Você está na página 1de 2

ATIVIDADE 1: Leia o caso abaixo e responda as questões relacionadas.

SBF, adolescente de 16 anos, estudante do ensino médio, compareceu à Unidade Básica de


Saúde para consulta de enfermagem em ginecologia. Queixas principais: DUM há quase três
meses. Queixa de náusea e vômito pela manhã, com redução da frequência alimentar e
dificuldade para dormir. Relata dispareunia e disúria. Anamnese: filha de pais separados, renda
familiar de dois salários mínimos, reside na periferia da cidade, frequenta a escola com pouca
regularidade. Nega antecedentes patológicos familiares e pessoais. Menarca aos 12 anos,
coito aos 14 anos. Total de 3 parceiros sexuais. Tem parceiro fixo, vida sexual ativa, não utiliza
uso de métodos contraceptivos hormonais, refere uso esporádico de preservativo masculino e
por vezes pratica coito interrompido, acredita que assim previne gestação inesperada. Não
expressa preocupação em relação as IST’s. Refere que ama muito o seu namorado, Tiago de
20 anos, um garoto que não estuda e foi colocado para fora de casa quando seu pai descobriu
que estava usando drogas ilícitas. Relata que apesar dos problemas do namorado, confia muito
nele. Ao exame físico: consciente, orientada, deambulando sem dificuldade, acianótica,
anictérica, eupneica, afebril, normocárdica, normotensa, mucosas coradas e hidratadas, MV+ s/
RA, BRNF 2T s/s, abdome plano, ruídos hidroaéreos diminuídos e discreto edema em
membros inferiores (1+/4+). Pêlos pubianos aparados, presença de verrugas genitais, vulva
violácea, períneo integro, sem cicatrizes. Ao exame especular: canal vaginal integro,
hiperemiado, secreção amareloesverdeado, de aspecto bolhoso e odor fétido. Colo uterino
hiperemiado.

a) Considerando a caso acima, faça o levantamento dos problemas de enfermagem

DUM há quase três meses, náuseas e vômitos, insônia, edema em membros inferiores,
verrugas genitais, vulva violácea, secreção amareloesverdeado bolhoso com odor fétido, canal
vaginal hiperemiado e colo uterino hiperemiado.

b) Elabore 5 diagnósticos de enfermagem - NANDA com título, fatores relacionados e


características definidoras.

 Nutrição ineficaz relacionada a gravidez, caracterizada pela redução da frequência


alimentar.

 Risco de infecção relacionado ao conhecimento insuficiente para evitar exposição a


patógenos, caracterizado pelo uso insuficiente de preservativo.

 Náusea relacionada a gravidez, caracterizado por ânsia de vômito.

 Eliminação urinária prejudicada relacionada a infecção do trato urinário, caracterizado


por disúria.

 Padrão de sono prejudicado relacionado a gravidez, caracterizado pela dificuldade para


dormir.

c) A partir dos diagnósticos de enfermagem NANDA, prescreva cuidados específicos a


esses diagnósticos, tendo como referência a literatura NIC.

Com relação a nutrição desequilibrada e náuseas, a paciente deve ser orientada a tentar
comer (preferencialmente alimentos in natura) em pequenas porções de 3 em 3 horas e
manter a ingestão hídrica adequada.

Sobre o risco de infecção, a enfermeira deve explica-la a importância de utilizar o


preservativo e como usar corretamente, a fim de evitar que ela rompa durante o ato. Já
com relação a eliminação urinária prejudicada iremos orienta-la sobre a maneira correta de
higienizar a região intima, bem como os cuidados que ela precisa ter durante as relações
para não adquirir infecção urinaria, além de recomendar uma ingestão hídrica adequada.
Por fim, a orientaríamos a criar um ambiente confortável para ela antes de dormir para
que consiga ter um sonho reparador.

d) O caso referido acima, é uma realidade brasileira. Mesmo frequentando a escola


irregularmente é possível criar estratégias para minimizar a incidência de IST´s e gestações
não planejadas.

Elabore uma ação em saúde para conscientizar o público pertencente a mesma faixa etária.

Diante de tal situação, faz-se necessário andar em parceria com a escola e a família dos
jovens e fazer uso de métodos educativos, como: montar panfletos explicativos sobre os
métodos contraceptivos e distribuir nas escolas, realizar rodas de conversa com os jovens da
comunidade na unidade de saúde e orientar os pais sobre a importância de orientar os filhos
sobre sexo seguro. Também seria interessante distribuir pedaços de papel em branco aos
alunos durante as palestras nas escolas e pedir que escrevam nele sua maior dúvida sobre
doenças sexualmente transmissíveis e métodos contraceptivos, para que assim haja uma
conexão maior do palestrante com os jovens.

Você também pode gostar