Você está na página 1de 9

A IMPORTÂNCIA DO ACABAMENTO E

POLIMENTO APÓS PROCEDIMENTO RESTAURADOR:


REVISÃO DE LITERATURA
THE IMPORTANCE OF FINISHING AND POLISHING AFTER RESTORING PROCEDURE:
LITERATURE REVIEW

Amanda Santana DE CAMARGOS 1


Mariana Dias VIEIRA 2
Lia DIETRICH 3
Camila Ferreira SILVA 4
Paulo César Freitas SANTOS-FILHO 5
Victor da Mota MARTINS 6

RESUMO Palavras-chave: Resina composta; Estética


dentária; Polimento dentário
O acabamento e o polimento das resinas
compostas são procedimentos que servem para ABSTRACT
remover os excessos grosseiros da restauração,
proporcionando uma anatomia melhor e fornecendo um
Finishing and polishing of composite resins are
aspecto mais natural ao elemento. É imprescindível
procedures to remove excesses from the restoration,
uma restauração de forma satisfatória para facilitar no
providing a better anatomy and a more natural look to
processo do acabamento e polimento. O polimento tem
the element. Satisfactory restoration is essential to do
a finalidade de diminuir a rugosidade, deixando a
the finishing and polishing process. The polishing has
superfície mais lisa, consequentemente diminui o
the purpose of reducing the roughness, leaving the
acúmulo de placa e proporciona uma superfície mais
surface smoother, consequently decreasing plaque
próxima ao esmalte dentário, e desta maneira prolonga
buildup and providing a surface closer to the dental
a vida útil da mesma. O objetivo desse trabalho é relatar
enamel, and in this way prolongs the useful life of the
através de uma revisão de literatura narrativa, a
same. The objective of this work is to perform a
importância das pontas diamantadas e das borrachas
literature review the importance of finishing and
abrasivas no acabamento e no polimento em resinas
polishing. A literature search was performed in the Cielo
compostas e momento correto para realizar esses
/ Lilacs / Bireme / Medline / Pubmed databases from
procedimentos. Foi realizada uma busca na literatura,
1986 to 2017, using the following keywords: "finishing
nas bases de dados Cielo/ Lilacs/ Bireme/ Medline/
and polishing" "composite resin", in Portuguese and
Pubmed no período de 1986 a 2017, utilizando as
English. Were used 17 papers for this narrative
seguintes palavras-chave: “acabamento e polimento”
literature review. It is possible to perform the finishing
“resina composta”,” finishing and polishing”, nos
and polishing at different times, the immediate, done in
idiomas português e inglês. Dos trabalhos encontrados,
the same session in which the restoration was made, or
17 foram utilizados para esta revisão de literatura
late, from 24 to 48 hours or within 7 days after the
narrativa. É possível realizar o acabamento e polimento
restoration. Both techniques have similar results,
em momentos distintos, o imediato, efetuado na mesma
however each technique has its peculiarity.
sessão em que a restauração foi confeccionada, ou
Keywords: Composite resin, Dental
ta de Odontologia Contemporânea – ROC

tardio, de 24 a 48 horas ou em até 7 dias


posteriormente à realização da restauração. Ambas aesthetics, Dental polishing
técnicas possuem resultados similares, entretanto cada
técnica tem sua peculiaridade. .

1-,2 Discentes do Curso de Odontologia da Faculdade Patos de Minas - FPM amadinha_santana10@hotmail.com; enidiascunha@hotmail.com
3- Mestre em Reabilitação Oral - FOUFU lia_dietrich@yahoo.com.br ;
4 – tferreirasamila@outlook.com
5 - Doutor em Clínica Odontológica Integrada - FOP/UNICAMP - Professor Adjunto da Área de Dentística e Materiais Odontológicos - FOUFU paulocesarfs@yahoo.com.br
6 – Mestre em Clínica Odontológica – FOUFU victortag@hotmail.com

1 Volume 2 número 1 Maio 2018


INTRODUÇÃO

Desde a descoberta das resinas macroparticuladas, as primeiras resinas compostas descritas por Bowen
em 1962 foram a base de matriz BIS- GMA (Bisfenol glicidil metacrilato), houve uma evolução nos materiais
restauradores, na qual, surgiram resinas microparticuladas, nanoparticuladas, híbridas e nanohíbridas. Nas
matrizes resinosas foram adicionadas diluentes, inibidores e partículas de cargas com maior tecnologia, no
intuito de otimizar as propriedades físicas do compósito (1-2).
Visando superar a dificuldade de incorporar carga à matriz resinosa, os fabricantes vêm adicionando
diluentes à base de dimetacrilato tornando-os mais fluidos para facilitar o uso clínico do material, estes
diluentes são: o TEGDMA (trietileno glicol dimetacrilato) e o EDMA (etileno glicol dimetacrilato), BIS-GMA
(Bisfenol glicidil metacrilato) e UDMA (uretano dimetilmetacrilato). A inserção destes diluentes intensificam
a contração de polimerização das resinas compostas, com isso, é incorporado na matriz orgânica um inibidor
de polimerização para evitar a polimerização espontânea dos monômeros, esses inibidores são BHT
(hidroxitolueno butílico) e também têm a função de garantir o aumento da vida útil da resina (2,3).
É indispensável que o material restaurador permita uma lisura superficial próxima ao do esmalte
dentário, por esta razão é importante realizar o acabamento e polimento nas restaurações de forma efetiva,
pois através deste procedimento é possível diminuir as rugosidades da superfície, corrigir as margens
inadequadas, delimitar forma e contorno, dar brilho e textura às restaurações e evidenciar as propriedades
óticas e biomecânicas. Com a técnica correta, evita o acúmulo de biofilme, a recidiva de carie secundária,
manchamento das margens, irritação gengival, promovendo então uma maior longevidade à restauração e
deixando o tecido de proteção periodontal saudável e livre de irritações (1,4,5).
O objetivo desse trabalho é relatar através de uma revisão de literatura narrativa, a importância das
pontas diamantadas e das borrachas abrasivas no acabamento e no polimento em resinas compostas.

METODOLOGIA

Foi realizada uma revisão de literatura de forma narrativa por meio das bases de dados online: Cielo/
Lilacs/ Bireme/ Medline/ Pubmed e por meio de livros, utilizando como descritores: “acabamento e
polimento” “resinas compostas” “finishing and polishing”. Foram utilizados como filtro, “artigos”, “idioma”,
“português”, “inglês” no período de “1986 a 2017”. Foram utilizados 17 trabalhos nesta revisão de literatura
que demonstravam a importância do acabamento e polimento após o procedimento restaurador.

REVISÃO DE LITERATURA

As resinas compostas são basicamente constituídas por: matriz orgânica, inorgânica, agente de união e
o sistema iniciador. A matriz orgânica é formada por monômeros, (Bis- GMA, UDMA, Bis-EMA, TEGDMA)
que após a polimerização, se convertem em polímeros. A carga inorgânica é constituída por partículas de
minerais rígidos inseridos na matriz orgânica, (quartzo, vidro ou sílica), são essas partículas que oferecem
resistência ao material (5). O agente de união é um componente responsável por unir a carga inorgânica com
a matriz orgânica, pois são materiais de natureza distintos, na qual não se unem, necessitando desse agente de
união que promove a união química desses dois materiais. O sistema iniciador ativador, é responsável pela
reação de polimerização dos compostos resinosos. Há três tipos de reação de polimerização: química, física
ou mista. A polimerização química ocorre ao se misturar dois materiais químicos, uma contém iniciador e a
outra o ativador e quando misturados ocorre a reação de polimerização, um exemplo é a resina acrílica. A
polimerização física ou fotopolimerização, é ativada por uma luz halógena e a canforoquinona, material
presente na matriz orgânica que é o agente iniciador desse sistema de fotopolimerização. O tamanho, forma e
quantidade das partículas das cargas inorgânicas são responsáveis pela classificação básica das resinas
compostas. Quanto ao tamanho das partículas, as resinas são classificadas como, resinas macropartIculadas
tamanho médio de carga de 8 a 15 μm (micrômetros), resinas micropartículadas de 0,04 a 0,4 μm, resinas

2 Volume 2 número 1 Maio 2018


híbridas com tamanho médio de 0,04 a 5 μm, resinas compostas microhíbridas com 0,04 a 0,7 μm, resinas
nanohíbridas, que são microhíbridas com nanopartículas adicionadas da ordem de menos de cem nm
(nanômetros) até partículas maiores de 0,7 μm, resinas nanoparticuladas que contêm 100% de nanopartículas
todas abaixo de 100 nm, geralmente entre 20 a 75 nm (4-9). Resinas macro particuladas apresentam
grande resistência como vantagem, em contrapartida, maior aspereza na superfície, maior acúmulo de placa e
com isso, a estética fica comprometida (3,10). Resinas micro particuladas apresentam superfícies mais lisas e
favorecem uma estética excelente como vantagens, sua desvantagem é a baixa resistência comparada às
macropartículas (3,10).
Resinas híbridas apresentam boa resistência, propriedades estéticas aceitáveis embora não apresentem
boa estabilidade de cor (3,10). Resinas Micro híbridas apresentam estética excelente, boa resistência, fácil
manuseio e estabilidade de cor (3,10,11).
Resinas nanoparticuladas e nano híbridas apresentam excelentes propriedades mecânicas, e lisura
superficial ainda melhores que as micro híbridas (3,11). As resinas Bulk-fill, de modo geral, apresentam menor
contração de polimerização, possibilidade de trabalho com incrementos de até 4mm, bom escoamento que
permite preenchimento em áreas e ângulos de caixas proximais, embora exija uma camada de resina
convencional de cobertura pois apresenta baixa resistência ao desgaste (3,12).
Algumas resinas apresentam-se com aspecto acinzentado ou com uma estética insatisfatória, devido a
alta translucidez do material, para permitir a passagem de luz. As resinas bulk fill condensáveis apresentam
baixo escoamento, menor contração de polimerização e podem ser inseridas em toda a cavidade não
necessitando de uma camada de resina de cobertura (12).
As resinas compostas apresentam partículas de carga com tamanhos diferentes, e isso sugere que poderá
existir alguma dificuldade na obtenção de um adequado acabamento e polimento da superfície da resina
(3,4,13).

ACABAMENTO E POLIMENTO
Realizar a remoção de excessos, irregularidades e aprimorar a anatomia dental, são procedimentos
realizados na técnica de acabamento, desta forma são utilizadas pontas diamantadas para a realização deste
processo, por consequência, é necessário a realização do polimento, pois as pontas diamantadas promovem
ranhuras na superfície da restauração (5,14).
É ideal exercer o acabamento com pontas diamantadas de granulações em ordem decrescente, pois é
possível refinar a superfície desde que a sequência da maior para menor granulação seja mantida (5).
O acabamento e polimento são realizados com a finalidade de remover as irregularidades, corrigir os
excessos, dar brilho, diminuir a rugosidade superficial, promovendo de modo respectivo o equilíbrio com os
tecidos periodontais, inibindo uma irritação gengival. Sendo assim, a restauração necessita estar em harmonia
com o periodonto (5,6,15).
A nanotecnologia proporcionou o aperfeiçoamento das resinas, com esse avanço foi possível melhorar
as propriedades deste material, tornando possível realizar um melhor polimento e obter superfícies mais lisas.
A lisura superficial da restauração depende diretamente do material usado para restaurar (7,14).
Executar o acabamento e polimento em uma restauração deve ser preconizado após 24 horas (tardio) e
até 7 dias para que a resina composta possa polimerizar por completo, evitando assim micro trincas na
superfície da restauração, que poderá ocasionar em curto prazo, um manchamento superficial na restauração
(14,16,17). Para evitar que isso ocorra deve-se esperar a absorção da água, que levará à expansão higroscópica
ajudando a compensar a contração de polimerização. É através da expansão higroscópica que haverá uma
diminuição das fendas nas margens da restauração. Se houver a necessidade de realizar o acabamento e
polimento na mesma sessão (imediato) é necessário utilizar um gel hidrossolúvel, na fotopolimerização da
última camada de resina, isolando-a do oxigênio presente no ar, permitindo uma melhor conversão dos
monômeros que estão presentes na resina, em polímeros (14,16,17).

3 Volume 2 número 1 Maio 2018


MATERIAIS UTILIZADOS PARA REALIZAR O ACABAMENTO E O POLIMENTO

a) Brocas/pontas diamantadas, brocas de carbeto de tungstênio múltiplas lâminas.


As brocas/pontas diamantadas apresentam na sua superfície, pequenas partículas de diamantes, que
variam de acordo com sua granulação. Ao utilizar essas pontas diamantadas é necessário seguir uma sequência
clínica decrescente com o intuito de deixar a superfície cada vez menos rugosa. As brocas de carbeto de
tungstênio possuem múltiplas laminas e baixa abrasão, desta forma são mais indicadas para contorno e
acabamento de áreas marginais ou cervicais. Ao comparar as brocas de carbeto de tungstênio e as brocas
diamantadas, as de diamantes são mais eficientes em tornar a superfície menos rugosa (15).

Fig 1. Pontas diamantadas de granulações finas(F) e extrafinas(FF)

Fonte: Acervo do autor

Fig 2. Broca carbide multilaminada

Fonte: Acervo do autor

4 Volume 2 número 1 Maio 2018


b) Discos, lixas, espirais
Discos e lixas de polimento apresentam-se em discos ou tiras de plástico ou polímero, impregnados com
partículas abrasivas. As lixas são utilizadas nas superfícies proximais, os discos são indicados para superfícies
de dentes anteriores, bordas incisais e ameias incisais e gengivais. Os discos mais comumente utilizados são
os discos de óxido de alumínio, pois promovem uma rugosidade superficial muito baixa. “Os discos de óxido
de alumínio possuem a capacidade de produzir uma superfície com baixos valores de rugosidade devido à sua
capacidade de cortar as partículas de carga e a matriz de forma igualitária”. Porém os discos apresentam
limitações de acesso, em fóssulas, cicatrículas e fissuras, e em superfícies côncavas devido a anatomia do
disco limitar sua ação. Com isso foram desenvolvidas as tiras de lixa, constituídas por um elastômero
termoplástico com partículas de óxido de alumínio ou diamante impregnadas em sua superfície, o formato em
espiral torna possível sua utilização em todas as superfícies dos dentes (15).

Fig 3. Discos

Fonte: Acervo do autor

Fig 4. Tiras de lixa para resinas

Fonte: Acervo do autor

5 Volume 2 número 1 Maio 2018


Fig 5. Espirais

Fonte: 3M espe

c) Borrachas
As borrachas de polimento apresentam-se por uma matriz sintética, elástica que possibilita várias formas
e tamanhos. Nesta matriz elástica estarão dispersas as partículas abrasivas, óxido de alumínio e dióxido de
silício. As borrachas podem dispor de granulações diferentes, separadas por cores de acordo com o tamanho
dos grãos nelas incorporadas, sendo assim dispõe da granulação mais grossa, a cor mais escura e granulação
mais fina, a cor mais clara, seguidas das borrachas de alto brilho, para geral na área de espelhamento e brilho
do material restaurador (2,15).

Fig 6. Borrachas abrasivas com diferentes granulações

Fonte: Acervo do autor

6 Volume 2 número 1 Maio 2018


Fig 7. Borrachas de alto brilho

Fonte: Acervo do autor

d) Escovas e feltros
As escovas e feltros são usadas isoladamente ou associadas as pastas de polimento, para promover maior
brilho na superfície restaurada. Algumas pastas de polimento contem glicerina e partículas abrasivas ultrafinas
dispersas ou suspensas, de óxido de alumínio ou de diamante em sua composição, quando estas entram em
contato com a superfície que não foi polida corretamente, estes grânulos podem ser aderidos nas rugosidades
e gerar um falso efeito de brilho, apresentando um resultado negativo no polimento (2,15).

Fig 8. Escova de pelo de cabra

Fonte: Acervo do autor

7 Volume 2 número 1 Maio 2018


Fig 9. Escovas de Robinson

Fonte: Acervo do autor

Fig 10.Disco de Feltro

Fonte: Acervo do autor

CONCLUSÕES

Nesta revisão de literatura podemos constatar que o acabamento e o polimento são importantes para
um resultado final satisfatório em restaurações em resinas compostas, mas para que este resultado seja
alcançado é imprescindível utilizar os materiais disponíveis de maneira correta. O procedimento pode ser
realizado imediatamente, após 24 horas ou em até 7 dias, o importante é garantir que os compósitos
resinosos alcancem um alto grau de conversão que as pontas diamantadas, borrachas abrasivas, discos e tiras
de lixa sejam utilizadas respeitando a granulação de cada um e permitam atingir a estética desejada.

REFERÊNCIAS

1. Flach R. Longevidade de restaurações diretas de resina Disponível em:


composta em dentes posteriores: revisão da literatura. http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/156773
[TCC] [Internet]. Porto Alegre: Universidade Federal do 2. Reis A, Loguercio AD. Materiais dentários diretos. São
Rio Grande do Sul. 2016 [acesso em 23 abr 2017]. Paulo (língua portuguesa): Santos Editora; 2007.

8 Volume 2 número 1 Maio 2018


3. Borges SX, Oliveira ALA, Góes RWL, Nascimento F, 7. Leinfelder KF, Taylor DF, Barkmeier WW, Goldberg AJ.
Martins VM, SantosFilho PCF, et al. Material restaurador Quantitative Wear Measurement of Posterior Composite
utilizado nas unidades básicas de saúde de um município Resins. Dent Mater. [periódico da internet].1986 [acesso
de pequeno porte na região alto paranaíba do estado de em 30 mar. 2017];2(1):198–201. Disponível em:
minas gerais. Rev.Psicol saúde e debate. [periódico na http://www.demajournal.com/article/0109-
internet]. 2017 [acesso em 31 out 2017]; 3(1):22-33. 5641(89)90143-7/references14
Disponível em: 8. Anusavice KJ, Phillips: materiais dentários. 10a ed., São
http://psicodebate.dpgpsifpm.com.br/index.php/periodic Paulo (língua portuguesa): Guanabara Koogan; 1998.
o/article/view/88/72 p.176-89.
4. Bispo LB. Resina composta nanoparticulada: há
superioridade no seu emprego? Rev. Dentistica online. 9. Silva KT, Gasporoni F, Nascimento F, Caixeta DAF,
[periódico da internet]. 2010 [acesso em 21 fev. Santos Filho PCF, Martins VM. Restauração direta com
2017];9(19):21-24. Disponível em resina bulk-fill flow. Revista de Odonto
http://coral.ufsm.br/dentisticaonline/0904.pdf Contemporânea. [periódico na internet]. 2017. [acesso em
5. Menezes MS, Vilela ALR, Silva FP, Reis GR, Borges 01 nov 2017]; 1(1):66- 75. Disponível em:
MG. Acabamento e polimento em resina composta: http://www.rocfpm.com/index.php/revista/issue/view/w
reprodução do natural. Rev. Odontol. Bras. Central. ww.rocfpm.com/Restaura%C3%A7%C3%A3o%20diret
[periódico da internet]. 2014 [acesso em 24 mar 2017]; a%20com%20resina%20Bulkfill%20flow%3A%20r
23(66): 124-29. Disponível em: elato%20de%20caso
http://www.robrac.org.br/seer/index.php/ROBRAC/articl 10. Alves CB, Guriato JB, Turbino ML, Oda M. Rugosidade
e/view/882/75513 superficial de diferentes resinas compostas comparando
6. Silva VB, Ribeiro IC, Sena IAA, Vieira JIN, Seabra EJG, sistemas de acabamento e polimento e após a profilaxia
Santos MM, et al. Lisura superficial da resina composta com jato de bicabornato. Estudo in vitro. Clin Lab. Res
frente a técnica de polimento. Rev. Bras. Odontol. Den [periódico da internet]. 2015 [acesso em 21 fev.
[periódico da internet]. 2015 [acesso em 21 fev 2017]; 2017];21(1):11-18. Disponível em:
72(1/2): 47-50. Disponível http://www.revistas.usp.br/clrd/article/view/83527/10683
em:http://revista.aborj.org.br/index.php/rbo/article/view/ 6
567/455 11. Busato ALS, Hernandez PAG, Macedo RP. Dentística
Nunes PMA, Ferreira SS, Sobral MAP, Turbino ML. restaurações estéticas. São Paulo (língua portuguesa):
Lisura superficial de resinas compostas com nano Artes médicas Ltda; 2002. p. 204-31
partículas após protocolos de acabamento e polimento. 12. Leite FPP, Faria LCB, Santos APM, Oliveira JM.
Ver Assoc. Paul Cir. Dent [periódico da internet]. 2013 Comparação da rugosidade superficial de resinas
[acesso em 21 fev. 2017];67(3):224-8. Disponível em: compostas após polimento imediato e tardio. HU Revista.
http://revodonto.bvsalud.org/scielo.phppid=S000452762 [periódico na internet]. 2011. [acesso em 07 de jul
013000400009&script= sci_arttext&tlng=pt 2017];37(4):391- 96. Disponível em:
Silva JMF, Rocha DM, Kimpara ET, Uemura ES. Resinas https://www.researchgate.net/publication/266591390_Co
compostas: estágio atual e perspectivas. Rev Odontol. mparacao_da_rugosid
[periódico da internet] 2008 [acesso em 19 mar. ade_superficial_de_resinas_compostas_apos_polimento_
2017];16(32):98-104. Disponível em: imediato_e_tardio
http://dx.doi.org/10.15603/2176- 13. Fonseca AS. Odontologia estética: respostas às dúvidas
1000/odonto.v16n32p98-104. mais frequentes. 15 São Paulo (língua portuguesa): Artes
Michelon C, Hwas A, Borges MF, Marchion JC, Susin medicas Ltda; 2014. p. 220-69.
AH. Restaurações diretas de resina composta em dentes 14. Ferreira CLB. Fracturas Dentárias no Sector Anterior:
posteriores considerações atuais e aplicação clínica. RFO. Abordagem estética através de restaurações diretas a
[periódico da internet]. 2009 [acesso em 25 mar Resina Composta. [Monografia]. Porto: Faculdade de
2017];14(3):256- 61. Disponível em: Ciências da Saúde Universidade Fernando Pessoa;
http://dx.doi.org/10.5335/rfo.v14i3.797. 2013.http://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/17460

Autor correspondente: VICTOR DA MOTA MARTINS


Rua Major Gote, 1406 Centro.CEP 38700-101 - Patos de
Minas - MG
E-mail victortag@hotmail.com;
(34) 38182300

9 Volume 2 número 1 Maio 2018