Você está na página 1de 40

Atividade online devido a paralisação da pandemia do

vírus Covid-19.
Fazer a leitura do material e assistir as vídeos aulas
sobre o assunto, os links estão na página 3.
Ao retornar as aulas faremos os ensaios em
laboratórios.
Realizar a atividade que esta na pagina 2.

1
Atividade:
Data de entrega: 27/03/2020
E-mail para entrega: symon.Olenik@sistemafiep.org.br
Quando enviarem a atividade mencionar no assunto do e-mail somente o nome e o
período que estudam (noturno ou vespertino).
Enviar a atividade em arquivo PDF. A atividade deve apresentar capa , desenvolvimento
da pesquisa e referências bibliográficas, se possível fazer no padrão da ABNT.
Realizar uma pesquisa dissertativa explicando:
• O que são os tiristores.
• Quais são os diferentes tipos de tiristores.
• Como funcionam.
• Como são suas estruturas, simbologia e seus diferentes tipos de
encapsulamentos.
• Apresentar exemplos de aplicações.

2
Tiristores
Vídeo aula Tiristores:
https://www.youtube.com/watch?v=bXPhtwLVcO
s

Vídeo Diac e Triac:


https://www.youtube.com/watch?v=GBxwM8RO
V7k&t=22s
Programa da aula

• Introdução
• SCR (Retificador Controlado de Silício)
• DIAC (Diodo de Corrente Alternada)
• TRIAC (Triodo de Corrente Alternada)

4
Introdução

– O tiristor é um dispositivo de quatro camadas e membro


da família dos semi-condutores que tem dois estados
estáveis de operação: um estado apresenta corrente
aproximadamente igual a zero, e o outro tem uma
corrente elevada; limitada apenas pela resistência
externa.
– O tiristor pode ser considerado uma chave unidirecional
que substitui, com vantagens, por exemplo, contatores e
relés de grande capacidade.

5
Introdução

– Tornou-se vantajoso no controle de grandes potências.


• Dispositivo leve, pequeno, confiável, de ação rápida;
• Pode ser ligado com correntes muito reduzidas; e
• Não apresenta problemas de desgaste mecânico porque não
possui partes móveis.

6
Introdução

– Comparação entre os semicondutores

Limites de operação de componentes semicondutores de potência


7
SCR

• Introdução
– SCR (Silicon Controlled Rectifier) - Retificador Controlado
de Silício.
– É o tiristor de uso mais difundido.
– Possui 3 terminais: anodo e catodo, pelos quais flui a
corrente,
– E a porta (ou gate) que, a uma injeção de corrente, faz
com que se estabeleça a corrente.

8
SCR

• Simbologia, camadas e junções

Símbolo e Camadas de Semicondutores

9
SCR

• Funcionamento
– Para entendermos o funcionamento, vamos utilizar o
circuito equivalente de 2 transistores.
– Aplicando-se uma tensão
E [(+) no anodo (A) e (-) no
catodo (K)] veremos que o
transistor PNP e o NPN não
conduzem porque não circula a
corrente i2 e a corrente i1.

10
SCR

• Funcionamento

11
SCR

 Funcionamento
– Aplicando agora um pulso positivo no gate
(G) em relação ao catodo, (o pulso deve ter
amplitude maior que 0,7 V, pois entre G e K
existe uma junção PN formando um diodo),
vamos fazer circular a corrente i1 que fará o
transistor NPN entrar em condução. Com
isso i2 também irá circular fazendo com
que o transistor PNP conduza.

12
SCR

• Funcionamento
– Assim, sendo, o pulso no gate não é mais necessário pois
o transistor PNP mantém o NPN conduzindo e vice-versa.
– Esse estado de condução permanecerá indefinidamente.
A única maneira de desligar o SCR é fazer a tensão E
(entre anodo e catodo) igual a zero.

13
SCR

• Características Básicas
– São chaves estáticas bi-estáveis, ou seja, trabalham em
dois estados: não condução e condução, com a
possibilidade de controle.
– O uso do silício foi utilizado devido a sua alta capacidade
de potência e capacidade de suportar altas temperaturas.
– Apresentam alta velocidade de comutação e elevada vida
útil.

14
SCR

• Exemplos de encapsulamento

Tipos de encapsulamento

15
SCR

• Curva característica

Curva Corrente versus Tensão

16
SCR

• Curva característica
– IL – Latching Current: para entrar em condução o SCR deve conduzir uma
corrente suficiente. O SCR não entrará em condução se a Corrente de
Gatilho IGK for suprimida antes que a Corrente de Ânodo IA atinja esse valor;
– IH - Holding Current: uma vez retirada a corrente de gatilho, a mínima
Corrente de Ânodo IA para manter o SCR em condução é chamada Corrente
de Manutenção;
– VBR – Tensão de Breakdown, é a tensão reversa máxima que o SCR suporta;
– VBO - Tensão de Breakover, é a tensão direta que faz o SCR conduzir, sem
que haja sinal no gate;
– IAMAX - Máxima corrente de anodo que não danifica o SCR, pode ser dada
como valor RMS, médio, de pico ou instantâneo;

17
SCR

• Aplicações
– Controles de relés e motores;
– Fontes de tensão reguladas;
– Choppers (variadores de tensão CC);
– Inversores CC-CA;
– Carregadores de bateria;
– Controle de iluminação

18
SCR

– Controle de Iluminação

Aplicação do SCR no Controle de Brilho da Lâmpada

19
SCR

– Controle de Iluminação (de 0 a 100%)

Circuito para o Controle de Brilho da Lâmpada

20
SCR

– Controle de Iluminação (de 0 a 50%)

Circuito para o Controle Parcial de Brilho da Lâmpada


https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQy1_8PayLAZxHIqBeX5tKyqLamjv9zj_liI66jmzLqQsIoU3yO

21
SCR

– Controle de Iluminação (de 0 a 50%)

Circuito para o Controle Parcial de Brilho da Lâmpada


22
SCR

– Controle de Iluminação (de 0 a 50%)

Vídeo do Circuito para o Controle Parcial de Brilho da Lâmpada


https://www.youtube.com/watch?v=lRDY5QUkL_w
23
SCR

– Controle de Iluminação (de 0 a 50%)

Vrms= 75.6895 V Vrms = 57.9695 V Vrms = 44.9495 V

Formas de Onda

24
DIAC

• Introdução
– DIAC: Diodo de Corrente Alternada;
– Possui três camadas semicondutoras, como ocorre no
transistor bipolar;
– Porém se diferencia do transistor devido ao fato de que
as concentrações de dopagem em volta das duas junções
devem ser iguais;

25
DIAC

• Simbologia, Camadas e Componente

Símbolo, Camadas Semicondutoras e Componente Comercial DIAC

26
DIAC

• Características Básicas
– Suporta elevados picos de corrente
– Apresenta tensão de avalanche especificada (VB)
– É usado nos circuitos de disparo dos TRIAC.
– Como um DIAC é um gatilho bidirecional, seus terminais
são marcados como A1 ou MT1 e A2 ou MT2.

27
DIAC

• Curva Característica

28
DIAC

• Funcionamento
– O DIAC conduz quando a tensão em seus terminais
excede o valor de Breakover (VBO) em qualquer sentido;
– Após o início da condução a tensão passa de um valor VBO
para um valor inferior VH, que se mantém enquanto o
DIAC conduz;
– Após conduzir a única forma de levá-lo ao corte é por
meio de uma redução de corrente, reduzindo-a abaixo de
um valor especificado;

29
TRIAC

• Introdução
– TRIAC: Triodo de Corrente Alternada;
– O TRIAC desempenha a função de 2 SCRs numa operação
de onda completa;
– O disparo pode ser feito tanto com pulso positivo quanto
negativo.

30
TRIAC

• Introdução
– O TRIAC proporciona maior simplicidade e eficiência, no
controle de potência de onda completa.
– O TRIAC também pode ser entendido como um DIAC no
qual foi adicionado um terminal de controle permitindo
disparar o dispositivo com diferentes valores de tensão.

31
TRIAC

• Simbologia, Equivalente e Componente

Símbolo Estrutura Equivalente com 2 SCRs Componente

32
TRIAC

• Curva Característica

33
TRIAC

• Aplicação
– Revisão - Relé Eletromecânico

34
TRIAC

• Aplicação
– Relé de Estado Sólido

http://www.cuin.com.br/2012/08/rele-de-estado-solido-para-arduino-open-hardware/

35
TRIAC

• Aplicação
– Controle de Iluminação (Dimmer Analógico)

www.feiradeciencias.com.br

36
TRIAC

• Aplicação
– Controle de Iluminação (Dimmer Digital)

http://i.stack.imgur.com/BGMTp.jpg

37
TRIAC

– Controle de Iluminação (Dimmer Digital)

Circuito para o Controle do Brilho da Lâmpada

38
TRIAC

– Controle de Iluminação (Dimmer Digital)

Vídeo do Circuito para o Controle do Brilho da Lâmpada


https://www.youtube.com/watch?v=5YWZ-cRxhy0

39
TRIAC

– Controle de Iluminação (Dimmer Digital)

212.6850 V 205.6945 V 161.5899 V 81.0535 V

Formas de Onda

40

Você também pode gostar