Você está na página 1de 5

A Arte da Improvisação de Nelson Faria: 4 Motivos Por que Você Deve Estudar

com Este Método de Improvisação.

Você sabe por que “A Arte da Improvisação” de Nelson Faria é método


indispensável para todo instrumentista?

A improvisação é um ponto chave na aprendizagem da música.

Você já reparou o quanto são sensacionais os músicos que dominam a arte da


improvisação?

Veja: os seus companheiros músicos não se impressionam com sua


sonoridade? Então, seu fraseado musical, seja la qual for seu instrumento, são
apenas fraseados triviais!

Se você admira instrumentistas com excelência técnica para improvisar,


imagina o quanto você pode se destacar em suas performances com as
técnicas de improvisação desenvolvidas no seu instrumento?

Um fraseado forte, começa com o domínio e a clareza técnica da improvisação.

Continue lendo este artigo e entenda por que “A Arte da Improvisação”


influenciou uma geração de instrumentistas da música brasileira.

Por que “A Arte da Improvisação” de Nelson Faria é um método indispensável?

Você pode não saber, mas até a década de 1990, a improvisação na música
brasileira se dava principalmente de forma intuitiva. “A arte da improvisação”
lançado em 1991, seria o primeiro material didático sistematizado sobre
improvisação no Brasil.

Publicado por Nelson Faria este material mudaria o conceito de improvisação


da época.
4 fatos por que você deve considerar este método indispensável em sua rotina
de estudos.

1º Motivo - A Arte da Improvisação formou uma geração de músicos!

Acredite: até os anos de 1980 o ensino musical brasileiro, nas universidades e


conservatórios, ocorriam nos moldes eruditos! As instituições de ensino não
comportavam a prática musical pelo viés da improvisação nos moldes
populares.

Para se ter uma boa idéia, o ensino sistematizado da improvisação, em


universidades e conservatórios brasileiros, eram incompatíveis com as práticas
musicais destas instituições e o desenvolvimento desta habilidade.

Isto significa que, professores até a década de 1980, que lecionavam um


repertório voltado para a música popular, tinham como base unicamente, a
formação erudita.

Se você deseja entender de fato esse contexto, havia um preconceito por parte
da academia com relação aos músicos populares, bem como em relação às
suas práticas musicais, em especial a prática da improvisação!

O método de Nelson Faria, seria responsável em grande parte pela formação


básica e complementar de músicos que teriam iniciado seus estudos a partir da
década de 1980! Músicos de sucesso nos dias de hoje, diga – se de passagem!

2º Motivo - Uma concepção musical moderna fomentou a criação de um


método moderno.

É fato que na década de 1970, muitos músicos que gostariam de evoluir na


prática da improvisação musical, inclusive Nelson Faria, recorriam a aulas
particulares com músicos renomados do Brasil. Porém, os resultados destes
aprendizados ainda eram insatisfatórios!

Isso foi um forte motivador para Nelson Faria ingressar no Musicians Institute,
escola norte – americana que oferecia um curso intensivo de música popular
em Los Angeles.

Um ótimo parâmetro de comparação para perceber a precariedade do ensino


de música popular no Brasil. Nelson Faria buscar no exterior todo o amparo
necessário para o aprendizado da música popular de forma sistematizada.

O contato com um ensino sistematizado da música no exterior, o fez formar


uma concepção musical moderna. Isto serviu de comparativo ao momento de
ensino e aprendizagem da música popular no Brasil. Esta concepção orientou a
criação de um método tão inovador e moderno para a época.

3º Motivo - A publicação de “A Arte da Improvisação” quebrou o mito do “dom


musical” individual.

Espere ai!! Dom musical individual?? Mas o que de fato seria isso??

Divulgando seu trabalho, Nelson Faria o expôs no programa “Sem Censura”.

Ali esclareceu sobre a possibilidade de se ensinar e aprender de forma


sistemática a improvisação.

Um importante esclarecimento com os resultados de sua pesquisa, foi o mito


de que a improvisação musical seria considerada um dom individual do músico.

Nelson só teve contato com essa concepção moderna, distante de mitos e


tabus, por que ele foi procurar uma escola fora do país. No Brasil, devido à falta
de estrutura de ensino aprendizagem, realmente essa habilidade seria
considerada exclusivamente como dom.

4º Motivo - “A Arte da Improvisação” orienta o estudante ao caminho a ser


percorrido para sua evolução musical.
Em vista da ausência da sistematização do ensino da música popular no Brasil,
Nelson Faria decide ingressar em um curso intensivo de música popular nos
Estados Unidos em Los Angeles.

Na instituição em que ingressou encontrou uma situação bastante diversa da


brasileira.

Afirmou que os improvisadores sabiam claramente o que estavam fazendo, e


mais ainda, sabiam o caminho que deveria ser percorrido para se atingir
aqueles objetivos.

A repetição de padrões de realização musical orientada por elementos técnicos


da música, daria o sentido que deveria ser percorrido para a evolução musical
do instrumentista. Isso aconteceria a despeito do seu talento individual, ou seu
dom musical natural!!

Conclusão

A Arte da Improvisação é um método indispensável.

Imagine um método musical que influenciou a formação de uma geração de


músicos, dentre eles alguns de seus ídolos!

Some a isso, o fato de que a concepção musical do autor, Nelson Faria,


fomentaria a criação de um método musical moderno.

Coloque nesta mistura, o fato de que a discussão entre músicos, impulsionados


pelos ensinamentos do método, contribuiria para quebrar o mito do “dom
musical” individual, predominante no Brasil até então.

E mais, a esse aglomerado de novas informações, este método ocuparia o


lugar de orientador do estudante ao caminho a ser percorrido para sua
evolução musical.

Conseguiu pegar a visão?


Um conteúdo que já permanece a 27 anos, e ainda é referência na língua
portuguesa no estudo da improvisação, só pode ser um livro clássico! O que
também o faz indispensável para o estudante sério de música!

Se você quiser saber mais sobre o assunto, recomendo a leitura da dissertação


de Felipe Boabaid Guerzoni - “ “A Arte da Improvisação” de Nelson Faria:
Influências na pedagogia da música popular brasileira.”

Quer usar as técnicas da improvisação para as baixarias do seu violão de 7


cordas? Clique no banner abaixo, e receba mini – curso gratuito – improvisação
& baixaria.