Você está na página 1de 19

Zeus Wantuil

As Mesas Girantes
e o Espiritismo
f *

As Mesas Girantes
e o

Espiritismo
**''"'■ ■ - r' "«•

■ «.Al ■ |ifr . .
■V >•- ^

Uf- '

r^r^íH
JIU H'í,

—'f
V v:
ÍNDICE GERAL
3 edígao
INDICIÜ DAS ILVSTBACOES Zm
DUAS PALA>'BAS 1
í)o i(5° £w20° milheiro
1. — Anteriormente ka 'teesas girantes". — Comonlcac&o
dos Espirites por meló de "raps" oo "ecboes". ~ A
Capa de RENATO MELLO "telegrrafia espiritual". — BevelacAo dos Desf^nfos
Superiores. — Veracldade dos fendmenos d
B.N. 11.621 t. ~ Surgem as "mesas falantes" nos Estados Unidos. —
Conversfto de borneas célebres. — Grande repercos-
B&o. — O prJmelro periódico espirita do Hundo. — A
55-AA;000.5-0; 5/1994 imprensa francesa. — Desvirtuamento do sentido das
mensa^ns. — Objetivo das manifestacOes dos Espi
rites — Converte-se famoso professor da Unlversidade
Copyright 1958 by de Missouri '

FEDERAgÁO ESPÍRTTA BRASILEIRA 8. — O Velho Mundo na primeira metade do século ZES. —


O "Esplritualismo Moderno" na Escóols e na Difla-
(Casa-Máter do Espiritismo) terra. — A notávei médium Sra. Hayden. ^ Dnstres
Av. L-2 Norte - Q.603 - Conjunto F personalidades se convencem da realidade dos fend-
menos mediúnlcos. — O primeiro periódico espirita
70830-030 - Brasnia-DF- Brasil inglés. — Os estudoB de um médico 16
4. — O Dr. Kemer e a "vidente de Prevorst". — O fantas-
Reprodugaofotomecánica e impressáo ofístí das ma-batedor de Bergzabem. — A primeira manifesta-
Oficinas do Departamento Gráfico da FEB C&o de "mesa girante" na Alemanha.'— O Dr. André>
de Brémen. — O testemunbo de professores nnlversi-
Rúa Souza Valente, 17 tários. — Comentórios da imprensa francesa 88
20941-040 - Rio. RJ - Brasil 6. — Angélica Cottin e a Academia das Ciénclas. — domáis
C. G. C. n" 33.644.857/0002-84 de Medicina crlticam a Academia. — Outros casos
LE. n"81.600.503 semelhantes. — A casa apedrejada. — Os fenómenos
mediúnlcos no Presbltérlo de CidevUle. — O Marqués
Impresso no Brasil de Mlrville e o vlgário de Saint-Boch eomunicam-se
com o manifestante invisivel. — Declaracfto de Bo-
PRESITA EN BRÁ2IL0 berto Houdin **
INDICE GERAL INDICE GERAL vn
VI

13 — Introduc&o, pelos próprios Espirites, do processo da


6. Glram as mesas por toda a Franca, em Malo de 1853.
"O malor acontecimento do século", no dlzer do escrita. — Sua slmultaneidade. — O que vlu o padre
Bautaln, vlgárlo-geral do Arceblspado de París. O "de-
Padre Ventura de BauHca. — ImpressSes de sábios
mónlo" é o autor. — A palavra do Padre Lacordaire,
magnetistas. — Antiguidade do fenOnieno. — A Mar 99
famoso orador sacro
quesa de Boissy 39
14. — A Academia das Clénclas nomela urna comiss&o. —
1, — O escritor Eugénio Ñus e sua iiiiciucíVo no» fenflme-
nos. — As mesas "falam". — O redator de "L'IIlus- Faraday, sábio físico inglés, estada as "mesas". —
tration". — Escritos e pecas musitáis obtidos de Espi Suas experiéncias e conclusóes. — Comentárlos depre-
rites e testemunhados por Eugenio Ñus, Gérard de dativos de Foucault. — Crítica do Marqués de Mir
Nerval. Mme. de Girardin, Toussene!, etc 43 ville e de Eugénio Ñus. — Veemente carta do Conde
de Gasparin publicada no "Journal des Débats". —
8. — O dramaturgo Vitoriano Sardou e os dois secretarios Assombrosas e decisivas experiéncias relatadas pelo
do sábio Arago. — As sessfies com Mme. Japhct. — grande estadista. — Move-se a mesa sem qualquer
Presenta de ilustres Intellgéncias. — Sardou, espirita contacto com os circunstantes. — Gasparin e os fenó
e médium 53 menos espiritas verificados nos Estados Unidos. —
A importante contrlbulcáo de Gasparin. — Críticas de
9. — As "mesas girantes" tomam tonta da Franca. — Re Félix Roubaud e de Vítor Mennler ás afirmacóes de
lato de experiéncias. — Oplni&o do Jornal "1.a Patrie". Faraday. — Charles Rlchet e as "contracóes muscula
— Julos Janin, "o príncipe dos críticos", descreve res Inconscientes". — A grande oportunldade que Fa
aquela singular agltacüot — As criticas da "Revue raday perdeu ^®3
des Deux Mondes" e da "Gazette de Frunce". — O
Marqués de Mirville contrário & explicacdo do ilustre 15. Brasil: o prlmeiro país da América do Sol a recebar
químico Chevreul. — Debates entre o abade Moigno noticias sobre as "mesas girantes e falantes". — O
e os famosos engenheiros Séguin o Eugénio Montgol- "Jornal do Commerclo", do Rio de Janeiro, o van-
fier. — As declaracoes dos Srs. Corvisart e Castelnau. guardelro das referidas noticias. —■ Curiosldade geral.
— Longo artigo de Félix Roubaud em "L'DIustra- — O "Dlárlo de Pernambuco". — Escreve sobre o
tlon". — o Dr. Mayer, redator-chefe da "Presse Mé- asBunto o famoso Jornallsta brasilelro Francisco Ota-
dicale". — Comunicac&o & Academia das Clénclas de viano. — Artigos publicados na Alemanha. — O tes- •
París 56
temunho do ilustre Dr. Sabino Plnho. — O "Dr. Ce-
— As "mesas girantes" em todo o Mundo. — Roma e
sário", as mesas e as curas obtldas com um sonám
Viena. — Na Academia Real de Bruxelas. — O ilustre bulo. — «O Cearense" narra fatos presenciados em
toda a parte. — Portugal e as "mesas" 124
estadista Conde de Gasparin confirma os fenómenos
e rebate o grande físico Foucault. — Comentárlos do
Marqués de Mirville. — O "fenómeno das mesas" en 16. — Vítor Hugo na Uha de Jersey. — Em visita ao grande
tre os lamas o os chlneses 77 romancista a Sra. Emlle de Girardin, entusiasta das
"mesas falantes". — O dramaturgo Augusto Vacqaerle
narra as experiéncias de que participou. — Comnnlca-
~~ O movimento
Schumann e a mesa
da mesa que
é real" —Ihe
dizdá
umrespostas.
membro da— cáo com os mortoB. — A chamada "mesa Girardin".
Academia na "Imprensa", folha de Portugal. — O — A mediunidade e as doutrlnas filosóficas de Vítor
®®<'*"itor Latino Coelho escreve longo trabalho Hugo. — o poeta reencarnacionista. — O Espirito
sobre a "epidemia" das mesas girantes. — Presencia "Dama Branca". Famosas sossóes na casa de Vítor
os fenómenos a rainha Isabel U da Espanha. — As Hugo. — Oplniáo de Suliy-Prudhomme, Jules Bols e
declaracóes de Lopes de Mendonca n'"A Bevoluc&o de Flammarion sobre os dltados mediúnicos de Jersey.
betembro e a referéncla ao sábio Humboldt 84 — Hugo porgunta em versos o a mesa responde tam-
bém em versos. A Independéncta e a superiorldade
~ Moigno e a teoría dos "puros esplrltos". — das respostas. — Hipóteses que se desmoronan!. — In-
pronunciamento de Arago sobre as mesas fluéncla das ideias espiritas na obra bugoana. — A
PPftf contacto algum. — As teorías do fraK latina e seu profundo significado. — Certeza qoe
Tooí' experiéncias Grécia. — O Conde de Ourches e tinha o genial escritor acerca da eomnnlcac&o dos
Boas pg mortoB com os vivos e da reencamac&o 189
INDICE GERAL IX
vra INDICE GERAL

de Babinet e das razOes por ele apresentadas. A


n. o cepticlsmo e o negratlvlsmo da Cléncla das Aca ComisB&o da Socledade Dialétlca de l.ondres. — Con-
demias. O Marques de MirvUle, sua obra e suas flrma-se o movlmento de objetos, Independente de
idelas. A oplni&o de Kardee sobre o prlmeiro vo- qualquer contacto material. — O professor suíco,
lume desse escritor. — Mlrvllle e o Espiritismo. — Tb\iry, repete as experlénclas de Gasparln e atesta-
Urna brochura de 1850 demonstra a realldade da co- -Ihes a veracidade 216
munlcacdo com os mortos. — Outros llvros de Mlrville 182
22. — As InvestigacSes do sáblo americano Prof. Dr. Roberto
18. — Dlscuss&o pública entre o Prof. Brittan e o Dr. BI- Haré. — Dale Owen e seus dols grandes llvros acerca
chmond. — Publicada em Eondres, em 1853, notúvel da comunicacdo entre vivos e mortos. — O Vlsconde
obra. — Extraordinúrios fatos espiritas verificados nos de Santo Amaro. — As ponderacoes de Babinet. — A
Estados Unidos e relatados por H. Splcer. — A con- teoría fluidlca. — O ectoplasma. — O literato Afonso
vers&o do Juiz Edmonds. — Na residencia do Beve- Karr critica os "movlmentos nascentes" de Babinet. —
rendo Dr. E. Phelps. — O neo-espirituailsmo revelado Os médiuns s&o ventriloquos! — Hlpótese Insusten-
na Franca pelo Conde de Richemond. — Descricúo de tável, demonstra-o o Conde de Gasparln.— A teoría do
maravllhosas manifestacOes mediúnicas. — Incompre- "longo perénio" e os Esplrltos batedores. — A teoría
endidas as novas Ideias
186 do "curto perénio" do Dr. liambaile. — Argumentos
que se Ihcs contrapéem. — Críticas vúrias, inclusive
19. — O testemunho de homens célebres quanto ús mesas a de Knrdec 225
girantes e falantes. — O Conde de Meslon; Frederlco
de Bougemont; Cunde de Pristan: — Feliciano de 23. — ConsideracOes sobre o "Neo-Espirituallsmo" nos Esta
Saulcy, membro do Instituto Francés, se rende aos dos Unidos, em 1864. — Crescente número de adeptos.
fatos. — Carta que ele dirlgiu ao Marqués do Mir — A célebre petic&o ao Congresso, com qulnze mil
vUle. — A mesa d& aulas a De Saulcy e faz desenhos assinaturas. — O descaso parlamentar. — O senador
origlnalIssimoB. — Confirma a veracidade dos fenó Tallmadge "versus" o senador Shields. — O Juiz
menos das mesas o Dr. Coze, de&o da Faculdade de Edmonds responde aos gracejos havldos no Congres-
Medicina de Estrasburgo. — O Ilustre teólogo italiano so.— Importante socledade espirita fundada em Nova
Padre Ventura de Baullca aceita os fatos e censura lorque 238
08 descrentes
24. — No Brasil, em meados de 1854. "Evocacées de alma
20. — O Clero, o demOnlo e as "mesas". — Escreve sobre d'outro mundo", Interessantíssimo artigo publicado
o assunto, em 1853, o "Córrelo Mercantil" do Blo de . n'"0 Cearense". — Sessdes em Eondres com o Espirito
Janeiro. — O teólogo francés Maynard atribuí a Sat& de Lord Byron. — Esclarecidas inteligéncias presen-
os fenOmenoB das mesas girantes. — Os bispos e suas clam 08 fenómenos. — Comunicacées de vários Espi
pastorais proibitlvas. — BazOes apresentadas. — Co- rites. — "£' composic&o de Gluck!" 24S
municacOes recebldas por Roberto Owen e Eugénlo
^us. — Tallmadge, ex-governador de Wlsconsln, obtém 25. — O sáblo químico Chevreol e sua célebre memórla sobre
not&vel escrita direta na presenca das médiuns Fox. a varlnha dtvinatórla, o péndulo explorador e as me
— ConclusSes a que chegou. — O llvro do abade Al- sas girantes. — Hlpótese da acáo inconsciente dos
mignana, o sonambulismo, as mesas girantes e a In- movlmentos musculares. — Criticas á parclalidade de
tervencúo dos mortos. — Refutadas as teorías do Chovreul. — As mesas falantes na opinláo desse
Conde de Gasparln. A extraordinaria son&mbula Autor. — Fortes argumentos se Ihe contrapSem. — Fra-
Adélia Maglnot. — Cahagnet e os Espirites. — Posicao
da Igreja 204 güidade da hlpótese de fraude. — O Prof Thury, da
Univeraidade de Genebra. — Tiro de morte ñas hlpó-
21. — No terreno da Cléncla. — Critica ú teoría do Faraday teses aventadas. — I^evanta-se, sézlnho, um piano de
transcrita no "Jornal do Commerclo", do Rio de Ja 300 quilos! — Aparece a Chevreul o Espirito do sea
neiro. — A "sugestao" do Prof. Carpenter. — ObJecAo amigo Sé'
do Conde de Gasparln. — o ano de 1864. — Babinet,
membro da Academia, publica sua hlpótese explica 26. — o Cavaleiro Gougenot des Mousseaax só vé demónlos
tiva. — Considera Impossfvel o movlmento e a sus- ñas "mesas girantes e falantes". — Dlvergéncla de i.
pens&o da mesa, sem haver contacto. — Sua conversfto inultos católicos. O redator de "La Table PaTlante"
posterior. — O Conde de Ourches. — Anállse da teoría eré em comunicacées dos mortos. — Os exorcismos. —
X INDICE GERAL INDICE GERAL XI

O vigário de Salnt-Boch e o tamborcto Irrequieto. — O Dústres estudiosos insistem Junto ao professor Bivail.
redator de "La Patrie". — Monsenhor Bouvler, após — Os cinquenta cadernos de comunicacóes 296
negá-Ios, aceita os íatos. — "Operacdes diabólicas",
sailenta o bisbo de Mans. Satanás perde para o 22. — Aconteclmentos marcantes de 1855. — A obra mediú-
progresso 260 nlca do ferrelro Linton. — O histórico das manifesta-
Cóes espiritistas segundo o pionelro W. Capron. ~ Ro
27. — A. Morin e suas írágeis hipóteses. — Cumo as almas berto Haré, professor na Universidade de Pensllvánia,
dos mortos se comunicam com os homons: singular e seu monumental livro sobre a intervencáo dos Espf-
expiicacáo de um sáblo. — Bénézet, escritor multo ritos. — O Prof. Thury e o engenheiro Girard de Cau-
considerado, narra as suas experiéncias e observacOes. demberg. — Dungias Home, prodigioso médium ame
— Fatos extraordlnários se sucedem. — Demdnio, ricano. visita Paris. — Sua infiuéneia na propagacáo
mistificac&o, sonambulismo despertó 269 das idelas espiritas. — As sessóes com a sonámbula
Srta. Japhet e o Prof. Rlvaii. — Emilio Littré. —
28. — O movimento "espiritualista" nos Estados Unidos. — Diálogo meniorávei. — Pronta a primeira parte de
O Veiho Mundo aguarda um roissionário. — Profecía "O Livro dos Espiritos". — Ñas XJvrarias as "Reve-
do Conde de Gasparin. — O Prof Hippolyte Léon De- iacóes do Além", de Cahagnet. — O pseudónimo de
nizard Rtvail e suas prlmciras ideiaa a respeito das Alian Rardec. — O "18 de Abril de 1857". — O Baráo
mesas girantes. — A tendéncia geral dos magnetis- de Guidenstubbé e o notável fenómeno da "escrita
tas. — Baragnon, General Nolzet, Br. Mayer, Baráo direta". — Incontestável prova da comunicacáo dos
du Potet, etc 278 Usptritos. — A relevante contribulcáo das "mesas gi
rantes e faiantes". — Sua destacada importáncia no
29. — O Magnetismo animal no século XIX. — O Marqués Espiritismo 206
de Puységur, d'Eslon e Deleuze. — Sumidades da
Ciéncia e da Igreja pronunclam-se sobre os fenómenos índice dos ANTROPONLMOS 328
magnéticos. — Experiéncias no Brasil. — O infeliz
reiatórlo de 1784. — As confissóes dos famosos Dra.
Georget e Rostan. — Experiéncias magnéticas a que
assistiram ilustres personalidades do mundo médico.
— A posicáo da Academia de Medicina de París, cm
1831, diante do reiatórlo da Comlssáo por eia nomea-
da.— A lucidez da fUha do Dr. Pigealre, da Faculdade
de Montpellier. — Protestam alguna membros da Aca
demia de Medicina. — Angélica Cottln, a "menina
elétrica". — Fatos e mais fatos. — O "od" do Barüo
de Reichenbach 282

— Intercámbio entre sonámbulos e seres espirltuais. —


Observacóes, nesse sentido, de ilustres estudiosos.
— Deleuze e o Dr. BUIot. — Avolumam-se os fatos
a favor das Idelas espiritualistas. — Cahagnet.
Ponderacóes do sábio Arago 291
21- — Posicáo do Prof. Bivail ante o fenómeno das "mesas
talantes". — Idéntico procedimento do Dr. Brierre
de Boismont. — Providencial encontró, em 18S5, do
Prof. Rlvaii cora o Sr. Carlotti. — Com a sonámbula
Sra. Roger. — Na casa da Sra. Piainemalson o Pro-
fessor Rlvaii testemunha, afinal, os fatos entáo cor-
rentes. — As sessóes com a Familia Baudin. O
processo da "cestlnha" no intercámbio com os Espl-
ritós. — Experiéncias reiteradas levam Rlvaii a gran
diosas conciuBóes. — Exploracáo do Novo Mundo.
ÍNDICE DAS ILUSTRA^dES
Pág.
295

Agenor de Gasparin
319

Augusto Vacquerie 143

Charges de "L'lllustration" 45, 46 e 47

Emilio de Girardin (Mme.) 143

Experiéncia com o mocho

Experiencias com as "mesas", na Alemanha ... 33


John Worth Edmonds

Nathaniel Pitcher Tallmadge


^íA'r^isíK;^' Roberto Dale Owen

- 242-bia

19

Um salao de París, em 1853 41

157

55
in\Í)TQ
■ i'n-. ab

IDuaó 'T^aLavmé
J^'K
Embora sabendo de antemáo que este escrito apre-
m senta defeitos, falhaa e imperfeigoes, para ele contudo
pedimos a complacencia do leitor, já que nos esforgámos
Tíí
por fazer o melhor.
«jf. Aqui e ali, nesse e naquele trecho, alguns confrades
poderdo perguntar porque nao foi citado tal ou quál
jato, porque nao se deu maior relevo ou desenvolvimento
VI áquela narragáo, porque foram esquecidos Fulano e Si-
crano, porque nao se fez comentário a tdo interessante
caso, porque a falta de concatenagdo de tais periodos,
f\: " ''
etc., etc.
'IT
A esses confrades caberá, com razdo, essa critica
U otíanmaiA ün coTistrutiva, mas cumpre-nos esclarecer que ndo nos mo-
veu, 7ia presente sintese histórica das mesas girantes e
LH fajantes, a mais mínima pretensdo de apresentar um
tldOU histórico perfeito ou completo sobre o assunto, já que
'''i,
para isso eremos seriam necessários inúmeros volumes,
XtS. exigindo urna inteligencia realmente d altura para seme-
Ihante empreendimento.
Nada mais fizemos que respigar, após afanosas pes
ftf quisas e pacientes leituras, algo do que diferentes escri
u
tores registaram com respeito ao nosso objetivo, até o
i' VQiX ma .■-<-.ri- ' aparecimento, em 1851, d'"0 lAvro dos Espíritos**, a pri-
v«r * ^
meira obra da Codificagdo kardequiana. Valha esse es-
forgo como incentivo e estimulo a que outros confrades,
dr-. ' ' "* TV
■ ■ jíI '
mais esclarecidos e mais bem próvidos de obras bibliO'

,'l
-M-
'f

''Si^
grá/icos, reálizem finalmente o trahalho que todos aguar
damos.
A quase totalidade do que se val ler já fot por nós
publicadaj aob o titulo "Das mesas girantes e falantes",
numa série de artigos estampados na revista "Reforma
dor^', órgáo da Federagao Espirita Brasileira. "Como quer que seja, as mesas girantes repre-
Reunidos neste livro, acreditamos que os leitores sentar&o sempre o ponto de partida da Doutrlna
Espirita." — Alian Kardeo, "O Llvro dos Médluns".
terSo assim melhor visao do conjunto. Que bom proveito
ele traga á coletividade, é o mais sincero desejo do "A mesa girante ou talante fol bastante ridi
culizada. Palemos claro: essa zombarla carece de
valor. Substituir o exame pela mofa é cómodo, mas
Autor. pouco científico. O fenómeno da antlga trípode e
da atual mesa tem, tanto quanto qualquer outro,
dlreito & observac&o." — Víctor Hugo, "Wllliam
Rio de Janeiro, 8S de Outubro de 1957. Shakespeare".

"Há Individuos para os quals os raciocinios de


nada adlantam, visto que eles n&o racloclnam. Nao
racloclnam nem léem. Nao lerao estas coisas, mas
as julgarao; Julgá-Ias-ao sem mals nem menos, do
alto de sua importancia, por meló de um argumento
Invenclvel: "Nao crelo, porque nao crelo!" E' simples,
fácil e peremptórlo. — "Nao admito tais coisas! Per
déis o tempo em me contar vossas históiias!"
^ ,ju,, .
Os críticos dessa escola sáo tao velhos quanto
uCm 'Ií.v) o mundo. Sempre os houve, sempre os haverá." —
Conde de Oasparln, "Des Tables Toumantes, du Sur-
naturel en général et des Esprlts".
ttw '•> , •
b» o i.; , . ,
^Ydt'4tTf *1
15 "llv;..* t',r •

r-r\ fJT- I ,
'j""» rta\«lh t^*p oí.
■' ii« OM<iM ov.
'» OMÍ \ Vi '
'-S -««io

. tOTiHO Hr>i l. vil .. .


AS MESAS GIRANTES E O ESPIRITISMO
'9 V.
riirn 1. - Anteriormente ás «mesas girantes». — Com^ica-
1»"^!/* i
Sño dos Espíritos por meio de «raps» _ou «echoep.
— A «telegrafía espiritual». — RevelacSo dos Besig-
xtíos Snperiores. — Veracidade dos fenómenos.
''!-r>fT?v>.
»t;o «..
' .1

r ...
T i

'
Numerosos foram os precursores do E^spintismo que
/.allíjvr- 5,a<- ®yidenciaram a comunicasáo dos supostos mortos com os
vivos da Térra, revelando-nos um novo mundo de conne-
cimentos até entáo semiocultos aos homens.
•ofn'vr.|-j,n ait Uíuh As visoes do sábio sueco Swedenborg, as profecías
.ituf(K<ii:iAi 'jiln <»u» I
••w ,tMliO.> R8Í»9 ^' Cagliostro, ou os fenómenos mediúnicos produzidos
9^.4«iMiwn 10".! .«ííi.r - í. 1840, na Álemanha, pelo médium inconsciente GotÜie-
iíü'"«l» ■ji'»rT f"'. Dittus* a clariaudiéncia de Charles-Louis (que dizia
'W "Iftttn» o*n 8«r o delfiín Luís XVH), do qual foram publicados, de
. 11»} oíímín 1839 a 1841, interessantes livros "revelados"; as retum-
ajiMk»v KAJfifi •
Mlrfrw otr olx <iíuu»'9 u
l^ntes comunicaQoes dos Espíritos obtidas desde 1840 por
Mitf fu «KiHIN .9«l/>'r< ' intermédio da sonámbula Adéle Maginot, sob a orienta-
iá«t<Ufltoor a»)clfT av.i" Sáo de Afonso Cahagnet, que editorou a partir de 1847 os
yf}y"r 1 "Arcanos da Vida Futura desvendados"; as notaveis ma-
^k;. ' TVT tiifestagoes mediúnicas da famosa vidente de Prevorst, re-
r.^'/ín'- ., gistadas pelo reputado Dr. Kerner, em 1829; os fenómenos
com o pastor escocés Elduardo IrWng; os extraordinarios
poderes mediúnicos de André Jackson Davis, que em 1847,
€m transe, recebeu "The PHnciplea of Nature, her Dvoit^
Revelation'k obra que predizia para breve a comunicasáo
oatensiva dos Espíritos, numa demonstragáo exuberante
da imortalidade; dezenas de outros nomes e fatos vinham
7.9r*- confirmando, cada vez mais claramente, a verdade milená-
ria da comunicasáo dos seres que partiram com os que
'.k. 1.' L, ficaram. . ' • j
Nao iremos relatar a interessantíssima historia das
' Íj^' pancadas e dos ruidos misteriosos, rappings, nowes e
VM

L .
AS MESAS GIRANTES
AS MESAS girantes
tentar ocultá-la por mais tempo. Quando houverdes cum-
knockings, que, segundo a descrigáo da Sra. Emma Har- prido o V0330 dever, Deus vos protegerá; e os bons Espí
dinge Britten, principiaram em tina de 1844 na aldeia ritos velarao por vós."
de Hydcsville, Condado de Wayne, no Estado de Nova .O® 1848-1849 foram, segundo a éxpressáo fiel
lorque, numa casa em que residiam os Weekmans, maní* de Eugenio Ñus, "a fase de incubagáo do modern spiri-
festagoes que continuaram após a saída do antigo dono tualism, o futuro espiritismo na Europa".
e a entrada da Famíüa Fox, em 11 de Dezembro de 1847. Terminadas as. investigagoes públicas em Rochester,
Nao discorreremos sobre os empolgantes acontecimentos com a afirmagáo da veracidade de fenómenos diversos,
que conduziram á primeira conversagáo com os autores entre eles o da mesa movente (tahle-moving), testemu-
dos ruidos insólitos, em 31 de Margo de 1848, data que nhados por respeitáveis personalidades, como os reveren
ficou gravada em letras inapagáveis no movimento espí' dos C. Haumond^e E. Phelps, este Doutor em Teologia,
rita-espiritualista mundial. E nem buscaremos descrevef cresceu a a^tagáo em torno deles, e a imprensa esta-
as primeiras demonstragóes públicas, com as irmas Fox. dumdense divulgou-os de uma á outra extremidade da
iniciadas aos 14 de Novembro de 1849, no Corinthian Umáo, tanto que antes de findar o ano de 1850 o modern
Hall, o maior salao de Rochester, e das quais resultou spirituálxsm já havia invadido alguns Estados da Uniáo,
a organizagáo do primeiro núcleo de estudantes do Espi' e Nova lorque contava numerosos Centros (2).
ritualismo moderno.
Acredita-se que o irmáo do Sr. Fox, David S. Fox»
tenha sido o primeiro a usar o alfabeto, em Hydesville,
para comunicagoes sistemáticas com os Espíritos, mas
foi Isaac Post, membro estimado da Sociedade dos Qua-
kers, qucm o divulgou, dele se utilizando em Rochester.
Dizendo em voz alta o alfabeto, convidava-se o Espirito — Surgem as «mesas falantes)» nos Estados Unidos.
a indicar por taps ou echoes, no momento em que fóssem — Conversao de homens célebres. — Grande reper-
pronunciadas, as letras que, reunidas, dcviam compor as cussao. — O primeiro periódico espirita do Mundo.
palavras que quería dizer. Estava descoberta a "tele — A imprensa francesa. — Desvirtuamento do sen*
grafía espiritual". Por este processo foi obtida a seguinte tido das mensagens. — Objetivo das manifestagoes
comunicagáo, a primeira que apresentou, em comparagáo dos Espíritos. — Converte-se famoso professor da
com as anteriores, maior cxtensáo, verdadeira mensagem Universidade de Missouri.
reveladora dos Designios Superiores:
"Dear frienás, you must proclaim these trutha to the Até entao os Espíritos, em a nagáo' americana do
■world. This is the datoning of a new era; and you must Norte, só se comunicavam através do processo a que já
not try to conceál it any longer. When you do your nos- referimos, o qual, além de grosseiro, era de grande
duty, God wiU protect you; and good Spirits tvill toatch morosidade, trabalhoso e tedioso.
over you" (1) Os próprios Espíritos indicaram, em fins de 1850,
"Caros amigos, deveis proclamar ao Mundo estas nova maneira de comunicmgáo: bastava simplesmente
verdades. E' a aurora de uma nova era; e nao deveis
(3) Eagéne Ñas — "Choses de l'autre monde". 2me édltlon.
(1) A. I.eah (Fox) Underhill — "The Mlsslng ZAnle in P&g. 191.
Modern Splrltuallsm", Nova lorque (1885), pág. 48.

L
] AS MESAS GIRANTES
AS MESAS GIRANTES

que se colocassem ao redor de urna mesa, em cima da comeQOu suas investigagoes no campo da fenomenología
qual se poriam as máos. Levantando um dos seus pés, a espiritualista, e eis a narragao de um fato que Ihe foi
mesa daría (enquanto se recitava o alfabeto) urna pan dado presenciar a 23 de Abril do mesmo ano: "Fiz parte
cada toda a vez que fósse proferida a letra que servisse de um grupo de nove pessoas e nos assentámos em torno
ao Espirito para formar as palavras. Este processo, aínda de urna mesa colocada no meio do quarto, sobre a qual
que muito lento, produziu resultados excelentes, e assim se achava um lampiáo aceso. Um outro lampiáo perma
se chegou as mesas girantes e falantes. necía em cima da lareira. Dentro em pouco a mesa foi
"Há que notar que a mesa nao se limitava a levan- elevada pelo menos a um pé do soalho, e sacudida para
tar-se sobre um pé para responder as perguntas que se frente e para trás, com largo desembarago. Alguns de
faziam; movia-se em todos os sentidos, girava sob os nós tentamos reté-la, empregando toda a forga de que
dedos dos experimentadores, as vezes se elevava no ar, dispúnhamos, mas em váo. Afastámo-nos todos para
sem que se descobrissem as forcas que a tinham suspen longe da mesa, e, á luz dos dois lampioes, vimos este
dido." (3) pesado móvel de acajú suspenso no ar. Tomei a resolugáo
Sendo curioaíssima essa nova maneira de proceder, de prosseguir essas investigagoes, decidido a esclarecer
nao houve quem nao se sentíase fortemente atraído para o público, pois pensava que tudo nao passasse de ilusáo;
essas experiencias, e destarte a moda das mesas girantes minhas pesquisas, porém, me condiiziram a um resultado
e falantes tomou de assalto as cidades norte-americanas. totalmente oposto."
Sacerdotes de mil e tantas seitas ocuparam-se da questao. A divulgagáo dessas experiencias com as mesas, e
Os padres católicos, julgando-se os mais fortes, confian a seguir a conversáo do juiz Edmonds, materialista que
tes e com grandes reforQos de hissopes, vieram exorcizar sempre rira da crenga nos Espíritos, que sempre escar
os Espíritos e as mesas caprissaltantes. Mas as mesas necerá de quem quer que fósse que acreditasse manter
possessas" fazieim coro e respondiam amém ás oraQóes relagoes com um mundo espiritual, pasmaram a todos os
exorcistas. O efeito era nulo: a água benta da Idade norte-americanos, aumentando aínda mais o interesse
Média havia-se deteriorado! (4) pelas manifestagóes inteligentes ultratumulares.
Numa sessáo realizada em Nova Jorque, em 1850, Novos testemunhos, de pessoas de elevada conside-
sentados ao redor de urna mesa, vemos o Rev. Griswold, ragáo, como William Owens, Morrow, Gatchell, Kossuth
o novelista Fenimore Cooper, o historiador J. Bancroft, o (trata-se do célebre político e revolucionario húngaro
Rev. Dr. Hawks, os doutores J. W. Prancis e Marcy, o Lajos Kossuth), Buchanan (certamente o Dr. José Rho-
poeta quaker Willis, o poeta Bryant, o general Lyman des Buchanan, precursor da Psicometria), etc., vieram
e o periodista Bigelow, do Evening Past. Todos eles se corroborar a veracidade dos fenómenos.
manifestaram satisfeitos com a sessáo, e declararam: "As Por estarem na vizinhanga dos Estados Unidos, o
maneiras e a conduta das jovens (isto é, das tres Irmas Canadá e o México foram as primeiras nagóes do Mundo
Fox) sao tais que tudo se inclina a favor délas." a conhecerem os extraordinários fatos.
Em Janeiro de 1851, o jurista John Worth Edmonds, Nesse meio tempo, os Espíritos se apossam das pes
€x-senador, ex-juiz do Supremo Tribunal de Nova Jorque, soas dotadas de mediunidade e iniciam novos procesaos
um dos homens mais respeitados nos Estados Unidos, de comunicagáo com os vivos da Térra. Os médiuns,
sob a agáo dos mortoa, a principio apontam as letras
existentes num círculo; logo depois, psicografam (writing
~ -History of Modem Amerlcan Spl-
(4) PaiU Gibier — "o Esplrttlsmo", 1886. médiums) e transmitem mensagens psicofónicas (speaking
médiums). As mesas falantes imediatamente decresceram
10 AS MESAS GIRANTES AS MESAS GIRANTES 11

de importancia nos EJstados Unidos, embora nao desa- peus que com certeza nascera mais urna seita religiosa
parecessem, porque tinham a vantagem de provar aos na grande nagáo americana, onde — acrescentavam — o
inidantes a absoluta independencia dq pensamento do misticismo exaltado criava todos os dias novas religioes.
médium. Nao havia, pois, novidade... A imprensa francesa cala-
"Em 1S52, "W. Bryant, B. K. Bliss, "W. Edwards e va-se completamente sobre essa revoluqáo americana.
David A."Wells, professores da Universidade de Harward, Todos os paquetes que na Franga abordavam, proceden
publicaram um Manifestó célebre, para apoiar com seus tes dos Estados Unidos, transportavam pela boca dos
testemunhos a autenticidade dos movimentos e elevagáo passageiros aquelas novas, além de jomáis e de urna
da mesa, sem que para isso entrasse em jogo qualquer que outra obra acerca do assunto que atraía as atengóes
agente físico conhecido. Tais professores, depois de va gerais dos estadunidenses. Mas — diz o Marqués de
rias experiencias, "praticadas com o mais escrupuloso Mirville (7) — como os navios traziam ao mesmo tempo
cuidado", se viram obligados a "admitir que ali havia os pregos do café e do algodáo, estes tomavam toda a
a manifestagáo constante de urna forqa inteligente, que coluna dos periódicos franceses, na secgáo relativa aos
parecia ser independente das pessoas vivas". (5) Estados Unidos, e esta única preocupagáo absorvia em
Ainda em 1852, a 8 de Maio, era dado á estampa, em regra quaisquer outras noticias, principalmente aquelas
Nova lorque, o primeiro periódico espirita do Mundo, o a que nos vimos referindo, desprezadas como banalidades.
Spxritual ^eíegraph, subvencionado pelo negociante Se- Segundo nos informa Mirville, o primeiro jornal
nhor Partridge, com o auxilio do Rev. S. B. Britain (6). francés a dar maior destaque á questáo foi o L'Univers,
Foi o vanguardeiro dos novos ideáis em toda a América num artigo publicado em 26 de Julho de 1852, sob o
do Norte, em cujas colunas os adeptos mais eminentes res- título: "Les spiritualistes d'Amérique".
pondiam ás invectivas de artigos publicados pela im
prensa profana. Esta, na sua generalidade, ridiculizava Nao nos furtamos de traduzir alguns tópicos: "Há
as mesas girantes e os Espiritos batedores, e — conforme ura ano que os jomáis políticos da América assinalam os
as expressoes de Gabriel Delanne — nao havia escre- progressos de uma nova seita, que possui adeptos em
toda a superficie dos Estados Unidos. Tais progressos,
vinhador de jomáis ou sorumbático amanuense que nao longe de esfriarem, tomam notável desenvolvimento, e,
se desse por autorizado a criticar esses alucinados que
acreditavam sinceramente que a alma do seu próximo em data recente, a atengáo pública seguia os movimentos
pudesse erguer o pé de um móvel. dos espiritualistas, reunidos em convengáo geral na ci-
No outro lado do Atlántico, raras eram as noticias dade de Cleveland, ás margens do lago Erie. Trata-se
que ali aportavam falando dos extraordinarios fenóme de um magnetismo, desta vez sem sonambulismo, e da
nos, e, em geral, falhas, incompletas, desvirtuadas, pon- evocagáo das almas dos mortos, que viriam guiar os
tilhadas do sarcasmo e do ridículo dos cronistas. Por vivos com os seus conselhos. Duas jovens de Rochester,
isto mesmo, na Europa, a principio nenhuma atenqáo as irmás Fox, respectivamente de 13 e 15 anos, foram,
ligaram ao "maravilhoso" que despontara naquelas pla há quatro anos, as autoras dessa doutrina, ao sustenta-
gas distantes. E, comentando, escrevlam os jomáis euro- rem que elas entravam, á vontade, em comunicagáo com
os Espiritos." Após descrever o modo por que manifes-
tavam os Espiritos a sua presenga, através de pancadas,
(5) Torreft-Solanot — "Primer Congreso Internacional Espi de estalos no ar, de abalos transmitidos a mesas ou a
ritista", (Proemio), 1888.
(6) W. O. láógworthy Taylor — "Katie Fox and the Fox-
-Taylor Record", 1933, pág. 71. (7) J. Eudes de Mirville — "Des Esprits et de leurs manl-
festations fluidiques", deuxléme édltion (1854), pág. 406.
T
12 AS MESAS GIRANTES AS MESAS GIRANTES 13

cadeiras, as quais se punham a danQar, após contar que do Além, todas de fundo pura e visivelmente moralizador,
pianos faziam ouvir concertos celesüais, sem o concurso ós novps fariseus supunham desta forma escurecer as
de nenhum executante visível, o articulista concluía as- verdades vindas de mais Alto, eclipsar a alvorada do
sim: "A única explicagáo possivel está no demonio, que Consolador prometido pelo Mestre Jesús. Tudo embaíde,
é a causa desses criminosos embustes, e, para se con porém... As clarinadas dos Espirites ressoavam mais
vencer disto, basta reparar que as revelagóes dos Espíri- e mais fortemente, sobressaindo ao alarido das vozes
tcs tém todas a finalidade de minar a religiáo, e que os inconsequentes. Aqueles seres invisíveis, como verda-
jomáis socialistas da América fazem grande ruido em deiras trombetas celestiais, dirigiam-se para todos os
torno dessas superstigoes, na esperanga de usá-las para lados apregoando por mil maneiras os novos ideáis de
popularizarem suas ardentes ambigoes." amor e fraternidade.
Abrimos um paréntesis para explicar o motivo que O objetivo da intercomunicagáo dos vivos com os
conduziu o L'ünivers a escrever a conclusáo final. Nos mortos desde cedo se revelara aos homens. O ex-gover-
Estados Unidos, as irmás Fox, e bem assim varios outros nador de Wisconsin e senador dos Estados Unidos, N. P.
médiuns, recebiam frequentes comunicagoes de Espirites Tallmadge, uma das figuras preeminentes da política
que revelavam serem aqueles fenómenos o prelúdio de ianque, numa carta (9) á Sra. Sarah Helen Whitman,
urna renovagáo espiritual no Mundo. O sentido exato de Providence, R. I., datada de Baltimore, 12 de Abril
dessas revelagoes foi naqueles dias maliciosamente des 1853, conta que na presenga da Sra. Fox e filhas obteve
virtuado por interesses políticos e religiosos, e em pouco na cidade de Washington, em Fevereiro do mesmo ano,
tempo se estabeleceu urna reagáo violenta, sendo os "espi a seguinte mensagem do estadista John Caldwell Cal-
ritualistas" arrolados como licenciosos, revolucionários houn, falecido em 1850: "Meu amigo,_ perguntam-vos
e até criminosos. Comegava o Espiritualismo Moderno a que bem podem fazer nossas manifestagóes. Eu respon
ser tido como um perigo social, e se nao fora um grupo do a isso: elas tém por objetivo congragar os homens,
de homens íntegros e respeitados pela Nagáo, os quais, convencendo os cépticos da imortalidade da alma."
declarando desassombradamente as suas convicgoes a fa Esta comunicagáo foi dada letra por letra, luna pan
vor da realidade e transcendencia dos fenómenos, fizeram cada para cada uma, segundo o método ordinário que
frente aos detratores, a história daquele país talvez se atrás já mencionámos. O senador Tallmadge faz notar,
manchasse com a perseguigao e matanga de centenas de em seguida, que no ano de 1850, em Bridge-Port, com a
mártires espiritas. presenga de outros médiuns, entre as várias perguntas
"As revelagoes — escrevia a imprensa conservadora formuladas e as várias respostas recebidas, a pergunta:
e o clero — ensinam a destruigao das organizagoes ecle "Que tém em vista os Espirites em se manifestando a
siásticas existentes, e dizem serem necessárias transfor- nós?" — provocou da parte de W. E. Channing (10)
magoes vitáis no mundo social e comercial. Como é geral uma resposta perfeitamente semelhante áquela de Cal-
a crenga numa procedencia espiritual desses ensinos,
crenga que se expande cada dia, o efeito será, como disse-
houn: "Unir a familia 'humana e convencer os cépticos
mos préviamente, a formagáo de um grande partido de .urna outra vida/* E concluí o ilustre senador com
radical, que em pouco tempo se desenvolverá por si mes- aquele espirito de observador profundo: "Essa unidade
mo, e surpreenderá o Mundo pela sua forga." (8)
Misturando cavilosamente a política ás revelagoea (9) M. Ooupy. — "Expllcatlon des tables parlantes, des
médiuns, des Esprlts et du somnambullsme", 1860, p6g. 126.
(8) Emma Hardinge — obra citada, p&g. 308. (10) WUlIam Ellery Channing (1780-1842) — Famoso teó
logo norte-americano.
AS MESAS GIRANTES
14 AS MESAS GIRANTES 15

de vistas de dois espirites táo elevados, sobre van. ponto Continuando, o Courrier des États-Unis narrou um
de suma importancia, é digno, ao que me parece, de fato de ampia repercussáo nos meios médicos, fato que
atengáo" passamos a resumir: As irmás Fox compareceram ao
Com este longo paréntesis quisemos demonstrar que i anfiteatro da Escola de Medicina da Universidade de
os processos ardilosos e desleais de que se serviram para Missouri, diante de urna assembleia de 500 a 600 pessoas,
perseguir o Rabi da Galileia e, posteriormente, os pri- submetendo-se a um comité de investigagáo, que fisca-
meiros cristáos, foram, na verdade, aqueles mesmos em- j lizava as experiéncias dirigidas pelo deáo da Faculdade,
pregados contra os adeptos do Espiritismo nascente. sabio professor de Anatomía, célebre pelos seus conhe-
Contudo, como que reparando logo após o comen
cimentos médicos, e reputado pela sua argúcia e cepti-
tario tendencioso a respeito dos fenómenos, o jornal cismo. A reuniáo foi presidida pelo presidente da Cámara
jyUnivers extraiu do Courrier des États-Unis urna cor-
respondéncia de 25 de Junho de 1852, datada de Saint- Municipal da cidade, bem conhecido pela sua oposigáo
á nova doutrina. Todos acreditavam que o velho pro
-Louis, cidade situada á margem do rio Mississipi. Esta fessor demoliria, enfim, o edificio inteiro do Espirituar
correspondencia comega assim: "Passam-se aqui, e em
lismo Moderno. Mas, oh espanto! O famoso materialista,
grande parte da América, fatos aos quais a imprensa depois de dissecar os fenómenos mediúnicos, proclamou
dá luna certa atengao... Se os fatos sao o que pretendem a sua crenga na imortalidade da alma e declarou crer
ser, eles anunciam urna revolugáo religiosa e social, e na presenga dos Espíritos e na comimicagáo através de
sao o Índice de nova era cosmogónica. O contágio se faz meios físicos.
de maneira inexplicável, sem que seja possível compreen-
der-lhe a causa: é urna alucinagáo que se apodera de Finalizando a sua narrativa, o correspondente dizia
que muitos outros fatos mais surpreendentes aínda po
quase toda a gente. Falo dos fenómenos conhecidos pelo
nome de manifestagóes espirituais, ou manifestagóes dos
derla contar, mas prefería assinalar aqueles "cuja autcn-
ticidade está acima de toda a suspeita, e sobretudo essa
Espirites do outro mundo. Sel que estas palavras atrai-
ráo um sorriso de piedade para os labios daqueles que
singular declaragáo partida de um dos santuários da
Ciencia da metade do século XIX".
nao sabem de que se trata; apesar de tudo, a loucura,
se loucura há, se apodera dos cérebros mais bem cons Como vemos, o artigo supramencionado nao deixava
de ser curioso, mas os franceses nao se preocupavam com
tituidos."
Mais adiante, o correspondente norte-americano, ere
essas coisas que vinham de táo longe, e ninguém se lem-
mos que o pastor Haumond, refere-se k missao das senho- brou de dar ao assunto maior relevo, pelo motivo que
rinhas Fox, ao número elevado de médiuns já existentes expusemos no principio: tratava-se, segundo o pensa-
nos Estados Unidos, e observa: "Para as pessoas que mento geral, nada mais, nada menos, de urna nova seita
tém acompanhado esses desenvolvimentos extraordina americana, chela de místicos e crendices inaceitáveis...
rios, a fraude e a magia branca já nao podem ser levadas
em conta. Os que repelem a ideia de urna intervengáo
dos Espirites, chamam em seu auxilio a eletricidade e o
magnetismo para explicar essas incriveis novidades; po-
réni, as teorías mais engenhosas nao podem dar a expli-
cagáo de tudo o que se passa, e a hipótese dos Espíritos
é até o momento a única que parece responder a todas 8. — O Velho Mundo na primeira metade do século XIX.
as dificuldades." O «Esplritualismo Moderno» na Escocia e na Ingla
terra. — A notável médium Sra. Hayden. — Ilustres
AS MESAS GIRANTES 17
16 AS MESAS GIRANTES

personalidades se convencem da realid^e dos fenó alemáo, dotado da visao profética dos grandes pensado
menos medlúnicos. — O primelro periódico espirita res, a qual nada mais é que a inspiraqáo vinda de Mais
inglés. — Os estudos do um médico. Alto, animciava á Humanidade desesperanzada uma nova
esperanza: "Eu sinto que nada morreu, que nada morrerá
Era necessário, todavía, fazer chegar a Terceira do que verdadeiramente viveu, e vejo ñas lutas e ñas
Revela^áo ao conhecimento da Europa, naquela época o convulsoes do nosso tempo as primeiras dores de um
centro do Mundo. novo parto, os primeiros sinais de uma renovazáo do
Mauricio Garriere, em sua obra "Discursos e medi- Cristianismo."
taQoes religiosas dirigidos á nagáo alema por um filósofo O mesmo Espírito-Santo (conjunto dos mensageiros
alemáo", dados á luz em 1850, fazia sentir com as pala- do Senhor) que semeara novas ideias ñas térras favo-
vras: — "A hora presente é sombría e chela de inquie- ráveis de Colombo, onde o fruto já era colhido, semeá-
taQoes" — a gravidade da crise moral por que atraves- -las-ia também no solo semiárido do continente europeu.
sava o mundo europeu. Pazendo urna comparaQáo da Regadas com a chuva do seu amor e aquecidas com o
época em que vivía com a Roma antiga, traQava o se- sol de sua caridade, certamente haveriam de germinar,
guinte quadro: "As sombras de Mário, de Sila, de Catilina crescer e frutificar.
reapareceram ñas sanguinolentas figuras de Danton, de Prepararam entáo os Espiritos Superiores a entrada
Saint-Just, de Robespierre, e o sáculo de César recome- dos novos ensinos naquelas velhas paragens históricas,
Qou com o sáculo de Napoleáo. Desde os Gracos, até a onde campeava o cepticismo e o materialismo. Bem mais
revelagáo do Cristo, o mundo pagao nao conheceu tran- cedo do que se supunha, aqueles extraordinários fenóme
quilidade de espirito; desde Lutero o mundo moderno nos, negados pela Ciencia, explorados pelos charlatáes,
também nao desfrutou sequer urna hora de paz: apenas ridiculizados pelos jomáis, anatematizados por diferentes
tumultos e guerras civis, militares e espirituais. E^ para seitas. sofrendo desde o inicio formidável oposizáo, acom-
que o Mundo repouse, enfim, é preciso nao mais, é ver- panhada, por vezes, de cenas selvagens, em que houve a
dade, a revelaqáo do Cristo, mas a compreensáo e o cum- deplorar violencias, grosserias e absurdos de toda a es-
primento de sua lei. A dissensáo está em todas as partes pécie, — atravessaram o Océano Atlántico e invadiram
ñas doutrinas religiosas. Há tres sáculos, desde o último a Europa.
concilio, a Igreja Católica está mergulhada num profundo E' assim que em fins de 1852 (11), dando inicio a
sono; o cisma grego encontra-se embotado ou desagre essa memorável tarefa, faziam desembarcar no norte da
gado pelas heresias; o Protestantismo se dispersa por Escócia alguns médiuns americanos. Com eles vinha o
si^mesmo e exclama: "Tudo está consumado!" As nega- Modem Spirittiálism. Os fenómenos, principalmente as
Qoes, se assim posso falar, as negaqóes fleumáticas e
manifestazoes com as mesas girantes, espalhar£im-se pela
desesperadas da ciencia alema tém ido até aos extremos Escócia, ganharam Londres e em menos de um ano se
do niilismo. Quanto ao idealismo, vemo-lo táo estreito, generalizaram por quase toda a Inglaterra.
táo impotente para produzir alguma coisa de durável, que
nao há muito se constituía no materialismo dos enciclo-
pedist^^franceses. Dai esse burburinho, essa algazarra (11) o Dr. Gluseppe Lapponl, em sua obra "L'Hypnotlsme
de opinioes, de teorías e de sistemas que ensurdecem a et le Splrltlsme", París, 1907, diz ter sido no comeco de 1852,
e que apenas desembarcara uma testemunha dos prodigios de
Europa." Rochester, a qual serla a espoleta que em pouco tempo defla-
Tal era, numa pincelada de Mauricio Garriere, o Ve- garia uma verdadeira revoluc&o em toda a Inglaterra.
Iho Mundo da 1.* metade do sáculo XIX. Mas o filósofo NÓ8, entretanto, nos apelaremos em MlrvUle, em sua obra
"Des Esprits et de leurs manlfestations", publicada em 1853.

Á
AS MESAS GIRANTES AS MESAS GIRANTES 19
18

E' bem verdade que antes dessa "invasáo" os ingle carta ao Sr. Goupy (12), datada de Londres, 20 de Maio
ses já possuiam algumas informaQoes acerca dos fatos de 1853, Roberto Owen explicava que "o objetivo das
estranhos que se verificavam nos Estados Unidos, e isso manifestagóes observadas por toda a parte era preparar
através da obra de Adin Ballou: "An Exposition of Views
reapecting the Principal Facts, Causes and Peculiarities
invólved in Spirit Uanifestationa^', dada a público em
1852, na cidade de Londres, peló editor G. W. Stone, mas
aos médiuns e ás experiencias levadas a efeito é que se
deveu a divulgagáo e aceitaqao dos fenómenos.
E' de salientar que "tti dos médiuns que mais con-
tribuiu para esse desenvolvimento foi urna notável mu-
Iher, a Sra. M. B, Hayden, verdadeira missionária encar-
regada pelo Alto de despertar a intelectualidade anglo-
-saxónia para a nova revelagáo.
Ela também aportara na Inglaterra em fins de 1852,
juntamente com seu esposo, respeitável proprietário e
diretor de um diário de Bóston, de grande circulaqáo na
Nova Inglaterra. A seu respeito escreveu um biógrafo:
"Desvanecía toda suspeita com a natural ingenuidade
de suas palavras, e muitos, que vinham divertir-se á sua
custa, ficavam envergonhados ante a brandura e o exce
lente caráter de que ela dava mostras, e acabavam pela
tratar com respeito e cordialidade.
"Invariávelmente deixava naqueles que a experimen-
tavam a impressáo de que, se os fenómenos manifestados
por sua intervenQáo pudessem ser atribuidos á fraude,
ela seria entáo — segundo a observagáo de Dickens — a
mais perfeita artista que se possa imaginar."
Arthur Conan Doyle, em sua obra — 'The Hiatory
of SpirituaXxsm, narra alguns aspectos da mediunidade
da Sra. Hayden, que, conforme declarou eminente esta
dista daquele tempo, "merecia um monumento, ainda que
fósse só por ter conseguido a conversáo de Roberto ROBERTO OWEN
Owen". Este famoso reformador social, cujaa crcnsas ma
terialistas exerciam perniciosos efeitos sobre a religiao, a reforma do mundo; convencer todos os homens da
proclamou, num manifestó, sua nova convicQáo: "o espi realidade de nrrifl existencia imortal após a que vivemos;
rito do homem, em lugar de morrer com o corpo, como inspirar-lh^ a caridade, a benevolencia e a mansidáo
eu o acreditava, passa, ao separar-se dele, a uma outra
existencia mais luminosa, mais pura e mais felix." Numa
(12) M. Goupy ^ Obra citada, pág. 120.
20 AS MESAS GIRANTES AS MESAS GIRANTES 21

8em limites". E, referindo-se ás mesas girantes, afirmava St. John's College, de Cambridge, que se acredita ter
que o movimento délas, sob a cadeia de máos, era deter sido o primeiro sacerdote británico a ocupar-se dos fenó
minado por Espirites de pessoas mortas. menos em voga; o grande fisico Sir David Brewster; o
Reunindo-se com alguns amigos, entre os quais o Conde d'Eglinton, entáo govemador da Irlanda; etc., etc.
célebre estadista inglés Lorde Henrique Brougham, obte- Num longo artigo no periódico londrino Critic, em
ve, por meio de pancadas batidas pela mesa, varias e in- 1853, o Rev. Hobson chamava a atengáo dos clérigos para
teressantlssimas comunicagoes de extintas personalidades os fenómenos "espiritualistas" que rápidamente se alas-
ilustres (13), entre elas aquele que Ihe foi grande amigo travam pela Inglaterra, convertendo "müitos homens cul
em vida, o Duque de Kent, pai da célebre rainha Vitoria, tos e inteligentes". Frisava estar plenamente convencido
o que o levou a publicar, em 1854, um curioso livro com de nao ter havido nenhuma farsa ñas sessoes com a Se-
o titulo: "O Futuro da Raga Humana, cu, Grande, Glo- nhora Hayden, cuja honorabilidade assegurou.
riosa e Pacifica Revolugáo, anunciada e cumplida por Por essas e outras razoes, levantaram-se contra ela
intermédio das almas de urna sociedade de mulberes e de a imprensa, os púlpitos e as instituigóes de toda a classe,
homens notáveis pelo saber e pela probidade." numa arremetida de injurias, perseguigóes e insultos,
A Sra. Hayden converteu á teoría espiritista outras sendo até tratada como vulgar aventureira americana.
figuras de relevo na Inglaterra, como o Dr. Ashburner, Tudo isto sofreu esse bondoso espirito, que em fins de
famoso médico da Real Academia, Sir Charlea Isham, o 1853 voltava á sua patria.
professor Augusto de Morgan, renomado matemático e Conan Doyle diz que enquanto a Sra. Hayden se-
filósofo, a Sra. Fitzgeraid, de antiga e nobre familia irlan meava suas primeiras sementes, em Londres, ocorriam
desa, a escritora Catarina Stevens Crowe, o Dr. Joáo no Yorkshire, na cidade de Keighley, manifestagoes espi-
Elliotson, sabio médico inglés, membro das mais impor rituais por meio das mesas, sob o controle de nin ameri
tantes associagoes médicas de Londres, presidente da So cano recém-chegado e do inglés David Weatherhead, que
ciedade Real de Medicina e Cirurgia, e que foi intimorato fundón o primeiro periódico espirita inglés, o YorTcshire
defensor do emprego do Magnetismo animal no trata- SpiritiuU Telegraph. Daquele Condado de York, o movi
mento de certas afecgoes tidas por incuráveis e como mento se propagou a Lancashire, e através de novos mé-
poderoso e eficaz anestésico ñas operagoes cirúrgicas, etc. diuns foi-se ampliando por outras regioes da Inglaterra,
Assistiram, ainda, ás sessoes com a referida médium,
tornañdo-se familiares as experiencias com as mesas,
tanto que naqueles dias, segundo um artigo publicado em
convencendo-se da realidade dos fenómenos obtidos, vá-
rias personalidades inglesas bastante conhecidas e res- The Yorkshireman de 25 de Outubro de 1856, "se convi-
peitadas, entre as quais mencionaremos: Lady Comber- dava ao chá e á mesa Tnovediga como nm passatempo".
mere, esposa do grande general inglés Stapleton Cotton Impresso pela Editora londrina "Hippoljrte Bailliere",
saiu a lume, em 1853, um livro que moderou os sorrisos
Combermere; o filho deste, Major Cotton; o Dr. Joáo irónicos de muitos incrédulos empedernidos. Escrito, cor
Malcom, de Clifton; a Sra. Gibson, esposa do ilustre polí
tico Thomas Milner Gibson; Sir Henrique Thompson, tamente em Maio, por ilustre médico que ficou no ano
notável cirurgiáo; o escritor Colley Grattan; os Dra. Da- nimato, o livro em questao se intitulava: "Practical
niels e Samuel Dickson; o celebrado editor e literato inatructions in table-moving, with physical demonstra-
escocés Roberto Chambers; o Rev. A. W. Hobson, do tions", estudo sereno e consciencioso do assunto em voga,
sem ser, como declarou o próprío autor, "a expressáo de
um entusiasmo insensato que dissimule a verdade".
(13) Alexandre Aksakof — "Animismo e Espiritismo", 2.» No Prefácio á sua obra, o médico explicou logo no
ed. da FEB, págs. 87-88.

í
22 AS MESAS GIRANTES AS MESAS GIRANTES 23

comego: "Cerca de um més atrás, os jomáis alemáes André, de Brémcn. — O te.stemunho de professores
revelaran! ao público alguns estranhos e até mesmo in- universitário.s. — Comentários da imprensa francesa.
críveis fenómenos. Minha primeira impressáo foi de
incredulidade; mas, pouco depois, homens de elevada Felizmente, na pátria do genial filósofo Kant, o ca-
reputagáo, médicos e sábios, os quais eu conhecia cu minho para a entrada da nova Revelagao já eslava mais
pessoalmente ou por seus trabalhos, publicaram o resul ou menos achanado por Justinus Kerner, sábio doutor em
tado de suas experiencias, atestando a realidade de tais Medicina, urna das glórias literárias e filosóficas da
fenómenos, apesar de misteriosos e inexplicáveis em sua Alemanha, autor da célebre obra "A Vidente de Prevorst"
origem. (Die Seherin von Prevorst) e de diversos outros livros
"Durante o més passado, entreguei-me á tarefa de sobre o sonambulismo, o magnetismo, o intercambio com
pesquisar, de sondar esse novo e imenso océano que se os Espiritos, obras essas publicadas em Stuttgard, de
abriu á investigagáo atual. A dúvida já nao é mais 1824 a 1852.
admissível; e seja qual for a causa que Ihes déem nasci- Nao podemos deixar de algo dizer a respeito, nem
mento, somos obrigados a admitir fatos positivos e mate- que de muito leve, pois foi o Dr. Kerner quem, pode-se
riais, constantemente reproduzidos com certa precisáo dizer, preparou o povo alemáo para que este mais fácil
matemática, e aqueles que buscarem negá-los aplicare mente aceitasse as novas e universais manifestagoes des-
mos estas palavras: "Tém olhos, mas nao véem."" pontadas em Hydesville.
No final desse Prefácio, o estudioso médico expres- O Dr. Kerner, cuja sinceridade e boa reputagáo ja
sava seus votos para que as sociedades científicas sub- máis foram postas em dúvida por quem quer que seja,
metessem a exame os fatos que iria expor, fatos, escrevia divulgou em 1829. os notáveis fenómenos que testemu-
ele bem inspirado, que "talvez venham a ser o marco de nhara na presenga da sonámbula Frederica (Madame
urna das mais importantes vitórias do espirito humano". Hauffe), juntamente com outros estudiosos, entre os
Tendo estudado o movimento de corpos de toda a quais Strauss, o célebre autor d'"A Vida de Jesús", e o
espécie, forma e peso, sob diferentes condigóes físicas, magistrado Pfaffen, cuja incredulidade se dissipou no
metereológicas, fisiológicas e moráis, verificou nao haver dia em que ele, com seus próprios olhos, viu formarem-se
ali agoes elétricas, magnéticas, fisiológicas e psicológicas. "fantasmas" na sua frente.
Tudo obedecía a urna forga de natureza desconhecida, Produziram-se com aquela médium os mais diferen
cujas leis a ciéncia nao havia ainda determinado. tes ruidos, pancadas secas, o deslocamento de inúmeros
Definitivamente estabelecidas, em principios de 1853, objetos, sonhos premonitórios, desdobramentos, etc. Ela
essas manifestagoes ñas térras británicas, os Mensageiros via os Espiritos, e com eles conversava, e confessa o
da Terceira Revelagao rumaram para a altiva Alemanha, Dr. Kerner que em certa ocasiáo ele observou, no lugar
com os planos já combinados e em vías de execugáo. que a vidente indicara» "urna forma esbranquigada e
vaga, uma espécie de coluna vaporosa".
Táo assombrosos fenómenos repercutiram largamen
te na Alemanha, devido á reconhecida idoneidade moral
daquele que os subscrevia. Na Inglaterra, mesmo, a obra
ao Dr. Kerner foi bastante comentada, mas na Franga
4. — O Dr. Kemer e a «vidente de Prevorst». — O fan- pouco se Ihe deu importáncia, sendo aquele tratado como
tasma-batedor de Bergzaberii. — A primeira mani- impostor e a Sra. Hauffe como uma aventureira. Só
festagáo de «mesa girante» na Alemanha. — O Dr. treze anos depois, a famosa Revue des Deux Mondes, de