta rs, tinha arquitetos na família e meu programa favorita quando criança
era ir pra obra com meu avô e sentir aquele cheiro de cimento molhado. Escolhi interiores porque sempre
amei decoração, mas principalmente o “interiores” me escolheu, principalmente morando em São Paulo,
não existem muitas casas para construção.

Quais são suas maiores inspirações?


Viagens, hotéis, restaurantes e alguns arquitetos
brasileiros como Suíte Arquitetos, Jacobsen
Arquitetos, Roberto Migotto, Marcio Kogan, entre
outros de arquitetura contemporânea e cheia de
madeira.

Qual projeto você mais gostou de realizar? E qual você mais se identifica?
Um triplex no Itaim. O prédio foi feito pelo Marcio Kogan e nós fizemos o interiores, ficou lindo demais!
Cheio de design italiano misturado com brasileiro. É também o que eu mais me identifico, rs, até mais que
minha própria casa que fiz com muito amor, rs.

Quais aspectos você acha mais importante na hora


projetar um ambiente? Por que?
Levar em consideração a estética, atrelada a
funcionalidade. Sempre pensar na pessoa que vai
morar ali.
Entrevista: Dudi Duarte
Como você trabalha o conforto ambiental em seus projetos?
Sempre gosto de quebrar as paredes para termos ambientes mais amplos, em que o ar circule melhor, com
grandes aberturas, plantas, tecidos leves e materiais orgânicos.

Como você trabalha a iluminação em seus projetos?


Gosto de lâmpadas de temperatura morna, não
muito amarelas para não mudar a cor real das
coisas, e não muito brancas para não ficar com cara
de escritório, rs.

Qual o motivo de você sempre utilizar tons de azul e madeira em seus projetos?
Eu adoro madeira, acho aconchegante e elegante, sempre criamos espaços confortáveis com base no
Feng Shui. E o azul além de ser chique sempre combina com tudo rs.
Fale um pouco da sua rotina.
Hoje eu faço mais comercial e criação. Sou sempre eu que saio com os clientes, vou as lojas, faço reuniões
de briefing, cuido das redes sociais sozinha, além da parte burocrática de gerenciar o advogado,
administrativo, contador e a equipe como um todo.

E para finalizar, qual sua expectativa futura para os


arquitetos de interiores?
Acho que se trabalhar nas redes sociais, divulgar
bem o trabalho, serão muito realizados.
Entrevista: Ramsine Kézia
Por que você escolheu arquitetura e urbanismo? E por que você escolheu trabalhar com interiores?
Eu desde pequena sempre gostei de desenhar, de colorir, coisas ligadas à arte e na hora de fazer vestibular lembro que
fiquei na dúvida entre direito e arquitetura, porque na minha família a maior parte das pessoas fazem direito, mas por
gostar de arte eu lembro que na semana da decisão eu estava assistindo aula de história e estava desenhando e ouvindo a
professora falar, ai a professora passou na minha mesa e falou “Ramsine, que direito o que menina, você tem que fazer
arquitetura”. Aquele dia foi o dia que marquei o x na opção arquitetura e o direito passou a ser minha segunda opção. E foi
sensacional, eu gosto de arquitetura desde o primeiro dia de aula até hoje. Eu não trabalho só com interiores, faço o
arquitetônico (aliás é o que eu mais gosto de fazer), mas eu acho que quando você faz só o arquitetônico da construção e
não trabalha o interior você não coloca a ligação do externo com o interno. E na realidade o interior é onde a pessoa tem
mais contato, onde o leigo entende mais, onde ele entende melhor o sofá, a mesinha, o tapete, o adorno, então, essa
ligação do leigo, do humano, do cliente, ela é mais forte com o interior do que com a arquitetura, muitas vezes a arquitetura
ele não entende tanto, por isso eu escolho trabalhar com interiores.
Como foi o início da sua carreira? Sua inserção no mercado de trabalho foi difícil?
Foi muito difícil. É muito difícil começar, é muito difícil ter trabalho pra você mostrar para as pessoas, é muito difícil a
gente se posicionar no mercado, ter clientes, é difícil pra caramba. E o início da minha carreira não foi diferente de todo
mundo. Eu aluguei uma sala, minha mãe mobiliou essa sala eu comecei a trabalhar e a ganhar um dinheirinho, e acredito só
um ano depois eu conseguia a pagar as contas do escritório, mas assim, me sustentar de fato, com possibilidade de sair
para ir em um restaurante, não faltar gasolina no carro, poder ir pra São Paulo por minha conta foi, tipo, uns três anos
depois que comecei a trabalhar.
Entrevista: Ramsine Kézia

Você fez algum curso de especialização em interiores?


Acha importante fazer cursos de especialização?
Sim, eu tenho uma pós graduação em iluminação e design
de interiores, eu a acho muito importante principalmente a
parte da iluminação. Acho que a iluminação da vida para o
espaço e determina se o espaço é bom ou ruim, uma
iluminação é uma coisa mais sensível, aliás, eu acredito
muito na iluminação, para mim é um dos itens mais
importantes na parte de interiores e o fato de ter feito essa
pós em iluminação e design de interiores me ajuda muito a
ter bastante noção na hora de projetar e entender as
necessidades do cliente.

Quais são suas maiores inspirações?


Eu gosto muito de me inspirar na natureza, por exemplo, o pôr do sol é uma coisa que me revigora as energias. Amo pegar
a bicicleta e sair pra andar na estrada de terra, ver a natureza em si, o verde, o chão de terra, o céu azul e ter o prazer de
ver o pôr do sol, eu acho isso sensacional, isso me inspira muito e me dá muita paz para poder trabalhar. Também me
inspiro em viagens, eu amo viajar e quando viajamos temos a possibilidade de entender como outras pessoas pensam e
outras maneiras de viver. Além de experimentar realmente, não é simplesmente você olhar na internet uma foto de um
restaurante, é você sentar no restaurante, sentir o cheiro, como é o atendimento das pessoas que trabalham ali, perceber
de fato detalhe a detalhe, ouvir o som, ver como as pessoas se comportam ali, saborear a comida, acho que esse tipo de
experiência pra mim é uma grande inspiração. Outro tipo de inspiração que eu busco são em pessoas que admiro,
arquitetos e designers que admiro, então sempre eu escolho algum que eu vou estudar um pouco o trabalho deles, ver
como eles pensam e agem e que me ajudam a me inspirar. Agora uma outra inspiração que eu acho super importante,
principalmente para interiores, para o exterior também, é se inspirar no próprio cliente, no que ele gosta, pensa, no que ele
é, nas características pessoais dele, acho que isso é uma boa referencia para projetar.
Entrevista: Ramsine Kézia
Como você trabalha o conforto ambiental em seus projetos?
Em um projeto de arquitetura, o primeiro ponto que a gente pensa é nesse tipo de conforto. Você chega em um terreno, a
primeira coisa que você precisar saber é onde está o norte, a partir do norte nós estamos falando de sol, de fachadas
que serão mais ou menos insoladas, onde você vai colocar o quarto que tem que bater sol de manhã ou alguma hora dia,
onde você vai colocar uma sala que não é desejado que bata muito sol, onde você vai colocar a piscina que tem que bater
sol na maior parte do tempo, então assim, o conforto ambiental é um dos primeiros pontos. Depois temos que olhar coisas
como ventilação, principalmente que ela seja cruzada para que a gente consiga uma boa circulação de ar na casa e ela seja
fresca para não ficar precisando ligar ar condicionado, olhar onde é o vento predominante, olhar para a iluminação natural
para que não seja necessário acender as luzes durante o dia. Falando de conforto ambiental, acho que nós estamos
falando de questões sustentáveis, trabalhar com energia solar, tanto para aquecimento de água como para a produção de
energia na casa, capitação de água da chuva, são vários itens que a gente faz pensando no conforto ambiental e
sustentabilidade do ambiente.

Quais aspectos você acha mais importante na hora projetar


um ambiente? Por que?
Eu acho que o mais importante é entender o cliente, saber o
que ele gosta, o que ele pensa, o que ele quer, e a partir da
minha leitura em relação ao cliente fazer uma proposta de
projeto. Então, eu acho que não é moda ou tendência, embora
seja importante, não é o que está na revista, programa de TV
ou vídeo da internet, não é nada disso, é o que é o cliente
Como você trabalha a iluminação em seus projetos?
passando pelo nosso filtro técnico e artístico dando uma
Iluminação para mim é um dos pontos mais importantes
direção para o que será o projeto.
do projeto. A iluminação é feita de claros e escuros, se
você jogar muita luz no ambiente você não está fazendo
a iluminação, esse é um entendimento que muitas vezes
quem está projetando não tem e é muito importante
pensar na coisa mais sutil da iluminação que é trabalhar
claros e escuros e também entender a necessidade do
projeto, porque cada projeto é um tipo de iluminação.
Entrevista: Ramsine Kézia
Qual projeto você mais gostou de realizar? E qual você mais se identifica?
Eu amo projeto residencial porque amo me envolver com as histórias das famílias, da pessoas, o que elas
pensam, como são, muitos se tornam amigos, pessoas próximas que convivemos depois no dia a dia, eu
gosto muito desse tipo de relação, é óbvio que não são todos os clientes que viram amigos próximos mas
muitos proporcionam esse tipo de ligação. Vou citar uma casa que gostei muito de ter feito, fica em Três
Corações e a cliente tem filhos, então você cria uma história com os filhos, com o marido, e vai tentando
atender as necessidades de cada um. Eles foram clientes muito atentos às orientações do projeto, muito
preocupados em fazer tudo da maneira correta, dando a devida importância a minha orientação na obra,
acho que isso foi muito bacana.
Vou citar dois projetos comerciais ligado a essa
identificação, também amo os projetos comerciais,
acho que neles você coloca colocar mais conceitos,
ligar a identidade de marca com o projeto, ligar o que
são os princípios, propósitos e missão da empresa
com o projeto, eu acho isso muito legal. São dois que
vou destacar, um ainda não está executado que é
projeto da Nova Safra, onde a gente criou uma
história, a família inteira trabalha na empresa, a gente
criou uma história super legal, desde o projeto
arquitetônico até o de interiores. O outro, que está
pronto, é o da Gripp Corretora de Seguros, é um
projeto que eu gosto muito das soluções estéticas e
funcionais, ficou muito bacana e tem uma linguagem
muito contemporânea, a proprietária da empresa tem
muito bom gosto e seguiu bem o projeto, então tudo
que foi proposto ela colocou no projeto o que deixou
a obra muito bonita.
Entrevista: Ramsine Kézia
Quais são suas maiores dificuldades na profissão?
É muito difícil ter clientes, vencer um mercado que muitas vezes o colega
cobra um preço muito baixo e vira uma concorrência de preço e não de
gosto ou identificação pelo seu trabalho. É difícil estabelecer processos
dentro do escritório para que a produção seja rápida e que a criação seja
uma coisa bacana e que tenha a ver com a história do cliente. É muito difícil
gerir o negócio em si, fazê-lo girar e ter sustentabilidade, gerar dinheiro
suficiente para pagar todo mundo e a empresa viver de forma saudável
porque são muitos gastos, bom é basicamente isso minhas dificuldades na
profissão.

Fale um pouco da sua rotina.


Minha rotina não é bem uma rotina, porque normalmente eu faço muita
coisa que não dá pra ser certinho, mas normalmente faço muitas
reuniões, encontro com clientes, sento a bunda na cadeira para
projetar, desenhar e ter ideias, também faço muita gestão de equipe e
de processos. Minha rotina é gestão, projetos e atender os clientes,
desde a reunião no escritório, visita na obra, em lojas e fornecedores.

E para finalizar, qual sua expectativa futura para os arquitetos de interiores?


Eu acho que é um campo bacana, acho que teremos muita área para trabalhar, se estamos falando de uma perspectiva
futura, vou colocar uma imediata agora, estamos passando por um período de quarentena, onde a realidade de trabalho
tende a mudar, muitas pessoas foram trabalhar em casa e não sabem exato se vão voltar pro escritório, se as empresas
vão permanecer abertas, se a empresa vai decidir que as pessoas vão ser home office e não vão precisar ir até o
escritório, as escolas não sabem quando vão retornar as aulas, se vai retornar no mesmo formato, se vai ter a
possibilidade de ter aula online, e quando pensamos nisso estamos falando diretamente na casa, que é o local onde as
pessoas estão, então o arquiteto vai ter um campo muito amplo para trabalhar dentro dessas casas porque a maior parte
das casas não estão preparadas para receber esse tipo ocupação, não tem uma casa realmente preparada para as
pessoas trabalharem, estudarem e permanecerem nela fazendo atividade física, de lazer, então acho que temos muito
trabalho nisso. E de forma geral, o interior é uma coisa que comunica a identidade de um negócio, comércio, empresa,
casa, então acho que tem muito espaço, a perspectiva ao meu ver é muito boa.
ARQUITETURA
DE
INTERIORES
Referências Bibliográficas
[1] BASTIAN, Winnie. Entrevista: Patricia Urquiola fala sobre design, carreira e muito mais. Casa Vogue, 2017. Disponível em:
<https://casavogue.globo.com/Design/noticia/2017/04/entrevista-patricia-urquiola-fala-sobre-design-carreira-e-muito-mais.html>. Acesso em: 25 abr. 2020.
[2] CASA NOVAH POR LARISSA RUFINO. Renata Coppola: especialista em conforto, 2016. Disponível em: <http://www.casanovah.com.br/renata-coppola-
especialista-em-conforto/>. Acesso em: 29 abr. 2020.
[3] CASA VOGUE, 2019. Disponível em: <https://casavogue.globo.com/Interiores/apartamentos/noticia/2019/12/cobertura-em-predio-de-design-assinado-tem-decor-
repleto-de-brasilidade.html>. Acesso em: 26 abr. 2020.
[4] CORTIZO, Laura. Janete Costa: A marca da cultura popular na Arquitetura pernambucana. CAU/BR, 2018. Disponível em: < https://www.caubr.gov.br/janete-costa-
projeto-no-impeto-na-emocao-na-paixao/>. Acesso em: 30 mar. 2020.
[5] DUDI DUARTE, 2020. Disponível em: <https://www.dudiduarte.com.br/sobre/>. Acesso em: 26 abr. 2020.
[6] DUDI DUARTE, 2020. Disponível em: <https://www.dudiduarte.com.br/projetos/?categoria=comercial>. Acesso em: 26 abr. 2020.
FISHER, Rafael. O que é a arquitetura de interiores?. Como projetar. Disponível em: < http://comoprojetar.com.br/o-que-e-arquitetura-de-interiores/>. Acesso em: 20 fev.
2020.
[6] GÁTI, Andréa. ARTE E ARTESANATO NA ARQUITETURA DE INTERIORES MODERNA DE JANETE COSTA. 2014. f. 189. Dissertação (Mestrado em
Desenvolvimento Urbano - Universidade Federal de Pernambuco.
[7] GUIA DO ARQUITETO. Renata Coppola, disponível em: <https://www.essenciamoveis.com.br/guia-do-arquiteto/profissional/renata-coppola/>. Acesso em: 29 abr.
2020.
[8] JORNAL FOLK, 2018. Disponível em: <http://jornalfolk.com.br/site/ler?id=2604>. Acesso em: 26 abr. 2020.
[9] MASSAROTTO, Fernanda. Espanhola radicada em Milão é referência mundial em arquitetura e design. Gazeta do Povo, 2020. Disponível em:
<https://www.gazetadopovo.com.br/haus/design/patricia-urquiola-referencia-mundial-arquitetura-design/>. Acesso em: 25 abr. 2020.
[10] Patricia Urquiola: Inteligência e Sensibilidade. Westwing. Disponível em: <https://www.westwing.com.br/guiar/patricia-urquiola/>. Acesso em: 25 abr. 2020.
[11] RENATA COPPOLA ARQUITETURA. Quem somos. Disponível em: <http://www.renatacoppola.com.br/quemsomos>. Acesso em 29 abr. 2020.
[12] TURQUETO, Lucila. Janete Costa e sua Importância pro Artesanato Brasileiro. Casa de Valentina. Disponível em: < https://www.casadevalentina.com.br/blog/janete-
costa-importancia-pro-artesanato-brasileiro/>. Acesso em: 30 mar. 2020.
[13] URQUIOLA, Patricia. About. Patricia Urquiola. Disponível em: <http://www.patriciaurquiola.com/about/#patricia-urquiola>. Acesso em: 25 abr. 2020.

Você também pode gostar