Você está na página 1de 20

APRESENTAÇÃO

Professora Fabíola Rodrigues – Língua Portuguesa

Olá! Meu nome é Fabíola


Rodrigues, sou formada em Letras pela
UFRJ e possuo Mestrado em Letras
Neolatinas pela mesma Universidade.
Em 2014 me especializei em Educação a Distância
pela UFF.
Atuo com professora de Língua Portuguesa
há 10 anos e, durante 3, atuei como corretora de
redação em concursos, inclusive a nível nacional.
Sou professora concursada de Língua Portuguesa do Município do Rio de
Janeiro e do Estado. No início de 2018 decidi sair das quatro paredes da sala
de aula e ajudar você a realizar o sonho de passar em um concurso público
também.

Professora Fernanda Nascimento – Conhecimentos Pedagógicos

Olá! Meu nome é Fernanda Nascimento. O


meu Ensino Médio foi em Formação de
Professores. Em seguida, me formei em Pedagogia
pelo Centro Universitário Moacyr Sreder Bastos.
Possuo 3 especializações: Educação Infantil, pela
PUC/RJ; Gestão Educacional, pela UCB e
Psicopedagogia Clínica pela Faculdade São José.
Atuo há 13 anos na área da Educação e há
4 em cursos preparatórios para concursos na área de pedagogia. Sou
professora concursada do Município do Rio de Janeiro. Agora é a sua vez de
conquistar a tão sonhada matrícula pública!!!

Neste e-book, selecionamos e escrevemos possíveis temas para a


questão discursiva do concurso de Professor Adjunto de Educação Infantil.
Vamos lá?
10 DICAS PARA ARRASAR NA REDAÇÃO

1- Normalmente a organizadora apresenta um texto motivador. O


texto motivador NÃO DEVE ser copiado pelo candidato.
2- Seja objetivo. Expresse o máximo que você sabe, em menor
quantidade de palavras.
3- Mostre que você domina o assunto.
4- Seja claro.
5- Cuidado com a rasura! Caso erre alguma palavra, faça um risco
assim.
6- Escreva de forma bem legível, pois caso o corretor não entenda a
sua letra, a sua nota será prejudicada.
7- Não use expressões como “eu acho”, “eu penso” ou “na minha
opinião”. O texto deve ser escrito em terceira pessoa.
8- Se o máximo de linhas exigido no seu edital é de 25, sugiro
escreva no mínimo 23.
9- Diversifique as palavras. Estude sobre “elementos de coesão”,
para incrementar seu texto.
10- Faça um roteiro com os itens que você pretende abordar em sua
redação.

CONECTIVOS PARA VOCÊ USAR EM SUA REDAÇÃO

Idéia de adição
 Além disso
 Mas também
 Do mesmo modo
 Pela mesma razão
 Também
 Como também
 Em seguida
 Bem como
 Adicionalmente
 Não só... mas
 Também
 Seguidamente
 Ademais
Ideia de Comparação
 Igualmente
 Da mesma forma
 Assim também
 Do mesmo modo
 Similarmente
 Semelhantemente
 Analogamente
 Por analogia
 De maneira idêntica
 De acordo com
 Da mesma maneira
 Conforme
 Tal qual
 Tanto quanto
 Assim como
 Bem como

Ideia de Certeza
 Por certo
 Certamente
 Indubitavelmente
 Sem dúvida
 Inegavelmente
 Com certeza
 É evidente que
 Decerto
 Com toda certeza
 Naturalmente
 Evidentemente
 Inquestionavelmente

Ideia de Oposição
 Porém
 Ainda assim
 Mesmo assim
 Apesar de
 Contudo
 No entanto
 Por outro lado
 Em vez de
 Todavia
 Mas
 Pelo Contrário
 Entretanto
 Apesar disso
Concessão
 Ainda que
 Mesmo que
 Se bem que
 Nem que
 Apesar de que
 Por mais que
 Por menos que
 Ainda assim
 Mesmo assim
 Embora

Ideia de Conclusão
 Logo
 Pois
 Assim
 Por isso
 Por conseguinte
 Portanto
 Enfim
 Nesse sentido
 Assim sendo
 Em suma
 Em síntese
 Dessa forma
 Dessa maneira
 Desse modo
CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Nas provas discursivas com uma grande quantidade de linhas não basta
simplesmente respondermos à questão. Devemos seguir uma estrutura com
introdução, desenvolvimento e conclusão, e, dentro dessa estrutura, devemos
informar e esclarecer o leitor (nesse caso a banca) através da exposição de
determinado assunto ou tema. Para isso é necessário que você domine o
assunto. O nome para esse tipo de texto é dissertativo-expositivo. Esse tipo
de texto é usado em: livros, aulas e resumos escolares, textos científicos,
textos para transmissão de conhecimentos em diversos meios de
comunicação, etc.
Cabe lembrar que, na prova discursiva, é importante que dentro da sua
resposta você cite uma lei, um autor. Isso mostra que você conhece o assunto.
Caso caia o gênero CARTA, como em 2015, você deverá escrever essa
carta do mesmo jeito: dissertativo-expositivo, pois irá esclarecer o
“responsável” sobre determinado assunto. A diferença é que você deverá
colocar no início o local e a data: "Rio de Janeiro, 17 de março de 2019",
abaixo da data, o vocativo seguido de vírgula "Senhor Responsável," e, em
seguida, iniciará o texto. Ao final, deverá assinar apenas como "Professor
Adjunto de Educação Infantil ". NÃO coloque seu nome em hipótese alguma,
ou será eliminado do certame. Algumas provas pedem para assinar com um
determinado nome, como João, por exemplo. Caso peçam no enunciado, então
você usar é o nome pedido, ok? MAS SÓ SE PEDIREM E INFORMAREM
QUAL NOME VOCÊ DEVERÁ USAR. Não invente um nome, pois a banca irá
achar que é a sua assinatura e você será eliminado.
Acreditamos que não caia um gênero textual difícil ou pouco usado.
Mas, caso aconteça, saiba que neste e-book você tem a base para desenvolver
a sua resposta, com embasamento teórico e muito conteúdo.
Caso caia o gênero e-mail, você fará como a carta, a diferença é que
após a data você deverá colocar assunto. "Assunto: avaliação na Educação
Infantil " ou "Assunto: o cotidiano da Educação Infantil", enfim, o assunto terá a
ver com o tema.
Vamos começar?
TEMA 1 – Explique como deve acontecer a avaliação na Educação Infantil.

OBS: o tema avaliação pode aparecer como AVALIAÇÃO ou como


OBSERVAÇÃO E REGISTRO.

Na Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica, não existe


avaliação com o objetivo de promover o aluno. De acordo com o artigo 31
(seção 11) da LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e com o artigo 10º
do DCNEI (Diretrizes Curriculares da Educação Infantil), a avaliação deve ser
feita através do acompanhamento e registro do desenvolvimento de cada
criança, sem o objetivo de promoção, mesmo para o Ensino Fundamental.
A finalidade da avaliação, nesta fase, é auxiliar o processo de ensino-
aprendizagem, além de fortalecer a autoestima do discente. Ela pode ser
realizada de diversas maneiras: através do diagnóstico, onde é registrado o
perfil do aluno e a fase de desenvolvimento em que ele se encontra; através da
observação, onde é registrado os avanços da criança ao longo do processo de
ensino-aprendizagem; mediante relatórios, que podem ser em forma de
fotografias, áudios, vídeo, etc.; por intermédio do portfólio, o qual deve
apresentar os avanços e mudanças conceituais, e por autoavaliação, que pode
ser expressa oralmente, por desenhos e pinturas a cores, entre outros.
São diversos os instrumentos que podem ser utilizados para
acompanhar o desenvolvimento das crianças. Entretanto, cabe ao professor
decidir qual a melhor forma de avaliação, de acordo com a realidade da sala de
aula e com o planejamento pedagógico.

TEMA 2 – Explique como devem ocorrer as atividades de rotina na


Educação Infantil.

A Educação Infantil é a primeira etapa da Educação Básica e é nela que


se inicia o processo educacional. Segundo a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular), a entrada na pré-escola, na maioria das vezes, significa a primeira
separação da criança dos seus vínculos, para se inserirem a uma socialização
estruturada.
A orientação da BNCC, na Educação Infantil, é trabalhar com foco nos
eixos estruturais “interagir” e “brincar”, pois é a partir da interação e das
brincadeiras que a criança se desenvolve. Além disso, a BNCC estabelece,
ainda, seis direitos de aprendizagem: conviver, brincar, participar, explorar,
expressar-se e conhecer-se. É a partir desses conceitos que as crianças
consolidam todos os seus direitos de aprendizagem.
A BNCC na Educação infantil é estruturada em cinco campos de
experiência, que é um arranjo curricular que acolhe as experiências vividas
pelas crianças e os relaciona com os conhecimentos que fazem parte do
patrimônio cultural. Esses campos são: “o eu, o outro e o nós”; “o corpo, gestos
e movimentos”; “traços, sons, cores e formas”; “escuta, fala, pensamento e
imaginação” e “espaços, tempos, quantidades, relações e transformações”.
Diante disso, as atividades de rotina na Educação Infantil devem conter
momentos que envolvam a higiene, a alimentação, o repouso, as brincadeiras
(com jogos diversificados), os livros de histórias, atividades coordenadas por
adultos e outras atividades que se relacionem com os cinco campos de
experiência

TEMA 3 – Explique como deve ocorrer o letramento na Educação Infantil.


OBS: O processo de alfabetização não ocorre na Educação Infantil. Nessa
fase, acontece a formação de leitores e o letramento. Entretanto, caso a
discursiva fale em “alfabetização” (o que é improvável, porém não impossível),
você deverá usar a resposta deste tema, ok?
A Educação Infantil é a primeira etapa da Educação Básica e é nela que
se inicia o processo educacional. Segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da
Educação), em seu artigo 29, essa etapa tem como finalidade o
desenvolvimento integral da criança de até 5 anos, em seus aspectos físico,
psicológico, intelectual e social.
Para que os alunos aprendam a ler e escrever, é necessário que
participem de atividades de leitura e escrita desde os primeiros anos da
escolarização. E é na Educação Infantil que isso acontece: as crianças
recebem informações sobre a escrita quando brincam com a sonoridade das
palavras; quando manuseiam livros, gibis, revistas, fascículos, etc.; quando o
professor lê para a turma e serve de escriba na produção de textos coletivos.
Essa ideia é corroborada pelo RCNEI (Referencial Curricular Nacional
para a Educação Infantil) , que afirma que as crianças da Educação Infantil
deverão participar de diversas situações de comunicação oral, para interagir e
expressar seus desejos, participar de situações que as familiarize com a
escrita, como o contato com livros, revistas, etc., como citado anteriormente,
escutar textos lidos, ouvir as histórias contadas pelo professor, escolher livros
para ler e apreciar, entre outros.
Dessa maneira, percebe-se que o letramento na Educação Infantil deve
ocorrer de maneira lúdica e que o ambiente motivador e letrado torna esse
processo mais natural.

TEMA 4 - Questão adaptada (colégio Pedro II – Professor de educação infantil


2013)
Descreva duas práticas pedagógicas com crianças da Educação Infantil
(grupamentos de 3, 4 ou 5) que vise a formação de leitores.
A Educação Infantil é a primeira etapa da Educação Básica e é nela que
se inicia o processo educacional. O contato com as letras tem seu início bem
antes da criança chegar à escola. Vivemos em uma cultura letrada (outdoor,
letreiros, supermercados, etc.). A Educação Infantil, através de atividades
simples do cotidiano, contribui para a formação de leitores que exploram a
curiosidade. Em relação à língua escrita, dentre tantas atividades, pode-se
destacar: a chamadinha e o cantinho da leitura.
A Chamadinha deve acontecer logo no início da aula, momento o qual o
professor poderá fazer uma rodinha com a Turma, cantar algumas músicas e,
em seguida, apresentar um cartão com um nome. Para aguçar a curiosidade
das crianças, o educador poderá fazer suspenses, perguntando ao grupo se
sabe dizer o que está escrito no cartão. Após os questionamentos começarem,
o professor já poderá mencionar a primeira letra do cartão. Nesse momento, os
alunos irão perceber a escrita e o som, e, então, finalmente o professor poderá
falar em voz alta o nome escrito no cartão, e o educando com o nome na
Chamadinha poderá levantar, pegar o seu nome e colocar no quadro.
Já o cantinho da leitura é um momento o qual cada aluno poderá
escolher um livro e ficar com ele por um tempo estabelecido. Em seguida, o
grupo deverá se reunir e, cada aluno, através das figuras, contar a história do
livro do seu jeito. Uma sugestão é, a partir de cada história contada, os alunos
construírem uma história coletiva. Em seguida, o educador poderá escrever o
conto em uma cartolina e cada aluno desenhar sobre a ela, sendo, assim,
construída por todo o grupo.
Através dessas atividades, as crianças serão inseridas no mundo da
leitura e novos leitores estarão sendo formados.

TEMA 5 ( Colégio Pedro II – Professor de Educação Infantil 2013) O


cuidado pode ser compreendido como o conjunto de ações que exigem a
ocupação do adulto com a criança, da criança com ela mesma e dela com
o outro. No contexto coletivo e educacional, a ideia de indissociabilidade
entre educação e cuidado implica, portanto, atenção redobrada e
observação atenta e sensível dos professores a tudo o que as crianças
expressam. Considerando a afirmativa acima, escreva como a
indissociabilidade entre cuidar e educar é revelada no cotidiano escolar
da Educação Infantil.

Segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional) a


educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o
desenvolvimento integral da criança de até 5 (cinco) anos, em seus aspectos
físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da
comunidade.
Possibilitar o desenvolvimento e crescimento das crianças significa
educar e cuidar, isto é, estas ações acontecem de forma indissociável em toda
a prática educacional. Cuidar de crianças inclui atender a todas as
necessidades infantis, sejam elas físicas, emocionais, cognitivas ou sociais,
oferecendo-lhes condições de se sentirem confortáveis em relação ao sono,
fome, sede, higiene e dor, dando a elas real possibilidade de aprendizagem.
Significa, também, acolher, garantir a sua segurança e saúde, alimentar a
curiosidade e expressividade infantis promovendo situações pertinentes à faixa
etária atendida, ancoradas principalmente no “brincar”.
Dessa forma, é percebe-se que o “cuidar” e o “educar” são inseparáveis.

TEMA 6 - Questão adaptada (colégio Pedro II – Professor de educação


infantil 2013) - Para Vigotski (2007), a criança ao nascer já está imersa em
um contexto social, e a brincadeira se torna importante para ela
justamente na apropriação do mundo, na internalização dos conceitos
desse ambiente externo a ela. Discorra um texto dissertativo sobre a
relação do adulto, a criança e o brincar na educação infantil.

Segundo a DCNEI (Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação


Infantil), as práticas pedagógicas que compõem a proposta curricular da
Educação Infantil devem ter como eixos norteadores as interações e a
brincadeira. Através das brincadeiras as interações acontecem. O brincar é
atividade fundamental para crianças pequenas, é brincando que elas
descobrem o mundo, se comunicam e se inserem em um contexto social.
Brincar é um direito da criança, além de ser de suma importância para seu
desenvolvimento, e, por isso as escolas de ensino infantil devem dar a devida
atenção a essa atividade. Favorecer a brincadeira na educação infantil não
significa simplesmente deixar que as crianças brinquem sem que seja feita
nenhuma intervenção.
A escola deve se preocupar com todo o contexto para favorecer o
brincar das crianças. Um professor mediador constrói um ambiente também
mediador do brincar. As formas de mediação do professor são decisivas para
garantir que as crianças realmente brinquem na escola, interajam com seus
colegas, imaginem, criem regras, utilizem brinquedos diferentes, de formas
diferentes, em ambientes que estimulem a imaginação. A aprendizagem
decorrente da brincadeira vem da experimentação que a atividade propicia. As
maneiras de mediação que o professor pode utilizar no ambiente da educação
infantil são muitas, basta que ele reconheça o valor dos objetos, do ambiente,
da sua ajuda e orientação, e principalmente da sua organização, para assim
possibilitar uma qualidade no brincar de seus alunos.
TEMA 7 - Considerando os cinco campos de experiência citados na
BNCC, escreva sobre os cinco e correlacione com as atividades de rotina
no cotidiano da Educação Infantil.

A BNCC (Base Nacional Comum) é um documento plural,


contemporâneo, e estabelece com clareza o conjunto de aprendizagens
essenciais e indispensáveis a que todos os estudantes, crianças, jovens e
adultos, têm direito. Já os campos de experiências constituem um arranjo
curricular que acolhe as situações e as experiências concretas da vida
cotidiana das crianças e seus saberes, entrelaçando-os aos conhecimentos
que fazem parte do patrimônio cultural.
O “eu, o outro e o nós” é um campo e experiência, onde pode ser
realizada a atividade com a ajuda do professor. Um exemplo é uma atividade
em dupla. Nessa atividade, cada dupla deverá desenhar o seu colega e depois
expor o trabalho na sala de aula, onde cada educando deverá achar o seu
relato pintado pelo amigo.
No campo “corpo, gestos e movimentos”, é possível fazer a
atividade me mímica. Nessa atividade, um aluno irá sortear um animal e, sem
seguida, fará os movimentos imitando o animal e a turma identifica qual é.
No campo “traços, sons, cores e formas”, as crianças poderão brincar de
estátua: ao som de uma música, o professor apresentará o cartão vermelho e
os alunos deverão parar e fazer uma estátua; ao apresentar o verde,
continuarão dançando.
No campo “escuta, fala, pensamento e imaginação”, o professor poderá
apresentar às crianças várias figuras e, juntos, criarem uma história coletiva. Ao
final, o professor pode escrever a história em uma cartolina e os alunos
ilustrarem.
E, finalmente, “espaços, tempos, quantidades, relações e
transformações”. Nesse campo, o professor poderá espalhar pela sala de aula
várias tampinhas de garrafas. Os alunos, ao comando do professor, deverão
organizar o objeto por cor e depois farão a contagem para saber quantos
existem de cada cor. Em seguida, poderão fazer os registros dos números em
uma cartolina para expor no mural da sala.
Dessa maneira, será possível trabalhar os diversos campos de
experiência no cotidiano da Educação Infantil.

ATENÇÃO: Neste tema, decidimos abordar os 5 campos de experiência,


para que você tenha acesso às atividades dos 5 campos. Certamente ao
relatar os 5, você passaria das 25 linhas. Portanto, pode ser que na prova,
caso caia esse tema, seja pedido apenas 1, 2 ou 3 campos de experiência.

TEMA 8 - Questões: Prefeitura do RJ – SME 2012 - Professor de


Educação Infantil

Observe que nesse concurso de 2012, foram 2 questões e os


candidatos deveriam responder cada questão em 10 a 20 linhas.

No livro “O dia a dia das creches e pré-escolas” (MELLO, 2010, p.78), há a


seguinte passagem:

“A maneira como organizamos os ambientes dentro da creche é fundamental


para o processo de construção do conhecimento pelas crianças. (...) A
organização dos espaços na educação infantil pode ser um recurso para
algumas aprendizagens, tais como: escolher onde querem brincar,
estabelecer relações onde manifestam afetos, além de contribuir para a
construção do conhecimento pessoal e coletivo”.

Baseando-se nessas possibilidades de aprendizagens, responda às


seguintes questões:
Questão 1ª) Considere um grupamento de 25 (vinte e cinco)
crianças entre seis e dezoito meses de idade de uma creche da rede
municipal que atende em período integral. Descreva como você
organizaria o espaço dessa sala de Berçário, indicando três objetivos
pedagógicos norteadores dessa organização.

O Berçário deve ser um local instigador para aguçar a curiosidade das


crianças e deverá ser organizado com os famosos “cantinhos.”
O primeiro “cantinho” é o da leitura. Ele será organizado com livros de
borracha e de pano, para que os educandos possam manuseá-los com as
mãos e levá-los a boca, e, assim, desde de pequeninos tenham contato com a
mundo das letras.
Outro cantinho que poderá ser organizado é cantinho da pintura. Esse
terá tintas, pincéis, rolinhos de pintura, esponja e folhas A3, para que as
crianças tenham contato com as cores e possam se expressar através das
pinturas.
E, enfim, o cantinho dos brinquedos com objetos apropriados para a
idade, onde eles possam explorar e adquirir experiências.
Com essa proposta, segundo a LDB (Lei de diretrizes e bases), os
alunos estarão desenvolvendo os aspectos físicos, psicológicos, motor,
intelectual e social e afetivo.

2º Questão - Para um grupamento de 25 (vinte e cinco) crianças de


três anos de idade de uma creche pública que atende em período integral,
elabore dois objetivos pedagógicos que nortearão o trabalho com a
linguagem oral e escrita, indicando exemplos de materiais, brinquedos e
equipamentos organizados no ambiente de sala que poderiam ser
utilizados nas atividades a serem desenvolvidas.
Para responder a cada uma das duas questões discursivas, você
deve utilizar o mínimo de 10 (dez) linhas e o máximo de 20 (vinte) linhas.

É notório que as crianças de 3 anos utilizam o tempo todo a linguagem


oral. Já a linguagem escrita precisa ser inserida de forma contextualizada, e
essa acontecerá na escola.
Inserir nas crianças no mundo da escrita de forma contextualizada é
uma prática social da escola. Através de jornais, revistas e gibis, por exemplo,
os alunos terão um momento para manusear e ler através das imagens. É
papel do mediador, nessa atividade, destacar as letras existentes no material,
mostrando aos alunos que podemos escrever o que falamos.
Em um outro momento, através de sucata, poderão ser confeccionados
com os alunos chocalhos. Esse chocalhos poderão ser utilizados na hora da
“contação” de histórias, momento o qual poderão, também, cantar as músicas
referentes à história e usar os chocalhos.
Com essa proposta Segundo a Lei de diretrizes e base – LDB os alunos
estarão desenvolvendo os aspectos físicos, psicológicos, motor, intelectual e
social e afetivo.

OBS: a palavra “contação” deve ficar entre aspas, pois é um


neologismo. Porém é muito utilizado na área da educação.

TEMA 9- Escreva sobre as práticas e concepções de Educação Infantil.

É notório que as práticas pedagógicas e a concepção de Educação


Infantil são de grande importância para uma Educação Infantil de qualidade.
Segundo a Diretriz Curricular Nacional da Educação Infantil – DCNEI,
as práticas estão relacionadas à proposta curricular, na qual temos dois eixos
norteadores: interações e brincadeiras.
As atividades do cotidiano devem estar articuladas com esses dois
eixos, onde podemos destacar: as cantigas de roda, organização do espaço e
tempo, “contação” de histórias, higiene pessoal, atividades de pintura, recorte e
colagem, brincadeiras com blocos de encaixe, atividades livres e dirigidas.
Segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional) a
educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o
desenvolvimento integral da criança de até 5 (cinco) anos, em seus aspectos
físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da
comunidade.

TEMA 10 - Escreva sobre o Currículo na Educação Infantil.

Segundo a Diretriz curricular nacional da educação infantil – DCNEI, o


currículo é um conjunto de práticas que buscam articular as experiências e os
saberes das crianças, com os conhecimentos que fazem parte do patrimônio
cultural, artístico, ambiental, científico e tecnológico, de modo a promover o
desenvolvimento integral de crianças de 0 a 5 anos de idade.
A proposta curricular tem dois eixos norteadores: interações e
brincadeiras. As crianças, no ambiente da creche e da pré-escola, precisam de
um ambiente seguro e estimulante para desenvolver suas habilidades
cognitivas, psicomotoras, afetivas e sociais. Através dos campos de
experiências, como cita a BNCC (Base Nacional Comum Curricular), as
crianças têm possibilidades de explorar, brincar, questionar e interagir. Têm a
possibilidade de interagir, ainda, com a linguagem oral e escrita; desenvolver
autonomia, incentivando a criatividade e a imaginação; resolver problemas
através de vivencias reais do seu cotidiano, onde promovam o conhecimento
de si e do mundo por meio da ampliação de habilidades sensoriais,
expressivas, corporais que possibilitem movimentação ampla, expressão da
individualidade e respeito pelos ritmos e desejos da criança.

TEMA 11 - Escreva sobre Espaço e Tempo no cotidiano da Educação


Infantil.
A legislação nacional teve um grande avanço em relação à Educação,
na qual a Educação Infantil se incluiu como uma das etapas obrigatórias da
educação básica. Por isso, ao longo dos anos, foi observada a necessidade de
haver locais e pessoas que possibilitassem o cuidado e educação das crianças
com segurança.

O espaço e tempo estão relacionados à rotina da educação infantil, e ela


representa a estrutura sobre a qual será organizado o trabalho educativo
realizado com as crianças. A rotina envolve todas as ações de cuidar e educar
e, portanto, precisa pulsar em vários ritmos. Precisa ser espaço de alegria,
prazer, descobertas, viagens, etc. As crianças necessitam ter espaço para
mexer-se, locomover-se, brincar, criar, falar, ouvir. A alternância entre a
vivência de atividades - calmas e ativas (ritmo do dia) – e as modalidades de
interação – coletiva, em pequenos grupos ou em duplas, proporcionará uma
dinâmica de trabalho própria do grupo. Nesse sentido, também se deve
considerar a alternância entre atividades de mesa e as de chão, assim como o
trabalho em diferentes espaços da instituição – área externa, refeitório (em
momentos ociosos), sala de leitura etc.
Uma estratégia interessante para as crianças interagirem com essa com
o espaço e tempo é a elaboração de um quadro de rotina que demonstre a
estrutura do dia. Nele podem ser registradas as propostas do dia através de
escrita, desenho e fotografia. Combinado coletivamente pode ser alterado, de
acordo com as conversas e a dinâmica do grupo. As ações do cotidiano devem
ser muito bem planejas para que se tenha um Educação Infantil de qualidade

TEMA 12 - Escreva sobre a observação e registro na Educação Infantil.

A observação na Educação Infantil não é apenas um instrumento de


avaliação, mas um recurso de investigação e planejamento. É indispensável a
quem acompanha o desenvolvimento da criança valorizar o momento onde ela,
durante sua manifestação espontânea ou não, pode revelar ou desvelar
saberes, desejos e intenções sobre si mesma e sobre o mundo. Observar,
nesse contexto, é achar caminhos para construir projetos que fazem sentido
para todos (professor e aluno). Avaliar passa ser algo mais humano, para
ajudar, construir, transformar, etc.

Juntamente à observação, deve estar o registro daquilo que o educador


percebe: anotações, fotos, portfólios, tudo para registrar as descobertas, as
dificuldades, as conquistas e as possibilidades. Com os registros em mãos, o
educador tem a sua matéria prima valiosa para pensar, para refletir sobre o que
está acontecendo e o que pode acontecer. E é isso que leva a
uma avaliação ampla e também específica: quem está conseguindo o quê,
quais habilidades e potencialidades precisam ser trabalhadas, como conduzir o
dia a dia para contemplar as demandas e como pode ser o projeto a partir das
pesquisas e interesses das crianças.

De acordo com o artigo 31 (seção 11) da LDB (Lei de Diretrizes e Bases


da Educação) e com o artigo 10º do DCNEI (Diretrizes Curriculares da
Educação Infantil), a avaliação deve ser feita através do acompanhamento e
registro do desenvolvimento de cada criança, sem o objetivo de promoção,
mesmo para o Ensino Fundamental. A finalidade da avaliação, nesta fase, é
auxiliar o processo de ensino-aprendizagem, além de fortalecer a autoestima
do discente.

SUGESTÃO: Treine os temas em uma folha com pauta, e o adapte de


acordo com o tamanho da sua letra, até 25 linhas, pois no dia da prova você
não poderá exceder esse limite. Procuramos colocar nos temas, o máximo de
informações que poderão ser utilizadas, para que você adapte e tenha um
texto ÚNICO, somente seu.

MÃOS À OBRA
A seguir, deixo para vocês um modelo de folha de redação, para vocês
treinarem.
Bons estudos!!!

Professora Fabíola Rodrigues


Especialista em Redação para Concursos
Siga-me nas redes sociais e receba dicas diárias de português
Facebook:
https://www.facebook.com/correcaoderedacaovirtual/
Instagram:
https://www.instagram.com/professora_fabiola_rodrigues/

Professora Fernanda Nascimento


Especialista em Conhecimentos Pedagógicos para Concursos
Siga-me no Facebook
Facebook: https://www.facebook.com/conhecimentospedagogicosvirtual/

LANÇAMENTO: 25/02/2019
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
FOLHA DE REDAÇÃO