Você está na página 1de 15

a) Qual é o intervalo de tempo, em segundos, gasto pelo móvel

M para percorrer o trecho P e Q?


b) Qual é o valor da velocidade angular do móvel M, em
radianos por segundos?

05. (FEI – SP) Um móvel em trajetória circular, de raio r = 5 m,


parte do repouso com aceleração angular constante de
10 rad/s2. Quantas voltas ele percorre nos dez primeiros
segundos?

250
01. (Vunesp – SP) Sejam 1 e  2 as velocidades a) 500. b) . c) 100  .
angulares dos ponteiros das horas de um relógio da torre de

uma igreja e de um relógio de pulso, respectivamente, e v 1 e 500
d) . e) 500  .
v2 as velocidades escalares das extremidades desses 
ponteiros. Se os dois relógios fornecem a hora certa, podemos
afirmar que: 06. (PUC – MG) As ambulâncias usam, em geral, um dispositivo
de sinalização luminoso que consiste em uma lanterna que gira,
a) 1  2 e v1  v 2 . b) 1  2 e v1  v 2 . com velocidade constante, em torno de um eixo. Um desses
objetos possui diâmetro de 16 cm e gira com velocidade de
c) 1  2 e v 1  v 2 . d) 1  2 e v1  v 2 . 0,40 m/s. O intervalo de tempo necessário para que uma
e) 1  2 e v1  v 2 . pessoa, distante alguns metros do veículo, seja iluminada duas
vezes consecutivas é, aproximadamente, igual a:
02. (Ulbra – RS) O eixo de um motor realiza 3 000 giros em
2 minutos. Podemos afirmar que a freqüência de rotação do eixo a) 0,50 s. b) 1,2 s c) 1,8 s.
, em hertz, é: d) 2,0 s. e) 2,5 s.

a) 25. b) 30. c) 40. 07. (FEI – SP) A aceleração centrípeta de um ponto material


d) 50. e) 60. diminui de 1,5 m/s2 quando aumentamos em 4 m o raio da pista
onde se encontra. Sabendo que o ponto material move-se com
velocidade constante de 6 m/s, o raio da pista, em metros, valia,
03. (AFA) Observe os pontos A e B inicialmente:
marcados nas pás de um ventilador
que gira com freqüência constante, a) 8,0. b) 2 23 . c) 9,2.
conforme a figura ao lado.
d) 92,0. e) 12,0.
É INCORRETO afirmar que em A:
08. (Mackenzie – SP) Um disco inicia um movimento
a) a velocidade escalar é maior que em B. uniformemente acelerado a partir do repouso e, depois de 10
b) a velocidade angular é a mesma é a mesma que em B. revoluções, a sua velocidade angular é de 20 rad/s. Podemos
concluir que a aceleração angular da roda em rad/s2 é
c) o período é o mesmo que em B. aproximadamente igual a:
d) a aceleração é menor que em B.
a) 3,5. b) 3,2. c) 3,0.
e) a freqüência é a mesma que em B.
d) 3,8. e) n.d.a.
04. (UEL – PR) Um móvel M parte de um ponto P percorrendo,
no sentido horário, uma trajetória circular de raio r igual a 09. (Vunesp – SP) Um farol marítimo projeta um facho de luz
2,0 metros, como representa a figura abaixo. A velocidade contínuo, enquanto gira em torno do seu eixo à razão de 10 rpm.
escalar do móvel é constante e igual a 3,0  m/s. Um navio, com o costado perpendicular ao facho, está parado a
6,0 km do farol. Com que velocidade um raio luminoso varre o
costado do navio?(Adote  = 3,14)

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
simultaneamente e, ao chocar-se com o disco, deixam sobre ele
10. (UFRS) Determine a velocidade de um projétil disparado pequenas marcas M` e N` tais que o ângulo M' O N' é

contra um alvo rotativo disposto a 15 m de distância, sabendo-se


que o alvo executa 300 revoluções por minuto e o arco medido igual a 95,5º Podemos concluir que a aceleração da gravidade
entre o ponto visado no momento do disparo e o ponto de local vale:
impacto do projétil no alvo é de 18o.
a) 10,1 m/s2. b) 49,3 m/s2. c) 9,86 m/s2.
d) 11,1 m/s2. e) 3,14 m/s2.

11. (UFPR –PR) Um ventilador gira à razão de 900 rpm. Ao ser 17. Num certo instante, um ponto material parte de A com MCU
desligado, seu movimento passa a ser uniformemente retardado de período igual a 30 segundos, em sentido anti-horário. Um
até parar, após 75 voltas. O tempo transcorrido desde o segundo depois, parte de B outro ponto material com MCU de
momento em que é desligado até a sua parada completa vale: período igual a 120 segundos, em sentido horário. Determine
quanto tempo depois da partida de A os pontos se encontrarão
a) 1,0 s. b) 10 s. c) 100 s. pela primeira vez.
d) 1 000 s. e) 0,1 s.

12. (Universidade de Medicina de Santos – SP) No instante em


que o relógio bate 12 horas, os três ponteiros estão sobrepostos. 18. (UNIRIO – RJ) Na figura, um sistema mecânico é formado
Calcular quanto tempo após esse instante pela primeira vez um por uma roda R, uma haste H e um êmbolo E, que desliza entre
dos ponteiros forma ângulos iguais com os outros dois. as guias G1 e G2. As extremidades da haste H são articuladas
em P e P´, o que permite que o movimento circular da roda R
a) 59,18 s. b) 60,59 s. c) 61,89 s. produza um movimento de vai-e-vem de P´, entre os pontos A e
B, marcados no eixo x.
d) 58,08 s. e) Nenhuma das respostas anteriores.

13. (CESCEA) A velocidade angular de uma roda diminui


uniformemente de 40 rad/s a 20 rad/s em 5 s. Pode-se dizer que
a aceleração angular neste intervalo de tempo é:

a) nula. b) – 0,25 rad/s2. c) – 4,0 rad/s2.


d) 14 rad/s2. e) uniformemente variada.
Considerando-se que a roda R descreve 240 rotações por
14. (Faculdade de Engenharia de Lorena – PR) A velocidade minuto, o menor intervalo de tempo necessário para que o ponto
angular de um motor que gira a 900 rpm decresce P´ se desloque de A até B é:
uniformemente até 300 rpm, efetuando 50 revoluções. Qual o
módulo da aceleração angular do motor? 1
a) 2 s. b) 1 s. c) s.
4
a) 2 rad/s2. b) 4 rad/s2. c) 2 rad/s2. 1 1
d) s. e) s.
d) 3 rad/s .2
e) n.d.a. 8 16

15. (UCPR) Dois 19. (Unicamp – SP) Um toca-discos está tocando em


móveis A e B partem de 1
um mesmo ponto x com 33 rpm um concerto de rock gravado numa única faixa de
3
velocidades 20 m/s e
um LP. A largura da faixa ocupa toda a face útil do LP, tendo
50 m/s,
raio interno igual a 7,0 cm e raio externo igual a 15,0 cm. A faixa
respectivamente. O
é tocada em 24 minutos.
móvel A percorre uma semi-circunferência, enquanto o móvel B
percorre trajetória reta. Sabendo-se que a distância OX é de
a) Qual é a distância média entre dois sulcos consecutivos do
1 000 m, para que os dois móveis cheguem juntos ao ponto y, o
intervalo de tempo entre suas partidas deverá ser de: (Use: disco?
  3,14 )
b) Qual é a velocidade tangencial de um ponto do disco que está
embaixo da agulha no final da execução da faixa?
a) 95 s; b) 117 s; c) 135 s;
d) 157 s; e) 274 s.

16. (ITA – SP) Acima de um disco horizontal de centro O que


gira em torno de seu eixo, no vácuo, dando 50,0 voltas por
minuto, estão suspensas duas pequenas esferas M e N. A
primeira está 2,00 m acima do disco e a segunda 4,50 m acima
do disco, ambas numa mesma vertical. Elas são abandonadas
joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
20. (Faculdade de Agronomia Luiz Meneghel) O gráfico abaixo
mostra a variação da velocidade angular de um móvel em
função do tempo. O deslocamento angular do móvel, no
intervalo de 0 s a 20 s, é de:

25. (U. E. Ponta Grossa – PR) Um móvel, saindo do ponto A no


instante t   s em movimento uniforme, deve percorrer a
trajetória indicada na figura, até chegar ao ponto B. Sendo a
velocidade tangencial do móvel de 2 m/s, ele deverá chegar ao
ponto B no instante:

a) 400 rad. b) 625 rad. c) 1 000 rad.


d) 800 rad. e) 600 rad.

21. (UF – UBERABA / MG) Uma fita cassete em funcionamento,


apresenta num dado instante, uma das polias, com diâmetro de
2,0 cm, girando com freqüência de 0,5 Hz. Sabendo-se que a
outra polia, naquele mesmo instante, está com 5,0 cm de a) 4,5  s . b) 3,5  s . c) 6,0  s .
diâmetro, qual a sua freqüência em Hz?
d) 7,0  s . e) n.d.a.

26. (UFES) Um limpador de pára-


22. (Faap) A equação horária sob a forma angular do movimento brisa, quando acionado, passa 80
circular de uma partícula é   t 2  6 , com o ângulo  em vezes por minuto na posição
central A indicada na figura. O
radianos e o tempo em segundos. Sabendo-se que a período desse movimento, em
intensidade da aceleração total da partícula é 10 m/s2, no segundos, é:
instante t = 1 s, determinar o raio da trajetória circular.
2 3
a) . b) .
3 4
23. (Fuvest – SP) Uma cinta funciona solidária com dois cilindros
4 3
de raios r1 = 10 cm e r2 = 50 cm. Supondo que o cilindro maior c) . d) .
tenha uma freqüência de rotação f2 = 60 rpm, calcule: 3 2
e) 2.

27. (Vunesp – SP) Um disco horizontal de raio R  0,50 m ,


gira em torno do seu eixo com velocidade angular
  2  rad / s . Um projétil é lançado de fora no mesmo
plano do disco e rasante a ele, sem tocá-lo, com velocidade
Vo (figura), passando pelo ponto P. O projétil sai do disco no
a) A freqüência de rotação f1 do cilindro menor. ponto Q, no instante em que o ponto P está passando por aí
pela primeira vez. Qual é a velocidade Vo?
b) A velocidade linear da cinta.

24. (FCC – SP) Dois discos giram, sem deslizamento entre si,


como mostra a figura abaixo. A velocidade escalar do ponto X é
2,0 cm/s. Qual a velocidade escalar do ponto Y, em cm/s?

28. (UFRN) Duas partículas percorrem uma mesma trajetória em


movimentos circulares uniformes, uma em sentido horário e a

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
1 32. (UFPE/2003 – Fís. 1) Um satélite artificial geoestacionário
outra em sentido anti-horário. A primeira efetua rpm e a orbita em torno da Terra, de modo que sua trajetória permanece
3
no plano do Equador terrestre, e sua posição aparente para um
1
segunda rpm . Sabendo que partiram do mesmo ponto, observador situado na Terra não muda. Qual deve ser a
4 velocidade linear orbital, em unidades de 103 km/h, deste satélite
em uma hora encontrar-se-ão: cuja órbita circular tem raio de 42103 km?

a) 45 vezes. b) 35 vezes. c) 25 vezes.


d) 15 vezes. e) 7 vezes.
29. São feitas duas experiências com dois carrinhos A e B em 33. (UFPE/2002) Qual a ordem de grandeza, em km/h, da
pistas concêntricas de um autorama, sendo o carrinho A mais velocidade orbital da Terra em torno do Sol? A distância média
rápido que o carrinho B. Na primeira experiência, partindo da da Terra ao Sol é 1,5108 km.
situação esquematizada e movendo-se no mesmo sentido, o
carrinho A passa novamente por B após 40 s. Na segunda a) 106. b) 105. c) 104.
experiência, partindo da situação esquematizada e movendo-se d) 103. e) 102.
em sentidos opostos, o carrinho A cruza novamente com o B
após 8 s. Determine: 34. (UFPE/2002 – Fís. 1) Dois atletas percorrem uma pista
circular, com períodos iguais a 1,0 min e 1,1 min. Supondo que
eles mantenham suas velocidades constantes, após quanto
tempo, em minutos, o atleta mais rápido terá dado uma volta a
mais que o outro?

35. (UFPE/2002 – Fís. 2) O ponteiro de segundos de um relógio


a) a velocidade angular dos carrinhos A e B; defeituoso completa uma volta em 1,02 min. Após quantos
minutos, marcados em um relógio que trabalha corretamente, o
b) seus períodos; relógio defeituoso estará marcando um minuto a menos?
c) suas velocidades lineares; sendo 20 cm e 40 cm os raios das Suponha que o período do relógio defeituoso é constante.
pistas.

36. (UFPE/2002 – Fís. 3) O eixo de um motor que gira a


30. (Faculdade de Engenharia de Mauá) A roda da frente de um 3600 rotações por minuto é frenado, desacelerando
triciclo tem raio R1 = 0,20 m e as duas rodas traseiras têm raios uniformemente a 20  rad/s2, até parar completamente. Calcule
R2 = 0,40 m cada. O triciclo está se movimentando num plano quanto tempo foi necessário, em s, para o motor parar
horizontal sem derrapar, em movimento uniformemente completamente.
acelerado, com aceleração a = 2,5 m/s2. No instante da
observação, sua velocidade é v = 18 km/h. Determine a
velocidade e a aceleração angulares de cada roda, em relação
ao seu respectivo eixo. 37. (UFPE/2001) A polia A' de raio r'A = 12 cm é concêntrica à
polia A, de raio rA = 30 cm, e está rigidamente presa a ela. A
polia A é acoplada a uma terceira polia B de raio rB = 20 cm pela
correia C, conforme indicado na figura. Qual deve ser o raio da
polia B', concêntrica a B e rigidamente presa a ela, de modo que
31. (UFPE/2004) O relógio da Estação Ferroviária Central do A' e B' possam ser conectadas por uma outra correia C', sem
Brasil, no Rio de Janeiro, tem ponteiros de minutos e de horas que ocorra deslizamento das correias?
que medem, respectivamente, 7,5 m e 5,0 m de comprimento.
Qual a razão VA /VB, entre as velocidades lineares dos pontos
extremos dos ponteiros de minutos e de horas?

a) 12 cm. b) 10 cm. c) 8,0 cm.


d) 6,0 cm. e) 4,0 cm.
a) 10. b) 12. c) 18.
38. (UFPE/2000 – Fís. 1) Uma arma dispara 30 balas/minuto.
d) 24. e) 30. Estas balas atingem um disco girante sempre no mesmo ponto
atravessando um orifício. Qual a velocidade angular do disco,
em rotações por minuto?
joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
44. (UFPE/97 – Fís. 3) A parte mais externa de um disco, com
0,25 m de raio, gira com uma velocidade linear de 15 m/s. O
disco começa então desacelerar uniformemente até parar, em
um tempo de 0,5 min. Qual é o módulo da aceleração angular do
disco em rad/s2?

45. (UFPE/96 – Fís. 1) Qual o período, em segundos, do


39. (UFPE/2000 – Fís. 3) Dois carros, A e B, percorrem uma movimento de um disco que gira 20 rotações por minuto?
pista oval de 10,0 km de perímetro, no mesmo sentido, com
velocidades constantes. No instante t = 0, eles cruzam o ponto 46. (UFPE/95 – Fís. 2 e 3) A figura abaixo mostra um tipo de
de partida. O carro A é mais rápido e após 40 min tem uma volta brinquedo de um parque de diversões. As rodas menores giram
de vantagem em relação a B. Se vB = 250 km/h, determine a com uma velocidade angular de /5 rad/s, independentemente
diferença vA – vB em km/h. da roda maior que gira a /300 rad/s. Qual o número de voltas
completas da roda pequena que terá dado o ocupante da
cadeira hachurada, inicialmente no ponto mais baixo, quando o
centro da roda pequena, na qual ele se encontra, atinge o ponto
mais alto da roda maior? (Esse tipo de roda gigante permite
trocar os ocupantes de uma roda menor, enquanto os demais se
divertem!)

40. (UFPE/99 – Fís. 2) Um ciclista desce uma ladeira a partir do


topo, descrevendo um movimento retilíneo. Os pneus da
bicicleta rodam sem deslizar. Cada pneu tem raio igual a 0,5 m,
e um deles tem um chiclete grudado. Se a ladeira tem
comprimento igual a 157 metros, quantas voltas em torno do
eixo do pneu terá dado o chiclete no fim da ladeira?

47. (UFPE/93 – Fís. 2) Uma nave espacial de formato cilíndrico,


inicialmente apenas em movimento retilíneo uniforme, é posta a
girar em torno de seu eixo de modo a proporcionar gravidade
artificial aos seus ocupantes. Se o raio da nave é igual a 5,0 m e
sua aceleração angular é de 0,05 rad/s2, em quanto tempo, em
segundos, a nave atinge velocidade angular suficiente para
g
simular uma gravidade de nos pontos de sua superfície
2
lateral?
41. (UFPE/98) O ponteiro dos segundos de um relógio tem 1 cm
de comprimento. Qual a velocidade média da ponta deste
48. (UFPE/92 – Fís. 1) Dois corredores disputam uma prova em
ponteiro?
uma pista circular. O corredor A usa a pista interna cujo raio é
20 m, enquanto que o corredor B usa a pista externa, cujo raio é
a) 2 m/s. c) 3 cm/s. e) 2 cm/min. 22 m. Se os dois corredores dão o mesmo número de voltas por
 minuto, quanto, em porcentagem, a velocidade tangencial do
b)  cm/s. d) cm/min. corredor B é maior do que a do corredor A?
2
49. (UFPE/92 – Fís. 2) Um carro de Fórmula 1 dá uma volta
42. (UFPE/98 – Fís. 1) As rodas de uma bicicleta possuem raio
completa num percurso de 2 km em 100 segundos. Se cada
igual a 0,5 m e giram com velocidade angular igual a 5,0 rad/s.
pneu desse carro tem 25 cm de raio, determine o número médio
Qual a distância percorrida, em metros, por esta bicicleta num
de voltas que cada roda do automóvel dá, por segundo, neste
intervalo de 10 segundos?
percurso.

50. (UFPE/91 – Fís. 1) A partir de um mesmo ponto, dois


garotos saem correndo em sentidos opostos ao longo de uma
43. (UFPE/98 – Fís. 2) Um corpo descreve uma trajetória circular
pista circular e raio R = 50 m, com velocidades V1 =  m/s e
com 1 m de raio e velocidade escalar igual a 12 m/s. Qual o
número de voltas realizadas pelo corpo a cada segundo? 3
V2 =  m/s, respectivamente. Determine o tempo, em
2
segundos, que levarão para se encontrar pela primeira vez, após
a partida.
joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
54. (UPE/2005 – Fís. 2) Nos antigos “passa-discos”, a gravação
dos sons era feita por irregularidades impressas em relevo, nas
pistas espirais que começavam na parte mais externa. Ao
pousar no disco, a agulha era guiada por uma espiral externa
lisa (sem irregularidades), para entrar na área gravada, no ponto
de início da primeira faixa. Nos intervalos entre as faixas, o
mesmo artifício era usado. A agulha vibrava em contato com as
irregularidades e transmitia tais vibrações ao “cabeçote” que as
convertia em impulsos elétricos. Ao longo da história de
51. (UFPE/91 – Fís. 2) A figura abaixo descreve a Terra em seu utilização dos discos de vinil, três velocidades foram utilizadas.
movimento de rotação. Um ponto E do Equador tem aceleração Seus valores e os diâmetros correspondentes estão na tabela
centrípeta aE. Outro ponto, S, localizado 60º ao Sul do Equador, abaixo.
conforme representado na figura, tem aceleração centrípeta aS.
Qual a razão aE /aS?

52. (UFPE) A velocidade de um automóvel pode ser medida


facilmente através de um dispositivo que registra o número de
rotações efetuadas por uma de suas rodas, desde que se
conheça o seu diâmetro. Considere, por exemplo, um pneu cujo
diâmetro é de 0,50 m. Se o pneu executa 480 rotações em cada
minuto, pode-se afirmar que a velocidade do automóvel, em m/s,
é: Assinale a alternativa correta.

a) 4 ; b) 8 ; c) 12 ; a) O disco de maior velocidade tangencial na primeira faixa é o LP.

d) 16 ; e) 20 . b) O disco de menor velocidade tangencial na última faixa é o ANTIGO.


c) O disco de maior velocidade tangencial na primeira faixa é o
53. (UPE/2006 – Fís. 1) A Terra gira uniformemente em torno de ANTIGO.
seu eixo com velocidade angular  . Qual a aceleração de um
d) O disco de maior velocidade tangencial na última faixa é o LP.
ponto na superfície da Terra, em função da latitude  e do raio
da Terra R? e) O disco de maior velocidade tangencial na primeira faixa é o
COMPACTO.

55. (UPE/2002 – modificada) As fotos ao lado mostram um


portão corrediço e o detalhe do seu tracionamento. A
engrenagem de 10 cm de raio está fixada ao eixo do motor
(30 rpm) e arrasta a cremalheira que está presa ao portão. Se a
passagem tem 6 m, qual o tempo (em segundos) para a abertura
completa do portão? Use   3 .

a) a   R sen  . b)
a   R cos  .

c) a   R sen2  . d)
a) 10. b) 20. c) 30.
a   2 R cos  .
d) 40. e) 50.
e) a   R sen  .
2

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
56. (Mackenzie-SP) Ao observarmos um relógio convencional, 5 segundos e que o raio externo da roda é igual a 10 m no ponto
vemos que pouco tempo depois das 6,50 h o ponteiro dos em que são fixadas as cadeiras. A velocidade angular, em
minutos esta exatamente sobre os das horas. O intervalo de rotações por minuto (rpm) no raio externo, tem valor igual a:
tempo mínimo, necessário pra que ocorra um novo encontro, é:
a) 5; b) 10; c) 8;
a) 1,00 h
d) 3; e) 12.
b) 1,05 h
c) 1,055 h
12
d) h
11
24
e) h
21

57. (UPE/2001) Consideremos o movimento normal da roda 59. (UPE/99) Uma bicicleta, cujo raio da roda é 0,50 m, desloca-
gigante. Imagine que, no ponto (I), t = 0; que de I até II, o tempo se com a velocidade de 4,0 m/s.
do movimento é 10 segundos e que o sentido anti-horário é
positivo. I II
0 0 O valor da aceleração centrípeta em um ponto da
periferia é constante e vale 32 m/s2.

1 1 A velocidade angular de um ponto da periferia vale 8,0


rad/s.

2 2 A roda faz duas voltas por segundo.

3 3 A velocidade angular de um ponto à meia distância,


entre o eixo e o aro da roda, 4,0 rad/s.
O que podemos concluir?
4 4 A velocidade linear de um ponto à meia distância, entre
I II o eixo e o aro da roda, é 2,0 m/s.

0 0 A roda gigante dá 3 voltas por minuto. 60. (Puccamp – SP) Na última fila de poltronas de um ônibus,
dois passageiros estão distando 2 m entre si. Se o ônibus faz
1 1 O gráfico (B) está correto para a relação entre o ângulo uma curva fechada, de raio 40 m, com velocidade de 36 km/h, a
e o tempo. diferença das velocidades dos passageiros é, aproximadamente,
em metros por segundo,
2 2 O gráfico (A) está correto para a relação entre o ângulo
e o tempo. a) 0,1. b) 0,2. c) 0,5.

3 3 O gráfico (C) está correto para a relação entre a d) 1,0. e) 1,5.


velocidade angular e o tempo.
61. (Unimep – SP) Uma partícula percorre uma trajetória circular
4 4 O gráfico (D) está correto para a relação entre a de raio 10 m com velocidade constante em módulo, gastando
velocidade angular e o tempo. 4,0 s num percurso de 80 m. Assim sendo, o período e a
aceleração desse movimento serão, respectivamente, iguais a:
58. (UPE/2000) As fotografias, a seguir, são de uma roda
gigante armada no parque de diversão no Sítio da Trindade e  
a) s e zero. b) s e 40 m/s2.
seu movimento é circular e uniforme. 2 3

c)  s e 20 m/s2. d) s e zero.
3
e)  s e 40 m/s2.

Utilize os dados a seguir para resolver as questões de números


62 e 63.

Uma das atrações típicas do circo é o equilibrista sobre


Detalhamos, a seguir, o processo usado para transmitir o monociclo. O raio da roda do monociclo utilizado é igual a
movimento à roda gigante: Um motor elétrico faz girar as 20 cm, e o movimento do equilibrista é retilíneo. O equilibrista
rodinhas e estas transmitem ao aro uma velocidade tangencial. percorre, no início de sua apresentação, uma distância de 24
Sabemos que o raio do aro é de 8 m e que dá uma volta a cada metros.
joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
Leonardo da Vinci, obteve-se melhor aproveitamento da força
nos pedais (Fig. B). Considere que um ciclista consiga pedalar
40 voltas por minuto em ambas as bicicletas.Use   3,0 .

a) Qual a velocidade de translação do biciclo de Michaux para


62. (UERJ) Determine o número de pedaladas, por segundo, um diâmetro da roda de 1,20 m?
necessárias para que ele percorra essa distância em 30 s,
considerando o movimento uniforme. b) Qual a velocidade de translação para a bicicleta padrão aro
60 (Fig. B)?
63. (UERJ) Em outro momento, o monociclo começa a se mover 67. (Unicamp – SP) O quadro (a), abaixo, refere-se à imagem de
a partir do repouso com aceleração constante de 0,50 m/s2. televisão de um carro parado, em que podemos distinguir
Calcule a velocidade média do equilibrista no trajeto percorrido claramente a marca do pneu (“PNU”). Quando o carro está em
nos primeiros 6,0 s. movimento, a imagem da marca aparece como um borrão em
volta de toda a roda, como ilustrado em (b). A marca do pneu
64. (Fuvest – SP) Uma criança montada em um velocípede se volta a ser nítida, mesmo com o carro em movimento, quando
desloca em trajetória retilínea, com velocidade constante em este atinge uma determinada velocidade. Essa ilusão de
relação ao chão. A roda dianteira descreve uma volta completa movimento na imagem gravada é devido à freqüência de
em um segundo. O raio da roda dianteira vale 24 cm e o das gravação de 30 quadros por segundo (30 Hz).
traseiras 16 cm. Podemos afirmar que as rodas traseiras do Considerando que o diâmetro do pneu é igual a 0,6 m e  = 3,0,
velocípede completam uma volta em, aproximadamente: responda:

1 2
a) s. b) s. c) 1 s.
2 3
3
d) s. e) 2 s.
2

65. (Fuvest – SP) Um disco de a) Quantas voltas o pneu completa em um segundo, quando a


raio r gira com velocidade
angular constante. Na borda do marca filmada pela câmara aparece parada na imagem, mesmo
disco, está presa uma placa fina estando o carro em movimento?
de material facilmente
perfurável. Um projétil é b) Qual a menor freqüência angular  do pneu em
disparado com velocidade v em movimento, quando a marca aparece parada?
direção ao eixo do disco,
conforme mostra a figura, e fura a placa no ponto A. Enquanto o c) Qual a menor velocidade linear (em m/s) que o carro pode ter
projétil prossegue sua trajetória sobre o disco, a placa gira meia na figura (c)?
circunferência, de forma que o projétil atravessa mais uma vez o
mesmo orifício que havia perfurado. Considere a velocidade do
projétil constante e sua trajetória retilínea. O módulo da
velocidade v do projétil é: 68. (Unicamp – SP) A velocidade linear de leitura de um CD é
r 2 r 1,2 m/s.
a) . b) . c)
  a) Um CD de música toca durante 70 minutos, qual é o
comprimento da trilha gravada?
r
. b) Um CD também pode ser usado para gravar dados. Nesse
2
caso, as marcações que representam um caracter (letra, número
 ou espaço em branco) têm 8  m de comprimento. Se essa
d)  r . e) .
r prova de Física fosse gravada em um CD, quanto tempo seria
66. (Unicamp – SP) Em 1885, Michaux lançou o biciclo com uma necessário para ler o item a) desta questão?
roda dianteira diretamente acionada por pedais (Fig. A). Através 1 m  10 6 m .
do emprego da roda dentada, que já tinha sido concebida por
joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
1
71. (UFRJ) O olho humano retém durante de segundo as
24
imagens que se formam na retina. Essa memória visual permitiu
a invenção do cinema. A filmadora bate 24 fotografias
(fotogramas) por segundo. Uma vez revelado, o filme é projetado
à razão de 24 fotogramas por segundo. Assim, o fotograma
seguinte é projetado no exato instante em que o fotograma
anterior está desaparecendo de nossa memória visual, o que
nos dá a sensação de continuidade. Filma-se um ventilador
cujas pás estão girando no sentido horário. O ventilador possui
quatro pás simetricamente dispostas, uma das quais pintadas de
cor diferente, como ilustra a figura.

69. (Unesp – SP) Uma técnica secular utilizada para


aproveitamento da água como fonte de energia consiste em
fazer uma roda, conhecida como roda d’água, girar sob ação da Ao projetarmos o filme, os fotogramas aparecem na tela na
água em uma cascata ou em correntezas de pequenos riachos. seguinte seqüência, o que nos dá a sensação de que as pás
O trabalho realizado para girar a roda é aproveitado em outras estão girando no sentido anti-horário.
formas de energia. A figura mostra um projeto com o qual uma
pessoa poderia, nos dias atuais, aproveitar-se do recurso hídrico
de um riacho, utilizando um pequeno gerador e uma roda
d’água, para obter energia elétrica destinada à realização de
pequenas tarefas em seu sítio.

Calcule quantas rotações por segundo, no mínimo, as pás


devem efetuar para que isso ocorra.

Duas roldanas, uma fixada ao eixo da roda e a outra ao eixo do 72. (Unicamp – SP) O gráfico abaixo representa, em função do
gerador, são ligadas por uma correia. O raio da roldana do tempo, a altura em relação ao chão de um ponto localizado na
gerador é 2,5 cm e o da roldana da roda d’água é R. Para que o borda de uma das rodas de um automóvel em movimento.
gerador trabalhe com eficiência aceitável, a velocidade angular Aproxime   3,1 . Considere uma volta completa da roda e
de sua roldana deve ser 5 rotações por segundo, conforme determine:
instruções no manual do usuário. Considerando que a
velocidade angular da roda é 1 rotação por segundo, e que não
varia ao acionar o gerador, o valor do raio R da roldana da roda
d’água deve ser
a) 0,5 cm. d) 5,0 cm.
b) 2,0 cm. e) 12,5 cm.
c) 2,5 cm.

70. (Unesp – SP) Satélites de órbita polar giram numa órbita que a) a velocidade angular da roda;
passa sobre os pólos terrestres e que permanece sempre em
b) a componente vertical da velocidade média do ponto em
um plano fixo em relação às estrelas. Pesquisadores de
estações oceanográficas, preocupados com os efeitos do relação ao chão;
aquecimento global, utilizam satélites desse tipo para detectar
c) a componente horizontal da velocidade média do ponto em
regularmente pequenas variações de temperatura e medir o
relação ao chão.
espectro da radiação térmica de diferentes regiões do planeta.
Considere o satélite a 5 298 km acima da superfície da Terra,
deslocando-se com velocidade de 5 849 m/s em uma órbita
circular. Estime quantas passagens o satélite fará pela linha do
equador em cada período de 24 horas. Utilize a aproximação 
= 3,0 e suponha a Terra esférica, com raio de 6 400 km.

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
a) Qual a velocidade angular  do ponteiro do velocímetro
durante a aceleração do carro?
b) Qual o valor do módulo da aceleração do carro nesses 15
segundos?
c) Qual a componente horizontal da força que a pista aplica ao
carro durante a sua aceleração?

73. (Fuvest – SP) É conhecido o processo utilizado por povos


primitivos para fazer fogo. Um jovem, tentando imitar 75. (Mackenzie – SP) Quatro polias, solidárias duas a duas,
parcialmente tal processo, mantém entre suas mãos um lápis de podem ser acopladas por meio de uma única correia, conforme
forma cilíndrica e com raio igual a 0,40 cm de tal forma que, as possibilidades abaixo ilustradas.
quando movimenta a mão esquerda para a frente e a direita para
trás, em direção horizontal, imprime ao lápis um rápido
movimento de rotação. O lápis gira, mantendo seu eixo fixo na
direção vertical, como mostra a figura ao lado. Realizando
diversos deslocamentos sucessivos e medindo o tempo
necessário para executá-los, o jovem conclui que pode deslocar
a ponta dos dedos de sua mão direita de uma distância
L = 15 cm, com velocidade constante, em aproximadamente
0,30 s. Podemos afirmar que, enquanto gira num sentido, o
número de rotações por segundo executadas pelo lápis é
aproximadamente igual a: Os raios das polias A, B, C e D são, respectivamente, 4,0 cm,
6,0 cm, 8,0 cm e 10 cm. Sabendo que a freqüência do eixo do
a) 5. b) 8. c) 10. conjunto CD é 4 800 rpm, a maior freqüência obtida para o eixo
d) 12. e) 20. do conjunto AB, dentre as combinações citadas, é:

a) 400 Hz. b) 200 Hz.


c) 160 Hz. d) 133 Hz.
e) 107 Hz.

76. (Mackenzie – SP) Um automóvel, cujos pneus têm diâmetro


externo de 52 cm, percorre, com velocidade constante, 483,6 m
em 1 minuto. Desprezando sua deformação, o período do
movimento de rotação desses pneus é: (adote:  = 3,1)

a) 0,1 s. b) 0,2 s. c) 0,3 s.


d) 0,4 s. e) 0,5 s.
74. (Fuvest – SP) Um carro de corrida, com massa total
77. (Mackenzie – SP) Num relógio
m = 800 kg, parte do repouso e, com aceleração constante,
convencional, às 3 h pontualmente,
atinge, após 15 segundos, a velocidade de 270 km/h (ou seja,
vemos que o ângulo formado entre o
75 m/s). A figura representa o velocímetro, que indica a
ponteiro dos minutos e o das horas
velocidade instantânea do carro. Despreze as perdas por atrito e
mede 90°. A partir desse instante, o
as energias cinéticas de rotação (como as das rodas do carro).
menor intervalo de tempo,
Suponha que o movimento ocorre numa trajetória retilínea e
necessário para que esses ponteiros
horizontal.
fiquem exatamente um sobre o
outro, é:

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
a) 15 minutos. b) 16 minutos. 82. (OBF/2000) Uma esteira, movimenta-se entre dois cilindros
idênticos de raio 5 cm, numa freqüência de 10 Hz. Calcule:
180 360
c) minutos. d) minutos.
11 21
e) 17,5 minutos.

78. (Mackenzie – SP) O período do movimento do ponteiro das


horas de um certo relógio é 732 minutos. Se esse relógio for
acertado pontualmente ao meio-dia, segundo o horário oficial
local, quando forem oficialmente 18 h desse mesmo dia, ele
assinalará:
a) A velocidade que uma pessoa deve ter, sobre a esteira, para
a) 17 h 48 min. b) 17 h 54 min.
“não sair” do local onde se encontra. (vide figura)
c) 18 h. d) 18 h 06 min.
b) Colocando um pacote de 20 kg sobre esta esteira e supondo
e) 18 h 12 min.
o coeficiente de atrito estático entre ambos de 0,6, qual pode ser
a aceleração angular máxima da esteira imprimida para o pacote
não derrapar.

79. (Mackenzie – SP) Ao observarmos um relógio convencional,


vemos que pouco tempo depois das 6,50 h o ponteiro dos
83. (Unicamp – SP) Considere as três engrenagens acopladas
minutos se encontra exatamente sobre o das horas. O intervalo
simbolizadas na figura abaixo. A engrenagem A tem 50 dentes e
de tempo mínimo, necessário para que ocorra um novo
gira no sentido horário, indicado na figura, com velocidade
encontro, é:
angular de 100 rpm (rotações por minuto). A engrenagem B tem
100 dentes e a C, 20 dentes.
a) 1,00 h.b) 1,05 h.c) 1,055 h.
12 24
d) h. e) h.
11 21

80. (Unicamp – SP) Um vagão de trem parte do repouso, com


aceleração escalar de 2,0 m/s2, sobre trilhos horizontais de
modo que as rodas rolam sem escorregar. Sabendo que as
rodas do vagão têm raio igual a 0,40 cm, calcule a velocidade
angular das rodas no instante t = 10 s.

81. (F.M. Pouso Alegre – MG) A figura mostra um sistema de


a) Qual é o sentido da rotação da engrenagem C?
engrenagens com três discos acoplados, cada um girando em
torno de um eixo fixo. Os dentes dos discos são de mesmo b) Quanto vale a velocidade tangencial da engrenagem A, em
tamanho e o número deles ao longo de sua circunferência é o
dentes/min?
seguinte: X = 30 dentes, Y = 10 dentes, Z = 40 dentes. Se o
disco X dá 12 voltas, o disco Z dará: c) Qual é a freqüência (em rpm) da engrenagem B?

84. A figura abaixo representa três engrenagens: A (16 dentes),


B (12 dentes) e C (8 dentes). Elas giram vinculadas, conforme
indicado, sendo que B gira no sentido horário.

a) 1. b) 4. c) 9.
d) 16. e) 144. a) Em que sentido giram as engrenagens A e C?
b) Qual das engrenagens terá maior velocidade angular?

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
c) Quantas voltas a engrenagem C efetua para cada volta que A c) 9 cm/s e 6 cm/s2. d) 9 cm/s e 10 cm/s2.
completa?
e) 15 cm/s e 5 cm/s2.
85. (OBF/2001) Uma haste fina e retilínea tem uma de suas
88. Às 12 horas, o ponteiro das horas e o ponteiro dos minutos
extremidades pivotada em um suporte montado sobre uma
de um relógio se sobrepõem. Depois de quanto tempo ocorre a
superfície horizontal, como ilustrado na figura a seguir. A haste
próxima sobreposição?
encontra-se inicialmente em repouso, com o seu comprimento
ao longo da direção vertical. No instante t = 0, a haste tomba em
89. Duas partículas numa mesma trajetória circular, com
direção à superfície, atingindo-a após t = 1,5 s.
movimentos uniformes de mesmo sentido. Sendo as freqüências
dos movimentos dessas partículas iguais a 4 rpm e 6 rpm e
sabendo-se que em t = 0 elas estão na mesma posição,
determinar quantas vezes elas se encontram no intervalo de
t = 0 a t = 1,0 h.

90. Num certo instante, um ponto material parte de A com MCU


de período igual a 30 s, em sentido anti-horário. Um segundo
a) Calcule o valor da velocidade depois, parte de B outro ponto material com MCU de período
angular média da haste durante igual a 120 s, em sentido horário.

sua queda até a superfície. Determinar quanto tempo depois da partida de A os pontos se
b) Estime o comprimento da haste, sabendo que a sua encontrarão pela primeira vez.
extremidade livre cai com velocidade escalar média de
91. (Fuvest – SP) Um disco tem seu centro fixo no ponto O do

m/s . eixo X da figura, e possui uma marca no ponto A de sua
12 periferia. O disco gira com velocidade angular constante  em
relação ao eixo. Uma pequena esfera é lançada do ponto B do
eixo em direção ao centro do disco, no momento em que o ponto
86. (Fuvest – SP) Um sistema A passa por B. A esfera desloca-se sem atrito, passa pelo centro
binário isolado é formado por duas do disco e após 6 s atinge sua periferia exatamente na marca A,
estrelas A e B que giram ao redor no instante em que essa passa pelo ponto C do eixo X. Se o
de um centro em comum C, em tempo gasto pela esfera para percorrer o segmento BC é
órbitas circulares de raios rA e rB, superior ao necessário para que o disco dê uma volta, mas é
respectivamente, animadas de inferior ao tempo necessário para que o disco dê duas voltas, o
velocidade de translação vA e vB, período de rotação do disco é de:
vA
conforme mostra a figura. A relação vale:
vB

2
rB rA r 
a) . b) . c)  B  .

rA rB  rA 
3 2
r  r 
d)  A  .
 e)  A  .
 a) 2 s. b) 3 s. c) 4 s.
 rB   rB 
d) 5 s. e) 6 s.
87. (PUC – SP) Numa polia
diferencial, ligados por cordas 92. (OBF/2006) Um ciclista pedala sua bicicleta fazendo com
inextensíveis que distam que a engrenagem maior, concêntrica ao eixo do pedal e tendo
respectivamente 10 cm e 6 cm um raio RA igual a 10,0 cm, gire com uma freqüência fA igual a
do eixo da polia, estão 2,0 Hz e transmita esse movimento à engrenagem menor por
suspensos dois corpos A e B. meio de uma corrente. A engrenagem menor, por sua vez, tem
Num certo instante, o corpo A raio RB de 4,0 cm e é solidária e concêntrica ao eixo da roda
tem aceleração constante de traseira, que tem raio R de 30,0 cm. Dadas essas condições,
10 cm/s2 e velocidade 15 cm/s, determine: (adote:  = 3,0)
subindo em movimento
acelerado. Nesse instante, a
velocidade e a aceleração de B têm valores respectivamente
iguais a: a) a freqüência de rotação fB da engrenagem menor;
b) a velocidade de translação v da bicicleta.
a) 25 cm/s e 6 cm/s2. b) 25 cm/s e 10 cm/s2.

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
v2 v2
a) . b) 2.
R R
93. (OBF/2003) O carrossel de um parque de diversões realiza
uma volta completa a cada 20 s. Determine:
v2 1 v2
c) 4  . d) 1  .
a) a velocidade angular do carrossel; R 4 R

b) as velocidades linear e angular de uma pessoa que está a 1 v2


e) 1 
3,0 m do eixo de rotação do carrossel; 16 2 R
c) o tempo gasto por uma pessoa que está a 6,0 m do eixo para
completar uma rotação.

94. Na figura, temos duas polias coaxiais A e B de raios


RA = 20 cm e RB = 10 cm e uma outra polia C de raio
RC = 50 cm.

O bloco X, que parte do repouso em t = 0, desce com


aceleração escalar constante e igual a 4 m/s2. Não há
deslizamento entre as polias. Calcular a velocidade angular da
polia C num instante genérico t.

95. (OBF/2001) A equação horária para a posição angular 


(em radianos) em função do tempo t (em segundos) de uma
partícula que executa um movimento circular, de raio igual a 1
m, é dada por:

  t   1  2t  t 2

No instante t = 1 s calcule:

a) o módulo da aceleração centrípeta da partícula;


b) o módulo da aceleração tangencial da partícula.

96. (OBF/2001) Uma partícula inicialmente em repouso executa


um movimento circular uniformemente variado ao longo de uma
circunferência de raio R. Após uma volta completa, o módulo de
sua velocidade é igual a v. Nesse instante, o módulo de sua
aceleração total vale:

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
3
23.  a) 300 rpm 74.  a)  rad / s
4
b)  m/s b) 5,0 m/s2
24. 2,0 cm/s c) 4000 N
25. Letra A 75. Letra B
26. Letra D 76. Letra B

3 3
27.  m/s 77. Letra C
2
28. Letra B 78. Letra B
3
29.  a) A  rad / s ; 79. Letra D
20

B  rad / s 80. 5 000 rad/s
10
40
b) TA  s ; TB  20 s .81. Letra C
3

c) v A  6 cm / s ; A  2 cm / s .

30.  Roda dianteira:   2,5 rad / s ;   12,5 rad / s 2


01. Letra B 56. Letra D
.
02. Letra A 57. VFVVF
Rodas traseiras:   12,5 rad / s ;
03. Letra D 58. Letra B
04.  a) 1,0 s 59. VVFFV   6,25 rad / s 2 .

3 31. Letra C 82.  a) 3,14 m/s


b) rad / s 60. Letra C
2 32. 11 b) 120 rad/s2
05. Letra B 61. Letra E 33. Letra B 83.  a) horário
06. Letra E 62. 2 pedaladas/s 34. 11 b) 5000 dentes/min
07. Letra A 63. 1,5 m/s 35. 51 c) 50 rpm
08. Letra B 64. Letra B 36. 06 84.  a) anti-horário
09. 6 280 m/s 65. Letra B 37. Letra C b) a engrenagem C
10. 1500 m/s 66.  a) 2,4 m/s 38. 30 c) 2 voltas
11. Letra B b) 3,0 m/s 
39. 15 85.  a) rad / s
12. Letra A 67.  a) um múltiplo de 30voltas. 3

13. Letra C b) 180 rad/s 40. 50 b) 25 cm

14. Letra B c) 54 m/s 41. Letra E 86. Letra B

15. Letra B 68.  a) 5040 m 42. 25 87. Letra C

16. Letra C b) 5,510–4 s 43. 06 88. 1 h 5 min 27 s

17. 24,2 s 69. Letra E 44. 02 89. 120 vezes

18. Letra D 70. 14 ou 15 vezes 45. 03 90. 14,2 s

19.  a) 0,01 cm 71. 18 46. 30 91. Letra C

b)  24,4 cm/s 72.  a) 62 rad/s 47. 20 92.  a) 5,0 Hz

20. Letra E b) zero 48. 10 b) 9 m/s

21. 0,2 Hz c) 18,6 m/s 


49. 40 93.  a) rad / s
10
22.  5 m 73. Letra E
joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/
3
50. 40 b) v m/s;
10


 rad / s
10
51. 04 c) 20 s
52. Letra B
94. 

  t   16  t (rad / s)
53. Letra D 95.  a) zero
54. Letra C b) 2,0 m/s2
55. Letra B 96. Letra E

joranulfo@hotmail.com
http://ranulfofisica.blogspot.com/