Você está na página 1de 14

Índice

Páginas

INTRODUÇÃO.................................................................................................................2

OBJECTIVOS...................................................................................................................3

1. FUNÇÃO QUÍMICA....................................................................................................4

1.1. Grupo funcional..........................................................................................................4

1.2. Química inorgânica....................................................................................................4

1.2.1. As funções inorgânicas............................................................................................4

1.2.1.1.Teoria de Arrhenius...............................................................................................4

Definição de ácido segundo Arrhenius..............................................................................4

Definição de base segundo Arrhenius...............................................................................6

Definição de sais segundo Arrhenius................................................................................7

Definição de óxidos...........................................................................................................8

2.DIOXIDO DE CARBONO............................................................................................9

2.1. DESCRIÇÃO GERAL E PROPRIEDADES.............................................................9

2.3. DADOS FÍSICOS DO GÁS CO2.............................................................................10

2.3.1. Propriedades específicas........................................................................................10

2.4. PRODUÇÃO............................................................................................................10

2.4.1. Dióxido de carbono medicinal...............................................................................11

2.4.2. Dióxido de carbono – Gelo seco...........................................................................11

2.5. FONTES DO DIÓXIDO DE CARBONO...............................................................11

2.6. PROBLEMAS CAUSADOS PELO DIÓXIDO DE CARBONO............................12

CONCLUSÃO.................................................................................................................13

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS............................................................................14

1
INTRODUÇÃO

O presente trabalho insere se no âmbito da cadeira de Química Geral e o mesmo versa


meramente a abordar assuntos relacionados com as funções químicas que são
substâncias que apresentam propriedades químicas semelhantes por apresentarem a
mesma estrutura, em que elas podem ser classificadas como orgânicas ou inorgânicas,
mas praticamente consta no trabalho abordagens relacionadas com as funções
inorgânicas que são originadas a partir de sais minerais, em que se fara menção das
principais funções inorgânicas que são os ácidos, bases, sais e os óxidos. Também
consta do trabalho assuntos relacionados com o gás carbónico que é um dos compostos
muito importantes na natureza. No fim do trabalho consta as conclusões e suas
respectivas referências bibliográficas.

2
OBJECTIVOS

Gerais

 Conhecer as principais funções inorgânicas da Química;


 Explicar o processo de formação do gás dióxido de carbono (CO2).

Específicos

 Identificar os ácidos, bases, sais e óxidos mais comuns na natureza;


 Conhecer a diferença entre um ácido e uma base;
 Explicar a relevante importância do dióxido de carbono para os seres vivos.

3
1. FUNÇÃO QUÍMICA

Função química é um conjunto de substâncias com propriedades químicas semelhantes.

1.1. Grupo funcional

Grupo funcional é um átomo ou agrupamento de átomos, com ou sem carga eléctrica,


responsável pelo comportamento químico semelhante de diferentes substâncias.

1.2. Química inorgânica 

É o ramo da química que engloba a química geral e o estudo dos compostos


inorgânicos, ou seja, as substâncias que não possuem o carbono formando cadeias em
sua constituição. Os compostos inorgânicos são mais abundantes na terra do que os
orgânicos, principalmente devido a composição do núcleo (maioritariamente ferro) e
são geralmente encontrados na natureza como minerais.

1.2.1. As funções inorgânicas

São os grupos de compostos inorgânicos que apresentam características semelhantes. Os


compostos inorgânicos são aqueles que não formados de átomos de carbono, tal como
os compostos orgânicos.

As principais funções inorgânicas da química são: ácidos, bases, sais e óxidos. As


outras funções, consideradas secundárias, são hidretos e carbetos, etc.

Essas 4 funções principais foram definidas por Arrhenius, químico que identificou iões
nos ácidos, nas bases e nos sais.

1.2.1.1.Teoria de Arrhenius

Por volta de 1887, Svante Arrhenius verificou, por meio de experimentos, que algumas
soluções conduziam corrente eléctrica e outras não.

Definição de ácido segundo Arrhenius

Ácidos são compostos que em solução aquosa se ionizam, produzindo como ião


positivam apenas o catião hidrogénio (H+).

4
Os ácidos de Arrhenius seguem a seguinte sequência:

Ácido + Água → Catião + Anião


H2SO3(g) + 2H2O(ℓ) → 2H3O+(aq) + SO32-(aq)
H3PO4(s) + 3H2O(ℓ) → 3H3O+(aq) + PO43-(aq)
HCℓ(g) + H2O(ℓ) → H3O+(aq) + Cℓ-(aq)

Principais ácidos e algumas de suas aplicações

Ácido clorídrico (HCl): O ácido impuro (técnico) é vendido no comércio com o nome
de ácido muriático, é encontrado no suco gástrico, é um reagente muito usado na
indústria e no laboratório, é usado na limpeza de edifícios após a sua caiação, para
remover os respingos de cal, é usado na limpeza de superfícies metálicas antes da
soldagem dos respectivos metais. 

Ácido sulfúrico (H2SO4): é o ácido mais importante na indústria e no laboratório. O


poder económico de um país pode ser avaliado pela quantidade de ácido sulfúrico que
ele fabrica e consome. O maior consumo de ácido sulfúrico é na fabricação de
fertilizantes, como os superfosfatos e o sulfato de amónio, é o ácido dos acumuladores
de chumbo (baterias) usados nos automóveis. É consumido em enormes quantidades em
inúmeros processos industriais, como processos da indústria petroquímica, fabricação
de papel, corantes, etc.

Ácido nítrico (HNO3): depois do ácido sulfúrico, ácido nítrico é o ácido mais fabricado
e mais consumido na indústria, o seu maior consumo é na fabricação de explosivos,
como nitroglicerina (dinamite), trinitrotolueno (TNT), trinitrocelulose ou o também
chamado algodão pólvora e ácido pícrico e picrato de amónio.

Ácido fosfórico (H3PO4): Os seus sais (fosfatos) têm grande aplicação como
fertilizantes na agricultura.  É usado como aditivo em alguns refrigerantes. 

Ácido acético (CH3 - COOH): É o ácido de vinagre, produto indispensável na cozinha


(preparo de saladas e maioneses).

Ácido fluorídrico (HF): Tem a particularidade de corroer o vidro, devendo ser


guardado em frascos de polietileno. É usado para gravar sobre o vidro. 
Ácido carbónico (H2CO3): É o ácido das águas minerais gaseificadas e dos
refrigerantes. Forma-se na reacção do gás carbónico com a água: CO2 + H2O ⇒ H2CO3.

5
Definição de base segundo Arrhenius

Bases são compostos que em solução aquosa sofrem dissociação iónica, liberando como


único ião negativo, o anião hidróxido (OH-), ou oxidrila ou hidroxila.

As bases de Arrhenius seguem a seguinte sequência:

Base + Água → Catião + Anião


NaOH → Na + + OH- 
Ca(OH)2 →Ca2+ + 2OH-
Al(OH)3 →Al3+ + 3OH-

Principais bases e suas aplicações

Hidróxido de sódio (NaOH): é conhecida comercialmente como soda cáustica, pois


pode corroer e destruir os tecidos vivos, causando queimaduras graves na pele. Por isso,
é muito utilizada em limpezas pesadas e em produtos para desentupir pias e ralos, mas
seu uso deve ser feito com luvas apropriadas.

O hidróxido de sódio também é usado pela indústria petroquímica em uma das etapas da
fabricação de papel, celulose, tecidos, corantes e produtos de uso doméstico.

Sua fonte de obtenção é a reacção de electrólise de uma solução aquosa de cloreto de


sódio (NaCl), conforme mostrado na reacção a seguir:

2NaCl + 2H2O → 2NaOH + H2 + Cl2

Hidróxido de cálcio (Ca(OH)2): Sólido branco, pouco solúvel em água, também


chamado de cal hidratada, cal extinta ou cal apagada, porque sua preparação se dá pela
hidratação do óxido de cálcio (CaO), que é conhecido como cal virgem ou cal viva.

Quando essa substância é misturada com água, ela é chamada de leite de cal ou água de
cal. A cal é aplicada principalmente em construções, na preparação de argamassa para
assentar tijolos, para recobrir paredes e na pintura de paredes (caiação). Outros usos são
em insecticidas, fungicidas e no tratamento de águas e esgotos.

Hidróxido de magnésio (Mg(OH)2): O hidróxido de magnésio também é um sólido


branco, pouco solúvel em água. A sua principal aplicação se dá na forma de leite de

6
magnésia, que é usado como laxante e antiácido e é conseguido misturando-se o
hidróxido de cálcio em água numa proporção de 7% em massa.

Hidróxido de amónio (NH4OH): É obtido ao se borbulhar amónia (NH3) em água,


conforme a reacção abaixo:

NH3 (aq)+ H2O(l) ↔ NH4+ (aq) + OH- (aq)

Assim, não existe uma substância hidróxido de amónio, mas sim soluções aquosas de
amónia interagindo com a água, originando os iões amónio (NH4+ ) e hidróxido (OH-).

O hidróxido de amónio é conhecido comercialmente por amoníaco, sendo muito


utilizado na produção de ácido nítrico para a produção de fertilizantes e explosivos.

Ele também é usado em limpeza doméstica, na produção de compostos orgânicos e


como gás de refrigeração.

Definição de sais segundo Arrhenius

Sais são compostos iónicos que possuem, pelo menos, um catião diferente de H+ e um
anião diferente de OH-.

Exemplo: NaCl → Na+  + Cl-

Principais sais e suas utilizações

Bicarbonato de Sódio (NaHCO3)  - É usado em medicamentos que atuam como


antiácidos estomacais. É também empregado como fermento na fabricação de pães,
bolos, etc., uma vez que libera gás carbónico aquecido, que permite o crescimento da
massa. É, ainda, usado para fabricar extintores de incêndio de espuma.

Carbonato de Cálcio (CaCO3) - Componente do mármore, é usado na confecção de


pisos, pias, etc. O carbonato de cálcio (calcário) é também empregado na fabricação do
vidro comum e do cimento.

Sulfato de Cálcio (CaSO4)  - É um sal usado na fabricação do giz e do gesso de


porcelana.

Cloreto de Sódio (NaCl)- Esse sal é intensamente usado na alimentação e também na


conservação de certos alimentos; além disso, é um dos componentes do soro caseiro,

7
usado no combate à desidratação. No sal de cozinha, além do cloreto de sódio existe
uma pequena quantidade de iodeto de sódio (NaI) e de potássio (KI). Isso previne o
organismo contra o bócio ou "papo", doença que se caracteriza por um crescimento
exagerado da glândula tiroide, quando a alimentação é deficiente em sais de iodo.

Fluoreto de Sódio (NaF)- É um sal usado na fluoretação da água potável e como


produto anticárie, na confecção de pasta de dente.

Nitrato de Sódio (NaNO3) - Conhecido como salitre do Chile, esse sal é um dos adubos
(fertilizantes) nitrogenados mais comuns.

Definição de óxidos
São compostos binários, que têm dois elementos (iónicos ou moleculares), possui
oxigénio na sua composição, sendo ele o seu elemento mais electronegativo.

Exemplos: dióxido de carbono ou gás carbónico (CO 2), monóxido de carbono (CO),


óxido de sódio (Na2O) e óxido de zinco (ZnO).

Principais Óxidos e suas utilizações

Peróxidos: na indústria é usada como clarificadores (alvejantes) de tecidos, polpa de


celulose, etc. Para essas utilizações sua concentração é superior a 30% de peróxido de
hidrogénio. A solução aquosa com concentração de 3% de peróxido de hidrogénio,
popularmente conhecida como água oxigenada, é usada como anticéptico e algumas
pessoas a utilizam para a descoloração de pelos e cabelos.

Dióxido de silício: é o óxido mais abundante da crosta terrestre, ele é um dos


componentes dos cristais, das rochas e da areia.

Óxido de Cálcio (CaO): Obtido a partir da decomposição do calcário, é usado na


agricultura para diminuir a acidez do solo e também na preparação de argamassa na
construção civil.

Óxido Nitroso (N2O): Conhecido como gás hilariante, esse óxido inalado em pequena
quantidade provoca euforia, mas pode causar sérios problemas de saúde; é utilizado
como anestésico.

8
Dióxido de Enxofre (SO2): É usado para a obtenção de ácido sulfúrico e no
branqueamento de óleos alimentícios, entre outras aplicações. É um dos principais
poluentes atmosféricos; em dias húmidos, combina-se com o vapor de água da
atmosfera e origina a chamada chuva ácida.

Monóxido de Carbono (CO): Usado para obter certos produtos químicos e na


metalurgia do aço. É normalmente o principal poluente da atmosfera das zonas urbanas;
inalado combina com a hemoglobina das hemácias do sangue, neutralizando-as para o
transporte de gás oxigénio no organismo.

2. DIOXIDO DE CARBONO

O dióxido de carbono (CO2), também conhecido como anidrido carbónico  ou  e gás


carbónico é um composto químico constituído por dois átomos de oxigénio e um átomo
de carbono. O dióxido de carbono foi descoberto pelo Escocês Joseph Black em 1754.

2.1. DESCRIÇÃO GERAL E PROPRIEDADES

O dióxido de carbono é um gás ligeiramente tóxico, inodoro, incolor e de sabor acido. O


CO2 não é combustível nem alimenta a combustão. É 1,4 vezes mais pesado que o ar. O
dióxido de carbono evapora a pressão atmosférica e -78°C. O dióxido de carbono pode
interagir de forma violenta com bases fortes, especialmente em altas temperaturas.

O anidrido carbónico ou dióxido de carbono é resultado da combinação de dois


elementos: o carbono e o oxigénio (CO2). É um produto de reacção em diferentes
processos, tais como, a combustão do carvão e dos hidrocarbonetos, a fermentação dos
líquidos e a respiração dos seres humanos e dos animais.

Também se encontra em fraca concentração na atmosfera terrestre. Este gás e


assimilado pelas plantas e libertam oxigénio. O CO2 gasoso tem um odor ligeiramente
irritante, e incolor e mais pesado que o ar.

Congela a -78,5 ˚C formando neve carbónica, que e muito instável para poder ser
isolado facilmente. O gás é levemente ácido e para algumas pessoas têm o gosto e o
odor levemente cáustico. Este gás possui fórmula CO2 e massa molecular 44,01.

9
2.3. DADOS FÍSICOS DO GÁS CO2

2.3.1. Propriedades específicas

Ponto de Ebulição 760 mmHg – 78,5 ˚C


Massa específica 1,83 Kg/m3
Pressão de Vapor a 20 ˚C 838 psig
Densidade do Vapor (ar=1) 1.522 à 21 ˚C
Solubilidade em Água 0,9%

Aparência e Odor Gás incolor e inodoro

2.4. PRODUÇÃO

O dióxido de carbono é obtido como subproduto de algumas combustões. Entretanto,


deve passar por um processo de purificação no qual são extraídos os restos de água,
oxigénio, nitrogénio, argónio, metano e etileno, entre outros.
O gás carbónico ou anidrido carbónico (CO2), é o resultado da queima do carvão em
duas etapas. Na primeira, há a formação do monóxido de carbono (CO) e, na segunda,
ocorre a queima deste, produzindo o gás carbónico.

I. 2C (g) + O2 (g) →2CO (g)


II. 2CO (g) + O2 (g) →2CO2 (g)

10
2.4.1. Dióxido de carbono medicinal

Mais conhecido como gás carbónico, corresponde a apenas 0,03% dos gases da
atmosfera, mas nos oceanos é encontrado numa concentração 62 vezes maior.

É utilizado para insuflação em cirurgias pouco invasivas, como a laparoscopia,


endoscopia e artroscopia, bem como para ampliar e estabilizar cavidades do corpo,
possibilitando uma melhor visualização do campo cirúrgico.

2.4.2. Dióxido de carbono – Gelo seco

O gelo seco que não e mais do que CO 2 no estado sólido compactado na forma de
pequenos cilindros, encontra-se a cerca de -80 ˚C. Ao sublimar, o gelo seco não deixa
resíduos, pois transforma-se directamente em CO 2, o mesmo produto que e utilizado
para carbonatar as bebidas com gás, libertando três vezes mais frio que o mesmo
volume de gelo hídrico e a uma temperatura muito mais baixa. Deste modo, não são
necessárias grandes quantidades de gelo seco para produzir frio.

A sua elevada densidade permite ainda ocupar pouco espaço, o que torna muito usado
no transporte de produtos. A sua forma compactada em "pellets" ou em "nuggets" torna-
o, também, num produto fácil de manipular e de aplicação imediata, o que associado a
rapidez e ao elevado poder de refrigeração que lhe é característico, permite uma enorme
variedade de utilizações no domínio do frio. Por outro lado, a libertação de uma
atmosfera de CO2 gasoso, quando da sua sublimação, confere ao gelo seco propriedades
bacteriostáticas e fungistaticas, o que significa que este tem a capacidade não só de
"produzir frio" como ainda de inibir o desenvolvimento de microrganismos.

2.5. FONTES DO DIÓXIDO DE CARBONO

O dióxido de carbono pode ser encontrado na natureza nas seguintes situações:

 É eliminado no processo de respiração realizado por alguns seres vivos, como o


ser humano;
 Compõe o ar atmosférico;
 Dissolvido na água;
 No metabolismo de seres anaeróbicos: na célula desses seres, ocorre a quebra e
transformação de carboidrato, sem a presença de gás oxigênio, o que origina, por
exemplo, um álcool e o dióxido de carbono;

11
Durante a realização da fotossíntese: nesse processo químico, o dióxido de carbono
reage com a água na presença de luz, formando matéria orgânica e gás oxigênio e água;

2.6. PROBLEMAS CAUSADOS PELO DIÓXIDO DE CARBONO

O dióxido de carbono é um gás que é liberado no processo de respiração, precisamente,


na expiração, de todos os seres humanos e também na queima dos combustíveis fósseis
como a gasolina, diesel, querosene, carvão mineral e vegetal.

Por um lado, o dióxido de carbono é de vital importância para a vida das pessoas no
planeta, por outro, pode ser um vilão prejudicando o meio ambiente e, por conseguinte,
a vida de todos os seres humanos.

 A grande quantidade de dióxido de carbono na atmosfera é prejudicial ao planeta, pois


ocasiona o efeito estufa e, por consequência, o aquecimento global.

 O aquecimento global é um dos maiores problemas que a humanidade enfrenta em


matéria de sustentabilidade e meio ambiente. Se bem é necessário o uso do dióxido de
carbono, deve-se ter a consciência das consequências do seu uso, e portanto, deve-se
levar em consideração o seu bom uso.

Fig. 1 Emissão do gás carbónico na atmosfera.

12
CONCLUSÃO

Após a realização do trabalho pode se concluir que os compostos inorgânicos são mais
abundantes na terra do que os orgânicos, principalmente devido a composição do núcleo
e são geralmente encontrados na natureza como minerais. Também concluir que o
dióxido de carbono é um gás obtido por duas fases em que na primeira ocorre a
formação do monóxido de carbono (CO), e na segunda fase da se a queima deste,
produzindo o gás carbónico, em que por um lado, o dióxido de carbono é de vital
importância para a vida das pessoas no planeta, por outro, pode ser um vilão
prejudicando o meio ambiente e, por conseguinte, a vida de todos os seres humanos,
quando emitido a atmosfera causando o efeito estufa que gera o aquecimento global é
um dos maiores problemas que a humanidade enfrenta em matéria de sustentabilidade e
meio ambiente.

13
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.

MATUSSE, Maneca & VEIGO, Margarida. Química 11ª Classe. Maputo: Texto
Editores. 2007.

SOUZA, A. C.; GONÇALVES, A. Química Geral e Inorgânica – Colecção Química


Hoje. 3ª Ed. Vol 1, Rio de Janeiro. 2008.

14