Você está na página 1de 78

Esquadrias para Edificações –

Como atender a norma de


desempenho das edificações
ABNT NBR 15575-4

Enga. Fabiola Rago Beltrame –


AFEAL - Associação Nacional de
Fabricantes de Esquadrias de Alumínio
ABNT NBR 15575-4
EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS -
DESEMPENHO

Parte 1 – Requisitos gerais


Parte 2 – Requisitos para os sistemas estruturais
Parte 3 – Requisitos para os sistemas de pisos
Parte 4 - Requisitos para os sistemas de vedações
verticais internas e externas
Parte 5 – Requisitos para os sistemas de
coberturas
Parte 6 – Requisitos para os sistemas
hidrossanitários
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

ABNT NBR 15575-4


EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO
PARTE 4:
REQUISITOS PARA OS SISTEMAS DE VEDAÇÕES
VERTICAIS INTERNAS E EXTERNAS

Primeira publicação em 2008


(válida a partir de 2010)
Revisão publicada em 19/02/2013
Válida a partir de 19/07/2013
ABNT NBR 15575 – EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS

ABNT NBR 15575-4


EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - PARTE 4:
REQUISITOS PARA OS SISTEMAS DE VEDAÇÕES
VERTICAIS INTERNAS E EXTERNAS
QUANDO TRATA DE ESQUADRIAS, REFERENCIA A
ABNT NBR 10821 E
A ABNT NBR 14718 PARA GUARDA-CORPOS !!!

CONTRIBUI PARA A EXIGIBILIDADE DO


DESEMPENHO DA ESQUADRIA !!!
(Adicionalmente:
Desempenho Acústico e Desempenho Térmico)
Edição publicada
em Março de 2013
Téchne -
Edição publicada
em Março de 2013
http://www.cbic.org.br/arquivos/guia_livro/Guia_CBIC_Norma_Desempenho.pdf
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

PRINCÍPIO BÁSICO:
ATENDER A NORMA DE ESQUADRIAS EXTERNAS
PARA EDIFICAÇÕES
NBR 10821:2011

• Parte 1 – Terminologia
•Parte 2 – Classificação e desempenho
•Parte 3 – Métodos de ensaio

Válidas a partir de 11/02/2011


ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações
ABNT NBR 10821:2011
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

PENETRAÇÃO DE AR
LOCAIS CLIMATIZADOS E NÃO CLIMATIZADOS
A penetração de ar através de uma janela submetida às pressões de
ensaio correspondente a 50 Pa é analisada em função das juntas
abertas e da área da esquadria

O nível de desempenho é obtido


no gráfico do Anexo B,
avaliando-se a vazão em
m3/h.m e m3/h.m2
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações
Gráfico de desempenho - Permeabilidade ao ar
(m3/h x m2 ) (m3/h x m)
400 100,0

300 75,0

200 50,0

100 25,0
90 22,5
80 Mínimo 20,0

Vazão de ar x Comprimento de juntas abertas


70 17,5
Vazão de ar x Área do vão da esquadria

60 15,0
50 12,5

40 10,0

30 7,5
27 6,75
Intermediário
20 5,0

10 2,5
9 2,25
8 2,0
7 2,0
6 1,5
5 1,25

4 1,0
Superior
3 0,75

2 0,5

1 0,25
10 30 50 100 150 300 600 (Pa)

Pressão de vento na câmara


ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

A janela não deve apresentar vazamentos que


provoquem o escorrimento de água pelas paredes ou
componentes sobre os quais esteja fixada, quando
submetida à vazão de 2 L/min por bico e às pressões,
conforme tabela da ABNT NBR 10821-2
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

Fonte: ABNT NBR 6123


ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações
Pressão de segurança
Pressão de ensaio (Pa)
Quantidade Altura (Pa) Pressão de água (Pa)
Região do País Positiva e negativa
de máxima - Positiva e negativa Pa = PP x 0,20
Pe = Pp x 1,2
pavimentos Ps = Pe x 1,5

02 6m I 350 520 60

II 470 700 80

III 610 920 100

IV 770 1 160 130

V 950 1 430 160

05 15 m I 420 640 70

II 580 860 100

III 750 1 130 130

IV 950 1 430 160

V 1 180 1 760 200

10 30 m I 500 750 80

II 680 1 030 110

III 890 1 340 150

IV 1 130 1 700 190

V 1 400 2 090 230

20 60 m I 600 900 100

II 815 1 220 140

III 1 060 1 600 180

IV 1 350 2 020 220

V 1 660 2 500 280

30 90 m I 660 980 110

II 890 1 340 150

III 1 170 1 750 200

IV 1 480 2 210 250

V 1 820 2 730 300


ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

Após troca da escova na caixa de dreno,


não ocorreram borbulhamentos que
reprovam até 180 Pa
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

Importância dos drenos, caixas de


dreno e escovas de vedação na
esquadria
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

Detectados problemas na fabricação da esquadria, com falta de dreno e


falta de vedação nos encontros do marco
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações
Tabela 2 – Níveis de desempenho das esquadrias quanto ao seu uso.
Desempenho
Ensaio
Mínimo (M) Intermediário (I) Superior (S)

Permeabilidade ao ar Ver Figura B.1 a Ver Figura B.1 Ver Figura B.1

Presença de água
Passagem de água na restrita ao perfil inferior,
face interna da com escoamento para o
esquadria, sem molhar lado externo, sem
o peitoril da alvenaria molhar o peitoril ou a
Sem presença de água no interior da
ou a face interna da face interna da parede
Estanqueidade à água esquadria, inclusive no marco inferior
parede, desde que Não deve ocorrer
Ver Figura 1c, da ABNT NBR 10821-3
ocorra o escoamento escorrimento de água
para a face externa. Ver por nenhum elemento
Figura 1a, da ABNT interno da esquadria.
NBR 10821-3 Ver Figura 1b, da ABNT
NBR 10821-3
Resistência às cargas
uniformemente Ver valores de pressão de acordo com altura da edificação e região do país da edificação – Tabela 1
distribuídas
Operações de manuseio Esforço aplicado conforme a ABNT NBR 10821-3, com avaliação da deformação residual obtida
Segurança nas Esforço aplicado conforme a ABNT NBR 10821-3, sem avaliação da deformação obtida, apenas da ruptura e
operações de manuseio queda de componentes da esquadria

a Não aplicável a esquadrias instaladas em edificações localizadas na Região I, conforme a Figura 3.


NOTA No caso de porta, a soleira sob a folha é considerada como marco da esquadria.
No ensaio de estanqueidade à água, desde que não esteja especificado em contrato e/ou a esquadria não seja instalada em ambientes
condicionados, é permitida a ocorrência de permeabilidade inicial (PI), conforme definido na ABNT NBR 10821-3.
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

A esquadria, quando submetida à pressão prescrita para


a região em que ela é utilizada, não pode:

- apresentar ruptura, ou colapso total ou colapso parcial de


qualquer de seus componentes, incluindo o vidro;
- ter seu desempenho deteriorado, quanto às condições de
abertura e fechamento;
-ter o seu desempenho, quanto à permeabilidade ao ar, no caso
de esquadrias instaladas em edificações climatizadas, acima de
um nível de desempenho;
- apresentar deflexão máxima instantânea superior a L/175 do
perfil; e
- apresentar deformação residual superior a 0,4 % do
comprimento livre do perfil em análise, medida após pelo
menos 3 min do desligamento da pressão de ensaio.
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

- Pressão de ensaio: Pe = Pp x 1,2


Permitidas as ocorrências citadas anteriormente

- Pressão de segurança: Ps = Pe x 1,5


A esquadria não pode apresentar:
Ruptura, colapso total ou parcial de qualquer de
seus componentes, incluindo o vidro.
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

- A esquadria deve resistir aos


ensaios especificados por tipologia
de esquadria, sem que haja:
Deformação residual superior a 0,4%
do perfil ao longo do vão;
a) Ruptura dos vidros;
b) Deterioração de qualquer
componente;
c) Colapso da esquadria: qualquer
alteração vital no funcionamento do Após 10 000 ciclos,
conjunto, dos componentes, da força necessária para:
estrutura da esquadria e que coloque
abertura < 100 N;
em risco o usuário ou terceiros.
fechamento < 50 N
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

- Ensaios descritos nos Anexos da Parte 3, para janelas e


portas
Exemplo: Resistência à flexão, Anexo J – Força 400 N
ENSAIO DE RESISTÊNCIA À FLEXÃO
ENSAIO DE ESFORÇO HORIZONTAL COM UM CANTO IMOBILIZADO
Efeitos da utilização de produtos fora de norma conjugado com perfil
normalizado da Belmetal, perfil este que sofrerá ações do vento, da água e
resistência mecânica.
Baixa espessura 0,8mm - 0,400 kg/m -
Barra de 6m = 2,40 kg

Espessura correta 1,2mm - 0,520 kg/m -


Barra de 6m = 3,12 kg.
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

5.1 Qualquer esquadria voltada para a face interna da edificação, que


faz interface com ambientes não sujeitos à incidência direta de água,
por exemplo, janela de banheiro que abre para a área de serviço,
somente deve atender aos requisitos de resistência as operações de
manuseio e segurança, dispensando-se os demais ensaios. Este item
não refere-se ao caso de esquadrias voltadas para a varanda.

Exemplo:
esquadria do tipo basculante, não atende a norma nos requisitos de
permeabilidade ao ar e estanqueidade à água.

Utilizar maxim-ar
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

5.3 As janelas do tipo projetante-deslizante (maxim-ar) devem restringir a


abertura das folhas, limitando a face da fachada, conforme a Figura 2,
quando instaladas em peitoril menor ou igual a 2,0 m de altura, em áreas
transitáveis pelo lado da projeção.

Figura 2 – Ilustração de uma janela projetante-deslizante,


sem projeção para a área transitável
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

5.7 Portas externas com folhas de giro (abrir), de correr,


pivotantes, articuláveis, devem atender a todos os
requisitos desta Norma. A porta de giro com sentido de
abertura para dentro, por suas características
construtivas, pode não atender aos requisitos de
permeabilidade ao ar e estanqueidade à água.

Vidros instalados em esquadrias abaixo de 1,10m,


devem ser de segurança: temperado ou laminado –
NBR 7199
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações
GUARDA-CORPOS – ABNT NBR 14718

ANEXO C – Resistência a impactos

Vidros instalados em guarda-corpos devem ser de segurança:


laminado ou aramado – NBR 7199
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações
PONTOS IMPORTANTES CITADOS NA NORMA ABNT NBR
10821 PARA O FORNECIMENTO DAS ESQUADRIAS

O fabricante de esquadrias deve fornecer informações sobre o produto


ao contratante através de uma das seguintes opções:

a) catálogos, projetos ou certificados;


b) etiquetas fixadas na esquadria ou marcação indelével, da marca ou
logomarca do produto.

Em ambos os casos, devem ser informados o nome ou logomarca do


fabricante, o número desta Norma, a pressão máxima de carga de vento
que a esquadria resiste, bem como a sua classificação e desempenho.

Sugere-se descrição adicional, de forma clara, do uso ao qual a


esquadria se destina, conforme exemplo do Anexo A.
Fabricante: (nome ou logomarca do fabricante)
Produto: Dimensão: altura x largura
Janela de correr 02 folhas 1 000 x1 200 mm
Espessura e tipo do vidro monolítico com 4mm
CLASSIFICAÇÃO TÉCNICA DO PRODUTO Região
Quant. pav.
(ABNT NBR 10821) do país
Mínimo
NÍVEL DE DESEMPENHO III 02
(M)
RESISTÊNCIA À CORROSÃO (Específica para esquadrias de aço) –
ISOLAMENTO ACÚSTICO Atenuação Mínima (AM) - < 18 dB
APLICAÇÃO:
-Edificação com até dois pavimentos (térreo mais um pavimento);
-Deve ser utilizada em regiões com baixo ruído externo
REGIÃO DE UTILIZAÇÃO:
Demarcar a região do mapa
- São Paulo – Capital
- São Paulo – Litoral
- Grande ABC 30

- Norte de Mato Grosso do Sul 40


45

- Sul de Mato Grosso e Goiás


- Norte de Amazonas e Roraima
RECOMENDAÇÕES:
- Convém que este produto seja utilizado apenas em edificações com até dois pavimentos e altura máxima de 6 m.
- Desempenho térmico e acústico mínimo.
Características técnicas de acordo com a ABNT NBR 10821:
Ensaio: Resultados:
- Permeabilidade ao ar: Vazão obtida
- Estanqueidade à água: Mínimo 120 Pa
- Pressão de vento para o ensaio de deformação: Mínimo 1 000 Pa
- Resistência às operações de manuseio: Atende
- Isolamento acústico (Rw): ____dB
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações

ESQUADRIAS EXTERNAS
PARA EDIFICAÇÕES
NBR 10821 – Projetos finalizados
encaminhados para consulta
nacional da ABNT em maio 2013
• Parte 4 – Requisitos de desempenhos adicionais –
atenuação acústica, desempenho térmico (ventilação
e sombreamento)
•Parte 5 – Instalação e manutenção
Atenuação acústica do conjunto e da esquadria,
em laboratório
Metodologia: ISO 10140-2,
Laboratórios IPT e Concremat - SP
Atenuação acústica do conjunto e da esquadria

Os resultados obtidos praticamente nos ensaios de


laboratório em composições de alvenarias e de
esquadrias, também pode ser obtidos na teoria por
fórmula matemática que leva em consideração:

-Área total da parede;


-Área da esquadria;
-Atenuação acústica da parede, obtida em laboratório;
-Atenuação acústica da esquadria, obtida em laboratório.
ISOLAMENTO ACÚSTICO DE FACHADAS

Na tabela abaixo são apresentados valores do isolamento sonoro


da fachada, D2m,nT,w, calculados a partir dos valores da isolação
dos esquadrias, considerando uma situação típica:

(Rw+Ctr), Isolação resultante da esquadria (Re) Tabela


Rw Parede (Rp) 40
Área total da parede - 2,60m x 3,00 m (St) 7,80
Área esquadria – 1,20 m x 1,20 m (Se} 1,44
Área parede (Sp) 6,36

A fórmula de cálculo é
 S p 10  R p / 10  S e 10  Re / 10 
D2 m,nT , w  10 log 
 St 
 
Obs: Estudo preliminar realizado pelo pesquisador Peter (IPT), com os resultados
de ensaios, fornecidos pelo AFEAL, obtidos em janelas comercializadas.
ESTUDO ABAL
Atenuação acústica
das esquadrias, em laboratório

RESULTADOS DOS ENSAIOS – LABORATÓRIO IPT


ÍNDICE DE REDUÇÃO SONORA - Rw (C,Ctr) dB

JANELA DE CORRER 2 JANELA JANELA DE CORRER


FOLHAS VENEZIANA INTEGRADA
PRODUTOS

VIDRO 4mm VIDRO 6mm VIDRO 4mm VIDRO 4mm VIDRO 6mm

PRODUTO 1 20 (0;-1) 19 (0; 0) 15 (0;-1) 26 (-1;-4) 26 (-1;-4)

PRODUTO 2 19 (0; 0) 20 (-1;-1) 19 (0;-2) 26 (-1;-4) 27 (-1;-5)

PRODUTO 3 19 (0;-1) 20 (0;-0) 19 (-1;-2) 26 (-1;-3) 26 (-1;-3)

Obs: Dados obtidos do grupo de sistemistas da ABAL (2010/2011)


Atenuação acústica – Ensaio do conjunto
Para a Norma de desempenho ABNT NBR 15575- o que importa é o
resultado do conjunto composto de alvenaria + esquadria

 Alvenaria considerada:
• Blocos cerâmicos com 14 cm de espessura
• Revestimento externo com argamassa
industrializada de 3 cm de espessura
• Revestimento interno com argamassa
industrializada de 1 cm de espessura
+
 Variação da espessura do vidro
• 4 mm
• 6 mm

 Variação das dimensões da esquadria – JC 02 fls


• 1,20 x 1,20m
• 1,60 x 1,40m
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações
Resultado do conjunto composto de alvenaria + esquadria
RESULTADOS DOS ENSAIOS – LABORATÓRIO IPT
ÍNDICE DE REDUÇÃO SONORA - Rw (C; Ctr) dB
PAREDE DE BLOCO CERÂMICO 42 (-1; -4)

JANELA DE CORRER 2 FOLHAS VIDRO DE 4 MM (L=1200, H=1200) 30 (0; -1)

JANELA DE CORRER 2 FOLHAS VIDRO DE 6 MM (L=1200, H=1200) 31 (0; -1)


JANELA DE CORRER INTEGRADA 2 FOLHAS VIDRO DE 4 MM
35 (-1; -3)
(L=1200, H=1200)
JANELA DE CORRER INTEGRADA 2 FOLHAS VIDRO DE 6 MM
35 (-1; -3)
(L=1200, H=1200)
JANELA DE CORRER 1 FOLHA VIDRO DE 4 MM E 2 FOLHAS VENEZIANAS
29 (0; -2)
(L=1200, H=1200)

JANELA DE CORRER 2 FOLHAS VIDRO DE 4 MM (L=1600, H=1400) 27 (0; 0)

JANELA DE CORRER 2 FOLHAS VIDRO DE 6 MM (L=1600, H=1400) 28 (0; -1)

Obs: Dados obtidos do grupo de sistemistas da ABAL


Proposta de revisão ABNT NBR 15575-4 E ABNT NBR 10821-4

Ensaio de laboratório x Ensaio de campo


Exemplo 1:
Rw da esquadria – Janela de correr – 02 folhas = 20dB;
Rw da parede com bloco cerâmico de 14cm = 42 dB;

Rw do sistema - parede + JC 02 fls (1200x1200)mm = 30dB;


Provável D2m,nT,w, da vedação externa = 25 dB

Ok, para a condição mínima das áreas I e II


Exemplo 2:
Rw da esquadria – Janela de correr – 02 folhas com persiana integrada
= 27dB;
Rw da parede com bloco cerâmico de 14cm = 42 dB;

Rw do sistema - parede + JC 02 fls (1200x1200)mm = 35dB;


Provável D2m,nT,w, da vedação externa = 30 dB

Ok, para a condição mínima das áreas I, II e III


Proposta de revisão ABNT NBR 15575-4

Ensaio de campo
Tabela 17 — Valores mínimos da diferença padronizada de nível
ponderada, D2m,nT,w, da vedação externa

Classe de ruído D2m,nT,w [dB]


Habitação localizada distante de fontes de
 20
ruído intenso de quaisquer naturezas
Habitação localizada em áreas sujeitas a
situações de ruído não se enquadráveis nas  25
classes I e III
Habitação sujeita a ruído intenso de meios de
transporte e de outras naturezas, desde que  30
esteja de acordo com a legislação
ISOLAMENTO ACÚSTICO DE FACHADAS
ISOLAMENTO ACÚSTICO DE FACHADAS

Conclusões preliminares:

1. A isolação acústica da
parede/ alvenaria deve ser > 40 dB.

2. Para atender o critério de fachada de D2m,nT,w


≥ 25 dB, uma esquadria deve ter índice de
redução sonora ponderado (Rw+Ctr) ≥ 20 dB.

A esquadria que atende a NBR 10821-2 para a


região Sul, por exemplo, já tem boa vedação e
provavelmente atende a este desempenho
acústico.
Proposta para a ABNT NBR 10821-4
Níveis de desempenho acústico das esquadrias

Ensaio de laboratório

Alinhada com

Proposta de revisão ABNT NBR 15575-4

Ensaio de campo do sistema e

Ensaio de laboratório do sistema (Anexo informativo)

http://www.cbic.org.br/arquivos/guia_livro/Guia_CBIC_Norma_Desempenho.pdf
PROPOSTA ABNT NBR 10821-4

Tabela 1 – Níveis de desempenho das esquadrias

Desempenho
Ensaio
D C B A

Índice de redução
sonora ponderado 18 < Rw < 24 24 < Rw < 30 Rw > 30
Rw (dB) Rw < 18

Texto que entrará em consulta nacional


no primeiro semestre de 2013.
PROPOSTA ABNT NBR 10821-4
PROPOSTA ABNT NBR 10821-4

ENSAIOS REALIZADOS EM JANELAS


DE CORRER, EM NOVEMBRO 2012
PROPOSTA PARA ABNT NBR 10821-4

MODELO
DE
ETIQUETA
DE
CONFORTO
TÉRMICO
PROPOSTA PARA ABNT NBR 10821-4

APLICAÇÃO DA ETIQUETA DE CONFORTO TÉRMICO – EXEMPLO 01

Planilha em excell desenvolvida por consultor da ABIVIDRO


PROPOSTA PARA ABNT NBR 10821-4

APLICAÇÃO DA ETIQUETA DE CONFORTO TÉRMICO – EXEMPLO 2

Planilha em excell desenvolvida por consultor da ABIVIDRO


Esquadrias,
especificação e instalação

PONTOS IMPORTANTES PARA RECEBIMENTO DAS JANELAS


E PORTAS QUE ATENDEM A ABNT NBR 10821

•FABRICANTE
•TIPO/ CARACTERÍSTICAS/ LINHA
•DIMENSÃO
•DIMENSÃO DO REQUADRO
•QUALIFICAÇÃO/ CERTIFICAÇÃO
•DETALHES DE VEDAÇÃO APRESENTADOS NO PROJETO
•CLASSE E REGIÃO DE UTILIZAÇÃO, CONFORME ALTURA
DA EDIFICAÇÃO E REGIÃO DO PAÍS
•VERIFICAR EVENTUAIS DANOS CAUSADOS AO PRODUTO
NO TRANSPORTE
ESQUADRIAS COM QUALIDADE QUE ATENDEM A ABNT NBR 10821

SUGESTÃO PARA SAIR DAS ESQUADRIAS


POUCO EFICIENTES
Desenvolver melhorias na vedação das
esquadrias de correr e
divulgar novas tipologias existentes:
• Janela de correr integrada;
•Janela maxim-ar;
•Esquadrias de movimentos compostos.
Figura 13 : Esquadria gira e ou tomba

Figura 11 : Esquadria de correr com giro


ESQUADRIAS COM QUALIDADE QUE ATENDEM A ABNT NBR 10821
LADO INTERNO
LADO INTERNO

•Esquadrias de movimentos compostos,


conforme ABNT NBR 10821-1
Folhas de correr que ao fechar comprimem o marco Folhas alinhadas quando fechadas
Folhas de correr que ao fechar pressionam perimetralmen
inferior deixando sem peso nas roldanas VISTA INTERNA VISTA INTERNA VISTA INTERNA
VISTA INTERNA

FIXO FIXO

FIGURA 14 : Equadria de correr paralela e ou tomba FIGURA 15 : Esquadria de correr Contact

Figura 12 : Esquadria alçante


FIXO FIXO

LADO INTERNO
LADO INTERNO
LADO INTERNO
LADO INTERNO

Esquadria paralela e de tombar


Esquadria alçante
Esquadria de abrir e de tombar
Esquadria de correr com compressão
transversal ao plano de movimentação
ABNT NBR 10821-5
Instalação e manutenção

• CHUMBADA NA ALVENARIA

• COM CONTRAMARCO

• VÃO ACABADO
Esquadrias,
especificação e instalação

CUIDADOS NO RECEBIMENTO E ARMAZENAMENTO

PREVER LOCAIS ADEQUADOS PARA ARMAZENAR OS MATERIAIS

Esquadrias armazenadas em local e de forma inadequada


Esquadrias,
especificação e instalação

CUIDADOS NO RECEBIMENTO E ARMAZENAMENTO


As esquadrias devem ser estocadas protegidas da ação do sol e da
chuva, sobre estrados fora do contato com o chão.
Esquadrias,
especificação e instalação

CUIDADOS NO RECEBIMENTO E ARMAZENAMENTO


Esquadrias,
especificação e instalação

INSTALAÇÃO DAS ESQUADRIAS


As esquadrias DEVEM entrar na obra no estágio de
acabamento e não de obra.
Esquadrias,
especificação e instalação

INSTALAÇÃO DAS ESQUADRIAS

Vão de alvenaria gabaritado

Gabarito posicionado de maneira


inadequada no vão

Gabarito com a dimensão correta do


vão que receberá a esquadria
Esquadrias,
especificação e instalação

INSTALAÇÃO DAS ESQUADRIAS

Vão de alvenaria gabaritado


INSTALAÇÃO DAS ESQUADRIAS
Exemplo básico de instalação em vão acabado
Esquadrias,
especificação e instalação

INSTALAÇÃO DAS ESQUADRIAS


Instalação com contramarco

Após conferência
do nível e prumo
deve-se iniciar a
colocação do perfil
do contramarco,
que servirá de
anteparo entre a
esquadria e a
alvenaria. São
Com base nas dimensões da esquadria, o utilizadas grapas
vão para a instalação deve ter folga instaladas a cada
suficiente para permitir o chumbamento do 50cm aprox. a partir
contramarco. Ex: esquadrias de (60x60)cm, do ponto onde será
vão de (64x64)cm. O prumo da fachada dada a fixação da
deve servir como referência para o esquadria.
posicionamento do contramarco.
Esquadrias,
especificação e instalação

INSTALAÇÃO DAS ESQUADRIAS


Instalação com contramarco

Antes da colocação da esquadria no


contramarco, é importante checar se
os perfis estão limpos e no esquadro.

O chumbamento do contramarco pode ser


realizado com argamassa de cimento e
areia, traço 1:3. A argamassa precisa
preencher completamente as reentrâncias,
evitando falhas como infiltração de água de
chuva, causando manchas e bolor. Os
contramarcos devem ser inspecionados
antes de receber a esquadria.
Esquadrias,
especificação e instalação

INSTALAÇÃO DAS ESQUADRIAS


Instalação com contramarco

O preenchimento com um cordão de silicone é


necessário para calafetagem entre a esquadria
e o contramarco.

Para assegurar a estaqueidade à água,


alguns fabricantes indicam a colocação de
uma guarnição de borracha de vedação.
Esquadrias,
especificação e instalação

INSTALAÇÃO DAS ESQUADRIAS


Instalação com contramarco
A esquadria precisa ser parafusada no contramarco, juntamente com as
presilhas de fixação dos arremates.
Antes da conclusão do serviço é fundamental a realização de inspeção para
conferir o sucesso da instalação.
ABNT NBR 10821 – Esquadrias externas para edificações
PONTOS IMPORTANTES CITADOS NA NORMA ABNT NBR
10821 PARA AVALIAÇÃO DAS JANELAS E PORTAS
-Os componentes devem ser de materiais compatíveis com aquele utilizado na
fabricação da esquadria, atendendo às normas específicas de cada
componente, e não podem sofrer alterações químicas, físicas ou mecânicas que
prejudiquem o seu desempenho durante os ensaios previstos nesta Norma. As
guarnições, quando elastoméricas, devem ser em EPDM, conforme ABNT NBR
13756.

- Norma de Componentes para Esquadrias – ABNT NBR 15969, partes 1 e 2.


As demais partes encontram-se em estudo.
Parte 1 – Roldana
Parte 2 – Escova de vedação
Parte 3 – Fecho
Parte 4 – Articulação
Parte 5 – Persiana de enrolar
Parte 6 – Dobradiça
Parte 7 – Componentes em nylon
Esquadrias,
especificação e instalação

PATOLOGIAS NAS ESQUADRIAS


Esquadrias,
especificação e instalação

PATOLOGIAS NAS ESQUADRIAS


Esquadrias,
especificação e instalação

MANUTENÇÃO DAS ESQUADRIAS


LIMPEZA

A limpeza das esquadrias deve ser feita com uma solução


de água e detergente neutro, a 5%, com auxílio de
esponja ou pano macios, nos seguintes intervalos:
-No mínimo, a cada 12 meses em zona urbana ou rural;
-No mínimo, a cada 3 meses em zona marítima ou
industrial
Os trilhos de janelas e portas de correr devem ser
constantemente limpos, para se evitar o acúmulo de
poeira, que podem se transformar em crostas de difícil
remoção comprometendo as roldanas.
Não deve ser realizada lubrificação nos componentes das
esquadrias.
Esquadrias,
especificação e instalação

PASSOS IMPORTANTES PARA A QUALIDADE


DAS ESQUADRIAS

• Aquisição de produto qualificado/ certificado


(pois o mesmo foi previamente ensaiado);
• Inspeção de recebimento, com base no projeto
e análise visual de defeitos;
• Cuidados no armazenamento e na instalação;
• Plano de manutenção adequada (recomendado
pelo fabricante).
PSQ – ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO

RELATÓRIO SETORIAL
TABELA DE QUALIFICAÇÃO

Documento atualizado a cada três meses disponível para


consulta nos sites:

www.cidades.gov.br/pbqp-h/

www.afeal.com.br

Última atualização,

relatório setorial no 42, JUNHO de 2013


BELTRAME ENGENHARIA
EMPRESA GESTORA TÉCNICA CREDENCIADA
NO PBQP-H

RESPONSÁVEL PELOS PSQ – PROGRAMAS


SETORIAIS DA QUALIDADE
•ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO
•ESQUADRIAS DE AÇO
Data 29 e 30 de outubro (SP)

Informações no site
www.afeal30.com.br
OBRIGADA PELA ATENÇÃO !!!
QUALQUER DÚVIDA ESTAMOS
A DISPOSIÇÃO !!!
CONTATO:

fabiolarago@yahoo.com.br
Cel: 11 99908-9449

www.afeal.com.br
afeal@afeal.com.br