Você está na página 1de 18

M A N U A L T R A B A L H I S TA

de enfrentamento ao Coronavírus

atualizado até 12/04/2020


Sumário
1 2 3 4 5
Introdução Teletrabalho Antecipação de Férias Coletivas Antecipação de Feriados
Pág. 1 Pág. 2 Férias Individuais Pág. 4 Pág. 5
Pág. 3

8 7 6
Redução de Salário e Suspensão do Contrato Banco de Horas
Jornada de Trabalho Pág. 6
Pág. 10 Pág. 7

9 10 11 12 13
Saque do FGTS Postergação do Certidão de Segurança e FAQ
pelo Empregado Recolhimento do Regularidade Medicina Pág. 14
Pág. 12 FGTS pelo Empregador Pág. 12 do Trabalho
Pág. 12 Pág. 13
1 Introdução

A crise econômica e as medidas


restritivas decorrentes da pandemia
de Coronavírus tem levantado uma
série de questões trabalhistas.
Enquanto empresas perguntam o que
devem fazer para diminuir custos com
folha de pagamentos, empregados
questionam o que fazer para manter
seus empregos.

Este manual tem como objetivo


apresentar as alternativas trazidas
pelas Medidas Provisórias editadas
pelo Governo Federal e estão
condicionadas à duração do estado
de calamidade pública que, a princípio
terá duração até 31 de dezembro
de 2020. Este período poderá ser
reduzido ou aumentado através de
ato do Governo Federal.

Vamos às medidas?
2 Teletrabalho

O que é Equipamentos:
O trabalho é realizado na residência do a) Poderão ser fornecidos pelo empregador, em
empregado, desde que isso seja possível regime de comodato (empréstimo).
com a adoção de recursos de tecnologia
b) Poderão ser utilizados os equipamentos do
da informação. O empregado continuará
empregado.
trabalhando normalmente e seu salário pago
integralmente. c) Se o empregador não tiver os equipamentos
para empréstimo e nem o empregado os tiver
A quem se aplica para uso, o tempo de sua jornada contratual
será considerado como tempo a disposição do
Trabalhadores em geral, inclusive aprendizes e empregador (“aguardando ordens”).
estagiários.
Gastos
Requisitos
Aditivo contratual deverá ser firmado previamente
A MP 927 dispensou a necessidade de ou em até 30 dias, para regular questões como
aceitação do empregado. O empregador reembolso das despesas geradas pelo teletrabalho
poderá, a seu critério, alterar o regime de (uso de internet, consumo de energia elétrica etc.).
trabalho presencial para o teletrabalho. O
empregador é responsável por orientar seus
empregados quanto às normas de segurança, Jornada
a fim de evitar o adoecimento do trabalhador, A CLT prevê que não haverá controle de jornada
bem como acidentes. durante o regime de teletrabalho. Contudo, esta
questão é, ainda, controvertida na
Prazo de comunicação Justiça do Trabalho.
O empregador comunicará ao empregado o
início do novo formato com antecedência de
48 horas, por escrito ou por meio eletrônico
(email, WhatsApp etc.).
2
3 Antecipação de
férias individuais
O que é Condições:
Antecipação de férias individuais que ainda não a) Mínimo de 5 dias corridos.
estão vencidas.
b) Se o período aquisitivo estiver em curso, não há
necessidade de concordância do empregado.
A quem se aplica
c) Se for antecipação de períodos aquisitivos
Empregados, inclusive domésticos. futuros, deverá haver acordo entre empregado
e empregador.
Prazo de comunicação d) Conversão de 1/3 de férias em abono pecuniário
O empregador comunicará ao empregado com depende de concordância do empregador.
antecedência de 48 horas, por escrito ou por
meio eletrônico (email, WhatsApp etc.) o período
de gozo das férias. Dispensada a comunicação Pagamento:
prévia ao órgão local do Ministério da Economia a) Poderá ser feito até o 5º dia útil do mês
(Superintendências e Gerências Regionais do subsequente ao do início do gozo das férias.
Trabalho) e ao Sindicato.
b) O pagamento do terço constitucional poderá
ser feito até o dia 20 de dezembro.
Grupo de Risco
Os trabalhadores que pertençam ao grupo de
risco do coronavírus deverão ser priorizados
para o gozo de férias.

3
4 Férias coletivas

O que é Grupo de Risco


Concessão de férias a todos os empregados da Os trabalhadores que pertençam ao grupo de risco
empresa ou de alguns setores. do coronavírus serão priorizados para o gozo de
férias.

A quem se aplica
Empregados, inclusive domésticos. Pagamento:
a) Poderá ser feito até o 5º dia útil do mês
Prazo de comunicação subsequente ao do início do gozo das férias.

O empregador comunicará ao empregado com b) O pagamento do terço constitucional poderá


antecedência de 48 horas, por escrito ou por ser feito até o dia 20 de dezembro.
meio eletrônico (email, WhatsApp etc.) o período
de gozo das férias. Dispensada a comunicação
prévia ao órgão local do Ministério da Economia
(Superintendências e Gerências Regionais do
Trabalho) e ao Sindicato.

4
5 Antecipação
de feriados
O que é
Antecipação do gozo de feriados federais,
estaduais e municipais.

A quem se aplica
Empregados, inclusive domésticos.

Prazo de comunicação
O empregador comunicará ao empregado com
antecedência de 48 horas, por escrito ou por meio
eletrônico (email, Whatsapp etc.) expressamente
os feriados que terão a antecipação do gozo.

Condições:
a) Para feriados não religiosos a antecipação será
por ato unilateral do empregador.
b) Para feriados religiosos há a necessidade de
concordância expressa do empregado.

5
6 Banco de horas

O que é
Horas não trabalhadas poderão ser compensadas
dentro após o encerramento do período de
calamidade.

A quem se aplica
Empregados , inclusive domésticos.

Condições:
a) Acordo coletivo ou individual escrito.
b) A compensação das horas não trabalhadas
poderá ser feita dentro do prazo de dezoito meses
após o encerramento do estado de calamidade.
c) Prorrogação da jornada em até duas horas
diárias, observado o limite máximo de jornada de
10 horas.

6
7 Suspensão do
contrato de trabalho
O que é d) Empregado terá direito a todos os benefícios já
concedidos pela empresa (vale alimentação, cesta
Na suspensão do contrato de trabalho não haverá
básica, seguro de vida, assistência médica etc.).
a prestação de serviços e nem o pagamento de
salário. O Governo Federal pagará um Benefício e) Empregado poderá recolher contribuição
Emergencial aos empregados com o contrato previdenciária como contribuinte facultativo
suspenso. durante o período de suspensão.
f) Ficará descaracterizada a suspensão, com
A quem se aplica consequente pagamento integral da remuneração
Empregados, inclusive aprendizes, empregados de todo o período, caso o empregado execute
com jornada parcial e domésticos. qualquer atividade de trabalho, por qualquer meio.

Prazo Término da
Durante a vigência do estado de calamidade suspensão contratual:
pública, por 60 dias, podendo ser dividido em dois
períodos de 30 dias. a) Fim do estado de calamidade pública.
b) Término do prazo estipulado entre as partes
Condições: para a suspensão contratual.
a) Pactuada por acordo individual ou coletivo, a c) Deliberação do empregador de que a suspensão
depender da faixa salarial do empregado (ver será encerrada.
tabela pág. 9).
b) Comunicação com antecedência mínima de
dois dias corridos.
c) Acordos individuais devem ser comunicados
ao sindicato em até 10 dias.

7
Ajuda compensatória
Obrigatória para empresas que tiveram receita
bruta em 2019 superior a R$ 4.800.000,00, no valor
correspondente a 30% do salário do empregado.
Não terá natureza salarial. Para as demais
empresas a ajuda compensatória é facultativa e
deverá constar do acordo firmado.

Valor do benefício
emergencial
O valor do benefício emergencial será 100% ou
70% do valor a que o empregado teria direito
a título de Seguro Desemprego, a depender da
receita bruta da empresa em 2019 (inferior ou não
a R$ 4.800.000,00). Veja a tabela da página 9.

Garantia de emprego
Pelo dobro do tempo de duração da suspensão
contratual. Ocorrendo a dispensa sem justa
causa durante este período, será devida uma
indenização equivalente a 100% do valor do salário
do empregado, além das verbas rescisórias.

8
Empresas com receita bruta acima de R$ 4.800.000,00 em 2019
Benefícios
Valor do Modalidade de Ajuda Valor do Benefício Concedidos
Salário Acordo Compensatória Emergencial pelo Empregador

até R$ 3.135,00 Individual

Obrigatória – 30% do 70% do valor do seguro


entre R$ 3.135,01 Coletivo Todos devem ser mantidos
salário do empregado desemprego que seria
a R$ 12.202,11
devido ao empregado
acima de
R$ 12.202,12 e Individual
diploma universitário

Empresas com receita bruta abaixo de R$ 4.800.000,00 em 2019

Benefícios
Valor do Modalidade de Ajuda Valor do Benefício Concedidos
salário Acordo Compensatória Emergencial pelo Empregador

até R$ 3.135,00 Individual

Facultativa – negociação 100% do valor do seguro


entre R$ 3.135,01 desemprego que seria Todos devem ser mantidos
Coletivo entre as partes
a R$ 12.202,11
devido ao empregado
acima de
R$ 12.202,12 e Individual
diploma universitário

Observação
O valor máximo para pagamento do Benefício Emergencial é de R$ 1.813,03
9
8 Redução de
salário e jornada
O que é Valor do salário Redução de 25% Redução de 50% Redução de 70%
Redução de salário e de jornada, com a
complementação por parte do Governo Federal até R$ 3.135,00 Acordo individual
de um Benefício Emergencial.
entre R$ 3.135,01
Acordo individual Acordo coletivo

A quem se aplica
a R$ 12.202,11

acima de
Empregados, inclusive aprendizes, empregados R$ 12.202,12 e Acordo individual
diploma universitário
com jornada parcial e domésticos.

Prazo
c) Comunicação ao empregado com antecedência
Durante a vigência do estado de calamidade mínima de 2 dias corridos.
pública, por até 90 (noventa) dias.
d) Acordos individuais devem ser comunicados
aos sindicatos em até 10 dias.
Condições: e) Para a estipulação de outros percentuais de
a) Preservação do salário-hora do empregado. redução de jornada e salário, será necessária a
celebração de um acordo coletivo.
b) Pactuada por acordo individual ou coletivo,
dependendo da faixa salarial do salário do
empregado, conforme tabela a seguir:

10
Término da redução de Redução de Salário
salário e jornada: e Jornada
Multa

a) Fim do estado de calamidade pública.


≥ 25% e < 50% 50% do salário do empregado
b) Término do prazo estipulado entre as partes
para a redução de salário e jornada. ≥ 50% e < 70% 75% do salário do empregado
c) Deliberação do empregador de que a redução
de jornada e salário será encerrada. ≥ 70% 100% do salário do empregado

Ajuda compensatória
Poderá ser paga por liberalidade pelo Valor do benefício
empregador. Terá natureza indenizatória, não emergencial
integrando base para recolhimento do imposto
de renda, contribuição previdenciária e FGTS. O valor pago pelo Governo Federal dependerá do
percentual de redução utilizado pelas partes:

Garantia de emprego
Pelo dobro do tempo de duração da redução Valor do Benefício
Valor da Redução de
de jornada e salário contratual. Ocorrendo a
Salário e Jornada Emergencial
dispensa sem justa causa durante este período,
além das verbas rescisórias, será devida uma
< 25% Sem benefício
indenização, calculada da seguinte forma:
25% do valor que seria devido
≥ 25% e < 50%
no Seguro Desemprego

50% do valor que seria devido


≥ 50% e < 70% no Seguro Desemprego

70% do valor que seria devido


Acima de 70%
no Seguro Desemprego
11
9 Saque do FGTS
pelo empregado
A Medida Provisória 946/2020 trouxe a Prazo de declaração/opção
possibilidade de saque do saldo do FGTS até o
o empregador deverá declarar a sua opção por
limite de R$ 1.045,00, através de cronograma a
esta possibilidade até o dia 20/06/2020.
ser divulgado pela Caixa Econômica Federal.

Será permitida a opção por crédito automático em


conta corrente ou poupança, desde que o titular Condições:
seja o próprio trabalhador. a) O empregador deverá declarar as informações
referentes aos recolhimentos até o dia 20/06/2020.
b) Valores não declarados serão considerados

10
Postergação do como parcelas em atraso.

recolhimento do c) Ocorrendo rescisão contratual sem justa


causa, o empregador deverá providenciar os
FGTS pelo empregador recolhimentos dentro do prazo previsto na
legislação do FGTS, inclusive da multa calculada
sobre o saldo em conta (multa de 40%).
O que é
Possibilidade de recolhimento do valor mensal do
FGTS dos meses de Março, Abril e Maio em seis

11
parcelas mensais a partir do mês de julho/2020.

A quem se aplica Certidão de regularidade


Todos os empregadores.
As certidões emitidas antes de 22/03/2020 serão
prorrogadas por 90 dias.

12
12 Segurança e medicina
do trabalho
Exames ocupacionais
Suspensa a obrigatoriedade dos exames
ocupacionais, que deverão ser realizados dentro
do prazo de 60 dias após o término do período de
calamidade pública.

Exames demissionais, entretanto, deverão ser


realizados, salvo se o último exame ocupacional
tiver sido realizado há menos de 180 dias.

Treinamentos obrigatórios
Suspensas a exigibilidade de treinamentos
obrigatórios previstos nas normas
regulamentadoras, durante o período de calamidade
pública. Cessado o estado de calamidade pública,
o empregador terá o prazo de 90 dias para concluir
todos os treinamentos exigidos.

O empregador poderá adotar a modalidade de


ensino a distância.

CIPA
Possibilidade de manutenção da CIPA atual
até o encerramento do estado de calamidade.
Procedimentos eleitorais poderão ser suspensos.

13
13 FAQ

1. É obrigatório o pagamento 4. É obrigatório o pagamento de


de uma ajuda de custo para o uma ajuda compensatória no caso
empregador que permanecer em de redução de jornada e salário?
teletrabalho? Não. A ajuda compensatória no caso de redução
de jornada e salário é facultativa e, se adotada,
Não. Isto deverá ser negociado entre as partes.
não terá natureza salarial.

2. Posso adotar a redução de 5. Se um empregado for


jornada e salário apenas para um aposentado ele terá direito ao
grupo de empregados? benefício emergencial pago pelo
Sim.
Governo Federal?
Não.
3. Posso utilizar a redução de
jornada e salário e depois a 6. É possível o saque do FGTS no
suspensão contratual ? estado de calamidade pública por
Sim, desde que observado que o período total das
duas medidas não ultrapasse a 90 dias.
causa do coronavírus?
A medida provisória 946 permitiu o saque de até
R$ 1.045,00 das contas de FGTS, em cronograma
que será oportunamente divulgado pela CEF.

14
7. É necessária a concordância do 9. As medidas de redução de salário
empregado para a concessão de e jornada e suspensão do contrato
férias? se aplicam aos trabalhadores
Não para os casos de férias vencidas e com domésticos?
período aquisitivo em curso. Se, no entanto,
Sim.
houver a antecipação de férias de períodos
aquisitivos futuros, o empregador deverá obter a
concordância do empregado. 10. Durante o período de
suspensão do contrato de trabalho,
8. Se o empregado que teve o o trabalhador terá direito ao Vale
contrato suspenso for demitido, Transporte?
ele perderá o direito ao seguro Não. O Vale transporte se destina a custear
desemprego? exclusivamente as despesas no deslocamento
residência/trabalho.
Não, o recebimento do benefício emergencial
durante a suspensão contratual, não impede que
futuramente o empregado venha a solicitar o
seguro desemprego, se for demitido.

15
consultoria@granadeiro.com.br
www.granadeiro.com.br