Você está na página 1de 15

GRI - Especificação Padrão GM13

Especificação padrão para


“Métodos, propriedades e frequência de testes para Geomembranas lisas
e texturizadas de polietileno de alta densidade (PEAD)”

Essa especificação foi desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética (GRI), com a
cooperação das organizações membros para uso geral pelo público. É completamente opcional
a esse respeito e pode ser substituída por outras especificações existentes ou novas sobre o
assunto no todo ou em parte. Nem a GRI, o Instituto Geossintético, nem nenhum de seus
institutos relacionados, garante ou indeniza quaisquer materiais produzidos de acordo com esta
especificação, neste momento ou no futuro.

1 Escopo

1.1 Esta especificação abrange geomembranas de polietileno de alta densidade


(PEAD) com uma densidade de chapa formulada de 0,940 g/cm³ ou superior, na
faixa de espessura de 0,75 mm a 3,0 mm. Estão incluídas superfícies de
geomembrana lisa e texturizada.

1.2 Esta especificação estabelece um conjunto mínimo, máximo ou intervalo de


propriedades mecânicas e de resistência que devem ser atendidas ou excedidas
pela geomembrana fabricada.

1.3 No contexto de sistemas e gestão da qualidade, esta especificação


representa controle de qualidade de fabricação (MQC).

Nota 1: O controle de qualidade da manufatura representa as ações executadas


por um fabricante para garantir que o produto represente as condições objetivo
e propriedades estabelecidos nesta especificação.

1.4 Esta especificação padrão visa garantir a boa qualidade e desempenho das
geomembranas de PEAD em aplicações gerais, mas possivelmente não é
adequada para a especificação completa em uma situação específica. Testes

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
adicionais, ou valores mais restritivos para o teste indicado, podem ser
necessários sob condições de uma aplicação específica.

Nota 2: Ensaios adicionais ou valores mais restritivos para os ensaios indicados,


podem ser necessários nas condições de uma aplicação específica. Nesta
situação, são necessárias interações com os fabricantes.

Nota 3: Para obter informações sobre técnicas de instalação, os usuários deste


padrão obter informações na literatura sobre geossintéticos.

2 Documentos Referenciados

2.1 Padrões ASTM

D 792 Gravidade Específica (Densidade Relativa) e Densidade de Plásticos por


Deslocamento
D 1004 para Resistência ao Rasgo Inicial de Filme e Folha de Plástico
D 1238 para taxas de fluxo de termoplásticos por plastômetro de extrusão
D 1505 para Densidade de Plásticos pela Técnica Densidade-Gradiente
D 1603 para negro de fumo em plásticos de olefina
D 3895 para Tempo de Indução Oxidativa de Poliolefinas por Análise Térmica.
D 4218 para Determinação do Conteúdo de Negro de fumo em Compostos de
polietileno pela técnica de forno-mufla.
D 4833 para resistência à perfuração por índice de geotêxteis, Geomembranas
e produtos relacionados.
D 5199 para Medir a Espessura Nominal de Geotêxteis e Geomembranas
D 5397 Resistência à Fissura por Estresse de Geomembranas de Poliolefina
Usando Teste de Carga de Tração Constante Entalhada.
D 5596 para Avaliação Microscópica da Dispersão de Negro de Fumo em
Geossintéticos de Poliolefina.
D 5721 Prática para envelhecimento em forno estufa com circulação de ar de
geomembranas de poliolefina.

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
D 5885 para o tempo de indução oxidativa de geossintéticos de poliolefina por
calorimetria exploratória de varredura diferencial de alta pressão.
D 5994 Método de teste para medir a espessura do núcleo de Geomembranas
Texturizadas.
D 6370 para análise de composição de borracha por Termogravimetria (TGA)
D 6693 para determinar propriedades elásticas de materiais não reforçados e
Geomembranas de polietileno e polipropileno flexível não reforçadas.
D7238 para Efeito da Exposição de Poliolefina Não Reforçada em
Geomembrana usando dispositivo de condensação fluorescente.
D 7466 para Medir a Altura da Aspereza de Geomembranas Texturizadas.

2.2 Documento de orientação técnica da Agência de Proteção Ambiental dos


EUA "Qualidade Garantia de controle e controle de qualidade para instalações
de contenção de resíduos " EPA / 600 / R-93/182, setembro de 1993, 305
páginas.

3 DEFINIÇÕES

Controle de Qualidade da Fabricação (MQC) - Um sistema planejado de


inspeções usado para monitorar e controlar a fabricação de um material
originário da fábrica. MQC é normalmente realizada pelo fabricante de materiais
geossintéticos e é necessária para garantir o mínimo (ou máximo) valores
especificados no produto fabricado. MQC refere-se a medidas tomadas pelo
fabricante para determinar a conformidade com os requisitos de materiais e mão-
de-obra conforme declarados nos documentos de certificação e nas
especificações do contrato.
ref. EPA / 600 / R-93/182

Garantia de Qualidade de Fabricação (MQA) - Um sistema planejado de


atividades que fornece garantia de que os materiais foram construídos conforme
especificado nos documentos de certificação e especificações do contrato. O
MQA inclui inspeções, verificações, auditorias nas instalações de fabricação e
avaliação das matérias-primas (resinas e aditivos) e produtos geossintéticos
* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
para avaliar a qualidade dos materiais fabricados. MQA refere-se a medidas
tomadas pela organização, determinar se o fabricante está em conformidade
com a certificação e contrato do produto especificações para o projeto.
ref. EPA / 600 / R-93/182

Formulação - A mistura de uma combinação única de ingredientes identificados


por tipo, propriedades e quantidade. Para geomembranas de polietileno de
PEAD, uma formulação é definida por porcentagens e tipos exatos de resina(s),
aditivos e negro de fumo.

Nominal - Valor representativo de uma propriedade mensurável determinada


sob um conjunto de condições, pelo qual um produto pode ser descrito.
Abreviado como nom. nos quadros 1 e 2.

4 CLASSIFICAÇÃO E FORMULAÇÃO DE MATERIAIS

4.1 Esta especificação abrange geomembranas de polietileno de alta densidade


com uma densidade de chapa formulada de 0,940 g/cm³ ou superior. A
densidade pode ser medida pelo ASTM D1505 ou ASTM D792. Neste último
caso, o método B é recomendado.

4.2 A resina de polietileno a partir da qual a geomembrana é feita estará


geralmente na faixa de densidade de 0,932 g/cm³ ou superior e terá um valor de
índice de fluidez conforme ASTM D1238 inferior a 1,0 g/10 min.

4.3 A resina deve ser material virgem, com no máximo 10% de retrabalho. Se o
retrabalhado for usado, ele deverá ser um PEAD semelhante ao material original.

4.4 Nenhuma resina pós-consumo (PCR) de qualquer tipo deve ser adicionada
à formulação.

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
5 REQUISITOS DE PROPRIEDADE FÍSICA, MECÂNICA E QUÍMICA

5.1 A geomembrana deve estar em conformidade com os requisitos de


propriedade de teste prescritos nas tabelas 1 e 2. A tabela 1 é para
geomembranas PEAD lisas e a tabela 2 é para geomembranas de PEAD
texturizadas de um e dois lados. Cada uma das tabelas é fornecida em inglês e
unidades SI (Sistema Internacional).

Nota 3: As propriedades de resistência à tração nesta especificação foram


originalmente baseadas na norma ASTM D 638, que utiliza uma temperatura de
teste de laboratório de 23 ºC +/- 2ºC. Como o Comitê ASTM D35 de
Geossintéticos adotou a norma ASTM D 6693 (em vez de D 638), essa
especificação da GRI seguiu em conformidade. A diferença é que o D 6693 usa
uma temperatura de teste de 21ºC +/- 2ºC. Os valores numéricos de resistência
e alongamento não foram alterados nesta especificação. Se surgir alguma
dúvida a esse respeito, a temperatura original de 23 ° C ± 2 °C deve ser utilizada
para fins de teste.

Nota 4: Existem vários testes, às vezes incluídos em outras especificações de


geomembrana PEAD, que são omitidos deste padrão por estarem
desatualizados, irrelevantes ou gerarem informações que não são necessárias
para avaliação em uma base de MQC de rotina. Os seguintes testes foram
propositadamente omitidos:

• Perda volátil
• Transmissão de vapor de solvente
• Estabilidade dimensional
• Absorção de água
• Coef. Expansão Linear
• Resistência ao Ozônio
• Resistência ao Enterro do Solo
• Resistência Hidrostática
• Impacto a Baixa Temperatura
* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
• Impacto à Tração
• Teste ESCR (D 1693 e D 5397)
• Explosão em Pequena Escala
• Tração à Largura Larga
• Vários Testes de Toxicidade
• Transmissão de Vapor de Água
• Costura em Campo Força

Nota 5: Existem vários testes incluídos nesta norma (que normalmente não são
exigidos em outras especificações de geomembrana PEAD) porque são
relevantes e importantes no contexto dos processos de fabricação atuais. Os
seguintes testes foram adicionados propositadamente:
• Tempo de indução oxidativa
• Envelhecimento em estufa
• Resistência ultravioleta
• Altura da aspereza da folha texturizada

Nota 6: O valor médio mínimo da altura da aspereza não representa um valor


esperado da resistência ao cisalhamento da interface. A resistência ao
cisalhamento associada às geomembranas é específica do local e específica do
produto e deve ser determinada por testes de cisalhamento direto usando ASTM
D5321/ ASTM D6243, conforme prescrito. Esse teste deve ser incluído no
protocolo de teste de conformidade CQA do site específico para os materiais
geossintéticos envolvidos ou formalmente dispensado pelo Engenheiro de
Design, com a concordância do Proprietário antes da implantação dos materiais
geossintéticos.

Nota 7: Existem outros testes neste padrão, focados em uma propriedade


específica, que são atualizados para os padrões atuais. Estão nesta categoria:
• Espessura da chapa texturizada
• Resistência à perfuração
• Resistência à trincas por tensão

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
• Dispersão do negro de fumo (na visualização e na interpretação quantitativa
subsequente da ASTM D 5596, apenas devem ser incluídos na avaliação
aglomerados esféricos).

5.2 Os valores listados nas tabelas desta especificação devem ser interpretados
de acordo com o método de teste designado. Nesse sentido, eles não são os
valores médios mínimos do rolo (MARV) nem os valores médios máximos do
rolo (MaxARV).

5.3 As várias propriedades da geomembrana PEAD devem ser testadas nas


frequências mínimas mostradas nas Tabelas 1 e 2. Se o guia de controle de
qualidade do fabricante específico for mais rigoroso, deverá ser seguido da
mesma maneira.

Nota 8: Esta especificação está focada no controle de qualidade de fabricação


(MQC). Os testes de conformidade e testes de garantia de qualidade de
fabricação (MQA) ficam a critério do comprador e / ou engenheiro de garantia de
qualidade, respectivamente.

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
6 ACABAMENTO E APARÊNCIA

6.1 A geomembrana lisa deve ter boa qualidade de aparência. Deve estar livre
de defeitos que possam afetar as propriedades especificadas e a integridade
hidráulica da geomembrana.

6.2 A geomembrana texturizada deve, geralmente, ter aparência uniforme de


texturização. Deve estar livre de defeitos que possam afetar as propriedades
especificadas e a integridade hidráulica da geomembrana.

6.3 Os procedimentos gerais de fabricação devem ser realizados de acordo com


o guia e / ou documentos de controle interno de qualidade do fabricante.

7 AMOSTRAGEM MQC

7.1 A amostragem deve estar de acordo com os métodos de teste específicos


listados nas Tabelas 1 e 2. Se nenhum protocolo de amostragem for estipulado
no método de teste específico, as amostras de teste devem ser coletadas
uniformemente espaçadas em toda a largura da bobina.

7.2 O número de testes deve estar de acordo com os métodos de teste


adequados listados nas Tabelas 1 e 2.

7.3 A média dos resultados do teste deve ser calculada de acordo com o padrão
específico citado e comparada com o valor mínimo listado nessas tabelas;
portanto, os valores listados são os valores médios mínimos e são designados
como "av. Mín."

8 RETESTE E REJEIÇÃO DO MQC

8.1 Se os resultados de qualquer teste não estiverem em conformidade com os


requisitos desta especificação, o novo teste para determinar a conformidade ou

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
rejeição deve ser feito de acordo com o protocolo de fabricação, conforme
estabelecido no manual de qualidade do fabricante.

9 EMBALAGEM E MARKETING

9.1 A geomembrana deve ser enrolada em um núcleo ou segmentos de núcleo


substanciais e mantida firme por correias ou por outros meios adequados. As
bobinas devem ser adequadas para transporte seguro até o ponto de entrega, a
menos que especificado de outra forma no contrato ou pedido.

9.2 A marcação das bobinas de geomembrana deve ser feita de acordo com o
procedimento aceito pelo fabricante, conforme estabelecido em seu manual de
qualidade.

10 CERTIFICAÇÃO

10.1 Mediante solicitação do comprador no contrato ou pedido, uma certificação


do fabricante de que o material foi fabricado e testado de acordo com esta
especificação, juntamente com um relatório dos resultados do teste, deve ser
fornecida no momento do embarque.

OBSERVAÇÃO: A tabela 1(a) não foi inserida nessa tradução pois, trata-se
das especificações conforme o Sistema Inglês, a tabela 1(b) evidencia as
especificações de acordo com o Sistema Internacional (SI), que é utilizado
no laboratório da LONAX.

Tabela 1 (b) – Geomembrana de Polietileno de Alta Densidade (PEAD)


Propriedades Método Frequência de Teste
de 0,75mm 1,0mm 1,25mm 1,5mm 2,0mm 2,5mm 3,0mm
Teste
Espessura D5199 -10 -10 -10 -10 -10 -10 -10 Por bobina
(mín.)
10 medições
Densidade D1505/ 0,940 0,940 0,940 0,940 0,940 0,940 0,940 90,000 kg
(mín.)g/cm³ D792
Propriedades D6693 9,000Kg
de Tração (1): Tipo IV

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
• Resistência 11 15 18 22 29 37 44
escoamento -
kN / m
• Resistência à 20 27 33 40 53 67 80
ruptura - kN /
m
• Alongamento 12 12 12 12 12 12 12
escoamento -
%
• Alongamento 700 700 700 700 700 700 700
à ruptura -%
Resistência ao D1004 93N 125N 156N 187N 249N 311N 374N 20,000 kg
Rasgamento
(mín.)
Punção (mín.) D4833 240 320 400 480 640 800 960 20,000 kg
N
Resistência D5397 500 500 500 500 500 500 500 Por GRI GM-
Stress Crack 10
(2)
Teor de Negro D4218 2-3 2-3 2-3 2-3 2-3 2-3 2-3 9,000 kg
de Fumo (%) (2)
(3)
Dispersão de D5596 (Apenas perto de aglomerados esféricos) para 10 visualizações 20,000 kg
Negro de diferentes:
Fumo • 9 nas categorias 1 ou 2 e 1 na categoria 3
OIT padrão (4) D3895 100 100 100 100 100 100 100 90,000 kg
(mín)
OIT alta D 5885 400 400 400 400 400 400 400
pressão (mín)
Envelheciment D5721 Por
o 85ºC Estufa 55 55 55 55 55 55 55 formulação
(5): D3895
.OIT padrão
(mín.) 80 80 80 80 80 80 80
.OIT alta D5885
pressão (mín.)
Resitência UV D7238 Por
(7): D3895 Nota 6 Nota 6 Nota 6 Nota 6 Nota 6 Nota 6 Nota 6 formulação
.OIT padrão
(mín.) D5885 50 50 50 50 50 50 50
.OIT alta
pressão (mín.)
%remanescent
e após 1600h
(8)

Nota 1: Os valores médios da direção da máquina (DM) e da direção transversal


da máquina (DT) devem ser baseados em 5 amostras de teste em cada direção.
O alongamento do escoamento é calculado usando um comprimento de bitola
de 33 mm. O alongamento na ruptura é calculado usando um comprimento de
bitola de 50 mm.

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
Nota 2: A tensão de escoamento usada para calcular a carga aplicada para o
teste SP-NCTL deve ser o valor médio do fabricante por meio do teste MQC.

Nota 3: Outros métodos, como D 1603 (forno de tubo) ou D 6370 (TGA), são
aceitáveis se for possível estabelecer uma correlação apropriada com D 4218
(forno de mufla).

Nota 4: O fabricante tem a opção de selecionar um dos métodos OIT listados


para avaliar o teor de antioxidantes na geomembrana.

Nota 5:Também é recomendado avaliar amostras aos 30 e 60 dias para


comparar com a resposta de 90 dias.

Nota 6: A condição do teste deve ser 20 horas. Ciclo UV a 75 °C seguido de 4


horas. Condensação a 60 °C.

Nota 7: Não recomendado, uma vez que a alta temperatura do teste OIT padrão
produz um resultado irreal para alguns dos antioxidantes nas amostras expostas
aos raios UV.

Nota 8: A resistência aos raios UV é baseada no valor percentual retido,


independentemente do valor original do OIT de alta pressão.

OBSERVAÇÃO: A tabela 2(a) não foi inserida nessa tradução pois, trata-se
das especificações conforme o Sistema Inglês, a tabela 2(b) evidencia as
especificações de acordo com o Sistema Internacional (SI), que é utilizado
no laboratório da LONAX.

Tabela 2 (b) – Geomembrana Texturizada de Polietileno de Alta Densidade (PEAD)


Propriedades Método Frequência de Teste
de 0,75mm 1,0mm 1,25mm 1,5mm 2,0mm 2,5mm 3,0mm
Teste
Espessura D5199 -5% -5% -5% -5% -5% -5% -5% Por bobina
(mín.)
Nota 1 -10 -10 -10 -10 -10 -10 -10
Nota 2 -15 -15 -15 -15 -15 -15 -15
* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
Altura da D7466 0,4 0,4 0,4 0,4 0,4 0,4 0,4 A cada
Aspereza mm segunda
(mín.) bobina
Densidade D1505/ 0,940 0,940 0,940 0,940 0,940 0,940 0,940 90,000 kg
(mín.)g/cm³ D792
Propriedades D6693 9,000Kg
de Tração (3): Tipo IV
• Resistência 11 15 18 22 29 37 44
escoamento -
kN / m
• Resistência à 8 10 13 16 21 26 32
ruptura - kN /
m
• Alongamento 12 12 12 12 12 12 12
escoamento -
%
• Alongamento 100 100 100 100 100 100 100
à ruptura -%
Resistência ao D1004 93N 125N 156N 187N 249N 311N 374N 20,000 kg
Rasgamento
(mín.)
Punção (mín.) D4833 200 267 333 400 534 667 800 20,000 kg
N
Resistência D5397 500 500 500 500 500 500 500 Por GRI GM-
Stress Crack 10
(4)
Teor de Negro D4218 2-3 2-3 2-3 2-3 2-3 2-3 2-3 9,000 kg
de Fumo (%) (2)
(5)
Dispersão de D5596 (Apenas perto de aglomerados esféricos) para 10 visualizações 20,000 kg
Negro de diferentes:
Fumo • 9 nas categorias 1 ou 2 e 1 na categoria 3
OIT padrão (6) D3895 100 100 100 100 100 100 100 90,000 kg
(mín)
OIT alta D 5885 400 400 400 400 400 400 400
pressão (mín)
Envelheciment D5721 Por
o 85ºC Estufa 55 55 55 55 55 55 55 formulação
(7): D3895
.OIT padrão
(mín.) 80 80 80 80 80 80 80
.OIT alta D5885
pressão (mín.)
Resitência UV D7238 Por
(9): D3895 Nota 8 Nota 8 Nota 8 Nota 8 Nota 8 Nota 8 Nota 8 formulação
.OIT padrão
(mín.) D5885 50 50 50 50 50 50 50
.OIT alta
pressão (mín.)
%remanescent
e após 1600h
(10)

Nota 1: Avaliar o valor mais baixo para 8 dos 10 valores.


Nota 2: Valor mais baixo para qualquer um dos 10 valores.

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
Nota 3: Os valores médios da direção da máquina (DM) e da direção transversal
da máquina (DT) devem ser baseados em 5 amostras de teste em cada direção.
O alongamento do escoamento é calculado usando um comprimento de bitola
de 33 mm. O alongamento na ruptura é calculado usando um comprimento de
bitola de 50 mm.

Nota 4: A tensão de escoamento usada para calcular a carga aplicada para o


teste SP-NCTL deve ser o valor médio do fabricante por meio do teste MQC.

Nota 5: Outros métodos, como D 1603 (forno de tubo) ou D 6370 (TGA), são
aceitáveis se for possível estabelecer uma correlação apropriada com D 4218
(forno de mufla).

Nota 6: O fabricante tem a opção de selecionar um dos métodos OIT listados


para avaliar o teor de antioxidantes na geomembrana.

Nota 7:Também é recomendado avaliar amostras aos 30 e 60 dias para


comparar com a resposta de 90 dias.

Nota 8: A condição do teste deve ser 20 horas. Ciclo UV a 75 °C seguido de 4


horas. Condensação a 60 °C.

Nota 9: Não recomendado, uma vez que a alta temperatura do teste OIT padrão
produz um resultado irreal para alguns dos antioxidantes nas amostras expostas
aos raios UV.

Nota 10: A resistência aos raios UV é baseada no valor percentual retido,


independentemente do valor original do OIT de alta pressão.

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
Cronograma de adoção e revisão do método de teste GRI GM13

“Métodos de teste, propriedades de teste e frequência de teste para


geomembranas lisas e texturizadas de polietileno de alta densidade (PEAD)”

Aprovado: 17 de Junho de 1997


Revisão 1: 20 de novembro de 1998; alterou a dispersão de CB de permitir que
2 visualizações estivessem na categoria 3 e exigindo que todas as 10
visualizações estivessem na categoria 1 ou 2. Também reduziu a porcentagem
de UV retida de 60% para 50%.

Revisão 2: 29 de abril de 1999: adicionada à Nota 5 após a listagem da


Dispersão de Negro de Carbono, o seguinte: "(Na visualização e na interpretação
quantitativa subsequente da ASTM D5596, apenas os aglomerados esféricos
próximos devem ser incluídos na avaliação)" e à Nota (4) nas tabelas de
propriedades.

Revisão 3: 28 de junho de 2000: adicionou uma nova Seção 5.2 que os valores
da tabela numérica não são MARV ou MaxARV. Eles devem ser interpretados
de acordo com o método de teste designado.

Revisão 4: 13 de dezembro de 2000: adicionada uma categoria 3 é permitida


para dispersão de negro de carbono. Além disso, terminologia unificada para
"força" e "alongamento".

Revisão 5: 15 de maio de 2003: aumento do tempo mínimo aceitável de


resistência a trincas por tensão de 200 horas para 300 horas.

Revisão 6: 23 de junho de 2003: A ASTM D 6693 foi adotada, em vez da ASTM


D 638, para testes de resistência à tração. Além disso, acrescentou a Nota 2.

Revisão 7: 20 de fevereiro de 2006: Nota 6 adicionada sobre o esclarecimento


da Altura da Aspereza com relação à resistência ao cisalhamento.
* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.
Revisão 8: Removida a garantia recomendada da especificação.

Revisão 9: 1 de junho de 2009: Teste GRI-GM12 substituído para altura de


aspereza de geomembranas texturizadas pela ASTM D 7466.

Revisão 10: 11 de abril de 2011: Adicionados métodos alternativos de teste de


conteúdo de negro de fumo.

Revisão 11: 13 de dezembro de 2012: Substituiu GRI-GM11 pelo equivalente


ASTM D 7238.

Revisão 12: 14 de novembro de 2014: aumento do tempo mínimo aceitável de


resistência a trincas por tensão de 300 para 500 horas. Além disso, aumento da
altura da aspereza da folha texturizada de 0,25 a 0,40 mm.

Revisão 13: 4 de novembro de 2015: Removida a nota de rodapé (1) sobre a


altura da aspereza das tabelas.

Revisão 14: 6 de janeiro de 2016: Removido o rasgo da calça da nota 5.

Revisão 15: 9 de setembro de 2019: atualização editorial para harmonizar


tabelas.

* Esta especificação padrão da GRI é desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Geossintética por
meio de consultas e revisão pelas organizações membros. Esta especificação será revisada pelo
menos a cada 2 anos ou conforme necessário base. A este respeito, está sujeito a alterações a
qualquer momento. A data de revisão mais recente é a versão efetiva e é mantido atualizado no
site do Instituto << geosynthetic-institute.org >>.