Você está na página 1de 2

Educação em tempos de pandemia

Alunos e professores da Pós-graduação compartilham suas experiências com as defesas


de dissertações de mestrado e de teses de doutorado por meio da plataforma Blackboard
Collaboratte

Desde o dia 25 de março de 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, a Pró-reitoria


de Pós-graduação e Pesquisa usa a plataforma Blackboard Collaboratte para a realização
de exames de qualificação e de defesas de dissertações e de teses nos Programas de
Mestrado e Doutorado das Universidades Cruzeiro do Sul e Cidade de São Paulo,. O
ambiente virtual é uma alternativa eficaz para atender as orientações da Organização
Mundial da Saúde (OMS) que recomenda isolamento social para o achatamento da curva
de contágio do vírus.

Segundo o Prof. Dr. Luiz Carlos Hespanhol, do Programa de Pós-graduação em


Fisioterapia, a tecnologia no ensino e aprendizado se desenvolve de forma muito rápida
atualmente. Boa parte do que é desenvolvido tem o objetivo de auxiliar em problemas reais
do dia-a-dia “acredito que a tecnologia auxilia nos processos educativos, ela pode facilitar o
aprendizado, seja com ferramentas digitais a serem administradas de maneira presencial
com grupos de pessoas, seja pelas alternativas virtuais, é de uma importância inestimável!”.

Ele também falou sobre sua experiência na defesa de dissertação de sua orientanda
Gabriela Martins de Oliveira, que ocorreu no dia 25 de março, “Minha experiência no
ambiente virtual foi maravilhosa! Eu sempre irei acreditar e me apoiar na premissa de que
absolutamente nada substitui o contato humano presencial. Porém, dependendo da tarefa
que se quer realizar, o ambiente virtual se torna, inclusive, mais efetivo. Um exemplo seria
que durante a Defesa de Mestrado da candidata Gabriela Martins de Oliveira orientada por
mim no Programa de Mestrado e Doutorado em Fisioterapia da UNICID, chegamos a ter 70
pessoas participando do evento.”

O mestrando Maurício Dias, do Programa Interdisciplinar em Ciências da Saúde, defendeu


a dissertação intitulada “Efeito da Melatonina na Inflamação Sistêmica e em macrófagos de
ratos diabéticos”, no dia 31 de março. Para ele, o uso do Blackboard não foi um obstáculo.
“A defesa foi tensa mas não por ser virtual, foi pela importância do evento em si. A
plataforma tem interface simples e o processo do ambiente virtual é na verdade muito
similar ao evento presencial. Com algumas vantagens como estar no conforto de casa.
Gostei muito dessa ferramenta, muito objetiva e intuitiva!”

A orientadora, do agora mestre Maurício, Profa. Dra. Elaine Hatanaka conta que a sua
experiência no ambiente virtual foi gratificante. Segundo a mesma, o Blackboard permitiu
mimetizar o ambiente completo do ritual de defesa de dissertação, ou seja, a aula, a banca
examinadora, a plateia, todos presentes em uma mesma sala virtual, juntos e fisicamente
distantes. “Essa ferramenta permitiu manter as recomendações da OMS de distanciamento
físico, sem afetar o andamento do curso, a interação entre a banca e o aluno e a qualidade
do processo avaliativo.”, relata.
A Profa. Dra. Tania Cristina Pithon Curi, Pró-reitora de Pós-graduação e Pesquisa, declara
que o ambiente virtual, além de ser uma excelente alternativa de ensino, possibilita que os
discentes e docentes mantenham suas atividades, apesar do distanciamento social. Ela
também ressalta que, em um momento tão delicado como este, o contato com outras
pessoas, mesmo que virtualmente, é importante para a discussão acadêmica e científica.
Ela destaca, ainda, que neste período da quarentena foram defendidas duas teses de
doutorado, três dissertações de mestrado e realizados exames de qualificação. Além disso,
as disciplinas dos cursos de mestrado e de doutorado são ministradas no ambiente virtual
conforme calendário acadêmico. As orientações dos pós-graduandos e estudantes de
iniciação científica continuam da mesma forma. “Os cientistas das nossas Instituições
preparam projetos de pesquisa e solicitam auxílio financeiro regularmente às agências de
fomento, inclusive na área de estudo sobre o Novo Coronavírus. Os professores estão
também empenhados na elaboração dos artigos científicos para publicação em revistas
internacionais e nacionais”. Além disso, no mês de abril, prepara-se o relatório CAPES
sobre as atividades e produção dos programas de pós-graduação.